Notícia

Havaí

Havaí

Os primeiros colonos do Havaí foram polinésios, que provavelmente chegaram há cerca de 2.000 anos. Embora alguns viajantes europeus possam ter parado nas ilhas já em 1500, as ilhas não foram reveladas ao mundo até que o capitão James Cook, da marinha britânica, desembarcou em 1778 e chamou as ilhas de Ilhas Sandwich em homenagem ao Conde de Sandwich. Cook foi morto em uma disputa com os havaianos no ano seguinte. Embora a população possa ter chegado a 300.000 pessoas na época do primeiro contato com os europeus, doenças importadas mataram muitos nativos no início do século XIX. A independência do Havaí foi reconhecida pelos Estados Unidos em 1842. As plantações de açúcar e abacaxi se tornaram os pilares da economia. Em 1891, o rei Kalakaua morreu e foi sucedido por sua irmã Liliuokalani. O Havaí foi anexado em 1898 e o governo territorial foi estabelecido em 1900. Em 7 de dezembro de 1941, aeronaves japonesas atacaram alvos militares dos Estados Unidos no Havaí, principalmente Pearl Harbor, com grandes perdas de navios e vidas. As bases foram reparadas e se tornaram o quartel-general da guerra contra o Japão no Pacífico. No Congresso, uma visão geralmente racista da população não branca do Havaí impediu que as ilhas se tornassem um estado até 1959, quando foi admitido após um referendo que esmagadoramente aprovado como um estado. Desde a criação do Estado, a economia tornou-se mais dependente do turismo, tanto dos Estados Unidos quanto do Japão.


Veja o Havaí.


Havaí (ilha)

Havaí (Pronúncia havaiana: [həˈvɐjʔi], anglicizado Havaí / h ə ˈ w aɪ. Eu escuto ) hə- WY -ee) é a maior ilha localizada no estado americano do Havaí. É a maior e a mais a sudeste das Ilhas Havaianas, uma cadeia de ilhas vulcânicas no Oceano Pacífico Norte. Com uma área de 4.028 milhas quadradas (10.430 km 2), tem 63% da massa terrestre combinada do arquipélago havaiano e é a maior ilha dos Estados Unidos. No entanto, tem apenas 13% da população do Havaí. A ilha do Havaí é a terceira maior ilha da Polinésia, atrás das duas principais ilhas da Nova Zelândia. [3]

A ilha é frequentemente chamada de Ilha do Havaí, [4] o Grande ilha, ou Ilha do Havaí para distingui-lo do estado. Administrativamente, toda a ilha é coextensiva com o condado do Havaí.

De acordo com o Censo de 2010, a população era de 185.079. [5] A sede do condado e a maior cidade é Hilo. Não há cidades incorporadas no condado do Havaí (consulte a lista de condados do Havaí). [6]


Linha do tempo da história do Havaí

Os primeiros polinésios chegam em uma canoa outrigger 300-900AD. Os primeiros habitantes da ilha são os Menehune, que vêm das Ilhas Marquesas ao norte do Taiti a mais de 2.000 milhas. Em 1100 mais migração da Polinésia para as Ilhas Havaianas das Ilhas da Sociedade

Linha do tempo da história do século 17 do Havaí

1627 - Marinheiros espanhóis visitam o Havaí, descrevem a erupção vulcânica no diário do navio

Linha do tempo da história do século 18 do Havaí

1778 - O inglês James Cook, da marinha britânica, descobriu o Havaí.

Década de 1780 - Outros navios comerciais europeus e americanos começaram a chegar a caminho da China. Doenças trazidas de outras partes do mundo mataram muitos havaianos.

1794 - O Havaí é colocado sob o protetorado da Grã-Bretanha por Vancouver

1795 - Rei Kamehameha I unifica as Havaias.

Linha do tempo da história do século 19 do Havaí

  • Todo o Havaí estava sob o controle de Kamehameha.
  • Primeira apresentação teatral encenada no Havaí

1815 - Soldados russos fracassam na tentativa de construir um forte no Havaí

1816 - Volcano House abre para turistas na ilha do Havaí, US $ 1 por pessoa para hospedagem

1819 - Kamehameha I morre, e seu filho Liholiho tornou-se Kamehameha II. Ele prontamente aboliu a religião local.

1820 - Missionários protestantes ensinam o cristianismo

1821 - Os missionários protestantes chegaram no ano seguinte e converteram muitos havaianos ao cristianismo.

1826 - James Honnewell estabelece a C. Brewer & amp Co. Ltd. organização de comércio e serviços

1831 - Os missionários católicos que chegaram no final da década de 1820 foram forçados a partir ou foram presos em 1831.

1834 - O Departamento de Polícia de Honolulu é fundado pelo Rei Kamehameha III

1835 - A primeira plantação de açúcar é estabelecida na Ilha de Kauai

1836 - Organização da Royal Hawaiian Band

1838 - Arranque de terra para construção da Igreja Kawaiahao

1839 - Os católicos romanos recebem liberdade religiosa

1840 - O Havaí adotou sua primeira constituição.

  • Primeira Câmara dos Representantes é chamada à ordem
  • A primeira aula começa em Punahou, a nova escola particular

1843 - Lord George Paulet apreende o Havaí em nome da Inglaterra

1846 - A construção do Washington Place (agora residência do governador) é concluída

1848 - Uma lei aprovada naquele ano dividia as terras entre o rei e seus chefes. A maioria desses homens deu suas terras ao governo, que por sua vez as vendeu ao povo havaiano.

