Notícia

A vila de contos de fadas de Alberobello e suas pitorescas casas Trulli

A vila de contos de fadas de Alberobello e suas pitorescas casas Trulli

Alberobello, traduzido literalmente como "Bela Árvore", é uma pequena cidade com edifícios históricos únicos chamados trulli. Também é graças às casas trulli fotogênicas que Alberobello foi inscrita como Patrimônio Mundial da UNESCO em 1996.

Alberobello está situado na cidade metropolitana de Bari, na Apúlia, que é a região que forma o "calcanhar" da Itália. Por volta de 1000 DC, a presença humana na área da cidade moderna foi limitada a uma dispersão de assentamentos rurais. Com o tempo, eles se transformaram em Aia Piccola e Monti, bairros da cidade moderna.

Alberobello, Apúlia, Itália. (babyfalk / Adobe Stock)

O que são casas Trulli?

Por volta de meados do século XIV DC, a área foi doada por Roberto II, o Príncipe de Taranto, ao Conde de Conversano, como recompensa por suas contribuições durante as Cruzadas. Os primeiros trulli em Alberobello são considerados até este período da história da cidade.

Em essência, um trullo é uma construção de pedra seca mísula. Em outras palavras, tais estruturas são construídas sem o uso de argamassa ou cimento. Acredita-se que este método de construção tradicional tenha se originado nos tempos pré-históricos e ainda está em uso hoje.

  • Craco: a cidade fantasma medieval abandonada da Itália
  • Especialistas tentam resolver o mistério de milhares de antigas partes do corpo de argila espalhadas por toda a Itália
  • Temos um templo, um teatro e um portão? Verificar! Novos detalhes surgem no planejamento urbano romano na Itália central

O trulli de Alberobello pode ser dividido em duas partes diferentes. A primeira parte dessas estruturas são as paredes caiadas de branco, que são retangulares e construídas diretamente na rocha calcária. Estas paredes são construídas na técnica de dry-stone wall e são compostas por duas faces (uma no exterior e outra no interior da estrutura), com um núcleo de entulho. Essas paredes de calcário são perfuradas por uma porta e pequenas janelas, e uma lareira interna e alcovas podem ser construídas nelas.

Casas Trulli em Alberobello, Itália . (Svitlana Belinska / Adobe Stock)

A segunda parte, que torna os trulli tais estruturas icônicas, são os telhados cônicos (alguns deles podem ter forma de cúpula ou piramidal). Como as paredes abaixo deles, os telhados dos trulli também são construídos sem o uso de cimento ou argamassa e são compostos por duas camadas. A camada interna é formada por pedras em forma de cunha dispostas em forma de cúpula e cobertas por uma pedra de fechamento.

A camada externa, por outro lado, é estanque e feita com lajes de calcário consoladas conhecidas como Chianche ou chiancarelle. Ao utilizar um recurso arquitetônico conhecido como squinch (também chamado de arco de canto), os trulli são capazes de transitar diretamente de paredes retangulares para telhados cônicos. Muitos desses telhados exibem marcas religiosas ou mitológicas em cinza branca e são encimados por um pináculo decorativo. Acredita-se que eles têm uma função apotropaica e têm como objetivo afastar o mal.

Telhados revestidos de Chiancarelle em Alberobello, província de Bari, Itália. ( Araraadt / Adobe Stock)

Protegendo o Mal ou apenas os taxistas de Alberobello?

Segundo uma fonte, os trulli foram construídos como uma forma de evitar o pagamento de impostos às autoridades. Os habitantes da cidade poderiam facilmente demolir suas casas sempre que ouvissem que os cobradores de impostos estavam para visitar, permitindo-lhes escapar do pagamento de impostos. A reconstrução demoraria cerca de seis meses.

Segundo outra fonte, o conde de Conversano permitiu que os camponeses de suas terras se mudassem para o campo com a condição de que encontrassem algum abrigo, para maximizar a produção agrícola. Embora os camponeses pudessem construir suas casas de pedra, eles não tinham permissão para usar argamassa para manter os materiais de construção juntos, pois o conde insistia que essas moradias deveriam ser facilmente removidas quando ele quisesse. Como resultado, os trulli foram construídos.

  • Michelangelo: uma mistura de verdadeiro talento encontrando grande sorte
  • As ruínas do Valle dei Mulini: abandonado pelos humanos, recuperado pela natureza
  • Ecos do passado: as igrejas das cavernas de Matera

Trullo em Alberobello. ( e55evu / Adobe Stock)

Outras características do Alberobello

Embora os trulli devam ser facilmente destruídos, muitos deles sobreviveram por um longo período de tempo. Hoje, existem cerca de 1.500 trulli localizados na zona dei trulli, que fica na parte mais ocidental das duas colinas da cidade. A igreja da cidade, a Igreja de Santo Antônio, que foi construída no século 20, é outra característica que adotou o estilo trullo. É por causa dos trulli que Alberobello foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 1996.

Os trulli conferem uma atmosfera de conto de fadas à paisagem de Alberobello e isso atraiu muitos turistas à pequena cidade. Vários dos proprietários dessas construções as transformaram em lojas, algumas pessoas moram nelas e outras as alugam para as pessoas ficarem. Alguns aluguéis de trulli são até equipados com móveis antigos para imitar o que um trulli original teria. parecia interior nos anos 1600-18s.

Cozinha de trullo tradicional. (Rossella / Adobe Stock)


Não é um conto de fadas que você está em Alberobello!

Alberobello

Trulli rodeada de vinhas e olivais a perder de vista, esta é a face mais autêntica do Vale de Itria. A paisagem enche o olhar de uma magia atemporal, no coração de aldeias encantadoras como Alberobello, Locorotondo, Martina Franca e Cisternino.Ostuni parece uma miragem, esplêndida na colina do planalto coberto de oliveiras, onde o verde mergulha no azul do Mar Adriático. Basta um passeio pelas ruelas para admirar os belos pátios e praças emolduradas por casinhas brancas, lojas de artesanato e restaurantes onde se confeccionam deliciosas carnes assadas e saborosos vegetais sazonais.

