Notícia

Fort Wayne histórico

Fort Wayne histórico

Fort Wayne, a sede do condado de Allen County, Indiana, deve sua origem a um forte construído em homenagem a um general americano chamado Mad Anthony Wayne. O forte foi estabelecido pelos EUA, em vez disso, uma réplica do último forte americano, construído em 1816 O histórico Fort Wayne é uma lembrança dos eventos passados ​​que levaram ao estabelecimento da cidade. É um museu vivo, abrangendo quase todos os artefatos que datam dessa época passada. Completando a imagem, estão as reconstituições das batalhas históricas, começando da Guerra Francesa e Indígena até a Guerra Civil posterior. É possível reviver o passado observando o pessoal uniformizado realizando suas tarefas militares diárias. O forte é mantido por uma organização voluntária chamada Historic Fort Wayne, Inc. A organização sem fins lucrativos foi formada após uma proposta apresentada pelos Parques de Fort Wayne e Departamento de Recreação.Historic Fort Wayne, Inc. Ele serve como um recurso valioso para as gerações presentes e futuras da cidade, que desejam conhecer sua história.


Você sabia que existe um trilha de caminhada que traça a história de Fort Wayne e rsquos gratuita e aberta ao público o ano todo? Ele segue as placas de rua azuis, vermelhas e brancas ao longo de quatro rotas diferentes e é completo com um mapa turístico autoguiado disponível no ARCH ou no Centro de História. Apresentando marcadores históricos que descrevem os locais importantes da região, este passeio a pé exclusivo é um Presente do legado da Celebração do Bicentenário de 1994 para os cidadãos do nordeste de Indiana. Ao todo, existem quatro trilhas: The Central Downtown, Centro-Oeste, Central sul e a Kekionga ou Lakeside vizinhança levando em conta o rico patrimônio de nossa região. Os marcadores que descrevem as várias paradas são orientados para a visualização de pedestres, portanto, caminhar pela Trilha pode ser um plano melhor do que tentar ver os pontos turísticos da janela de um carro.

Leia o restante das informações do tour copiadas do título Barra Lateral próximo ao final do artigo do blog, vá para The Hall Community Arts Center por Tom Castaldi publicado em 2 de maio de 2013 no blog History Center Notes & amp Queries Along the Heritage Trail - Links para mais estudos de Nancy McCammon-Hansen lista todos os pontos nas quatro trilhas com links para blogs com mais informações publicadas em 10 de junho de 2014 no blog History Center Notes & amp Queries.

Veja também Um pequeno passeio histórico pelo centro de Fort Wayne por Nancy McCammon-Hansen publicado em 28 de junho de 2013 no blog History Center Notes & amp Queries ou pegue um mapa gratuito da Fort Wayne Bicentennial Heritage Trail no History Center. Marcadores de história que se transformam em códigos QR digitais fornecem uma dimensão de smartphone adicionada à trilha de caminhada por Ron Shawgo, publicado em 2 de setembro de 2013 no jornal The Journal Gazette.