1849 - O almirante francês Legoarant de Tromelin falha na tentativa de invasão

1852 - O primeiro navio com propulsão a vapor é usado no serviço entre as ilhas

1853 - Epidemia de varíola tira a vida de mais de 5.000 havaianos

1858 - C. R. Bishop e W. A. ​​Aldrich começam a maior instituição financeira do reino

1859 - Estabelecida a Honolulu Gas Company

1860 - A primeira pedra angular da estrutura do Queen's Hospital é colocada no lugar

1863 - Ilha Niihau comprada por Elizabeth Sinclair, oferecida pelo Rei Kamehameha IV, $ 10.000

1865 - Os primeiros trabalhadores imigrantes em plantações partem de Yokohama, Japão, para o Havaí

1866 - Samuel Clemens (Mark Twain) navega para o porto de Honolulu

1874 - A Suprema Corte do Havaí muda-se para Ali`iolani (onde permanece até hoje)

1875 - Primeira regata oficial realizada no aniversário do Rei Kalakaua

1877 - Rei Kalakaua dedica o Parque Kapiolani como um ponto focal de recreação ao ar livre

1878 - O primeiro telefone está em operação, dois anos após a patente de Alexander Graham Bell

1879 - Primeiro trem-locomotiva puxou seu primeiro carregamento de cana-de-açúcar em Maui

1882 - O rei e a rainha se mudam para o Palácio Iolani

1883 - A estátua de Kamehameha é inaugurada

1885 - A primeira partida de polo é jogada no Havaí, em Kohala, na Ilha Grande

  • A eletricidade chega enquanto cinco lâmpadas de arco são colocadas em torno do Palácio Iolani
  • Perdas em grandes incêndios em Chinatown ultrapassaram US $ 1.455.000
  • Durante o governo do rei Kalakaua, muitos costumes havaianos que haviam sido desencorajados pelos governantes anteriores tornaram-se populares novamente. Ele ficou conhecido como o Monarca alegre. Para aumentar o comércio com os Estados Unidos, Kalakaua permitiu o uso exclusivo de Pearl Harbor como base naval.
  • As escolas Kamehameha foram fundadas em memória de Puahi pelo marido Charles Reed Bishop
  • Pai Damien do assentamento de hanseníase de Kalaupapa em Molokai morre
  • A rainha Liliuokalani escreveu sua famosa canção, "Aloha Oe"
  • A estrutura original do Bishop Museum está concluída
  • Robert Louis Stevenson, escritor famoso, chega ao Havaí

1890 - Vários colonos americanos e europeus começaram a plantar abacaxis. O plantio de cana-de-açúcar também se tornou uma importante indústria. Milhares de trabalhadores foram necessários para essas plantações, muitos vieram da China, Japão e Filipinas.

1891 - A única rainha governante do Havaí chegou ao poder.

1893 - Uma revolução trouxe a República do Havaí e o início da "República" de Sanford B. Dole.

1894 - A República do Havaí foi estabelecida

1896 - O Moana Hotel ("Grand Old Lady" de Waikiki / agora Sheraton Moana Surfrider) está planejado

1898 - A bandeira do estado do Havaí é substituída pelas "Estrelas e listras" dos Estados Unidos

Linha do tempo da história do século 20 do Havaí

  • A Hawaiian Pineapple Company, agora Dole, é estabelecida
  • As primeiras plantações de abacaxi de James "Jim" Drummond Dole na zona rural de Wahiawa
  • 1901 - primeira corrida do Honolulu Rapid Transit de bondes elétricos

1903 - O Comitê Conjunto de Turismo é criado para promover o Território para o mundo (agora o HVCB)

1905 - Apenas 80 automóveis estão registrados na ilha de Oahu

1910 - Primeiro voo de avião no Havaí

1912 - Duke Kahanamoku participa das Olimpíadas de Estocolmo

1916 - O bordel "Iwilei Stockade" é encerrado

1917 - Charlie Chaplin visita o Havaí e fala no almoço do Honolulu Ad Club

1920 - Príncipe Edward, Príncipe de Gales, visita as ilhas

1922 - Honolulu Musum of Art é fretado

1923 - Hawaiian Dredging Co. inicia a dragagem do Canal Ala Wai

1924 - Começam as obras da fundação estrutural da Torre Aloha

  • Grupo de mulheres fundou a organização "Outdoor Circle" e acabou com a publicidade em outdoors
  • Dia Inaugural Lei
  • O Royal Hawaiian Hotel abre para negócios

1929 - Primeiro voo entre ilhas por Stanley C. Kennendy em um avião anfíbio

1934 - O presidente Roosevelt foi o primeiro presidente dos EUA a visitar o Havaí

  • O primeiro voo transpacífico de 2.270 milhas de São Francisco para o Havaí leva 21 horas e meia
  • Shirley Temple, de 5 anos, visita o Havaí
  • O programa de rádio "Hawaii Calls" entra nos corações e nas salas de estar da América
  • Quando a Segunda Guerra Mundial começou em 1939, os Estados Unidos optaram por ficar fora da guerra. Após o histórico bombardeio japonês de Pearl Harbor e Oahu em 7 de dezembro de 1941, os Estados Unidos declararam guerra ao Japão e entraram na Segunda Guerra Mundial. Muitos dos navios e submarinos danificados foram reparados pelas forças armadas e usados ​​na guerra. O Cemitério Memorial Nacional do Pacífico foi dedicado em 1949 em Honolulu, milhares estão enterrados lá.
  • Um solitário piloto japonês cai em Niihau e morre depois de atirar em um havaiano
  • Primeiros voos internacionais terrestres

1946 - Grande tsunami atinge Hilo, matando mais de 100 pessoas e causando danos de US $ 25 milhões

1956 - Liquidação do financiamento e inauguração do Shopping Ala Moana

1957 - O primeiro cabo telefônico do continente dos EUA para o Havaí operado

1959 - O Havaí se tornou o 50º estado em 21 de agosto de 1959

1962 - O terminal de aviões a jato em Honolulu foi concluído

1982 - O furacão Iwa causa cerca de US $ 312 milhões em danos

1991 - Carolyn Sapp se torna a primeira Miss América do Havaí

1992 - O furacão Iniki mata quatro e causa US $ 2 bilhões em danos

1995 - http://www.Hawaiian.com entra online com a mensagem do Live Aloha!

Linha do tempo da história do século 21 do Havaí

2000 - A Suprema Corte dos Estados Unidos declara que restringir a votação no Escritório de Assuntos Havaianos para havaianos nativos viola a 15ª Emenda.

  • (Março) Seis semanas de chuva resultam em grandes danos causados ​​pelas inundações nas ilhas.
  • (15 de outubro) Um terremoto de magnitude 6,7 na Ilha Grande resulta em danos à propriedade, deslizamentos de terra, tsunamis, quedas de energia e atrasos em aeroportos. Todo o extremo sul do famoso Mauna Kea Beach Hotel desmorona e é fechado indefinidamente. Após uma reconstrução de US $ 150 milhões, ele reabriu em dezembro de 2008.

