Notícia

USS Breese (DD-122 / DM-18)

USS Breese (DD-122 / DM-18)

USS Breese (DD-122 / DM-18)

USS Breese (DD-122 / DM-18) foi um contratorpedeiro da classe Wickes que serviu na última semana da Primeira Guerra Mundial e, em seguida, como um rápido minelayer durante as campanhas do Pacífico da Segunda Guerra Mundial.

o Breese foi nomeado em homenagem a Kidder Randolph Breese, um oficial da Marinha dos Estados Unidos que participou da expedição do Commodore Perry ao Japão e lutou ao lado da União durante a Guerra Civil Americana.

o Breese foi estabelecido em Newport News em 10 de novembro de 1917, lançado em 11 de maio de 1918 e comissionado em 23 de outubro de 1918. Ela alcançou a Força de Cruzadores da Frota do Atlântico bem a tempo de servir como escolta de comboio durante a última semana da Primeira Guerra Mundial .

Qualquer pessoa que a serviu entre 3 e 11 de novembro de 1918 se qualificou para a Medalha da Vitória na Primeira Guerra Mundial.

Depois da guerra o Breese juntou-se à Divisão 12, Destroyer Force, Atlantic Fleet. Participou dos exercícios de primavera em águas cubanas, antes de, em julho, ser alocada à Frota do Pacífico. Ela serviu no Esquadrão 4, Divisão 12, Frota do Pacífico até junho de 1920, quando foi colocada na Reserva Rotativa. Entre outubro de 1920 e junho de 1922, ela participou de vários exercícios divisionais e de frota, antes de ser desativada em 17 de junho de 1922.

o Breese foi redesignado como uma camada de minério leve em 5 de janeiro de 1931 com a designação DM-18. Ela foi convertida à sua nova função no Mare Island Navy Yard e foi readmitida em 1 de junho de 1931. Após os julgamentos em San Diego, ela se juntou à Divisão 1, Minecraft, Battle Force, com base em Pearl Habor. Ela participou de exercícios e operou como navio-alvo para treinamento de submarinos pelos seis anos seguintes, antes de, em junho de 1937, retornar a San Diego, onde foi novamente desativada em 12 de novembro de 1937.

o Breese foi recomissionado novamente em 25 de setembro de 1939. Desta vez, ela se juntou à Divisão de Minas 5 da Força de Batalha e, em 2 de novembro, chegou a Puget Sound, onde se juntou à patrulha de neutralidade ao largo de Oregon e Washington.

Em 1940 o Breese foi usado para transportar o comandante da Seção do Alasca em um cruzeiro de inspeção das bases navais do Alasca. Ela então se juntou à sua divisão quando esta se mudou para o Havaí no final do ano. Ela foi então designada para a segunda divisão de minas, Minecraft, Battle Force, Pacific Fleet, e passou a maior parte de 1941 envolvida em exercícios de treinamento nas águas do Havaí.

o Breese foi atracado na Buoy D-3 no Middle Loch em Pearl Harbor, junto com o resto da Divisão de Mina Dois, quando os japoneses atacaram. A divisão colocada no mar em ordem, do exterior para o interior, com o Breese em segundo lugar, às 0917 horas. Ela abriu fogo contra a aeronave de ataque e abateu um bombardeiro de mergulho com um tiro de sua arma antiaérea 3 "/ 23 (descrita em seu próprio relatório de batalha como 'provavelmente acidental'!).

Uma vez que ela estava em andamento, Breese começou envolvido no ataque a um dos submarinos anões japoneses que participaram do ataque. Membros de sua tripulação avistaram um submarino, provavelmente o I-22tou (Lt Iwasa Naoji), que havia sido avistado anteriormente pelo USS Zane (DMS-14). O submarino foi abalroado e afundado pelo Monaghan (DD-354) e afundou a noroeste de Ford Island. o Breese também lançou onze cargas de profundidade em supostos submarinos, trazendo petróleo. No geral, ela disparou 45 cartuchos de munição de 3 "e 1.700 cartuchos de munição de calibre .50.

o Breese foi baseado no Pacífico central por quase dois anos depois de Pearl Harbor, servindo como camada de minas e em patrulhas.

Na primavera de 1942, o navio de tropas Presidente taylor correu ao redor na Ilha de Cantão. o Breese escoltou o transporte Argonne (AP-4) quando ela deixou Pearl Harbor em 6 de abril para tentar resgatar o navio de tropas. Eles chegaram em 12 de abril e permaneceram lá até 5 de maio, quando partiram para Pearl Harbor.

Em 3 de agosto de 1942, o contratorpedeiro USS Tucker (DD-374) atingiu uma mina dos Estados Unidos recém-instalada enquanto assaltava o Canal Segond a caminho de Espiritu Santo. o Breese chegou ao local no início de 5 de agosto e participou dos esforços para salvar o Tucker, mas o contratorpedeiro danificado afundou no início de 4 de agosto.

o Breese participou da campanha das Ilhas Salomão. Ela serviu lá pela primeira vez em 6-13 de maio de 1943. Ela então retornou para a Operação Toenails, a invasão da Nova Geórgia (29 de junho a 25 de agosto de 1943) e os desembarques no Cabo Torokina em Bougainville (1-8 de novembro de 1943).

Em 1944 o Breese participou da invasão das Filipinas, apoiando a invasão de Leyte (12-24 de outubro de 1944). Em 1945, ela participou da invasão do Golfo de Lingayen de 4 a 18 de janeiro de 1945, a invasão de Iwo Jima de 16 de fevereiro a 7 de março e a invasão de Okinawa de 25 de março a 30 de junho. Ela apoiou as operações da Terceira Frota contra o Japão de 5 a 31 de julho e, em agosto e setembro, varreu as minas no Mar da China Oriental e na área entre o oeste do Japão e a Coréia.

o Breese partiu para a costa oeste em 7 de novembro e voltou aos Estados Unidos em 25 de novembro. Ela se mudou para a costa leste, onde foi desativada em 15 de janeiro de 1946 e vendida para sucata em 16 de maio de 1946.

o Breese ganhou dez estrelas de batalha durante a Segunda Guerra Mundial, para Pearl Harbor, Ilhas Salomão, Nova Geórgia, Tesouro-Bougainville, Leyte, Luzon, Iwo Jima, Okinawa Gunto, Operações da 3ª Frota contra o Japão e e Operações de Remoção de Minas no pós-guerra.

Deslocamento (padrão)

1.160 t (design)

Deslocamento (carregado)

Velocidade máxima

35kts (design)
35,34kts a 24.610shp a 1.149t em teste (Wickes)

Motor

2 turbinas Parsons de eixo
4 caldeiras
24.200shp (design)

Faixa

3.800 nm a 15kts em teste (Wickes)
2.850 nm a 20kts em teste (Wickes)

Comprimento

314 pés 4 pol.

Largura

30 pés 11 pol.

Armamentos (conforme construído)

Quatro armas 4in / 50
Doze torpedos de 21 polegadas em quatro tubos triplos
Duas trilhas de carga de profundidade

Complemento de tripulação

114

Deitado10 de novembro de 1917

Lançado

11 de maio de 1918

Comissionado

23 de outubro de 1918

Descomissionado

15 de janeiro de 1946


USS Breese (DM 18)

Desativado em 17 de junho de 1922.
Reclassificado como Light Minelayer DM-18 em 5 de janeiro de 1931.
Recomissionado como DM-18 em 1 de junho de 1931.
Desativado em 12 de novembro de 1937.
Recomissionado em 25 de setembro de 1939.
Desativado em 15 de janeiro de 1946.
Golpeado em 7 de fevereiro de 1946.
Vendido para ser quebrado para sucata em 16 de maio de 1946.

