Notícia

Tang I SS-306 - História

Tang I SS-306 - História

Tang II

(SS-563: dp. 1.615 (surf.), 2.100 (subm.); 1. 269 ', b 27', dr. 17 ', s. 16,3 k. (Surf.), 17,4 k. (Subm.) , cpl 87; a. 8 21 "tt., 40 Mk. 49/57 minas; cl. Tang)

O segundo Tang (SS-563) foi estabelecido pelo Estaleiro Naval de Portsmouth (N.H.) em 18 de abril de 1949, lançado em 19 de junho de 1951, patrocinado pela Sra. Richard H. O'Kane; e comissionado em 25 de outubro de 1951, Comdr. E. P. Huey no comando.

Após testes e treinamento ao longo da costa leste, o submarino de ataque rápido foi designado para o Esquadrão de Submarinos (SubRon) 1, Força de Submarinos, Frota do Pacífico De sua base em Pearl Harbor, Tang operava nas Ilhas Havaianas, prestando serviços de guerra antisubmarina aérea e de superfície (ASW) forças. Ela também conduziu treinamento de tipo. Em outubro de 1953, Tang iniciou sua primeira reforma, que ela concluiu em julho de 1954.

Ao emergir do pátio, o submarino começou a treinar para sua primeira implantação no oeste do Pacífico. Esse cruzeiro começou em setembro e terminou em Pearl Harbor em março de 1955. Ela então operou na área havaiana até junho, quando voltou ao mar para um cruzeiro de treinamento nas águas do Alasca. Tang voltou a Pearl Harbor em agosto e, logo depois disso, começou sua segunda reforma.

Em 20 de julho de 1956, Tang embarcou no mar em seu segundo deslocamento para o oeste do Pacífico. Essa implantação estabeleceu o padrão para mais sete entre então e 1972. O submarino ficou sob o comando do Comandante, 7ª Frota, e forneceu serviços de treinamento para unidades da Força de Autodefesa Marítima Japonesa, a Marinha Nacionalista Chinesa, forças navais SEATO e a Marinha dos Estados Unidos. Quando não estava navegando pelas águas do Extremo Oriente, ela operou entre as ilhas havaianas e passou por revisões no Estaleiro Naval de Pearl Harbor.

Em cinco ocasiões durante aquela década e meia, ela viajou para a costa noroeste da América do Norte. Em março de 1959, durante um cruzeiro de treinamento em clima frio, Tang testou um sistema recém-desenvolvido de de-leer com snorkel. Além disso, o submarino prestou serviços à Naval Torpedo Testing Station, em Keyport Wash., E às forças navais canadenses em Esquimalt, British Columbia. Ela retornou ao Noroeste do Pacífico no final de fevereiro de 1961, após sua quarta revisão em Pearl Harbor, para treinamento de shakedown e participação em um primeiro exercício de frota, SLAMEX. Dois anos depois, ela fez sua terceira viagem à costa noroeste dos Estados Unidos, desta vez para se juntar aos exercícios de ASW da 1ª Frota. Em maio e junho de 1964, Tang fez um cruzeiro de shakedown postoverhaul para a costa oeste. Quatro anos e duas implantações depois, Tang fez sua quinta e última viagem à costa oeste enquanto ainda era seu porto de origem em Pearl Harbor. Dois meses depois, ela retomou as operações locais nas ilhas havaianas antes de embarcar em sua oitava implantação no Pacífico ocidental em meados de janeiro de 1969. Sua nona implantação ocorreu após um período de reparos e intenso treinamento em torno do Havaí e durou de agosto de 1970 a fevereiro de 1972 Após seu retorno a Pearl Harbor, ela retomou as operações locais até agosto, quando voltou a entrar no Estaleiro Naval de Pearl Harbor para grandes reparos e reformas.

Em maio de 1972, ela deixou o pátio e começou a se preparar para a mudança do porto de origem para San Diego, Califórnia. Após 10 dias no mar e dois em San Francisco, Tang chegou às Instalações de Submarino Naval em San Diego. Lá, ela se juntou à Divisão Submarina 32 do SubRon 3. No ano seguinte, trouxe operações ASW com destróieres e unidades aéreas, seguidas por uma disponibilidade restrita de dois meses no Estaleiro Naval da Ilha Mare e um retorno às operações normais. Em 2 de abril de 1973, o submarino de ataque rápido foi lançado ao mar para o décimo desdobramento de sua carreira no oeste do Pacífico. Durante isso, ela voltou a participar de exercícios ASW de superfície e aéreos com unidades da 7ª Frota e de várias marinhas Aliadas. Depois de visitar Yokosuka, Sasebo, Chinhae, Kaohsiung e Pusan, Tang voltou a San Diego em 12 de outubro de 1973. Ela retomou as operações locais após um período de inatividade de 30 dias, em seguida, fez os preparativos para uma implantação em águas sul-americanas para o Exercício UNITAS XV. Em 2 de outubro de 1974, ela dirigiu-se ao sul para conduzir exercícios de treinamento com unidades de superfície e submarinos das marinhas dos Estados Unidos, Chile e Peru. Na conclusão do UNITAS XV, Tang visitou Acapulco, no México, antes de retornar a San Diego em 16 de dezembro para o Natal. Ao longo de 1975, ela continuou a conduzir as operações normais fora de San Diego.

Em 11 de janeiro de 1976, Tang iniciou a revisão no Estaleiro Naval da Ilha Mare, onde permaneceu até a conclusão em 20 de janeiro de 1977. Com exceção de uma breve implantação MIDPAC em março, Tang operou em seu porto de origem, San Diego, pelo resto de 1977 e a primeira metade de 1978. Em 1 ° de agosto, o porto de origem de Tang foi mudado para Groton, Connecticut, em antecipação à sua próxima transferência entre frotas.

Tang partiu de San Diego em 23 de agosto e, após uma passagem pelo Canal do Panamá, chegou a Groton em 30 de setembro. Para o restante de 1978, ela se engajou em sua nova missão principal - treinar pessoal da Marinha iraniana - bem como fornecer serviço a unidades da Frota do Atlântico.

Tang ganhou quatro estrelas de batalha por servir em águas vietnamitas.

Tambor recebeu 11 estrelas de batalha pelo serviço prestado na Segunda Guerra Mundial.


Tang I SS-306 - História

Deslocamento: 1870 toneladas (surf.), 2391 toneladas (subm.) L. 311,7 'b. 27 '
Velocidade: 20,25k (surf.), 8,75k (subm.)
Profundidade de Teste. 400'
Armamento. 1-5"/25tubos de torpedo 6-21 ". À frente, 4-21" à ré
Complemento:. 6 oficiais - 60 homens alistados
Classe Submarino:"BALAO"

Quilha colocada pelo Estaleiro Naval da Ilha de Mare, Vallejo, CA 15JAN43
Lançado: 17AUG43 Patrocinado pela Sra. Antonio S. Pitre
Comissionado: 15OCT43 com LCDR Richard H. O'Kane no comando.

USS TANG (SS-306) completou o preparo na Ilha Mare e depois mudou-se para o sul, para San Diego, para 18 dias de treinamento intensivo antes de embarcar para o Havaí. Ela chegou a Pearl Harbor em 8 de janeiro de 1944 e conduziu mais duas semanas de exercícios em preparação para o combate. ESPIGA saiu de Pearl Harbor em 22 de janeiro para iniciar sua primeira patrulha de guerra na área das Ilhas Caroline-Mariana.

Na manhã de 17 de fevereiro, ela avistou um comboio de dois cargueiros, suas escoltas e cinco navios menores. O submarino rastreou o comboio, traçou seu curso e então se preparou para atacar. Uma escolta apareceu de repente a uma distância de 7.000 metros e se aproximando. ESPIGA foi fundo e recebeu cinco cargas de profundidade antes que a escolta partisse. Sem danos, ela voltou à profundidade do periscópio e retomou o ataque. O alcance do cargueiro mais próximo foi de 1.500 jardas, e ESPIGA disparou uma propagação de quatro torpedos. Três deles atingiram e o cargueiro afundou pela popa. O submarino limpou a área correndo fundo e então tentou passar à frente do comboio para um ataque ao amanhecer, mas o cargueiro restante passou fora de alcance sob escolta aérea.

