Notícia

Monte Vesúvio entra em erupção

Monte Vesúvio entra em erupção


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Em 24 de agosto, após séculos de dormência, o Monte Vesúvio entra em erupção no sul da Itália, devastando as prósperas cidades romanas de Pompéia e Herculano e matando milhares. As cidades, enterradas sob uma espessa camada de material vulcânico e lama, nunca foram reconstruídas e em grande parte esquecidas ao longo da história. No século 18, Pompéia e Herculano foram redescobertas e escavadas, fornecendo um registro arqueológico sem precedentes da vida cotidiana de uma antiga civilização, surpreendentemente preservada em morte súbita.

As antigas cidades de Pompéia e Herculano prosperavam perto da base do Monte Vesúvio, na Baía de Nápoles. Na época do início do Império Romano, 20.000 pessoas viviam em Pompéia, incluindo mercadores, fabricantes e fazendeiros que exploravam o rico solo da região com numerosos vinhedos e pomares. Ninguém suspeitou que a terra negra fértil fosse o legado das erupções anteriores do Monte Vesúvio. Herculano era uma cidade de 5.000 habitantes e um dos destinos de verão favoritos dos romanos ricos. Com o nome do herói mítico Hércules, Herculano abrigava vilas opulentas e grandes banhos romanos. Artefatos de jogos de azar encontrados em Herculano e um bordel desenterrado em Pompéia atestam a natureza decadente das cidades. Havia também comunidades turísticas menores na área, como a pacata cidadezinha de Stabiae.

Ao meio-dia de 24 de agosto de 79 d.C., esse prazer e prosperidade chegaram ao fim quando o pico do Monte Vesúvio explodiu, lançando uma nuvem em forma de cogumelo de cinzas e pedra-pomes de 16 quilômetros para a estratosfera. Pelas próximas 12 horas, cinzas vulcânicas e uma chuva de pedras-pomes de até 3 polegadas de diâmetro choveram sobre Pompéia, forçando os ocupantes da cidade a fugir aterrorizados. Cerca de 2.000 pessoas ficaram em Pompéia, escondidas em porões ou estruturas de pedra, esperando esperar a erupção.

Um vento oeste protegeu Herculano do estágio inicial da erupção, mas então uma nuvem gigante de cinzas quentes e gás surgiu no flanco oeste do Vesúvio, engolfando a cidade e queimando ou asfixiando todos os que restaram. Esta nuvem letal foi seguida por uma inundação de lama vulcânica e rocha, enterrando a cidade.

As pessoas que permaneceram em Pompéia foram mortas na manhã de 25 de agosto, quando uma nuvem de gás tóxico invadiu a cidade, sufocando tudo o que restava. Seguiu-se um fluxo de pedras e cinzas, derrubando telhados e paredes e enterrando os mortos.

Muito do que sabemos sobre a erupção vem de um relato de Plínio, o Jovem, que estava hospedado a oeste ao longo da Baía de Nápoles quando o Vesúvio explodiu. Em duas cartas ao historiador Tácito, ele contou como “as pessoas cobriam a cabeça com travesseiros, a única defesa contra uma chuva de pedras”, e como “uma nuvem escura e horrível carregada de matéria combustível repentinamente se quebrou e partiu. Alguns lamentaram seu próprio destino. Outros oraram para morrer. ” Plínio, com apenas 17 anos na época, escapou da catástrofe e mais tarde se tornou um notável escritor e administrador romano. Seu tio, Plínio, o Velho, teve menos sorte. Plínio, o Velho, um célebre naturalista, na época da erupção era o comandante da frota romana na baía de Nápoles. Depois que o Vesúvio explodiu, ele cruzou a baía com seus barcos até Stabiae, para investigar a erupção e tranquilizar os cidadãos aterrorizados. Depois de desembarcar, ele foi atacado por um gás tóxico e morreu.

De acordo com o relato de Plínio, o Jovem, a erupção durou 18 horas. Pompéia foi soterrada sob 14 a 17 pés de cinzas e pedra-pomes, e a costa marítima próxima foi drasticamente alterada. Herculano foi enterrado sob mais de 18 metros de lama e material vulcânico. Alguns residentes de Pompéia mais tarde voltaram para cavar suas casas destruídas e resgatar seus objetos de valor, mas muitos tesouros foram deixados e depois esquecidos.

No século 18, um escavador desenterrou uma estátua de mármore no local de Herculano. O governo local escavou alguns outros objetos de arte valiosos, mas o projeto foi abandonado. Em 1748, um fazendeiro encontrou vestígios de Pompéia sob seu vinhedo. Desde então, as escavações continuaram quase sem interrupção até o presente. Em 1927, o governo italiano retomou a escavação de Herculano, recuperando vários tesouros de arte, incluindo estátuas de bronze e mármore e pinturas.

Os restos mortais de 2.000 homens, mulheres e crianças foram encontrados em Pompéia. Depois de perecer por asfixia, seus corpos foram cobertos com cinzas que endureceram e preservaram o contorno de seus corpos. Mais tarde, seus corpos se decompuseram em restos de esqueletos, deixando para trás uma espécie de molde de gesso. Os arqueólogos que encontraram esses moldes preencheram as cavidades com gesso, revelando em detalhes sombrios a pose de morte das vítimas do Vesúvio. O resto da cidade também está congelado no tempo, e objetos comuns que contam a história da vida cotidiana em Pompéia são tão valiosos para os arqueólogos quanto as grandes estátuas e afrescos desenterrados. Foi só em 1982 que os primeiros restos humanos foram encontrados em Herculano, e essas centenas de esqueletos apresentam marcas de queimaduras horríveis que testemunham mortes horríveis.

