Notícia

15cm Kanone 18

15cm Kanone 18

15cm Kanone 18

O Kanone 18 de 15 cm era uma peça de artilharia de longo alcance, mas estranha, produzida apenas em pequenos números e não era popular com o exército alemão.

O K 18 de 15 cm foi projetado em resposta a uma exigência do exército alemão para um novo canhão para as baterias de artilharia divisionais, emitido em 1933. Rheinmetell apresentou um projeto que usava o mesmo carro que seu projeto para o schwere Feldhaubitz 18 de 15 cm, com um novo, muito mais tempo, barril. No concurso de obuses, eles tiveram que dividir o contrato com Krupp, depois que o exército escolheu o barril Rheinmetell e a carruagem Krupp. Desta vez, eles escolheram o design Rheinmetall completo, mas deram a ele uma prioridade muito menor do que o obuse. Como resultado, as primeiras armas não foram entregues até 1938.

A escolha da carruagem Rheinmetell acabou por ser um erro. Em uso normal, a carruagem de caixa à moda antiga tinha apenas 11 graus de transversal, um pouco pior do que a Primeira Guerra Mundial 15 cm Kanone 16 (Kp) ,. Ele veio com uma plataforma giratória especial de duas partes que proporcionava 360 graus de avanço, mas aumentava muito o tempo necessário para colocar a arma em ação ou fora dela, e também significava que ela precisava ser dividida em três cargas para o transporte - cano , carruagem e plataforma giratória. O barril precisava de sua própria carruagem especial para o transporte. A carruagem foi atacada por um pequeno ágil de duas rodas para produzir uma versão de quatro rodas para reboque. Tudo isso adicionado ao tempo necessário para deixar a arma pronta para disparar.

O cano da arma foi mais satisfatório, dando ao canhão um impressionante alcance máximo de 24.500m, embora com uma cadência de tiro lenta de cerca de 2 tiros por minuto. A arma tinha seu recuperador acima do cano e o freio do cano abaixo, com dois equilibradores hidropneumáticos nas laterais. Ele usava um culatra deslizante horizontal operado manualmente. Foram produzidos projéteis de alto explosivo, perfurantes de armadura e anti-concreto, assim como um projétil de marcador para uso com a artilharia costeira.

O K 18 não se saiu muito bem com a artilharia móvel, mas era mais útil como arma de defesa costeira ou com divisões de guarnição, onde a travessia de 360 ​​graus na plataforma giratória e o longo alcance eram valiosos.

Apenas cerca de 100 K 18 foram construídos e a produção encerrada antes do final da guerra. O Kanone 39 de 15 cm um tanto melhorado também foi produzido em pequenos números, mas a produção mudou para armas maiores, como o Kanone 18 de 17 cm e o Mörser 18 de 21 cm.

Nome

15cm Kanone 18

Calibre

149,1 mm (5,87 pol.)

Comprimento do cano

8,2 m (26 pés 10,8 pol.)

Peso para transporte

18.700 kg (41.226 lb)

Peso em ação

12.460 kg (27.470 lb)

Elevação

-2 a +43 graus

Atravessar

11 graus na carruagem
360 graus na plataforma

Peso da Concha

43 kg (94,8 lb)

Velocidade do focinho

865m (2.838 pés) / s

Alcance Máximo

24.500m (25.800gt)

Cadência de tiro

2 minutos


15cm Kanone 16 (15cm K16)

Autoria por: Redator | Última edição: 27/09/2018 | Conteúdo e cópiawww.MilitaryFactory.com | O texto a seguir é exclusivo deste site.

Canhões de campo de todos os tipos foram usados ​​por todos os lados na Primeira Guerra Mundial na tentativa de derrubar fortificações e desalojar as tropas inimigas escavadas em redes de trincheiras fortificadas. Para os franceses, essa cobrança coube à Canon de 155mm GPF e, para os britânicos, o papel foi para a série BL de 6 polegadas Mk XIX. Durante 1917, o Império Alemão introduziu o Kanone 16 (K16) de 15 cm (150 mm) que foi produzido pelo famoso fabricante de armas Krupp. A produção durou de 1917 a 1918, antes do Armistício de novembro. Após a guerra, um estoque dessas armas caiu para os belgas e foram eventualmente recuperadas por seus proprietários alemães durante a 2ª Guerra Mundial.

A arma tinha um design tradicional utilizando os principais componentes do tubo da arma, hardware de montagem / recuo e transporte. O calibre do tubo da arma era de 149,3 mm, mas arredondado em sua designação. A carruagem utilizou uma configuração de duas rodas de aço e um conjunto de trilha de caixa para mover por bestas de carga ou veículo trator. O peso total derrubou a balança em 23.960 libras e o comprimento total mediu 21 pés. O carregamento e o descarregamento dos projéteis eram gerenciados por meio de um bloco de culatra deslizante horizontal na parte traseira do tubo do canhão. O hardware de montagem da arma mantinha uma amplitude de elevação herdada de +43 a -3 graus com travessia de 8 graus.

O K16 disparou um projétil de alto explosivo (HE) com carga revestida de 113 lb a 24.000 jardas a uma velocidade de cano de 2.480 pés por segundo. Tripulações treinadas podiam atingir taxas de tiro de cerca de dois a três tiros por minuto. A velocidade do focinho pode variar com base no número de cargas usadas e efeito de alcance desejado, enquanto o projétil retém sua letalidade em qualquer caso. No transporte, o conjunto do barril foi desconectado do carro para produzir duas seções mais gerenciáveis.