Durante a noite de 22 de fevereiro, ESPIGA fez um ataque de superfície a um comboio de três navios de carga e quatro escoltas. Ela rastreou os navios japoneses por meia hora antes de atingir uma posição de tiro a 1.500 jardas da proa de um cargueiro. Uma extensão de quatro torpedos atingiu um dos cargomen da proa à popa, e o navio inimigo se desintegrou. Cedo na manhã seguinte, ESPIGA fez outra abordagem no comboio. A escolta do navio da frente moveu-se de sua posição de cobertura na proa de bombordo, e o submarino deslizou para dentro dele e disparou quatro torpedos. O primeiro atingiu a popa do cargoman, o segundo atingiu logo atrás da pilha e o terceiro explodiu à frente da ponte e produziu uma terrível explosão secundária. O navio foi torcido, levantado da água e começou a lançar chamas enquanto deslizava sob as ondas.

Na manhã do dia 24, ESPIGA avistou um petroleiro, um cargueiro e um contratorpedeiro. As rajadas de chuva a atrapalharam enquanto ela tentava atingir uma boa posição de tiro, então ela rastreou os navios até a noite e então fez um ataque à superfície. Ela disparou quatro torpedos e acertou três vezes que afundou o cargueiro. Os dois navios restantes começaram a atirar em todas as direções, e ESPIGA submerso para iniciar uma ação evasiva. Ela acompanhou o inimigo até de manhã e então fechou o tanque para um ataque submerso. Vigias adicionais foram postados no convés do alvo e, quando a propagação de torpedos de ESPIGA atingiu-a, eles foram lançados no ar com outros detritos do navio. O petroleiro afundou em quatro minutos enquanto ESPIGA foi fundo e equipado para o ataque de carga de profundidade que se seguiu. No dia seguinte, o submarino afundou um navio de carga de 1.794 toneladas.

ESPIGA contactou um comboio composto por um cargueiro, transporte e quatro escoltas na noite do dia 26. Ela se posicionou para atacar o transporte em zigue-zague selvagem e disparou seus últimos quatro torpedos. Todos passaram pela popa enquanto o transporte aumentava a velocidade. Depois de gastar todos os seus torpedos e acertar 16 acertos em 24 tentativas, o submarino entrou na Ilha Midway para ser reequipado.

ESPIGAA segunda patrulha de Davao começou em 16 de março e levou-a às águas ao redor do Palaus, ao Golfo de Davao e aos acessos de Truk. Ela fez apenas cinco contatos de superfície e não teve oportunidade de lançar um ataque antes de ser designada para o dever de salva-vidas perto de Truk. ESPIGA resgatou 22 aviadores abatidos e os transportou para o Havaí no final da patrulha.

Sua terceira patrulha de guerra foi uma das mais devastadoras realizadas contra os navios japoneses durante a guerra. ESPIGA partiu de Pearl Harbor em 8 de junho e perseguiu navios inimigos nas áreas do Mar da China Oriental e do Mar Amarelo. No dia 24, a sudoeste de Kagoshima, o submarino contatou um comboio de seis grandes navios vigiados por 16 escoltas. ESPIGA fechou para um ataque de superfície e disparou uma propagação de três torpedos em um dos navios e rapidamente lançou uma propagação semelhante em um segundo alvo. Seguiram-se explosões e ESPIGA relatou dois navios afundados. No entanto, o exame pós-guerra dos registros japoneses revelado pelo governo japonês mostra que dois navios de carga de passageiros e dois cargueiros foram afundados. Os navios devem ter se sobreposto e a propagação do torpedo deve ter atingido e afundado duas vítimas, além de seus alvos pretendidos. Esses afundados somaram 16.292 toneladas de navios inimigos.

Em 30 de junho, enquanto ela patrulhava a estrada de Kyushu a Dairen, ESPIGA avistou outro navio de carga navegando sem escolta. Depois de dar um fim na corrida na superfície que produziu dois erros de torpedo, ESPIGA foi fundo para evitar cargas de profundidade, então emergiu e perseguiu o infeliz navio até que ele fechou o alcance para 750 jardas. Um único torpedo o estourou ao meio e o navio mercante afundou.

A manhã seguinte, ESPIGA avistou um petroleiro e um cargueiro. Enquanto ela afundava o cargueiro, o petroleiro fugia. O submarino seguiu até o anoitecer, depois disparou dois torpedos que o mandaram para baixo. ESPIGA celebrou o 4 de julho ao amanhecer com um ataque final submerso a um cargueiro inimigo que estava perto da costa. No entanto, com a rápida diminuição da água e sua quilha prestes a tocar o fundo, ESPIGA recuou disparou uma propagação de três com dois tiros e, em seguida, veio à tona enquanto os sobreviventes do navio de carga de 6.886 toneladas estavam sendo resgatados por barcos de pesca. Aquela tarde, ESPIGA avistou outro navio de carga de aproximadamente o mesmo tamanho e afundou-o com dois torpedos. O submarino emergiu e, com a ajuda de ganchos e submetralhadoras Thompson, resgatou um sobrevivente que estava agarrado a um barco salva-vidas virado. Enquanto rondava as águas de Dairen na noite seguinte, o submarino avistou um navio de carga e, durante um ataque submerso com seus dois últimos torpedos, afundou-o. A pontuação da caixa para sua terceira patrulha foi de 10 navios mercantes inimigos afundados que totalizaram 39.160 toneladas.

Sua quarta patrulha de guerra foi conduzida de 31 de julho a 3 de setembro em águas domésticas japonesas na costa de Honshu. Em 10 de agosto, ela disparou uma série de três torpedos contra um navio-tanque perto da praia de Omai Saki sem acertos. No dia seguinte, depois de localizar dois cargueiros e duas escoltas, ela lançou três torpedos no cargueiro maior e dois no outro. O cargueiro maior se desintegrou aparentemente de um torpedo que explodiu em suas caldeiras. Quando o submarino foi fundo, sua tripulação ouviu o quarto e o quinto torpedos atingirem o segundo navio. Após um ataque de carga de profundidade chocante que durou 38 minutos, ESPIGA voltou ao nível do periscópio. Apenas as duas escoltas estavam à vista, e uma delas estava recolhendo sobreviventes.

No dia 14, ESPIGA atacou um iate de patrulha com seu canhão de convés e reduziu a casa de convés do navio japonês a uma bagunça com oito acertos. Oito dias depois, ela afundou um barco-patrulha de 225 pés. Em 23 de agosto, o submarino fechou um grande navio japonês em uniformes brancos que revestia sua superestrutura e a ponte. Ela disparou três torpedos e dois tiros fizeram com que o transporte de 8.135 toneladas escorregasse sob as ondas. Dois dias depois, ESPIGA afundou um petroleiro e uma escolta com seus três últimos torpedos e depois voltou para Pearl Harbor.

ESPIGA partiu de Pearl Harbor em 24 de setembro de 1944, para iniciar sua quinta patrulha de guerra durante a Segunda Guerra Mundial. Em 27 de setembro, ela abasteceu em Midway e partiu de lá no mesmo dia, rumo a uma área entre a costa noroeste de Formosa e a costa da China.

A fim de alcançar sua área, ESPIGA teve que passar por águas estreitas conhecidas por serem fortemente patrulhadas pelo inimigo. Uma grande área que se estendia a nordeste de Formosa era conhecida por ser minada pelo inimigo, e ESPIGA teve a opção de fazer a passagem ao norte de Formosa sozinho, ou se juntar a um grupo de ataque coordenado de USS SIVERSIDES (SS-236), USS TRIGGER (SS-237), e USS SALMON (SS-182), sob o Cdr. Coye em SILVERSIDES que era para patrulhar o nordeste de Formosa, e fazendo a passagem com eles. ESPIGA escolheu fazer a passagem sozinho e essas embarcações nunca ouviram falar de ESPIGA, nem qualquer base, depois que ela deixou Midway.

A história de ESPIGAestá afundando vem do relatório de seu oficial comandante sobrevivente. Um ataque noturno de superfície foi lançado em 24 de outubro de 1944 contra um transporte que havia sido interrompido em um ataque anterior. O primeiro torpedo foi disparado e, quando foi observado que estava funcionando corretamente, o segundo e último foi solto. Curvava-se abruptamente para o porto, abria, botava e circulava. A velocidade de emergência foi solicitada e o leme foi derrubado. Essas medidas resultaram apenas no torpedo atingindo a popa do ESPIGA, em vez de meia-nau.