  1. Livro de 1914 - Historical Markers in Indiana - Bulletin 14 - 12-1921 por Indiana Historical Commission publicado em 18 de setembro de 2017 em Você é positivamente de Fort Wayne, se você se lembra. Grupo fechado no Facebook. discussão dos marcadores do centro postada pelo The History Center em 24 de setembro de 2014 no blog Visit Fort Wayne.
  2. Todos os marcadores históricos do estado de Indiana em 2/9/2015 do Indiana Historical Bureau.
  3. ARCH (Arquitetura e Patrimônio Comunitário) Central Downtown Trail tem 19 paradas em marcadores de localização históricos com as informações em uma página da web para cada parada. com fotos e links para blogs adicionais de Nancy McCammon-Hansen publicado em 28 de junho de 2013 no blog History Center Notes & amp Queries.
  4. o Estátua de Anthony Wayne, mudou-se em 1973 para Freimann Square, originalmente continha três placas de bronze, executadas por George Ganiere. Timothy E. Doyle, que era um artista local e entalhador de pedra, resgatou os bronzes em 1985, quando a base de granito foi demolida. Julie R. Waterfield comprou as placas de bronze e doou-as para a ACPL [Biblioteca Pública do Condado de Allen]. Veja as fotos e leia mais sobre a estátua de Anthony Wayne postada em 29 de abril de 2013 por Nancy McCammon-Hansen no blog History Center Notes & amp Queries. O general Wayne não é a única estátua que chama a atenção da cidade. O Departamento de Parques planeja melhorar e consertar monumentos de Fort Wayne em 10 de agosto de 2013 por Kevin Leininger do jornal The News-Sentinel. 'Mad' Anthony ficando parado A confiança oferece US $ 100.000 para aumentar a visibilidade na Freimann em 14 de agosto de 2013 por Dan Stockman do jornal The Journal Gazette.
  5. A história da cidade está prestes a sofrer um facelift monumental - e bem merecido - por Kevin Leininger publicado em 14 de novembro de 2015 no jornal The News-Sentinel.
  6. Marcador de olmo ca. 1960 no lado oeste da avenida entre a Edgewater Avenue e a Columbia foto e discussão 24 de maio de 2017 em Você é positivamente de Fort Wayne, se você se lembra. Grupo fechado no Facebook. de fotos de marcadores locais e mapa do site relacionado à guerra civil da área de turismo com fotos do jornal The News-Sentinel.
  7. Canal de Indiana Roadside Markers no YouTube lançado em 15 de abril de 2021 por Michael L. Harris de Syracuse, Indiana. Ele começou o projeto cerca de três anos antes e completou a fotografia no lote de 26 vídeos do primeiro ano. Ele está pesquisando as histórias e encontrando fotos e artigos para preencher as informações sobre os mais de 600 marcos oficiais de beira de estrada em todo o estado. Alguns dos tópicos do condado de Allen incluem Fort Miamis, Camp Allen, o local da derrota de Hardin pelo chefe Little Turtle, a casa do inventor da televisão Philo Farnsworth, o site pioneiro do Wabash and Erie Canal e Gronauer Lock No. 2. Os vídeos relevantes para Allen County será encontrado no Allen INGenWeb conforme ele os publica. Seu projeto foi discutido em Syracuse man making mark State markers documentados no programa do YouTube por Blake Sebring publicado em 2021 no jornal The Journal Gazette. informações e links para outros sites com marcadores locais e informações publicadas em 9 de setembro de 2014 pelo The History Center em Visit Fort Wayne postado em 18 de julho de 2013 por Tom Castaldi no blog History Center Notes & amp Queries. Há um pequeno livro excelente intitulado "Who Put That There" que pode servir como um guia para explorar a história de Fort Wayne. O livro foi escrito por alunos da St. Jude Catholic School em 1998 com uma Bolsa de Preservação Histórica da Fundação de Marcos Históricos de Indiana, o Conselho de Humanidades de Indiana e o National Endowment for the Humanities. Postado em 3 de janeiro de 2011 por Nancy McCammon-Hansen no blog History Center Notes & amp Queries. tem mapas que mostram os portais propostos, os marcadores existentes e as estruturas históricas de Tom Castaldi publicado em setembro de 2011 em Fort Wayne. Monthly menciona alguns dos marcadores locais e também no Heritage Trail Anniversary de Fort Wayne por Tom Castaldi publicado em 23 de outubro de 2014 no History Center Notes & amp Blog de consultas. 26 de março de 2013 Hidden Gems Um blog semanal sobre os lugares históricos legais de Indiana. Um no Memorial Park de Fort Wayne.
  8. Como ver Fort Wayne a pé: passeios a pé levam a 4 ARCH Heritage Trails no centro, Fort Wayne Food Tours e mais por Katherine D. publicado em 31 de julho de 2017 pela Visit Fort Wayne. mostra como usar a tecnologia para criar seus próprios mapas personalizados por Harry Tunnell publicado em 4 de novembro de 2014 no blog History Center Notes & amp Queries. e no facebook
  9. Condado de Allen - Marcadores históricos de Indiana por condado - Escritório histórico de Indiana 02.1963.1 Camp Allen, 1861-64
    02.1966.1 Local da derrota de Hardin
    02.1992.1 Casa de Philo T. Farnsworth
    02.1992.2 Lançamento do Canal de Wabash e Erie
    02.2000.1 Fort Miamis
    02.2003.1 Gronauer Lock No. 2 fotos no teste beta do flickr por Aimee Formo publicado em 15 de setembro de 2014 pelo Indiana Historical Bureau ao longo da Carroll Road, onde cruza o rio Eel a noroeste de Fort Wayne, havia um marco histórico, chamando a atenção para algo chamado Hardin & rsquos Derrota. 11 de junho de 2013 por Frank Gray do jornal The Journal Gazette.
  10. Estátua da memória no Memorial Park em Ft. Wayne a Facebook photo 1930 vs 2013 lista apenas o Allen County Courthouse 31 de julho de 2003 graças a INHometownLocator no Facebook postou várias fotos de seu novo marco histórico Packard Park & ​​amp The Packard Company instalado em 24 de maio de 2019 em Packard Park. pelo menos seis tipos de sinais e marcadores históricos locais de grupos como a Indiana Historical Society, a Allen County Fort Wayne Historical Society ou o Mary Penrose Wayne Chapter das Filhas da Revolução Americana, o departamento de parques, o National Register of Historic Places e mais em 16 de abril de 2013 por Nancy McCammon-Hansen no Blog de anotações e consultas do History Center.
  11. State Historical Markers in Allen County por Tom Castaldi publicou Febraury 23, 2016 no blog History Center Notes & amp Queries. na página inicial de James Whitcomb Riley Boyhood no Facebook.
  12. Uma estátua de John Nuckols, o primeiro vereador negro da cidade, em um parque que leva seu nome perto do cruzamento da Jefferson Boulevard, Maumee Avenue e Harmar Street e do Helen P. Brown Natatorium na South Side High School. Da missão de pesquisa do professor de história negra do estado de Tracing, documente os marcos de Indiana em 3 de março de 2013 por Rosa Salter Rodriguez do jornal The Journal Gazette. tem mais de 100 marcadores dentro de 100 km de Allen County, Indiana

Copyright & copie Allen INGenWeb 1996 para
A Sociedade Genealógica do Condado de Allen de Indiana, ACGSI, é o host da Allen INGenWeb.
Conteúdo, design e mídia social ACGSI do Allen INGenWeb por Stanley J. Follis.


Forte histórico antigo

O Fort Wayne reconstruído é uma cópia fiel do posto construído pelas tropas americanas sob o comando do Major John Whistler em 1815-1816. O complexo original foi talvez o forte todo em madeira mais sofisticado já construído na América do Norte. Ele foi projetado para ser facilmente defendido contra um ataque de índios americanos por uma guarnição de apenas 50 a 75 homens. Duas fileiras de piquetes, portões pesados ​​e fortificações bem posicionadas garantiam que a entrada indesejada fosse impossível. Não foi o medo dos nativos americanos, mas sim o rápido movimento da fronteira para o oeste que fez com que Fort Wayne fosse abandonado após apenas três anos de uso.