Comandos listados para USS Breese (DM 18)

Observe que ainda estamos trabalhando nesta seção.

ComandanteA partir dePara
1Lt.Cdr. William Jenkins Longfellow, USN25 de setembro de 19399 de novembro de 1940 (1)
2Herald Franklin Staut, USN9 de novembro de 194020 de setembro de 1942 (1)
3T / Lt.Cdr. Alexander Bacon Coxe, Jr., USN20 de setembro de 194231 de março de 1944 (1)
4David Barney Cohen, USN31 de março de 19447 de dezembro de 1944 (1)
5George W. McKnight, USNR7 de dezembro de 194424 de julho de 1945
6David James Pikkaart, USNR24 de julho de 194523 de outubro de 1945

Você pode ajudar a melhorar nossa seção de comandos
Clique aqui para enviar eventos / comentários / atualizações para esta embarcação.
Use-o se você detectar erros ou quiser melhorar a página de navios.

Links de mídia


USS Breese (DD-122 / DM-18) - História

(DD-122: dp. 1213,1. 314'5 "b. 31'8", dr. 9'4 "s. 33,2 k.
cpl 122 a. 4 4 '', 2 3 ', 12 21 "TT. Cl. Lamberton)

Breese (DD-122) foi lançado em 11 de maio de 1918 pela Newport News Shipbuilding and Dry Dock Co., Newport News, Va. Patrocinado pela Sra. Gilbert McHvaine, filha do Capitão Breese e comissionado em 23 de outubro de 1918, Tenente J. B. Smith no comando.

Ela se reportou ao comandante, Cruiser Force, Atlantic Fleet e cruzou por vários dias como uma escolta de comboio no final da Primeira Guerra Mundial. Retornando a Norfolk, ela foi designada para a Divisão 12, Destroyer Force Atlantic Fleet, e serviu em águas cubanas durante o primavera de 1019. Em julho de 1919, a Divisão 12 foi designada para a frota do Pacífico, com base em San Diego. Por um ano ela serviu no Esquadrão 4 e a partir de junho de 1920 esteve na Reserva Rotativa. Durante outubro de 1920 a junho de 1922 ela participou de manobras de divisão e manobras de frota com a Battle Force, no Pacífico, e saiu de serviço em 17 de junho de 1922.

Breede foi redesignado como uma camada de minério leve (DM-18) em 5 de janeiro de 1931. Recomissionado em 1 de junho de 1931, após revisão e conversão no Mare Island Navy Yard, ela voltou a San Diego para testes e testes de padronização antes de partir para Pearl Harbor. Designada para a Divisão 1, Minecraft, Battle Force, US Fleet, em águas havaianas, ela se envolveu em exercícios de treinamento, serviu com divisões de submarinos como navio-alvo e como navio-estação para voos de avião até seu retorno a San Diego em junho de 1937. Ela era fora de serviço na reserva de 12 de novembro de 1937 a 25 de setembro de 1939.

Após o recomissionamento, Breese ingressou na Força de Batalha da Divisão 5 da Mina. Em 2 de novembro de 1939, ela chegou a Puget Sound Navy Yard para Neutrality Patrol, na costa de Oregon e Washington. No ano seguinte, ela fez uma viagem de inspeção às bases do Alasca com o embarque do Comandante do Setor do Alasca. Ao retornar, ela voltou à sua Divisão em San Francisco e se preparou para um cruzeiro ao Havaí, onde chegou em 10 de dezembro de 1940. Anexada à Divisão de Minas 2, Minecraft, Battle Force, Pacific Fleet, no ano seguinte ela participou de exercícios de treinamento no área operacional e na faixa de Maui. Em 7 de dezembro de 1941, Brecoe ancorou em Pearl Harbor e em 0767 abriu fogo com suas metralhadoras à queima-roupa contra os aviões japoneses de ataque. Embora ela não tenha recebido nenhum dano material do ataque japonês, ela ajudou no naufrágio de um submarino anão e danificou vários aviões inimigos,

Breese operou no Pacífico Central de 7 de dezembro de 1941 a 10 de outubro de 1944. Ela então estendeu sua esfera de funções para o oeste para incluir várias ilhas na área Marianas-Filipinas e continuou a servir como camada de minas e navio patrulha até 7 de novembro de 1945.

Durante sua carreira durante a guerra, ela desempenhou funções de remoção de minas durante a consolidação das Ilhas Salomão (1 13 de maio de 1943). Operação New Georgia-Rendova Vangunu (29 de junho a 25 de agosto), ocupação e defesa de Care Torokina (1-8 de novembro) Desembarques de Leyte ( 12-24 de outubro de 1944) Desembarques no Golfo de Lingayen (4 a 18 de janeiro de 1945) Operação Iwo Jima (16 de fevereiro a 7 de março) Apreensão de Okinawa (25 de março a 10 de junho) e as operações da 3ª Frota contra o Japão (5 a 31 de julho. Em agosto e setembro

1945 Breese varreu minas no Mar da China Oriental e na área Kyushu-Coreana.

Em 7 de novembro de 1945, Breese partiu para a costa oeste, chegando em 26 de novembro. Ela cruzou o Canal do Panamá e chegou a Nova York em 13 de dezembro. Ela foi desativada em 15 de janeiro de 1946 e vendida em 16 de maio de 1946.


Histórico do serviço [editar | editar fonte]

Período entre guerras [editar | editar fonte]

Breese foi lançado em 11 de maio de 1918 em Newport News, Virgínia. Ela foi patrocinada por Gilbert McIlvaine, filha de Breese e comissionada em 23 de outubro de 1918 sob o comando do Tenente B. Smith. Após o comissionamento, ela se reportou à Frota Atlântica dos Estados Unidos e viajou por vários dias como escolta para comboios de apoio à Primeira Guerra Mundial, antes do final do conflito em 11 de novembro. Retornando a Norfolk, Virgínia, no final da guerra, ela foi designada para a Divisão de Destruidores 12 e serviu na costa de Cuba em exercícios de treinamento durante a primavera de 1919. Em julho de 1919, a Divisão de Destruidores 12 foi designada para a Frota do Pacífico dos Estados Unidos , com sede em San Diego, Califórnia. No ano seguinte, ela serviu no Destroyer Squadron 4 e, a partir de junho de 1920, começou a operar na Reserva Rotativa. De outubro de 1920 a junho de 1922, ela participou de manobras de divisão e manobras de frota com a principal força de batalha da Frota do Pacífico e foi colocada fora de serviço em 17 de junho de 1922. & # 914 & # 93

Em 5 de janeiro de 1931, Breese foi redesignado como uma camada de minério leve, com o símbolo de classificação do casco DM-18. Após uma reforma e conversão no Mare Island Navy Yard, ela foi recomissionada em 1 de junho de 1931. Ela então retornou a San Diego para testes de mar e testes de padronização em sua nova função. Concluídos estes, ela partiu para Pearl Harbor. Ela foi designada para a Divisão de Minas 1 da Frota do Pacífico e operava em águas havaianas. Ela conduziu vários exercícios de treinamento, inclusive nas divisões de submarinos, onde serviu como navio-alvo. Ela também serviu como um navio de estação para aeronaves. Ela voltou a San Diego em junho de 1937, e foi colocada fora de serviço e na reserva em 12 de novembro de 1937. Em 25 de setembro de 1939, Breese foi novamente recomissionado e designado para a Divisão de Minas 5 da Frota do Pacífico. Em 2 de novembro de 1939, ela chegou ao Puget Sound Navy Yard e começou a conduzir a Neutrality Patrol ao largo das costas de Oregon e Washington. Ao longo de 1940, ela viajou para diferentes bases ao longo da costa do Alasca com o comandante do Setor do Alasca a bordo. Ao retornar, ela voltou para a Divisão 5 da Mina em San Francisco e partiu para o Havaí, retornando lá em 10 de dezembro de 1940. Ligada à Divisão 2 da Mina na Frota do Pacífico, ela participou de exercícios de treinamento na área de operação e na faixa de Maui durante muito de 1941. & # 914 e # 93