Aqui você vive sereno, imerso nos aromas e sabores do passado. Na planície do Fasano, pare para descansar em uma fazenda histórica convertida em um resort de bem-estar. As casas antigas têm uma história para contar, escondidas nos jardins de ervas aromáticas, e os terraços oferecem vistas deslumbrantes. Deixe os seus sentidos guiá-lo para descobrir habitats muito diferentes: olivais e pastagens antigas, dunas fósseis e, finalmente, praias encantadoras. Em Egnazia mergulhe na história mergulhando nas águas transparentes junto às escavações arqueológicas e na Torre Guaceto nade na natureza intocada da grande área marinha protegida.

A impressionante extensão de Alberobello trulli foi reconhecida como Patrimônio Mundial em 1996 e premiada com a Bandeira Laranja pelo Touring Club italiano em virtude da excelente oferta de acomodação e harmonia arquitetônica. No distrito de Monti, entrecruzam-se ruelas sinuosas e praças características, onde se destacam os "trulli siameses", com a sua cobertura original de dois cones, a Igreja de Sant'Antonio e o Trullo Sovereign. Não perca o Museu do Território, inserido num complexo de trulli comunicantes, e a Casa do Amor, hoje um precioso posto de informação turística, o primeiro edifício de toda a vila construído em cal e argamassa.

Uma extensão de trulli de pedra seca dá a Alberobello um horizonte único e inimitável, reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Mundial.

No coração da Murgia dei Trulli, a 50 quilômetros de Bari, uma extensão graciosa de pináculos anuncia Alberobello, com seu característico centro histórico, um Patrimônio Mundial. Bandeira laranja para o Touring Club italiano, o coração do país é inteiramente composto por os trulli, as casas originais de pedra seca, caiadas de cal virgem e o telhado em forma de cone feito de pedras expostas. Cruzes, corações perfurados e símbolos do zodíaco decoram o teto de cada trullo, que preserva seu mistério intacto. É um labirinto de vielas sinuosas, com mais de 1000 trulli, o Rione Monti, o mais antigo da cidade, juntamente com o bairro de Aia Piccola, onde se destaca a Casa Pezzolla, um complexo de 15 trulli comunicantes hoje utilizado como Museu da Território, e o Trullo Sovereign, que hospeda shows e concertos. Até as igrejas em Alberobello têm a forma de um trullo. A Igreja de Sant'Antonio tem planta em cruz grega, onde se destaca uma cúpula de 21 metros. Também vale a pena visitar a Basílica menor dos Santos Médici, que abriga as imagens da Madona de Loreto e dos santos padroeiros Cosma e Damiano.


A região italiana de Puglia é repleta de cidades de contos de fadas, bons vinhos e comida maravilhosa

Fora de temporada, em outubro, Puglia (também conhecido como o salto da bota) oferece temperaturas amenas em meados dos anos 20 e um valor incrível.

Você pode dormir em um belo trullo - uma cabana cilíndrica de pedra branca de conto de fadas com um telhado cônico - por um terço do preço de uma bela casa de fazenda toscana.

Tendo nos visitado pela primeira vez em uma viagem para nossa lua de bebê há mais de dois anos, já tínhamos marcado os incríveis pontos turísticos da cidade de Matera.

Tecnicamente, fica na região vizinha de Basilicata, mas a apenas uma hora de carro da cidade mais icônica de Puglia, Alberobello, com mais de 1.000 trulli pontilhando suas encostas.

Matera, como Alberobello, é um Patrimônio Mundial da UNESCO, mas é construída em cavernas naturais, com igrejas esculpidas na rocha e adornadas com incríveis afrescos antigos, situadas entre cavernas onde as pessoas viveram por mais de 9.000 anos.

Se você viu o trailer do tão aguardado filme de James Bond No Time To Die, você já deve ter visto suas belas vistas.

Mas em uma cidade que transborda história, há joias contemporâneas também - como o moderno museu de esculturas MUSMA, entrada £ 7 (Musma.it) - então pule para uma viagem de um dia ou durante a noite, se puder.

As belas cidades da Puglia de Ostuni e Lecce também devem ser inseridas em qualquer pausa para iniciantes.

Vida na villa

Montamos acampamento em Tenuta Montanaro, uma villa a oito minutos de carro da bela cidade murada de Locorotondo.

Nosso trullo pitoresco e tradicionalmente decorado acomoda seis pessoas, então, com três de nós (o marido Andy, a criança Poppy e eu), foi um prazer.

Louças rústicas, uma churrasqueira, uma piscina linda (embora nippy) e figos e nozes frescas crescendo no jardim com vista para os vinhedos do proprietário tornaram-no um achado especial.

Ainda mais quando fomos recebidos com vinho caseiro, torta de frutas e Now TV.

Com uma criança a reboque, a exploração é mais lenta.

Existem praias lindas como Torre Canne, a meia hora de distância e felizmente vazias a partir de outubro.

Mas Poppy adorava correr pelo estreito labirinto de ruas em cidades caiadas de branco, subir enormes escadas de pedra cobertas por plantas rastejantes e ter o cabelo bagunçado pelos nonnos (avós) que ainda administravam os restaurantes de sua família.

Depois de explorar as lindas lojas de cerâmica e tecidos em Cisternino, a 20 minutos de carro, pegamos uma mesa ao ar livre no Rosticceria L'antico Borgo.

Chegando um pouco antes do horário de pico das 13h, não resistimos ao prato de bombetta especialidade local - "bombas" de carne recheadas com queijo, £ 10 - enquanto Poppy comia um orecchiette de tomate (o macarrão da região, £ 5, que tem o formato de orelhas ), e tentamos beliscar nosso vinho tinto caseiro, 7 libras a garrafa (Rosticceria-lanticoborgo.it).

Depois de avistar uma sorveteria descolada, pedimos ao garçom sua dica sobre os melhores furos da cidade e fomos encaminhados ao Bar Fod 1951, de aparência um pouco cansada, na pequena praça próxima.

As aparências, como costuma acontecer, enganavam.

O vinagre balsâmico caseiro e o gelato de tomate seco ao sol, a partir de £ 1,75 a colher, eram incrivelmente mais saborosos - os sabores incomuns eram surpreendentemente doces!

Doces e primitivo

Uma manhã favorita veio quando pulamos em duas rodas com Damiano da eBike Puglia, na vizinha Martina Franca.