Hoje, o Monte Vesúvio é o único vulcão ativo no continente europeu. Sua última erupção foi em 1944 e sua última grande erupção foi em 1631. Outra erupção é esperada em um futuro próximo, o que pode ser devastador para as 700.000 pessoas que vivem nas “zonas da morte” ao redor do Vesúvio.

LEIA MAIS: Este antigo homem de Pompeia foi esmagado por uma rocha enquanto fugia da erupção do vulcão


Monte Vesúvio entra em erupção - HISTÓRIA

Erupção do Monte Vesúvio

Fotografia de 1944 da marinha de uma erupção do Vesúvio.

A Erupção do Monte Vesúvio
Quando o Monte Vesúvio entrou em erupção em 79 d.C., as cidades de Pompéia e Herculano foram soterradas por uma avalanche de lama fervente e lava. Pompeia foi enterrada a cerca de 6 a 40 pés de profundidade e Herculano a cerca de 18 a 25 metros. Um jovem historiador chamado Plínio, o Jovem, testemunhou todo o evento de Miseno, a cerca de 32 quilômetros de distância.

Plínio, o jovem, viu tudo
No verão de 79 d.C., um jovem estudante de cerca de 18 anos chamado Gaius Plinius (Plínio, o Jovem) não tinha ideia de que iria assistir a uma das catástrofes mais inacreditáveis ​​da história do mundo. Ele estava hospedado com sua mãe e seu tio (Plínio, o Velho) em uma vila na cidade de Miseno, que está localizada na Baía de Nápoles, a cerca de 20 milhas do Monte Vesúvio.

Ele testemunhou o Monte Vesúvio entrar em erupção e enterrar completamente as cidades de Pompéia e Herculano. Seu tio, Plínio, o Velho, morreu naquele dia, mas Gaius sobreviveu e escreveu um relato surpreendente para o historiador romano Tácito sobre o que ele viu, em 2 longas cartas. Aqui estão alguns trechos traduzidos do que ele escreveu:

“Em 24 de agosto, por volta de uma da tarde, minha mãe chamou a atenção de meu tio para uma nuvem de tamanho e aparência incomuns. Não era claro à distância a respeito de qual montanha a nuvem estava subindo, embora depois soubesse ser o Vesúvio. A aparência da nuvem pode ser mais bem descrita como a de um pinheiro-manso (pinheiro mediterrâneo), pois atingiu uma grande altura em uma espécie de tronco e depois se partiu em galhos. Acredito que, porque primeiro foi impulsionada por uma rajada repentina de ar (recenti spiritu eiecta), então, com a sua diminuição ou por causa do peso, a nuvem expandiu-se lateralmente, ora branca, ora escura e manchada pela areia e cinzas sustentadas ( pondere suo victa em latitudinem vanescebat, candida interdum, interdum sordida et maculosa prout terram cineremque sustulerat). & quot


Para ver uma foto de satélite, clique aqui

Seu tio (Plínio, o Velho) sendo comandante da frota naval em Miseno, aparentemente percebeu, de acordo com o relato de Gaius, que o Vesúvio estava em erupção e decidiu levar alguns navios para o outro lado da baía para resgatar quem pudesse. Era impossível chegar muito perto da terra por causa das cinzas grossas e quentes e da pedra-pomes (grandes pedaços de lava), então eles se dirigiram para Stabiae, uma cidade 3 milhas ao sul de Pompéia, e ele veio para a casa de um amigo, Pomponianus, que não pôde sair por causa do vento contrário. Então eles esperaram. Eles assistiram ao Vesúvio, do qual se diz que houve:

"Ruas largas de fogo e chamas saltitantes ardiam em muitos pontos, seu brilho intenso enfatizado pela escuridão da noite."

Plínio, o Velho, estava completamente impotente para fazer qualquer coisa e sua esperança de uma missão de resgate era impossível e ele e seus homens estavam em grande perigo. Gaius também escreveu sobre isso:

& quotthey debatiam se deviam ficar dentro de casa ou arriscar-se ao ar livre, pois os prédios tremiam com choques violentos e pareciam balançar para a frente e para trás, como se arrancados de suas fundações. Do lado de fora, por outro lado, havia perigo de queda de pedras-pomes. & quot

Para ver uma pintura do século 17 do Vesúvio em erupção, clique aqui

Vir para Stabiae foi uma decisão fatal. Eles decidiram partir ao amanhecer e as chamas e os vapores sulfurosos eram insuportáveis ​​para Plínio, o Velho, que desmaiou e morreu. Está registrado que ele também era asmático. Alguns de seus homens conseguiram chegar a Miseno e Gaius ouviu a notícia sobre seu tio. As coisas ainda estavam turbulentas e Gaius e sua mãe correram para um campo aberto para evitar os edifícios que desabaram. Ele escreveu:

“Até o mar parecia girar sobre si mesmo, empurrado para trás pelos tremores de terra. Muitos peixes foram encalhados na areia. Na outra direção, apareceu uma nuvem negra horrível rasgada por flashes em zigue-zague e massas de chamas, como relâmpagos, mas muito maiores. à noite éramos envolvidos, não uma noite sem lua ou ofuscada por nuvens, mas a escuridão de um quarto selado sem lâmpada. Depois de um tempo, outra nuvem nos alcançou - De novo a obscuridade, de novo as cinzas, densa e pesada. Levantamos algum tempo para sacudir as cinzas, pois poderíamos ter sido cobertos e sufocados por seu peso- (& quotTenebrae rursus, cinis rursus, multus et gravis. Hunc identidem adsurgentes excutiebamus operti alioqui atque etiam oblisi pondere essemus. & Quot.

