Notícia

Wilderness Road

Wilderness Road

Em 1775, o agora lendário homem da fronteira Daniel Boone abriu uma trilha através do Cumberland Gap - um entalhe nas montanhas Apalaches localizado perto da interseção de Kentucky, Virgínia e Tennessee - através do interior de Kentucky e do rio Ohio. Conhecida como Wilderness Road, a trilha serviria de caminho para o oeste dos Estados Unidos para cerca de 300.000 colonos nos próximos 35 anos. O caminho pioneiro de Boone levou ao estabelecimento dos primeiros assentamentos em Kentucky - incluindo Boonesboro - e à admissão de Kentucky na União como o 15º estado em 1792.

História por trás da estrada do deserto

As primeiras origens da Wilderness Road foram os rastros, ou trilhas, criados pelos grandes rebanhos de búfalos que antes perambulavam pela região. Tribos nativas americanas, como Cherokee e Shawnee, mais tarde usaram as trilhas para fazer ataques uns aos outros. Eles chamaram o caminho de Athowominee, traduzido de várias maneiras como "Caminho dos Armados" ou "Caminho do Grande Guerreiro". Em 1673, os guerreiros Shawnee capturaram um jovem chamado Gabriel Arthur. Antes de sua libertação, Arthur se tornou o primeiro colono branco conhecido a cruzar a Cumberland Gap usando parte do que se tornaria a Estrada do Deserto.

Em 1750, uma expedição liderada pelo Dr. Thomas Walker partiu da Virgínia com o objetivo de explorar terras mais a oeste para um possível assentamento. Desencorajado pelo terreno acidentado no sudeste de Kentucky, o grupo voltou, mas o relatório detalhado de Walker sobre a expedição provou ser um recurso inestimável para expedições posteriores, incluindo a de Boone.

Daniel Boone e a Transylvania Company

Nascido na Pensilvânia em 1734, Daniel Boone mudou-se com sua família para a fronteira da Carolina do Norte quando jovem. Ele lutou na Guerra da França e da Índia, e mais tarde serviu por dois mandatos na Assembleia Geral da Virgínia. Boone se aventurou pela primeira vez em Cumberland Gap em uma expedição de caça em 1767. Em 1773, ele tentou liderar sua família e vários outros para se estabelecerem no Kentucky, mas os índios Cherokee atacaram o grupo e dois dos futuros colonos, incluindo o filho de Boone James, foram mortos.

Dois anos depois, um grupo de investidores ricos liderado pelo juiz Richard Henderson, da Carolina do Norte, formou a Transylvania Company. Seu objetivo era colonizar as ricas terras ao redor do rio Kentucky e estabelecer o Kentucky como a 14ª colônia. Para tanto, contrataram Boone, o homem branco considerado o maior conhecedor das trilhas existentes, para abrir uma nova trilha através do Cumberland Gap. Para enfrentar a questão da agressão dos índios americanos, Henderson decidiu abordar o Cherokee diretamente e, em março de 1775, seus associados negociaram com o Cherokee a compra da terra entre os rios Cumberland e Kentucky, um total de cerca de 20 milhões de acres, por 10.000 libras de bens. (O governador colonial da Virgínia posteriormente anulou a venda.)

Abrindo caminho histórico

Em 10 de março de 1775, Boone e cerca de 30 outros cortadores de estrada empunhando machados (incluindo seu irmão e genro) partiram de Long Island of Holston River, um local sagrado do tratado Cherokee localizado na atual Kingsport, Tennessee . De lá, eles viajaram para o norte ao longo de uma parte do Caminho do Grande Guerreiro, passando por Moccasin Gap nas Montanhas Clinch. Evitando Troublesome Creek, que atormentou viajantes anteriores ao longo da rota, o grupo de Boone cruzou o rio Clinch (perto do que agora é Speers Ferry, Virginia) e seguiu Stock Creek, cruzou a montanha Powell através de Kane’s Gap e se dirigiu para o vale do rio Powell.

A cerca de 20 milhas de Cumberland Gap, Boone e seu grupo descansaram em Martin's Station, um assentamento perto do que hoje é Rose Hill, Virgínia, que foi fundado por Joseph Martin em 1769. Depois de um ataque nativo americano, Martin e seus colegas colonos abandonaram da região, mas eles retornaram no início de 1775 para construir um assentamento mais permanente. Pouco antes de chegar ao local pretendido de assentamento no rio Kentucky no final de março, o grupo de Boone foi atacado por alguns dos Shawnee, que, ao contrário dos Cherokee, não cederam seu direito às terras de Kentucky. A maioria dos homens de Boone conseguiu escapar, embora alguns tenham morrido ou feridos. Em abril, o grupo chegou ao lado sul do rio Kentucky, no que hoje é o condado de Madison, Kentucky.

Movimento para o oeste

A abertura da Wilderness Road permitiu a fundação dos primeiros assentamentos em Kentucky, incluindo a Colônia da Transilvânia, que se tornou Boonesboro-Harrod’s Town e Benjamin Logan’s. Após a eclosão da Guerra Revolucionária naquele mesmo ano, a corrida para a colonização ocidental começou e continuaria durante a guerra e além. Cerca de 300.000 colonos viajaram ao longo da Wilderness Road de 1775 a 1810. Além de seu tráfego humano, a trilha fornecia uma rota para produtos agrícolas destinados à venda em mercados próximos à costa, bem como bens e suprimentos para abastecer o cultivo assentamentos ocidentais. Em 1792, Kentucky foi admitido na União como o 15º estado.

Em 1840, o uso da Wilderness Road diminuiu, pois os avanços na engenharia possibilitaram a viagem por vias navegáveis ​​através do Canal Erie e dos rios do Vale do Ohio. Cumberland Gap mais tarde tornou-se parte do Sistema de Parques Nacionais, e partes da Wilderness Road foram incluídas no Wilderness Road State Park.