Segunda Guerra Mundial [editar | editar fonte]

Em 7 de dezembro de 1941, Breese estava atracado no Loch Médio, a noroeste da Ilha Ford. Ela foi atracada à Bóia D-3 ao lado de um ninho de três outras camadas de minas que também foram convertidas Wickes destruidores Ramsay, Montgomery, e Jogar. No início do ataque, sua tripulação foi distraída pelo ataque inicial à Ilha Ford e foi cercada por uma revoada de torpedeiros Nakajima B5N. & # 917 e # 93 Breese rapidamente carregou suas metralhadoras e começou a atirar às 07:57. & # 914 & # 93 Ela e muitos dos outros navios na área foram rapidamente capazes de mobilizar uma forte defesa antiaérea que durou durante toda a manhã. & # 918 & # 93 Ela foi creditada com ataques a várias aeronaves japonesas e danificando pelo menos um submarino anão. & # 914 e # 93 Breese não foi danificado no ataque. & # 914 e # 93

Após o ataque a Pearl Harbor, ela permaneceu atracada no porto até a partida em 26 de dezembro, carregando correspondência e encomendas para outros navios. Ela se encontrou com Southard na foz do porto para descarregar isso, então navegou para o leste em patrulha. & # 919 e # 93

Em 6 de maio de 1942, ela enfrentou 84 sobreviventes do porta-aviões Yorktown que havia afundado no rescaldo da Batalha de Midway. & # 9110 & # 93 Durante o verão de 1942, ela operou no Pacífico Sul. Em 3 de agosto de 1942, ela, junto com os caça-minas Jogar e Tracy, estavam colocando minas no Canal de Segond, Espírito Santo. Destruidor & # 9111 & # 93 Tucker entrou no estreito em patrulha de escolta, sem ter sido avisada do campo minado, quando atingiu uma das minas e afundou. Breese, que estava atracado no canal, prestou ajuda. & # 9112 & # 93 Em 30 de setembro de 1942, ela estava em um exercício noturno fora do Espírito Santo quando foi danificada em uma colisão com o cruzador São Francisco. & # 9113 & # 93 Ela realizou tarefas de remoção de minas durante a consolidação das Ilhas Salomão de 1 a 13 de maio de 1943, onde foi designada para o Grupo de Tarefa 36.5 ao lado Jogar, Preble, e Radford. Eles colocaram minas no Estreito de Blackett para proteger as abordagens ocidentais do Golfo de Kula. & # 9114 & # 93

Ela apoiou os esforços dos Aliados em torno de New Georgia-Rendova Vangunu de 29 de junho a 25 de agosto. Atribuído à Unidade de Tarefa 36.2.2, ela, Preble e Jogar colocou minas no porto de Shortland, em Bougainville. & # 9115 & # 93 Ela então apoiou a ocupação e defesa do Cabo Torokina conduzindo tarefas de remoção de minas lá de 1 a 8 de novembro. Posteriormente, ela apoiou os desembarques de Leyte de 12 a 24 de outubro de 1944. Posteriormente, ela esteve entre os navios que apoiaram os desembarques no Golfo de Lingayen de 4 a 18 de janeiro de 1945. Ela apoiou a Batalha de Iwo Jima de 7 de fevereiro a 7 de março. Ela assumiu funções nas minas apoiando a Batalha de Okinawa entre 25 de março e 30 de junho. Em seu ato final da guerra, ela partiu em apoio à Terceira Frota dos Estados Unidos perto do Japão continental entre 5 e 31 de julho. Em agosto e setembro de 1945 Breese varreu minas no Mar da China Oriental e na área de Kyūshū-coreana após o fim da guerra. & # 914 e # 93

Em 7 de novembro de 1945, Breese navegou para a costa oeste chegando em 26 de novembro. Ela transitou pelo Canal do Panamá e chegou à cidade de Nova York em 13 de dezembro. Ela foi desativada em 15 de janeiro de 1946 e vendida para sucata em 16 de maio de 1946. Ela recebeu dez estrelas de batalha por seu serviço na Segunda Guerra Mundial. & # 914 e # 93


USS Breese (DD-122 / DM-18) - História

Artigos (1929-1961, 1982) incluindo correspondência, fotografias, citações, relatórios, diários de guerra para USS Zane e Trever, relatos de batalhas em Pearl Harbor e Guadalcanal, publicações, pedidos e materiais pessoais.

Informações biográficas / históricas

David M. Armstrong (nascido em 1919) cresceu em Cabin John, Maryland. Formou-se na Academia Naval dos Estados Unidos (USNA) em 1941 e passou a maior parte da Segunda Guerra Mundial no Pacific Theatre. Ele serviu no caça-minas USS Zane (DMS 14) desde sua graduação até 1943, quando foi designado para o USS Terry (DD 513). Armstrong foi comandante do USS Higbee (DD 806) de janeiro a setembro de 1945, quando foi transferido para o USS Doyle (DMS 34), onde participou da rendição japonesa. Em 1947, fez pós-graduação em Inteligência Naval e continuou como instrutor. De 1951 a 1954, ele serviu como oficial de operações a bordo do USS Rochester (CA 124) e assumiu o comando do USS Willis A. Lee (DL 4) em 1957. Ele estava na equipe das Forças Navais de Ataque e Apoio no Sul da Europa antes de se aposentar em 1962. Ele trabalhou em um jornal diário em Naples, Flórida, como redator por vinte anos antes de se mudar para a Carolina do Norte.

Escopo e arranjo

A correspondência inicial da coleção refere-se às atividades de Armstrong com os Boy Scouts of America, particularmente sua conquista do status de Eagle Scout. A correspondência dos anos de Armstrong na USNA inclui detalhes sobre seus cruzeiros de treinamento para a Europa (1938), para o Panamá e Venezuela (1940) e sua vida diária na Academia. A primeira missão de Armstrong foi como oficial de comunicações no caça-minas Zane, estacionado em Pearl Harbor, no Havaí. Em algumas cartas interessantes (10 e 13 de dezembro de 1941) para casa, o Alferes Armstrong relata sua sobrevivência e segurança após o ataque japonês a Pearl Harbor. Em outras cartas, Armstrong menciona suas promoções a tenente (jg) e tenente, novos comandantes e companheiros de tripulação, e muitas vezes pede notícias de casa (1941-1942). Ao longo da correspondência dos tempos de guerra, é sempre notado o quão pouco Armstrong pode realmente dizer a sua família por razões de segurança, e ele continuamente relata a censura do que pode escrever em suas cartas.

A correspondência escrita enquanto Armstrong era designado para o contratorpedeiro Terry começa quando o navio ainda estava sendo equipado em Bath, Me. (Janeiro de 1943). Estão incluídos detalhes como a condição do navio, sua opinião sobre os oficiais superiores, diferentes funções sociais, incluindo o batismo do navio, o treinamento de mensageiros, seu pagamento e a esperança de que seu irmão Dick fosse designado para o Terry.