O K16 viu um serviço confiável durante o restante da Primeira Guerra Mundial. Após a guerra, eles permaneceram em circulação e, quando os alemães conquistaram a Bélgica, os estoques do Exército Belga foram retomados ao serviço do Exército Alemão sob a designação de 15cm K429 (b) - " b "significando suas origens belgas (apesar de serem alemãs). Essa reconstituição provou ser lugar-comum para os alemães em sua conquista do Ocidente e do Oriente, onde todo e qualquer produto de guerra de antigos operadores era reutilizado de todas as maneiras possíveis. Alguns canhões K16 terminaram como posições defensivas ao longo da Muralha do Atlântico de Hitler para proteger contra uma invasão Aliada no noroeste da Europa. Alguns tubos de canhão K16 foram incluídos nos sistemas de canhão "K16 K16 Morser Laf" quando acoplados às carruagens da peça de artilharia Morser 18 de 21 cm - tal tornou-se a natureza desesperada das armas de artilharia úteis na guerra.


15 cm sFH 18

o Schwere Feldhaubitze 18 de 15 cm ou sFH 18 (Alemão: "obuseiro de campo pesado, modelo 18"), apelidado Immergrün ("Evergreen"), [3] foi o obus pesado de nível de divisão alemã básico durante a Segunda Guerra Mundial, servindo junto com os menores, porém mais numerosos, 10,5 cm & # 8197leFH & # 819718. Sua mobilidade e alcance de tiro e a eficácia de seu projétil de 44 quilos o tornavam a arma mais importante de todas as divisões de infantaria alemã. [4] Um total de 6.756 exemplos foram produzidos. [1]

Substituiu o design anterior, First & # 8197World & # 8197War-era do 15 cm & # 8197sFH & # 819713, que foi julgado pela equipe de designers Krupp-Rheinmetall do sFH 18 como completamente inadequado. [4] O sFH 18 era duas vezes mais pesado que seu antecessor, tinha um aumento de velocidade de 40% no cano, um alcance máximo de tiro 4,5 quilômetros maior e um novo carro de arma de rastro dividido que aumentou a travessia de tiro em doze vezes. [4] O desenvolvimento secreto de 1926-1930 permitiu que a indústria alemã entregasse um projeto sem problemas no início do re-armamento alemão em 1933. [4] Foi a primeira arma de artilharia equipada com munição assistida por foguete & # 8197 a aumentar faixa. O sFH 18 também foi usado na peça de artilharia autopropelida Schwere Panzerhaubitze 18/1 (mais comumente conhecido como Hummel).

O sFH 18 era uma das três principais armas de calibre de 15 cm da Alemanha, sendo os outros o 15 cm & # 8197Kanone & # 819718, um canhão pesado de nível de corpo, e o 15 cm & # 8197sIG & # 819733, um canhão de infantaria de cano curto & # 819718.


15 cm Schiffskanone C / 28 em Mörserlafette

o Schiffskanone C / 28 de 15 cm em Mörserlafette (SK C / 28 na Sra. Laf) foi uma arma pesada alemã usada na Segunda Guerra Mundial. A produção de carruagens para o 21 & # 8197cm & # 8197Mörser & # 819718 e o 17 & # 8197cm & # 8197Kanone & # 819718 em Mörserlafette excedeu os barris disponíveis em 1941 e oito navios 15 & # 8197cm & # 8197SK & # 819718 em Mörserlafette foram adaptados para canhões de defesa costeira carruagens. Eles foram convertidos para Heer- disparo de percussão padrão. Veja os artigos dessas armas para obter detalhes sobre o design do carro. Para a Operação & # 8197Barbarossa (a invasão da União Soviética), equipou Artillerie-Abteilung 625. [1] A maioria das armas foi substituída por canos de 17 cm à medida que se tornaram disponíveis. No entanto, para Case & # 8197Blue (a ofensiva de verão alemã no sul da Rússia), uma bateria de Batalhão de artilharia (Artillerie-Abteilung) 767 ainda estava equipado com eles. [2] Essa mesma bateria os manteve até o início da Batalha & # 8197of & # 8197Kursk em julho de 1943. [3]


Artigos de pesquisa relacionados

UMA obus é um tipo de peça de artilharia caracterizada por um cano relativamente curto e o uso de cargas propelentes comparativamente pequenas para propelir projéteis em trajetórias relativamente altas, com um ângulo de descida íngreme.

o & # 352koda 30.5 & # 160cm M & # 246rser M.11 foi um obus de cerco produzido pela & # 352koda Works e usado pelo Exército Austro-Húngaro durante a Primeira Guerra Mundial e pela Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial.

o Mortier de 280 TR Mod & # 232le 1914 Schneider foi um obus de cerco francês fabricado pela empresa Schneider et Cie, usado durante a Primeira Guerra Mundial. O obus teve suas origens de uma política do Exército russo para atualizar seu parque de artilharia após a fraca exibição da artilharia russa na guerra russo-japonesa de 1904-5 . Em 1909, foi assinado um acordo entre Schneider e o fabricante russo de armamentos Putilov para desenvolver e produzir em conjunto vários tipos de artilharia. Um desses tipos era um obus de cerco de 279,4 & # 160 mm (11 polegadas) com um alcance de 6.000 & # 160 m (20.000 & # 160 pés) para substituir armas russas muito antigas de calibre semelhante. Schneider entregou o primeiro protótipo do obus de cerco aos russos em 1912 para testes extensivos. Embora os russos tenham descoberto que a arma não foi capaz de penetrar nas fortificações de concreto armado mais pesadas, seu desempenho geral foi considerado satisfatório, o que levou a uma ordem de entrega de 16 obuses em 1915. O exército francês expressou interesse no obuseiro Schneider como um possível substituto para o Mortier de 370 Mle 1885 De Bange. Depois de alguma hesitação por parte das autoridades francesas, 18 obuseiros foram encomendados em 1913. A entrega dos obuses à Rússia e à França foi adiada pela mobilização geral de 1914, que interrompeu a produção industrial. Durante a guerra, 126 obuses foram entregues ao exército francês e 26 à Rússia como o Argamassa Schneider 280 e # 160 mm Modelo 1914/15 antes das revoluções de 1917. Além disso, outros 25 barris foram instalados após a 1ª Guerra Mundial no chassi de canhão autopropelido pesado de Saint-Chamond como o Mortier 280 mm TR de Schneider sur aff & # 251t-chenilles St Chamond.