ESTRADA SELVAGEM

A Wilderness Road foi uma trilha aberta pelo pioneiro americano Daniel Boone (c. 1734 e # x2013 1820) enquanto conduzia os colonos para o oeste através das Montanhas Apalaches até o atual Kentucky entre 1761 e 1771. Em 1790, a estrada que passava pelo Cumberland Gap (na interseção do Tennessee, Kentucky e Carolina do Norte) havia se tornado a principal rota para o oeste. Os colonos viajaram a Wilderness Road da Virgínia, através dos Apalaches e no Vale do Rio Ohio. A rota permaneceu bem percorrida até cerca de 1840. Naquela época, o governo & # x2013 construiu a Estrada Nacional que se estendia a oeste de Maryland, atravessando os Apalaches e descendo para as terras férteis de Ohio, Indiana e Illinois. A rota de Boone para o oeste permitiu o desenvolvimento inicial da primeira fronteira da nação & # x2014 as terras situadas a oeste dos Apalaches. Mais tarde, a Wilderness Road tornou-se parte da Rodovia 25 dos EUA e hoje faz parte da Rodovia Dixie.

Cite este artigo
Escolha um estilo abaixo e copie o texto para sua bibliografia.

"Wilderness Road". Gale Encyclopedia of U.S. Economic History. . Encyclopedia.com. 16 de junho de 2021 & lt https://www.encyclopedia.com & gt.

Estilos de citação

A Encyclopedia.com oferece a capacidade de citar entradas e artigos de referência de acordo com os estilos comuns da Modern Language Association (MLA), do Chicago Manual of Style e da American Psychological Association (APA).

Na ferramenta “Citar este artigo”, escolha um estilo para ver a aparência de todas as informações disponíveis quando formatadas de acordo com esse estilo. Em seguida, copie e cole o texto em sua bibliografia ou lista de obras citadas.

Como cada estilo tem suas próprias nuances de formatação que evoluem com o tempo e nem todas as informações estão disponíveis para todas as entradas ou artigos de referência, a Encyclopedia.com não pode garantir cada citação gerada. Portanto, é melhor usar as citações da Encyclopedia.com como ponto de partida antes de verificar o estilo em relação aos requisitos de sua escola ou publicação e as informações mais recentes disponíveis nestes sites:

Modern Language Association

The Chicago Manual of Style

Associação Americana de Psicologia

Notas:
  • A maioria das entradas e artigos de referência online não tem números de página. Portanto, essas informações não estão disponíveis para a maior parte do conteúdo da Encyclopedia.com. No entanto, a data de recuperação costuma ser importante. Consulte a convenção de cada estilo sobre a melhor maneira de formatar números de página e datas de recuperação.
  • Além dos estilos MLA, Chicago e APA, sua escola, universidade, publicação ou instituição pode ter seus próprios requisitos para citações. Portanto, certifique-se de consultar essas diretrizes ao editar sua bibliografia ou lista de obras citadas.

Linha do tempo para a rota de migração da Wilderness Road

Bob McConnell
Por mais de dois séculos, um longo corredor de viagem no leste dos Estados Unidos foi usado alternadamente por búfalos e alces migrantes, nativos americanos, europeus coloniais, exércitos, especuladores, caçadores e colonos. Com o tempo, esse corredor ficou conhecido por nomes diferentes em seções diferentes. As partes eram chamadas de Great Road, Philadelphia Wagon Road, Valley Pike, Long Gray Road e Wilderness Trail. Esta linha do tempo retrata uma imagem cronológica de eventos significativos ao longo da rota de migração inicial para o oeste.

Pré-1700:
1600s & # 8211 The Great Warpath - Começando como um caminho animal, esta trilha conectou dois grandes reinos nativos americanos, a poderosa Confederação Iroquois de cinco nações no norte e os impérios Cherokee / Catawba no sul. A Confederação Iroquois originalmente composta pelos Cayuga, Mohawk, Oneida, Onondaga e Sêneca, e mais tarde pelos Tuscarora.
1654 - Abraham Wood fez sua primeira viagem para a região sudoeste da Virgínia de Fort Henry, viajando 120 milhas para a principal cidade dos Occaneechi na junção dos rios Roanoke e Dan.
1669-70 - Dr. John Lederer, um médico alemão viajou para o topo da cadeia Blue Ridge em Front Royal.

1671 - Abraham Wood enviou uma expedição liderada pelo Capitão Thomas Batts e assistente Robert Fallam. Este é o primeiro relato de exploradores alcançando a divisão dos Apalaches e encontrando a trilha indígena conhecida como o Grande Caminho de Guerra. A nação Totero de povos nativos foi encontrada nesta jornada.
1673 - Abraham Wood enviou James Needham e seu assistente Gabriel Arthur para a capital Cherokee em Chota (Tennessee). Eles seguiram o “Caminho dos Armados”. Arthur ficou com o Cherokee para aprender a língua e os costumes, enquanto Needham voltava para se apresentar em Fort Henry.
1674 e # 8211 Gabriel Arthur viajou ao longo da trilha através de Cumberland Gap no Caminho dos Guerreiros de Kentucky que levava a Ohio. Arthur foi mais tarde capturado pelo Shawnee, mas foi libertado na esperança de promover o comércio com os ingleses.
1681-1698 - O Coronel Cadwallader Jones estabeleceu comércio com índios além das Montanhas Blue Ridge, embora tal contato fosse desencorajado pela Coroa (da Inglaterra) na época.
1700 a 1749:
1706 - Franz Ludwig Michel de Berna, Suíça, empreendeu uma exploração inicial do Vale do Shenandoah, chegando até a atual cidade de Edimburgo.
1716 - O governador Alexander Spotswood conduziu seus Cavaleiros da Ferradura Dourada aos picos das Montanhas Blue Ridge e no Vale Shenandoah.
1738 - O condado de Augusta foi formado com assentamentos seguindo quase imediatamente.

1739 & # 8211 Uma concessão de terras da Coroa Britânica de 92 mil acres foi dada a Benjamin Borden para trazer colonos para a área que agora é o Condado de Rockbridge.
1742 - Índios iroqueses resistiram aos colonos europeus durante uma escaramuça significativa perto da atual Buena Vista.
1742-1745 - O coronel James Patton recebeu duas grandes concessões de terras de 100 mil acres cada para encorajar o assentamento nos vales do rio Roanoke e New River.
1744 - O Tratado de Lancaster com a Confederação Iroquois afirmou o uso do Caminho dos Guerreiros e permitiu assentamentos ingleses a oeste das "Grandes Montanhas".
1745 - O primeiro assentamento a oeste do Rio Novo foi chamado Dunkards Bottom devido à prática do batismo de imersão total pela comunidade religiosa.
1749 - A Augusta Academy foi fundada em Lexington, eventualmente tornando-se a Washington and Lee University. A instituição continua recebendo dividendos sobre as ações doadas por George Washington.
1750 – 1799:

1750- Dr. Thomas Walker associou-se a Peter Jefferson (pai de Thomas) para formar a Loyal Land Company e encontrar 800 mil acres no sudoeste da Virgínia. Walker manteve um diário detalhado de rios, salinas, trilhas indígenas, montanhas e vales. Ele e seus homens viajaram pelo Cumberland Gap até o Kentucky, onde construíram uma pequena cabana.

