Notícia

O que matou Harry Houdini?

O que matou Harry Houdini?

Por mais de 30 anos, Harry Houdini deslumbrou o público com suas façanhas de bravura e resistência sobre-humana. O artista de escape húngaro pulou de pontes enquanto algemado e usando ferros nas pernas, escorregou para fora de latas de leite lacradas cheias de água e criou uma “Célula de Tortura da Água Chinesa” na qual foi submerso e suspenso de cabeça para baixo pelos tornozelos. As fugas de tirar o fôlego geralmente envolviam uma boa dose de trapaça e prestidigitação, mas também eram repletas de riscos genuínos. Em 1915, Houdini quase sufocou durante uma manobra em que foi algemado e enterrado sob um metro e oitenta de terra.

Houdini fizera carreira sobrevivendo ao impossível, o que apenas tornou as circunstâncias de sua morte em 1926 ainda mais misteriosas. O cantor de 52 anos se apresentou diante de uma casa lotada em Detroit no dia 24 de outubro, mas foi levado às pressas para o hospital com um aparente caso de apendicite. Ele morreu apenas uma semana depois no Halloween, deixando sua legião de admiradores perplexos. Um obituário no New York Times expressou choque com o súbito falecimento do homem "que tantas vezes pareceu a milhares estar traindo as próprias mandíbulas da morte".

A estranha série de eventos que levou à morte de Houdini começou várias semanas antes, em 11 de outubro de 1926. Enquanto estava algemado em sua Cela de Tortura da Água Chinesa durante uma apresentação em Albany, Nova York, o mágico foi atingido na perna por um pedaço de equipamento defeituoso. Ele mancou pelo resto do show, mas mais tarde foi descoberto que havia fraturado o tornozelo esquerdo.

Contra as ordens dos médicos, Houdini continuou sua viagem e viajou para Montreal, onde deu uma palestra na Universidade McGill. Poucos dias depois, em 22 de outubro, ele convidou alguns alunos de McGill para visitá-lo em seu camarim no Princess Theatre. O tornozelo dolorido do mago ainda o incomodava, então ele se jogou em um sofá enquanto o grupo conversava. Em algum momento, um estudante chamado J. Gordon Whitehead chegou e perguntou a Houdini se era verdade que ele podia resistir a socos fortes em seu abdômen - uma afirmação que o mágico supostamente havia feito em público. De acordo com a testemunha Sam Smilovitz, quando Houdini disse que os rumores eram verdadeiros, Whitehead desferiu abruptamente “quatro ou cinco golpes terrivelmente fortes, deliberados e bem dirigidos” em seu estômago. Houdini ainda estava reclinado no sofá e não teve tempo de se preparar para os socos, que pareceram deixá-lo com uma dor considerável.

Houdini ignorou o incidente na época, mas naquela mesma noite, ele começou a reclamar de desconforto e cólicas estomacais. Sua condição só piorou no dia seguinte, quando ele embarcou em um trem noturno para Detroit para uma nova série de apresentações. O mago desenvolveu fortes dores abdominais, suores frios e fadiga, e sua temperatura subiu para 40 graus. Um médico suspeitou de apendicite e instruiu Houdini a ir a um hospital, mas o artista insistiu em subir ao palco para seu show na noite de estreia no Garrick Theatre. Ele começou a lutar por sua rotina antes de desabar imediatamente após a cortina final.

O show seria o último de Houdini. Naquela mesma noite, ele foi levado a um hospital de Detroit e preparado para uma cirurgia. Os médicos removeram com sucesso seu apêndice, que se descobriu ter rompido vários dias antes, mas já havia envenenado suas entranhas. Apesar de um prognóstico sombrio, o mago agarrou-se à vida até 31 de outubro, quando morreu com sua esposa Bess e seus dois irmãos ao seu lado.

A causa oficial da morte de Houdini foi listada como peritonite causada por um apêndice rompido. Na época, os médicos do mágico acreditavam firmemente que a doença era o resultado da surra que J. Gordon Whitehead lhe dera durante o encontro nos bastidores em Montreal. Esses casos de “apendicite traumática” são extraordinariamente raros - um estudo encontrou apenas algumas dezenas de casos em um período de quase 20 anos - mas em 1926, o diagnóstico foi amplamente aceito. A seguradora de vida de Houdini foi até forçada a pagar a sua esposa uma indenização dupla por morte acidental.

Houdini foi enterrado no Queens em 4 de novembro de 1926, mas rumores sobre sua morte incomum persistem desde então. Muitas das teorias tendem a se concentrar na relação contenciosa do mago com o Espiritismo, uma pseudo-religião cujos adeptos uma vez alegaram que era possível se comunicar com os mortos por meio de sessões espíritas e médiuns. Houdini, um cético nato, passou grande parte da década de 1920 em uma missão para desmascarar as afirmações dos espíritas e expor seus principais médiuns como fraudes. A cruzada rendeu-lhe vários milhões de dólares em ações judiciais e mais do que alguns inimigos, mas no momento de sua morte, ele não deu mostras de desistir. Poucos meses antes, ele havia testemunhado perante o Congresso em apoio a um projeto de lei que proibia a leitura da sorte em Washington, D.C.

A intromissão de Houdini poderia tê-lo matado? Em sua biografia de 2006, "The Secret Life of Houdini", os autores William Kalush e Larry Sloman afirmam que a morte do mago pode ter sido um assassinato cuidadosamente planejado por membros da comunidade espiritualista. “Se alguém suspeitar que Houdini foi vítima de crime”, eles escrevem, “então a seção do crime organizado composta por médiuns espíritas fraudulentos deve ser considerada provável suspeita”. Kalush e Sloman argumentam que os espíritas tinham um histórico de envenenamento de seus inimigos e observam que nenhuma autópsia foi realizada para confirmar que a morte de Houdini foi realmente causada por apendicite. “Se alguém estivesse decidido a envenenar Houdini, não teria sido muito difícil”, concluem.