2009 - A Lei de Reorganização do Governo Havaiano Nativo de 2009 (a Lei Akaka) é apresentada ao Congresso pela sexta vez. O projeto visa permitir que os nativos havaianos busquem um status especial semelhante ao dos nativos americanos, mas o projeto não é aprovado


Americanos derrubam monarquia havaiana

Nas ilhas havaianas, um grupo de plantadores de açúcar americanos sob o comando de Sanford Ballard Dole derruba a rainha Liliuokalani, a monarca havaiana, e estabelece um novo governo provincial com Dole como presidente. O golpe ocorreu com o conhecimento prévio de John L. Stevens, o ministro dos EUA no Havaí, e 300 fuzileiros navais do cruzador americano Boston foram chamados ao Havaí, supostamente para proteger vidas americanas.

Os primeiros colonos conhecidos das ilhas havaianas foram viajantes polinésios que chegaram em algum momento do século VIII e, no início do século 18, os primeiros comerciantes americanos vieram ao Havaí para explorar as ilhas & # x2019 o sândalo, que era muito valorizado na China na época. Na década de 1830, a indústria do açúcar foi introduzida no Havaí e em meados do século 19 já estava bem estabelecida. Os missionários e proprietários americanos trouxeram grandes mudanças na vida política, cultural, econômica e religiosa do Havaí, e em 1840 uma monarquia constitucional foi estabelecida, privando o monarca havaiano de grande parte de sua autoridade. Quatro anos depois, Sanford B. Dole nasceu em Honolulu, Havaí, filho de pais americanos.


44b. Anexação havaiana

Quando os Estados Unidos começaram a pensar seriamente em olhar além de suas próprias fronteiras para conquistar novas terras, grande parte do mundo já havia sido reivindicado. Apenas alguns territórios distantes na África e Ásia e ilhas remotas no Pacífico permaneceram livres do domínio imperial. O Havaí era uma dessas ameixas. Liderados por um monarca hereditário, os habitantes do reino prevaleciam como um estado independente. Os expansionistas americanos olharam com ganância para as ilhas estrategicamente localizadas e esperaram pacientemente para planejar sua mudança.

Base no Havaí

O interesse pelo Havaí começou na América já na década de 1820, quando os missionários da Nova Inglaterra tentaram seriamente divulgar sua fé. Desde a década de 1840, manter as potências europeias fora do Havaí tornou-se o principal objetivo da política externa. Os americanos adquiriram um verdadeiro ponto de apoio no Havaí como resultado do comércio de açúcar. O governo dos Estados Unidos concedeu termos generosos aos produtores de açúcar do Havaí e, após a Guerra Civil, os lucros começaram a aumentar. Um ponto de inflexão nas relações EUA-Havaí ocorreu em 1890, quando o Congresso aprovou a tarifa McKinley, que aumentou as taxas de importação de açúcar estrangeiro. Os plantadores de açúcar havaianos estavam agora sendo vendidos a preços baixos no mercado americano e, como resultado, uma depressão varreu as ilhas. Os produtores de açúcar, principalmente americanos brancos, sabiam que, se o Havaí fosse anexado aos Estados Unidos, o problema tarifário desapareceria naturalmente. Ao mesmo tempo, o trono havaiano foi passado para a rainha Liliuokalani, que determinou que a raiz dos problemas do Havaí era a interferência estrangeira. Um grande confronto estava prestes a acontecer.

Anexando o Havaí

Em janeiro de 1893, os proprietários encenaram uma revolta para derrubar a Rainha. Ao mesmo tempo, eles apelaram às Forças Armadas dos Estados Unidos por proteção. Sem a aprovação presidencial, os fuzileiros navais invadiram as ilhas, e o ministro americano nas ilhas ergueu as estrelas e listras em Honolulu. A rainha foi forçada a abdicar e a questão foi deixada para os políticos de Washington resolverem. Nessa época, Grover Cleveland havia sido empossado presidente. Cleveland era um antiimperialista declarado e achava que os americanos haviam agido vergonhosamente no Havaí. Ele retirou o tratado de anexação do Senado e ordenou uma investigação sobre possíveis delitos. Cleveland pretendia restaurar Liliuokalani ao trono, mas o sentimento público americano favoreceu fortemente a anexação.

O assunto foi prolongado até depois que Cleveland deixou o cargo. Quando a guerra estourou com a Espanha em 1898, o significado militar das bases navais havaianas como uma estação intermediária para as Filipinas espanholas superou todas as outras considerações. O presidente William McKinley assinou uma resolução conjunta anexando as ilhas, muito parecido com a maneira pela qual o Texas aderiu à União em 1845. O Havaí permaneceu um território até ser concedido o quinquagésimo estado em 1959.


Havaí

Há cerca de 1.500 anos, um grupo de canoas desembarcou em algumas das ilhas hoje conhecidas como Havaí. Essas pessoas - os primeiros residentes conhecidos das ilhas - haviam remado cerca de 2.000 milhas das Ilhas Marquesas para chegar aqui. Pessoas do que hoje é o Taiti - a mais de 2.500 milhas de distância - seguiram 500 anos depois. Essas culturas trouxeram tradições próprias e, com o tempo, criaram novas tradições, como surfe, dança hula e troca de guirlandas de flores chamadas leis.

Em 1810, Kamehameha se tornou o primeiro rei do Havaí. As ilhas continuaram a ter governantes reais na década de 1880. Em 1898, o Havaí se tornou um território dos Estados Unidos. Foi nomeado o 50º estado em 1959 e até hoje você ainda pode visitar o Palácio Iolani - o único edifício real em solo americano.

POR QUE É CHAMADO ASSIM?

O Havaí pode ter sido nomeado em homenagem a Hawai'i Loa, uma figura lendária que disse ter descoberto as ilhas pela primeira vez.

O apelido do Havaí, Estado de Aloha, não é nenhum mistério: Aloha é uma maneira havaiana de dizer olá e adeus.

À direita: símbolos estaduais do Havaí

GEOGRAFIA E TERRENOS

O Havaí fica a mais de 2.000 milhas a oeste da Califórnia.

O Havaí é a maior cadeia de ilhas do mundo e é o único estado dos EUA totalmente formado por ilhas. Mas apenas 7 de suas 132 ilhas são habitadas: Havaí (também conhecida como Ilha Grande), Maui, Molokai, Lanai, Oahu, Kauai e Niihau.

