Notícia

Roosevelt foi o “maior traficante de escravos da história”?

Roosevelt foi o “maior traficante de escravos da história”?

Na introdução a A Libertação dos Servos, Jürgen Georg Backhaus escreve:

A maior transação de trabalho não livre já registrada ocorreu em Yalta; mais de 6,5 milhões de prisioneiros de guerra foram entregues à Rússia e à França, tornando Roosevelt o maior comerciante de escravos registrado na história. (Google Livros.)

Meu palpite é que o autor acima está falando sobre a Conferência de Yalta, mas não consegui encontrar nada quando pesquisei no Google "Conferência de Yalta 6,5 ​​milhões de prisioneiros de guerra". Então, de que diabos o autor acima está falando? Roosevelt entregou 6,5 milhões de prisioneiros de guerra para a Rússia e a França?


Isso se baseia em confundir intencionalmente a linguagem figurativa com o discurso não figurativo.

Roosevelt não "negociou" essas pessoas no sentido de que um comerciante de escravos negociava seus cativos. Ele fez um pacto político que incluía a entrega de prisioneiros de guerra a uma potência estrangeira. Não houve venda de indivíduos humanos nisso; é um "comércio" apenas retoricamente, no sentido de que um pacto político envolve ambos os lados fazendo concessões, que podem ser mais ou menos semelhantes às concessões feitas por pessoas que vendem e compram coisas.

Além disso, essas pessoas não eram "escravas" em nenhum termo técnico; não havia "escravos" na União Soviética. Escravos são propriedades que podem ser compradas e vendidas; usamos a palavra "escravo" em muitos sentidos figurativos diferentes, alguns muito tolos, outros nem tanto. E a condição dos prisioneiros de guerra devolvidos ao SU pode ter sido terrível, até mesmo semelhante à escravidão nas Américas do século 19, então a retórica pode ter algum mérito aqui. Mas tentar fazer uma declaração factual de que "Roosevelt foi o maior traficante de escravos da história registrada" e pretender que isso seja considerado uma descrição precisa do que realmente aconteceu é confundir a retórica da campanha eleitoral com uma descrição científica.


Como SJuan76 apontou, esta citação é sobre prisioneiros de guerra alemães que foram deixados em cativeiro na União Soviética e na França, ao invés de repatriados para o que restou da Alemanha. Isso foi decidido em Yalta. Não se trata de prisioneiros de guerra SOVIET. Não sei de onde vem a cifra de 6,5 milhões, e sou ainda menos capaz de entender por que o autor atribui essa situação a Roosevelt, e não também a Churchill, ou mesmo a Stalin, todos signatários do acordo de Yalta. O Sr. Professor Backhaus evidentemente tem um machado para triturar.


A referência aqui é a repatriação forçada de prisioneiros de guerra, trabalhadores forçados e emigrados soviéticos após a Segunda Guerra Mundial. Há informações dispersas sobre isso no wiki aqui.

No entanto, o número 6,5 milhões parece uma superestimativa bruta (2 milhões - o que também é certamente um número enorme! - é o número mais provável).

Também não entendo muito bem por que a França é mencionada ali.

Talvez ele esteja se referindo ao fato de que os prisioneiros franceses que voltaram enfrentaram algum opróbrio e vergonha, embora nada parecido com o tratamento severo dado pelo Estado soviético aos prisioneiros que voltaram. Mas duvido que qualquer número significativo de prisioneiros franceses tenha de ser coagido a retornar à França, como no caso soviético.


Assista o vídeo: O Tráfico de Escravos e a Origem da Escravidão no Brasil (Novembro 2021).