1751- Joshua Fry e Peter Jefferson publicaram um mapa listando vários nomes para a rota, incluindo "Indian Road pelo Tratado de Lancaster" e a "Great Road ... thro Virginia to Philadelphia." O mapa indica a Carolina Road se separando da Wilderness Road na cidade de Amsterdam perto de Fincastle e atravessando em direção à Carolina do Norte.
1754 - Começa a guerra francesa e indiana. Muitos habitantes fugiram para o leste para escapar dos ataques indianos. Outros “forjados”.
1755 - Draper’s Meadow na atual Blacksburg foi atacada por Shawnee que capturou Mary Draper Ingles e matou o coronel James Patton.
1755-1756 e # 8211 Fort Vause foi estabelecido perto de Shawsville ao longo da Wilderness Trail em resposta aos ataques dos índios e ao retorno de Mary Draper Ingles do cativeiro. Fort Vause foi então capturado e queimado pelos índios e franceses.
1756 e # 8211 O coronel George Washington supervisionou a reconstrução do Fort Vause, perto de Shawsville, e quase foi capturado e morto pelos guerreiros Shawnee que viajavam para o norte na Wilderness Trail.
1758 - A estrada ficou conhecida como Valley Road na região de Shenandoah, também Pennsylvania Road ou Irish Road.
1758 - Fort Chiswell (perto de Wytheville) foi construído pelo Coronel William Byrd, III como um ponto de partida para as "Guerras Cherokee". O forte foi então administrado pelo coronel John Chiswell, que fundou as minas de chumbo na área.
1758 & # 8211 Três empresas sob o comando do major Andrew Lewis melhoraram e alargaram a Wilderness Trail em uma estrada de vagões desde o cruzamento no New River até o Holston River em Long Island (TN).
1758-1765 - Durante a guerra francesa e indiana, George Washington comandou os regimentos da Virgínia a partir de seu quartel-general em Winchester.
1760 - Fort Loudoun na atual Vonore, TN, foi atacado por índios. A maioria dentro do forte foi massacrada ou feita prisioneira.
1761 - Elisha Walden e um grupo de longos caçadores partiram de Fort Chiswell (perto de Wytheville) para explorar e estabelecer campos de caça na área a oeste de Cumberland Gap. Seu sucesso estimulou mais grupos de caça a viajar para os confins da região de "caintuck" (Kentucky) da Virgínia.
1761 - William Ingles recebeu licença para operar uma balsa “sobre o New River até a margem oposta” para ajudar os viajantes da Wilderness Road. Essa operação de balsa continuou por muitos anos.
1763 & # 8211 O tratado de paz da Guerra da França e Índia foi concluído e os britânicos ficaram com a maior parte das terras francesas na América do Norte. Por causa das despesas do conflito, os britânicos começaram a cobrar impostos dos colonos para pagar a guerra.
1769 e # 8211 Joseph Martin foi recrutado para colonizar Powell Valley. Ele construiu a Estação de Martin ao longo da Wilderness Trail a poucos quilômetros de Cumberland Gap.
1769 e # 8211 Daniel Boone chegou à Estação de Martin com seu grupo de longos caçadores com destino aos campos de caça de Kentucky. Boone seguiu o caminho dos índios até o Kentucky, onde estabeleceu um acampamento de caça e continuou explorando por quase dois anos. Seu pai e irmãos voltaram para casa na Carolina do Norte.
1770 e # 8211 O condado de Botetourt foi formado a partir do condado de Augusta, o maior condado da Virgínia naquela época. Ambos os condados se estendiam até o rio Mississippi.
1773 - Seis homens foram separados da companhia de Daniel Boone de colonos vinculados ao Kentucky. Eles foram capturados por índios, torturados e mortos, o filho de Boone, James, entre eles. As novas viagens para o Kentucky foram abandonadas naquela época.
1773-1774 - Daniel Boone passou o inverno no condado de Montgomery enquanto se preparava para outra excursão pela Cumberland Gap. Um mandado foi emitido para a prisão de Daniel Boone por uma conta não paga totalizando mais de 45 libras inglesas. O mandado ainda está pendente.
1774 & # 8211 Natural Bridge, uma maravilha geológica ao longo da Wilderness Road, foi comprada por Thomas Jefferson para ser preservada como um refúgio na montanha.
1774 - A Smithfield Plantation foi fundada pelo Coronel William Preston na atual Blacksburg. Ele serviu como membro da Câmara dos Burgesses e ocupou os cargos de Tenente, Xerife e Inspetor do Condado de Fincastle.
1774 - Lord Dunmore ordenou a construção de sete fortes ao longo do rio Clinch, que mais tarde se tornariam a rota Fincastle Turnpike.
1774 - Durante a guerra de Lord Dunmore, o coronel Andrew Lewis liderou oficiais e tropas na batalha de Point Pleasant na atual Virgínia Ocidental. Embora a batalha tenha sido em grande parte um impasse, este conflito efetivamente encerrou a guerra com os índios (por um tempo) e pavimentou o caminho para o assentamento de Kentucky.
1775 - O Coronel Richard Henderson da Transylvania Land Company procurou obter uma grande parte do Kentucky dos índios Cherokee por meio de uma compra de terra questionável em Long Island (Kingsport, TN). Ele contratou Daniel Boone para abrir um caminho através do Cumberland Gap até o Kentucky.

1775 - William Preston e William Christian reuniram um grupo perto de Fort Chiswell para

escrever e assinar as “Resoluções Fincastle”, um documento que clama pela liberdade, liberdade e soberania popular (um precursor da Declaração de Independência).

1775-1810 - Estima-se que 200 a 300 mil pessoas passaram pela Virgínia a caminho de Cumberland Gap e Kentucky.