& quotSó os gritos estridentes das mulheres, o lamento das crianças e os gritos dos homens. Alguns chamavam para seus pais, outros para seus filhos, outros para suas esposas. Muitos ergueram as mãos para os deuses, mas a maioria estava convencida de que agora não havia mais deuses e que esta noite era o fim do mundo. Finalmente a escuridão se iluminou e, em seguida, como fumaça ou nuvem, se dissipou. A luz do dia voltou, e o sol brilhou, embora de forma lúgubre, como faz quando um eclipse está chegando & quot

Monte Vesúvio
O pico do vulcão foi completamente destruído e o Vesúvio foi dividido em dois picos menores. A coluna de cinzas tinha cerca de 20 milhas de altura. O Vesúvio entrou em erupção mais de 30 vezes desde a grande erupção de 79 d.C. Na verdade, houve muita atividade neste século, especialmente de 1913-1944, que os cientistas acreditam ser o fim de um ciclo eruptivo que começou no século XVII. Não há sinais de agitação vulcânica no Vesúvio no momento.


Herculano com o Vesúvio ao fundo.
Para ver o Vesúvio do templo de Apolo em Pompéia, clique aqui

Pompéia e Herculano
As cidades de Pompéia e Herculano foram soterradas por uma avalanche de lama fervente e lava. Pompeia foi enterrada a cerca de 6 a 40 pés de profundidade e Herculano estava a 60 a 75 pés. As cidades foram abandonadas e sua localização esquecida. Em 1595 houve algumas expedições na área de Pompéia por ordem de Carlos III, Rei das Duas Sicílias, e alguns artefatos foram descobertos que causaram muitos saques. Então, algumas escavações arqueológicas começaram em meados do século XIX. Hoje, grande parte de Pompéia foi escavada e, junto com ela, histórias fantasmagóricas de pessoas que tentaram salvar suas vidas. Existem inúmeros moldes de pessoas e animais encontrados.

Para ver mais fotos clique em: foto 1, dois, três
Além disso, você pode tentar um Zsearch em Pompéia.

As escavações nos ensinaram muito sobre como as pessoas viviam naquela época. Existem outros registros da destruição de Herculano e Pompéia em escritos como os de Marco Aurélio (121-180 DC) e em Dio Cassius (150-235 DC), que também relata que as cinzas da erupção alcançaram a África (a Líbia moderna ), Síria e Egito, e causou pestilência.

O poema de Martial (40-104 DC) descreve o Vesúvio:

& quot uma vez coberto por uvas verdes, agora submerso em chamas e lapilli. & quot

Monte Vesúvio na Wikipedia

Monte Vesúvio
No século I, Pompéia era apenas uma das várias cidades localizadas ao redor da base do Monte Vesúvio. A área tinha uma população substancial que cresceu próspera com a famosa fertilidade agrícola da região. Muitas das comunidades vizinhas de Pompéia, a mais famosa de Herculano, também sofreram danos ou destruição durante a erupção de 79 °. A erupção 79, que se acredita ter durado cerca de 19 horas, liberou cerca de 1 milha cúbica (4 quilômetros cúbicos) de cinzas e rochas sobre uma ampla área ao sul e sudeste da cratera, com cerca de 3 m (10 pés ) da tefra caindo em Pompéia. A cinza branca produzida por esta erupção é principalmente de leucita e fonolita. Artigo Completo


Reencenação da Erupção do Monte Vesúvio

A Bíblia menciona o fogo, a fumaça e & quotBrimstone & quot nas erupções do vulcão

Isaías 34: 9 - E as suas correntes se converterão em piche, e o seu pó em enxofre, e a sua terra se tornará em piche ardente.

Apocalipse 19:20 - E a besta foi presa, e com ela o falso profeta que fazia milagres diante dela, com os quais enganou os que receberam o sinal da besta e os que adoraram a sua imagem. Ambos foram lançados vivos em um lago de fogo ardente com enxofre.

Apocalipse 14:10 - Este beberá do vinho da ira de Deus, que é derramado sem mistura no cálice de sua indignação e será atormentado com fogo e enxofre na presença dos santos anjos e na presença do Cordeiro:

Deuteronômio 29:23 - [E que] toda a sua terra [é] enxofree sal, [e] queima, [para que] não se semeie, nem produza, nem nela cresça erva, como a destruição de Sodoma e Gomorra, Admah e Zeboim, que o Senhor destruiu na sua ira e na sua ira:

Isaías 30:33 - Pois Tofete foi ordenado desde a antiguidade, sim, para o rei está preparado, ele o fez fundo e grande; o seu monte é de fogo e muita lenha, o sopro do Senhor, como um ribeiro de enxofre, acendê-lo.

Ezequiel 38:22 - E entrarei em juízo contra ele com peste e com sangue e choverei sobre ele, e sobre as suas tropas, e sobre muitas pessoas que estão com ele, uma chuva transbordante e grandes granizos, fogo e enxofre.

Gênesis 19:24 - Então o Senhor choveu sobre Sodoma e Gomorra enxofre e fogo do Senhor do céu

Apocalipse 21: 8 - Mas os medrosos, e incrédulos, e abomináveis, e assassinos, e prostitutas, e feiticeiros, e idólatras, e todos os mentirosos, terão sua parte no lago que arde com fogo e enxofre: qual é a segunda morte.