Assim que o navio é comissionado, as cartas de Armstrong dizem respeito ao treinamento da Fleet Gunnery School (agosto-setembro de 1943), seu relacionamento com os outros oficiais do navio, as habilidades de luta de Terry e o mascote do navio "Midnite", o cachorro. Outra correspondência menciona o novo capitão de Terry (janeiro de 1944) a missão naval de seu irmão Dick e uma visita com ele no pós-guerra planeja sua promoção de oficial de artilharia a oficial executivo e seu gozo de responsabilidades acrescidas (março de 1944) licença em terra (maio de 1944 ) redesignações de tripulantes e oficiais e os obstáculos para obter o seu próprio comando.

Enquanto no destróier Higbee, a correspondência de Armstrong (janeiro-setembro de 1945) trata principalmente de seu novo casamento, o fim da guerra se aproximando, suas opiniões sobre como lidar com a rendição do Japão e a capitulação do Japão às forças americanas na Baía de Tóquio (6 de setembro de 1945). Também está incluída uma carta de seu irmão Dick (setembro de 1945) a bordo do contratorpedeiro USS Ross (DD 563) que descreve as condições gerais e a aparência do Japão. O restante das cartas baseadas no Pacific Theatre de Armstrong (outubro de 1945 a março de 1946) referem-se ao seu comando do caça-minas USS Doyle. São discutidos os detalhes das operações de varredura de minas ao longo da costa do Japão, convertendo navios japoneses rendidos em varredores de minas. alguns colegas da USNA e sua ansiedade para voltar para casa. Intercaladas por toda a correspondência da coleção estão cartas do pai de Armstrong e sua esposa.

A correspondência restante diz respeito ao retorno de Armstrong aos Estados Unidos (abril de 1946), seu novo destacamento bebê do Doyle (maio de 1947), suas atribuições em vários navios, particularmente o cruzador pesado Rochester e o destróier Willis A. Lee. Também estão incluídos um histórico escolar naval, certificado de educação e um formulário de admissão à universidade.

Os arquivos restantes da coleção contêm informações sobre a carreira naval de Armstrong e preenchem as lacunas deixadas pela censura de suas cartas durante a Segunda Guerra Mundial. Primeiro, um arquivo de ordens navais de Armstrong e notificações de promoção é incluído e abrange sua carreira naval ativa (1941-1961). Vários arquivos relacionados ao ataque a Pearl Harbor incluem as páginas do diário de bordo dos mapas do destruidor USS Breese (DD 122), USS Perry (DD 340), Zane e os relatórios do caça-minas USS Wasmuth (DMS 15) dos destruidores Trever (DD 339) , Wasmuth, Zane e USS Gamble (10-17 de dezembro de 1941) uma bibliografia e um folheto turístico. Também estão incluídos artigos de jornais escritos por ou sobre as experiências de Armstrong em Pearl Harbor (1966-1980), um texto datilografado de um artigo publicado na American History Illustrated e a própria edição (agosto de 1974). Outro grupo de registros diz respeito a seus relatos em primeira pessoa da invasão de Guadalcanal (agosto de 1942) e da Batalha do Canal Sealark (outubro de 1942). Esses arquivos contêm documentos do rebocador oceânico USS Seminole (AT 65), Trever e Zane datilografados e uma edição da American History Illustrated contendo um dos artigos de Armstrong (outubro de 1973).

Informações sobre o Terry contém uma carta de um fuzileiro naval em Iwo Jima (fevereiro de 1945) observando as ações do Terry durante a batalha. As histórias do navio são fornecidas para a Segunda Guerra Mundial, bem como um diretório de oficiais para esse período.

Um arquivo com as citações e prêmios de Armstrong inclui certificados do ensino médio, seus anos na USNA e a Segunda Guerra Mundial até sua aposentadoria. Outras citações estão localizadas em uma pasta grande e incluem um certificado "cruzando os limites" (julho de 1942).


Ataque a Pearl Harbor, USS Breese (DM-18)

EUA Breese
S16-3 / DM18 No mar, perto de Pearl Harbor,
9 de dezembro de 1941.

De: Oficial Comandante.
Para: Comandante-em-chefe, Frota do Pacífico dos EUA.
Via: Comandante, Divisão de Minas DOIS.

Assunto: Ação, Ataque Aéreo de Pearl Harbor, Relatório de -
Referência: (a) Regulamentos da Marinha dos EUA, Artigo 712.
(b) U.S. Breese despacho 081807 de dezembro.
(c) Despacho CinCpac 081900 de dezembro.

Anexo: (A) Relatório do Diretor Executivo, EUA Breese.

De acordo com a referência (a), o seguinte relatório é apresentado.
Este navio estava atracado no cais D-3, Middle Loch, no ninho com divisão, ordem dos navios de estibordo dos EUA Ramsay, Breese, Montgomery e Gamble (carro-chefe). Este navio tinha guarda de divisão. Os seguintes oficiais estavam a bordo:
Lt-Comdr. H.F. STOUT, USN, Comandante.
Lieut. A.B. COXE Jr., USN, Executivo.
Lt. (jg) H.D. GUARDA, Cirurgião da Divisão (MC).
Ensign A.R. BARBEE, USN, Oficial Engenheiro
Ensign E.A. COBEY, Jr., USN, Asst. Engenheiro e Observador.
Alferes R.L. CARLSON, USNR D-V (G), Comunicações e OOD.
Alferes J.P. Graves, USNR, E-V (G), Oficial MG.

Às 0755 o primeiro indício de ação ocorreu com o bombardeio do antigo hangar na Ilha Ford. Foi para o quartel geral, definiu a condição & quotA & quot e fez os preparativos para começar. Os barcos começaram a desembarcar em Pearl City para resgatar os homens que retornavam. Às 0757, abriu fogo com metralhadora de estibordo calibre .50, tripulada por vigia de passagem que era um metralhador qualificado. Às 0805 abriu fogo com 3 & quot / 23 cal. arma, usando configurações de fusível de 3 a 12 segundos, pré-configuradas. Demitiu tripulações de armas de cintura para cuidar do embarque.
Às 08h25, recebi um sinal da torre para começar imediatamente, mas estar em uma posição interna no ninho não poderia fazê-lo. Às 0826, um submarino foi reportado no porto. Por volta das 08h30, as torres de comando avistadas de dois pequenos submarinos no Canal do Norte não puderam ser alvejadas por causa de nosso interior atracado no ninho. Os EUA Monaghan desceu o canal em alta velocidade, pareceu abater o submarino líder que tinha acabado de disparar um torpedo, aparentemente contra os EUA Curtiss, mas que errou. O Monaghan lançou duas cargas de profundidade, a primeira diretamente sobre o submarino líder e a segunda na posição aproximada da segunda, que não era mais visível. Cerca de dez segundos depois, um submarino de aproximadamente 250 toneladas virou de cabeça para baixo e afundou imediatamente.
Por volta das 09:00, uma terceira onda de bombardeiros de mergulho fez um ataque determinado, aparentemente nos EUA. Curtiss. Um bombardeiro médio descendo em chamas deliberadamente derrubou a superestrutura do Curtiss.
Às 0913 um projétil de nosso canhão AA calibre 3 & quot / 23 fixado em 3 segundos, atingiu um bombardeiro de mergulho, voando após um ataque ao Curtiss, logo atrás da cabine do piloto. O avião se fragmentou no ar e pegou fogo, a seção de proa com motor pousando na costa norte da Península Waipio e queimando por algum tempo. Embora esse golpe tenha sido provavelmente acidental, foi direto, já que o rastreador poderia ser facilmente seguido no curto alcance envolvido.
0917 cancelou o ninho e prosseguiu canal abaixo. Lookout relatou um periscópio às 09h30 das docas de carvão, mas não foi visto da ponte nem detectado em supersônicos. Cortou o equipamento de desmagnetização e liberou a entrada do canal às 0942. Tomou a estação como patrulha offshore no setor três.
Em 1108, um barco torpedeiro a motor relatou que um periscópio em 1115 lançou duas cargas de profundidade no local indicado por eles sem nenhum resultado. Rolamentos: Barber point 297? (t), Diamond Head 078? (t) e Hickham Tower 357? (t). Porém, às 1135, na mesma vizinhança, captou sons de submarino. Atacada, perdendo a primeira carga a 40 jardas por supersônico. A segunda carga revelou uma mancha de óleo e alguns detritos. Nenhum outro som foi ouvido, mas na segunda passagem no alvo, deu resultados positivos para "citando". Isso foi relatado na referência (b). De acordo com a referência (c), um segundo ataque com quatro cargas de profundidade ajustadas foi feito, sem nenhum resultado tangível. Enquanto isso, provavelmente como resultado das condições descritas na referência (b), vários outros destróieres foram observados fazendo ataques na mesma localidade. Há boas razões para acreditar que, se o submarino não foi afundado por nosso primeiro ataque, ele foi destruído pelas cargas mais pesadas dos outros ataques de novos destruidores.
Munição gasta:
45 rodadas 3 & quot / 23 cal. fundido e traçador, AA.
1700 tiros .50 calibre M-2 AP e rastreador.
11 cargas de profundidade.

