Notícia

Gamla Stan

Gamla Stan

Gamla Stan, que significa literalmente "Cidade Velha", é o bairro histórico da capital da Suécia, Estocolmo.

Datada do século 13, Gamla Stan era originalmente chamada de “själva staden”, que significa “a própria cidade” e está localizada principalmente na ilha de Stadsholmen.

Gamla Stan é composta por uma rede de ruas de paralelepípedos, arquitetura norte-germânica e belas praças abertas, a mais notável das quais é Stortorget. Stortorget foi o local do Banho de Sangue de Estocolmo, um massacre de nobres em 1520 e a praça agora abriga o Edifício da Bolsa de Valores de Estocolmo.

A cidade velha é o local de séculos de história e contém inúmeras atrações importantes, entre as quais a Catedral de São Eric de Estocolmo.

Outro local religioso impressionante em Gamla Stan é a bela igreja medieval de Riddarholmen, um dos edifícios mais antigos de Estocolmo e local de sepultamento dos monarcas suecos. Riddarholmen fica perto do famoso Palácio Real do século XVIII de Estocolmo.

A melhor maneira de desfrutar de Gamla Stan é simplesmente caminhando e explorando.


Cidade velha de Estocolmo e ruas de paralelepípedos # 8211, praças escondidas e becos # 038

A hipnotizante e surpreendentemente bem preservada Cidade Velha de Estocolmo é um dos destinos preferidos de todos os visitantes da Suécia. Também conhecida como Gamla Stan, esta encantadora e bem preservada primeira cidade desta magnífica cidade, é a melhor da Europa.

Há prédios grandiosos, praças projetadas para reuniões, casas da cidade cor de mostarda enferrujada desbotada pelo sol, becos fascinantes e um labirinto de ruas de paralelepípedos único.


Gamla Stan

Gamla Stan, a cidade velha, consiste principalmente na ilha Stadsholmen. A cidade remonta ao século 13 e consiste em becos medievais, ruas de paralelepípedos e arquitetura arcaica. A arquitetura do norte da Alemanha teve uma forte influência na construção da Cidade Velha. Gamla Stan é uma das cidades antigas mais bem preservadas do norte da Europa.

O centro de Gamla Stan é Stortorget, a grande praça cênica, que é cercada por antigas casas de comerciantes, incluindo o edifício da Bolsa de Valores de Estocolmo. A praça foi o local do banho de sangue de Estocolmo, onde nobres suecos foram massacrados pelo rei dinamarquês Christian II em novembro de 1520. A revolta e a guerra civil que se seguiram levaram à dissolução da União Kalmar e à subsequente eleição do rei Gustavo I.

Além de abrigar a Catedral de Estocolmo, o Museu Nobel e a igreja de Riddarholm, Gamla stan também abriga o Kungliga slottet, o palácio real barroco da Suécia, construído no século 18 após o incêndio do palácio anterior Tre Kronor. A Casa da Nobreza (Riddarhuset) fica no canto noroeste de Gamla Stan. O restaurante Den gyldene freden está localizado em Österlånggatan. Está a funcionar desde 1722 e de acordo com o Guinness Book of Records é o restaurante mais antigo existente com um interior inalterado. Uma estátua de São Jorge e o Dragão (esculpida por Bernt Notke) pode ser encontrada na Catedral de Estocolmo, enquanto Riddarholmskyrkan é a igreja funerária real. Bollhustäppan, um pequeno pátio em Slottsbacken atrás de Finska kyrkan, ao sul do acesso principal ao Palácio Real, é o lar de uma das menores estátuas da Suécia, um menino em ferro forjado. A placa logo abaixo da estátua diz seu nome Järnpojken ("O Menino de Ferro"). Foi criado por Liss Eriksson em 1919.

De meados do século 19 a meados do século 20, Gamla stan foi considerada uma favela, muitos de seus prédios históricos abandonados e, logo após a 2ª Guerra Mundial, vários quarteirões juntos e cinco becos foram demolidos para a ampliação do Parlamento. A partir da década de 1980, no entanto, tornou-se uma atração turística, pois o charme de sua arquitetura medieval e renascentista e as adições posteriores foram valorizadas pelas gerações posteriores.


História de Estocolmo: Gamla Stan (Parte 1)

Estocolmo também chamou a cidade entre as pontes. Viver a Estocolmo medieval vagando pelos aliados de paralelepípedos de Gamla Stan é como voltar no tempo.

É impossível imaginar que esta bela e única e charmosa Cidade Velha já foi um distrito caracterizado por vícios, assassinatos babáricos, miséria inacreditável e lixo.

Deixe-me levá-lo em uma viagem de volta no tempo ao século 13, quando esta bela cidade foi fundada. Estocolmo foi mencionada pela primeira vez como uma cidade em 1252 e foi amplamente construída pelo governante sueco Birger Jarl.

Ele cresceu muito rápido como resultado de um acordo comercial feito com a cidade alemã de Lübeck. Esse acordo garantiu aos comerciantes de Lübeck a liberdade de cobrar taxas alfandegárias por seu comércio na Suécia, bem como o direito de liquidar lá.

Birger Jarl construiu muralhas e fortificações ao redor de gamla Stan para dar uma olhada na entrada do Lago Mälaren.

A cidade passou a ser considerada oficialmente a capital sueca em 1436. Após conflitos entre dinamarqueses e suecos por muitos anos, Estocolmo foi libertada do domínio dinamarquês por Gustav I Vasa em 1523.

A partir de então, a fachada de Gamla Stan foi a residência real de Gustav Vasa & # 8217. Grandes extensões e caras renovações foram realizadas durante o período em que ele e posteriormente seu filho Johan III estiveram no poder.

A parte 2 virá em breve & # 8230 Se você gostaria de ler outra postagem do blog - Clique aqui - Tópico: Stockholm Hidden Gems | 4 Idéias para locais para sessões de fotos Estocolmo


Gamla Stan Walking Tour & # 8211 Uma experiência autêntica

Nosso Gamla Stan o passeio a pé é sem dúvida uma experiência autêntica que o leva de volta na história. Feche os olhos e imagine que você é um viajante do tempo pronto para voltar muitos séculos. Quando você acorda, é 1252. Este é o ano de nascimento de Estocolmo. Fazendo este passeio a pé por Gamla Stan, você terá um verdadeiro mimo. A cidade velha não é apenas uma lugar hipnotizante cheio de histórias antigas, mas também tem muito charme. Por exemplo, becos bonitos, casas coloridas e praças pitorescas. É também o local onde a troca de guardas acontece todos os dias no Palácio Real. Além disso, os restaurantes incríveis vão agradar o seu paladar. O segundo restaurante mais antigo do mundo e # 8217 está localizado em Gamla Stan.