Um debate considerável também se concentrou em J. Gordon Whitehead, o aluno de McGill que supostamente deu os socos no estômago potencialmente fatais no camarim de Houdini em Montreal. No livro de 2005 “The Man Who Killed Houdini”, o autor Don Bell sugeriu a teoria de que Whitehead pode ter se aliado aos espíritas, alguns dos quais já haviam ameaçado matar Houdini ou espancá-lo. Bell concluiu que não havia evidências suficientes para conectar Whitehead a qualquer tipo de conspiração criminosa, mas outros argumentaram que ele era um agente inimigo que perseguiu Houdini durante o tempo do mágico em Montreal.

A verdadeira causa da morte de Houdini pode nunca ser conhecida com certeza, mas a maioria dos estudiosos tende a rejeitar as teorias de assassinato como mera especulação. Para eles, a questão mais urgente é se o apêndice rompido de Houdini teve alguma conexão com os golpes no estômago que recebeu alguns dias antes. Embora as evidências mostrem que tal condição é de fato possível, muitos consideram mais provável que os socos de Whitehead simplesmente tenham feito Houdini ignorar um caso já existente de apendicite. Quando o mago finalmente procurou tratamento, diz a teoria, já era tarde demais.

Curiosamente, talvez a fonte mais procurada de informações sobre a morte de Houdini seja ninguém menos que o próprio Houdini. No que foi seu teste final das afirmações dos espíritas, o mago prometeu a sua esposa Bess que tentaria se comunicar com ela do além-túmulo. Bess passou a realizar uma "sessão espírita de Houdini" anual por dez anos antes de finalmente abandonar a busca em 1936. Fãs e companheiros mágicos desde então fizeram da sessão espírita uma tradição de Halloween, mas até agora, o grande fantasma de Houdini se recusou a falar.


Palestra: Quem matou Harry Houdini?

Como editor em Crawdaddy !, e para cumprir as diretrizes do COI, não estou postando o link para esta avaliação de I'm From Barcelona's Quem matou Harry Houdini?. No entanto, gostaria de recomendá-lo por seus méritos e espero que um editor encontre tempo para examinar a revisão e - se ele ou ela achar adequado - publicá-la na seção de revisões profissionais. Eu aprecio seu tempo. Crawdaddy! (favorável) [1]
Mike harkin () 21:02, 16 de outubro de 2008 (UTC)

Acabei de modificar um link externo em Who Killed Harry Houdini ?. Por favor, reserve um momento para revisar minha edição. Se você tiver alguma dúvida ou precisar que o bot ignore os links ou a página, visite este FaQ simples para obter informações adicionais. Fiz as seguintes alterações:

Quando terminar de revisar minhas alterações, defina o verificado parâmetro abaixo para verdade ou fracassado para que os outros saibam (documentação em <> ).

Desde fevereiro de 2018, as seções da página de discussão "Links externos modificados" não são mais geradas ou monitoradas por InternetArchiveBot . Nenhuma ação especial é necessária em relação a esses avisos da página de discussão, além da verificação regular usando as instruções da ferramenta de arquivo abaixo. Os editores têm permissão para deletar essas seções da página de discussão "Links externos modificados" se quiserem desorganizar as páginas de discussão, mas consulte o RfC antes de fazer remoções sistemáticas em massa. Esta mensagem é atualizada dinamicamente através do template <> (última atualização: 15 de julho de 2018).


Golpes corporais

Em 1926, aos 52 anos, Harry Houdini estava no topo de seu jogo.

Ele viajou pelo país no início do ano, realizando fugas e desfrutando de sua fama de décadas. Mas quando ele voltou a fazer turnê naquele outono, tudo parecia dar errado.

Em 11 de outubro, Houdini quebrou o tornozelo enquanto executava o truque de fuga da célula de tortura da água em Albany, Nova York. Ele conseguiu passar pelas próximas várias aparições contra as ordens do médico e depois viajou para Montreal. Lá ele fez aparições no Princess Theatre e deu uma palestra sobre fraude espiritual na Universidade McGill.

Wikimedia Commons Houdini se prepara para escapar das algemas - e de uma caixa jogada ao mar de um navio - em 1912.

Após a palestra, ele conversou com alunos e professores, entre eles Samuel J. & # 8220Smiley & # 8221 Smilovitch, que fez um esboço do famoso mágico. Houdini ficou tão impressionado com o desenho que convidou Smilovitch para ir ao Princess Theatre na sexta-feira, 22 de outubro, para fazer um retrato de verdade.

No dia marcado, às 11 horas, Smilovitch veio visitar Houdini com um amigo, Jack Price. Mais tarde, juntou-se a eles uma aluna caloura chamada Jocelyn Gordon Whitehead.

Enquanto Smilovitch desenhava Houdini, Whitehead conversava com o mágico. Depois de alguma conversa sobre a força física de Houdini e # 8217, Whitehead perguntou se era verdade que ele poderia suportar até o mais forte soco no estômago. Jack Price então lembrou o seguinte, conforme registrado no livro de Ruth Brandon & # 8217s, A vida e muitas mortes de Harry Houdini:

& # 8220Houdini observou, sem entusiasmo, que seu estômago poderia resistir muito & # 8230. Então ele [Whitehead] deu a Houdini alguns golpes bem parecidos com um martelo abaixo da cintura, primeiro garantindo a permissão de Houdini & # 8217s para golpeá-lo. Houdini estava reclinado no momento com seu lado direito próximo a Whitehead, e o referido aluno estava mais ou menos curvado sobre ele. & # 8221

Whitehead golpeou pelo menos quatro vezes até que Houdini gesticulou para que ele parasse no meio de um soco. Price lembrou que Houdini, & # 8220 parecia estar sentindo uma dor extrema e estremecia a cada golpe desferido. & # 8221

Houdini disse que não achava que Whitehead atacaria tão repentinamente, caso contrário, ele estaria mais bem preparado.