Poppy adorava observar os cavalos de seu assento enquanto caminhávamos pela paisagem circundante pontilhada de trulli, aprendendo sobre as tradições da Puglia.

Quase sem suar, apesar das pistas ondulantes, paramos para almoçar em uma fazenda onde fazem ricota fresca todas as manhãs e a servem com capocollo, o presunto curado local e a divina focaccia.

Um passeio de quatro horas, incluindo almoço com vinho, custa £ 52 por pessoa - assentos infantis para bicicletas são gratuitos (Ebikepuglia.com).

Voltar para Alberobello pode ter sido principalmente para o pasticciotto - pequenas tortas recheadas com creme, chocolate, cereja e pistache - na renomada confeitaria Martinucci (Martinuccilaboratory.it), mas também absorvemos o ponto turístico normalmente movimentado com muito menos multidões.

Visitar a Itália é sempre sobre a culinária.

Como a degustação de vinhos em um vinhedo local parecia muito otimista com Poppy, fomos até a loja de vinhos I Pastini em Locorotondo e descobrimos os brancos delicados faraone e cupa, a partir de £ 6 a garrafa, para equilibrar os tintos primitivos inebriantes mais famosos no sul de Puglia ( Ipastini.it).

Em seguida, colocamos nosso novo conhecimento em prática no Bina Ristorante. Entrando, com seus expositores de vinho reluzentes e toalhas de mesa de linho branco, entrei em pânico - parecia muito sofisticado para uma birra de criança.

No entanto, a família está no centro da comunidade aqui, e logo o lugar estava cheio de crianças e nossos pratos de flores de abobrinha com ricota, £ 9, coelho selvagem, £ 14 e torta de geléia da Nonna (vovó), £ 4,50, estavam ótimos valor e servido com amor.


Casas Hobbit na Itália? Não exatamente, mas tão charmoso

Siga para a Puglia para fazer um tour pelos trulli, residências tradicionais com uma história fascinante.

Dirija ao redor do Vale de Itria, no sudeste da Itália, e você descobrirá casas saídas de um conto de fadas. De tamanho diminuto e encimado por telhados cônicos feitos de calcário empilhado, trulli- as estruturas tradicionais da Puglia - parecem colmeias de outro planeta. Encontrados em quase todas as estradas rurais do vale, os trulli não são curiosidades ociosas, eles são usados ​​ativamente como casas, fazendas, pensões e muito mais.

Eles não são difíceis de encontrar. Vários milhares de trulli são visíveis no Vale de Itria, com mais de 1.500 concentrados em Alberobello, uma cidade localizada a cerca de 40 milhas ao sul da cidade portuária de Bari. (Clique aqui para obter um retrato fascinante desta memorável cidade italiana à beira-mar.) Alguns trulli de Alberobello datam do século 14, este conjunto arquitetônico foi inscrito na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 1996.

As pessoas começaram a se estabelecer na região de Alberobello há cerca de mil anos, e a construção de trulli na área provavelmente começou nessa época. Mas a origem de sua forma é muito mais antiga, algumas fontes dizem que a ideia surgiu com os gregos quando eles colonizaram o sul da Itália entre os séculos 8 e 5 a.C. Tholos, as câmaras funerárias gregas, tinham telhados em cúpula semelhantes, a palavra grega antiga trullos (τρούλος) significa cúpula.

Construídos na tradição da pedra seca - uma técnica de construção sem argamassa usada na bacia do Mediterrâneo por vários milhares de anos - os trulli de Puglia têm paredes caiadas de branco e telhados mísseis. Muitos têm Pinnacoli em seus telhados, esses pináculos em forma de botão variam em forma e podem ter ajudado a trulleros, ou construtores de trulli, para identificar seu trabalho. Vários trulli apresentam símbolos como cruzes ou olhos malignos - alguns astrológicos, outros cristãos ou pagãos - pintados de branco em seus telhados. Embora seja uma curiosidade para muitos, essas marcações não são originais, segundo a Dra. Annunziata Berrino, professora de história contemporânea da Universidade de Nápoles e autora de um livro sobre o assunto. “Eles foram inventados [ao longo do tempo] para satisfazer a curiosidade do visitante”, diz ela.


Sassi Morando em Matera e Trulli Magic Alberobello

A intrigante cidade italiana de Matera vive & # 8220Sassi & # 8221 como nenhum outro lugar do mundo. Estas primitivas & # 8220Sassi & # 8221 (casas em cavernas) vagam discretamente sob elegantes casas e grandes catedrais. Matera foi outrora considerada a & # 8220 vergonha-da-Itália & # 8221, mas desde então passou da miséria à riqueza e foi recentemente reconhecida como a Capital Europeia da Cultura em 2019. O Sassi e o O Parque das Igrejas Rupestres é Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1993.

Situado na região da Basilicata na Itália, o & # 8220Sassi di Matera & # 8221 é considerado um dos primeiros assentamentos humanos na Itália, com muitos estudiosos debatendo a possibilidade de as cavernas terem sido ocupadas por humanos desde o 10º milênio AC (Idade Paleolítica), tornando-se potencialmente um dos mais antigos assentamentos continuamente habitados do mundo.

Do outro lado da fronteira com a Puglia, o mágico & # 8220trulli & # 8221 de alberobello (os trulli são casas de pedra com telhado cônico) parece entrar em um mundo de fantasia gnomo. Este local do Patrimônio Mundial da UNESCO tem mais de 1.500 casas & # 8220trullo & # 8221 (forma singular de trulli) bem preservadas concentradas nesta pequena cidade.

Nossas viagens de autocaravana na Itália agora tomaram uma nova direção. Deixando a Costa Amalfitana da Campânia e # 8217 no lado oeste da Itália, estávamos ansiosos para explorar o lado sudeste, especialmente as regiões de Puglia e Basilicata.

Levamos cerca de quatro horas para atravessarmos de oeste a leste na boa pista que era surpreendentemente muito melhor do que esperávamos. Basilicata e Puglia são conhecidas por serem muito bonitas, mas com muito para explorar e apenas alguns dias restantes na Itália, optamos por explorar apenas Matera e Alberobello.