Apocalipse 20:10 - E o diabo que os enganava foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde a besta e o falso profeta [estão], e serão atormentados dia e noite para todo o sempre.

Salmos 11: 6 - Sobre os ímpios choverá armadilhas, fogo e enxofre, e uma tempestade terrível: [esta será] a porção de sua taça.

Apocalipse 9:18 - Por estes três foi a terceira parte dos homens morta, pelo fogo, e pela fumaça, e pelo enxofre, que saiu de suas bocas.

Lucas 17:29 - Mas no mesmo dia em que Ló saiu de Sodoma choveu fogo e enxofre do céu, e destruiu [eles] todos.

Jó 18:15 - Habitará no seu tabernáculo, porque não é seu: enxofre será espalhado em sua habitação.

Apocalipse 9:17 - E assim eu vi os cavalos na visão, e os que estavam montados neles, tendo couraças de fogo e de jacinto, e enxofre: e as cabeças dos cavalos [eram] como cabeças de leões e de suas bocas saíam fogo e fumaça e enxofre.


Bibliografia sobre o antigo culto a Baal

Elias, Javé e Baal por Gunkel e Hanson, 106 Pages, Pub. 2014


Monte Vesúvio entra em erupção

Após séculos de dormência, o Monte Vesúvio entra em erupção neste dia em 79 d.C. no sul da Itália, devastando as prósperas cidades romanas de Pompéia e Herculano e matando milhares. As cidades, enterradas sob uma espessa camada de material vulcânico e lama, nunca foram reconstruídas e em grande parte esquecidas ao longo da história. No século 18, Pompéia e Herculano foram redescobertas e escavadas, fornecendo um registro arqueológico sem precedentes da vida cotidiana de uma antiga civilização, surpreendentemente preservada em morte súbita. As antigas cidades de Pompéia e Herculano prosperavam perto da base do Monte Vesúvio, na Baía de Nápoles. Na época do início do Império Romano, 20.000 pessoas viviam em Pompéia, incluindo mercadores, fabricantes e fazendeiros que exploravam o rico solo da região com numerosos vinhedos e pomares. Ninguém suspeitou que a terra negra fértil fosse o legado das erupções anteriores do Monte Vesúvio. Herculano era uma cidade de 5.000 habitantes e um dos destinos de verão favoritos dos romanos ricos. Com o nome do herói mítico Hércules, Herculano abrigava vilas opulentas e grandes banhos romanos. Artefatos de jogos de azar encontrados em Herculano e um bordel desenterrado em Pompéia atestam a natureza decadente das cidades. Havia também comunidades turísticas menores na área, como a pacata cidadezinha de Stabiae.

Ao meio-dia de 24 de agosto de 79 d.C., esse prazer e prosperidade chegaram ao fim quando o pico do Monte Vesúvio explodiu, lançando uma nuvem em forma de cogumelo de cinzas e pedra-pomes de 16 quilômetros para a estratosfera. Pelas 12 horas seguintes, cinzas vulcânicas e uma chuva de pedras-pomes de até 7 centímetros de diâmetro choveram sobre Pompéia, forçando os ocupantes da cidade a fugir aterrorizados. Cerca de 2.000 pessoas ficaram em Pompéia, escondidas em porões ou estruturas de pedra, esperando esperar a erupção. Um vento oeste protegeu Herculano do estágio inicial da erupção, mas então uma nuvem gigante de cinzas quentes e gás surgiu no flanco oeste do Vesúvio, engolfando a cidade e queimando ou asfixiando todos os que restaram. Esta nuvem letal foi seguida por uma inundação de lama vulcânica e rocha, enterrando a cidade. As pessoas que permaneceram em Pompéia foram mortas na manhã de 25 de agosto, quando uma nuvem de gás tóxico invadiu a cidade, sufocando tudo o que restava.

Seguiu-se um fluxo de pedras e cinzas, derrubando telhados e paredes e enterrando os mortos. Muito do que sabemos sobre a erupção vem de um relato de Plínio, o Jovem, que estava hospedado a oeste ao longo da Baía de Nápoles quando o Vesúvio explodiu. Em duas cartas ao historiador Tácito, ele contou como "as pessoas cobriam a cabeça com travesseiros, a única defesa contra uma chuva de pedras", e como "uma nuvem escura e horrível carregada de matéria combustível repentinamente se partiu e partiu. Alguns lamentou seu próprio destino. Outros oraram para morrer. " Plínio, com apenas 17 anos na época, escapou da catástrofe e mais tarde se tornou um notável escritor e administrador romano. Seu tio, Plínio, o Velho, teve menos sorte. Plínio, o Velho, um célebre naturalista, na época da erupção era o comandante da frota romana na baía de Nápoles. Depois que o Vesúvio explodiu, ele cruzou a baía com seus barcos até Stabiae, para investigar a erupção e tranquilizar os cidadãos aterrorizados.

Depois de desembarcar, ele foi atacado por um gás tóxico e morreu. De acordo com o relato de Plínio, o Jovem, a erupção durou 18 horas. Pompéia foi soterrada sob 14 a 17 pés de cinzas e pedra-pomes, e a costa marítima próxima foi drasticamente alterada. Herculano foi enterrado sob mais de 18 metros de lama e material vulcânico. Alguns residentes de Pompéia mais tarde voltaram para cavar suas casas destruídas e resgatar seus objetos de valor, mas muitos tesouros foram deixados e depois esquecidos. No século 18, um escavador desenterrou uma estátua de mármore no local de Herculano. O governo local escavou alguns outros objetos de arte valiosos, mas o projeto foi abandonado. Em 1748, um fazendeiro encontrou vestígios de Pompéia sob seu vinhedo.