Em contraste com outros passeios, nós arranhamos mais do que apenas a superfície. Por exemplo, você ouve histórias de algozes, pedras rúnicas antigas, fontes e a conexão entre a cidade velha e Flandres na Bélgica, para citar alguns. Gamla Stan é um lugar cheio de mistério, então seja bem-vindo ao coração desta cidade extraordinária.

Caminhando ao longo do Parlamento sueco em um tour por Gamla Stan

Estocolmo

No geral, o desenvolvimento de Estocolmo coincide com o desenvolvimento de Gamla Stan. Embora espalhada por 14 ilhas, a cidade velha é o centro da cidade. Foi encontrado em 1252 pelo estadista Birger Jarl, para proteger a Suécia de invasões. Outrora um pequeno povoado cercado por muralhas, Estocolmo cresceu imensamente. Hoje, não é apenas a área urbana mais populosa da Escandinávia, mas também a centro cultural, político e de mídia da Suécia. Assim como outras grandes cidades, Estocolmo tem uma grande população. Há cerca de 1 milhão de pessoas na cidade e cerca de 1,6 milhão nos onze municípios. Além disso, Gamla Stan tem aproximadamente 3.000 residentes.

Sobre este tour

Nosso passeio a pé Gamla Stan começa em Gustav Adolfs Torg na ópera. Você não apenas terá uma bela vista, mas também entenderá por que a cidade velha costumava ser chamada de & # 8216Cidade entre pontes. & # 8217 Após uma breve introdução e o que esperar, começamos nosso tour de descoberta deste lugar único. Ao contrário de outras cidades com uma cidade velha, Gamla Stan existe em 4 ilhas. Primeiro, há Riddarholmen. Em segundo lugar, você tem Helgeandsholmen. Terceiro, você obtém Strömsborg e, por último, mas não menos importante, há Stadsholmen. Esta última é sem dúvida a ilha que todos consideram Gamla Stan. Em nosso passeio a pé, você descobre todas as ilhas e o que os torna únicos. Isso é sem dúvida o passeio mais completo desta área.

Passeio a pé ao longo de Pr? Stgatan em Gamla Stan

No geral, você passa a maior parte do tempo na ilha de Stadsholmen. Abriga, por exemplo, o Palácio Real e o Museu Nobel. Além disso, é também o local onde ocorreu o banho de sangue de Estocolmo. Além disso, existem alguns ruas pitorescas, praças charmosas e pequenos detalhes que contam histórias incríveis. Percorremos o labirinto de becos enquanto voltamos no tempo. Este passeio é particularmente interessante se você gosta de história e quer se aprofundar um pouco mais. Junto com os pontos turísticos mais óbvios, você aprende sobre a história dos nomes das ruas, a importância de certas praças, por que algumas áreas foram evitadas na Idade Média e a coexistência de suecos e alemães. Este passeio termina com uma tradicional Fika sueca (bebida quente e pão de canela). Este é sem dúvida o hábito mais sueco que você pode fazer depois de sua caminhada.

Passeio a pé pela cidade velha e # 8211? O que esperar

Nosso passeio a pé em Gamla Stan passa por Estocolmo e a menor rua # 8217s

Aspectos práticos

  • Tempo: Diariamente às 10h, 13h30 e 16h
  • Ponto de encontro: Gustav Adolfs Torg (em frente à Ópera)
  • Duração: 2 e # 8211 2,5 horas (portanto, certifique-se de trazer sapatos confortáveis)
  • Distância: 2-5 km
  • Reserve com 48 horas de antecedência
  • Alergias / intolerâncias (para a Fika sueca): Por favor entrar em contato se você tiver requisitos especiais
  • Min. 4 participantes
  • Máx. 15 participantes
  • Apenas adultos (maiores de 18 anos)

Incluído

  • Guia
  • Passeio a pé
  • Pontos de referência e pontos imperdíveis de Gamla Stan
  • Gemas escondidas
  • Histórias
  • Oportunidades de fotos
  • Um tradicional sueco Fika (bebida quente e pão de canela)
  • Memorias felizes

Reservas privadas, consultas e detalhes de contato

É possível reservar um passeio privado para este passeio a pé de Gamla Stan. Se você é um grupo de amigos ou uma família com filhos, é uma ótima solução. Especialmente se você não quiser outros convidados em sua excursão. Além disso, também é uma opção se não houver participantes suficientes. Nesse caso, você também pode reservar um tour privado. Basta clicar em Reservar um tour privado & # 8217 ao finalizar a compra. Aplica-se um custo adicional por pessoa. Para qualquer dúvida relacionada a este tour, ligue para nós no +44 (0) 7783 152151 ou preencha nosso Formulário de Contato. Nós respondemos o mais rápido possível.


Gamla Stan - História

Situado em uma pequena ilha no coração de Estocolmo, Gamla Stan, ou Cidade Velha, é um labirinto de ruas medievais. Gamla Stan está repleta de atrações históricas, incluindo a catedral de Estocolmo e o palácio real.


Um casal está sentado à beira-mar ao sul de Gamla Stan.
Uma vista de um antigo palácio à beira-mar.

Stortorget, a praça principal de Gamla Stan, abriga cafés charmosos e o Museu Nobel.
Uma forma criativa de anunciar cruzeiros pelo Arquipélago de Estocolmo.

Andy espera seu café.
Susanne está se divertindo no Café Chokladkoppen.

Verifique a enorme tigela de café.
Salpicado de canela e cardamomo, é um sabor que verdadeiramente sa-tis-fies.

Descansando ao sol.
Uma estátua mímica se prepara para atuar.

A torre do relógio de Storkyrkan, a catedral de Estocolmo.
A nave principal da catedral.

Um candelabro gigante com o vitral principal ao fundo.
Hordas de turistas exploram a catedral.


São Jorge e o dragão.

Detalhe do órgão de tubos.
Enormes pinturas adornam as paredes da catedral, o edifício mais antigo da cidade.

A praça atrás da catedral.
Às 10h da manhã troca da guarda em frente ao Kungliga Slottet, o palácio real.