Não houve vítimas da ação inimiga, embora uma quantidade considerável de fragmentos de projéteis tenham caído no convés. Dois homens feridos levemente durante o disparo do calibre 3 & quot / 23 por recuo enquanto agiam como carregadores:
FORD, Wesley Ernest, # 337-24-95, F2c, USN, abrasões no dedo indicador direito.
FAUCETT, Kenneth # 410-01-43, F1c, USN, palma da mão direita com laceração profunda.


モ ナ ハ ン (DD-354)

1941 年 12 月 8 日 、 モ ナ ハ ン は 7 時 51 分 に 、 先 だ だ っ 真珠 真珠 湾 口 で 正 体 不明 の 潜水 艦 を を 撃 沈 し た 駆 逐 艦 ワ ー ド (USS Ward, DD-139) に 合流 す る よ う 命 じ ら れ る る そ の わ ず か 4 分 後 、 真珠 湾 攻 攻 撃 が 始 ま っ た た た め 、 対 空 砲火 を 撃 っ た 。08 、 、 港 外 へ 、 真珠 湾 攻 攻 撃 が 始 ま っ た た た め 、 対 空 砲火 を 撃 っ た 。08 、 、 港 外 へ 退避USS Zane, DD-377 / DMS-14) が 、 工作 艦 メ デ ュ ー サ (USS Medusa, AR-1) の 後方 180m を 航行 す る 甲 標的 を 発 見 し た と の 報告 が 入 っ た。 さ ら に 敷設 駆 逐 艦 ブ リ リ ス ((英語 版) (USS Breese, DD-122 / DM-18) に 発 見 さ れ 、 水上 機 母艦 カ ー ー ィ ス (USS Curtiss, AV-4) が 砲 撃 を 行 う 。0837 、 モ ナ ハ ン は 艦首 右舷 1100m の 距離 で 潜望鏡 と と 司令 塔 の 一部 を 発 発 見 し た た め 、 体 当 た り す る た め め の 準備 を で 潜望鏡 と と 司令 塔 の 一部 を 発 発 見 し た た め 、 体 当 た り す る た め の 準備 準備 をUSS Tangier, AV-8) が 甲 標的 へ 砲 撃 を 行 っ た。 甲 標的 は カ ー テ ィ ス へ 向 け け 魚雷 1 本 を 発 射 し て き た が 、 そ の の 際 に 砲 弾 が 命中 し テ ィ ス へ 向 け け 魚雷 1 本 を 発 射 し て き た が 、 そ の 際 に 砲 弾 が 命中 命中 し 、 艇長受 け て い た. 魚雷 は カ ー テ ィ ス に 命中 せ ず, ド ッ ク に 命中 し た. 体 当 た り し よ う と す る モ ナ ハ ン に 対 し, 甲 標的 は 魚雷 を 発 射 し て き た が, 魚雷 は モ ナ ハ ン の 右舷 側 を 通過 し, フ ォ ー ド 島 に 命中し た。 モ ナ ナ ハ ン は 体 当 た り し て 水深 10m の 海底 に 叩 き つ け 、 爆 爆 雷 2 発 を 投下 し て て 撃 沈 し た。

攻 撃 後 、 モ ナ ハ ン は 空 母 レ キ シ ン ト ン (USS Lexington, CV-2) を 中心 と す る, ウ ィ ル ソ ン · ブ ラ ウ ン 中将 の 第 11 任務 部隊 に 加 わ り, ギ ル バ ー ト 諸島 奇襲, 次 い で ウ ェ ー ク 島 救援 に 向 か う こ と に な っ た. と こ ろ が, 太平洋 艦隊 司令 長官 代理 ウ ィ リ ア ム · パ イ 中将 が 海軍 作 戦 部長ハ ロ ル ド · ス タ ー ク 大将 と 合衆国 艦隊 司令 長官 ア ー ネ ス ト · キ ン グ 大将 に 伺 い を 立 て た と こ ろ, ウ ェ ー ク 島 守備 隊 の 士 気 を 考慮 し た も の ​​の, 「兵力 の 増 強 よ り 撤退 す べ き だ」 と の 示 唆 を 受 け た た め ウ ェ ー ク 島 救援(USS Dale, DD-353) お よ び エ ー ル ウ ィ ン (USS Aylwin, DD-355) と と も に 爆 雷 攻 撃 を 行 っ た。

1942 年 に 入 る と モ ナ ハ ン は 第 11 任務 部隊 か ら 一時 離 れ, 西海岸 部 へ の 輸送 船 団 の 護衛 に 従 事. 第 11 任務 部隊 に 復 帰 後 の 1942 年 4 月 15 日 に 真珠 湾 を 出 撃 し, 南太平洋 方面へ と 向 か う. こ の こ ろ, 日本 軍 の 圧 力 は ポ ー ト モ レ ス ビ ー や ニ ュ ー ギ ニ ア 島, あ る い は オ ー ス ト ラ リ ア や ニ ュ ー ジ ー ラ ン ド に い た る 通商 路 を 徐 々 に 圧 迫 し, こ の 脅 威 ​​を 取 り 除 く た め 海軍 は 迅速 に 迎 撃 態勢 を 整 え た. 空 母 ヨ ー ク タ ウ ン (USS Yorktown, CV-5) か ら の 航空 機 が ツ ラ ギ ギ 島 や 対 岸 の ガ ヴ ツ (英語 版) に に い た た 日本 軍 を 攻 撃 し た た の は 5 月 4 日 の の こ と で あ り 、 珊瑚海 珊瑚海 を を) に い い た 日本 日本 を を 攻 撃 し し た の は 5 月 4 日 の の こ と で あ り 、 珊瑚海 珊瑚海 を を に い い た 日本 軍 を 攻 撃 し し た の は 5 月 4 日 の の こ と で あ り 、 、 珊瑚海 をフ ラ ン ク ・ J ・ フ レ ッ チ ャ ー 少将) は 、 日本 側 の 第五 航空 戦 隊 ((原 忠 一 少将) も 珊瑚海 に 入 り つ つ あ る こ と を 知 る。。 互 一 少将 隊 隊 (原 忠 一 少将) も 珊瑚海 に 入 り つ つ あ あ る こ と を 知 る。。 互日 に 両 任務 部隊 部隊 か ら の 艦載 機 が MO 攻略 部隊 を 発 見 し て 攻 撃 し 、 空 空 母 祥 鳳 を 撃 沈 し し て 先手 を 取 っ た。。 翌 5 月 8 日 は 互 い の 艦載 た た 機群 機群(USS Neosho, AO – 23) と 駆 逐 艦 シ ム ス (USS Sims, DD-409) の 捜 索 を 行 っ た が 、 沈没 地点 が 誤 っ て 報告 さ れ て い た た め 、 、 救助 任務 を 行 え な か っ た。 モ ナ ハ ハ ・ ヌ ヌ メ ア に 到 到 着 い た た め 、 救助 任務 を 行 え な か っ た。 モ ナ ハ ハ ・ は ヌ メ ア に 到 到 着5 月 26 日 に 真珠 湾 に 帰 投 し た。