Desde então, as escavações prosseguiram quase sem interrupção até o presente. Em 1927, o governo italiano retomou a escavação de Herculano, recuperando vários tesouros de arte, incluindo estátuas de bronze e mármore e pinturas. Os restos mortais de 2.000 homens, mulheres e crianças foram encontrados em Pompéia. Depois de perecer por asfixia, seus corpos foram cobertos com cinzas que endureceram e preservaram o contorno de seus corpos. Mais tarde, seus corpos se decompuseram em restos de esqueletos, deixando para trás uma espécie de molde de gesso. Os arqueólogos que encontraram esses moldes preencheram as cavidades com gesso, revelando em detalhes sombrios a pose de morte das vítimas do Vesúvio.

O resto da cidade também está congelado no tempo, e objetos comuns que contam a história da vida cotidiana em Pompéia são tão valiosos para os arqueólogos quanto as grandes estátuas e afrescos desenterrados. Foi só em 1982 que os primeiros restos humanos foram encontrados em Herculano, e essas centenas de esqueletos exibem marcas de queimaduras horríveis que testemunham mortes horríveis. Hoje, o Monte Vesúvio é o único vulcão ativo no continente europeu. Sua última erupção foi em 1944 e sua última grande erupção foi em 1631. Outra erupção é esperada em um futuro próximo, o que pode ser devastador para as 700.000 pessoas que vivem nas "zonas da morte" ao redor do Vesúvio.


A enorme erupção do Monte Vesúvio em 1944

Monte Vesúvio está entre os espetáculos naturais mais famosos do mundo. É também um dos mais temidos. Tendo estourou setenta anos atrás, ainda não explodiu novamente. Famosa pela destruição de Pompéia, muitos temem que o grande vulcão possa explodir novamente a qualquer momento. Após a trágica destruição de Pompeia, Monte Vesúvio tem apenas estourou aproximadamente trinta vezes.

Quando o vulcão estourou em 1944, estava perto do local de uma base italiana usada pelas forças aliadas na Segunda Guerra Mundial, o que significa que havia várias testemunhas do evento. Em algumas formas, Monte Vesúvio e os seus erupção foram muito bem recebidos pelos Aliados, pois foi uma das poucas coisas que alguns deles puderam contar às suas famílias. Isso foi especialmente verdadeiro porque o ano do evento foi o mesmo ano em que houve um aumento da concentração em crackear a máquina Enigma, um dispositivo de criptografia alemão que só recentemente foi capturado de um submarino alemão.

Monte Vesúvio pode ser visto a quilômetros de distância, e os soldados aliados notaram que, mesmo com o topo do vulcão coberto de neve, a fumaça estava constantemente saindo do topo. Foi quando a saída de fumaça aumentou que os soldados ficaram preocupados que um erupção pode estar perto. O que alguns podem não saber sobre vulcões é que um erupção não é um evento breve. O vulcão expeliu lava por vários dias, algo que não acontecia há mais de uma década. Felizmente, o processo lento não foi tão inesperado quanto a tragédia de Pompéia, e as áreas mais populosas foram facilmente evacuadas, relata o The Telegraph.

Os repórteres do tempo de guerra logo descobriram que tinham algo para conversar além das mortes horríveis daqueles em batalha. O que Monte Vesúvio O que fez à cidade vizinha de San Sebastiano era diferente de tudo que os japoneses haviam feito em Pearl Harbor. o erupção não deixou nada de terra em seu caminho, mas ainda havia vários repórteres corajosos dispostos a pegar a carnificina o mais perto possível. Após mais de uma semana de lava derretida, o vulcão iniciou sua fase de em erupção com cinzas e pedras, a precipitação das quais podia ser sentida a vários quilômetros. Essa foi a fase que se tornou mortal, ceifando vinte vidas antes de seu fim.

O 1944 erupção do Monte Vesúvio criou tanto quanto destruiu. As cinzas vulcânicas tendem a tornar as terras ao seu redor muito mais férteis, e isso não foi exceção. Embora houvesse eventuais benefícios para a provação, o erupção do Monte Vesúvio ainda é um evento que muitas pessoas temem ir para o futuro.


Este dia na história: Erupção do Monte Vesúvio em 1631

Embora a erupção mais famosa do Monte Vesúvio que destruiu as cidades de Pompéia e Herculano tenha ocorrido no ano 79 DC, a montanha tem uma longa história de erupções antes e depois dessa data.

Neste dia de 1631, o Monte Vesúvio teve outra grande erupção que enterrou muitas aldeias sob fluxos de lava. No segundo dia, uma erupção ainda maior ocorreu, que continuou pelos próximos dias, embora com intensidade decrescente.

O que muitos não sabem é que essa erupção desencadeou um tsunami, no qual as ondas atingiram a costa três vezes, danificando e destruindo muitos barcos ao longo da costa. Não está claro o que gerou este tsunami (por exemplo, fluxos piroclásticos, terremoto vulcânico, etc.) No entanto, é certo que a atividade vulcânica foi responsável pela morte de aproximadamente 4.000 pessoas.