o 18 e # 160 cm kurze Kanone M 80 foi um obus de cerco pesado usado pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial. Projetado para substituir a série de armas de cerco M 61, a família de armas de cerco M 80 oferecia maior alcance e penetração de armadura do que as armas mais antigas. O comprovado aço-bronze foi usado para o cano e a carruagem de ferro carecia de qualquer sistema para absorver o recuo além das cunhas de recuo tradicionais colocadas embaixo e atrás das rodas da carruagem. Essas cunhas ajudaram a absorver a força de recuo e estimularam as rodas a correr para frente para trazer a arma de volta à bateria. Geralmente, uma plataforma de tiro de madeira foi construída para essas armas em ação para fornecer uma superfície nivelada e lisa. Para o transporte, o barril foi retirado da carruagem por um guindaste e carregado separadamente.

o 12 & # 160 cm Kanone M 80 foi uma arma de cerco leve usada pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial. Projetada para substituir a série de armas de cerco M 61, a família de armas de cerco M 80 oferecia maior alcance e penetração de armadura do que as armas mais antigas. O comprovado aço-bronze foi usado para o cano e a carruagem de ferro carecia de qualquer sistema para absorver o recuo além das cunhas de recuo tradicionais colocadas embaixo e atrás das rodas da carruagem. Essas cunhas ajudaram a absorver a força de recuo e estimularam as rodas a correr para frente para trazer a arma de volta à bateria. Geralmente, uma plataforma de tiro de madeira foi construída para essas armas em ação para fornecer uma superfície nivelada e lisa. Logo depois que essas armas foram adotadas, um cilindro de recuo hidráulico foi adaptado para absorver as forças de recuo. Estava preso na parte inferior da carruagem e na plataforma de tiro. Para o transporte, o barril foi retirado da carruagem por um guindaste e carregado separadamente.

o 15 e # 160 cm Kanone M 80 foi uma arma de cerco usada pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial. Projetada para substituir a série de armas de cerco M 61, a família de armas de cerco M 80 ofereceu maior alcance e penetração de armadura do que as armas mais antigas. O comprovado aço-bronze foi usado para o cano e a carruagem de ferro carecia de qualquer sistema para absorver o recuo além das cunhas de recuo tradicionais colocadas embaixo e atrás das rodas da carruagem. Essas cunhas ajudaram a absorver a força de recuo e estimularam as rodas a correr para frente para trazer a arma de volta à bateria. Geralmente, uma plataforma de tiro de madeira foi construída para essas armas em ação para fornecer uma superfície nivelada e lisa. Logo depois que essas armas foram adotadas, um cilindro de recuo hidráulico foi adaptado para absorver as forças de recuo. Estava preso na parte inferior da carruagem e na plataforma de tiro. Para o transporte, o barril foi retirado da carruagem por um guindaste e carregado separadamente.

o 24 e # 160 cm M & # 246rser M 98 foi um obus de cerco pesado usado pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial. Foi projetado para atacar fortificações modernas, mas seu curto alcance e munição ineficaz levou ao desenvolvimento dos mais merecidamente famosos M & # 246rser M 11 e M 16 de 30,5 cm.

o Feldhaubitze M 99 de 10 e 160 cm foi um obus usado pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial.

o 9 e 160 cm Feldkanone M 75/96 foi um canhão de campanha usado pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial, uma versão modernizada do canhão de campo M 75. Praticamente todos os M 76s foram atualizados durante 1898. Por razões de custo, o novo canhão manteve o cano de bronze do original, embora tenha sido redesenhado para suportar os propelentes mais poderosos que entram em uso. Um bloqueio de buraco de toque foi adicionado para evitar falha acidental quando a culatra estava aberta. Um freio pá montado na mola reduziu o recuo de 5 & # 82116 metros para 80 centímetros, embora só funcionasse se a pá estivesse enterrada no solo. Uma alavanca de depressão foi adicionada para elevar a trilha da carruagem para permitir uma maior depressão do canhão em áreas montanhosas. Muitas armas tiveram escudos adicionados após a eclosão da Primeira Guerra Mundial

o Mortaio da 210/8 foi um obus de cerco que serviu com a Itália durante a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial.

o 24 e # 160 cm Kanone M. 16 foi uma arma de cerco superpesada usada pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial e pela Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Apenas dois foram terminados durante a Primeira Guerra Mundial, mas os outros seis foram concluídos no início dos anos 20 e serviram no Exército da Tchecoslováquia até serem comprados pelos alemães após a ocupação alemã da Tchecoslováquia em 1938. Durante a Primeira Guerra Mundial, uma arma serviu no a Frente Ocidental e a outra na Frente Italiana. Durante a Segunda Guerra Mundial, eles entraram em ação na Batalha da França, na Operação Barbarossa e no Cerco de Leningrado.