Matera

Chegamos ao Agriturismo Masseria del Pantaleone (GPS N40.65265 E16.60617) perto de Matera na hora do almoço. Situado a cerca de 15 minutos de carro da cidade ou 40-45 minutos a pé colina acima. Optamos por relaxar no acampamento o resto do dia, deixando a exploração para o dia seguinte. Descobrimos que o acampamento oferecia um serviço de transporte gratuito para a cidade, que nos disseram que sairia do acampamento para Matera & # 8217s no centro da cidade por volta das 10h da manhã seguinte, então decidimos aproveitar ao máximo este serviço.

Olhando para a ravina abaixo, pode-se imaginar a luta da vida aqui apenas algumas décadas atrás.

Matera parecia quase sobrenatural depois do que havíamos experimentado na Costa Amalfitana, era um contraste total. Uma paisagem evocativa de ravinas profundas, rochas e cavernas. Os ocupantes anteriores desta cidade troglodita viviam em extrema pobreza e doenças generalizadas, como habitantes das cavernas que viviam à beira de uma ravina. O assentamento original de Matera & # 8217s de casas subterrâneas foi escavado na rocha calcária ao lado de dois cânions escavados pelo Rio Gravina.

Matera parecia quase sobrenatural, esculpida na rocha calcária ao lado de uma ravina.

Devido ao saneamento deficiente, toda a população de Sassi foi realocada à força na década de 1950, para áreas da cidade moderna em desenvolvimento. Mas, desde o início de 1990, muitas das casas em cavernas foram modernizadas com alguns subsídios da União Europeia e investidores privados ansiosos para lucrar com esses ambientes exclusivos. Hoje em dia, eles abrigam muitos negócios prósperos, como lojas, restaurantes, hotéis elegantes e propriedades de férias. Os turistas adoram a ideia romântica de dormir em uma caverna-hotel / caverna-casa.

Matera ganhou um impulso financeiro e de popularidade ao se tornar Patrimônio Mundial da Unesco em 1993. O local protegido pela UNESCO é composto pelos antigos bairros da cidade de Matera e também pelo Parque das Igrejas Rupestres. A popularidade da cidade aumentou ainda mais quando ganhou o prêmio de Capital Europeia da Cultura em 2019.

Matera tem vários museus interessantes, incluindo & # 8220Casa Noha & # 8221, supostamente um lugar excelente para aprender sobre as casas das cavernas & # 8217 história. Infelizmente, a Casa Noha foi fechada durante nossa estada na cidade, mas achamos uma visita a uma das casas-caverna & # 8220Casa Grotta di Vico Solitario & # 8221 absolutamente fascinante. Agora é preservado como um museu que mostra como as vidas dos habitantes & # 8217s teriam sido, completo com acessórios, acessórios e até mesmo gado modelo. A família inteira (em média seis membros), incluindo animais como burros, galinhas e porcos, vivia junto na caverna e era mobiliada como naquela época.

Casa Grotta di Vico Solitario, para um vislumbre da vida na velha Matera.

Casa Grotta di Vico Solitario. Em média 6 pessoas viveriam nesta pequena casa-caverna. Devido às restrições da Covid-19, apenas um pequeno grupo de pessoas tinha permissão para entrar por vez e as máscaras também eram obrigatórias. Uma vez lá dentro, um guia explicou tudo sobre a história da casa da caverna.

Exploramos principalmente os dois distritos de Sassi (significa pedras em italiano) chamados Sasso Caveoso e Sasso Barisano, ambos construídos em cavernas naturais que foram escavadas e transformadas em um lar por milhares de anos. É um mundo estranho que não parece muito real. A melhor maneira de explorar esses bairros é a pé (já que apenas os carros locais & # 8217s são permitidos aqui em qualquer caso), portanto, continuamos andando pelo labirinto de becos estreitos, subindo e descendo escadas de pedra irregulares, chegando a alguns mortos estranhos termina e pequenos pátios adornados com vasos de flores.

Muitas das casas-caverna ainda estão desabitadas

Arte interessante em toda a cidade.

Também vale a pena visitar a Igreja de Santa Maria de Idris, situada no penhasco de Monterrone que fica em Matera. A igreja foi construída dentro da própria rocha. Há algumas vistas encantadoras sobre o Sassi de lá. Veja abaixo, a igreja é o edifício de pedra mais alto,

Vistas da ravina abaixo e no topo fica a Igreja de Santa Maria (Chiesa di Santa Maria di Idris) escavada na rocha de Idris.

Para o reconhecimento da capital da cultura, não ficamos surpresos ao ver esta escultura gigante de bronze de Salvador Dalí, chamada & # 8220Surreallist Piano & # 8221 na Piazza San Francesco d & # 8217Assisi.

The & # 8220Surrealist Piano & # 8221 de Salvador Dali.

Matera também foi usada como pano de fundo para alguns filmes bíblicos, como The Passion of the Christ (2004), de Mel Gibson, e até mesmo um filme de James Bond. Por ser uma cidade de aspecto único, não é surpreendente que tenha sido usada muitas vezes pela indústria cinematográfica.

Comemorei meu aniversário em Matera, desfrutando de uma bela refeição em um restaurante local e alguns telefonemas de amigos e familiares.

& # 8220 Já mencionei que hoje é meu aniversário? & # 8221

Antes de sairmos da cidade paramos em uma pequena padaria para comprar o pão local. Há uma variedade de pães diferentes nesta região, mas nenhum é tão considerado como o antigo Pane di Matera. É uma grande besta de um pão, com uma crosta dura marrom escura com uma migalha amarela pálida macia. Aparentemente, a estranha forma cônica deve se parecer com as montanhas próximas de Murgia.

O pão Matera local é uma besta de um pão.

A verdade Pane di Matera é feito com um grão de semolina moído Lucanian conhecido como ‘ Senatore Cappelli 'E o processo de fermentação também é importante com o fermento retirado de uvas e figos fermentados em água de nascente local. Nós realmente gostamos de comer mais tarde, quando voltamos para Big Bill (nosso motorhome) com nossa refeição da noite e uma taça de vinho italiano.