À noite, Houdini estava sofrendo uma dor tremenda no abdômen.

Biblioteca do Congresso Um dos truques de Harry Houdini & # 8217s foi escapar de uma lata de leite.


WILD SOBRE HARRY

Esta é a única foto conhecida de Jocelyn Gordon Whitehead, a estudante da Universidade McGill que deu um soco em Houdini em seu camarim no Princess Theatre em Montreal em 22 de outubro de 1926. Os golpes de Whitehead começaram, contribuíram ou encobriram (muito debate sobre isso) a apendicite que tiraria a vida de Houdini nove dias depois, no Halloween.

Esta foto vem de O homem que matou Houdini por Don Bell, uma leitura OBRIGATÓRIA para todos os interessados ​​nos eventos de 22/10/26. Mostra Whitehead na Rodick's Bookstore em Montreal por volta de 1950. Bell diz que Whitehead tinha 31 anos quando deu os golpes, então isso o colocaria em seus 50 anos aqui.

É meio irônico que Whitehead esteja segurando um livro aqui. Devolver um livro emprestado foi como ele conseguiu entrar no camarim de Houdini naquele dia fatídico. Ele também foi acusado de roubar livros em lojas duas vezes em 1928.

De acordo com Bell, o problemático Whitehead morreu recluso e colecionador em 1954. Ele está enterrado em um terreno não identificado no cemitério Hawthorn-Dale em Montreal, Canadá.

Agradecimentos a Dorothy Dietrich e Dick Brookz do Museu Houdini em Scranton por esta imagem digitalizada.

32 comentários:

Seu túmulo não marcado em & quotFind A Grave & quot: http://www.findagrave.com/cgi-bin/fg.cgi?GRid=11432883&page=gr

COMO VOCÊ SABE QUE ESTE É WHITEHEAD SE A SEPULTURA NÃO ESTÁ MARCADA?

Os cemitérios mantêm registros de quem está enterrado em cada parcela. Às vezes ocorre que uma sepultura não está marcada. Uma lápide é uma despesa que alguns não podem pagar. Ed Saint também não tem marcador, como descobrimos há algum tempo.

Whitehead foi multado por socar Houdini?

Não. Nunca houve nenhuma acusação por nada contra ele. Foi considerado um acidente.

Interessante. Obrigado, Joe. Engraçado eles o chamam de boxeador. Ele não era. Isso é parte do mito. Bell e Smiley dizem que ele era um estudante de divindade.

Você sabe, quando ele morreu em & # 3954, eu me pergunto se ele já saiu sorrateiramente noite adentro para ver o filme de Tony Curtis Houdini? Em caso afirmativo, que pensamentos devem ter passado por sua mente?

Bem, se estamos distribuindo sites para o túmulo de Whiteheads, clique aqui http://deadconjurers.blogspot.com/2011/01/j-gordon-whitehead-man-who-killed.html
Este é o meu site Dead Conjurers. Curiosamente, o túmulo de Whitehead recebeu mais acertos do que todos os túmulos de mágicos juntos, até mesmo o de Houdini.

Obrigado Dean. Eu tinha esquecido que você postou no ano passado. Eu criei um link para ele em minha postagem.

O que é um nada desconhecido como Whitehead fazendo com livros emprestados de uma das pessoas mais famosas do mundo? Existe alguma informação sobre como esses dois se conheceram e como ele pegou os livros emprestados de Houdini? Parece estranho que HH conhecesse esse cara bem o suficiente para deixá-lo pegar livros emprestados!

Você sabe por que ninguém respondeu isso? Quem está perguntando?
Postagens anônimas não pertencem a um site como este.

Oh, eu não me importo com comentários anônimos. Algumas pessoas ainda estão assustadas com a possibilidade de colocar seus nomes online.

Eu me perguntei sobre o (s) livro (s). Whitehead e Houdini se conheceram antes? É apenas um dos mistérios pendentes.

Patrick precisa relaxar. Por que alguém se importaria se alguém fosse chamado de anônimo, Bill, Tom ou qualquer outra coisa? Não tenho problemas em colocar meu nome aqui, mas nunca pensei que fosse necessário. Estamos falando de incidentes que ocorreram há quase 90 ou mais anos, não dos segredos da CIA! Muitos responderam às minhas postagens, incluindo você no passado. Qualquer forma. eles devem ter se encontrado antes do camarim de Houdinis se ele estava devolvendo os livros para ele. Em outro assunto, minha esposa é enfermeira há muitos anos e a ideia de socos no intestino causando um apêndice eventualmente infectado e rompido é uma possibilidade real. Ela disse que vários médicos com quem trabalha haviam visto esse tipo de doença ao longo dos anos.

Um pequeno comentário sobre a primeira linha & quotthe a única foto conhecida de J.Gordon Whitehead & quot. John, você realmente recebeu um post mais antigo sobre Whitehead e uma foto que estava na capa de algum tipo de programa. Então, talvez a foto aqui seja a última foto conhecida de Whitehead. http://www.wildabouthoudini.com/2011/02/j-gordon-whitehead-takes-stage.html

Oh, isso não é Whitehead. É um livro de ficção com apenas uma foto de um cara. Um substituto de Whitehead.

Eu sou um parente muito distante de Whitehead e não vejo nenhuma semelhança com qualquer pessoa branca na família nesta foto.
john williams

Você está ciente, & quotJohn Williams & quot, de que as características mudam ao longo das gerações, sim? Meu irmão, por exemplo, não se parece em nada com nosso pai, ele é uma cara de mamãe.