A explosão foi violenta e membros da tripulação até a Sala de Controle receberam membros quebrados. O barco afundou pela popa com os três compartimentos posteriores inundados. Dos nove oficiais e homens na ponte, três conseguiram nadar durante a noite até serem apanhados oito horas depois. Um oficial escapou da Torre Conning inundada e foi resgatado com os outros.

O submarino parou no fundo a 180 pés, e os homens dentro dela avançaram enquanto os compartimentos posteriores inundavam. As publicações foram queimadas e todos reunidos na Sala do Forward Torpedo para escapar. A fuga foi atrasada por uma patrulha japonesa, que lançou cargas e iniciou um incêndio elétrico na bateria dianteira. Treze homens escaparam da sala da frente e, quando o último saiu, o calor do fogo era tão intenso que a tinta na antepara estava escaldante, derretendo e escorrendo. Dos 13 homens que escaparam, apenas oito chegaram à superfície e, destes, apenas cinco conseguiram nadar até serem resgatados.

Quando os nove sobreviventes foram resgatados por uma escolta de contratorpedeiro, houve vítimas de ESPIGAnaufrágios anteriores a bordo, e eles infligiram torturas aos homens de ESPIGA. Com grande humanidade, afirma O'Kane, "Quando percebemos que nossos golpes e chutes estavam sendo administrados pelos sobreviventes queimados e mutilados de nossa própria obra, descobrimos que poderíamos suportá-los com menos preconceito."

Os nove cativos foram mantidos pelos japoneses em campos de prisioneiros até o final da guerra e foram tratados por eles da maneira típica. A perda de ESPIGA por seu próprio torpedo, o último disparado contra a patrulha de maior sucesso já feita por um submarino dos Estados Unidos, foi um golpe de infortúnio singular.

Em sua última patrulha ESPIGA disparou vinte e quatro torpedos em quatro ataques. Vinte e dois torpedos encontraram seu alvo em navios inimigos, afundando 13 deles, um deles errou, e o último torpedo, disparado após uma verificação cuidadosa, afundou ESPIGA.

Cdr. O'Kane foi chamado de oficial mais destacado da Força de Submarinos, ele atuou como Diretor Executivo da muito bem-sucedida USS WAHOO (SS-238) antes de assumir o comando de ESPIGA.

ESPIGA recebeu quatro estrelas de batalha e duas citações de unidade presidencial pelo serviço prestado na Segunda Guerra Mundial. Seu comandante recebeu a Medalha de Honra do Congresso por ESPIGAação final de.

Companheiros de navio em patrulha eterna no USS TANG (SS-306):
Accardy, J. G. SM3 Adams, R. F. STM2 Allen, D. D. MOMM2 Anderson, P. E. TM3
Andriolo, C. RM2 Anthony, H. F1 Ballinger, W. F. CTM Bauer, E. C. Y3
Beaumont, E. H. LT Bergman, E. F. RM1 Bisogno, F. N. TM3 Boucher, W. J. TM3
Bresette, B. V. QM3 Bush, J. EM2 Chiavetta, B. S1 Clark, W. J. QM3
Coffin, R. J. EM3 Culp, J. H. CEM Darienzo, A. J. EM2 DeLapp, M. V. CMOMMA
Dorsey, W. E. MOMM1 Enos, F. M., Jr. LTJG Eriksen, L. H. F1 Fellicetty, D. C. Y3
Finckbone, B.H. EM2 Fluker, J. W. TM1 Foster, J. M. TM1 Galloway, W. C. TM2
Gentil, T. E. F1 Gorab, G. J., Jr. EM3 Gregg, O. D. COX Hainline, H. W. QM3
Harms, F. G. MOMM2 Haws, G. O. F1 Henry, J. F. F1 Heubeck, J. H. LTJG
Hudson, A.L. CMOMMA Ijames, H. W., Jr. RCM3 Imwold, S. S. MOMM2 Jenkins, D. M. Y3
Jones, S. W. CQM Kaiser, L. C. MOMM3 Kanagy, J. T. EM1 Kassube, J. T. COX
Key, J. A. SC3 Knapp, R. B. FC3 Kroth, R. J. LTJG Lane, L. R. EM1
Larson, P. I. CPHMA Lee, R. P. RM3 Llewellyn, L. H. RM2 Londres, C. W. F1
Loveless, C. MOMM1 Lytton, E. MOMM1 McMorrow, R.V. MOMM1 McNabb, J. J. F1
Parker, J. J. CCSA Pearce, B. C., Jr. ENS Raiford, R. M. CK3 Reabuck, F. J. F1
Rector, D. D. GM3 Reinhardt, E. F1 Roberts, J. L. SC3 Robertson, G. L. MOMM2
Smith, S. G., Jr. QM3 Springer, F. H. LT Stepien, E. F. S1 Domingo, F. L. EM3
Vaughn, P. B., Jr. COX Wadsworth, C. W. TM3 Walker, H. M. ST3 Weekley, L. S. CTMA
Welch, R. E. QM2 White, J. M. GM1 Williams, W. H. Y2 Wines, P. T. LTJG
Wukovich, G. MOMM1 Zofcin, G. MOMM1 "Marinheiros, descanse seus remos!"

Caverly, F. M. RT1
DaSilva, J. B. MOMM2 (sua história)
Decker, C. O. MOMM3
Flanagan, H. J. LTJG
Liebold, W. R. CBMA
Narrowanski, P. TM3
O'Kane, R. H. CDR
Savadkin, L. LT
Trukke, H. O. TM2


USS Tang (SS-306)

CDR R.H. Kane, USN, Comandante Lançado em 17 de agosto de 1943 Perdido no mar em 24 de outubro de 1944.

As façanhas de Tang são lendárias na história dos submarinos. Sob a ousada liderança do Comandante Richard H. O Kane, Tang executou cinco patrulhas brilhantes, destruindo navios inimigos quase tão rápido quanto os japoneses podiam construí-los. O resgate de Tang de 22 pilotos navais abatidos na Lagoa Truk durante sua segunda patrulha de guerra ganhou as manchetes e provou o valor do dever de salva-vidas submarino. Tang foi um dos dois únicos submarinos americanos a receber a Menção de Unidade Presidencial duas vezes, e seu capitão ganhou o maior prêmio do país por valor, a Medalha de Honra do Congresso. Não foi o inimigo, mas o destino que finalmente encerrou a carreira de Tang. Patrulhando o estreito de Formosa, Tang já havia afundado sete navios inimigos quando, em 24 de outubro de 1944, lançou um ataque noturno de superfície a um transporte inimigo, disparando seus dois torpedos restantes. O segundo torpedo não funcionou bem, circulou de volta e atingiu Tang. A explosão foi violenta. Nove homens caíram no mar enquanto Tang mergulhava em direção ao fundo. Outros treze homens escaparam do compartimento dianteiro e, usando os pulmões de momsen, subiram 60 metros à superfície. Pela manhã, apenas nove sobreviventes restavam para serem retirados da água por um navio de escolta japonês. Eles foram presos durante

a guerra, mas viveu para contar a história da batalha épica final de seus 78 companheiros de navio a bordo do renomado submarino Tang.

Tópicos e séries. Este memorial está listado nestas listas de tópicos: Guerra, II Mundial e Vias navegáveis ​​e navios de touros. Além disso, está incluído na lista da série Still On Patrol. Uma data histórica significativa para esta entrada é 24 de outubro de 1944.

Localização. 21 e 22.098 e # 8242 N, 157 e 56.346 e # 8242 W. Marker está em Honolulu, Havaí, no condado de Honolulu. O Memorial fica na Arizona Memorial Drive. Toque para ver o mapa. O marcador está nesta área dos correios: Honolulu HI 96818, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 8 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. USS Seawolf (SS-197) (aqui, próximo a este marcador) USS Swordfish (SS-193) (aqui, próximo a este marcador) USS Wahoo (SS-238) (aqui, próximo a este marcador) Mark 37 Electric Torpedo ( a uma distância de grito deste marcador) Regulus (a uma distância de grito deste marcador) Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos (a uma distância de grito deste marcador) Mark 14 Torpedo movido a vapor (a uma distância de grito deste marcador) Memorial do Submarino Perdido (a uma distância de grito de este marcador). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores em Honolulu.


Richard O & # 8217Kane, USS Tang (SS-306)

Mesmo antes do USS Tang encabeçou sua quinta patrulha de guerra, seu capitão, LCDR Richard “Dick” O’Kane já era um dos submarinistas de maior sucesso da guerra. Como diretor executivo da USS Wahoo (SS-238), sob o lendário comando de Dudley "Mush" Morton, O'Kane desempenhou um papel central nas primeiras realizações de guerra daquele submarino.