Através dos esforços de muitos cidadãos dedicados do moderno Fort Wayne, o "Old Fort" foi reconstruído em um terreno a menos de quatrocentos metros do local original. Aqui, a vida no último posto do Exército da fronteira de Indiana está sendo recriada. A guarnição moderna, vestida com as roupas da época, demonstra o artesanato e as atividades cotidianas que mantinham corpo e alma unidos em um entreposto comercial militar do século XIX.


O histórico Fort Wayne, Inc. foi inaugurado por volta de 4 de julho de 1976. Naquela época, o histórico Fort Wayne estava aberto ao público diariamente com reconstituições no local. Havia uma taxa modesta de visita. O histórico Fort Wayne então fechou em 24 de setembro de 1993. A cidade de Fort Wayne e o Centro de História assumiram as operações e, com a ajuda da Arts United, uma grande reforma foi concluída em meados de 1990. O histórico Fort Wayne então reabriu, mas a receita e o atendimento não eram adequados para manter as instalações, então a operação foi fechada novamente. Em outubro de 2004, um novo grupo também intitulado Historic Fort Wayne, Inc. teve um ano de experiência para operar o forte e em junho de 2005 os primeiros eventos programados estavam ocorrendo. Com a ajuda do Departamento de Parques e Recreação de Fort Wayne, este ativo comunitário permanece aberto ao público durante eventos especiais realizados ao longo do ano, conforme listado abaixo. Os fundamentos do forte estão abertos para serem explorados a qualquer momento. Os edifícios estão abertos ao público apenas durante os eventos listados.

Sobre a Historic Fort Wayne, Inc .: Historic Fort Wayne é uma organização sem fins lucrativos fundada em 2004. Ela se dedica ao desenvolvimento de um programa educacional de base histórica alojado no Old Fort e fornece manutenção e preservação de rotina. Nossa missão é educar a comunidade sobre o histórico Fort Wayne e sua importância para o Território do Noroeste, o estado de Indiana e os Estados Unidos por meio de programação interativa.

Somos uma organização 100% voluntária. A maioria dos nossos eventos é gratuita para o público. A programação é financiada por doações privadas e corporativas.

Eventos de verão de 2021

Estamos entusiasmados em dar as boas-vindas aos visitantes do histórico Fort Wayne para a temporada de 2021. Continuamos monitorando as informações sobre o vírus COVID fornecidas pelo Departamento de Saúde do Condado de Allen, pela cidade de Fort Wayne e pelo CDC. Para garantir que a experiência de todos seja agradável e segura, pedimos que você siga as Diretrizes de Saúde e Segurança publicadas ao visitar o forte.

Esses eventos são abertos ao público gratuitamente. Doações são aceitas. Para mais informações ligue (260) 437-2836.

O Old Fort está localizado na 1201 Spy Run Ave Fort Wayne, IN 46805.

O estacionamento pode ser encontrado em Lawton Park e no estacionamento da Spy Run Avenue em frente ao Fort. Os visitantes devem usar a trilha Rivergreenway sob a ponte Spy Run para acessar o forte.

O forte também pode ser acessado pela ponte do Headwaters Park.

Para obter informações sobre os próximos eventos de 2021, visite nosso website em www.oldfortwayne.org ou sintonize a 1640 AM Old Fort Radio.

Horário de verão

Temos o prazer de anunciar nosso horário de verão para 2021! O forte estará aberto de quarta a sábado das 10h00 às 17h00 e aos domingos das 12h00 às 16h00 de 2 de junho a 1 de agosto. A equipe estará disponível para passeios e perguntas.

Toda quinta-feira, observe os artesãos locais trabalhando. No sábado e no domingo converse com os soldados sobre seu dia a dia.

Cerco de Fort Wayne-1812

Sábado, 12 de junho, 10h00 - 18h00

Domingo, 13 de junho, 10h00 - 16h00

Embora agora seja uma área pacífica, a confluência dos Três Rios já foi a linha de frente em uma batalha que poderia ter decidido o destino de todo o Território do Noroeste. Recriadores de todo o país recriarão o Cerco de Fort Wayne durante a Guerra de 1812. O choque das forças americanas contra a Confederação Nativa aliada aos britânicos decidiu o destino de um dos últimos postos avançados dos Estados Unidos na fronteira. Se Fort Wayne tivesse caído, a Grã-Bretanha teria controlado toda a fronteira oeste dos Estados Unidos. Este fim de semana no Old Fort incluirá demonstrações de mosquete e canhão, artesãos de época e atividades infantis.

A Guerra Revolucionária na Fronteira

Sábado, 17 de julho, 10h00 - 18h00

Domingo, 18 de julho, 10h00 - 16h00

A costa leste estava em revolta aberta em 1775, mas o que estava acontecendo na fronteira? Faça uma viagem para Post Miami, sob controle britânico desde 1760, e testemunhe como era viver em um entreposto comercial britânico. Veja como os mercadores negociam suas mercadorias enquanto o Exército Britânico fica de olho em qualquer rebelde. Veja demonstrações de vida militar e mercantil, culinária de época, artesãos e armas de época.


Crédito da foto: Stephen Zabrecky

Post Miami-1734-1763

Sábado, 28 de agosto, 10h00 - 18h00

Domingo, 29 de agosto, 10h00 - 16h00

Os anos 1700 ganham vida com as forças francesas e britânicas em confronto pelo controle da área neste fim de semana no Old Fort. Comerciantes de peles, nativos americanos, civis e soldados farão demonstrações das atividades diárias no posto avançado francês conhecido como Post Miami durante a Guerra Francesa e Indígena. Experimente batalhas, exercícios de infantaria e um canhão sendo disparado. Visite mercadores, artesãos históricos e faça um tour pelo forte.