Andy lê sobre o palácio em seu guia.

Vista da catedral desde a entrada do palácio.
Entrada principal do palácio.

Montando guarda no portão do palácio. Nenhum passará - pelo menos não sem antes pagar pela passagem.

Entrada do tesouro real, pela lateral do palácio.
Passeando com um cachorro pela praça do tesouro.

Vigiando o tesouro, ameaçado por turistas de todos os cantos do globo.
A catedral e o tesouro ao longo da orla.

Susanne posa atrás do palácio perto da orla.
Vista da orla ocidental, atrás do palácio real.


Pai e filho ganham um balão.


Vistas da ilha de Ostermalm do porto de Gamla Stan.

Um portão gigante de pedra marca a entrada do parlamento.
Uma vista a oeste de Gamla Stan, fotografada da ponte do parlamento para Norrmalm.

Janelas de um edifício típico de Gamla Stan.
Vista do Jardim do Cavaleiro.

Igreja do cavaleiro, o local de descanso final da realeza sueca.
Outra visão da igreja.

Ainda outra visão.
Terminal de balsas de Stromkajen, ao nordeste de Gamla Stan.

Uma vista da catedral na direção de Stortorget.
São Jorge mata o dragão em uma pequena praça.

Susanne vagueia por uma rua tranquila.
Outra visita aos cafés de Stortorget.

Susanne e Andy saboreando generosas tigelas de café com leite.

A frota de balsas de Gamla Stan.
Uma réplica de um navio Viking fica à beira-mar.

Esta página foi criada em um Macintosh usando PhotoPage por John A. Vink.


Um passeio a pé pela arquitetura em Gamla Stan, Estocolmo

O Gamla Stan de Estocolmo é onde Estocolmo começou, em 1252, e é um dos maiores e mais bem preservados centros históricos medievais de toda a Europa.

A história de Gamla Stan é tão fascinante quanto você imagina: até o século 13, Estocolmo nem mesmo era a capital da Suécia - essa honra ia para a vizinha Sigtuna. Quando a guerra enfraqueceu Sigtuna, o governo precisou encontrar um novo lar. Até o século 19, Gamla Stan era chamado Staden (A cidade), principalmente porque havia pouco mais em Estocolmo propriamente dita do que esta pequena ilha, com as ilhas vizinhas chamadas de malmarna (cristas). Na verdade, foi apenas em 1980 que Gamla Stan se tornou o nome oficial - antes disso era chamado ‘Staden mellan broarna‘, Ou‘ Cidade entre as pontes ’.

A arquitetura de Gamla Stan, que tem uma forte influência do norte da Alemanha, é notavelmente bem preservada, o que é um tanto surpreendente quando se considera que esta já foi uma área de favela violenta sujeita a gangues de saqueadores que visitam a violência na cidade. Estava superlotado e cheio de doenças até o início do século 20, e só no início dos anos 80 que se tornou uma atração turística. Após a Segunda Guerra Mundial, parte da área foi demolida para dar lugar a um parlamento ampliado, e apenas 370 estruturas permanecem até hoje.

O Palácio Real é a principal atração de Gamla Stan, embora o atual não seja o original. Escavações no final dos anos 1970 revelaram vestígios de madeira que datam do século X. Os primórdios daquela que hoje conhecemos, que é uma das maiores da Europa, remonta ao século XIII e foi em meados do século XVI que se tornou a principal residência real. O arquiteto holandês Willem Boy foi o principal responsável por transformar a fortaleza medieval em um palácio da Renascença, enquanto o arquiteto do palácio Nicodemus Tessin, o Jovem, supervisionou o trabalho em 1692.

Perto do Palácio Real, você encontrará Storkyrkan (Catedral de Estocolmo). Construída no século XIII em estilo gótico, foi remodelada em estilo barroco por volta de meados do século XVIII. Storkyrkan é a igreja mais antiga de Gamla Stan e é a sede da Igreja da Suécia e do Bispo de Estocolmo. Aqui você encontrará a imagem mais antiga conhecida de Estocolmo, Vädersolstavlan (The Sun Dog Painting), que remonta a 1636. Storkyrkan é onde os eventos reais, como casamentos, são realizados, bem como os principais eventos estaduais.

A Catedral de Estocolmo pode ser o lugar onde a realeza vai se casar, mas a Igreja Riddarholmen supera em muito no departamento de aparência. É a única abadia medieval remanescente na cidade e um dos edifícios mais antigos em partes de Estocolmo que datam do século, quando era um mosteiro. Foi outrora a igreja sepulcral da monarquia sueca, com membros da realeza Gustav II Adolfo e Carlos XII ocupando lugares de honra. O arquiteto Willem Boy projetou a torre original, que foi destruída em 1835, e substituída pela atual torre de ferro fundido, que faz parte de uma das imagens mais icônicas de Estocolmo.

O restaurante Den Gyldene Freden (The Golden Peace) está em funcionamento desde 1722 e é o restaurante mais antigo existente no mundo com um interior original. É também um dos melhores exemplos de uma taverna do século 18 e tem tido um negócio florescente desde que suas portas foram abertas, com o amado trovador sueco Carl Bellman morando lá desde cedo.

Börshuset (The Stock Exchange Building) foi o edifício original da bolsa de valores, construído entre 1773 e 1778 a partir dos desenhos de construção de Erik Palmstedt. Desde 1914 é a casa da Academia Sueca, que utiliza o edifício para reuniões e para decidir sobre o vencedor do Prémio Nobel de Literatura. É aqui também que você encontrará o Museu Nobel e a Biblioteca Nobel.

Embora muitos dos edifícios em Gamla Stan não tenham sido bem documentados, já que eram considerados moradias para os pobres e pouca atenção foi dada a eles ao longo dos séculos, a área é um lugar mágico para se vagar. Quase todas as estruturas datam de centenas de anos e conforme você vagueia pelos becos, você se sentirá como se tivesse voltado no tempo.