Saiba mais sobre este evento com nossos dados de riscos naturais e mapas: go.usa.gov/xpwyZ

Termos de uso: Por favor, dê crédito a NOAA

php echo "Termos de uso: credite $ field_image_gallery_tag"?> var13 -> $ image_tag = field_get_items ('node', $ node, 'field_image_gallery_tag') $ field_image_gallery_tag = $ image_tag [0] ['valor'] ->


A erupção do Monte Vesúvio em 79 DC e a destruição de Pompéia

O dia havia começado como qualquer outro na antiga cidade romana de Pompéia. As lojas estavam abertas, os mercados estavam movimentados e os cidadãos se reuniam no fórum para discutir política e negócios. Embora um terremoto tenha abalado a cidade cerca de 17 anos antes, a população cada vez maior não tinha motivos para se preocupar em suas vidas diárias. O dinheiro do investimento levou a grandes obras de renovação em toda a cidade, que agora se tornara bastante próspera. O futuro parecia brilhante para esta movimentada metrópole romana.

Nunca, em seus pesadelos mais sombrios, os 15.000 cidadãos de Pompéia poderiam prever a mão cruel que o destino estava prestes a lidar com sua amada cidade naquele dia. Situado na Baía de Nápoles, na região da Campânia, na Itália, o povo dessa região vivia à sombra de um gigante adormecido, o Monte Vesúvio. Os romanos sabiam que era um vulcão, mas eram completamente ignorantes quanto à extensão de seu poder destrutivo. Eles também acreditaram fatalmente que estava extinto. Os eventos catastróficos de 24 de agosto de 79 DC demonstrariam como essa crença estava errada.

Por quatro dias antes dessa data fatídica, as populações vizinhas sentiram pequenos terremotos, que aumentaram de frequência com o passar dos dias. Os sinais de alerta estavam lá, mas os romanos nesta região se acostumaram a tal atividade sísmica. De acordo com Plínio, o Jovem, a única testemunha ocular a deixar para trás um documento escrito sobrevivente dos eventos, esses pequenos tremores de terra eram frequentes na Campânia. Nessa ocasião, porém, eles representavam algo muito mais sinistro que o gigante adormecido estava despertando.

A cada segundo, um milhão e meio de toneladas de detritos vulcânicos são lançados na atmosfera.

A pressão exercida pela rocha derretida sob o vulcão estava aumentando a tal ponto que logo não teria para onde ir, exceto para cima. Às 13h do dia 24 de agosto, o Monte Vesúvio anunciou seu despertar com uma violenta erupção.

Uma enorme nuvem escura envolveu o céu azul acima do vulcão. A coluna de pedra-pomes vulcânica, gases quentes e cinzas, subiu 9 milhas na atmosfera e se espalhou pelo horizonte como tinta preta em papel absorvente. Plínio descreveu sua aparência geral como "como um pinheiro guarda-chuva, pois ele alcançou uma grande altura em uma espécie de tronco e então se dividiu em galhos. '

A cada segundo, um milhão e meio de toneladas de detritos vulcânicos lançados na atmosfera, regurgitados das profundezas de fogo do gigante furioso. Naquele dia, o Monte Vesúvio liberou mais de 100.000 vezes a energia térmica das duas bombas atômicas lançadas nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki durante a Segunda Guerra Mundial.

Não demorou muito para que a nuvem escura viajasse a distância de oito quilômetros até Pompéia. A cidade logo se viu envolta em trevas enquanto rocha derretida, pedra-pomes e cinzas quentes começaram a cair do céu. Algumas pessoas fugiram para o mar, outras para a zona rural próxima. Muitos decidiram se amontoar dentro de suas casas na vã esperança de enfrentar a tempestade. As primeiras mortes em Pompéia foram registradas nesta fase, quando os telhados planos de prédios e casas começaram a desabar sob o peso das cinzas e detritos vulcânicos, esmagando as almas infelizes que moravam dentro de suas paredes. Rochas caindo do céu ceifaram a vida de outras pessoas. Gradualmente, a cidade foi soterrada por cinzas e destroços a uma profundidade de quase 10m.

Embora localizada a cerca de 3 milhas mais perto do Monte Vesúvio do que de Pompéia, a pequena e rica cidade litorânea de Herculano conseguiu evitar a maior parte das cinzas e pedras-pomes da primeira erupção, graças aos ventos predominantes que sopram a nuvem vulcânica a sudeste em direção a Pompéia e arredores . A cena apocalíptica que se desenrolava diante de seus olhos, porém, foi suficiente para convencer a maioria dos cidadãos de Herculano a fugir de sua cidade. Eles eram os sábios, pois o Monte Vesúvio ainda estava longe de terminar.

Por volta de uma hora da manhã, doze horas depois que o vulcão ganhou vida, a erupção entrou em sua segunda e mais letal fase. A coluna de destroços e gás atingiu agora cerca de 20 milhas de altura e começou a enfraquecer sob seu próprio peso. Nas primeiras horas de 25 de agosto, a coluna entrou em colapso à medida que os gases se adensavam e não podiam mais suportar seu conteúdo sólido. A nuvem destrutiva começou a descer pelas laterais do vulcão. Esta foi a primeira das seis ondas piroclásticas que cairiam do Monte Vesúvio naquele dia.