Testemunhos

Senhoras e senhores,

Em 9 de junho, ajudei a liderar uma excursão da Clements Library Associates a vários lugares na cidade de Fort Wayne. Essas pessoas são membros do grupo de amigos apoiadores da Biblioteca, um dos maiores repositórios do país de documentos de fontes primárias sobre a história americana. Devo acrescentar que Fort Wayne está bem representado em nossas coleções, pois mantemos os papéis de Josiah Harmar e Anthony Wayne, bem como o livro de cartas da Agência Indígena de Fort Wayne.

Enquanto o nosso grupo aproveitava o tempo na cidade e no Centro Histórico, o ponto alto da visita foi o Forte Velho. Os voluntários do histórico Fort Wayne, liderados por Tom Grant, foram muito além do dever para nos dar as boas-vindas, mostrar-nos o forte e realizar demonstrações em um

Quinta à tarde. Nosso grupo ficou tão interessado que ultrapassou o tempo programado para explorar o forte e conversar com os voluntários. Esses voluntários são um grupo de pessoas muito dedicadas e espero que você lhes dê todo o apoio que puder em seus esforços para preservar o Antigo Forte e animá-lo para os visitantes. Agradecemos também ao Departamento de Parques por seus esforços para preservar os edifícios e embelezar os jardins.

Em uma nota mais pessoal, fiquei particularmente tocado pelos esforços dos voluntários para manter o Old Fort vivo, já que fui o primeiro diretor administrativo do Historic Fort Wayne, Inc. (1974-79) e supervisionei a construção e o mobiliário do edifícios e estabelecimento do programa de interpretação ao vivo. Apreciei muito o tempo que passei nessa posição e como cidadão de Fort Wayne. A cidade parecia boa e eu estava orgulhoso de compartilhá-la e algumas de minhas memórias com os Clements Library Associates.

Brian Leigh Dunnigan
Diretor Associado e Curador de Mapas
Biblioteca William L. Clements
909 South University
Ann Arbor, MI 48109-1190

Meu nome é Mark Wilkins e sou um autor de Indiana, que está trabalhando em meu sétimo livro sobre o folclore e a história de Indiana. Estou escrevendo para informar que, como parte de meu trabalho atual, tive a oportunidade de passar a noite no histórico Fort Wayne e fiquei incrivelmente impressionado tanto com o forte em si, quanto com a paixão e profissionalismo dos voluntários que mantê-lo.

Já viajei por todo o nosso estado e posso garantir que não há nada como o histórico Fort Wayne. O conhecimento e o profissionalismo dos intérpretes históricos deram vida a tudo para mim, e estou ansioso para incluir as histórias do forte em meu próximo livro.

Eu só queria agradecer a você e à cidade de Fort Wayne por seu apoio a este maravilhoso patrimônio histórico e educacional. É realmente maravilhoso, e você está, com razão, orgulhoso.


Gostaria de repassar a vocês uma interação recente que tive com o pessoal do Old Historic Fort Wayne. Meu nome é Kyle Gibson e represento a Boy Scout Troop 120 de Southport, Indiana. Em dezembro, contatei Ken Sorg do OHFW sobre uma possível troca. Estávamos dispostos a ir ao forte e fazer um projeto de serviço no fim de semana em troca de uma chance de ficar e aprender sobre o forte. Ken e outros membros da equipe foram muito flexíveis para nos arranjar um fim de semana em março. Eu e outros 8 adultos, juntamente com 19 escuteiros, aparecemos na sexta-feira à noite, nunca tendo ido ao forte e sem saber realmente o que esperar. Ken nos encontrou no portão, nos deu um tour rápido e nos deu nosso projeto para o fim de semana. Ficamos todos maravilhados com o forte e mal conseguíamos manter os meninos concentrados na tarefa de descarregar o trailer e preparar as coisas. No dia seguinte, a equipe chegou a enviar um reenator / historiador para passar uma hora com os meninos para educá-los sobre o forte e também sobre a cidade. O fim de semana foi um grande sucesso, tanto quanto pensamos e espero que o forte tenha considerado nosso trabalho satisfatório. Na reunião seguinte, na terça-feira, fui bombardeado por 12 ou mais meninos que não puderam comparecer ao acampamento, perguntando quando voltaríamos porque já havia se espalhado rapidamente para eles que perderam um grande acampamento. Eu também ouvi dos pais que eles estavam planejando viagens até o forte neste verão para alguns dos fins de semana de encenação conforme programado. Você tem uma atração maravilhosa para a sua cidade com o forte que só é aprimorado por uma equipe maravilhosa e dedicada.


Fort Wayne histórico

Localizado em uma curva do rio Detroit, Fort Wayne, Detroit, foi usado pelo Exército dos Estados Unidos entre 1841 e 1972. Após a construção inicial (1841-1853), as obras defensivas em forma de estrela permaneceram vazias até a Guerra Civil dos Estados Unidos, quando o fort tornou-se um campo de instrução de voluntários. Começando em 1862, a reserva de 83 acres foi continuamente desenvolvida e reconstruída para acomodar guarnições de infantaria maiores, escolas de treinamento de PM e capelão do Exército e depósitos e escritórios de intendente. Ao longo de toda a história de Fort Wayne, o posto foi usado como um centro de indução para homens e mulheres de Michigan servindo nas forças armadas da América em todos os conflitos do final dos séculos 19 e 20. Hoje, o Departamento de Parques e Recreação de Detroit e os voluntários da Historic Fort Wayne Coalition trabalham para restaurar o local e interpretar sua história.