Assumindo o comando do novo Balaosubmarino de classe USS Tang (SS-306), O'Kane continuou vencendo. Em suas primeiras quatro patrulhas no Pacífico, O'Kane e o Espiga afundou 17 navios japoneses (72.000 toneladas) e ganhou uma Menção de Unidade Presidencial por sua terceira patrulha em meados de 1944.

Partindo de Pearl Harbor em 24 de setembro de 1944, Dick O'Kane navegou no USS Tang em águas perto do Estreito Formosa. Na noite de 10 a 11 de outubro de 1944, o Espiga afundou dois cargueiros - Joshu Go e Gita Maru.

Mais adiante em sua patrulha, Espiga encontrou um grande comboio japonês em 23 de outubro e avançou para um ataque noturno à superfície. O'Kane disparou uma série de torpedos que se chocaram contra três navios diferentes, explodindo a popa do navio mais distante da linha. Vindo rapidamente para alinhar seus tubos de popa, o Espiga teve que se esquivar rapidamente de um petroleiro que havia se virado para abater o submarino. Faltando o Espiga, este navio-tanque rebelde colidiu com outro navio-tanque japonês. Livre de perigo imediato, o Espiga alinhou-se em seu alvo imóvel e disparou mais quatro torpedos de sua popa a 400 metros. Quando o último navio-tanque explodiu em chamas, O'Kane evitou um contratorpedeiro de escolta que se aproximava dele.

Na noite seguinte, 24 de outubro de 1944, o Espiga encontrou mais um comboio japonês. O sempre agressivo Espiga avançou e disparou seis torpedos contra três dos navios. Seguindo o comboio, o Espiga virou-se e disparou seus torpedos de popa em outro cargueiro e um navio-tanque. o Tang's torpedos encontraram o petroleiro, que explodiu, e outro atingiu um contratorpedeiro japonês próximo que havia corrido ao redor da popa do petroleiro. Enquanto o contratorpedeiro afundou, o petroleiro permaneceu em chamas e flutuando.

Com seus dois últimos torpedos, Espiga mirou o petroleiro apático. O último de seus 24 torpedos - um Mark 18 elétrico - atingiu a superfície, fez uma curva fechada para a esquerda e circulou em direção ao Espiga. Sentindo o perigo imediato, O'Kane pediu velocidade de flanco à frente, mas mesmo essa manobra não salvou o Espiga quando seu próprio torpedo - é o último - atingiu o submarino perto da popa. A explosão inundou três compartimentos e o submarino começou a afundar. Dos nove oficiais e homens na ponte, incluindo O'Kane, três foram capazes de nadar durante a noite. Dos homens dentro do submarino que afundava, 13 conseguiram escapar para a superfície usando o Momsen Lung, mas apenas 5 deles conseguiram nadar tempo suficiente até serem apanhados pela Marinha Japonesa.

No que teria sido uma das patrulhas mais bem-sucedidas de qualquer submarino dos EUA, um torpedo de sorte levou a uma terrível tragédia. Dick O’Kane e os outros sobreviventes foram levados a bordo do navio japonês por sobreviventes dos navios que haviam acabado de afundar. O'Kane seria um prisioneiro de guerra pelo resto da guerra.

Para esta patrulha final em que o USS Tang afundou sete navios (21.772 toneladas), o submarino receberia sua segunda Menção de Unidade Presidencial e O'Kane receberia a Medalha de Honra. O'Kane e o Espiga acabaria recebendo o crédito pelo naufrágio de 24 navios (93.824 toneladas) - tornando O'Kane o principal capitão de submarino da guerra *.

Ilustração que mostra o dano mortal causado ao USS Tang depois que seu torpedo final circulou de volta e atingiu o submarino perto de sua popa. (iBiblio.org/Wikimedia)

Nascido em Dover, New Hampshire, O’Kane formou-se em 1934 pela Academia Naval dos Estados Unidos. Ele se aposentou da Marinha como contra-almirante e faleceu em Petaluma, Califórnia, em 1994. Ele está enterrado no Cemitério Nacional de Arlington.

* Em 1980, o total do Tang foi aumentado de volta para sua estimativa original de 116.454 toneladas afundadas.

USS Tang (SS-306) retornando a Pearl Harbor após sua segunda patrulha de guerra, por volta de maio de 1944. (Sheldon Levy, USN RET.)

Menção da medalha de honra

Por bravura e intrepidez conspícuas com o risco de sua vida acima e além da chamada do dever como oficial comandante dos EUA Tang operando contra 2 comboios japoneses inimigos em 23 e 24 de outubro de 1944, durante sua quinta e última patrulha de guerra. Corajosamente manobrando na superfície no meio de um comboio fortemente escoltado, Comdr. O'Kane se posicionou na fuzilaria de balas e granadas de todas as direções para lançar ataques esmagadores em 3 petroleiros, balançou seu navio friamente para atirar em um cargueiro e, em uma decisão de fração de segundo, saiu do caminho de um transporte em avanço, perdendo por centímetros. Encaixotado por tanques em chamas, um cargueiro, transporte e vários destróieres, ele atingiu 2 dos alvos com seus torpedos restantes e, com explosões pirotécnicas em todos os lados, limpou a área. Vinte e quatro horas mais tarde, ele novamente fez contato com um comboio fortemente escoltado que navegava para apoiar a campanha de Leyte com reforços e suprimentos e com aviões engradados empilhados bem alto em cada unidade. Desafiando o fogo implacável do inimigo, ele fechou a concentração do navio e em rápida sucessão enviou 2 torpedos cada para o primeiro e segundo transportes e um tanque adjacente, encontrando sua marca com cada torpedo em uma série de explosões violentas a menos de 1, Alcance de 000 jardas. Com navios avançando de todos os lados, ele atacou o inimigo em alta velocidade, explodindo o petroleiro em uma explosão de chamas, esmagando o transporte na água e explodindo o destruidor com um rugido poderoso que balançou o Tang de proa a popa. Gastando seus últimos 2 torpedos nos restos de um comboio outrora poderoso antes de seu próprio navio afundar, Comdr. O'Kane, auxiliado por seu galante comando, alcançou um ilustre recorde de heroísmo em combate, aprimorando as melhores tradições do Serviço Naval dos EUA.

CDR. Richard O & # 8217Kane recebendo a Medalha de Honra do Presidente Harry Truman na Casa Branca em Washington DC. (História Naval e Comando de Herança)


Banco de dados da Segunda Guerra Mundial


ww2dbase USS Tang foi comissionado em serviço no final de 1943, quando a Guerra do Pacífico já estava em andamento. Em sua primeira patrulha de guerra, ela encontrou navios japoneses pela primeira vez antes do amanhecer em 17 de fevereiro de 1944. Ela sobreviveu a uma carga de profundidade pelas escoltas do comboio e então torpedeou e afundou o transporte Gyoten Maru. Cinco dias depois, ela atacou outro comboio escoltado, afundando o Fukuyama Maru, ela acompanhou o comboio por mais uma ou duas horas antes de atacar novamente, afundando Yamashimo Maru com quatro torpedos, que afundou após sofrer terríveis explosões. Esses primeiros ataques bem-sucedidos provariam ser um prelúdio de sua carreira de sucesso, que viu o naufrágio de 31 navios japoneses, totalizando 227.800 toneladas. Durante sua segunda patrulha de guerra, ela foi colocada como salva-vidas perto de Truk, nas Ilhas Carolinas, e resgatou 22 aviadores em uma missão que estabeleceu um recorde e rendeu à tripulação uma Menção de Unidade Presidencial.

ww2dbase Em setembro de 1944, Tang partiu de Pearl Harbor, Havaí, Estados Unidos para sua quinta patrulha de guerra. Conforme solicitado pelo comandante Richard & # 34Dick & # 34 O & # 39Kane, o submarino foi despachado para o estreito de Taiwan, fortemente patrulhado, entre a ilha de Taiwan e a China continental. Em 23 de outubro, ela detectou um grande comboio composto por três navios-tanque, um transporte, um cargueiro e várias escoltas armadas. Tang foi capaz de alcançar o centro do comboio e atingir o navio mais próximo com dois torpedos, um torpedo com o segundo mais próximo e três torpedos com o mais distante. Enquanto ela se preparava para atacar um dos petroleiros, a tripulação percebeu que seu alvo, assim como o transporte japonês, estavam tentando se chocar. Tang foi capaz de evitar as tentativas de abalroamento e fez com que os dois navios japoneses colidissem, enquanto ela disparava quatro torpedos de popa neles, afundando os dois. Após o ataque, Tang saiu sem ser detectado. Seus vigias relataram que alguns artilheiros antiaéreos japoneses estavam atirando para o céu em aviões fantasmas, indicando que os japoneses não perceberam que foi um submarino que causou a destruição. Este seria seu último ataque bem-sucedido.