Ele correu em direção à cidade de Herculano a velocidades superiores a 100 mph. Os infelizes por serem varridos em sua esteira morreram instantaneamente devido à exposição ao calor, pois as temperaturas dentro da onda subiram para cerca de 250 ° C. Durante anos, os historiadores acreditaram que Herculano estava praticamente abandonado na época em que as ondas começaram, devido ao baixo número de restos de esqueletos descobertos na cidade. No entanto, na década de 1980, até 400 esqueletos bem preservados foram descobertos em casas de barcos perto do paredão da cidade, demonstrando que nem todos haviam decidido evacuar. Quando acabou, Herculano foi enterrado sob 75 pés de material vulcânico.

Era a morte certa em uma fração de segundo para cada ser vivo que residia em Pompéia naquela época

Quando o sol começou a nascer no segundo dia da erupção, a queda de cinzas em Pompéia começou a diminuir. Os cidadãos dentro dos limites da cidade acreditaram que tudo estava acabado e alguns dos que haviam fugido começaram até mesmo a voltar para suas casas para recolher o que restava de seus pertences. Se as erupções vulcânicas tinham o foco da tempestade, era isso. Um período de calma de curta duração e enganoso antes do Monte Vesúvio lançar sua quarta onda piroclástica.

Veio por volta das 7h30 e colidiu com Pompéia a mais de 320 km / h, com temperaturas agora superiores a 300 ° C. Era a morte certa em uma fração de segundo para cada ser vivo que residia em Pompéia naquela época. Mesmo aqueles que fugiram para o campo não tiveram sua segurança garantida, já que as ondas atingiram profundamente a paisagem circundante. Uma quinta onda enterrou Pompeia para sempre.

Plínio, o Jovem, estava hospedado em Miseno, do outro lado da baía de Nápoles, a cerca de 29 quilômetros do vulcão. Even at this distance, the citizens of Misenum felt the effects of the eruption with ash falling heavily on the Roman port. Pliny and his mother, along with many others, initially decided to stay put and watch the events unfold across the bay. ‘On the other side, a black and dreadful cloud, broken with rapid, zigzag flashes, revealed behind it variously shaped masses of flame: these last were like sheet-lightning, but much larger… soon afterwards, the cloud began to descend, and cover the sea.'

Earlier in the day, Pliny's uncle known as Pliny the Elder had bravely set sail to help those trapped closer to the volcano. His body was found a couple of days later, his cause of death most likely from a heart attack.

Pliny the Younger described witnessing the waters around the bay receding, identifying what was most likely a mild tsunami caused by the eruptions. Eventually, the 17-year-old Pliny along with his mother set forth into the countryside with many others. He describes people placing pillows over their heads to protect themselves from falling objects.

‘You could hear the shrieks of women, the wailing of infants, and the shouting of men', Pliny recalled. ‘People bewailed their own fate or that of their relatives, and there were some who prayed for death in their terror of dying. Many besought the aid of the gods, but still more imagined there were no gods left, and that the universe was plunged into eternal darkness for evermore…I admit that I derived some poor consolation in my mortal lot from the belief that the whole world was dying with me and I with it.'

By the end of the second day, the sun managed to finally peek through the haze and reach the charred landscape below, lifting the souls of those still alive. Mount Vesuvius was finally at rest again.

Although exact numbers cannot be known, estimates place the death toll caused by the eruption in the region of 13,000-16,000, making it one of the most lethal volcanic events in history.

Herculaneum and Pompeii were never rebuilt again. They lay buried under ash, dust and rock, forever preserved in underground time capsules. In the immediate aftermath, Roman looters dug into Pompeii to steal whatever valuables they could. In the centuries that followed, the knowledge of where Herculaneum and Pompeii once lay became lost. They would remain forgotten until their accidental rediscoveries in the 18th century.

During 19th century excavations, Italian archaeologist Giuseppe Fiorelli realised that the voids he was discovering in the layers of ash at Pompeii were spaces left behind by decomposed human bodies. He invented the technique of injecting plaster into them to bring to life in vivid detail the people of Pompeii in their final desperate moments.

Over a thousand of these casts have been made, bodies frozen in gruesome suspended animation. Pompeii and Herculaneum are still one of the most fascinating archaeological places in the world and are both listed as UNESCO World Heritage Sites. Every year millions of people visit the once buried Pompeii, making it one of Italy's most popular and famous tourist attractions, providing generation after generation a unique insight into Roman daily life.


1883: Krakatoa, Indonesia

In May 1883, after years of intense seismic activity in the Sunda Strait, the massive volcano on the uninhabited island of Krakatoa exploded in a furious eruption. It sent a cloud of ash 50 miles into the air, blanketing out the sun for more than two days across the region. Its sound — the loudest ever recorded in modern history — was heard for thousands of miles all over the world. The eruption destroyed the volcano and the island itself, which collapsed into a caldera. It caused all-consuming pyroclastic flows and triggered massive tsunamis that wiped out hundreds of towns and villages in the region and killed around 36,000 people.

7 / 11


Top Things to See At/Near Mt. Vesuvius

If you go to Mt. Vesuvius, chances are you will want to climb the volcano. There are many other sites in this area that were affected directly or indirectly by the volcano itself. Below are some sites to visit when you are in the area.

A cratera

This is usually what most people are striving to arrive at. It is quite a walk, but the trails ( see above) leading up are not that intensive. The fastest way up is to take trail number 5 ” il gran cono”. This trail starts at 1,000 meters which means you will have another 130 meters to head up to the top.

There is definitely something powerful about climbing up a volcano. If you have already visited Pompeii at this point and seen the destruction it caused you will remain even more in awe of what havoc nature can produce.