A única maneira de você ver a semelhança, já que você diz parente distante, com suas espinhas e esta espinha é se eles mantiveram o casamento "muito próximo", como no casamento de seus primos. Dado que Whitehead era obviamente um covarde, eu não ficaria surpreso se incesto acontecesse lá.

imagine como ele deve ter se sentido, não estou dizendo que não o culpo, mas depois do incidente ele simplesmente desapareceu. Então, quando ele morreu, seu túmulo não estava marcado e agora está apenas coberto de grama: /

Whitehead supostamente perguntou a Houdini se era verdade que ele poderia levar um soco no estômago sem ferimentos, então descarregou uma saraivada de golpes na barriga do mágico. Por que ele fez essa pergunta em particular? Acho muito curioso que um homem que aparentemente conhecia Houdini bem o suficiente para pedir sua propriedade pessoal, ou seja, livros dele, também não soubesse sobre a famosa capacidade de Houdini de resistir a golpes no estômago! Acho as ações de Whitehead altamente suspeitas. Todos nós já ouvimos a especulação de que Whitehead pode ter sido um assassino de aluguel enviado pelos médiuns que Houdini irritou. Talvez haja algo nisso, afinal!

Com todo o respeito, quem vai contratar um assassino que usa socos no estômago em vez de balas?

Vou presumir que você está sendo sarcástico em sua última frase, AmazingGordo.

Se você não estiver, sugiro um pensamento lógico. Se ele era um assassino, qual era o seu plano? Dê um soco no estômago de Houdini na esperança de:

a) agravar a condição de que, mesmo depois de tantos anos, as pessoas discutem se ele teve ou não

b) dar-lhe a condição de que, mesmo depois de tantos anos, as pessoas discutam se pode ou não ser dado dessa maneira

com a certeza de que, mesmo tendo sucesso, uma ida imediata ao hospital resolveria completamente o problema?

Você contrataria um assassino de aluguel que lhe desse essa garantia de sucesso? "Sim, posso dar um soco bem forte no estômago dele, para que ele possa ou não acabar com uma condição que, se não tratada, provavelmente, embora não definitivamente, o mate"?

Milbourne Christopher foi o primeiro a divulgar o nome de Whitehead como o agressor ou foi revelado em uma biografia anterior de Houdini? O livro de Christopher é a única biografia mais antiga que conheço a divulgar o nome. Muitos livros referem-se a ele apenas como um & quotAluno da Universidade McGill & quot.

Um artigo de revista de Sam Smiley revelou o nome de Whitehead em 1953.

Na verdade, o artigo na & quotWeekend Magazine & quot de 12 de setembro de 1953 foi escrito por Stanley Handman. Mas Smiley foi a fonte que revelou o nome de Whitehead em sua entrevista com Handman. Eu gostaria de ler esse artigo. Peça muito importante da história de Houdini.

Aqui está o artigo de 1953 da Weekend Magazine. Como só vi uma transcrição datilografada, só posso presumir que Handman deu sua coluna naquela semana para Smiley. Você reconhecerá as descrições usadas posteriormente por Christopher, Silverman e outros.
http://www.houdinisghost.com/smiley1953.html

Já faz um tempo, mas espero que alguém possa responder à minha pergunta: Whitehead foi processado / preso pela morte de Houdini?

Não. Ele foi deposto junto com os outros 2 meninos na sala no momento, mas foi considerado um acidente. Sem taxas.

Minha análise teológica a partir de uma visão de mundo abrangente:

Harry Houdini que era um mestre ilusionista e cuja principal área de especialização era escapar de uma miríade de armadilhas feitas pelo homem, amarras etc. a realidade é que ele não conseguiu escapar da morte. Harry Houdini não viveria para sempre, todo mundo morre e eu acredito que de qualquer maneira que ele morreu, as pessoas ainda esperariam que ele escapasse da morte e ficasse chateado com sua perda.

Pois sua persona era a de gerar admiração do povo por fugir quando parecia impossível, isso é comprovado pelo fato de que até hoje as pessoas ainda assistem às sessões espíritas para ver se ele escaparia daquele seu julgamento final. Mas lembre-se do que ele disse: & quotEstou cansado de lutar. & Quot

Agora, sobre sua morte. O homem aparentemente armou sua própria morte por meio de seu próprio orgulho. Ele se orgulhava de seus músculos abdominais, então desafiava as pessoas a socá-lo. Na verdade, acredito que ele desafiou Whitehead, não apenas por causa de relatos de testemunhas, mas por causa do fato de que ele fez um grande esforço para fazer parecer que os socos de Whitehead não o machucaram de verdade. Ele não cancelou o programa e não procurou atendimento médico imediatamente por medo de que, se fizesse isso, Whitehead descobriria que "ele o pegou" e então seu orgulho seria esvaziado e isso seria um corte em seu nome imaculado.

Deus planejou sua morte para que haja muita ironia. Acredito que, ao longo da história, Deus faz afirmações que aqueles que têm "cotações para ouvir" serão capazes de entender. O mestre da fuga. não morto por um mero soco, mas por uma armadilha que ele mesmo criou, da qual não conseguiu escapar por causa de seu próprio orgulho e ego inflado.

Agora. qual foi a verdadeira mensagem importante para o mundo. Pouco antes de receber seu golpe fatal, foi feita uma pergunta simples que a maioria das pessoas parece ignorar ou encobrir. Houdini foi questionado sobre o que ele pensava dos milagres da Bíblia. Ele respondeu de uma forma que implica que os milagres na Bíblia eram apenas truques bem executados que as pessoas no passado eram muito ignorantes para saber o que realmente estava acontecendo. Isso está de acordo com a visão de mundo de Houdini porque, embora ele fosse de ascendência judaica, ele não praticava o judaísmo, mas praticava a maçonaria livre. Ele era um incrédulo.