ww2dbase No dia seguinte, ela avistou outro grande comboio ao largo da ilha de Niushandao, Fujian, China, na área norte do Estreito de Taiwan, com alguns dos transportes carregando caixotes de aviões. Tang disparou dois torpedos em cada um dos dois transportes e um tanque a uma distância de 900 a 1.400 jardas. Um breve momento depois, ela disparou torpedos de popa em outro par de transporte e tanque. Cinco desses navios seriam afundados depois que 10 dos 11 torpedos atingissem seus alvos. Um contratorpedeiro de escolta também foi afundado, atingido por um torpedo perdido ou destruído por um navio-tanque explodindo nas proximidades. Antes de USS Tang escapar da área, ela notou um transporte danificado a uma distância de ataque, e O & # 39Kane decidiu terminar o transporte. O torpedo foi disparado às 02h30 de 25 de outubro, e foi relatado que o torpedo estava funcionando & # 34 quente, direto e normal & # 34. Inesperadamente, porém, o torpedo virou para a esquerda e começou uma corrida circular. Tang iniciou manobras de emergência para evitar o torpedo que estava voltando, mas contra todas as probabilidades, ela foi atingida na popa perto da sala de torpedos da popa. Ela afundou a uma profundidade de 180 pés, ou 55 metros. Escoltas japonesas permaneceram na área para atacá-la em profundidade, já que os japoneses não tinham certeza do grau dos danos. Um incêndio elétrico foi iniciado pelo carregamento de profundidade. Em um feito impressionante, com a ajuda de Momsen Lungs, alguns deles escaparam do submarino, tornando-os os primeiros humanos a chegar à superfície do mar de tal profundidade. Dos 83 a bordo, apenas 9 sobreviveram e foram resgatados por navios japoneses. Os sobreviventes foram considerados prisioneiros especiais pelos japoneses e não considerados prisioneiros de guerra, pois eram submarinos e submarinos americanos atacaram navios civis japoneses sem restrições.

O desempenho de ww2dbase Tang & # 39s no final de outubro de 1944 renderia a seu oficial comandante O & # 39Kane uma medalha de honra.

ww2dbase Fontes:
Alex Kershaw, Escape from the Deep
Wikipedia.

Última revisão importante: dezembro de 2010

Mapa interativo de Submarine Tang (SS-306)

Linha do tempo operacional Tang

15 de dezembro de 1941 A construção do submarino Tang foi encomendada.
15 de janeiro de 1943 A quilha do submarino Tang foi colocada.
17 de agosto de 1943 O submarino Tang foi lançado no Estaleiro Naval da Ilha Mare, Vallejo, Califórnia, Estados Unidos, com o patrocínio da Sra. Antonio S. Pitre.
15 de outubro de 1943 O USS Tang foi comissionado para o serviço com o Tenente Comandante Richard O & # 39Kane no comando.
30 de novembro de 1943 O USS Tang foi entregue à Marinha dos Estados Unidos.
8 de janeiro de 1944 O USS Tang chegou a Pearl Harbor, território americano do Havaí.
22 de janeiro de 1944 USS Tang departed Pearl Harbor, US Territory of Hawaii for her first war patrol to the Caroline and Mariana Islands area.
17 Feb 1944 USS Tang sank Japanese transport Gyoten Maru, hitting her with three of four torpedoes fired.
22 de fevereiro de 1944 USS Tang sank Japanese transport Fukuyama Maru with four torpedoes.
23 de fevereiro de 1944 USS Tang sank Japanese transport Yamashimo Maru with four torpedoes.
24 Feb 1944 USS Tang sank a Japanese freighter, hitting her with three of four torpedoes fired.
25 de fevereiro de 1944 USS Tang sank Japanese transport Echizen Maru.
26 de fevereiro de 1944 USS Tang sank Japanese transport Choko Maru.
16 Mar 1944 USS Tang departed Midway, starting her second war patrol in the waters near Palau Islands, Caroline Islands, and south of the Philippine Islands.
8 Jun 1944 USS Tang departed Pearl Harbor, US Territory of Hawaii, starting her third war patrol in the East China Sea and the Yellow Sea.
24 Jun 1944 USS Tang attacked a Japanese convoy in the East China Sea off the coast of Japan and reported sinking two ships. Post war Japanese records showed that four ships of that convoy, Tamahoko Maru, Tainan Maru, Nasusan Maru, and Kennichi Maru, were attacked and sunk on that date.
26 Jun 1944 USS Tang attacked a Japanese cargo ship with four torpedoes without success.
29 de junho de 1944 USS Tang attacked the unescorted Japanese transport Nikkin Maru between Kyushu, Japan and Dalian, China with two torpedoes without success.
30 Jun 1944 USS Tang sank the unescorted Japanese transport Nikkin Maru with one torpedo between Kyushu, Japan and Dalian, China.
1 de julho de 1944 USS Tang sank Japanese freighter Taiun Maru No. 2 in the morning, and chased tanker Takatori Maru all day, finally sinking the tanker after sundown.
4 Jul 1944 In the morning, USS Tang sank Japanese freighter Asukazan Maru, hitting her with two of three torpedoes fired. In the afternoon, the transport Yamaoka Maru was sunk with two torpedoes.
6 Jul 1944 USS Tang sank the 39,100-ton Japanese transport Dori Maru off Dalian, China at about 0300 hours with two torpedoes. With this sinking, she obtained the record of the greatest total tonnage sunk by an American submarine during one war patrol.
31 Jul 1944 USS Tang departed for her fourth war patrol off Honshu, Japan.
10 Aug 1944 USS Tang attacked but failed to hit a tanker near Omaezaki, Japan.
11 Aug 1944 USS Tang sank Roko Maru and damaged another freighter with a total of five torpedoes, then endured a 38-minute-long depth charge attack.
14 Aug 1944 USS Tang attacked a Japanese armed yacht with her deck gun.
21 Aug 1944 USS Tang attacked a Japanese cargo ship with three torpedoes without success.
22 Aug 1944 USS Tang sank Japanese patrol boat Nansatsu Maru No. 2, hitting her with one of four torpedoes fired.
23 de agosto de 1944 USS Tang sank Japanese transport Tsukushi Maru, hitting her with two of three torpedoes fired.
25 de agosto de 1944 USS Tang sank Japanese tanker Nanko Maru No. 8 with two torpedoes.
3 de setembro de 1944 USS Tang arrived at Pearl Harbor, US Territory of Hawaii, ending her fourth war patrol.
24 de setembro de 1944 USS Tang departed Pearl Harbor, US Territory of Hawaii, starting her fifth war patrol in the Taiwan Strait.
27 Sep 1944 USS Tang departed Midway, where she stopped to refuel.
11 de outubro de 1944 USS Tang sank Japanese transports Joshu Go at about 0500 hours, hitting her with two of three torpedoes fired. Later in the day, at about 2100 hours, she sank Oita Maru with one torpedo.
23 Oct 1944 USS Tang attacked an escorted Japanese convoy consisted of three tankers, one transport, and one freighter. She penetrated to the center of the convoy without being detected and fired nine torpedoes, eight of which found targets. All five ships were sunk, and Tang was able to escape unharmed.
24 Oct 1944 USS Tang attacked an escorted Japanese convoy in the Taiwan Strait off the island of Niushandao, China, sinking five transports and tankers and one destroyer among the sunken were, Kogen Maru and Matsumoto Maru.
25 Oct 1944 USS Tang attacked a Japanese transport, but the torpedo fired circled back and hit Tang, sinking her. Only 9 of the crew of 83 survived the sinking.
8 de fevereiro de 1945 USS Tang was struck from the Naval Register.

Você gostou deste artigo ou achou este artigo útil? Em caso afirmativo, considere nos apoiar no Patreon. Mesmo $ 1 por mês já é uma boa escolha! Obrigada.