1776 e # 8211 As colônias americanas declararam sua independência da Grã-Bretanha, enquanto os fortes ao longo da Wilderness Road foram mantidos pelos britânicos. A estrada se tornou uma rota militar.
1778 & # 8211 A Comunidade da Virgínia reconheceu oficialmente o condado de Rockingham, formado por parte do condado de Augusta.
1779 - Thomas Harrison doou terras para edifícios públicos para uma comunidade conhecida como Rocktown, que se tornou um refúgio para irmãos e menonitas. A cidade mais tarde se tornou a cidade de Harrisonburg.

1780 e # 8211 Os Homens da Montanha da Montanha se reuniram em Abingdon e, em seguida, marcharam para a Montanha Kings. A batalha que se seguiu foi um dos momentos decisivos da Revolução Americana.
1783 - A Grã-Bretanha e três outros países reconheceram a independência dos 13 Estados Unidos no Tratado de Paris.
1784 - O professor e explorador John Filson escreveu sobre a Wilderness Road e as façanhas de Daniel Boone em seu livro The Discovery, Settlement, and Present State of Kentucke publicado na Filadélfia. O livro inspirou muitos a fazer as malas e seguir para Kentucky ao longo da Wilderness Road.
1796 - A parte de Kentucky da Wilderness Road foi melhorada e aberta para viagens de carroções.
1799 - Davy Crockett trabalhou em uma loja de miudezas em Christiansburg ao longo da Wilderness Trail antes de retornar ao seu Tennessee natal e começar suas realizações como aventureiro e estadista.

1800 a 1850:
1804–1808 e # 8211 Meriwether Lewis e William Clark (famoso por Lewis e Clark) cortejaram mulheres locais perto de Fincastle antes de partirem como líderes do Corpo de Descobertas. Os dois homens viajaram pela Wilderness Road em seu retorno à Virgínia. Clark se casou com sua noiva, Julia Hancock, depois de dar o nome de um rio a ela na jornada épica.
1831 - Cyrus McCormick demonstrou a primeira ceifeira mecânica de sucesso perto de sua fazenda na Taverna Steeles, iniciando assim a era da mecanização agrícola.
1834 - A Assembleia da Virgínia aprovou legislação permitindo a incorporação da Valley Turnpike Company para melhorar a estrada de Winchester a Harrisonburg. A legislação também foi aprovada para desenvolver a Fincastle - Cumberland Gap Turnpike.
1838 - O aluguel da Valley Turnpike foi expandido para incluir a estrada de Harrisonburg a Staunton.
1840-1850 - Com a abertura da National Road e outras avenidas para o oeste, a Wilderness Road perdeu importância. Foi parcialmente abandonado e posteriormente absorvido pelo sistema rodoviário nacional.
1850 - A Virginia and Tennessee Railroad se aproximou cada vez mais da Wilderness Road, chegando a Roanoke dois anos depois.


Fincastle Turnpike

Museu e Sociedade Histórica do Condado de Botetourt

Courthouse Square, 1 Main Street, Building 3, Fincastle, Virginia

Fincastle foi uma das primeiras comunidades na área original do Condado de Botetourt, fundada em 1772. A cidade é um museu ao ar livre da arquitetura americana do final do século XVIII e início do século XIX. A Cumberland Gap Road (Fincastle Turnpike) foi autorizada a circular entre Fincastle e a linha de Kentucky em 1831. O prédio do museu, localizado na Court House Square, foi erguido por volta de 1800. Ele serve como um repositório para centenas de artefatos que interpretam a história de o condado.

New Castle Historic District

New Castle, Virginia · Um posto avançado chamado “Craig’s Camp” foi estabelecido aqui e visitado pelo Coronel George Washington em 1756 enquanto ele visitava a fronteira. Este assentamento, inicialmente chamado de “Newfincastle”, tornou-se a sede do condado quando Craig County foi formado em 1851 em partes de seis condados vizinhos. O New Castle Historic District inclui o tribunal de estilo Jeffersonian e o vizinho Old Brick Hotel Museum.

Ponte Coberta Clover Hollow

348 Clover Hollow Road, Newport, Virgínia

Esta pequena ponte coberta do tipo Burr, construída em 1916, é uma das três que sobreviveram nas imediações da vila de Newport. Como os outros, é ladeado por bordados horizontais e apoiado por pilares de pedra. A cidade de Newport começou no início do século XIX como um centro industrial que explorava os abundantes recursos hídricos disponíveis na filial de Greenbrier, no leste do condado de Giles.

Andrew Johnston House e Giles County Historical Society Museum

208 N Main Street, Pearisburg, Virgínia

A cidade de Giles Court House, mais tarde Pearisburg, foi fundada quando o capitão George Pearis doou 53 acres em 1806. O tribunal de tijolos do condado de Giles, construído em 1836, domina a cidade. O Museu da Sociedade Histórica do Condado de Giles inclui a Casa Andrew Johnston de 1829, uma casa-museu histórica que não só apresenta inúmeras peças de mobiliário original, mas contém raros exemplos de pinturas de parede decorativas.

Wolf Creek Indian Village and Museum

6394 North Scenic Highway, Bastian, Virgínia

Entre 1490 e 1530 DC, um pequeno grupo de nativos americanos estabeleceu-se ao longo de Wolf Creek, no atual condado de Bland. Eles construíram uma vila circular com paliçadas para abrigar até 100 pessoas. A escavação do local em 1970 revelou 14 estruturas e uma grande variedade de artefatos. O Wolf Creek Indian Village and Museum foi inaugurado em 1998 para interpretar a história dos povos pré-históricos da região, incluindo uma recriação completa do vilarejo.

Centro de visitantes do condado de Tazewell

200 Sanders Lane, Bluefield, Virgínia

Concluída em 1896, a Sanders House restaurada agora abriga o Centro de Visitantes do Condado de Tazewell. A grande casa vitoriana apresenta trabalhos em madeira de carvalho, um mural original e coleções originais da família Sanders. A propriedade também contém um celeiro, fumeiro e anexos de casa de campo, bem como a histórica Bailey House realocada, uma estrutura de toras pré-Guerra Civil que foi o lar de uma das primeiras famílias de Bluefield.

Old Russell County Courthouse

Lado norte da Alt. Rt. 58, 0,8 milhas a oeste de Rota. 665, Dickensonville, Virgínia

Este notável tribunal de pedra foi construído em 1799 por Henry Dickenson. Substituiu um tribunal de toras que foi incendiado durante a Guerra Revolucionária. Uma ala de tijolos foi adicionada à estrutura de pedra pela família Robert Dickenson entre 1830 e 1850.