o 10 & # 160 cm Gebirgshaubitze M 99 foi um obus de montanha usado pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial. Consistia no cano de bronze do Feldhaubitze M 99 de 10 & # 160 cm em uma nova carruagem de bitola estreita que poderia ser desmontada para transporte em carroças de animais. Como seu irmão, faltava um sistema de recuo moderno, usando apenas uma pá de recuo montada com mola ineficaz, e era praticamente obsoleto após sua introdução. Relativamente poucos foram feitos, já que a versão do Feldhaubitze M 99 padrão de 10 cm com uma carruagem estreita de 1,3 metros (51 e # 160 pol.) Era mais barata.

o 10 & # 160 cm Gebirgshaubitze M 8 foi um obus de montanha usado pela Áustria-Hungria durante a Primeira Guerra Mundial. Foi o primeiro obus austríaco a usar um sistema de recuo variável hidráulico moderno. Ele usava a mesma munição do Gebirgshaubitze M 99 anterior de 10 cm, que se mostrou precisa, mas não tinha potência suficiente para destruir bunkers, durante a Primeira Guerra Mundial. Ele tinha um escudo de canhão. Pode ser montado em um carrinho de trenó especial designado 10 cm M. 8 Gebirgsschleife projetado para permitir fogo de alto ângulo entre + 43 & # 176 e 70 & # 176 de elevação. Este trenó foi transportado em um carrinho especial com rodas removíveis. As rodas foram removidas quando em posição de fogo.

o Schwere Feldhaubitze M 94 de 15 e # 160 cm era um obus pesado usado pela Áustria-Hungria na Primeira Guerra Mundial. Ele tinha um cano de bronze e contava com rampas de roda para absorver seu recuo. O cano foi modificado em 1899 como M 99 e pode ser identificado por sua forma octogonal. Ambos os obuseiros podem ser montados em uma ampla variedade de carruagens para atender a sua missão, incluindo uma carruagem de apenas 1,13 metros (44 e # 160 pol.) De largura para uso em montanhas. Por volta do início do século 20, tanto o M 94 quanto o M 99 foram modificados para aumentar sua elevação até 65 e # 176. O arco de elevação teve que ser estendido e os suportes do munhão e as rodas tiveram que ser reforçados para suportar as maiores forças de recuo ao atirar em altas altitudes. Eles eram conhecidos como M 94/4 e M 99/4 após a modificação.

o 8 e 160 cm Feldkanone M. 99 foi um canhão de campanha usado pela Áustria-Hungria na Primeira Guerra Mundial. Ele foi projetado às pressas porque os vizinhos da Áustria já haviam iniciado o processo de modernização de sua artilharia. Os designers quaisquer melhorias que pudessem ser feitas sem atrasar o desenvolvimento. Por exemplo, vários sistemas de recuo hidráulico foram avaliados, mas finalmente rejeitados, pois exigiam mais tempo de desenvolvimento do que o disponível. Portanto, o M. 99 manteve o cano de bronze de seu antecessor, mas usou uma culatra excêntrica de parafuso interrompido para acelerar sua cadência de tiro e adotou o transporte do Feldkanone M 75/96 de 9 cm com algumas pequenas alterações, incluindo melhorias para o freio pá para reduzir as forças de recuo.

o 35,5 e # 160 cm Haubitze M1 era um obus de cerco alemão. Foi desenvolvido por Rheinmetall antes da Segunda Guerra Mundial para atender ao pedido do Exército Alemão por um obuseiro superpesado. Oito foram produzidos entre 1939 e 1944. Serviu na Batalha da França e passou o resto da guerra na Frente Oriental, entrou em ação na Operação Barbarossa, no Cerco de Sebastopol, no Cerco de Leningrado e ajudou a derrubar o Varsóvia Revolta em 1944.

o Mortier de 270 & # 160mm mod & # 232le 1889 sur aff & # 251t G foi um morteiro pesado originalmente empregado como artilharia costeira e mais tarde convertido para a função de artilharia de cerco. Mle 1889 morteiros foram usados ​​tanto na Primeira Guerra Mundial como na Segunda Guerra Mundial.

o Mortier de 270 & # 160mm mod & # 232le 1885 foi um morteiro pesado francês empregado como artilharia de cerco durante a Primeira Guerra Mundial.

o Obusier de 155 mm C mod & # 232le 1890 - era um obus francês projetado pelo Capitão Louis Henry Auguste Baquet e empregado pelo exército francês durante a Primeira Guerra Mundial. Foi um dos primeiros obuseiros modernos equipados com sistema de recuo.

o Haubitze L / 14 de 28 cm em R & # 228derlafette foi um protótipo de obus de cerco alemão que serviu durante a Primeira Guerra Mundial


Artilharia alemã 2ª Guerra Mundial: lançadores de foguetes

Durante a campanha da Normandia, os soldados aliados frequentemente citaram o lançador de foguetes de vários barris da Alemanha como a arma mais temível que enfrentaram. O grito sinistro dos foguetes em vôo deu origem ao apelido de ‘‘ Meomeus berrantes ’’.