Assim que terminamos de explorar, voltamos para o nosso acampamento agriturismo. Talvez caminhar de volta não tenha sido a melhor ideia, já que foram uns bons 45 minutos sob um sol quente, caminhe de volta e acabamos nos perdendo um pouco. Matera foi certamente uma cidade muito memorável, mesmo uma curta visita, ficamos duas noites, foi o suficiente para nos deixar boquiabertos. Algumas das atrações foram fechadas devido à pandemia de Coronavirus, mas o evento principal realmente foi exatamente o que pode ser visto durante uma caminhada por esta cidade italiana mais incrível.

Combinamos esta visita a Basilicata com uma visita à região vizinha de Puglia, deixando nosso acampamento logo após o café da manhã no dia seguinte, dirigimos por apenas uma curta hora e meia, por uma adorável estrada rural para a mágica Alberobello.

Alberobello

A cidade de Alberobello foi nomeada em homenagem à floresta primitiva de carvalhos Arboris Belli (que significa belas árvores) que já foi endêmica nesta região. Esta cidade que é Patrimônio Mundial da UNESCO tem uma densa concentração de casas com telhado em forma de cone que estão espalhadas pela zona rural de Puglia. O Alberobello & # 8220Zona dei Trulli & # 8221 consiste em uma densa massa dessas casas em forma de colmeia, construídas com a técnica de pedra seca (sem o uso de cimento e argamassa).

As casas Trulli costumam ter marcas mitológicas ou religiosas em cinzas brancas e terminam em um pináculo decorativo que se acredita afastar as más influências ou azar.

Brian e eu adorávamos dar uma olhada nas casas dos Trulli.

As paredes caiadas do Trulli são compostas por uma pele dupla com um núcleo de entulho. Há a porta principal da casa e pequenas janelas. Os telhados têm uma pele interna abobadada de pedra em forma de cunha coberta por uma pedra de fechamento, com a camada externa em forma de cone construída com lajes de pedra calcária consoladas. Os telhados de & # 8220Trulli & # 8221 muitas vezes exibem marcas mitológicas ou religiosas em cinzas brancas e terminam em um pináculo decorativo que se acredita afastar más influências ou azar.

Existem muitas teorias por trás da origem do design. Uma das teorias mais populares é que, devido à alta tributação sobre a propriedade, os proprietários de terras locais construíram paredes de pedra seca para que pudessem ser desmontadas rapidamente quando os inspetores fiscais estivessem na área.

De nosso Alberobello Sosta (GPS N40.78296 E17.23383), era apenas uma curta caminhada até o centro da cidade e as estradas onde a maioria dos Trulli está concentrada. Uma das áreas chamadas Rione Monti tem mais de mil Trulli caindo em cascata pela encosta. Achamos esta área particularmente atmosférica à noite.

Da Piazza del Popolo, existem vistas panorâmicas sobre toda a & # 8220Zona dei Trulli & # 8221.

Aberobello & # 8220Zona Dei Trulli & # 8221.

Gostamos muito de visitar o Trullo Sovrano, construído por uma família rica de padres e # 8217, o único Trullo de dois andares. Agora é um pequeno museu, recriando como teria sido a vida para um morador do Trullo. O edifício original data do século XVII. Ao longo dos anos, foi usada como tribunal, capela, mercearia, mosteiro, oratório e agora a propriedade pertence à família Sumerano. Todos os móveis e acessórios são originais.

Quarto no Trullo Sovrano.

Cozinha em Trullu Sovrano.

No início de 1800, este Trullo foi o lar das relíquias de Cosmo e Damian, santos padroeiros de Alberobello. É protegido pela UNESCO desde 1996.

Alberobello estava excepcionalmente quieta durante nossa visita no final de outubro de 2020, já que esta cidade está firmemente na rota turística e pode ser cercada por grandes grupos de turistas. Nós praticamente tínhamos isso para nós, uma pequena fresta de esperança da atual pandemia de coronavírus. Metade de um dia é o suficiente para explorar esta pequena cidade, mas eu recomendaria pernoitar aqui, se possível, já que é super charmoso à noite com as luzes de fadas cintilantes da cidade.

Alberobello à noite parece um conto de fadas.

Alberobello é ainda mais charmoso à noite.

Havia muitas lojas de souvenirs, bares descolados e ótimos restaurantes, onde se podia fazer compras, comer e beber no estilo & # 8220Trullo & # 8221. Depois de nossa noite de exploração, voltamos para casa, para Big Bill (nosso motorhome) situado a apenas uma curta caminhada do centro da cidade.

A apenas uma curta caminhada da cidade, este Sosta era a parada perfeita para pernoitar.

Estacionado sob algumas oliveiras, tivemos uma noite muito tranquila. Saindo logo após o café da manhã no dia seguinte, dirigimos ao longo do belo Valle d & # 8217Itria em direção a Ostuni. Cercada por olivais, Ostuni é uma cidade bastante grande & # 8220white & # 8221 construída no topo de uma colina. Dirigir o motorhome pela cidade foi um pouco estressante, mas conseguimos encontrar um grande estacionamento na descida do centro da cidade.

Nossa intenção era apenas explorar Ostuni por algumas horas e depois passar a noite em um local costeiro. Pagamos por algumas horas de estacionamento e começamos a subir a pé para explorar a cidade velha com seu centro histórico e a catedral gótica do século XV. As estradas são como um labirinto de becos, com escadas, arcos antigos e edifícios caiados de branco.

Este pequeno caminhão de entrega de vegetais era perfeito para as pequenas estradas de Ostuni.

Finalmente, acabamos na Catedral de Ostuni e eu dei uma espiada lá dentro. A fachada não era tão impressionante quanto o interior, na minha opinião.

Fachada gótica-românica-bizantina com uma rosácea com babados.

Dentro havia arte sacra cobrindo os tetos.

Havia belas obras de arte do século 18 cobrindo os tetos e acima do altar. Definitivamente valeu a pena uma visita. Voltamos para nossa casa sobre rodas logo depois para comer alguma coisa e descansar um pouco. Sair da cidade foi mais fácil, pois já estávamos do lado certo para dirigir até a costa. Encontramos um Sosta amigável em Villanova (GPS40.78726 E17.58855), o proprietário até nos deu uma garrafa de seu próprio vinho para uma degustação. Acho que compramos algumas garrafas para levar conosco no dia seguinte.