Portanto, o resumo é este. Harry Houdini não acreditava no evangelho ou na necessidade do homem escapar das algemas do pecado e da morte por meio de Cristo. O mestre em fuga não acreditava que precisava escapar da coisa mais importante da qual precisava escapar. Isso bate de frente com a mensagem de Deus para o mundo. Bem, todos nós sabemos como a história termina. Não cometa o mesmo erro.

Não me entenda mal. Como pessoa, Harry Houdini era realmente uma maravilha. Alguém extremamente habilidoso e digno de respeito. Também tenho certeza que se eu vivesse em sua época ficaria maravilhado se assistisse a um de seus programas, mas o fato é que o destino eterno de nossas almas é mais importante do que nosso entretenimento e Deus deixou isso claro por meio a história com mais freqüência do que não.

Na verdade, Houdini não respondeu à pergunta de Whitehead sobre os milagres na Bíblia. Ele acenou com a pergunta. Na verdade, no programa de Houdini, ele afirma especificamente que ele não responderá a perguntas sobre a Bíblia. Ele sabia que era uma isca espiritualista.

Muitas pessoas pensam que porque Houdini era um cético, ele devia ser ateu ou o que você chama de "descrente". Ele não era. Repetidamente ele expressou sua fé em Deus, mesmo sob juramento diante do Congresso. Sua referência à maçonaria é interessante porque Houdini realmente equiparou a crença em Deus como uma parte necessária de ser um maçom. Aqui estão duas citações exatas de seu testemunho no Congresso:

Houdini: & quot [Eu] acredito absolutamente na premonição, mas não no espiritualismo & # 8230.Eu acredito na mente subconsciente, no além, no Deus Todo-Poderoso. & Quot

Houdini: & quotMinha religião e minha crença no Todo-Poderoso foram atacadas. Disse ontem que acredito no Todo-Poderoso. Sempre acreditei e sempre acreditarei. Eu sou um maçom e você deve acreditar em Deus para ser um maçom. & Quot

Mas eu agradeço por você compartilhar sua visão de mundo sobre isso e como a vida e a morte de Houdini poderiam ter sido parte do plano de Deus. Isso não ressoa muito para mim. Ao contrário de Houdini, sou ateu. Mas pode ressoar para outras pessoas. Então, obrigada.


Bess Houdini

Wilhelmina Beatrice Rahner nasceu no Brooklyn, Nova York (antes da consolidação da cidade de Nova York) em 1876, filha dos imigrantes alemães Gebhard Rahner (um marceneiro) e Balbina Rahner (nascida Bugel).

Bess estava trabalhando em Coney Island em um ato de música e dança chamado The Floral Sisters quando foi cortejada pela primeira vez pelo irmão mais novo de Houdini, Theo (conhecido como Theodore Hardeen). Mas foi o irmão mais velho de Houdini, Harry, por quem ela se apaixonou e se casou em 22 de junho de 1894. [2] A dupla trabalhou como Os Houdinis por vários anos antes de Houdini se tornar grande como O Rei das Algemas. Mas ele e Bess continuaram a executar ocasionalmente seu truque característico, Metamorfose, ao longo de sua carreira. Bess também cuidou de seu zoológico de animais de estimação, colecionou bonecas e fez as fantasias para o roadshow noturno de Houdini. [3] Os Houdinis permaneceram sem filhos durante seu casamento. A sobrinha de Bess, Marie Hinson Blood, disse que Bess sofria de um problema de saúde que a impedia de ter filhos. [4]

Depois que Houdini morreu em 31 de outubro de 1926, Bess abriu uma casa de chá em Nova York e brevemente apresentou um ato de vaudeville no qual congelou um homem no gelo. [5]

Ela se mudou para Inwood, Manhattan, e tentaria entrar em contato com Harry durante as sessões espíritas, com um código que apenas Harry e Bessie conheciam, para ter certeza de que o médium espírita não era uma fraude. [6] O código era: Rosabelle - responder - contar - orar - responder - olhar - contar - responder - responder - contar. A aliança de casamento de Bess trazia a inscrição "Rosabelle", o nome da música que ela cantou em sua apresentação quando se conheceram. As outras palavras correspondem a um código de grafia secreto usado para passar informações entre um mago e seu assistente durante um ato de mentalismo. Cada palavra ou par de palavras é igual a uma letra. A palavra "resposta" significava a letra "B", por exemplo. "Resposta, resposta" significava a letra "V". Assim, a frase secreta dos Houdinis soletrou a palavra "ACREDITAR". [7]

Na década de 1930 ela se mudou para Hollywood, Califórnia, e trabalhou para promover a memória de Houdini junto com seu empresário e parceiro, Edward Saint. No Halloween de 1936, Bess e Saint conduziram um "Final Houdini Séance" no telhado do Knickerbocker Hotel em Hollywood. Na conclusão da sessão espírita fracassada, ao lado de uma fotografia de Houdini, ela apagou a vela que supostamente estava acesa há dez anos. Em 1943, ela disse que "dez anos [era] tempo suficiente para esperar por qualquer homem". [8]

Após a sessão espírita de 1936, Bess perguntou a Walter B. Gibson - escritor da série de mistério A sombra e um amigo, confidente, publicitário e escritor fantasma de Houdini - para dar continuidade à homenagem anual. Ele os manteve por muitos anos na Magic Towne House de Nova York com notáveis ​​mágicos como o biógrafo de Houdini, Milbourne Christopher. Antes de morrer, Gibson transmitiu a tradição [9] para Dorothy Dietrich. [10]

Bess Houdini morreu de ataque cardíaco em 11 de fevereiro de 1943 enquanto estava em Needles, Califórnia, a bordo de um trem que viajava de Los Angeles para Nova York. Ela tinha 67 anos. [11] [12] [13] Sua família não permitiu que ela fosse enterrada com seu falecido marido no Cemitério Machpelah em Queens, Nova York, pois ela havia sido criada como católica romana e ele era judeu. Em vez disso, ela foi enterrada no Cemitério Gate of Heaven em Hawthorne, Nova York.