A Alemanha começou a desenvolver projetores de foguetes táticos (genericamente chamados de Nebelwerfers, ou projetores de fumaça) no início dos anos 1930 e eventualmente os produziu em tamanhos de 100 a 300 mm. As mais comuns eram a Nebelwerfer 41, uma arma de 150 mm com seis tubos montada em um carrinho de canhão antitanque de 37 mm, e a 42, com cinco canos de 210 mm. Mais tarde na guerra, os Nebelwerfers foram montados em veículos - na maioria meias-trilhas. A arma foi disparada eletronicamente, disparando seus foguetes em uma rajada de dez segundos para evitar recuo excessivo. Os projéteis com rotação estabilizada tinham na ponta explosivos, gás ou fumaça, com um alcance típico de cerca de sete mil metros.

Os Nebelwerfers foram implantados pela primeira vez para combater na Rússia em 1941, mas foram amplamente implantados na França no Dia D. Foram encontradas baterias ou regimentos de Heer (exército) e Waffen SS - trinta e cinco locais apenas na frente da 352ª Divisão de Infantaria.

Você também pode comprar o livro clicando nos botões à esquerda.

Esse O artigo é parte de nosso recurso maior sobre o desenvolvimento de armas da 2ª Guerra Mundial. Clique aqui para ver nosso artigo abrangente sobre as armas da 2ª Guerra Mundial.


15cm Kanone 18 - História

A história que trouxe esta impressionante arma para este lugar é desconhecida. Há também um SKL / 45 iRL de 15 cm, talvez significando que uma bateria inteira de 2 armas foi capturada durante a mesma ação

A carruagem maciça de circunstância

Amplie a culatra e os sistemas de recuperação de recuo. Marcações ilegíveis

Muitos anos antes da eclosão da guerra, a Alemanha compreendeu a importância dos canhões pesados ​​móveis de longo alcance, necessários para atingir o núcleo central das fortalezas e, ao mesmo tempo, ficar a salvo do fogo da bateria de combate. Depois de alguns debates sobre o calibre, a escolha é orientada para os canhões longos K 09 de 13cm, com um notável alcance de 14500 m (então 16500 m), que estão presentes em agosto de 1914 nas forças de invasão.

A pouca quantidade de canhões de 13 cm disponíveis e a vontade de aumentar o poder destrutivo dos projéteis fazem com que o Exército Alemão peça o desenvolvimento de canhões de longo alcance de 15 cm, já em setembro de 1914. A necessidade dessas armas torna-se ainda maior quando o a guerra rapidamente se transforma em uma guerra de posição. Esses estudos darão origem em 1916 aos fantásticos canhões K 16 de 15m de Krupp e RheinMetall.

Enquanto isso, durante o tempo de design dessas novas armas, a única solução temporária consiste em usar barris projetados para o KriegsMarine. É assim que o '15 cm SK L / 40 i.R.L.'(' SK '= Schnellade-kanone = canhão de carregamento rápido' iRL '= em Räderlafette = em carruagem com rodas) é proposto por Krupp com base em canhões da Marinha de 15 cm usando um sistema de recuperação de recuo (embora não seja forte o suficiente para absorver o todo energia de recuo), montado em uma carruagem de circunstância para uso do solo. A estabilidade deste pesado canhão e os esforços de recuo não totalmente compensados ​​tornaram necessária a utilização de uma plataforma de tiro pesada específica, permitindo também a mira horizontal graças a uma articulação pivotante.

O tubo muito comprido permitia atingir alcances impressionantes (18700 m), em detrimento de um peso quase proibitivo (o peso total do canhão + plataforma era de cerca de 18 toneladas) que dificultava a mobilidade do canhão. O transporte teve que ser realizado em 3 cargas separadas pesadas. Um tubo da Marinha ainda mais longo foi associado da mesma maneira em um vagão de circunstância semelhante, formando o '15 cm SK L / 45 i.R.L.', para um alcance ainda maior (22675 m), mas também um peso ainda maior

Surgidos no início de 1915 e produzidos até uma quantidade total de 150, esses monstros foram gradualmente substituídos a partir do início de 1917 pelos novos canhões de 15 cm mais leves e móveis, e com maior alcance (o '15 cm K 16 ' Krupp e Rheinmetall atirando em alvos até quase 23 km…) ou pela ferrovia de artilharia pesada. Algumas dessas armas foram reconvertidas em armas de defesa costeira.


Munição

O projétil de alto explosivo padrão era o 15 cm K Gr 18, um cartucho com fusível nasal de 43 quilogramas (95 lb) contendo 5,68 quilogramas (12,5 lb) de TNT. Um escudo anti-concreto também estava disponível, o 15 cm Gr 19 Be. Era uma cápsula fundida de 43,5 quilogramas (96 lb) com um enchimento TNT de 4,8 quilogramas (11 lb), com uma tampa balística de chapa de aço arredondada. Uma carga de propelente de base foi combinada com três incrementos para formar três carregamentos padrão, Carga Pequena (Kleine Ladung) com uma velocidade de focinho de 600 metros por segundo (2.000 pés / s), Média (Mittelere) com uma velocidade de focinho de 725 metros por segundo (2.380 pés / s) e Grande (Grosse) com uma velocidade de focinho de 805 metros por segundo (2.640 pés / s). [1]


Inhoud

Agtergrond Wysig

Aanvanklik tydens die Eerste Wêreldoorlog foi lugafweerkanonne aangepasde mediumkaliberwapens, então gemonteer dat hulle teen 'n veel groter hoek kon vuur. Adolescente de 1915 het die Duitse bevelvoerders egter besef dat die aksie nutteloos was en miskien net as 'n afskrikmiddel dien, selfs teen die lugballonne en stadigbewegende vliegtuie van die tyd. [9] Soos die vermoë van vliegtuie verbeter het, het weermagte doelgerigte lugafweerkanonne met hoë trompsnelhede ontwerp wat projektiele tot hoër hoogtes kon skiet. Isso foi juis die hoë trompsnelheid, gekoppel met die projektiel se swaar massa, wat die 8,8 cm Flak een van die melhor teen-tenkwapens van die Tweede Wêreldoorlog gemaak het. [10] Die eerste sodanige Duitse kanon estava em 1917 em diens gestel en het die 8,8 cm kaliber gebruik, wat 'n standaardkaliber em die Duitse Vloot era. [9]