Use nosso mapa prático para encontrar o caminho através da arquitetura de Gamla Stan de Estocolmo:


Caminhada pela cidade velha (Gamla Stan) (autoguiada), Estocolmo

O Museu de Estocolmo Medieval (Stockholms Medeltidsmuseum) é uma galeria distinta com uma história excepcional. Com uma localização central ao norte do Palácio Real, isso aconteceu graças à riqueza de descobertas descobertas durante uma extensa escavação arqueológica (apelidada de Riksgropen, & quotNational / State Pit & quot devido à sua profundidade e magnitude, envolvendo mais de 50.000 metros de solo) em 1978-80 . Para tornar os achados acessíveis ao público em geral, uma garagem subterrânea planejada no local deu lugar ao museu, inaugurado em 1986. Esta instalação de última geração, projetada pelo artista Kerstin Rydh, recebeu tanto nacional quanto internacional aclamado e ganhou o Prêmio Museu Europeu do Ano em 1986.

O museu permite que os visitantes vivenciem a Estocolmo medieval. A exposição contém mais de 850 objetos e artefatos - casas de tijolos e estandes, oficinas, porto e forca - mapeando a história da área da Cidade Velha entre 1250 e 1520. Parte da exposição consiste na muralha da cidade construída na década de 1530 por Gustavus Vasa. Em 2010, para comemorar os 800 anos do nascimento de Birger Jarl, fundador de Estocolmo, o museu inaugurou uma exposição com uma reconstrução de seu rosto.

O Museu de Estocolmo Medieval produz exposições temáticas com ênfase medieval e organiza palestras, simpósios e programas. Envolve-se em amplas atividades educacionais, nas quais crianças, jovens e escolas são um grupo-alvo fundamental. O museu possui uma loja que vende livros relativos à Idade Média, além de cartões postais e joias.

Por que você deve visitar:
Exposições envolventes e vestígios arqueológicos preservados - você quase pode “cheirar” os velhos tempos!
Muito maior por dentro do que parece, as telas são descritas em sueco e inglês.
As crianças realmente adorariam isso - há uma série de exposições projetadas especificamente para elas.

Gorjeta:
Por uma taxa mínima, o museu oferece tours de áudio multilíngue em inglês, alemão e francês.

Horário de funcionamento:
Ter, Qui-Dom: 12-17h Quarta: 12h-20h Entrada gratuita
Visitas guiadas gratuitas em inglês: Ter-Dom: 2-14h30 (Jul-Ago)

2) Palácio Real (imperdível)

Casa da Monarquia Sueca, o Palácio de Estocolmo é uma residência cerimonial e formal da família real (a residência atual é no Palácio Drottningholm). É aqui que o rei sueco desempenha suas funções de Chefe de Estado. O palácio é ladeado por outros edifícios imponentes, como o edifício do Parlamento, que atrai uma atenção digna do governo.

O edifício original neste local era uma fortaleza do século XV. Sob o governo do rei João III, do século 16, a fortaleza foi transformada em um luxuoso palácio barroco projetado por Nicodemus Tessin, o Jovem, que também foi o designer do Palácio Tessin. Os visitantes do palácio são recebidos pelo Högvakten, a Guarda Real Sueca, cuja história remonta à Suécia medieval e acrescenta muita intriga a esta estrutura majestosa. Sombreado por um telhado de cobre requintado, o edifício de tijolos com fachadas de arenito possui 660 janelas, mais de 1400 quartos, vários pátios exuberantes e é considerado um dos maiores do mundo.

Gorjeta:
É sempre bom fazer um tour para uma experiência mais personalizada, mas os quartos são bem marcados em inglês.
A sala do tesouro, com todas as regalias, justificaria fazer o tour porque você realmente aprenderá sobre o que está olhando.

3) Catedral de Estocolmo (imperdível)

A Catedral de Estocolmo, também conhecida como Igreja de São Nicolau ou Grande Igreja, é uma estrutura de tijolos em estilo gótico no centro de Estocolmo que se diz ter sido construída pelo pai fundador da cidade, Birger Jarl. A igreja serviu à comunidade católica romana até 1527, quando foi convertida ao protestante luterano. No final da Idade Média, foi mais uma vez retomado pelos católicos romanos e, até hoje, permanece sob o governo da Arquidiocese de Estocolmo. A catedral tem sido o local preferido para muitas cerimônias e celebrações na Suécia, incluindo casamentos reais, serviços fúnebres e coroações.

Os visitantes do local vão querer ver a grande estátua de madeira de São Jorge e o Dragão, que foi esculpida no século XV. A estátua também é um relicário e, hoje, contém relíquias dos santos locais favoritos. O púlpito foi esculpido por Burchard Precht e é um excelente exemplo do estilo barroco francês. A frente do púlpito retrata a história bíblica de Mateus 15: 21-28, a mulher cananéia, enquanto a porta do púlpito exibe uma representação soberba da cabeça de Jesus Cristo. A igreja é ladeada por bancos reais especiais, adornados com estofos bordados de veludo azul.

Por que você deve visitar:
Arquitetonicamente interessante, culturalmente enriquecedor e muito tranquilo.

Gorjeta:
Verifique se há recitais de órgãos gratuitos (geralmente ao meio-dia) e outros eventos.
Certifique-se de pegar um folheto, pois é muito útil para explicar vários pontos principais da catedral.

Horário de funcionamento:
Diariamente: horário estendido das 9h às 16h nos dias de semana até às 17h em junho-julho e às 18h em agosto

4) Museu do Prêmio Nobel (imperdível)

Se você está interessado em aprender sobre Alfred Nobel (1833-1896), um cientista brilhante cujo interesse na manutenção da paz é mundialmente conhecido, bem como o Prêmio Nobel e os ganhadores do Prêmio Nobel, não deixe de visitar o Museu do Prêmio Nobel, antigo Museu Nobel (Nobelmuseet). O museu foi inaugurado na primavera de 2001, marcando o centenário do Prêmio Nobel. Sua exposição permanente inclui muitos artefatos doados pelos laureados, apresentados junto com suas histórias de vida pessoal, começando com os ganhadores do Nobel de 1901 e continuando até os dias atuais, incluindo personalidades como Marie Curie, Nelson Mandela e Winston Churchill.

O museu celebra as conquistas e a memória dos ganhadores do Prêmio Nobel com uma imensa variedade de exposições, filmes e produções relacionadas à ciência. A Exposição Culturas de Criatividade leva os visitantes a uma excursão pelo processo de seleção de um ganhador do Prêmio Nobel, desde a nomeação até o banquete real.

Nenhum banquete está completo sem uma amostra do famoso sorvete Nobel que é servido todos os anos na cerimônia de premiação. Descubra cada um dos 840 ganhadores do Prêmio Nobel e o que eles contribuíram para a sociedade. Passeios multilíngues, incluindo inglês, são oferecidos diariamente. O museu também hospeda vários eventos públicos, conferências e workshops, e trabalhará com os hóspedes para atender às suas necessidades.