Esteja entre os milhares para descobrir o passado secreto de Detroit no Historic Fort Wayne.

Embora a MEDC envide esforços razoáveis ​​para manter a precisão do conteúdo do site, ele não está isento de erros. Leia as informações legais.


Fort Wayne histórico

A área que compreende Fort Wayne, IN foi a pátria de várias culturas indígenas, muito antes da Revolução Americana. Antes do contato, os índios norte-americanos caçavam animais selvagens e viviam na área depois que as geleiras derreteram. As populações posteriores construíram uma comunidade, que incluía terraplenagem, rotas comerciais e uma hierarquia social abrangente. O grupo mais notável que vivia na área era o Miami, que no início de 1700 já estava profundamente enraizado na região e havia estabelecido uma capital chamada Kekionga.

Nas décadas seguintes, desde a era colonial até a era pós-guerra revolucionária, os franceses, britânicos e americanos se estabeleceram na área e estabeleceram vários entrepostos comerciais e fortes em Kekionga. Em 1790, o presidente George Washington ordenou que o Exército dos Estados Unidos protegesse o Território de Indiana para colonização. Três batalhas contra a confederação de Miami foram travadas em Kekionga. As duas derrotas resultantes foram as primeiras sofridas pelo Exército dos EUA. Após essas perdas, o General Anthony Wayne liderou uma expedição que resultou na destruição da aldeia Kekionga. Depois de ganhar vitórias essenciais contra o Miami em Fort Recovery e em Fallen Timbers em 1794, Wayne voltou ao antigo local de Kekionga e construiu um forte de paliçada capaz de resistir aos golpes de canhões de 24 libras. Depois de entregar o forte ao coronel John Hamtramck em 21 de outubro de 1794, Hamtramck renomeou o posto avançado de Fort Wayne em homenagem ao general. Durante a Guerra de 1812, o posto avançado permaneceu um dos postos avançados mais importantes no Território de Indiana, evitando repetidos ataques dos índios do noroeste. O mais notável deles ocorreu em setembro de 1812, quando uma pequena guarnição estacionada lá foi atacada por quase 500 Potawatomi e Miami sob a liderança do Chefe Winamac.

Em 1819, o complexo foi abandonado. Embora o forte não esteja mais no local original, um posto avançado reconstruído reside a menos de um quarto de milha de lá.


A História de Fort Wayne (Detroit)

A história do futuro local de Fort Wayne se estende muito além do simples mapeamento e levantamento da área. Nativos americanos viveram na área por muitos anos, os registros mais antigos conhecidos mostram que a área foi ocupada por volta de 1000 d.C., quase 800 anos antes da construção do forte. Agora, esta área foi bem utilizada por causa de sua localização, sendo perto de um rio e depois dos Grandes Lagos, esta área tinha muito a dar aos primeiros colonizadores, como os nativos americanos. Um rio próximo que poderia ser usado para irrigação, bem como uma conexão direta com o lago, tornando a viagem simples e permitindo uma ampla seleção de técnicas de coleta de alimentos. Uma antiga tribo usava as áreas próximas ao rio como cemitério sagrado. Membros da tribo foram enterrados nas dunas de areia em pequenas tumbas junto com artefatos. A área era conhecida por abrigar várias tribos, nenhuma das quais reivindicava a responsabilidade inicial pelos túmulos. Embora os nativos americanos provavelmente tenham escolhido fazer deste lugar seu lar devido à abundância de recursos, os colonos tiveram outros motivos para construir o forte no rio Detroit, embora a abundância de recursos naturais certamente tenha ajudado na decisão.

O próximo grande desenvolvimento não aconteceria até a Guerra de 1812. Esta área estava no teatro noroeste da guerra. Onde os soldados americanos iriam invadir as terras britânicas em Michigan e, em seguida, invadir o Canadá. Um dos maiores erros das forças americanas nesta guerra foi uma enorme falta de comunicação. Os três teatros deveriam acontecer ao mesmo tempo, mas devido à logística, aconteceram em vários momentos, o que permitiu aos britânicos estarem preparados em todas as frentes. Brigue. O general William Hull recebeu ordens de ir para Detroit no início da guerra. Quando ele chegou, ele não sabia que o combate já havia ocorrido ao longo da fronteira sudeste do Canadá, na qual as forças americanas perderam. Ao se aproximar de Detroit, ele e seus homens viram trabalhadores britânicos montando armamentos. Ele então ordenou que seus homens abrissem fogo e começou a bombardear todas as forças britânicas que pudesse ver. Em 5 de julho, Hull interrompeu seu bombardeio ao chegar a Detroit. Suas ordens originais eram para capturar e proteger as áreas próximas, mas essas ordens foram alteradas e agora ele deveria atacar o Forte Malden. Depois de esperar até 9 de julho, ele decidiu que não tinha forças para atacar o Forte Malden. Em 12 de julho, ele fez uma jogada ousada para atravessar o rio para o Canadá e tomar uma cidade conhecida como Sandwich. Sem que ele soubesse, as forças canadenses na cidade haviam evacuado anteriormente por causa do tamanho das tropas do Hull, então ele foi capaz de tomar a cidade pacificamente. Um mês depois, o General Brock pousaria neste local em seu caminho para capturar a cidade e o forte de Detroit, 3 milhas a leste. Os britânicos permaneceriam no controle da área pelos próximos treze meses. Três anos depois, o Tratado de Well Springs seria assinado no futuro local de Fort Wayne. Este tratado encerrou o conflito entre os Estados Unidos e as oito tribos nativas americanas que entraram em guerra com os Estados Unidos durante a Guerra de 1812.