ミ ッ ド ウ ェ ー と ア リ ュ ー シ ャ ン 編 集

2 日後 、 モ ナ ハ ン は 第 16 任務 部隊 部隊 と と も に 真珠 湾 を 出 撃 す る。 海軍 海軍 情報 部 の 諜報 に よ り り 、 日本 軍 が ミ ッ ド ウ ェ ー 島 攻略 攻略 の た 撃 す る。。 海軍 情報 部 の 諜報 に よ よ り 、 日本 軍 が ミ ッ ド ウ ェ ー 島 攻略 の の た め す る。。 海軍 情報 部 の 諜報 に よ り 、 日本 軍 が ミ ッ ド ウ ェ ー 島 攻略 の の た め す る。。 海軍 情報 部 の 諜報 に よ り 、 日本 軍 が ミ ッ ド ウ ェ ー 島 攻略 攻略 の た め す艦隊がミッドウェー島に接近するかを明らかにして上層部にも通報していた。結論を言えば、アメリカ軍は日本側の空母4隻と重巡洋艦1隻を撃沈して戦いの流れを変えることに成功した(ミッドウェー海戦)。モナハンは海戦の2日間、もっぱら空母エンタープライズ (USS Enterprise, CV-6) の直衛につき、海戦の翌日には救助作業のために一時後退したが、間もなく飛龍からの航空機の攻撃で大破したヨークタウンの直衛にまわった。6月7日、伊号第一六八潜水艦(伊168)が輪形陣の中に入り、ヨークタウンに対して魚雷を発射。魚雷はヨークタウンと、ヨークタウンに横付けしていた駆逐艦ハムマン (USS Hammann, DD-412) に命中し、ハムマンが轟沈、ヨークタウンも16時間後に沈没していった。モナハンは駆逐艦グウィン (USS Gwin, DD-433) および ヒューズ (英語版) (USS Hughes, DD-410) とともに伊168の捜索を行い、爆雷攻撃で打撃を与えたと評価されたが、伊168は苦闘の末に生還した [2] 。

修理が終わったモナハンは、軽巡洋艦リッチモンド (USS Richmond, CL-9) 、重巡洋艦ソルトレイクシティ (USS Salt Lake City, CA-25) を基幹とする第16.69任務群(「ソック」チャールズ・マクモリス少将)に加わり、アリューシャン方面での偵察に従事する。3月26日、第16.69任務群はアッツ島およびキスカ島への輸送作戦を掩護中の第五艦隊(細萱戊子郎中将)とコマンドルスキー諸島近海で遭遇し、アッツ島沖海戦が行われた。第16.69任務群は寡兵よく第五艦隊を翻弄して追い返すことに成功した。以降、夏までの間に日本軍拠点への艦砲射撃や哨戒任務をアリューシャン方面全体で行った。この哨戒でのハイライトは、6月21日から22日の2日間にわたって行われた、キスカ島への輸送任務に従事していた伊7との交戦である。6月21日午後、キスカ島七夕岬を確認して浮上航行に移った伊7を発見したモナハンは砲撃を行い、司令塔に命中弾を与えて潜航不能に陥らせ、艦の首脳も戦死させた [3] 。伊7は旭岬に座礁して応急修理を行った上、6月22日夜に横須賀へ向けて七夕湾を出撃 [3] 。しかし、伊7の行く手にはモナハンが待ち構えていた。モナハンは砲撃で伊7にさらなる損傷を与え、伊7は引き返す [3] 。モナハンはこれを追撃して三度目の砲撃を行い、進退窮まった伊7はキスカ島二子岩に座礁して果てた [3] 。伊7の喪失は、水雷戦隊によるキスカ島撤退作戦実施の伏線となった [4] 。

1943年後半 - 1944年 編集

アリューシャン戦線が日本軍の撤退で一段落したあと、モナハンは真珠湾およびサンフランシスコへの護衛任務を行い、11月13日には3隻の護衛空母を護衛してサンペドロを出撃。ギルバート諸島攻略のガルヴァニック作戦では、一貫して護衛空母の直衛にあたった。作戦終了後、モナハンは西海岸に引き返し、大規模な演習を行ったあと、再び護衛空母群の直衛につくためサンディエゴを出撃。1944年1月からのクェゼリンの戦いでは、ロイ=ナムル島の北西海域で行動し、ロイ=ナムル島攻略を支援した。2月7日に戦艦ペンシルベニア (USS Pennsylvania, BB-38) を護衛してマジュロに入港し、次いでエニウェトクの戦いに参加。輸送船団を護衛してエニウェトク環礁に向かい、2月21日から22日にかけての夜間にはメリレン島に対して砲撃を行う。作戦終了後は2月末までマーシャル方面で哨戒任務と護衛任務にあたった。

コブラ台風 編集

10月1日、モナハンは駆逐艦デューイ(USS Dewey, DD-349) とともにピュージェット湾を出港し [5] 、カリフォルニア、ハワイ沖で演習を行ったのち、11月11日にウルシー環礁に向けて真珠湾を出港した。ウルシーに到着後、12月6日に対空演習を行って、12月10日に第38任務部隊(ジョン・S・マケイン・シニア中将)とともにウルシーを出撃した [6] 。第38任務部隊はミンドロ島の戦いの支援を行う予定であり、モナハンはデューイ、エールウィンおよびハル (USS Hull, DD-350) とともに補給支援担当の第30.8任務群を護衛した [7] 。ところが、第38任務部隊は洋上給油予定日の12月17日ごろからコブラ台風の中に入り始め、12月18日にかけて大きく翻弄されることとなった。この時点でモナハンは操舵が困難だったものの、燃料を76パーセント保有しており、動揺にある程度は耐えうると考えられていた [8] 。しかし、モナハンは次第に操舵に加えて針路維持も困難となり、艦内モーターも故障して一切の動力を失った [9] 。やがて構造物が崩れだしたという報告もなされたが、間もなく転覆して沈没していった [10] 。生存者はわずか6名で、いかだに乗って3日間漂流ののち、駆逐艦 ブラウン (英語版) (USS Brown, DD-546) に救助された。生存者は、モナハンは右舷に倒れて波に翻弄されながら沈んでいったと報告した。いかだには当初12名が乗っていたが、暴れたり海中に転落したりして半数に減り、ブラウンによって救助された時も、いかだの後ろにサメが付きまとっていた [11] 。太平洋艦隊司令長官チェスター・ニミッツ元帥はこの悲劇に関し、「(台風は)主だった戦闘よりかは小さいと思われたが、第3艦隊に予想より多くの打撃を与えた。」と表現した。


Horace D. Warden: Veteran Story

I was actually assigned to Mine Division Two. The USS Breese (DM-18) was one of four destroyers in that division. The doctor I relieved had died so I became the medical officer of Mine Division Two, part of what they called the old "Pineapple Navy." We would go and practice laying mines for 2 weeks and then be in port for 2 weeks. I was riding on the Breese because that was the ship that had a stateroom for the doctor. During the 2 weeks we would be in port I would go to the Naval Hospital to get some more surgical experience.