Ostuni marcou o fim de nossa visita ao sul da Itália e era hora de voltarmos ao norte. Ao todo, dirigimos por mais de 6 horas nas estradas com pedágio em direção ao norte para chegar ao nosso próximo destino, a remota vila de Genga para nossa visita ao Grotte di Frasassi, um dos maiores sistemas de cavernas da Europa. Minha próxima postagem no blog será a última de nossas viagens de motorhome de dois meses na Itália. Escreverei sobre nossa visita às Cavernas Frasassi em Le Marche e nossos últimos dias na deslumbrante cidade de Portofino, na costa da Ligúria, na Itália.


Conheça a cultura local

Se você está curioso para conhecer a autêntica cultura de Alberobello e mergulhar na vida real de Trulli, pode visitar o Museo del Territorio (Museu do Território) em & # 8220Casa Pezzola & # 8221: um conjunto de 15 salas comunicantes onde tradição e tecnologia se unem para mostrar a história, os hábitos e o folclore da cidade.

De qualquer forma, para aproveitar ao máximo o clima, sugerimos que você caminhe pelas ruelas, avistando e visitando os antigos Trulli, converse com os cariocas e deguste a típica comida deliciosa.

Esta pequena e única localidade também tem uma longa tradição artesanal: ao atravessar as ruas encontra lojas com objectos de ferro forjado, artesanato em madeira de oliveira e peças de roupa de linho.

Alberobello também é um ótimo ponto de partida para uma viagem à Puglia por causa de sua localização.

Indo para o norte, você pode visitar Noci, Putignano e Castellana Grotte. Indo para o sul, você pode encontrar Locorotondo, Martina Franca e Cisternino, que também fazem parte do Vale de Itria.

Só por curiosidade, adivinhe por que os telhados dos Trulli têm esse formato!

Antigamente, na Itália, havia um imposto sobre os telhados. Então, você tinha que pagar esse imposto sobre o número de telhados que tinha.

O pessoal de Alberobello inventou um truque. Eles começaram a construir suas próprias casas com esse telhado cônico feito de pedras encaixadas umas nas outras sem cola ou concreto. Dessa forma, eles poderiam desmontar os telhados a qualquer momento, principalmente na chegada do fiscal da obra.

Eles não podiam saber antes que estavam construindo aquelas casas únicas em todo o mundo.

Start planning your trip to Alberobello now!

Get the direction straight or ask for more info by contacting the Managing Authority, clicking on the map and form below.


Stepping into a Fairy-Tale in Alberobello Trulli Italy

Our next port of call was Bari in Puglia in the South of Italy. It is a beautiful coastal town, but I wanted to see something unique to this part of the world. I went to visit the fairy-tale village of Alberobello Trulli where the buildings are round with cone-shaped roofs.

I was so excited to visit Puglia to see the Trulli houses, I had seen them on many travel shows and really wanted to see them with my own eyes.

Alberobello Trulli is around an hour away from Bari and it is a beautiful drive and the roads are lined with olive and almond trees.

Esta apresentação de slides requer JavaScript.

Alberobello Trulli dates back to the 14 th century and there are over 1400 cone-shaped buildings. They are so unique and you will not find these in any other part of Italy and they are a UNESCO World Heritage Site.

It is like you have stepped back in time and you are walking around a fairy-tale! All the building are white with tiled roofs. Some of the roofs have white symbols written on them, which is meant to bring good luck.


Each cone roof is one room, so the more cone roofs the more rooms. People still live in these buildings today, but many are shops and B&B&rsquos. I think it would be fun to stay in a Trulli house!

The streets are narrow and lined with these beautiful houses, but there are still a few cars driving through these very narrow streets!

There is the Church of St. Anthony which is Trulli church. It is taller, but still white and has the cone tiled roofs.


The Trulli houses are dry-wall constructions without mortar. Today they are difficult and expensive to build.

At the end of the visit, we went to a farmhouse to taste some local wine and focaccia, that was delicious.


ESSENTIAL INFO

  • Weather: Spring 14*C &ndash 18*C / Summer 20*C &ndash 30*C
  • Language: Italian and English is spoken in tourist attractions, restaurants and shops
  • Currency: Euro
  • I visited at the beginning of April so it was quiet, in the summer months it gets very busy here.

I hope you have enjoyed reading Alberobello Trulli, please share on Facebook, Twitter or Pinterest so your friends and family can read too. Sharing is caring!


Alberobello, The Italian version of The Hobbit Village

Alberobello is a small town and commune in the province of Bari, in Puglia, Italy. The population is about 11,000 inhabitants and is famous for its unique trulli constructions. The Trulli of Alberobello are part of the UNESCO World Heritage sites list since 1996.

New Zealand is the country most associated with hobbits, but Alberobello village in southern Italy is not far from this
estilo. All the houses in this strange, but charming village is built in a style very reminiscent of the magic of hobbit shire.

If you still don’t know where you want to go in Europe we suggest to you to go in Alberobello. It is a small but very beautiful town. There you can enjoy in the unusual architecture, fairy tale houses, amazing landscapes and delicious traditional food. It is also very peaceful town, so it would be a perfect destination for a family vacation.

Below you can see 9 amazing photos of the Alberobello town in Italy, that will take your breath away, and will gonna make you to go there and enjoy in the beauty that you can see only there.

Local residents call them corrupt. It is built using the construction technique which allows the wall to withstand what is placed on it. The construction is a limestone, mortar is not used, and the roofs are conic.


Trulli awesome ‘Alberobello’

As every year, April for us is a time for holiday with friends and this year was no different. This time around it was a trip to “Italy’s sun-bleached heel” – Puglia.

If you are planning a trip to Italy, don’t discount the far south of Italy, Puglia (formerly known as ‘Apulia’) which has wonderful sandy beaches, vineyards, pretty villages, mild climate and a relaxed atmosphere. Well, for all you wine lovers, it is in the top 10 wine destinations of the world. (https://www.arrivedercipuglia.com/NEWS/tabid/170/post/10-best-wine-travel-destinations-2013/language/en-GB/Default.aspx). No wonder! why I just loved the Wine there.