As ilhas havaianas são ilhas vulcânicas. Eles se formaram à medida que a crosta terrestre, composta de placas rochosas gigantes chamadas placas tectônicas, move-se sobre um ponto particularmente quente na camada derretida abaixo da crosta. O calor derrete a rocha que forma a crosta, transformando-a em magma. Então, uma vez que o magma irrompe para a superfície da crosta terrestre, ele esfria e forma uma nova terra.

A crosta terrestre está sempre se movendo um pouco, mas o ponto quente que produz o magma não. Assim, com o tempo, à medida que a crosta se movia, mas o ponto quente permanecia - criando uma série de ilhas vulcânicas. O vulcão mais ativo do Havaí é o Kilauea, e você pode vê-lo no Parque Nacional dos Vulcões do Havaí na Ilha Grande. O Kilauea está em erupção há mais de 30 anos e, a cada ano, sua lava expande o Havaí em mais de 40 acres.

O Havaí é conhecido por suas belas praias - algumas delas com cores incomuns. Muitas praias são cheias de areia branca, mas outras costas havaianas são cobertas por areia verde, vermelha, rosa e até preta.

Quer goste de caminhadas, ciclismo, canoagem, vela, natação ou simplesmente sentar-se na praia, o Havai é o estado para si. Perto da água, você pode relaxar enquanto as palmeiras sopram na brisa da ilha. Viaje em direção ao centro de uma das grandes ilhas e você pode caminhar por densas florestas tropicais e experimentar cachoeiras deslumbrantes. Não se esqueça de mergulhar nas águas e praticar snorkel perto dos recifes de coral do Havaí.

No Havaí, você pode experimentar outro ambiente: a lava seca do vulcão Mauna Loa é tão parecida com partes da superfície da lua que os astronautas uma vez caminharam sobre ela para praticar em viagens lunares. O Monte Waialeale em Kauai é considerado um dos locais mais chuvosos da Terra, recebendo em média 384 polegadas de chuva por ano.

ANIMAIS SELVAGENS

Embora o Havaí tenha milhares de plantas e animais, ele tem apenas um mamífero terrestre nativo: o morcego havaiano. Outros mamíferos do Havaí, incluindo o mangusto, rato e porco selvagem, foram trazidos para as ilhas por humanos.

O Havaí está repleto de pássaros nativos como o pueo (também chamado de coruja havaiana), o noio (um tipo de andorinha-do-mar) e o pássaro estadual do Havaí, o nene (é parente do ganso canadense). As águas do Havaí abrigam vida marinha, como focas-monge, tartarugas-de-pente e peixes-lagarto. As baleias jubarte visitam as águas de dezembro a maio para acasalar, dar à luz e criar seus filhotes.

Milhares de espécies de árvores - de magnólias e plumeria perfumadas a árvores ohi'a 'ai repletas de frutas - crescem nas ilhas. Milhares de plantas com flores também crescem lá, incluindo orquídeas exóticas.

RECURSOS NATURAIS

O rico solo do Havaí é considerado um de seus recursos naturais mais importantes. Cana-de-açúcar, abacaxi, café, nozes de macadâmia e flores são importantes fontes de renda para a economia do estado. O turismo é a principal fonte de receita do estado.

COISAS DIVERTIDAS

—Hawaii é o único estado dos EUA com dois idiomas oficiais: inglês e havaiano.

—Em 2008, Barack Obama, nascido em Honolulu, foi eleito o 44º presidente dos Estados Unidos.

—Entertainer Bette Midler também nasceu em Honolulu.

—O hula é uma dança tradicional havaiana que conta uma história por meio do movimento. Os dançarinos costumam usar saias e colares de grama.

—O esporte do surfe pode ter se originado no que hoje é o Havaí. Hoje, os surfistas profissionais surfam em ondas com mais de 50 pés de altura.


História Havaiana

As ilhas havaianas são de origem vulcânica. Eles foram criados por um chamado ponto quente no fundo do oceano há cerca de 70 milhões de anos. A ilha havaiana mais antiga é o Atol Kure e a mais nova é a Ilha Grande do Havaí, que surgiu à superfície há cerca de um milhão de anos.

Os primeiros colonizadores

Acredita-se que os primeiros colonos, originários das Ilhas Marquesas, chegaram ao Havaí por volta do século 4 ou 5 dC. Eles cruzaram 2.500 milhas de oceano em canoas de viagem de casco duplo e usaram as estrelas para guiá-los. Com eles trouxeram algumas colheitas, como taro e fruta-pão, bem como animais. Os arqueólogos acreditam que uma segunda onda de viajantes polinésios chegou por volta de 1000 DC, que eram do Taiti.

Foi este segundo grupo de colonos que estabeleceu o sistema kapu. Kapu significa “tabu” ou “proibido” na língua havaiana. Era um sistema jurídico que proibia muitas coisas e foi projetado para manter a ordem. Portanto, era proibido aos plebeus simplesmente caminhar na sombra de um ali'i (chefe). Além disso, as mulheres não podiam comer junto com os homens, nem comer bananas ou carne de porco. Não era permitido interromper um chefe se ele estivesse falando, e a lista continua.

A punição por quebrar um kapu geralmente era a morte. Se a infração fosse muito grave, toda a família do agressor também seria morta. Durante esse tempo, os sacrifícios humanos eram comuns.

Os primeiros europeus chegaram muito mais tarde ao Havaí, começando com o explorador inglês Capitão James Cook em 1778, que batizou as ilhas que descobriu como Ilhas Sandwich em homenagem ao conde inglês de Sandwich.

Os nativos saudaram Cook com perplexidade e alegria, acreditando que ele era Lono, o deus da fertilidade da terra. Cook acabou sendo morto após uma disputa na Baía de Kealakekua, na Ilha Grande do Havaí. Na época da visita de Cook, o arquipélago estava dividido em três reinos: Havaí, Oahu e Maui, e Lanai e Molokai.

Unificando as Ilhas

O rei Kamehameha, o Grande (1758-1819) foi o rei mais poderoso do Havaí. Nascido e criado na Ilha Grande do Havaí, Kamehameha participou de várias batalhas em seus primeiros anos. Depois que ele se tornou governante da Ilha Grande, seu próximo objetivo era governar todas as outras ilhas também. Em 1795, seus guerreiros chegaram a Maui, Lanai, Molokai e Oahu e mais tarde Kauai, derrotando os governantes locais dessas ilhas. Naquele ano, Kamehameha conquistou e unificou as ilhas havaianas. Pouco depois de sua morte, o sistema kapu foi abolido.