Para os visitantes que desejam levar uma peça do museu para casa, há uma loja de souvenirs disponível. Um dos itens mais populares aqui é a medalha de ouro Alfred Nobel & # 039s feita em chocolate escuro de comércio justo. Outro é o doce sueco “dinamite” com sabor de pimenta jalapeño, além de muitos brinquedos educativos para crianças, livros de e sobre ganhadores do Prêmio Nobel e outros itens exclusivos encontrados em nenhum outro lugar a não ser aqui.

Há também o Bistro Nobel com chocolate Nobel, bolos suecos, bem como almoço e jantar completo. No bistrô, eles também servem o exclusivo sorvete Nobel, além do chá Nobel geralmente servido no banquete anual do Nobel.

Gorjeta:
Junte-se ao tour em inglês para obter o máximo de sua visita.

Horário de funcionamento:
Ter-Qui: 11h-17h Sex: 11h-20h (setembro a maio) Diariamente: 9h-20h (junho a agosto, exceto 21 a 22 junho - fechado)

Admissão grátis:
Sex: 5-8pm (setembro-maio) Stockholm Pass, Stockholm Key of Honor, ICOM, AAM, SMI, WFTGA

Passeios diários em inglês (incluindo o tour Martin Luther King Jr):
Ter-Sex: 11h15, 13h15, 15h15, 16h (MLK) Sáb-Dom: 10h15, 11h15, 12h15, 13h15, 15h15, 16h (MLK)

5) Stortorget (Grand Square) (deve ver)

Stortorget (& quotGrand Square & quot) em Gamla Stan nunca foi uma peça de exibição estilosa semelhante às encontradas no coração de muitas outras cidades europeias durante a Idade Média. Foi criado gradualmente, com edifícios e blocos ao redor da praça, ainda inclinados para o oeste, ocasionalmente adicionados ao acaso. A praça mais antiga da cidade, Stortorget é um centro artístico e de compras, tradicionalmente conhecido por seu mercado anual de Natal que oferece apresentações incríveis, artesanato tradicional exclusivo e delícias culinárias suntuosas.

É também a localização do Edifício da Bolsa de Valores (Börshuset), que abriga a Academia Sueca, o Museu Nobel e a Biblioteca Nobel, projetado por Erik Palmstedt e construído em 1773-1776. O poço próximo, também projetado por Palmstedt, secou em 1856 devido à elevação do terreno e foi realocado para Brunkebergstorg, mas depois voltou ao local original na década de 1950, conectado ao duto de água da cidade desde então.

Stortorget fica no ponto mais alto de Estocolmo e apresenta uma representação cuidadosamente restaurada dos edifícios históricos, conhecidos apenas por seus endereços. Entre eles está o Stortorget nº 3 construído na década de 1640, comumente conhecido como Grillska Huset (Grill House). O prédio vizinho nº 5 era outro imóvel de Antoni Grill, que deu nome ao Grill House. Os edifícios no nº 18–20 foram fundidos em um no século 17 e receberam o nome de Johan Eberhard Schantz. Stortorget teve uma história violenta, pois já foi o local do banho de sangue de Estocolmo, que ocorreu em 1520 e resultou na decapitação de mais de 80 nobres. Seus corpos foram deixados lá para sangrar, deixando poças de sangue correndo por toda a cidade, uma mensagem macabra para a oposição do rei dinamarquês.

O Stortorget nº 22, do lado esquerdo da praça, foi construído em 1758 e é facilmente identificado por sua cor verde. Já foi ocupada pelo saxão Polycarpus Crumbügel, um dos amigos mais próximos do rei Carlos XI. As pedras antigas de paralelepípedos de Stortorget dão a você a sensação de voltar aos tempos da Velha Suécia, com os edifícios em tons pastéis imitando as cores comuns daquela época.

Por que você deve visitar:
A Cidade Velha (Gamla stan) é de longe a área mais pitoresca de Estocolmo e, embora esta praça pareça despretensiosa à primeira vista, tem um ambiente único.

Gorjeta:
Fique no meio e olhe ao seu redor.

Köpmanbrinken (& quotMerchant & # 039s Slope & quot) é uma rua histórica composta por duas encostas. A encosta norte tem sido comumente referida como Fiskestrandsbrinken (& quotFishing Shore Slope & quot). Na Idade Média, até 1520, a área a leste das encostas, entre as vielas Nygränd e Brunnsgränd, costumava ser o principal mercado de peixes, Fiskaretorget. Desde a fundação de Estocolmo, as encostas refletem a inclinação original dos primeiros habitantes da cidade.

Caminhando ao longo da rua, os visitantes encontrarão alguns dos ícones mais famosos, como a réplica da estátua de São Jorge e o Dragão, cujo original medieval se encontra na Catedral de Storkyrkan. Esta réplica de bronze foi fundida em 1912 por Otto Meyer. São Jorge é retratado como um jovem em sua armadura de batalha com a lança empalando o dragão. Em contraste com o original Storkyrkan, várias partes da estátua foram alteradas, como o capacete do cavaleiro e o dragão posicionados de forma diferente. São Jorge está sentado em cima de um cavalo em tamanho natural com as pernas do dragão empurrando o estômago do cavalo. O pedestal é decorado com relevos do martírio do bravo santo. A peça original foi encomendada pelo vice-rei sueco, Sten Sture, em 1489.

No passado, no estreito espaço ao longo das encostas & # 039 lados leste, onde a estátua de São Jorge é encontrada hoje, havia um bloco inteiro, chamado Acteon, que desabou em 1829. Após o colapso, as encostas ficaram menos íngremes e, durante o século 19, eram consideradas duas ruas individuais, separadas pela praça Köpmantorget. As duas ruas foram posteriormente unidas em uma, com seu nome atual, em 1885.

Por muitos séculos, Österlånggatan foi uma das principais vias de Estocolmo. Nos anos 1300, a rua costumava ultrapassar os muros da cidade e estava repleta de oficinas de carpintaria e ferreiro que apoiavam a indústria naval local. A linha da costa acabou sendo empurrada para o leste por aterros de cascalho e lixo, então, no século 14, a rua se tornou a & # 039longa rua a leste da parede & # 039 (ou seja, Österlånggatan), longe da água, pavimentada e repleta de lojas e casas.