No filme Editar

Bess Houdini apareceu como ela mesma no filme de 1938 Golpistas religiosos (a.k.a. Assassinato do Círculo Místico) dirigido por Frank O'Conner e produzido por Fanchon Royer. No filme, ela expressou sua crença de que a comunicação com aqueles que já morreram é impossível. O filme gerou polêmica entre os espíritas, mas foi elogiado pelos mágicos. Foi lançado em DVD em 2006 pela Alpha Video. [14]

Bess foi retratada no filme por Janet Leigh (Houdini, 1953), Sally Struthers (O grande Houdini, 1976), Stacy Edwards (Houdini, 1998), e Kristen Connolly (Houdini, 2014). No palco, ela foi interpretada por Judith Bruce (Homem de magia, 1966), Viviane Thomas (Houdini - uma ópera de circo, 1979), Kim Lores (O grande Houdini, 1999) e Evanna Lynch ("Houdini", 2013). [15] [16] [17]

Na música Editar

A música de Kate Bush Houdini de seu álbum de 1982 O sonho é sobre a história de Bess Houdini e suas tentativas de se comunicar com seu falecido marido Harry. [ citação necessária ]

A música do My Chemical Romance É assim que eu desapareço foi inspirado pela sessão espírita realizada por Houdini para contatar seu marido morto, Harry. [18]

Musical / audiolivro do álbum 2020 de Bálint Varga e Lia Barcellona Tamborra d'ILLUSION: O musical de Houdini retrata o relacionamento de Harry e Bess como parte da trama. Ela é retratada por Quiana Holmes. [19] [20] [21] [22] [23]


Harry Houdini: de Appleton para o mundo

A Sessão Oficial Houdini, realizada todos os anos desde a morte do mago em 1926, originou-se dos esforços de Houdini para expor médiuns fraudulentos. Ele alegou que se houvesse realmente uma maneira de contatar os vivos após a morte, ele o faria. Ele estabeleceu um código com sua esposa Bess, que compareceu fielmente às sessões anuais e aguardou seu retorno por 10 anos, após o que ela desistiu. A sessão espírita é realizada todos os anos em um local com uma conexão significativa com a vida de Houdini.

Embora Houdini afirmasse ter nascido em 6 de abril de 1874 em Appleton, Wisconsin, na verdade ele nasceu em 24 de março de 1874 em Budapeste, Hungria. Registros de navios recém-descobertos indicam que a família Weiss se mudou para Appleton quando Houdini era um bebê. A família veio para a América por causa de uma oportunidade de trabalho para o pai de Houdini, o rabino Mayer Samuel Weiss, que se tornou o primeiro rabino de Appleton. Embora Houdini não tenha nascido em Appleton, ele carinhosamente se referiu a ela como sua cidade natal.

Buster Keaton afirmou que Houdini inventou seu apelido. Depois de ver alguns dos trabalhos de Keaton caindo de uma escada, Houdini o chamou de "um verdadeiro buster", e o nome pegou.

Houdini era conhecido por desmistificar os falsos médiuns e espiritualistas. Seu interesse começou durante seu luto, após a morte de sua mãe, Cecilia Weiss. Por causa de sua experiência como ilusionista, ele reconheceu as técnicas de médiuns que afirmavam ter contatado o mundo espiritual. Houdini tornou-se um cruzado contra esses charlatães que roubavam o dinheiro de famílias enlutadas. Ele freqüentemente comparecia a sessões espíritas disfarçado, a fim de expor os médiuns.

Arthur Conan Doyle, criador do famoso personagem Sherlock Holmes, foi um contemporâneo e admirador de Houdini. Ironicamente, Doyle era conhecido pelas explicações lógicas nas histórias de Holmes, mas ele realmente acreditava que as fugas e ilusões de Houdini eram fenômenos sobrenaturais.


Quem matou Harry Houdini?

O lendário mágico Harry Houdini morreu no Halloween há 90 anos, aos 52 anos. Conhecido por suas fugas dramáticas, Houdini acabou sendo morto por um soco no estômago de um estudante universitário.

Em outubro de 1926, Houdini deu uma palestra para um grupo de estudantes universitários em Montreal, Canadá. Passando pela aula para conversar mais intimamente com os alunos, ele (http://www.history.com/this-day-in-history/houdini-is-dead) se gabou da força dos músculos de seu estômago. Sem dar a Houdini tempo para preparar seus músculos, J. Gordon Whitehead, um estudante da Universidade McGill, deu-lhe dois socos no estômago em rápida sucessão.

Soldado, Houdini continuou para Detroit após o incidente, onde se apresentou pela última vez em 24 de outubro de 1926, no Garrick Theatre. Ele reclamou de dor e, de acordo com alguns (http://www.mlive.com/travel/index.ssf/2016/10/houdini_halloween_death.html#0) relatos desmaiados várias vezes durante o show, mas Houdini terminou a performance antes de voltar para seu quarto no Statler e se encontrar com médicos. Os médicos o diagnosticaram com apendicite, mas sua condição piorou rapidamente e o mágico foi levado ao Grace Hospital no centro de Detroit.

Houdini remained in the hospital for a week where he had two operations to repair his ruptured appendix. But he had developed (http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/peritonitis/basics/definition/con-20032165) peritonitis, an infection of the abdominal cavity caused by a ruptured appendix. Houdini died in room 401 of Grace Hospital on Halloween 1926.

Houdini's wife, Bess, conducted several [email protected] to contact her husband spirit after he died, following an agreement the two had made earlier in life. She was never able to contact him and eventually condemned the whole experiment as a failure.