Os Missionários e a Monarquia

Em 1820, os missionários chegaram ao Havaí. O rei Kamehameha III governou as ilhas de 1825 até sua morte em 1854. Ele ouviu os conselhos dos missionários e permitiu-lhes estabelecer escolas e pregar o cristianismo. Os missionários desenvolveram o alfabeto havaiano e o ensinaram ao povo. Eles também o usaram para traduzir a Bíblia para a língua havaiana. Kamehameha III instituiu a liberdade religiosa em 1839 e, um ano depois, estabeleceu uma monarquia constitucional.

A indústria açucareira

A indústria do açúcar foi introduzida no Havaí na década de 1830. Além disso, empresários de todo o mundo chegaram às ilhas para explorar o sândalo e as baleias do Havaí. Durante o mesmo tempo, os trabalhadores das plantações foram trazidos para o Havaí de países estrangeiros. O sistema feudal de terras do Havaí foi abolido em 1848, o que tornou legal a propriedade privada.

A partir daí, o investimento de capital na terra foi possível. Os próprios líderes do Havaí participaram desses empreendimentos e se tornaram mais ricos. O governo havaiano vendeu grandes porções de terra para estrangeiros, funcionários do governo e membros da realeza. Os que sofreram foram os plebeus havaianos, porque foram despojados de suas terras onde viveram por gerações.

Ameaçados por nações europeias que queriam adicionar o Havaí a seus impérios, os empresários americanos começaram a buscar a anexação pelos Estados Unidos. Em 1875, um tratado de reciprocidade foi negociado e renovado em 1884, mas não ratificado. Foi ratificado em 1887, quando foi adicionada uma emenda que deu aos EUA o direito exclusivo de estabelecer uma base naval em Pearl Harbor.

A ascensão ao poder de Lili'uokalani

A rainha Lili'uokalani fez o juramento de manter a constituição de 1887. A sessão legislativa de 1892 foi estendida para oito meses por causa da determinação de Lili'uokalani de levar adiante os projetos de ópio e loteria e de ter um gabinete viável.

Lili'uokalani redigiu uma nova constituição, que resultou em uma monarquia absoluta e privou um grande grupo de cidadãos que votavam desde 1887. Em uma reunião pública, um Comitê de Segurança foi nomeado, que emitiu uma proclamação declarando a abolição da monarquia e estabelecer um governo provisório.

Nesse ínterim, tropas voluntárias chegaram e ocuparam o terreno. Por conselho de seus ministros, a Lili'uokalani se rendeu sob protesto, apelando aos Estados Unidos para restabelecer sua autoridade.

A República

Um tratado de anexação foi negociado com os Estados Unidos durante o mês seguinte, pouco antes do encerramento do governo do presidente Benjamin Harrison, mas foi retirado em março de 1893 pelo sucessor do presidente Harrison, o presidente Cleveland.

Uma constituição para a República do Havaí foi elaborada em 1894, com Sanford B. Dole como seu primeiro presidente. Uma conspiração foi formada para derrubar a república e restaurar a monarquia. Mas esse plano foi desfeito quando um esquadrão da polícia alarmou a cidade com antecedência.

A Rainha Lili'uokalani foi detida e encarcerada durante nove meses no antigo palácio depois que armas e munições e documentos incriminatórios foram encontrados nas suas instalações. Ela renunciou a todas as pretensões ao trono em janeiro de 1895 e fez um juramento de lealdade à nova república.


Havaí - História

Pouco antes da chegada dos europeus em 1778, os habitantes das ilhas havaianas viviam em um sistema social altamente organizado e autossuficiente, com uma linguagem, cultura, religião sofisticadas e uma posse de terra que apresentava uma notável semelhança com o feudal sistema da antiga Europa.

O governo monárquico das Ilhas Havaianas foi estabelecido em 1810 por Sua Majestade Rei Kamehameha I (foto à direita). Ele governou as ilhas havaianas de abril de 1810 até sua morte em maio de 1819. Após a morte do rei Kamehameha I, seu filho, o rei Kamehameha II, foi o sucessor do trono e governou as ilhas havaianas de 8 de maio de 1819 a julho de 1824, quando morreu de sarampo em Londres. Sua Majestade o Rei Kamehameha III, o segundo filho de Sua Majestade o Rei Kamehameha I, foi o sucessor do trono após a morte de Kamehameha II em julho de 1824.

O reino havaiano foi governado até 1838, sem decretos legais, e foi baseado em um sistema de common law, que consistia em parte do antigo kapu (tabu) e das práticas dos célebres chefes, que haviam sido transmitidos pela tradição desde tempos imemoriais . A Declaração de Direitos, proposta e assinada por Sua Majestade o Rei Kamehameha III em 7 de junho de 1839, foi o primeiro afastamento essencial dos antigos costumes.

Estabelecendo uma forma constitucional de governo
para o Reino do Havaí (por volta de 1839).

A Declaração de Direitos de 1839 reconheceu três classes de pessoas com direitos adquiridos nas terras 1o, o Governo 2o, os Chefes e 3o, os Inquilinos nativos. Declarou a proteção desses direitos para as classes de inquilinos chefes e nativos. Esses direitos não se limitavam à terra, mas incluíam o direito à ". Vida, integridade física, liberdade, liberdade da opressão, os ganhos de suas mãos e as produções de sua mente, mas não para aqueles que violam as leis".

Um ano depois, em 8 de outubro de 1840, Sua Majestade Rei Kamehameha III (foto à esquerda) abdicou voluntariamente de seus poderes e atributos absolutos, ao promulgar uma constituição que reconhecia três grandes divisões de uma monarquia civilizada: o rei como o Chefe do Executivo, o Legislativo e o Judiciário. O Departamento Legislativo do Reino era composto pelo Rei, a Câmara dos Nobres e a Câmara dos Representantes, cada um com a negativa do outro. O rei representou o direito adquirido da classe do Governo, a Câmara dos Nobres representou o direito adquirido da classe Chiefly e a Câmara dos Representantes representou os direitos adquiridos da classe Inquilino. O Governo foi estabelecido para proteger e reconhecer os direitos já declarados pela Declaração de Direitos de 1839.