O comércio marítimo desapareceu gradualmente e, no início do século 20, praticamente tudo o que estava associado a ele em Österlånggatan havia desaparecido. Em nítido contraste com seus velhos tempos como o quintal do distrito das docas, lotado de marinheiros, tabernas, viajantes e comerciantes, na década de 1980, a rua gradualmente se transformou em uma área relativamente tranquila, apesar dos muitos restaurantes e lojas que atraem turistas. Edifícios históricos como o Royal Coin Cabinet, o Stockholm Concert Hall e a Stockholm School of Economics estão todos localizados ao longo de Österlånggatan. A famosa estátua de São Jorge e o Dragão também é encontrada aqui, em Köpmanbrinken (a Encosta do Mercador).

Muitas tabernas, populares entre os empresários, ocupavam as ruas no século XVII. Entre eles, Riga no número 19, Holländska Dyn (& quotDutch Slough & quot) no número 21, Förgylda Draken (& quotGilded Dragon & quot) no número 27, Tre Kungar (& quotThree Kings & quot) no número 28, Sveriges Wapen (& quotSwedish Arms & quot) no número 29 e Stjärnan ( & quotThe Star & quot) no edifício rococó no número 45. De todas essas tabernas, apenas Den Gyldene Freden (& quotThe Golden Peace & quot) no número 51 sobreviveu. Fundado em 1722, é mencionado no Livro de Recordes do Guinness como um dos restaurantes mais antigos com interior inalterado, o que dificilmente pode dar uma sugestão da sujeira, fedor, fileiras e miséria uma vez escondidos por trás de seu nome romântico.

A rua era particularmente apreciada pelos comerciantes imigrantes alemães e era considerada uma área de classe média até o século XIX. É atravessada por vários becos, cada um dos quais com um nome único, geralmente associado aos edifícios que aí se encontram. Escavações arqueológicas no final da década de 1970 revelaram a trilha original, cerca de três metros abaixo do pavimento atual, junto com as paredes de tijolos que cercavam a cidade na Idade Média. A good place to explore the historic part of the Swedish capital!

Freden (“Peace”), as it's known locally, received its name from the Peace of Nystad (1721) by which Russia gained control over a hefty chunk of the Swedish territory, but strangely enough and luckily so (hence the Gyldene "golden"), allowed Sweden to keep Finland. One of Sweden's best-known eateries, this is the second oldest restaurant in the world to have retained its original interior, unchanged since the day it opened in 1722, thus making a unique example of an 18th-century tavern and a well-deserved entry to the Guinness Book of Records.

Throughout centuries, Freden has been a central gathering spot for many Sweden's noted authors, painters and songwriters. Anders Zorn bought the place in 1919, effectively saving it from closure. The house in which Freden is located is now owned and secured for posterity by the Swedish Academy. Each Thursday, the Academy (which nominate the winner of the Nobel Prize in Literature) convene here for their weekly dinner. The restaurant initially gained its reputation and fame through the songs written by national poet, Carl Michael Bellman (1740–1795), and more recently by the singer-songwriter, Cornelis Vreeswijk (1937–1987).

Mårten Trotzigs Gränd (“the Alley of Mårten Trotzig”) is named after the merchant and burgher Mårten Trotzig (1559–1617), who immigrated from Wittenberg, Germany to Stockholm in 1581, and eventually became one of the city's richest and most influential merchants. He traded in metals – copper and iron – and bought up properties in the alley in 1597 and 1599, also opening a shop here, thus lending his name to the place. Trotzig met his demise in 1617 when beaten to death during a trip to Kopparberg.

Unique to the area, the alley is known to be the narrowest one, measuring at its smallest part only 90 centimeters in width. Possibly referred to as Trångsund ("Narrow strait") before Mårten Trotzig gave his name to it, the alley was mentioned in 1544 as Tronge trappe grenden ("Narrow Alley Stairs"). It has 36 steps narrowing towards the top, which can be somewhat visually intimidating as the narrowing is very apparent with each step taken upwards.

In 1608, the alley was referred to as Trappegrenden ("The Stairs Alley"), but a map dated 1733 calls it Trotz gr[änd], a name which, using various alternative spellings, was to remain in use, save for an attempt in the late-18th century to inexplicably rename it Kungsgränden ("The Kings Alley"). The alley was closed off in the mid-19th century, not to be reopened until 1945. Its present name was officially sanctioned by the city in 1949.

The German Church – also known as Tyska Kyrkan or St. Gertrude’s Church – is yet another attraction found in Gamla Stan. Back in the Middle Ages, it served a local German community, hence the name, and was built in honor of Saint Gertrude, the patron saint of all travelers. Several famed architects were involved in its design and construction. During the 17th century, the church became a major epicenter for church music in Sweden.

The massive, Baroque-style brick structure boasts a large steeple, which can be seen from several blocks away, along with the impressive copper-covered spire and Neogothic gargoyles perched on the top, overlooking the town. Large windows adorn the building, allowing much light into the interior during the day. The ceiling is adorned with an intricate painting by David Klöcker Ehrenstrahl, who was once a member of the church community. The gilded face of Saint Gertrude decorates the northern gate, while the southern portal is bordered by the statues of Jesus and Moses.

Gorjeta:
Check the schedule – you may be able to catch a musical performance.
Visitors can hear the carillon every day, at 8am and 4pm.
If timing allows, you may see the inside with good lighting and be treated to the spectacular stained glass scenes.

Horário de funcionamento:
Daily: 10:30am-4:30pm (Jun 15-Aug 15) 11am-3pm (May 15-Jun 15, Aug 15-Sep 15) Wed, Fri, Sat: 11am-3pm, Sun: 12:30-3pm (Sep 15-May 15)
Free admission

This street dates back to the medieval times when it was known as Tverru Gatu ("Cross Street") passing between the eastern city gate (where Köpmantorget is currently located) and where one of the western gates once stood, at which point the street changes name to Tyska Brinken.

There are many historic buildings to be found in Kindstugatan. One of them is the 17th century gray building at Number 4, known as Törnska huset (The Törne House), with two portals the lintel on the left dating from the 17th century, while the lower parts are from the 19th century. The right one, now transformed into a window, used to be the entrance to the backyard. The cartouche on the building is carrying the message “Then Gudh wil hielpa kan ingen stielpa, Anno 1674, Olof Hansson Törne, Margareta Andersen”, which means "God helps those who let Him". The proprietor Törne made his fortune from scratch, became a city mayor, and was finally raised to peerage as Törnflycht. His thirteen children further extended his success story his sons relieved him as a mayor, became county governors, and even governor general, while his daughter Christina (1673–1752) became the wife of Carl Piper (1647–1716).