Compartilhe esse artigo com seus amigos:

Comentários enviados por visitantes

1. Mike says:
27 Dec 2010 09:40:10 AM

Around 1990 I was at Disney World in Florida with my wife and friends. My buddy and I saw 2 men wearing Tang caps and we asked if they were on the Tang. I was very interested because I was reading "Clear the Bridge" at the time. The men said they were Tang crewmen and were there for their ship reunion and that Capt. O'Kane was there also. Unfortunately I do not remember the names of the men, nor did I have the book with me or I would have asked them to autograph it. I just finished reading "The Bravest Man" the story of Dick O'Kane. What a true hero. If either of the men I met remember that incident I would love to know who I met that day.

2. Robin Enos says:
3 Apr 2011 11:10:17 AM

My late father's cousin Melvin Enos was Commuications Officer on the Tang, decorated with a Silver Star posthumously for his role in the escape. The family still honors Mel, whose name is inscribed on the Submariner's Memorial at Pearl. Alex Kershaw's excellent new book and Adm. O'Kane's book both tell a heroic story. We can never thank these men enough.

3. Faustene Crumley says:
15 Dec 2012 06:51:47 AM

My first husband Sprague Enos was a first cousin to Melvin Enos. I would like to contact Robin Enos and share family data. Melvin was an only child. Such a sad loss!

4. mike pruitt says:
27 May 2014 09:44:07 AM

My dad served on Tang, Barb, Chub, Pilotfish. am trying to find more detailed reference sources to track his life. Name was John B Pruitt. Alguém pode ajudar? Also looking for any source of crew rosters.

5. Steve Mack says:
11 Mar 2015 10:20:41 AM

My Dad was helping to tie the Tang as she returned to port after her 2nd patrol, which resulted in the rescue of the 22 airmen. O'Kane asked my dad if he would like to go out on the next patrol. He jumped at the chance. Dad was on the 3rd and 4th patrol. At 92, he is still falling trees and splitting all of it by himself. His sister researched O'Kane and found a book signing and gave it to him about 30 years ago.

6. Anonymous says:
3 Sep 2015 11:25:19 AM

Mike Pruitt, "Clear the Bridge" by O'Kane and "Thunder Below" by Fluckey both have crew rosters listed in them. Not sure about the Chub and Pilotfish.

7. Meeting the "Greats" says:
13 Oct 2015 05:46:54 AM

I am writing this at the age of 71 yrs. I served on the U.S.S. Greenlet (ASR10) in Pearl in the mid-sixties. My commanding officer at the time was LCDR Wm. Leibold, a survivor of the Tang sinking, though I didn't know it at the time. Several times while on quarter-deck watch I welcomed onboard Admiral O'Kane (dressed as a civilian)and had a few words with him. I also met a visited with Admiral Gene Fluckey on the flying bridge of the Greenlet. How fortunate could a future submariner get? When I made 3rd class sonarman I got orders for the Tang but the Tang was on patrol. My orders were changed to the U.S.S. Gudgeon. Shortly after qualifying on the Gudgeon I got orders for FBM sonar school. After graduation my orders were to new construction of the U.S.S. Henry L. Stimson (Blue crew).

8. Anonymous says:
24 Feb 2016 03:58:37 AM

I rode the USS TANG SS563 tdy back in 1969. Could not help but "feel" the atmosphere of the 1st USS TANG SS306, who, in 8 months on patrol sank 33 enemy ships with a total of 116,454 tons. This is in addition to rescuing 22 airmen near Truk, the Caroline Islands during that period.
Rest In Peace shipmates, each and every one. Truly Heroes.

9. Brad says:
2 Aug 2016 12:53:26 PM

Lt. Ed Beaumont was my dad's 1st cousin. He is on Eternal Patrol aboard the Tang. I only knew that the Tang sunk itself. A few years ago, I was reading a story of the Russian sub Kursk. The article included an interview with Clayton Decker, one of the Tang survivors. There were eight Clayton Decker's listed on line. I wrote one letter and sent it to all of them. Well, Clayton wrote back and put me in touch with Floyd Caverly who worked with Ed. I called Floyd and asked a lot of questions about Ed. I asked if he had any crew pictures because I had never seen a picture of him. Floyd sent me an 8 x 10 glossy that Ed sat for at Pearl Harbor. I sent a copy to the Museum at Pearl and they added his picture to the On Eternal Patrol site. Unbeknownst to me, I had a cousin who had been given all of the letters that Ed wrote to his mother (my great-aunt). I transcribed the letters - that included pictures of the girl he was going to marry - and pieced together all of the Tang information I could find. I made three loose leaf binders and gave two to each of my cousins old enough to remember Ed. I visited Admiral O'Kane's grave at Arlington and offered the best salute this AF vet could muster.

10. Trevor ROCKLIFF says:
25 Jun 2019 08:20:23 PM

No mention that on 24 Jun 1944 (At Singapore they transferred to the Tamahoko Maru, which made it into Japanese waters to be torpedoed and sunk along with 3 other Japanese ships, by an American submarine the USS Tang, off the southern city of Nagasaki, on the night of 24 June 1944. 565 POWs drowned, 195 of them Australians!?)
**
24 Jun 1944 USS Tang attacked a Japanese convoy southwest of Kagoshima, Japan and reported sinking two ships. Post war Japanese records showed that four ships of that convoy, Tamahoko Maru, Tainan Maru, Nasusan Maru, and Kennichi Maru, were attacked and sunk on that date.

11. Michael Baskett says:
17 Jun 2021 12:45:22 PM

Clayton Decker was my great uncle. He didn't spend much time talking about his service but did share some of his stories from time to time. He loved this country and his service. He owned a motor home with the Tang image displayed on one side. He was proud of the patrols he was on and did say he would never change it if he could. While I didn't know him long he did teach me a great deal about what it means to be PROUD American and a hero without looking for accolades. I was with him when he last visited his child hood home in Paonia Colorado as it was being prepared for sale. As we walked through the barn and over the grounds he spoke fondly of his family and his service. He always said he lived a good life through the good and bad. He had no regrets. One of the last photos I have of him is with his wife (my aunt) Ann. They were such a cute couple at any age. Both are dearly missed.

Todos os comentários enviados pelos visitantes são opiniões daqueles que os enviaram e não refletem as opiniões do WW2DB.


Trapped at the Bottom of the Ocean

WWII: So now you and the rest of the crew are on the bottom of the ocean.

DECKER: Right. The diving officer—Lieutenant (j.g.) Fred Enos—was the youngest officer aboard the Espiga, and he was really a babyfaced lad. He was one of only two officers still with us. We started forward—I’m helping Ballinger. We get to the officers’ quarters and here’s Enos. He’s gone into the skipper’s cabin and got all the code books and put them in a wastebasket and is touching a match to them. Right away, I stopped him. I said, “You can’t do that, Enos, you can’t do that! We can’t have a fire going! We need every bit of air we’ve got!” Plus, we had these huge batteries below there you couldn’t have any sort of spark around them.

Early in WWII, American torpedoes could prove as deadly to the submarines which fired them as to the enemy.

WWII: So what did you do with the code books?

DECKER: The batteries were full of sulfuric acid and had big openings, so we shoved the code books into the batteries and the acid ate them up.

We eventually got 30 or 32 men together in the forward torpedo room. When we got there, we put the guys with broken bones up in the bunks. There was no use of them even trying to escape—there was no way they would be able to make it. They seemed resigned to their fate.

We estimated there were about four or five hours of air left. We had to get the escape plan going within that amount of time or we’d all be in a coma. But there was no panic everybody was calm.

Whenever you get a group of men together, you always have a couple of know-it-alls. We had a couple of them—one in particular. This loudmouth and a chief torpedoman had crawled into the escape chamber before the rest of us got organized. They didn’t have a Mae West or a Momsen lung, but they flooded the chamber, opened the hatch, and went out on their own. We never saw them again.

DECKER: It straps onto your chest like a Mae West and has a nose clamp and a mouthpiece right below it. When you get to the surface, if you close the valve, you can use it for a life preserver. We had over a hundred of them onboard. The lung had a little relief valve that looked like a piece of flat rubber. It wouldn’t let water in but would let air out when you exhaled. There was also a canister of soda lime in the lung. When you exhaled, the carbon dioxide would go through the soda lime, which would absorb the free carbon and give you free oxygen. That’s the principle of the Momsen lung.