Construção e uso militar de Fort Wayne

A terra foi finalmente pesquisada no ano de 1840. Um forte era necessário perto do rio para proteger as terras americanas e este lugar oferecia a vantagem de estar perto do Canadá britânico, além de poder ter vista para o rio. O forte recebeu o nome do General Anthony Wayne, que lutou durante a Guerra Revolucionária e tomou posse de Detroit dos britânicos. & # 8220Um forte estrela de cinco pontas foi programado para ter o canhão mais atualizado capaz de disparar contra navios inimigos e na costa canadense. & # 8221 (Histórico Fort Wayne Coalition, ¶1) Este forte seria o terceiro construído em Detroit mas o primeiro construído por americanos. O primeiro forte, Fort Pontchartran, foi construído pelos franceses em 1701, logo após o desembarque de Antoine Cadillac, este forte foi mais tarde rendido aos britânicos em 1760. Os britânicos então construíram seu próprio forte vários anos depois, denominado Fort Lernoult. Este forte foi então assumido pelos americanos assim que os EUA assumiram Detroit, e o forte foi

Documento mostrando a planta do projeto do forte & # 8217s

renomeado para Fort Shelby. Fort Shelby, no entanto, caiu em ruínas após a Guerra de 1812 e agora Fort Wayne seria um substituto em resposta ao aumento das tensões ao longo da fronteira canadense. O forte foi concluído em 1851, mas não recebeu suas posições de armas. Os Estados Unidos assinaram um tratado com a Grã-Bretanha criando uma solução diplomática para todas as disputas territoriais na área. Agora que a ameaça havia passado e as tensões haviam diminuído, não havia razão para armar armas no forte. Neste momento, tornou-se uma guarnição de tropas, mas não seria muito útil até o início da Guerra Civil.

Embora Fort Wayne não estivesse na linha de frente de nenhuma guerra da qual os EUA participaram após a Guerra de 1812, o forte foi usado nos anos seguintes. Pouco depois do início da Guerra Civil, a Infantaria do 1º Regimento de Michigan, uma unidade de voluntários de três meses, foi convocada para o serviço. Essas tropas foram colocadas dentro da brigada de Willcox e entraram em ação durante a primeira Batalha de Bull Run, que foi uma perda para as tropas da União. O forte também foi área de recuperação para veteranos de guerra colocados fora de serviço por causa dos ferimentos. O forte teve um uso semelhante no final de 1800 durante a Guerra Hispano-Americana. Essa tendência continuou na Primeira Guerra Mundial.

Durante a Primeira Guerra Mundial, o forte teve algum uso adicional. Embora houvesse a reunião usual de homens e o treinamento de unidades para enviar ao exterior assim que os Estados Unidos entrassem na guerra, agora precisávamos de locais para armazenar suprimentos criados para o esforço de guerra. Antes de nosso envolvimento direto, armas e suprimentos foram enviados aos Aliados e o forte serviu como um grande palco para tais coisas, com sua proximidade com a maior cidade industrial dos EUA na época com acesso a vias fluviais que poderiam se conectar ao Oceano Atlântico . O forte recebeu armazéns maiores para armazenar esses suprimentos até que pudessem ser enviados para o exterior. O forte também teve um uso ligeiramente mais escuro durante e logo após a Primeira Guerra Mundial. O primeiro Red Scare pegou durante o início de 1900. Esse medo do comunismo era forte nos Estados Unidos nessa época e ainda mais durante o segundo susto após a Segunda Guerra Mundial. Aqueles que forem investigados por serem comunistas podem acabar no centro de detenção de Fort Wayne. Mesmo aqueles que foram encontrados ilegalmente no país na área de Detroit foram mantidos no centro de detenção do forte até que pudessem ser interrogados.

O uso do Fort Wayne não mudou muito entre a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. O forte ainda era usado para reunir tropas e agora até começou a receber aqueles que haviam sido selecionados por meio da Lei do Serviço Seletivo e a treinar esses recrutas. Detroit ainda era uma potência na indústria automotiva e depois que os EUA entraram em um estado de “guerra total”, começaram a despejar tanques e aviões para o esforço de guerra. Os armazéns em torno de Fort Wayne foram mais uma vez expandidos para permitir o armazenamento desses veículos até que pudessem ser enviados. Estima-se que milhares de veículos foram testados e processados ​​pela Fort Wayne. Os centros de detenção do forte ainda eram usados ​​na Segunda Guerra Mundial. After the African campaigns made by the US Italian POWs were sent to the detention centers in Fort Wayne and remained there for the rest of the war. Following WWII, in May of 1949 the old star formation fort’s title was transferred to the City of Detroit with the stipulation that it become a historical monument. Troops remained garrisoned in the buildings not connected to the old fort and were mobilized during both the Vietnam and Korean Wars.

Non-Military use and the status of the fort

Fort Wayne saw some use outside of a staging ground for new troops during the late 1900s. By the 1960s the Civil Rights Movement was in full swing, African-American communities were pushing hard for social reforms. Tensions were at an all-time high in Detroit, white mobs were using force to keep segregation in order and were attacking homes that were newly purchased by black families. On Sunday July 23 rd , 1967 after police had raided an illegal bar, patrons and observers in the street fought back and the confrontation exploded in one the largest riots in US history. After Detroit police lost control of the situation Governor Romney sent in the National Guard and President Johnson sent in two Airborne Divisions the 82 nd and 101 st . Lyndon Johnson was quoted saying “Their initial report was that it then appeared that the situation might be controlled without bringing the Federal troops … At approximately 10:30 this evening, Mr. Vance and

Lyndon Johnson during his address to the nation, 24 July, 1967

General Throckmorton reported to me by telephone that it was the then unanimous opinion of all the State and Federal officials who were in consultation—including Governor Romney, Mr. Vance, General Throckmorton, the mayor, and others—that the situation had developed in such a way in the few intervening hours as to make the use of Federal troops to augment the police and Michigan National Guard imperative.” (Lyndon Johnston, Address to the Nation, 24 July, 1967) Days into the riot papers read “Mobs Burn and Loot 800 Stores Troops Move In”(Detroit Free Press, 24 July 1967) The size of destruction after the five-day riot was massive with thousands arrested, a few thousand buildings destroyed, injured people nearing 1200, and the death toll at 43. Since the ceasefire halting the conflict of the Korean War the fort was not full of troops and supplies at this time, so it became home to some of those displaced during the massive riot.