The wall anchors at Number 8 reveal the building from 1657 which used to be occupied by medical doctor and personal physician to Swedish Queen Ulrika Eleonora the Elder, Johan von Hoorn (1662–1724). The latter introduced obstetrics to Sweden and published The Well-Trained Swedish Midwife (Den Swenska wäl-öfwade JordGumman) book in 1697 thus pioneering the development which by the early 20th century had made maternal mortality in Sweden a third of that in the U.S. Other famous residents here included surgeon Henrik Quant and several pharmacists.

The rose-coloured building at Number 14 is known for being the tavern Fimmelstången (The Thill, “wagon shaft”) were the renowned Swedish poet Lasse Lucidor (1638–1674) was stabbed to death in a fight. While Lucidor also wrote hymns and spiritual songs and renewed the genre, he is mostly remembered for his realistic portrayals of inebriety and his famous poem Skulle Jag sörja då vore jag tokot ("I would be a fool to grieve").

The variety of architectural styles seen in the street include Rococo, Baroque and Renaissance design. The cobble stones are well preserved and the landscaping is lush and green.

Today renowned as one of Gamla Stan's most picturesque and busiest tourist magnets, Västerlånggatan was for many centuries one of the main streets in Stockholm, together with Österlånggatan, both running outside the city walls. During the 15th century, they were collectively called Allmänningsgatan ("The Common Street") or Långa gatan ("The long street"). The current name Västerlånggatan ("the Western Long Street") was officially coined in 1885.

Originally, the street was little more than a pathway following the shoreline, linking the northern city gate, Norrbro, with the southern, Söderbro. In the 15th century, it became a high-traffic paved artery road with dwellings and shops on both sides. During the Middle Ages and the Vasa era, the southern part of the street formed part of the district centered on Järntorget, inhabited by influential merchants. Along the rest of the street, craftsmen had their small workshops, and the northernmost section, stretching between Mynttorget and Storkyrkobrinken, was called Stadssmedjegatan ("City's Smith's Street"), because the blacksmiths and coppersmiths had their shops here, confined outside the city limits due to the risk of fire. In the 17th century, this section was inhabited by goldsmiths which added to its prestige.

Starting the mid 19th century, the medieval street facades were transformed to the taste of the day plaster ornaments and cast iron colonettes mail-ordered from Germany replaced the medieval fronts, resulting in the large shop windows usually displaying some well-preserved interiors.

Throughout the second half of the 20th century, the street scene began to change amid revitalization in its business district, seeing hotels, high-end businesses and restaurants moving in and many old shops, after more than 250 years in business, moving out, forced to relocate or shut down by soaring rents, subsequently replaced by more or less fitting successors marketing tourist-oriented gewgaws.

Today, Swedes and tourists alike love to mingle among the local boutiques, medieval gables and later additions, the street thus preserving its old ways — offering its musicians to Stockholmers hurrying to work in the morning blustering pub-crawlers still vexing stoic dwellers, and the old forged iron signs continuing to ignore the neon signs still tempting passers-by with all sorts of gadgets.

The historic Riddarholm Church dates back all the way to the 13th century. Originally, it was built with two naves but, by the 1400s, one additional nave was added. This church facility represents the last abbey left in Stockholm and is a product of the Protestant Reformation in Sweden.

The place itself has been used as a funeral and memorial church since 1807 and is known for being the final resting place of many Swedish Royal family members. In fact, several chapels here are dedicated to the various kings of Sweden, whose remains rest within. In the chapel of Gustavus Adolphus Magnus lie the bones of Gustav II in a large marble sarcophagus, while the lower crypt holds the bodies of his decedents. The Karolinska Chapel was built in the 17th century and Karl XII is buried beneath a black marble sarcophagus along with his family, while the Bernadotte Chapel honors Karl XIV Johan. The Royal Graveyard at Haga holds remains of other members of the Royal family, while the Haga Wall displays the elaborate shields of the Royal Family members buried in the graveyard.

Why You Should Visit:
Interesting spire and external architecture – the history of Royal Sweden in this one building.

Gorjeta:
Try to catch a guided tour (included in the entry fee) which lasts

45 mins but makes the visit a lot more informative.

Horário de funcionamento:
Daily: 10am-4pm (Oct-Apr) 10am-5pm (May-Sep)

Wrangel Palace (Wrangelska palatset) is a historic townhouse mansion on Riddarholmen islet in Gamla Stan. Steeped in history, this building was constructed for Count Carl Gustaf Wrangel, and features a combination of architectural styles.

Its southern tower used to be part of the Gustav Vasa defence fortifications dating from the 1530s. Around 1630, the mansion was turned into a palace for Lars Sparre. In between 1652-1670, it was rebuilt and expanded by architect Nicodemus Tessin the Elder, author of many buildings in the Old Town of Stockholm, for Count Carl Gustaf Wrangel. In 1693, a fire broke out and the palace was rebuilt and expanded again, this time to accommodate the royal family after another fire left the Tre Kronor Castle in ruins in 1697.

Following that, Wrangel Palace remained the official Stockholm royal residence until 1754, when the Royal Palace of Stockholm was completed. During that period, it was called Kungshuset (The Kings House). From 1756 to 1928, the palace had housed Svea Hovrätt (the Court of Appeal) and Statskontoret (the State Office). In 1802, after yet another devastating fire, the palace underwent further reconstruction, led by architect C.G. Gjörwell.

Today, its walls are lavishly decorated with paintings of the royal family and their court which accentuates the regal status of the place. When in Stockholm, you may want to spend a few hours exploring this palace.

As of 2003, the House of Nobility (Riddarhuset) has been a private institution which maintains records and acts as an interest group on behalf of the Swedish nobles. Following 1866, when the old Parliament of the Estates was replaced by the then newly established Parliament of Sweden, it has been regulated by the Swedish government. This quasi-official representative body is also authorized to dole out noble titles, such as count, baron, esquire or knight.