Breaks Interstate Park

627 Commission Circle, Breaks, Virgínia

180 milhões de anos atrás, o Russell Fork River começou a abrir um profundo desfiladeiro através da Pine Mountain entre a Virgínia e o Kentucky. Daniel Boone, seu irmão Squire, e Daniel Hill viajaram pela Sandy Basin em busca de uma rota para Kentucky e o Vale do Rio Ohio em 1767. Eles encontraram o desfiladeiro e o chamaram de "The Breaks" - a única passagem por uma extensão de 125 milhas trecho de montanhas intransponíveis. O desfiladeiro é o lar de plantas raras, como samambaias fractais, galáxias, pés de potros, bagas de chá e uma profusão de espécies de fungos e musgos. O parque, que atende a ciclistas, caibros e cavaleiros, abrange os limites da Virgínia e Kentucky.

Sala da Sociedade Histórica do Condado de Wise

250 do Tribunal do Condado de Wise, Wise, Virgínia

A Wise County Historical Society mantém um escritório e uma livraria abertos diariamente para auxiliar os pesquisadores de história da família. Eles têm uma extensa coleção de materiais de pesquisa.

Old Fincastle Turnpike

Dungannon e Duffield, Virgínia

A Cumberland Gap Road (conhecida como Fincastle Turnpike), autorizada em 1831, foi projetada para dar aos agricultores locais acesso a mercados distantes. A Igreja Fincastle em Longhollow Road foi originalmente construída em Dungannon perto da auto-estrada em 1876 por Samuel e Martha Blackwell. A Rye Cove Brick Church foi construída em 1858 perto de Duffield. Diz-se que as paredes de retenção de rocha ao longo da estrada em Rye Cove foram construídas por trabalhadores escravos afro-americanos como parte da Fincastle Turnpike. Old Fincastle Turnpike Dungannon e Duffield, na Virgínia
A Cumberland Gap Road (conhecida como Fincastle Turnpike), autorizada em 1831, foi projetada para dar aos agricultores locais acesso a mercados distantes. A Igreja Fincastle em Longhollow Road foi originalmente construída em Dungannon perto da auto-estrada em 1876 por Samuel e Martha Blackwell. A Rye Cove Brick Church foi construída em 1858 perto de Duffield. As paredes de retenção de rocha ao longo da estrada em Rye Cove teriam sido construídas por trabalhadores escravos afro-americanos como parte da Fincastle Turnpike.


A controvérsia da estrada selvagem

As especulações sobre a localização da Wilderness Road original continuam. Mary Kegley argumenta que essa trilha histórica não passou pelos condados de Montgomery, Pulaski e Wythe. Seu artigo no Journal of the New River Valley Historical Society (Vol. 17, No. 1) de 2004 afirma na página 1 que "tudo começou no extremo sudoeste da Virgínia, em Block House, localizada no atual condado de Scott". A partir desse ponto, passou para o oeste através da Cumberland Gap e através do leste de Kentucky.

Se ela estiver correta nessa afirmação, então como a Wilderness Road tornou-se associada a Christiansburg, Radford, Newbern, Fort Chiswell, Wytheville e até mesmo Roanoke e Salem? Algumas fontes concordam e colocam o início da Wilderness Road na Virgínia em ou perto da cidade de Weber perto da fronteira com o Tennessee. Mas, curiosamente, alguns dizem que o início foi em Bristol, outros dizem Fort Chiswell e ainda outros afirmam Roanoke ou Buchanan. O livro de William O. Steele, The Old Wilderness Road: An American Journey (1968), começa no Blockhouse perto de Weber City, onde Daniel Boone partiu com seu grupo de machados para cortar e abrir a trilha em 1775. Ainda assim, nenhum dos os autores citados no artigo do jornal, Robert Kincaid e Thomas Speed, limitaram suas descrições de Wilderness Road apenas à seção desenvolvida por Boone e companhia. Na verdade, há evidências consideráveis ​​do contrário. Kincaid, por exemplo, fez referência específica à Wilderness Road no Vale Roanoke na página 144 de seu livro, The Wilderness Road (1955).

Existem inúmeras referências à Wilderness Road em várias partes da Virgínia que datam de décadas, até séculos. Eles não são, como sugerido, meros estratagemas para fins de marketing. Em tempos pioneiros, essas trilhas ou caminhos não tinham sinalização de trânsito. Não havia marcadores de rota como os que vemos nas rodovias interestaduais de hoje. Às vezes, o nome dado a uma estrada dependia da direção para a qual se dirigia. Os viajantes que vão do nordeste para as grandes cidades se referem ao caminho como Philadelphia Road ou Baltimore Road. Ao rumo ao sudoeste, eles diriam que estavam a caminho do deserto ou a caminho de Kentuck. Com o tempo, ficou mais fácil simplesmente se referir a todo o trecho como Estrada do Deserto.

Park Rouse Jr. em seu livro, The Great Wagon Road from Philadelphia to the South (1992), mostra a Wilderness Road se separando da grande Philadelphia Wagon Road na atual Roanoke, com a estrada de vagões indo para o sul nas Carolinas e no Wilderness Road continua para oeste.
O livro de Gene Crotty, The Visits of Lewis and Clark to Fincastle Virginia (2003), refere-se à jornada pós-expedição desses famosos exploradores no outono de 1806 como uma viagem pela “Wilderness Trail from the Cumberland Gap através do sudoeste da Virgínia. A rota levou a Amsterdã [perto da atual Buchanan] antes de entrar na Great Valley Road para a Filadélfia. ”

Quase cinquenta anos atrás, Charles Crush, escrevendo a história do Condado de Montgomery, referiu-se ao caminho histórico através de Christiansburg quando descreveu a pavimentação ou McAdamizing da "velha Estrada Selvagem" em 1850. Daniel Howe escreveu a história de Lovely Mount Tavern, anteriormente localizado em Radford atual, e descreveu a rodovia bem movimentada nas proximidades como o único meio de viajar do Vale da Virgínia e do norte através do sudoeste da Virgínia. Ele prossegue dizendo que “carros de boi e carroças cobertas a desenvolveram ainda mais e ela se tornou a Estrada do Deserto”.