Pompeii

Considered to be the most famous city in the world that was destroyed, if you were not planning on visiting, then I would like to almost beg you to reconsider. This is not because I am a history nerd ( I am), but by visiting Pompeii you will see literally an entire city that was uncovered.

Pompeii was a booming port city in the Ancient Roman Empire. The fate of all that changed on August 24th, 79 AD when the volcano Mt. Vesuvius erupted and shot a 10-mile high mushroom cloud of ash and pumice into the stratosphere. Those who were not killed by the missiles of pumice coming down or the lava were wiped out by the toxic gases that took over the area, essentially suffocating everyone.

When Vesuvius erupted, the volcanic ash and mud shielded the city’s artifacts from destruction and preserved a ton of history. To this day, you can still see some of the bodies, clothes, and even places of business that have been preserved from the eruption. Ironically, this disastrous day for the Romans has created for the modern man an intimate look into what life was like in an Ancient Roman city.

Herculaneum

Herculaneum is the little, lesser-known sister to Pompeii. Many people I speak with thought that Vesuvius only destroyed one city, Pompeii. Actually the volcano blast destroyed multiple cities. This little town was discovered by accident in 1709. Today it is listed together with Pompeii as a UNESCO world heritage site.

Simiiar to Pompeii, the ash and lava completely covered over the entire city and as a result, preserved everything from houses, to ornaments to people for posterity. One interesting point here is Villa dei Papiri which was uncovred in the 1990s where they found ancient papyri that preserve the texts of Greek philologists of the time.

If you decide to visit Herculaneum you will find smaller crowds and I would say a bit more of an intimate experience.

Boscoreale

This town is located at the foot of Mt. Vesuvius and to the north of Pompeii. During the Roman Empire there were many villas and farms due to the rich, volcanic soil. When you visit, there are two main sites to visit: The antiquarium and Villa Regina.

The antiquarium was set up in 1991 and is located next to the archeological site of Villa Regina. The exhibitions there mainly focus on what life was like in the countryside that surrounded Mt. Vesuvius. During the excavations in the area, the discoveries were brought back to this museum to showcase.

The Villa Regina is a building. that was preserved by the ash and today gives us a solid idea of what villas looked like back in Ancient times. Even thought there isn’t much left, the remaining structure gives us a solid representation.

Mediaval Village Casamale

In Italian it is called, ” Borgo Mediavale di Casamale”. This is basically the historical center of the town Somma Vesuviana which is only medieval village within the perimeter of the Vesuvius National Park.

The wall which protects this little village was built in 1467 by Ferrante I of Aragon. The village was isolated from the surrounding area by two riverbeds which still exist today. This little village is known for the festival of oil lamps which takes place every four years. If you come and visit you will be taken back in time when life was simpler.


What happened during the eruption of Mount Vesuvius?

On August 24, after centuries of dormancy, Mount Vesuvius erupts in southern Italy, devastating the prosperous Roman cities of Pompeii and Herculaneum and killing thousands. The cities, buried under a thick layer of volcanic material and mud, were never rebuilt and largely forgotten in the course of history.

Additionally, what type of eruption was Mount Vesuvius? Mount Vesuvius is considered to be one of the most dangerous volcanoes in the world because of its proximity to the city of Naples and the surrounding towns on the nearby slopes. The volcano is classed as a complex stratovolcano because its eruptions typically involve explosive eruptions as well as pyroclastic flows.

Also to know is, what happened when Mount Vesuvius erupted in 1944?

Enquanto Vesúvio claimed no military fatalities during the 1944 eruption, 26 Italian civilians were killed and nearly 12,000 were displaced. Most died near Salerno, where heavy ashfall collapsed roofs. Falling volcanic rock killed three in Terzigno.


THE SKY IS FALLING

After the volcano first erupted shortly after noon, the thick ash turned everything black—people couldn’t even see the sun. Some residents escaped the city, while others took shelter in their homes. But the ash kept falling. Piles grew as deep as nine feet in some places, blocking doorways and caving in roofs.

Around midnight, the first of four searing-hot clouds of ash, rock, and toxic gas (also called surges) rushed down the volcano. Traveling toward Pompeii at about 180 miles an hour, the surge scorched everything in its path. Around 7 a.m., nearly 19 hours after the initial eruption, the city was completely covered in a deadly mix of ash and rock.


The Volcano Today

Vesuvius is still the only active volcano in all of Europe, nicknamed the ‘sleeping giant’ by locals. Scientists have estimated its time period between eruptions and have gathered it is due for another eruption soon. There are even more people living within the Volcano’s perimeter these days, with three million residents who are all at risk. However, due to modern technology, monitoring the volcano and its activity is much easier. With scientists researching its gas emissions, movements and other indicators which will give them warning whenever civilians or nearby wildlife are in danger. An evacuation has already been implemented in case of any eruptions. The areas have been dubbed either the ‘red zone’, which refers to the areas in closest danger and the rest which would be affected later on.

Although no activity from the volcano has been observed since 1944, there are still hazards to be close to the volcano. Would you dare climb it?


Assista o vídeo: Najgroźniejsze wulkany świata! (Junho 2022).


Comentários:

  1. Jerad

    Isso não é verdade.

  2. Ezhno

    Desculpe, pensei, e deletei o assunto

  3. Kim

    Lamento que intervir, ele gostaria de propor outra solução.

  4. Nikasa

    a mensagem incomparável

  5. Norval

    Muito obrigado pela ajuda nesta questão.

  6. Magnus

    Ótima mensagem))



Escreve uma mensagem