It was a perfect holiday destination, and we did manage to see a couple of picturesque towns including Lecce, Otranto, Monopoli, Ostuni, Gallipoli, Martina Franco but the one that stood out the most for me, was the Unesco World Heritage Site – Alberobello. It is recognized for its ancient stone houses with pointed roofs, constructed with limestone, called ‘Trulli’ (plural of Trullo).

Alberobello is a picturesque white village that looked straight out of a fairy tale. It’s unique and beautifully preserved houses which have changed into souvenir shops, cafes and restaurants were so pretty to look at especially with the conical roofs made of interlocking grey stones. Many of these houses also had white symbols of religious or spiritual significance painted onto their conical roofs.

We did a day trip to Alberobello, looked at the Trulli, climbed up and down the picturesque little narrow walking streets and enjoyed a relaxing meal in one of the restaurants at the Piazza del Popolo. As we walked through the little houses, we found shops for jewellery, souvenirs, and local food and handicrafts. Being a woman, they didn’t have to work hard to make me spend. My favourite buy was a little personalized Trulli souvenir which is a perfect memory of a memorable trip. The people were so lovely, they even led us to the rooftop of the shops to see amazing views of the Trulli.

Being a woman, one daunting task was to decide what to wear in a white background. So, we planned and decided on the most colourful dresses for the day, but ended up in ‘Black’. Black and White, two simple colours were a great combination to get real drama and spark. Not just that, Black had a slimming effect- so the classic ‘Black and White’ was indeed a winner combination.

In the words of Leonardo da Vinci, “simplicity is the ultimate sophistication”. This little village is a splendid example of ‘Simple is beautiful’. Well, if this doesn’t convince you- then all Bollywood lovers must see the video of ‘khuda jaane song’ from the movie Bachna Ae Haseeno which was shot at various locations in Italy including the trulli romantic Alberobello. I can assure you – you will just fall in love with it.

If you enjoyed this blog post, don’t forget to share it with your friends!


Italy’s Alberobello Presents a Fantasy in Stone

It seemed like a Disneyland fantasy or, perhaps more appropriate for two visiting Angelenos, a figment of Ray Bradbury’s science-fiction imaginings.

The midnight moon shone down on the round Lilliputian houses surrounding us, bathing the structures and their strange conical roofs in an eerie, silvery light. As we tread the twisting flagstone streets, we half expected an elf or a ghost or two to pop out of a doorway. We were in Alberobello, a village in southeastern Italy, in the Apulia region on the heel of Italy’s boot. Almost due north of Taranto, the town is famous as the “capital of trulli "-- trulli being curious, beehive-like houses made of white-washed stone crowned with circular roofs of soil-colored slate. They are often built in small clusters, standing crisply white, with whimsical twisted chimneys and outside ladders leading to upper stories that are used as sleeping quarters.

There are about 1,500 trulli in this fairy-tale-like living museum. Some of the quirky domed dwellings--said to be descendents of prehistoric Middle Eastern shelters--now house the local grocery, butcher, souvenir shops and the like. Many have been occupied by the same families for centuries.

The day before our midnight walk, my husband and I had driven to Alberobello from Bari, a teeming seaport on Italy’s Adriatic Coast, and Apulia’s capital. The 45-mile trip took us southeast on Route S16 along the deep-blue Adriatic, then south on Route S172 through acres of almond and oak tree groves, olive trees gnarled and bent with age, and fields of vines laden with late-September, ripe-for-harvest grapes.

Alberobello is perched atop two hills separated by a deep trough. A cathedral dominates the modern part of the town in the north. The Rioni Monti (Monti District) to the south, where most of the trulli are located, is otherwordly--and beckoning. As we explored the district’s seven wondrous winding lanes, there was a sense of unreality, even without the benefit of midnight moon rays.

Cars are not permitted in the area and there were few pedestrians wandering about. The toy-like trulli seemed to huddle together, pressing outward, narrowing the twisting streets even more. The sky was a vibrant, almost artificial blue. Illuminated by the bright sunlight, the arcane white symbols drawn on the overlapping stones of the roofs--crosses, Cheshire-cat-like outlines, crescents, lightening-streaked stars--seemed to possess a nervous life of their own.

To our right, three black cats (a bad omen?) leapt around the chalk-white pinnacles topping the roofs, darting in and out of surrounding crevices. We saw figures approaching in the distance. Snow White and the Seven Dwarfs would have been perfect scenic type-casting. Instead, a group of Italian tourists walked by, as fascinated with their surroundings as were we.

No one seems to know who first built the trulli (do grego tholos for a circular, domed construction), or why they are unique to the region of Apulia. Some say they are descended from primordial burial shelters--which also had pinnacles and mythological or religious symbols--that were erected by prehistoric migrating tribes from the Middle East and later by peoples from Asia Minor. We were also told that the trulli are structurally related to Babylonian sepulchral temples and the pyramids of the Egyptian Pharaohs.

Even the Sant’Antonio church at the Rioni Monti’s upper rim, where we started our stroll, wears a characteristic cap--a 100-foot-high dome. The church’s Spartan white interior is enlivened by statues of Mary and Christ with St. Francis.

The local shopkeepers were unfailingly friendly. As we entered a wine store, Nedda, the proprietress, greeted us effusively. She beckoned us to the back of the store and pointed to a ladder. After ascending the rickety conveyance, we found ourselves in a charming rooftop garden amid pink-and-white oleanders and geraniums and a profusion of portulacas, overlooking a veritable sea of trulli . The stark-white turrets atop the gray stone roofs, the hieroglyphs painted on the domes’ upper reaches--and the occasional television antennae--mingled in the distance like prehistoric cult objects.

We moved on and soon were in the heart of the Rioni Monti, among some 1,030 trulli capable of housing 3,000 inhabitants. (In the adjoining Rioni aja Piccola are 400 more trulli .) Although the area was declared a national monument in 1910, life goes on exuberantly. We watched two elderly women gossiping in front of the butcher’s, a trio of giggling teen-agers huddled together over a private joke and a young matron shelling peas before her doorway.

Nicola Sprobba’s family has lived in the structure known as Trullo Siamese since the 1500s. Legend has it that two brothers who lived there long ago fell in love with the same young lady. The one who successfully wooed her built a wall between his domain and his sibling’s and created a separate entrance in the back lane. Presumably, they all lived separately--but happily--ever after.