Its name literally translates to “the house of knights”, as knights (riddare) belong to the higher ranks of the Swedish nobility, sometimes at par with counts (greve) or barons (friherre). This tradition dates back to the Middle Ages when Sweden, under the Kalmar Union, had only one knight, Sten Sture. All esquires in the country are also represented here most of them being the so-called “untitled” (obetitlad adel).

The building itself was constructed in the mid 1600s, designed by French-born architect, Simon de la Vallée, who started the planning, but was killed by a Swedish nobleman in 1642. The construction was finished by his son, Jean de la Vallée, in 1660.

Throughout the centuries, the building has served multiple purposes. Between the 17th and the 19th century it was a chamber in the Riksdag of the Estates, the Swedish equivalent to the British House of Lords. In the 18th century, it often hosted public concerts, as well as parliament meetings and those of the Academies of Sciences and Literature.

The coats of arms of Swedish noble families are vividly displayed throughout the building. The ceiling is emblazoned with the allegorical painting of Mother Svea by David Klöcker Ehrenstrahl.
The south end of the building features Latin inscription CLARIS MAIORUM EXEMPLIS, along with a statue of Gustav Vasa.

Arguably, the most prominent monument of the Swedish Empire (1611–1718) era, the Bonde Palace (Bondeska palatset) was originally designed by Nicodemus Tessin the Elder and Jean De la Vallée in 1662-1667 as the private residence for the Lord High Treasurer, Gustaf Bonde. In the 18th century it accommodated the Stockholm Court House and since 1949 has housed the Swedish Supreme Court.

The original design by Simon de la Vallée and Tessin the Younger, was based on French Baroque and Renaissance prototypes commonplace in the 17th century, featuring H-shaped plan with two southern wings flanking the main court, and northern wings surrounding a small Baroque garden. It also had an exquisite, tall, steep-pitched, copper-dressed roof covering the central building surrounded by cupolas of the corner pavilions, with facades decorated with massive Ionic pilasters, festoons and portraits of Roman Emperors dotting the walls.

Following the devastating fire of the royal palace Tre Kronor in 1697, the Royal Library and the Svea Court of Appeal were lodged in the Bonde palace. Its original elaborated roof was destroyed by fire in 1710, while the original cupolas survived. In 1730, the palace was finally bought by the city as the seat for the Town Hall.

In this capacity, the palace commenced its central role in the Swedish legal history by witnessing several dramatic events, such as the public flogging of the regicide Jacob Johan Anckarström on April 27, 1792, and the mob beating, kicking, and trampling the statesman Axel von Fersen the Younger to death in 1810.

During the 19th century, the building gradually failed to accommodate the court house, fell into decay and by 1920 had found itself on the brink of demolition. However, in 1925 it was restored. In the 1940s, the building underwent further comprehensive restoration, followed by series of others in 1986 and 2003–2004, carefully recreating its 17th-18th century look using the original materials and craftsmanship to the maximum. Today, the building is classified as a historical monument of national interest and maintained by the Swedish National Property Board (Statens Fastighetsverk).

The Parliament House (Riksdagshuset) is the seat of the Swedish parliament, the Riksdag. Even though the building is more modern compared to some of the nearby structures, the influence of the local Baroque Revival and Renaissance style is evident in its centered facade section and throughout the structure. Built between 1897 and 1905, the complex was designed by Aron Johansson with the only stipulation made to him that it should not outshine the Royal Palace.

The two buildings of the complex were originally intended to house the Riksdag in one, and the Sveriges Riksbank (Swedish National Bank) in the other, of a semicircular shape. However, after the bicameral Riksdag was replaced by a unicameral legislature in 1971, and the bank relocated, the latter building was converted to house the new Assembly Hall.

Located on the island of Helgeandsholmen, the building is flanked by water and is impressive on the horizon, especially at night. On the eastern part of the island, visitors will find restaurants, which have been serving the local cuisine since 1832, along with an exquisite public park, offering incredible views of the Riksdag and the surrounding landscape.

Walking Tours in Stockholm, Sweden

With almost 70 museums in operation, Stockholm houses more museums than most cities on the planet. The island of Djurgården, inside Stockholm, is home to an array of museums and historic monuments, including Scandinavia’s most popular Vasa Museum and Sweden’s first open-air museum. To explore these and other museums of Djurgården in detail, follow this self-guided walk.

Tour Duration: 2 Hour(s)
Travel Distance: 3.2 Km or 2 Miles

Once an independent city, Norrmalm has been a part of Stockholm (one of its central areas today) since 1635. Many of Norrmalm's old buildings were torn down during the 1950s-60s to clear space for modern construction. Still, the most notable pieces of local architecture are in place and reveal a wide range of styles - Late Gothic, Renaissance, Baroque. Among the many places of interest found. view more

Tour Duration: 2 Hour(s)
Travel Distance: 3.0 Km or 1.9 Miles

Södermalm, or "Söder" for short, is a borough in central Stockholm, incorporating a large island of the same name (formerly known as "Åsön"). Although considered an island, the water surrounding Södermalm to the north and south does not flow freely, but passes through a series of locks. Visitors are charmed by the borough's narrow, cobbled streets and neat squares, as. view more


Gamla stan Walking Tour

Our time together on this orientation walk will mostly be spent on the main island district that forms Stockholm’s historical city center: Gamla stan, or Old Town. As we cross Gamla Stan, we'll develop a picture of how the city came to be and of life in Stockholm today. With cobblestone streets underfoot and waters of the archipelago rushing by, Stockholm’s atmosphere is thoroughly charming. This is a city deeply attuned to the natural environment that surrounds its urban geography.

From certain vantage points in Gamla stan, we'll also have amazing views across the water. The skyline when viewed from the west side of the Old Town is dominated by the City Hall. The municipal building is located in another island district, but luckily, the open water gives us a clear panorama of its red brick tower. We'll make sure to discuss this notable structure and take advantage of the wide-angle view to admire its distinctive architecture.


Traffic

The island of Gamla Stan can be easily reached by private and public transport. At the station stan Gamla keep the Grona - and Röda linjen the Stockholm subway . Furthermore, various bus lines drive across the island and have stops there. The island and the Vasabron , Norrbro and Strömbron can be reached by private transport from the direction of Norrmalm . Gamla Stan can be reached from Södermalm via the Slussen transport hub . The Centralbron bridge leads over the island, but has no entry or exit there.


Assista o vídeo: Gamla Stan Stockholm - Kungsträdgården. Exploring Sweden (Outubro 2021).