A Constituição geralmente definia os deveres de cada ramo do governo. Civilmente, as leis abrangiam os direitos e deveres usuais das relações sociais entre as três classes de pessoas, e iniciaram o desenvolvimento interno do país com a promoção da indústria e do comércio. Nessas leis, a base fundamental da posse da terra era declarada, e o cultivo do solo, sob um arrendamento feudal não muito diferente do da Europa antiga, era encorajado pelo relaxamento do serviço de vassalo das classes de chefes e inquilinos.

O Reino do Havaí foi reconhecido como um Estado Independente em 1843.

Para combater a forte possibilidade de invasão estrangeira no território havaiano, Sua Majestade o Rei Kamehameha III despachou uma delegação havaiana aos Estados Unidos e à Europa com o poder de resolver dificuldades com outras nações e negociar tratados. O dever final desta delegação era garantir o reconhecimento da Independência do Havaí das principais potências do mundo. De acordo com este objetivo, Timóteo Ha`alilio, William Richards e Sir George Simpson foram comissionados como Ministros Plenipotenciários Conjuntos em 8 de abril de 1842. Sir George Simpson, logo em seguida, partiu para a Inglaterra, via Alasca e Sibéria, enquanto o Sr. Ha` alilio e o senhor Richards partiram para os Estados Unidos, via México, em 8 de julho de 1842.

Em 19 de dezembro de 1842, a delegação havaiana, enquanto nos Estados Unidos da América, garantiu ao presidente dos Estados Unidos Tyler que os Estados Unidos reconheceriam a independência havaiana. The delegation then proceeded to meet their colleague, Sir George Simpson, in Europe and together they secured formal recognition from Great Britain and France. On April 1, 1843, Lord Aberdeen on behalf of Her Britannic Majesty Queen Victoria, assured the Hawaiian delegation that, "Her Majesty's Government was willing and had determined to recognize the independence of the Sandwich Islands under their present sovereign."

On November 28, 1843, at the Court of London, the British and French Governments entered into a formal agreement for the recognition of Hawaiian independence. The Proclamation read as follows:

"Her Majesty the Queen of the United Kingdom of Great Britain and Ireland, and His Majesty the King of the French, taking into consideration the existence in the Sandwich Islands of a government capable of providing for the regularity of its relations with foreign nations, have thought it right to engage, reciprocally, to consider the Sandwich Islands as an Independent State, and never to take possession, neither directly or under the title of Protectorate, or under any other form, of any part of the territory of which they are composed.

The undersigned, Her Majesty's Principal Secretary of State of Foreign Affairs, and the Ambassador Extraordinary of His Majesty the King of the French, at the Court of London, being furnished with the necessary powers, hereby declare, in consequence, that their said Majesties take reciprocally that engagement."

As a result of the recognition of Hawaiian Independence in 1843 the Hawaiian Kingdom entered into Treaties and Conventions with the nations of Austria, Belgium, Bremen (presently Germany), Denmark, France, Germany, Hamburg (presently Germany), Italy, Hong Kong (former colony of England), Japan, Netherlands, New South Wales (former colony of England), Portugal, Russia, Samoa, the Swiss Confederation, Sweden, Norway, Tahiti (colony of France), United Kingdom, and the United States of America.

The Organic and Statutory Laws of the State (circa. 1845-1886).

On June 24, 1845, a Joint Resolution was enacted by the Legislature and signed into law. The Attorney General was called upon to draw up a complete set of the existing laws embracing the organic forms of the different departments, namely, the Executive and Judicial branches. These laws were to outline their duties and modes of procedure. This brought forth the First Act of Kamehameha III to Organize the Executive Ministries, a Second Act of Kamehameha III to Organize the Executive Departments, e as Third Act of Kamehameha III to Organize the Judiciary Department. These Acts came to be known as the Organic Acts of 1845-46.

On September 27, 1847, the Legislature passed a law calling upon Chief Justice William L. Lee to establish a Penal Code. In 1850, a Penal Code was submitted to the Legislature by Chief Justice Lee and signed into law by His Majesty King Kamehameha III. The Penal Code had adopted the principles of the English common law. On June 22, 1865, the Judges of the Supreme Court were directed, by an act of the Legislature, to compile and ready to publish the Penal Laws of the Kingdom. The matter required a compilation of the amendments and additions made to the Penal Code since 1850. In 1869 a revised Penal Code was published.

In 1851, the Hawaiian Kingdom Legislature passed a resolution calling for the appointment of three commissioners, one to be chosen by the King, one by the House of Nobles, and one by the House of Representatives. The duty of these commissioners was to revise the Constitution of 1840. The draft of the revised Constitution was submitted to the Legislature and approved by both the House of Nobles and the House of Representatives and signed into law by the King on June 14, 1852. By its terms, the Constitution would not take effect until December 6, 1852.

On April 6, 1853, Alexander Liholiho was named successor to the office of the Constitutional Monarch by His Majesty King Kamehameha III in accordance with Article 25 of the Constitution of 1852. Article 25 provides that the ". successor (of the Throne) shall be the person whom the King and the House of Nobles shall appoint and publicly proclaim as such, during the King's life. "

One year later on December 15th, His Majesty King Kamehameha III passed away and Alexander Liholiho ascended to the office of Constitutional Monarch. He was thereafter called King Kamehameha IV (pictured right).

Since the passage of the Organic Acts of 1845-46, a Joint Resolution was passed by the Legislature and signed into law in 1856, calling upon Prince Lot Kamehameha, Chief Justice William L. Lee, and Associate Justice George M. Robertson to form a committee and prepare a complete Civil Code and to report the same for the sanction of the Legislature in 1858. Pursuant to the resolution, on May 2, 1859, a Civil Code was finally passed by the Legislative Assembly and signed into law on May 17, 1859. Session laws subsequently enacted by the Legislature amended or added to the Civil and Penal Codes.

The nationality or political status of persons ancillary to the Hawaiian Kingdom are termed Hawaiian subjects. The native inhabitants of the Hawaiian Islands became subjects of the Kingdom as a consequence of the unification of the islands by His Majesty King Kamehameha I at the turn of the 19th century. Since Hawai'i became constitutional, foreigners were capable of becoming Hawaiian nationals either through naturalization or denization. Under the naturalization laws of the Kingdom, foreigners who resided in the Hawaiian Islands for at least five years could apply to the Minister of Interior for naturalization, whereby "Every foreigner so naturalized, shall be deemed to all intents and purposes a native of the Hawaiian Islands, be amenable only to the laws of this Kingdom, and to the authority and control thereof, be entitled to the protection of said laws, and be no longer amenable to his native sovereign while residing in this Kingdom, nor entitled to resort to his native country for protection or intervention. He shall be amenable, for every such resort, to the pains and penalties annexed to rebellion by the Criminal Code. And every foreigner so naturalized, shall be entitled to all the rights, privileges and immunities of an Hawaiian subject."