Harry Houdini's war against spiritualism

As the 1920s rolled around, Houdini was a living legend, not just among his ardent fans but within the stage magician community. Now elevated to the illustrious position of President of the Society of American Magicians, Houdini gained something he'd never had as a young man: influence. It was at this stage of his career that Houdini doubled down on what would become a life-long war against spiritualism. Houdini's obsession with debunking the tricks of psychic performers placed him at odds with the magical community.

Houdini's crusade culminated in a public falling out with his close friend, Sir Arthur Conan Doyle. According to The Guardian, Doyle was an ardent believer in the supernatural, and the men had a very public spat when Houdini described one medium of the time as a "human leech." It was an odd chapter in the life of these two famous figures. A stage magician whose life revolved around misdirection became a staunch advocate for skepticism, while the inventor of Sherlock Holmes, a character of pure rationality, became the poster child for blind faith in the supernatural. The two titans remained at odds for the rest of Houdini's life.


What Killed Harry Houdini? - HISTÓRIA

Few people in any field of human endeavor rise to become the unquestioned “top-dog” in their profession in their generation, let alone of all time. But ask almost anyone who the greatest illusionist / escape artist in history was and take the proverbial “dollars to doughnuts” wager that they’ll say “Houdini”.

The Houdini legend persists, and indeed, seems to grow even larger with each passing decade. But we’re not here to talk about Houdini’s life. Rather, we’re going to discuss the truth about how he died.

Thanks to the hugely popular (and largely fictional) 1953 film Houdini, starring Tony Curtis, a common myth you’ll often hear concerning how Houdini died is that he drowned failing to escape from a water tank during a performance, having to ultimately be pulled from the tank as depicted in the film.

The real story of how Houdini died is very different.

When Harry Houdini and his entourage arrived at The Garrick Theatre in Detroit, Michigan on October 24, 1926, the Hungarian-born magician and escape artist was running a fever of about 102-104 degrees Fahrenheit. Two days before this, Houdini had been resting in his dressing room prior to a show in Montreal when a college student named J. Gordon Whitehead approached him. It’s difficult to determine exactly what happened from here as accounts from eye witnesses are slightly conflicting. However, the general story seems to be that Whitehead asked Houdini if the claim that he could withstand any punch to the abdomen had any truth to it. Houdini assured him it was true and gave him permission to see for himself.

Whitehead immediately took a few jabs at Houdini’s mid-section while the magician was still reclining (he had recently broken his ankle in his famous Water-Torture Cell escape) and supposedly didn’t have a chance to prepare for the blows from the over exuberant Whitehead. The punches inflicted more pain than Houdini anticipated, and after a few fists to the gut, he motioned for Whitehead to stop. Despite the extreme physical pain that continued even after Whitehead ceased punching him, not to mention his broken ankle, Houdini insisted the evening’s scheduled performance must go on as planned.

By the time Houdini was heading for his next show in Detroit, his condition had deteriorated badly. He was running a high fever and, though refusing to go to the hospital, was nevertheless examined by a physician before the show. The doctor diagnosed Houdini with acute appendicitis and recommended he head immediately to the hospital for surgery. Houdini refused and took the stage.

He began the performance with several vanishing acts, culminating with making a woman disappear and conjuring a flowering shrub in her place. He made it through the first act, but his conditioned worsened and he was forced to have his assistant finish the show.

After the show was over, Houdini headed back to his hotel to rest up, but his wife, Bess, reportedly “threw a tantrum” that he wasn’t going to the hospital and so a physician was called in to examine him yet again. The conclusion was that Houdini needed immediate hospitalization and surgery. Houdini was still not keen on the idea, but after consulting with his personal physician, Dr. William Stone, over the phone, he finally gave in an agreed to go to Grace Hospital in Detroit to have an emergency appendectomy.

Once at the hospital, it was established that Houdini had peritonitis due to a ruptured appendix. At the time, it was speculated that the aforementioned blows to his abdomen may have been the cause of his appendicitis. In fact, the conclusion made by the life insurance company, who then had to pay double indemnity because of their findings, was that the punches to Houdini’s abdomen had ruptured his appendix.

This was a reasonable diagnosis at the time, but today it’s generally thought that this likely did not play a direct role in his appendix rupturing as such cases are exceptionally rare and from accounts, it’s thought Houdini was already suffering from the onset of appendicitis at the time of the blows. That said, it has been speculated that the pain from Whitehead’s punches may have served to mask the true seriousness of the condition, with Houdini perhaps assuming he was suffering non-life threatening pains from the blows. In the era before antibiotics, the secondary infection caused by a ruptured appendix was almost always fatal, so it was critical to get the appendix out before this happened. Thus, the theory goes that had Houdini not been punched, he might have sought medical attention sooner. However, this seems doubtful given that even as his condition worsened to life threatening levels, he still refused to heed the physicians who looked him over.

Whatever the case, as alluded to, doctors performed emergency surgery to remove Houdini’s ruptured appendix, but the damage was already done. Harry Houdini held on for about a week at Grace Hospital, but finally succumbed on October 31, 1926. He was 52 years old.

Despite the fact that Houdini believed spiritualism was a load of bunk and went out of his way to discredit it every chance he got, before he died, he promised his wife Bess that if he could possibly communicate “from the other side,” he would do so on the 10th anniversary of his death. At the appointed time, Bess attempted to contact Houdini during a séance held on Halloween, 1936, but to no avail. Pretty much ever since, various purveyors of the paranormal have attempted to do the same on Halloween, but with just as little luck.

If you liked this article, you might also enjoy our new popular podcast, The BrainFood Show (iTunes, Spotify, Google Play Music, Feed), as well as:


WILD ABOUT HARRY

It was 100 years ago today on July 17, 1913, that Houdini's mother, Cecelia Steiner Weiss, died after suffering a stroke. When the news of her death reached Houdini who was performing in Copenhagen, he fainted.