What kind of sick bay did you have on the Breese?

We had a small sick bay on those old four-pipers, not much space, just enough for one hospital corpsmen to work in. It was very cramped but adequate.

Were you on the Breese that Sunday morning when the Japanese attacked?

Yes sir. On that Sunday morning we were moored to a buoy near Pearl City. I happened to be aboard the previous night because in those days they used to divide Pearl Harbor into three areas. There was supposed to be a doctor assigned to each area all night for medical coverage. It was my night to be aboard in Pearl City. I was due to go off duty at 8:00 on Sunday morning. I had changed into civilian clothes and was sitting on the deck for a whaleboat to take me to my car so I could get to breakfast at home on the far side of Honolulu. The Japanese hit at five minutes to eight and I never got off the ship.

Did you see them coming?

No. The first thing I remember was the sound of firing and then they called general quarters. We were not a large ship so we were not immediately threatened. After the Japanese delivered their bombs on the large ships they had to come up over us. That's when we got one of them with what I think was a 3-inch gun.

Did you see that happen?

No. I didn't see the plane get hit.

When you went to general quarters, your station was in the sick bay below decks?

sim. But I didn't have time to get there. I remember one of our food handlers was milling around very upset and crying, a real basket case. We went to where we had the firearms stashed away and we got a rifle and gave it to him. Once he started shooting he was alright. The plane we had shot down landed right near us in the water. The pilot was still alive so they got a whaleboat to go rescue him. Apparently he made a move, put his hand under his vest or something, and so they killed him and then didn't have a live pilot to question. The sailor who shot him was told that he was going to get court-martialed. But later that all was quashed and there was no court martial.

We then tried to get underway and out of the harbor. Our ship was ready because we had the duty the night before, but we were tied to three other ships and they didn't have many people aboard on Sunday morning. So we had to wait until enough crew members arrived on these ships to get them out of the harbor.

Did you have any casualties to treat at this point?

Nenhum. After about an hour or an hour and a half we were out to sea and started to patrol looking for miniature subs and dropped depth charges. We stayed out about a week and then came back. I can't remember whether we ran out of food or fuel.

Anyway, we came back in to Pearl Harbor. Then we could see all the damage that had been done. Going out we couldn't see it because of where we were. While we were out we kept wondering why the big ships hadn't come out.

What did you think of all that damage?

It was just terrible. It was one of those things when you think, what's the world coming to? What's going to happen to us now? Everyone was all set to try to get even if we could, but my family was on the other end of Oahu so the first thing I wanted to do was get ashore and let them know that I was okay and find out that they were okay. That was probably the worst week of the war for me.

What did you do once you got back to Pearl?

We stayed there waiting for further orders. There was nothing really to do. I then got permission to go to the Naval Hospital to help out over there.

Did you still have a lot of casualties to deal with from the attack?

sim. We still had surgery to do. One of the Japanese planes had crashed in the Naval Hospital yard and I have a piece of it.

Did you still go patrolling with the Breese?

sim. We would go out for a few days patrolling looking for submarines and then come back to Pearl. I remember that on Christmas Day in 1941 we were tied right at Hospital Point, Meanwhile, my family came out to the Naval Hospital to have Christmas dinner with me. That was a wonderful occasion.

How long were you with Mine Division Two?

I was with that outfit for another year. We got to work laying mines throughout the South Pacific.


USS Breese (DD-122/ DM-18) - History

por D. v. Nieuwenhuijzen » Thu Nov 03, 2016 8:03 pm

Built by Newport News Shipbuilding & Dry Dock Company, Newport News, Virginia, Cost:$1,342,900.09 (hull & machinery)
Laid down:10 November 1917. Launched:11 May 1918. Commissioned:23 October 1918 to 17 June 1922 and 1 June 1931 to 15 January 1946
Reclassified:DM-18, 5 January 1931
‘Wickes’ class destroyer ,displacement:1,213 tons, Length:314’ 5” (95.83 m.) Beam:31’ 8” (9.65 m.) Draft:9’ 4” (2.84 m.) 4 Yarrow/Thornycroft boilers, 2 Curtis 24,200shp. geared turbines, two shafts. 35 knots.
Complement:122, Armament: 4 × 4" (102 mm.), 2 × 3" (76 mm.), 12 × 21" (533 mm.) torpedo tubes

USS Breese (DD–122) was a Wickes class destroyer in the United States Navy during World War I, and later redesignated, DM-18 in World War II. She was the only ship named for Captain Kidder Breese.

Commissioned as a destroyer in 1919, she undertook a number of patrol and training duties along the East Coast of the United States until being decommissioned in 1922. Overhauled in 1931, she returned to service with the United States Pacific Fleet on training and patrol for the next 10 years. She was present during the attack on Pearl Harbor, and following this she supported several operations during the war, laying minefields and sweeping for mines in the Pacific. Following the end of the war, she was sold for scrap in 1946 and broken up.


In Harm’s Way: The Ships that Got Underway at Pearl Harbor

They were an odd collection of ships. A battleship, two modern light cruisers, an elderly light cruiser and a collection of destroyers, destroyer minesweepers and destroyer minelayers. Yet in the midst of the din and bloody chaos of the Japanese attack on Pearl Harbor these ships, sometimes with only the most junior of officers in charge got underway and took to sea in order to seek out and engage the Japanese.

Their sortie is dramatized in the Otto Preminger film In Harm’s Way.

For the first forty minutes of the attack only two ships were underway. o USS Ward which had sunk the Japanese midget submarine outside the harbor entrance an hour before the attack began. o USS Helm was in the main channel as the attack began. They were joined over the next two hours by other ships.

o USS Nevadawas the only battleship to get underway that morning and though she did not get to sea her example served to inspire those on the battered ships in the harbor and ashore. Her commanding officer and executive officer were ashore, along with many other senior officers. However her Damage Control Officer, Lieutenant Commander Francis Thomas, a reservist took command and as the senior officer present on the the ship got her underway. Then as she was battered by the second wave of Japanese attackers he skillfully grounded her off Hospital Point to keep her from being sunk in the narrow main channel.

USS St Louis passing Battleship Row

o USS St. Louis was moored outboard of her sister ship USS Honolulu at the Naval Station. Her sortie was enabled by members of her crew who chopped down the gangplank and cut water lines to the shore. Under command of Captain George Rood she got underway at 0931 and was the first cruiser to get underway.

USS Phoenix sortie at Pearl Harbor

She was joined by her sister ship USS Phoenix and the elderly light cruiser USS Detroit which was moored on the far side of Ford Island. Phoenix survived the war only to be sunk in the 1982 Falklands war as the Argentine ship General Belgrano.