Em meu livro, Wilderness Road Odyssey (2003), começo o primeiro capítulo reconhecendo alguns dos vários nomes que foram aplicados a partes desta rota histórica: “a Grande Estrada, a Estrada de Vagão da Filadélfia, o Vale Pike, o Longo Gray Road e a Wilderness Trail. Meu interesse total na época era seguir o mais próximo possível a rota original descrita por John Filson em seu livro The Discovery, Settlement and Present State of Kentucke (1784). Este manuscrito está esgotado há muito tempo, mas Thomas Speed ​​descreve a rota de Filson nas páginas 16 e 17 de seu livro, The Wilderness Road (1971), como indo "da Filadélfia pelo vale da Virgínia e Cumberland Gap, e ... o interior partes de Kentucky às Cataratas do Ohio. ” uma distância total de 826 milhas. O itinerário de Filson menciona especificamente lugares identificáveis ​​na Virgínia, incluindo Winchester, Woodstock, Staunton, Roanoke, New River, Fort Chissel [Chiswell] e outros pontos a oeste, incluindo Blockhouse e Cumberland Mountain.

Mais importante do que o nome deste caminho percorrido é o fato de que se tornou, na segunda metade de 1700, a principal rota de migração para o oeste para dezenas de milhares de colonos que buscavam aquela terra faire de Kentucke. Ele precedeu as rotas comerciais e caminhos de migração bem conhecidos no oeste, ou seja, a Trilha de Santa Fé, a Trilha do Oregon e a Trilha Mórmon. É importante preservar essa história e dar a ela uma identidade exemplificada pelo Wilderness Road Regional Museum em Newbern, o Wilderness Road State Park perto de Ewing e vários fortes e vestígios restaurados em Kentucky.

Na Virgínia, há atualmente um esforço em andamento para obter o reconhecimento estadual da rota de migração da Wilderness Road e torná-la uma trilha histórica designada em mapas estaduais e brochuras turísticas. Alguns podem ver isso como exploração e um meio de atrair visitantes para ganho econômico. Isso é exatamente o que é e faz todo o sentido. Quando os viajantes vierem para a região, como muitos sem dúvida farão durante o centenário de Jamestown Quadra na Virgínia, as comunidades ao longo deste caminho histórico terão a oportunidade de interpretar, educar e entreter da maneira mais positiva.


Wilderness Road

A Wilderness Road serviu como a rota principal das colônias da costa leste para as terras interiores drenadas pelo rio Ohio. A configuração da Wilderness Road pode ser descrita como um amplo circuito aberto ao norte. Sua perna oriental começa na Virgínia perto do rio Potomac, se estende pelo vale do Shenandoah até Staunton e depois até o rio Holston, continuando até Long Island (Kingsport). A base sul do circuito se estende para oeste até Cumberland Gap e, finalmente, oscila para o norte até as quedas de Ohio em Louisville, Kentucky. Historicamente, o segmento mais conhecido da estrada ia de Long Island de Holston à área de Bluegrass, no centro-norte do Kentucky, passando por Cumberland Gap.

Antes do tráfego comercial e de colonos, os rebanhos migratórios de bisões em busca dos numerosos salgados que pontilhavam o Kentucky e a Virgínia traçavam um traço bem definido, e os nativos americanos viajando entre aldeias e áreas de caça percorriam fortemente a rota. Os viajantes podiam seguir esses rastros em estradas que se estendiam de perto de Roanoke, na Virgínia, até o centro de Illinois. O mais importante entre as rotas indianas no leste dos Estados Unidos era o Caminho dos Guerreiros, que serpenteava para o sul através do Gap, conectando o Vale do Ohio com os rios Shenandoah e Potomac. Ramos da estrada continuaram para sudeste até os assentamentos Cherokee e Creek. Daniel Boone viajou ao longo da estrada em 1769, retornando em 1775 para marcá-la para o especulador de terras Richard Henderson. Vestígios dessa estrada primitiva, também conhecida como Lower Virginia Road, Upper Virginia Road e Kentucky State Road, ainda são visíveis.

The Wilderness Road brought travelers, skilled craftsmen, and “outside” ideas into areas across the Appalachian Mountains. Demand for improvements became a constant complaint as settlers and commercial traffic increased following the American Revolution. The route was the most direct and easiest path from the lower Ohio Valley to Philadelphia until the opening of the Erie Canal and roads across the mid-Atlantic states during the 1830s. Livestock drovers from Kentucky followed the road and its branches into the southeastern states. After 1834 a stage from Bean Station to Lexington, Kentucky, operated three times a week over the Wilderness Road, carrying freight, mail, and passengers. During the Civil War, many defensive positions imprinted the landscape, though General Ulysses Grant dismissed the road as useless for military purposes.

A semblance of order returned after the war, and modern roads began to cover the Wilderness Road by the turn of the twentieth century. Subsequently, an Object Lesson Road, then state and federal highways replaced the Wilderness Road. Efforts to locate the historic road using modern remote sensory techniques and historic accounts by travelers continue, however. The most ambitious attempt, at Cumberland Gap National Historical Park, will restore a portion of the Wilderness Road through Cumberland Gap to its 1780-1810 appearance, including vegetation along the route. The restoration project follows the construction of twin tunnels through the mountains, connecting Kentucky, Virginia, and Tennessee.


Wilderness Road

The great emigrant trail leading from southwestern Virginia through the Cumberland Gap into central Kentucky was known as the Wilderness Road. The trail was first marked by Daniel Boone in March, 1775, and for this reason was often called Boone's Trace. As early as 1769, Boone had penetrated into the Kentucky country for hunting and exploration and in the following years he became thoroughly familiar with the region beyond the mountains. In 1775, Col. Richard Henderson, who had just purchased a great tract of land in Kentucky for his Transylvania Company, employed Boone to lead a party of settlers to the Kentucky River. The route followed was an extension of the Virginia Path which led from Pennsylvania through the Shenandoah valley into the Carolinas. Previously a branch had led from the Virginia Path near present-day Wytheville, Virginia, southwest to the Watauga settlement in Eastern Kentucky. From Fort Watauga Boone blazed a trail west along the Virginia-Tennesse boundary through the Cumberland Gap, then north about 50 miles along the Warriors path -- a trail through eastern Kentucky over which traveled war parties in conflicts betwen the northern and southern Indian tribes -- and then west along a buffalo trace to Rockcastle River , up Roundstone Creek, through the gap in Big Hill, and down Otter Creekto the site on the Kentucky River where the outpost of Boonesboro was constructed.