Seaman A.L. Rosenkotter aboard the submarine V-5, later named USS Narwhal, demonstrates the use of the Momsen Lung and the after escape hatch aboard the sub in July 1930.

WWII: What an ingenious device.

DECKER: Yep. You charged them either with straight oxygen if you’re less than 200 feet below the surface or compressed air if you’re more than 200 feet. It’s got a valve on it just like a bicycle tire. In our case, we used straight oxygen. The Momsen lungs we had onboard were brand new, never been used. They were in sealed cellophane bags. The ones we had in training in New London were all used. I’ll tell you why this is important in a minute.


Fourth war patrol [ edit | editar fonte]

Her fourth war patrol was conducted from 31 July – 3 September in Japanese home waters off the coast of Honshū. On 10 August, she fired a spread of three torpedoes at a tanker near the beach of Omaezaki with no hits. The next day, after locating two freighters and two escorts, she launched three torpedoes at the larger freighter and two at the other. The larger freighter (Roko Maru) disintegrated apparently from a torpedo which exploded in her boilers. As the submarine went deep, her crew heard the fourth and fifth torpedoes hit the second ship. After a jarring depth charge attack which lasted 38 minutes, Espiga returned to periscope depth. Only the two escorts were in sight, and one of them was picking up survivors. [DANFS 1]

On 14 August, Espiga attacked a patrol yacht with her deck gun and reduced the Japanese ship's deck house to a shambles with eight hits. Eight days later, she sank a 225 ft (69 m) patrol boat <"No.2 Nansatsu Maru">. On 23 August, the submarine closed in on a large ship Japanese in white uniforms could be seen lining its superstructure and the bridge. She fired three torpedoes, and two hits caused the 8,135 ton transport Tsukushi Maru to sink. Dois dias depois, Espiga attacked a tanker and an escort with her last three torpedoes – the tanker <"No.8 Nanko Maru">sank – and returned to Pearl Harbor. [DANFS 1]


Tang I SS-306 - History

Compiled by Paul W. Wittmer and Charles R. Hinman, with editorial notes by Robert H. Downie, originally from:

U.S. Submarine Losses World War II, NAVPERS 15,784, 1949 ISSUE

TANG, under CDR R.H. O'Kane, set out from Pearl Harbor on 24 September 1944, to begin her fifth war patrol. On 27 September she topped off with fuel at Midway and left there the same day, heading for an area between the northwest coast of Formosa and the China Coast.

In order to reach her area, TANG had to pass through narrow waters known to be heavily patrolled by the enemy. A large area stretching northeast from Formosa was known to be mined by the enemy, and O'Kane was given the choice of making the passage north of Formosa alone, or joining a coordinated attack group (SILVERSIDES, TRIGGER, SALMON, under Commander Coye in SILVERSIDES) which was to patrol off northeast Formosa, and making the passage with them. TANG chose to make the passage alone and these vessels never heard from TANG, nor did any base, after she left Midway.

The story of TANG's sinking comes from the report of her surviving Commanding Officer. A night surface attack was launched in the early morning hours of 25 October 1944 against a transport, which had previously been stopped in an earlier attack. The first torpedo was fired, and when it was observed to be running true, the second and last was loosed. It curved sharply to the left, broached, porpoised and circled. Emergency speed was called for and the rudder was thrown over. These measures resulted only in the torpedo striking the stern of TANG, rather than amidships.

The explosion was violent, and people as far forward as the control room received broken limbs. The ship went down by the stern with the after three compartments flooded. Of the nine officers and men on the bridge, three were able to swim through the night until picked up eight hours later. One officer escaped from the flooded conning tower, and was rescued with the others.

The submarine came to rest on the bottom at 180 feet, and the men in her crowded forward as the after compartments flooded. (Editor's Note: According to Commander O'Kane, when the torpedo struck Tang, the three after compartments flooded instantly and the submarine sank by the stern, with her bow hanging at a sharp angle above the surface. Personnel in the control room leveled off the boat by manually flooding number two main ballast tank, bringing her to rest on the ocean floor.) Publications were burned, and all assembled to the forward torpedo room to escape. The escape was delayed by a Japanese patrol, which dropped charges, and started an electrical fire in the forward battery. Thirteen men escaped from the forward torpedo room, and by the time the last made his exit, the heat from the fire was so intense that the paint on the bulkhead was scorching, melting, and running down. Of the 13 men who escaped, only eight reached the surface, and of these but five were able to swim until rescued.

When the nine survivors were picked up by a destroyer escort, there were victims of TANG's previous sinkings on board, and they inflicted tortures on the men from TANG. With great humanity, O'Kane states, "When we realized that our clubbings and kickings were being administered by the burned, mutilated survivors of our own handiwork, we found we could take it with less prejudice."

The nine captives were retained by the Japanese in prison camps until the end of the war, and were treated by them in typical fashion. The loss of TANG by her own torpedo, the last one fired on the most successful patrol ever made by a U. S. submarine, was a stroke of singular misfortune. She is credited with having sunk 13 vessels for 107,300 tons of enemy shipping on this patrol, and her Commanding Officer was awarded the Congressional Medal of Honor.

On her last patrol TANG fired twenty-four torpedoes in four attacks. Twenty-two torpedoes found their mark in enemy ships, sinking 13 of them one missed, and the last torpedo, fired after a careful check-over, sank TANG. This vessel was awarded the Presidential Unit Citation twice during her career. Commander O'Kane has been called the Submarine Force's most outstanding officer he served as Executive Officer of the very successful WAHOO before taking command of TANG.

In her five patrols, TANG is credited with sinking 31 ships, totaling 227,800 tons and damaging two for 4,100 tons. This record is unexcelled among American submarines. In her first patrol, spending February 1944 west of Truk and Saipan, she sank three freighters, a large tanker and a submarine tender. TANG's second patrol was in the area west of Palau, east of Davao and at Truk. She made no ship contacts worthy of attack, but at the latter island she rescued twenty-two Navy airmen during a carrier based strike at Truk on 30 April-1 May 1944. This vessel's third patrol was in the East China and Yellow Seas. Here she sank six freighters, a tanker, and a large aircraft transport. She covered the waters along the southern coast of Honshu in August 1944. She sank a freighter, a large transport, a tanker and two patrol craft, while she damaged another freighter and small craft.

Veja também Ed Howard's Patrulha Final página em USS Tang (link externo).


Tang (SS-306)


USS Tang returning after her second war patrol.

USS Tang (Cdr. Richard Hetherington O'Kane) is sunk by a circular-running torpedo fired by herself near Turnabout Island in Formosa Strait in position 25º06'N, 119º31'E. There were only 9 survivors, including the Commanding Officer, O'Kane. They were picked up by a Japanese escort and became POW's.

After his return from Japan, Cdr. O'Kane was awarded the Congressional Medal of Honor on 27 March 1946.
Citação
Rank and organization: Commander, U.S. Navy, commanding U.S.S. Tang. Place and date: Vicinity Philippine Islands, 23 and 24 October 1944. Entered service at: New Hampshire. Born: 2 February 1911, Dover, N.H. Citation: For conspicuous gallantry and intrepidity at the risk of his life above and beyond the call of duty as commanding officer of the U.S.S. Tang operating against 2 enemy Japanese convoys on 23 and 24 October 1944, during her fifth and last war patrol. Boldly maneuvering on the surface into the midst of a heavily escorted convoy, Comdr. O'Kane stood in the fusillade of bullets and shells from all directions to launch smashing hits on 3 tankers, coolly swung his ship to fire at a freighter and, in a split-second decision, shot out of the path of an onrushing transport, missing it by inches. Boxed in by blazing tankers, a freighter, transport, and several destroyers, he blasted 2 of the targets with his remaining torpedoes and, with pyrotechnics bursting on all sides, cleared the area. Twenty-four hours later, he again made contact with a heavily escorted convoy steaming to support the Leyte campaign with reinforcements and supplies and with crated planes piled high on each unit. In defiance of the enemy's relentless fire, he closed the concentration of ship and in quick succession sent 2 torpedoes each into the first and second transports and an adjacent tanker, finding his mark with each torpedo in a series of violent explosions at less than l,000-yard range. With ships bearing down from all sides, he charged the enemy at high speed, exploding the tanker in a burst of flame, smashing the transport dead in the water, and blasting the destroyer with a mighty roar which rocked the Tang from stem to stern. Expending his last 2 torpedoes into the remnants of a once powerful convoy before his own ship went down, Comdr. O'Kane, aided by his gallant command, achieved an illustrious record of heroism in combat, enhancing the finest traditions of the U.S. Naval Service.