Na die Duitse nederlaag em die Eerste Wêreldoorlog, foi hulle volgens die bepalings van die Verdrag van Versailles verbalizado om nuwe wapens van die meeste tipes aan te skaf. Tog het die Krupp-maatskappy start om 'n nuwe lugafweerkanon saam com Bofors van Swede te ontwikkel. Die ontwerp era um modelo de 75 mm. [9] Gedurende die prototipefase het die Duitse Leër gevra vir 'n kanon met groter slaankrag die ontwerpers het toe weer van vooraf begin in die 88 mm kaliber gebruik.

Prototipes van die 88 é em 1928 vervaardig. Die eerste model, die Flak 18, het oor 'n enkelloop met' n lengte van 56 kalibers [N 4] beskik, wat gelei het tot die algemene benaming van L / 56.

Eerste generasie: Flak 18, 36 e 37 Wysig

Morrer Flak 18 was gemonteer op 'n kruisvormige kanondraer. Dit kanon het oor 'n eenvoudige meio-outomatiese herlaaistelsel beskik wat die dop van die pasgevuurde skoot uitskop sodat die volgende projektiel gelaai kan word. Die kanon vuur die volgende skoot en die terugslag vind plaas. Gedurende die terugslag palavra die leë dop d.m.v. hefbome terugwaarts uitgewerp en dan sal 'n nokas inskop en die kanon oorhaal. Dit versseker dat 15 a 20 skote per minuut gevuur kan palavra wat melhor era como die meeste soortgelyke wapens van die era. Hoëplofkragammunisie is gebruik teen vliegtuie en soldate en pantserammunisie is gebruik teen tenks en ander pantservoertuie.

Soos die Nazi's começou beheer oorneem het em 1933 is daar wydverspreid met produksie begin en die Flak 18 estava em klein hoeveelhede beskikbaar toe Duitsland aan die Spaanse Burgeroorlog deelgeneem het. Dié kanon het homself gou bewys como die beste lugafweerkanon toe beskikbaar. Die afdeling wat die Flak 18 gebruik het, het bewys dat die kanon akkuraat é en ook in ander rolle gebruik kan word, byvoorbeeld teen landteikens. Die hoë trompsnelheid en groot kaliber het verseker dat dit 'n uitstekende langafstandteenvoertuig- en teenbunkerwapen is. Die aksie in die oorlog het ook 'n aantal klein probleme geïdentifiseer en ook waar moontlike verbeteringe aangebring palavra kon.

Die beweegbare, goedontwerpte kanondraer het tot gevolg gehad dat die lugafweerkanon direk in 'n beperkte teen-tenkrol gebruik kon word terwyl dit net so op sy wiele gestaan ​​het sonder dat die ekstra bene uitgeplaas word. Daar é egter beperkings op die hoogte en die afstand wat behaal kon word in dié modus. [4] Vir normale werking é die voorste en agterste wiel- en asstelle ontkoppel, die ekstra bene é vanaf die vertikale posisie na die grond oopgevou en die proses het slegs twee-en- 'n-half minute geduur. [4] Beide modusse het verseker dat die kanon gebruik kan word em vinnigbewegende operasies, tipies soos met die Blitzkrieg. Omrede die kanon swaar era kon slegs groot voertuie dit sleep, die Sd.Kfz. 7 voertuig met rusperbande agter foi o melhor keuse.

Elke battery het uit vier kanonne bestaan ​​met 'n teiken aanwyserer elk, wat aan die sentrale beheerder gekoppel is wat gekoördineerde vuur toelaat. Met 'n outomatiese herlaai stelsel foi die kanonrigter se taak om die kanon se loop op die teiken te hou met die seine vanaf die sentrale beheerder. Die laaiers moet net seker maak dat die wapen gevoer word met lewendige munisie wat vuur sodra dit gelaai is, die kanonrigter moet die kanon mik volgend die data.

Baie van die verbeteringe era aangebring aan die Flak 36, é toegerus met 'n loop wat uit twee stukke bestaan ​​om geslyte voerings makliker te vervang. Die Flak 36 foi ook somtyds toegerus met 'n pantser skerm om beperkte beskerming aan die bemanning te verleen. Hierdie skerms kon ook aan die Flak 18's geheg word.

Die latere model Flak 37 se instrumentasie is opgradeer sodat die kanonrigters die aanwysings vanaf die sentrale beheerder makliker kon volg. Sommige bronne het verkeerdelik berig dat die Flak 37 nie in 'n teen-pantser rol gebruik kon word nie. O feit é datado de 8,8 cm Flak kannone no estado estava ao lado do rolle van lugafweer en teen-pantser te kan vertolk. [11]

Die onderdele van die verskeie modelle foi uitruilbaar en dit was nie ongewoon dat onderdele gemeng palavra nie. Depois do Flak 18 e do Flak 36, ele criou um tydbuis permanente com twee "Zünderstellbecher" gehad. Die Flak 37/41 het 'n eenvoudiger tydbuis gehad.