At first this trail was little more than a footpath, but in 1779 the Virginia legislature passed an act providing for the improvement of the Wilderness Road in order to prevent the western settlements from falling under British influence. Yet little was done to improve the road until after Kentucky became a state in 1792. Some improvements were authorized in 1795 and 1797. Even so, the route was little more than a pack road until 1818 when steps were taken to widen and improve it. It was one of the two great emigrant routes to the West, the other being the Ohio River. US Highway 25 was laid out along the route of the Wilderness Road.


Conteúdo

The Cumberland Gap is one of many passes in the Appalachian Mountains but the only one in the continuous Cumberland Mountain ridgeline. [2] It lies within Cumberland Gap National Historical Park and is located on the border of present-day Kentucky and Virginia, approximately 0.25 miles (0.40 km) northeast of the tri-state marker with Tennessee. [3]

The V-shaped gap serves as a gateway to the west. The base of the gap is about 300 feet (91 m) above the valley floor, even though the north side of the pass was lowered 20 feet (6.1 m) during the construction of Old U.S. Route 25E. To the south, the ridge rises 600 feet (180 m) above the pass, while to the north the Pinnacle Overlook towers 900 feet (270 m) above (elevation 2,505 feet (764 m)). [3]

Because it is centrally located in the United States, the region around Cumberland Gap experiences all four seasons. The summers are typically sunny, warm, and humid with average high temperatures in the mid to upper 80s F (29-32C). In the winter months, January through March, temperatures range in the 30s to 40s F (0s C) and are generally mild with rain and few periods of snow. [4]

The nearest cities are Middlesboro, Kentucky, and Harrogate, Tennessee. The nearby town of Cumberland Gap, in Tennessee, is named after the gap.

The gap was formed by the development of three major structural features: the Pine Mountain Thrust Sheet, the Middlesboro Syncline, and the Rocky Face Fault. Lateral compressive forces of sedimentary rocks from deep layers of the Earth's crust pushing upward 320 to 200 million years ago created the thrust sheet. Resistance on the fault from the opposing Cumberland Mountain to Pine Mountain caused the U-shaped structure of the Middlesboro Syncline. The once flat-lying sedimentary rocks were deformed roughly 40 degrees northwest. Further constriction to the northwest of Cumberland Mountain developed into a fault trending north-to-south called the Rocky Face Fault, which eventually cut through Cumberland Mountain. This combination of natural geological processes created ideal conditions for weathering and erosion of the rocks. [2]

The discovery of the Middlesboro impact structure has proposed new details in the formation of Cumberland Gap. Less than 300 million years ago a meteorite, "approximately the size of a football field", struck the earth, creating the Middlesboro Crater. [2] One of three astroblemes in the state, it is a 3.7-mile (6.0 km) diameter meteorite impact crater [5] with the city of Middlesboro, Kentucky built entirely inside it. [6] Detailed mapping by geologists in the 1960s led many to interpret the geological features of the area to be the site of an ancient impact. [2] In 1966 Robert Dietz discovered shatter cones in nearby sandstone, proving recent speculation. Shatter cones, a rock-shattering pattern naturally formed only during impact events, are found in abundance in the area. The presence of shatter cones found also helped confirm the origin of the impact. In September 2003, the site was designated a Distinguished Geologic Site by the Kentucky Society of Professional Geologists. [5]

Without the Rocky Face Fault, it would have been difficult for pack-horses to navigate this gap and the gap in Pine Mountain near Pineville, and it would be improbable that wagon roads would have been constructed at an early date. Middlesboro is the only place in the world where coal is mined inside an astrobleme. Special mining techniques must be used in the complicated strata of this crater. [7]

The passage created by Cumberland Gap was well traveled by Native Americans long before the arrival of European-American settlers. The passage through the gap was originally created by herds of woodland buffalo that traveled across it over thousands of years, drawn by the abundance of salt in the region. The earliest written account of Cumberland Gap dates to the 1670s, by Abraham Wood of Virginia. [8] Some time before 1748 Samuel Stalnaker is believed to have passed through the gap while exploring the region. [9]

The gap was named for Prince William, Duke of Cumberland, son of King George II of Great Britain, who had many places named for him in the American colonies after the Battle of Culloden. [10] The explorer Thomas Walker gave the name to the Cumberland River in 1750, and the name soon spread to many other features in the region, such as the Cumberland Gap. In 1769 Joseph Martin built a fort nearby at present-day Rose Hill, Virginia, on behalf of Walker's land claimants. But Martin and his men were chased out of the area by Native Americans, and Martin did not return until 1775. [11]

In 1775 Daniel Boone, hired by the Transylvania Company, arrived in the region leading a company of men to widen the path through the gap to make settlement of Kentucky and Tennessee easier. On his arrival, Boone discovered that Martin had already arrived in Powell Valley, where Martin and his men were clearing land for their own settlement – the westernmost settlement in English colonial America at the time. [12] By the 1790s, the trail that Boone and his men built had been widened to accommodate wagon traffic and became known as the Wilderness Road.

Several American Civil War engagements occurred in and around the Cumberland Gap and are known as the Battle of the Cumberland Gap. In June 1862, Union Army General George W. Morgan captured the gap for the Union. In September of that year, Confederate States Army forces under Edmund Kirby Smith occupied the gap during General Braxton Bragg's Kentucky Invasion. The following year, in a bloodless engagement in September 1863, Union Army troops under General Ambrose Burnside forced the surrender of 2,300 Confederates defending the gap, gaining Union control of the gap for the remainder of the war.