O destruidor USS Bluegot underway under the command of Ensign Nathan Asher, who had just three other ensigns with him as that ship got underway. Ela foi acompanhada por Monaghan, Dale, Henley, Phelps, Farragut, MacDonough, Worden, Patterson, Jarvis e Aylwin also under command of an junior officer, Ensign Stanley Caplan. Henley left without her commander under the command of Lieutenant Francis Fleck Jr.

Others too got underway, The USS Mugford was the duty destroyer and got underway quickly, as did Cummings. o Ralph Talbot was underway by 0900. Conyngham got underway in the early afternoon. Perhaps the most interesting story was the USS Selfridge which got underway manned by a composite crew of 7 different ships.

The cruisers and destroyers were joined by a number of elderly former destroyers which had been converted to Destroyer Minesweepers or Minelayers. o Ramsay, Breese, Trever e Perryall got underway, Trever also minus her commanding officer.

Some of the ships formed in a vain search for the Japanese strike force while others conducted defensive anti-submarine operations in the waters off Pearl Harbor.

The fact that all of these ships were able to get underway and navigate through the chaos of the attack, often under the command of junior officers and without key crew members was a testament to the courage and initiative of US Navy Officers and Sailors. It is a courage and initiative still in evidence today.

Share this:

Like this:


USS Tucker (DD-374)


Figura 1: USS Tucker (DD-374) completion photograph, taken off the Norfolk Navy Yard, Portsmouth, Virginia, 2 March 1937. Official U.S. Navy Photograph, from the collections of the Naval Historical Center. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 2: USS Tucker (DD-374) completion photograph, taken off the Norfolk Navy Yard, Portsmouth, Virginia, 2 March 1937. Official U.S. Navy Photograph, from the collections of the Naval Historical Center. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 3: USS Tucker underway on 28 April 1938. Official U.S. Navy Photograph, from the collections of the Naval Historical Center. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 4: USS Tucker off the Mare Island Navy Yard, California, 11 March 1942. Fotografia do Bureau of Ships Collection nos Arquivos Nacionais dos EUA. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 5: USS Tucker "jackknifed" amidships and under tow by USS YP-346 in the Bruat Channel, Espiritu Santo, New Hebrides, at about 2330 Hrs. GCT, 3 August 1942. Tucker had struck a mine in the area at about 2145 Hrs. GCT on that day, breaking her keel. She sank on 4 August. Photographed from a plane based on USS Curtiss (AV-4). U.S. Naval Historical Center Photograph. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 6: USS Tucker "jackknifed" amidships and under tow toward the northwest corner of Malo Island at about 0315 Hrs. GCT on 4 August 1942. She is being towed by a motor launch from the Naval Air Station, Segond Channel, Espiritu Santo, New Hebrides, in a final attempt to beach her before she sank. USS Breese (DM-18) is standing by, in the foreground. Tucker had struck a mine in the area at about 2145 Hrs. GCT on 3 August 1942, breaking her keel. She sank on 4 August. Photographed from a plane based on USS Curtiss (AV-4). U.S. Naval Historical Center Photograph. Clique na fotografia para ampliar a imagem.


Figura 7: USS Tucker sunk near Malo Island, Espiritu Santo, New Hebrides, on 5 August 1942. She struck a mine after entering an unannounced defensive minefield during the evening of 3 August and sank early the following morning. Official U.S. Navy Photograph, from the collections of the Naval Historical Center. Clique na fotografia para ampliar a imagem.

Named after Captain Samuel Tucker, an American naval hero during the Revolutionary War, the 1,500-ton USS Tucker (DD-374) was a Mahan class destroyer that was built at the Norfolk Navy Yard in Virginia. The ship was commissioned on 23 July 1936 and was approximately 341 feet long and 34 feet wide, had a top speed of 36.5 knots and carried a crew of 158 officers and men. Tucker was armed with five 5-inch guns, 12 21-inch torpedo tubes and depth charges.

Following her shakedown cruise in the western Atlantic, Tucker was assigned to the destroyer forces of the US Battle Fleet based at San Diego, California. She remained in the Pacific (cruising between the West Coast and the Hawaiian Islands) until 1940, except for a brief period of time when Tucker took part in Fleet Problem XX, a naval exercise that was held in the Caribbean and was personally observed by President Franklin D. Roosevelt on board the USS Houston (CA-30). With tensions rising between the United States and Japan, Tucker was sent from Pearl Harbor, Hawaii, to Auckland, New Zealand, arriving there on 17 March 1941 on a good will visit that was designed to “show the flag” in the South Pacific. Tucker returned to Pearl Harbor after her trip to New Zealand and took part in some fleet exercises before returning to her homeport in San Diego on 19 September 1941. After a brief stay there, the ship was sent back to Pearl Harbor where she began patrolling the waters around the Hawaiian Islands.

On 7 December 1941, Tucker was moored at berth X-8, East Loch, Pearl Harbor, in the center of a group of five destroyers and the tender USS Whitney (AD-4). Gunner’s Mate 2nd Class W.E. Bowe was on board Tucker and quickly manned a machine gun on the ship’s after superstructure as soon as he saw the Japanese planes attacking the surrounding warships. He began firing his machine gun even before the alarm for general quarters was sounded. Approximately two minutes later, the ship’s after 5-inch guns began firing as well, joining the antiaircraft gunfire that was coming from the other destroyers that surrounded Tucker. Soon the five destroyers put up a curtain of lead that brought down two of the attacking Japanese aircraft. Felizmente, Tucker was not damaged during the attack.

After the attack, Tucker patrolled the waters outside of Pearl Harbor. She went on to spend the next five months escorting convoys between the West Coast and Hawaii. Tucker then was sent to the South Pacific. She escorted the USS Wright (AV-1) to Tutuila, American Samoa, and the pair then sailed on to Suva in the Fiji Islands. The two ships next went to Noumea, New Caledonia, and then to Sydney, Australia, arriving there on 27 April 1942. After that, Tucker made port visits to Melbourne, Perth and Fremantle before returning to Sydney. Tucker escorted Wright once again to Suva, arriving there on 3 June 1942. The pair operated out of that base until 10 July, when Tucker relieved the USS Boise (CL-47) for convoy escort duties. On 30 July, Tucker arrived at Auckland and was sent back to the Fiji Islands the next day.

After arriving back at Suva, Tucker received orders to escort the freighter SS Nira Luckenbach to Espiritu Santo, New Hebrides. On 1 August 1942, the two ships departed Suva. Because of a communications failure, the two ships were not informed that they were heading directly for an American defensive minefield that was laid on 2 August near Espiritu Santo. As a result, at 2145 on 3 August Tucker hit a mine that almost immediately broke the destroyer’s back. Six men were killed in the explosion and the Nira Luckenbach quickly sent over lifeboats to rescue the crew of the stricken destroyer. The next morning, 4 August, the YP-346 e o USS Breese (DMS-18) arrived on the scene and tried to tow the Tucker into shallower water to make salvage operations easier. But as soon as the rescue ships tried to take the Tucker into tow, what was left of the destroyer broke in two, jack-knifed, and sank.

The destruction of the Tucker shows that ships can be lost in wartime by sheer accident. This tragic event not only cost the lives of six men, but it also prevented a badly needed US destroyer from taking part in the upcoming naval battle for Guadalcanal. The Japanese had just scored a victory without having to lift a finger, a bitter lesson for the US Navy.


Assista o vídeo: World of Warships.. 1440 HD.. +18 Ранги? Raise and shine! (Outubro 2021).