Tweede generasie: Flak 41 Wysig

Tão vroeg como os juncos de 1939 morreram Lutfwaffe 'n versoek gerig vir wapens met' n nog beter vermoë om die bedreiging van vliegtuie wat aanvalle vanaf hoë hoogtes doen, die hoof te bied. Rheinmetall se antwoord is die nuwe 88 mm ontwerp met 'n langer projektiel en loop. [12]

'n Prototipe foi reeds vroeg em 1941 beskikbaar [12] wat aanleiding gegee het tot die naam 8,8 cm Flak 41. Hierdie nuwe kanon het 'n projektiel gevuur de 9,4 quilogramas encontrado' n trompsnelhied van 1,000 m / s wat verseker het dat dit hoogtes van 11.300 m kon bereik en 14.700 m ver kon skiet. General der Flakartillerie Otto Wilhelm von Renz het opgemerk dat dié kanon se vermoë amper gelyk is aan die 12,8 cm FlaK 40-kanon. [9] Die Flak 41 op sy draaibare voetstuk het 'n mais uma silhueta gehad como die 8,8 cm Flak 18/36/37 op sy vaste voetstuk. Die loop foi aanvanklik ontwerp como 'n driestuk met' n lengte van 74-kalibers maar é mais tarde herontwerp na 'n tweestuk encontrou lengte van 72-kalibers. [12] Verbeteringe aan die herlaai stelsel het tot gevolg dat die vuurtempo verbeter het, encontrado 20 a 25 rondtes wat em een ​​minuut gevuur kan word. [9]

Omrede die kanon meer kompleks foi het meer instandhouding geverg en ook meer probleme gegee. Hulle foi hoofsaaklik em Duitsland gebruik omrede dit makliker foi om hulle te onderhou en te diens. Van die probleme was dat die leë projektieldoppe vashaak wanneer dit uitgeskop palavra tydens die terugslag. Weens die hoë koste en kompleksiteit van die kanon é daar maar alívio min van hulle vervaardig, slegs 556 em totaal. Die eerste eenhede está em Maart 1943 afgelewer [12] vanaf Augustus 1944 foi slegs daar 157 eenhede in bedryf en em Januarie 1945 slegs 318. [13]

Como gevolg van die lae produksie uitsette en probleme met die Flak 41 é daar probeer om die Flak 41 se loop op ander kanonwaens te bou. Gedurende 1942 foi o Flak 41 se loop no Flak 37 se onderstel gemonteer maar dit het gou geblyk dat die onderstel nie die kragte kon abosorbeer nie, selfs nadat dit versterk was. Daar é um sonda de ponta do flak 37 se loop groter te maak vir 'n Flak 41 projektiel e blitsbreker também para installeer. Nadat ander onderdele versterk is was die oplossing suksesvol. Die suksesvolle ontwerp era 74 kalibers lank de 78 met die blitsbreker ingeslui. Daar foi egter probleme ondervind met die Flak 37 se multi-onderdeel loop en 'n nuwe loop, baseer op die Flak 18 wat uit een stuk bestaan ​​het, estava ontwerp. Produksie was egter in elk geval gekanselleer nadat slegs dertien eenhede vervaardig is omrede die hulpbronne wat benodig is dieselfde is om 'n ware Flak 41 te vervaardig. Die hulpbronne was egter nie beskikbaar nie. [13]

Daar foi ook geeksperimenteer om die Flak 41 se loop op die onderstel van die 10,5 cm FlaK 39 te monteer. Dié produk het die 105 mm oortref en é o genoema Flak 39/41 de 8,8 cm. Dit het egter nooit in produksie gegaan nie omrede geen Flak 41 lope beskikbaar was nie. [13]

Daar was duisende 88 mm kanonne geproduseer gedurende die oorlog in verskeie modelle en onderstelle.

Swaar Flak produksie getalle
Voor-oorlogs 1939 1940 1941 1942 1943 1944 1945 Totaal
8.8 cm Flak 18/36/37 [2] [14] 2,459 183 1,130 1,998 3,052 4,712 6,482 738 20,754
8.8 cm Flak 41 [9] 0 0 0 0 48 122 290 96? 556
10.5 cm Flak 38/39 [14] ? 38 290 509 701 1,220 [9] 1,331 [9] 92 meer as 4,181
12.8 cm Flak 40 (insluitend tweeling) [9] [14] 0 0 0 0 65 298 664 98 1,125

In vergelyking met ander tipe artillerie het die Duitse oorlogs industrie 570 swaar (kaliber 88–128 mm) lugafweer kanonne, 1,020 veld artillerie eenhede en 1,300 tenkkanonne, teen-tenk kanonne en selfaangedrewe kanonne in Desember 1943 gebou.

Duitse gebruik Wysig

Die 88 mm was gebruik in twee rolle: swaar lugafweerkanon en as 'n antitenk kanon. Ander gebruike sluit in ondersteuningsvuur vir die troepe aan die front en in 'n statiese lugafweerrol op die Duitse tuisfront.

Lugverdediging van die Duitse Ryk Wysig

Na 1935 is die lugafweerverdediging van Duitsland deur die Luftwaffe beheer. [9] Toe die Tweede Wêreldoorlog uitbreek het die Luftwaffe oor 6 700 (2 cm en 3.7 cm) ligte en 2 628 swaar Flakkanonne beskik. Die meeste van laasgenoemde was 8.8 cm Flak 18s, 36s of 37s daar was ook 'n klein aantal 10.5 cm Flak 38's of 39's. [9] Dit was tweekeer soveel as die aantal lugafweerkanonne waaroor die Britse lugverdeging beskik het terwyl Frankryk en Amerika selfs nog minder gehad het. [9] Die meeste van die 88 mm kanonne is regdeur die oorlog vir lugafweer gebruik, waarvoor hulle ontwerp is.