Commands listed for USS Tang (306)

Please note that we're still working on this section.

CommanderA partir dePara
1T / Lt.Cdr. Richard Hetherington O'Kane, USN15 de outubro de 194324 Oct 1944

You can help improve our commands section
Click here to Submit events/comments/updates for this vessel.
Please use this if you spot mistakes or want to improve this ships page.

Notable events involving Tang include:

8 Jan 1944
With her trials and initial training completed USS Tang (Lt.Cdr. Richard Hetherington O'Kane) arrived at Pearl Harbor.

22 Jan 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) departed from Pearl Harbor for her 1st war patrol. She was ordered to patrol in the Mariana / Caroline Islands area.

17 Feb 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese army cargo ship Gyoten Maru (6854 GRT) and the Japanese merchant tanker Kuniei Maru (5184 GRT) about 130 nautical miles west-north-west of Truk in position 08°00'N, 149°17'E.

22 de fevereiro de 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese auxiliary gunboat Fukuyama Maru (3581 GRT) about 60 nautical miles south-west of Saipan in position 15°14'N, 144°55'E.

23 de fevereiro de 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese repair ship Yamashimo Maru (6777 GRT) west of Saipan in position 14°45'N, 144°32'E.

24 Feb 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese merchant cargo ship Echizen Maru (2424 GRT) west of Saipan in position 15°45'N, 143°29'E.

25 de fevereiro de 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese fleet tanker Choko Maru (1790 GRT) west of Saipan in position 15°46'N, 144°10'E.

3 Mar 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) ended her 1st war patrol at Midway.

16 Mar 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) departed from Midway for her 2nd war patrol. She was ordered to patrol off the Palau's.

15 de maio de 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) ended her 2nd war patrol at Pearl Harbor. She had on board 22 aviators she had rescued during air-attacks on Truk.

8 Jun 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) departed from Pearl Harbor for her 3rd war patrol. She was ordered to patrol in the East China and the Yellow Seas.

24 Jun 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese army cargo ships Tamahoko Maru (6780 GRT) and Kennichi Maru (1937 GRT) and the Japanese merchant tanker Nasusan Maru (4399 GRT) and the Japanese merchant cargo ship Tainan Maru (3175 GRT) outside Nagasaki harbour, Kyushu, Japan in position 32°24'N, 129°38'E.

30 Jun 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese merchant cargo ship Nikkin Maru (5705 GRT) in the Yellow Sea off Mokpo, Korea in position 35°05'N, 125°00'E.

1 de julho de 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese fleet tanker Takatori Maru No.1 (878 GRT) off Mokpo, Korea in position 34°21'N, 123°55'E and the Japanese merchant cargo ship Taiun Maru No.2 (998 GRT) in position 34°42'N, 125°25'E.

4 Jul 1944
While operation in the Yellow Sea off the west coast of Korea, USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese merchant cargo ships Asukasan Maru (6886 GRT) in position 35°22'N, 125°56'E and Yamaoka Maru (6932 GRT) in position 36°05'N, 125°48'E.

6 Jul 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese merchant cargo ship Dori Go (1469 GRT) in the Yellow Sea in position 38°50'N, 123°35'E.

14 Jul 1944
USS Tang (Lt.Cdr. R.H. O'Kane) ended her outstanding 3rd war patrol at Midway.

31 Jul 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) departed from Midway for her 4th war patrol. She was ordered to patrol off the east coast of Honshu in Japanese home waters.

11 Aug 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese merchant cargo ship Roko Maru (3328 GRT) off the southern coast of Honshu, Japan in position 33°58'N, 136°18'E.

22 Aug 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese army cargo ship Nansatsu Maru No.2 (116 GRT) off Mikizaki, Japan in position 34°01'N, 136°21'E.

23 de agosto de 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese cargo ship Tsukushi Maru (1859 GRT) off Hamamatsu, Japan in position 34°37'N, 137°52'E.

25 de agosto de 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese merchant tanker Nanko Maru No.8 (834 GRT) south of Mikizaki, Japan in position 33°55'N, 136°18'E.

3 de setembro de 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) ended her 4th war patrol at Pearl Harbor.

24 de setembro de 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) departed from Pearl Harbor for her 5th war patrol. She was ordered to patrol in Formosa Strait.

27 Sep 1944
USS Tang (Cdr. Richard Hetherington O'Kane) refuels at Midway.

11 de outubro de 1944
USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese merchant cargo ships Joshu Go (1658 GRT) and Oita Maru (711 GRT) in Formosa Strait in position 25°00'N, 121°00'E.

23 Oct 1944
While operating in Formosa Strait USS Tang (Cdr. R.H. O'Kane) torpedoed and sank the Japanese army cargo ships Toun Maru (1915 GRT) and Tatsuju Maru (1944 GRT) and the Japanese troop transport Wakatake Maru (1920 GRT) in position 24°49'N, 120°26'E and the Japanese merchant cargo ship Kori Go (1339 GRT) in position 24°42'N, 120°21'E.

24 Oct 1944
While continuing her operations in Formosa Strait, USS Tang (Cdr. Richard Hetherington O'Kane) torpedoed and sank the Japanese tanker Matsumoto Maru (7024 GRT) in position 25°04'N, 119°35'E and the Japanese merchant cargo ship Ebara Maru (6957 GRT) in position 25°03'N, 119°35'E. However the Tang is sunk by her own torpedo thereafter.

Links de mídia


O'KANE-RICHARD

RADM Richard Hetherington "Dick" O'Kane USN Ret. graduated the Naval Academy in May 1934 and went to sea on USS Chester CA-27, then USS Pruitt DD-347. In 1938 he completed Submarine Training at New London and started his long connection with submarine service on the USS Argonaut SM-1. His next assignment was as Executive Office, USS Wahoo SS-238. The Wahoo completed five combat patrols during his assignment that ended in 1943.

Detached, he was ordered as Prospective Commanding Officer of a submarine so new that it was under construction when the orders were cut. After commissioning, October 1943, he was Commanding Officer, USS Tang SS-306. In five War Patrols the Tang sank 31 ships, one of the very top Pacific Campaign records for submarine achievement. One of his favorite tactics of attack was to take the Tang into an enemy convoy and attack ships ahead and behind in the heart of the convoy while avoiding escorting combat ships. He excelled at combat aircraft lifeguard duties to recover aviators. Off Truk Island Tang rescued 22 airmen (and one Japanese airman) in one mission, earning a Presidential Unit Citation one of two earned during his command of the Tang.

In the Formosa Sea O'Kane launched a spread of three torpedoes and the third circled back and sunk the Tang. O'Kane and eight of his crew survived the sinking but only five, including O'Kane survived being exposed to the cold water and were taken prisoner by the Japanese. O'Kane spent the remainder of the war at the Japanese Prisoner of War Camp, Omori Japan. He was later a witness at the Japanese War Crimes Trials.

He returned to active duty as CO, USS Pelias AS-14 with PACRESFLT, then as XO, USS Nereus AS-17. His next assignment was as COMSUBDIV 32, then as a student, Armed Forces Staff College, followed by Officer in Charge, Sub School, New London, and then back to sea as CO, USS Sperry AS-12. He completed his career as a student, Naval War College and then duty in Washington D.C., retiring as a Rear Admiral in 1957.

Other awards earned by RADM O'Kane are the Navy Commendation Medal W/V, Purple Heart, Combat Action Ribbon, Prisoner of War Medal, National Defense Service Medal with Fleet Clasp, Asiatic-Pacific Campaign Medal W/9 stars, World War II Victory Medal and National Defense Service Medal.

The Wardroom of the oldest active attack submarine in the Pacific Fleet carries a cribbage board presented to RADM O’Kane by the commissioning crew of the second USS TANG (SS-563). When decommissioned, the board transfers to the next oldest attack boat in the Pacific.

Rear Admiral O'Kane and his wife are buried at Arlington National Cemetery.

Submitted by Doug Bewall RMCM USN Ret.

RADM Richard Hetherton O’Kane, USN (Retired)

As Commanding Officer of the USS TANG SS-306, RADM O’Kane was credited with sinking 31 enemy merchant and Man-O-War ships, totaling 227,800 tons, during World War II.


Assista o vídeo: SubmarinoAlemán U 515 Hundimiento Animación (Outubro 2021).