Denization was a constitutional prerogative of the Office of the Monarch, whereby, a foreigner may have all the rights and privileges of a Hawaiian subject, but is not required to relinquish his allegiance to his native country as is required under naturalization. Denization was "dual citizenship," which was accompanied by an oath of allegiance to the Hawaiian Kingdom. It was reserved to those foreigners who may not have resided in the Kingdom for five years or more, but their services were necessary in the affairs of government both local and abroad. The children of Hawaiian denizens born on Hawaiian territory were considered Hawaiian subjects. Examples of Hawaiian denizens were special envoys who negotiated international treaties and officers serving in the Hawaiian government.

On November 30, 1863, His Majesty King Kamehameha IV passed away unexpectedly, and consequently, left the Kingdom without a publicly proclaimed successor. On the very same day, the Kuhina Nui (Premier) in Privy Council publicly proclaimed Lot Kapuaiwa the successor to the Throne, in accordance with Article 25 of the Constitution of 1852. He was thereafter called King Kamehameha V. Article 47, of the Constitution of 1852, provides that ". whenever the throne shall become vacant by reason of the King's death the Kuhina Nui (Premier) shall perform all the duties incumbent on the King, and shall have and exercise all the powers, which by this Constitution are vested in the King."

When His Majesty King Kamehameha V (pictured right) ascended to the throne, he had refused to take the oath of office until the Constitution was altered. This refusal was constitutionally authorized by Article 94 of the 1852 Constitution which provided that ". [t]he King, after approving this Constitution, shall take the following oath. "

This provision implied a choice to take or not take the oath, which His Majesty King Kamehameha V felt should be constitutionally altered. Another provision of the 1852 Constitution needing alteration was the sovereign prerogative provided in article 45 which stated that ". [a]ll important business of the Kingdom which the King chooses to transact in person, he may do, but not without the approbation of the Kuhina Nui (Premier). The King and Kuhina Nui (Premier) shall have a negative on each other's public acts."

This sovereign prerogative allowed the Monarch the constitutional authority to alter or amend laws without Legislative approval. These anomalous provisions needed to be altered along with the instituting of voter qualifications for the House of Representatives. His Majesty King Kamehameha V, in Privy Council, resolved to look into the legal means of convening the first Constitutional Convention.

On July 7, 1864, a Convention was called for by His Majesty King Kamehameha V in order to draft a new constitution. The Convention was not comprised of delegates elected by the people with the specific task of altering the constitution, but rather their elected officials serving in the House of Representatives, together with the House of Nobles and the King in Privy Council who would convene in special session. Between July 7 and August 8, 1864, each article in the proposed Constitution was read and discussed until they arrived at Article 62. Article 62 defined the qualification of voters for the House of Representatives. After days of debate over this article, the Convention arrived at an absolute deadlock. The House of Representatives was not able to agree on this article. As a result, His Majesty King Kamehameha V, in exercising his sovereign prerogative by virtue of Article 45 of the constitution, dissolved the convention and proclaimed a new constitution on August 20, 1864.

In His Majesty King Kamehameha V's speech at the opening of the Legislative Assembly of 1864, he explained his abovementioned action of dissolving the Convention and proclaiming a new constitution. He stated that the ". forty-fifth article (of the Constitution of 1852) reserved to the Sovereign the right to conduct personally, in cooperation with the Kuhina Nui (Premier), but without the intervention of a Ministry or the approval of the Legislature, such portions of the public business as he might choose to undertake. "

This public speech before the Legislative Assembly occurred without contest, and therefore must be construed as a positive statement of the approbation of the Kuhina Nui (Premier) as required by Article 45 of the said Constitution of 1852. However, this sovereign prerogative was removed from the 1864 Constitution, thereby preventing any future Monarch of the right to alter the constitution without the approval of two-thirds of all members of the Legislative Assembly. All articles of the constitution previously agreed upon in convention remained, except for the voter requirements for the House of Representatives. The property qualifications instituted in Articles 61 and 62 were repealed by the Legislature in 1874.

Contrary to recent historical scholars, the 1864 Constitution did not increase the authority of the Monarch, but rather limited the power of the Monarch formally held under the 1852 Constitution. Under what has been termed the Kamehameha Constitution (1864), the Monarch was now required to take the oath of office and the sovereign prerogative was removed. Also removed was the office of the Kuhina Nui (Premier), which was found to be overlapping with the duties of the Minister of Interior. The bi-cameral nature of the legislative body was also removed. Where once the legislature would formally sit in two distinct Houses (House of Nobles and the House of Representatives), it now was changed to a uni-cameral House where the ". [l]egislative power of the Three Estates of this Kingdom is vested in the King, and the Legislative Assembly which Assembly shall consist of the Nobles appointed by the King, and of the Representatives of the People, sitting together."

On December 11, 1872, His Majesty King Kamehameha V passed away without naming a successor to the office of Constitutional Monarch. As a consequence to the passing of the late King, the Legislative Assembly readied itself to exercise the constitutional authority it possessed to elect, by ballot, a native Chief to be the Constitutional Monarch. Article 22 of the Constitution of 1864 of the Hawaiian Kingdom provides such authority and states "..should the Throne become vacant, then the Cabinet Council, immediately after the occurring of such vacancy, shall cause a meeting of the Legislative Assembly, who shall elect by ballot some native Ali'i (Chief) of the Kingdom as Successor to the Throne. ".

On January 8, 1873, William Charles Lunalilo was elected as successor to the office of Constitutional Monarch in accordance with Article 22 of the Constitution of 1864. One year later on February 3rd, 1874, His Majesty King Lunalilo (pictured right) died without naming a successor. The Hawaiian Legislature once again met in special session and elected David Kalakaua to the office of Constitutional Monarch on February 12th, 1874. In accordance with the Constitution, His Majesty's first royal act was to nominate and confirm his younger brother, William P. Leleiohoku, as successor.