Die lugafweerkanonne was nie goedkoop nie, veral as dit vergelyk word met die kostes van vegvliegtuie. [9] In Januare 1943, die tydstip toe Duitsland in 'n desperate geveg gewikkel was tydens die Slag van Stalingrad in die Ooste en strawwe bombarderings moes verduur van die Geallieerdes in die Weste, was uitgawes op lugafweerkanonne 39 miljoen Ryksmark, terwyl die res van die uitgawes gespandeer op ammunisie en wapens slegs 93 miljoen mark was dit sluit 20 miljoen vir die Duitse Vloot in en slegs 9 miljoen vir vliegtuie. [9]

In Augustus 1944 was daar 10 704 Flak 18, 36 en 37 kanonne in diens, hul getalle is aangevul deur die 10.5 cm Flak 38 en 39 kanonne asook die formidable 12.8 cm Flak 40. Die rede vir die toename is die toename in bombarderings aanvalle gedurende 1943 en 1944 deur die Britse en Amerikaanse lugmagte. Daar was klagtes dat die lugverdedigingprogram nie doeltreffend was nie en dat die kanonne oorgeplaas moet word waar dit gebruik kan word in 'n teen-tenk rol. Hierdie polities-ongewilde oorplasing het nooit plaasgevind nie.

Ondersteuning van troepe Wysig

Die 8.8 cm Flak het goed gedoen in sy oorspronklike rol as 'n lugafweerkanon en het homself bewys in 'n antitenkrol ook. [15] 'n Amerikaanse tenkbemanningslid wat drie tenkvoltreffers oorleef het, het aan die Chrysler (waar die tenks vervaardig is) geskryf na D-dag en bevestig dat die 88 hulle vinnig verwoes het en deur die tenks gaan asof dit papier was. [17] Die sukses van die kanon was toe te skryf aan sy bruikbaarheid, die loop kon laat sak word sodat dit onder die horison kon mik. Geen ander lugafweerkanon kon dit doen nie. Soos die Tweede Wêreldoorlog gevorder het, het dit duidelik geword dat bestaande teen-tenk wapens nie die pantser van groter en swaarder vyandelike tenks kon deurdring nie, en bevelvoerders het meer en meer die 8.8 cm Flak kanon gebruik teen tenks.

Die 8.8 cm Flak is ontplooi teen tenks in 'n teen-tenk rol net soos in sy lugafweer rol, hulle is saam geplaas in batterye, gewoonlik vier elk. Die hoërvlak taktiese eenheid was gewoonlik 'n mengsel van lugafweerkanonne (gemischte Flak-Abteilung) [N 5] Die bataljonne het gemiddeld uit 12 kanonne bestaan, ondersteun deur kleiner kanonne.

Die Duitse Condor Legioen het hoofsaaklik die 8.8 cm Flak 18 kanon gebruik tydens die Spaanse Burgeroorlog waar sy gebruik as 'n teen-tenk wapen sy rol as 'n lugafweer kanon oorskadu het. Vir die Slag van Frankryk was die Duitse Leër ondersteun deur 8.8 cm Flak kanonne van 24 gemengde lugafweer bataljonne. [9] Die 8.8 cm Flak was gebruik teen die swaar gepantserde tenks soos die Char B1 bis en Matilda II, wie se voorste pantser nie deur die standaard ligte 3.7 cm teen-tenk kanon deurdring kon word nie. Die 8.8 cm Flak was kragtig genoeg om deur 84 mm pantser te dring op 'n afstand van 2 km en maak dit 'n ongeëwenaarde teen-tenk wapen gedurende die vroeë dae van die oorlog en steeds gedug teen almal behalwe die swaarste tenks aan die einde van die oorlog. [18] Erwin Rommel het die kanon gebruik tydens die Slag van Arras in 1940 om die Britse teenaanval te stuit en daarmee hulle enigste kans om uit die omsingeling te breek, verydel. Gedurende die Slag van Frankryk het die 152 tenks en 151 bunkers vernietig. [9] Tydens die Slag van Frankryk is die voertuig gemonteerde 8.8 cm Flak 18s ook vir die eerste keer gebruik, die sogenaamde "Bunkerknacker" van die Sd.Kfz. 8 swaar voertuig.

Gedurende die Noord-Afrika Veldtog het Rommel dié kanon uiters effektief aangewend deur die Britse tenks van die Agste Leër na lokvalle te lei. Hy het gemaak of sy eie tenks terugval en dit gebruik as aas. Slegs twee flak-bataljonne het 264 Britse tenks vernietig in 1941. [9] Tydens die slagte by Halfaya-pas het die 8.8 cm Flak kanonne soveel tenks vernietig dat dit later die Hellfire-pas genoem is. Later in dieselfde omgewing, tydens die Slag van Faid in Tunisië, het Rommel 'n aantal 8.8 cm Flaks (tesame met 7.5 cm Pak 40s en 5 cm Pak 38's) in die kaktus omgewing gekamoefleer. Die onervare Amerikaanse tenks en bevelvoerders het hulle in die vallei van Faid in gehaas net om uitgewis te word. Toe die Amerikaanse Leër M3 Stuart en M4 Sherman tenks stuur om die kanonne te vernietig, het versteekte Duitse kanonne die tenks uitgewis, op afstande wat langer was as die reik afstande van die Amerikaanse 37 mm en 75 mm tenk kanonne.


Assista o vídeo: German 10cm Kanone 18 (Outubro 2021).