It is estimated that between 200,000 and 300,000 European-American settlers passed through the gap on their way into Kentucky and the Ohio Valley before 1810. Today 18,000 cars pass beneath the site daily, and 1.2 million people visit the park on the site annually. The park features many hiking trails. [13]

U.S. Route 25E passed overland through the gap before the completion of the Cumberland Gap Tunnel in 1996. The original trail was then restored. [14]

Historic district Edit

The gap and associated historic resources were listed on the National Register of Historic Places as a historic district on May 28, 1980. [15]

Flora Edit

Within the Cumberland Gap National Historical Park there are currently 855 known species of vascular plants identified, but that number is expected to increase with reports from National Park Service inventory and monitoring programs. There are 15 various vegetation communities throughout the park, with some of them in special locations, such as mountain bogs, low-elevation wetlands, and rocky bluffs. [16]

Fauna Edit

Of the 371 species of animals listed so far within the park, 33 are mammals, 89 are birds, 29 amphibians, 15 reptiles, 27 fish, and 187 are insects, however many others remain to be included. Visitors to the park can expect to see gray squirrels, white-tailed deer, cottontail rabbits, songbirds, hawks, snakes, turtles, and perhaps black bear or bobcat. [17] Over 120 species of birds have been logged in the park on the website eBird. [18]


Sites

Homeplace Mountain Farm and Museum

Rt. 224, Gate City, Virginia

Scott County was formed by an act of the General Assembly on November 24, 1814, from parts of Washington, Lee, and Russell Counties, and was named for General Winfield Scott. This living history museum depicts an 1840s farmstead in the mountains of Southwest Virginia. The collection of authentic structures and artifacts has been assembled here from their original locations throughout Scott County.

Moccasin Gap

Route 58 between Weber City and Gate City, Virginia

Before Europeans improved it as the road to Kentucky, the main trail connecting the Cherokee Indians in the Great Smoky Mountains with the Shawnee in Ohio ran through Moccasin Gap on its way to Cumberland Gap. Settlers started coming through Moccasin Gap toward Kentucky in spite of the 1770 Treaty of Lochaber, causing the Shawnee to start Lord Dunmore’s War in 1774. During the Cherokee Wars from 1777 to 1794, settlers were often ambushed at Moccasin Gap.

Natural Tunnel State Park/Wilderness Road Blockhouse

1420 Natural Tunnel Parkway, Duffield, Virginia

Natural Tunnel State Park is named after the one-million-year-old cave which runs under Purchase Ridge, allowing Stock Creek to go in one side and out the other. A railroad has taken advantage of this natural passage to follow the path of the creek, and daily coal trains can be seen roaring through the tunnel. The Wilderness Road Blockhouse erected at Natural Tunnel State Park in 2003 is typical of the blockhouses that were manned by the Holston Militia during the frontier conflict between the Indians and settlers.

Kane Gap (Daniel Boone Birding and Wildlife Trail)

Fraley Avenue, Duffield, Virginia

This natural notch was a welcome sight to travelers on the Wilderness Trail. It was through this gap that countless thousands trudged as they made their way westward. The notch can be seen from the Powell Mountain Overlook west of Duffield on Rte 58, or visitors can climb to the gap along the Daniel Boone Trail, a section of the Virginia Birding and Wildlife Trail. The trail also gives access to Ruffed Grouse breeding grounds, sightings of wintering shorebirds and views of the yearly hawk migrations.

Lee County Historical Society (Old Friendship Baptist Church)

554 Old Friendship Road, Jonesville, Virginia

The Town of Glade Spring was laid out in 1794. The Lee County Historical Society promotes the study and preservation of the history of Lee County. Located in the Old Friendship Baptist Church Building approximately 4 miles west of the county seat at Jonesville, the society’s records can be used by appointment. The nearby Jonesville Methodist Campground was established in 1810 for outdoor revival meetings. Campgrounds were founded across the region as part of a widespread growth in religious fervor. The well-preserved auditorium was opened in 1828.

Wilderness Road State Park/Martin’s Station Living History Park

8051 Wilderness Road, Ewing, Virginia

A tract in the Powell Valley was originally settled by Joseph Martin, who arrived in March of 1769 after a difficult journey to claim 21,000 acres as the first settler on land granted to the Loyal Land Company. Boone found Martin already in place at his station when he made the trip into Kentucky in the spring of 1775. Wilderness Road State Park features a reconstruction of Martin’s Station and a visitor center located in the 1877 Ely House.

Cumberland Gap National Historical Park/Daniel Boone Visitor Center/White Rocks Overlook

91 Bartlett Park Road, Middlesboro, Kentucky

Cumberland Gap was the only easily accessible pass through the Alleghany Mountains. Prior to 1750, it was used by Indians moving from area to area in trading, hunting, or war parties. Daniel Boone was commissioned to open a trail through the gap, known as “Boone’ s Trace.” During the 1790s a mass of immigrants passed through Cumberland Gap at the rate of nearly 100 per day, looking for available land in the west. The Daniel Boone Visitor Center houses a museum, interpretive films, and handmade crafts from the region.

Copyright 2015 Wilderness Road: Virginia's Heritage Migration Route. Todos os direitos reservados.
Entre em contato conosco


CUMBERLAND GAP

Cumberland Gap National Historical Park is your final stop on this westward expedition along famed Wilderness Road. But first, plan for a short hike along the Tri-State Peak Trail. This forested hike leads to a tripoint with views of Kentucky, Virginia and Tennessee. Along the way, stop to read placards, like “A Hard Road for a New Life,” for a glimpse into the challenges early settlers faced on the road west.

Photo Credit: Keith Lanpher

About mid-way through the hike, you’ll see a pyramid-shaped marker celebrating Daniel Boone’s Trail. This was placed by the Tennessee Daughters of the American Revolution to commemorate his painstaking work to forge a historic west-opening path. Post-hike, drive to the park’s visitor center for historic exhibits and artifacts.

Photo Credit: Joshua Moore, IG account: @jtm71

A four-mile drive along Skyland Road at Cumberland Gap National Historical Park leads to Pinnacle Overlook. Here you’ll be astounded by beyond breathtaking views of Kentucky, Virginia and Tennessee. Close your eyes and imagine the masses of immigrants traveling west in search of available land and improved lives.

There’s more to Cumberland Gap than a westward migration path and it lies beneath the earth’s surface at Gap Cave. In the visitor center, sign up for a two-hour ranger-led exploration of this majestic underground cavern brimming with dazzling stalagmites and stalactites. Keep your eyes open for small bats fluttering across the four levels of this cave.

Photo Credit: Tim Cox

Before Daniel Boone, before the mighty buffalo even, the first route across Cumberland Gap was by way of the Native American-created “Warrior’s Path.” This route was used by Daniel Boone as part of his explorations beyond the mountains prior to 1770.


Assista o vídeo: Daniel Boones Wilderness Road (Outubro 2021).