Sites around Fort Wayne were known to be burial mounds before the site was surveyed for construction in 1840. French settlers were most likely the first to know this having settled around the Great Lakes before British Colonists and after the Revolution, American settlers. There are six known mounds that existed near the site of Fort Wayne and near the city of Detroit. The old fort, the five-point star shaped fort, was built upon one of these burial mounds and another was located nearby. In 1837 John T. Blois lead the excavations of the Central Mound, the one located on the future site of the old fort. There he found skeletal remains mixed with arrowheads and old stone tools. The sites appeared to be like burial mounds found in other areas such as Ohio. The Fort Wayne Mound was located near the officer’s quarters, because of this it was protected from excavation and real estate developers once they began moving into the area. This mound was excavated in 1875 when Ethnologist Henry Gillman received permission from the War Department to dig in the area. He found the usual skeletal remains and ancient tools. A clay urn was also found and believed to hold human cremated remains. Excavations would continue in the surrounding areas later in the 1940s by a local aboriginal research club, who would find similar artifacts.

Today Fort Wayne is owned by the Historic Fort Wayne Coalition and the City of Detroit Recreation Department. Although the old fort was handed over to the city in 1949 it took many years for the entire grounds to be given to the city. Troops were garrisoned in the surrounding buildings until at least 1955 when several AA guns were placed around the fort during the Cold War. Some of the buildings were then used to provide shelter for those displaced during the 1967 riot. Slowly the buildings were all turned over to the city of Detroit, but the buildings soon fell into disrepair due to lack of funding and the fort was closed to the public for almost fourteen years from 1992-2006. In 2004 the Historic Fort Wayne Coalition was formed by locals that wanted to preserve Fort Wayne. They have so far helped maintain and restore the old buildings back to their original glory. Foundations like the Kresge Foundation have pledged money to help “redevelop the underused riverfront complex.” (The Detroit News, ¶2) They now hold events at the fort such as reenactments of drills during the different conflict periods of the US to show how Fort Wayne would’ve looked back then. The fort remains a historical monument and with the help of several Detroit historical societies is a place of learning for those who choose to visit.


Historic Fort Wayne - History

Historic Fort Wayne, Detroit MI

Fort Wayne is a very old fort located downriver from the City of Detroit in an area that has a rich and colorful history related to the military forces of three countries, France, Great Britain, and the U.S., as well as great significance to the Native Americans who lived in the area prior to the Europeans arriving. In addition, the Fort might have been the last stop on the Underground Railroad that was so important to gaining freedom from slavery for so many.

Detroit has a somewhat unique geographic and political location in history and has, as a result, had three forts built on the Detroit River during the course of the 18th and 19th centuries, with the final fort, Fort Wayne, located slightly further downriver from the previous forts. The Detroit (translated from French, &ldquoThe Straight&rdquo) River connects Lake St. Clair to Lake Erie and is an international border between the United States and Canada. Prior to the arrival of the French, the river was used by the Iroquois for fur trade with the Dutch at New Amsterdam. Native American burial mounds and pottery have been found in the area and the remaining fort, Fort Wayne, is built atop one of the mounds. In 1701, immediately after Antoine Laumet de La Mothe, sieur de Cadillac landed, the French founded Fort Pontchartrain du Détroit, i.e., Fort Detroit, located where the city of Detroit is found today, in the area bounded by Larned Street, Griswold Street, and the Civic Center.

The fort was intended to protect against the advancement of the British west of New England and to protect the valuable fur trade. In its early years the fort saw a fair amount of action, primarily due to conflicts between Native American tribes and the interactions of the tribes with the French. According to Wikipedia ( http://en.wikipedia.org/wiki/Fort_Wayne_(Detroit) ), &ldquoWhen Cadillac founded Fort Detroit, he also purportedly made arrangements with the local Potawatomi people to set up a small village at the site of Fort Wayne for purposes of trading, which was occupied and thriving by 1710.&rdquo This area was known as the &ldquothe sand hill at Springwells.&rdquo The French manned and operated Fort Detroit until 1760, at that time surrendering it to the British &ldquoRoger&rsquos Rangers&rdquo during the French and Indian War. The fort itself, however, never saw any fighting during this war, being too far west. The British build Fort Lernoult after a few years and maintained the fort until 1796, at which time the recently created United States of America took over and renamed it Fort Shelby.