It took Houdini several days to make it back to New York. The family delayed burial (against Jewish custom) so Houdini could have one last look at his mother. He placed in her casket a pair of woolen slippers which she had asked him to get her in Europe.

Houdini's mother's death might have been the single most important event in his life. His worship of his mother is well-known, and those who knew him said he was never quite the same man after her death. He mourned for months, even ordering new stationary rimmed in black. On November 22, 1913, he wrote to his brother Theo (Hardeen):

Even a full seven months after Cecelia's death, Houdini was still struggling with his grief. On January 19, 1914, he again writes to Theo:

Now, every Hollywood Houdini biopic, most documentaries, and even some magicians will tell you that after his mother died Houdini attended seances in the hopes to communicate with her. But all he found was fraud. He then set out to expose fraudulent mediums and launched into a new wave of his career as an anti-Spiritualism crusader and debunker.

It's a good story. Trouble is, it's not strictly true. In fact, the notion that Houdini's mother's death lead directly to his anti-Spiritualism crusade has grown to become one of the most permissive of all Houdini myths.

So what did Houdini do after his mother died? We know he took three months off and he and Bess travelled to the South of France (where he took a morbid interest in a cemetery for suicides). He also spent bastante of time at her grave site in Machpelah Cemetery. But unless it's found in dairies or letters that I haven't yet read, there is nada to support the idea that Houdini attended a single séance after his mother died. In fact, it would be 10 years before Houdini unmasked his first medium. And to suggest that his interest in Spiritualism was sparked by her death is clearly false.

Houdini's interest and attitudes toward Spiritualism goes all the way back to his childhood. In the excellent book, Houdini and Conan Doyle, author Christopher Sandford says that Houdini attended a series of seances at age 11 in an attempt to communicate with his recently deceased half-brother, Hermann. Later, when his father died, Houdini sold his watch to attend a "professional psychic reunion" with Rabbi Weiss. But even at this young age, the boy who would become Houdini sensed fraud. Certainly these experiences could be seen as the psychological fodder for his later hostility towards fraudulent mediums.

In his teens Houdini and his friend Joseph Rinn attended séances and smoked out the methods of mediums. Houdini even suggested some pretty aggressive ideas for exposures (see: That time Houdini threatened to shoot all the psychics). Later Houdini and Bess would dabble in performing as psychic mediums themselves, something Houdini eventually found too distasteful to continue. But he continued to collect books on Spiritualism and eventually amassed a large library on the subject. He even attended the trial of Anne Rothe, The Flower Medium, in Germany in 1902. This is all Nós vamos before his mother dies.

Just the notion that Harry Houdini would turn to a medium in 1913 is pretty improbable in itself. Houdini had by this time amassed a lifetime of experience that told him Spiritualism was hokum. Also, Spiritualism itself was somewhat in eclipse at this time, stuck between the stage shows of the Davenports and later parlor masters like Margery. It would take a World War to give the old act a boost and new relevance. Not only does Houdini not turn to Spiritualism after his mother dies, this is actually a time when he seems least interested in the subject, along with much of America.

The true genesis of Houdini's anti-Spiritualism crusade is rooted in his friendship with Sir Arthur Conan Doyle. After World War I Spiritualism was suddenly back in vogue. Doyle, who lost his son in the War, became a passionate champion of "the movement." Houdini has a lifetime of experience with the tricks of the trade, so he and Doyle had a topic to discuss when they met in 1920. This was thrilling for Houdini who always craved attention as a scholar and intellectual.

In fact, there is some evidence that Houdini was toying with a pro Spiritualism position at this time. His 1922 film, The Man From Beyond, ends with his character reading a book by Doyle and nodding in agreement. It is a major endorsement of Doyle that can't be ignored. But maybe Houdini was just trying to get closer to his new intellectual friend (he was thrilled that Doyle endorsed the film). This could have also had more to do with Houdini's belief in reincarnation than Spiritualism. Mas estou divagando.

It's in the company of Doyle that the major link between Cecelia Weiss and Spiritualism occurs. On June 17, 1922, Lady Doyle gives Houdini a séance in which she channels "HER" via Automatic Writing. Lady Doyle makes embarrassing mistakes (like writing in English and making the sign of the cross), but Houdini is polite and keeps his thoughts to himself. Sir Arthur takes this as a sign that Houdini has been swayed to the side of the spirits and says so publicly.

Now Houdini tem to speak out on the topic, and what he has to say isn't complimentary. Doyle responds defensively, and suddenly Houdini is in a public debate with one of the great intellectuals of the age. THIS is what drives him to go after mediums. He is going to win this fight at all costs, which is very Houdini. He also discovers that it makes for fantastic theater and gives his career the boost that he didn't get with his movies. So Houdini becomes a debunker of fraudulent mediums. This is 10 years after the death of Cecelia Weiss.

The reason for the direct linkage to his mother's death may come from the Doyle séance, and Houdini's own statements that he did long to speak with his mother again. As with many myths, Houdini had a hand in shaping it. It's also just irresistibly convenient storytelling, which is why every Hollywood movie and quickie documentary takes this narrative bridge. However, in crossing that bridge, what gets lost is 10 important years of Houdini's life. We don’t hear about his World War I activities, the vanishing elephant, and his entire movie career. Ten years lost! Don't you hate it when that happens?

So today as we remember the great Cecelia Steiner Weiss, mother of Houdini, lets also begin to unravel years of mythology about her death sending her son among the spirits. They both deserve it.


Assista o vídeo: 10 MÁGICOS QUE MORRERAM DURANTE SEUS TRUQUES DE MÁGICA (Outubro 2021).