The Sprobbas showed us the trullo’s interior, while their children, Anna, 7, and Rosario, 9, hung back shyly at first but soon joined in communicating via sign language and broken English. Nicola fashions miniature souvenir trulli of ceramic shards and pieces of stone, and his wife, Lorenza, crochets brightly hued scarves that they sell (along with T-shirts, pottery and other items) in their souvenir shop. The parents sleep in a cupola above the store, furnished with a bed, a hanging lamp and a niche with a Madonna image. The children’s headquarters next door is cheerful but equally Spartan.

One of the earliest documents relating to Alberobello’s environs dates to 1100, when Roberto Decerano deeded the nearby Selva (forest) of Fasano to the Bishop of Monopoli. Nearly 400 years later, in 1481, Count Andrea Matta Acquaviva of Conversano received the Selva--and its numerous trulli --from Ferdinand of Aragon.

By 1635, there were more than 200 people living in the Selva’s trulli . Count Giangirolamo Acquaviva, the “Guercio (one-eyed man) of Apulia,” forbade the construction of houses other than trulli . The Guercio also stipulated that the structures be built without mortar so that they could be demolished instantly in case of a royal inspection (to collect taxes on each existing dwelling). Guercio was imprisoned by Philip IV of Spain in 1649--not for his unorthodox tax evasion, but because he rebelled against the Spanish viceroy that was then ruling Apulia.

After 300 years of feudal servitude to the Acquaviva family, the Selva’s then-3,000 settlers were finally granted their freedom by Ferdinand IV, King of Naples, in 1797. The citizens dubbed their town Alberobello (beautiful tree) for an ancient oak tree near which many legendary battles had been fought. The Casa d’Amore, the first house constructed of stone and mortar after Ferdinand IV’s decree, was declared a national monument in 1923. The landmark is still lived in, as is the Sovereign Trullo, the most striking habitation in Alberobello. The latter’s 45-foot dome, the town’s tallest, rises over the 12 trulli that the ediface encompasses.

At the end of the Monti District we came to Via Indipendenza and the Fiesta dei Santi Medici, celebrated throughout Apulia each September. Lining the street were 30 booths, at which everything from hardware items to artificial blooms, Benetton T-shirts to toy Peugeots was being sold.

Following the sounds above us, we climbed to the upper town. The Curso del Vittorio Emanuale, and neighboring streets leading to the cathedral, were decorated overhead with tall, lacy stands of white plastic and festive banners. The streets were thronged with the faithful in their Sunday best, listening to afternoon mass being broadcast over loudspeakers from the cathedral. The men wore dark suits and ties some sported fedora hats. The women, also in dark colors, wore scarves over their heads. The younger generation was more casual in jeans.

Accompanied by martial music, down the cathedral steps came the procession: church officials, the mayor and local dignitaries preceded statues of Cosma and Damiano, the region’s patron saints, borne by priests. More VIPs and trumpeters followed. The crowd followed the parade down the hill and from there, as far as the eye could see, a double line of worshipers carrying lit tapers marched slowly up toward the cathedral. The candlelight mingled with the twilight glow, illuminating their rapt faces. It was an affecting scene.

At 11 p.m., after dinner at Il Poeta Contandino, we joined the crowd near the bandstand on the Piazza del Populo and listened to the band render the “Triumphal March” from Verdi’s “Aida,” a perfect amalgam of the religious and patriotic fervor, and spectacle, we had experienced earlier.

No trullo mood, we chose to stay at the Dei Trulli on the Via Cadore, a short block from the Sant’Antonio church. The hotel’s 30 multi-coned, trullo -shaped bungalows of whitewashed stone (with mortar!) are connected in twos and threes. The habitations are set in a spacious pine grove surrounded by beds of impatiens and roses. Beneath our apartment’s three crowns were the foyer and a tiny tiled bathroom with shower, the prettily appointed bedroom and a dining room/parlor with red-brick fireplace. Simple but cozy for $160, double occupancy.

The hotel boasts a sizable pool whose odd shape is reminiscent of the symbols on the trullis’ roofs. My husband and I had dinner at the Dei Trulli’s restaurant the night we arrived, before our fantastic midnight walk. The meal included good antipasti, mediocre orecchiette with pesto sauce, lamb stew (mostly bones) for my husband, and “La Pignata” veal stew, a regional specialty named for the ceramic pot in which it was served to me. Dinner, accompanied by a hearty red Primativo wine from Turi, came to an astounding $135.

Far better, in our opinion, and much less expensive is Il Poeta Contandino on the Via Indipendenza. Dinner, in pleasant rustic ambience, was excellent: 10 antipasto dishes (including tiny marinated shrimp, delicious herb-stuffed mushrooms and two eggplant appetizers), super tomato-sauced gnocchi , roast chicken and rosemary-laced lamb (the specialty with which chef/owner Leonardo Marco has lured the locals for the past 12 years). We were the only tourists, which delighted us. So did the bill: $60 with wine (Brunelli dei Monticiano ’83), and figs for dessert.

Primordial heritage and contemporary life are in Alberobello, and therein lies the town’s fascination.

Where to go: Alberobello is about 45 miles from the popular Adriatic port of Brindisi, and only about 35 miles from Bari. If your holiday in Italy ends here, you can turn in your rental car in both Bari and Brindisi.

Nearby: The trulli are not confined to the city limits of Alberobello there are many in the vicinity of the town, visible from small roads and farm lanes. If you are visiting the countryside, take a short drive (about 20 miles) north to the Castellana Grotte (caves), where guides offer tours of the spectacular caverns.

Hotel Dei Trulli, 32 Via Cadore, telephone locally 080-721130. Distinctive accommodations in a hotel built within ancient trulli houses about $160 per room, double occupancy. There is a swimming pool and tiny park with play equipment for children. One of the houses has been made into a restaurant dining room.

Where to eat: Il Poeta Contandino, 21 Via Indipendenza, 080-721917. Excellent local reputation, attractive rustic decor. Regional specialties include grilled fish, a wide range of antipastos, homemade desserts full meals about $20-$25 per person.


Assista o vídeo: Trulli Angelo in Puglia (Outubro 2021).