Interestingly, during the War of 1812, the British General Isaac Brock landed at the location where Fort Wayne would be built, then advanced to Detroit. American General William Hull surrendered without fighting in the belief that the Detroit fort was surrounded. "The British later abandoned the fort and American troops reoccupied it. Following the end of the war Fort Shelby fell into disrepair, and in 1826 it was sold to the City of Detroit and demolished. In 1815, the site of Fort Wayne was used for the signing of the Treaty of Springwells, which marked the official (though belated) end of hostilities between the American government and the local Native American tribes of the area who had allied with the British during the war. Among those present for the signing of the treaty were Lewis Cass and soon to be U.S. President, General William Henry Harrison. Despite Fort Wayne's long-touted slogan, "Never a shot fired in anger," it is also documented that its site, the "sand hill at Springwells" is where the opening shots of the War of 1812 took place, when Michigan militiamen bombarded the town of Sandwich, Canada (later annexed into Windsor) on July 4th, 1812, though this occurred before an official declaration of war had been made.&rdquo (Wikipedia)

Due to concerns about a potential British attack and a general lack of preparedness along the border of Canada, funds to build a series of forts from the east coast to what was then the Territory of Minnesota were allocated by the Congress. One of these forts was built at Detroit and named after General Anthony Wayne, also known as &ldquoMad&rdquo Anthony Wayne. In 1851 Fort Wayne was completed.

The fort was star-patterned with the intention of having artillery atop earthen ramparts that enclosed brick tunnels that also had artillery locations built in, but the cannons might not have been installed. Over the years some changes have been made to the fort with the addition of buildings, reconstruction of the walls to replace cedar facing with concrete and brick, and other modifications. Fort Wayne saw various types of military use from the Civil War, including importance to the Underground Railroad, right up through the Vietnam War. By 1976 the entirety of the fort had been turned over to the City of Detroit.

Detroit Metro Mashup photojournalists have visited the Fort a few times, particularly to attend their fundraising flea market, and have roamed the grounds taking pictures that we are providing so that you can take a virtual tour of this historic place.

Much more detailed information about the development of Fort Wayne and the early history of Detroit itself can be found at the following links:


Historic Fort Wayne

Construction on Fort Wayne in Southwest Detroit first began in 1842 to defend America's northern border against British-controlled Canada. A shot was never fired at Fort Wayne, but the site became important for the induction of United States troops in armed conflicts throughout history from the Civil War to Vietnam. The city of Detroit now owns the majority of the fort, which is open to the public and managed by the Department of Parks and Recreation.

Historic Fort Wayne represents far more than a 19th-century artillery post, though. Visitors can explore the Fort's original 1848 limestone barracks building, 1845 star fort, restored commanding officers house, Spanish-American War guard house, Native American burial mound (c. 1000), and America’s first Tuskegee Airmen Museum, built in 1987.

HOPE Crew volunteers will learn basic preservation carpentry, masonry, painting, and window repair skills during Fort Wayne Community Day on September 10, 2017. Participants will engage with members of the community in Southwest Detroit and learn more about the significant impact this historic site has had on its city.


Historic Fort Wayne - History

Named in honor of Gen. "Mad" Anthony Wayne, Fort Wayne was established in the fall of 1838 by soldiers of the Seventh Infantry under Capt. John Stuart. Originally known as Camp Illinois, Fort Wayne supplanted Fort Coffee and was situated on the south side of the Illinois River near or at present Watts, in Adair County, Oklahoma. In July 1840 Lt. Col. Richard B. Mason and his First Dragoons relocated Fort Wayne along Spavinaw Creek in present Delaware County, Oklahoma, near Maysville, Arkansas. The post's purpose was to protect a military road connecting frontier fortifications and to ease the fear of Cherokee depredations in Arkansas. Fort Wayne was abandoned in May 1842 upon the recommendation of Maj. Ethan Allen Hitchcock.

The Cherokee Nation acquired Fort Wayne after its closure. It served as a base for Stand Watie and his followers throughout the tribe's postremoval turmoil. During the Civil War Watie used the post when forming his regiment of Cherokee volunteers. Confederate troops led by Col. Douglas H. Cooper were defeated by Union forces at the Battle of Fort Wayne in October 1862. No permanent buildings were constructed at either Fort Wayne site, and no ruins mark the locations.

Bibliografia

Grant Foreman, Advancing the Frontier, 1830–1860 (Norman: University of Oklahoma Press, 1933).

Robert W. Frazer, Forts of the West: Military Forts and Presidios, and Posts Commonly Called Forts, West of the Mississippi River to 1898 (2d ed. Norman: University of Oklahoma Press, 1972).

Muriel H. Wright and LeRoy H. Fischer, "Civil War Sites in Oklahoma," The Chronicles of Oklahoma 44 (Summer 1966).

No part of this site may be construed as in the public domain.

Copyright to all articles and other content in the online and print versions of The Encyclopedia of Oklahoma History is held by the Oklahoma Historical Society (OHS). This includes individual articles (copyright to OHS by author assignment) and corporately (as a complete body of work), including web design, graphics, searching functions, and listing/browsing methods. Copyright to all of these materials is protected under United States and International law.

Users agree not to download, copy, modify, sell, lease, rent, reprint, or otherwise distribute these materials, or to link to these materials on another web site, without authorization of the Oklahoma Historical Society. Individual users must determine if their use of the Materials falls under United States copyright law's "Fair Use" guidelines and does not infringe on the proprietary rights of the Oklahoma Historical Society as the legal copyright holder of The Encyclopedia of Oklahoma History and part or in whole.

Photo credits: All photographs presented in the published and online versions of The Encyclopedia of Oklahoma History and Culture are the property of the Oklahoma Historical Society (unless otherwise stated).

Citação

The following (as per The Chicago Manual of Style, 17th edition) is the preferred citation for articles:
Jon D. May, &ldquoFort Wayne,&rdquo The Encyclopedia of Oklahoma History and Culture, https://www.okhistory.org/publications/enc/entry.php?entry=FO047.

© Oklahoma Historical Society.


Assista o vídeo: Discover Downtown: Historic Fort Wayne (Dezembro 2021).