On April 10, 1877, following the death of heir-apparent William P. Leleiohoku, King David Kalakaua (pictured left) publicly proclaimed Lydia Kamaka'eha Dominis to be his successor to the office of Constitutional Monarch in accordance with Article 22 of the Constitution of 1864.

In 1880, the Legislative Assembly passed an Act to Provide for the Codification and revision of the Laws of the Kingdom. His Majesty's Ministers requested an opinion of the Justices of the Supreme Court, in regard to the 1880 Act, to determine what needed to be done. The Justices stated there was no need to establish another code, but rather a compilation be made of the laws, then in force, and as they stood amended, but without any changes in the words and phrases of statutes. Pursuant to the opinion of the Justices and in accordance with the 1880 Act, a book was published in 1884 entitled the "Compiled Laws of the Hawaiian Kingdom."

On October 16, 1886, the Hawaiian Legislature was adjourned by King David Kalakaua after it met in Legislative session for 129 days. This Legislature was not scheduled to reconvene in Legislative Session until April of 1888. Article 46 of the Constitution of 1864 provides that the ". Legislative Body shall assemble biennially, in the month of April, and at such other time as the King may judge necessary, for the purpose of seeking the welfare of the nation."

The Bayonet Constitution of 1887.

In 1887, while the Legislature remained out of session, a minority of subjects of the Hawaiian Kingdom and foreign nationals, which included citizens of the United States, met in a mass meeting to organize a takeover of the political rights of the native population in the Kingdom. These individuals were organized under the name "Honolulu Rifles." On July 1, 1887, these individuals threatened His Majesty King David Kalakaua with bodily harm if he did not accept a new Cabinet Council. On July 7, 1887, a new constitution was forced upon the King by the members of this new cabinet. This new constitution did not obtain the consent nor ratification of the Legislative Assembly who had remained adjourned since October 16, 1886.

Under this so-called constitution deriving itself from the Executive branch and not the Legislative branch, a new Legislature was elected while the lawful Legislature remained out of session. The voters, which for the first time included aliens, had to swear an oath to support the so-called constitution before they could vote. The insurgents used the alien vote to offset the majority vote of the aboriginal Hawaiian population, in order to gain control of the Legislative Assembly, while the so-called 1887 constitution provided the self imposed Cabinet Council to control the Monarch. This new Legislature was not properly constituted under the Constitution of 1864, nor the lawfully executed Session Laws of the Legislative Assembly of the Hawaiian Kingdom.

In spite of the illegal efforts to promulgate this so-called constitution, the 1886 Legislative Assembly did not ratify this so-called constitution pursuant to Article 80 of the 1864 Constitution. Article 80 states "Any amendment or amendments to this Constitution may be proposed in the Legislative Assembly, and if the same shall be agreed to by a majority of the members thereof, such proposed amendment or amendments shall be entered on its journal, with the yeas and nays taken thereon, and referred to the next Legislature which proposed amendment or the next election of Representatives and if in the next Legislature such proposed amendment or amendments shall be agreed to by two-thirds of all members of the Legislative Assembly, and be approved by the King, such amendment or amendments shall become part of the Constitution of this country."

Organized resistance by the native subjects of the country resulted in the creation of the Hawaiian Political Party, also known as the Hui Kalai'aina, who protested against the so-called constitution of 1887. Hui Kalai'aina consistently petitioned His Majesty King David Kalakaua to resort back to the 1864 constitution because it was the legal constitution of the Country.

Notwithstanding the extortion of the so-called constitution of 1887, commonly known as the "bayonet constitution," the Constitution of 1864 and the Session laws of the Legislative Assembly enacted since October 16, 1886, still remain in full force and have legal effect in the Hawaiian Kingdom until today. Article 78, of the Constitution of 1864, provides that all ". laws now in force in this Kingdom, shall continue and remain in full effect, until altered or repealed by the Legislature such parts only excepted as are repugnant to this Constitution. All laws heretofore enacted, or that may hereafter be enacted, which are contrary to this Constitution, shall be null and void."

On January 20, 1891, His Majesty King David Kalakaua passed away in San Francisco, while visiting the United States. His named successor, Lydia Kamaka'eha Dominis, ascended to the office of Constitutional Monarch and was thereafter called Queen Lili'uokalani (pictured left). On January 14, 1893, in an attempt to counter the effects of the so-called constitution of 1887, Her Majesty Queen Lili'uokalani, drafted a new constitution that embodied the principles and wording of the Constitution of 1864. This draft constitution was not Kingdom law, but remained subject to ratification by two-thirds of all members of the legitimate Legislative Assembly, that had been out of session since October 16, 1886.

The revolutionaries who actively participated in the extortion of the so-called 1887 constitution were also the same perpetrators affiliated with the unsuccessful revolution of January 17, 1893. Between 1887 and 1893, the self imposed government officials who were installed under the so-called 1887 constitution became an oligarchy, as they tried to combat the organized resistance within the Kingdom.


Growth of the Ancient Population

The oral traditions of tracking genealogies in ancient Hawai’i was extensively studied by Abraham Fornander, the director of Bishop Museum in Honolulu during the mid 1800’s. Fornander relied on native accounts which suggested that by 1865 there had been 28 generations of Hawaiian royalty. Chronologically his estimates put the first settlement of the islands at around AD 965 – 1065. By the 1920’s radio carbon dating was invented and archaeologists began scouring the islands for samples to test. On the southern tip of the Big Island of Hawai’i is a large complex of ancient ruins called South Point. It was here in a low lying sand dune that hundreds of bone fishhooks were excavated and some were carbon dated to AD 450.

The legends of the Hawaiians were preserved with marvelous integrity. Their historians were the priests, who at intervals met in council and recited and compared their genealogical meles (chants), in order that nothing might be either changed or lost.

The Keanae Peninsula on Maui’s eastern coastline along the road to Hana is said to have been man made in ancient times with dirt hauled down from the valley above to create flat fertile farmland. This farmland of taro fields can still be seen today. It is one of the finest examples of ancient Hawaiian ingenuity to be found in the islands.

Similar testing around Haleakala’s shorelines, especially the Kahikinui area on the Kaupo side and the Kipahulu area located in Haleakala National Park’s eastern perimeter near Hana, produced dates closer to AD 1000. This doesn’t necessarily mean Polynesians were not on Maui earlier, it’s just that there has been little evidence found to date showing established settlements within an earlier timeframe.


The Islands Were Formed by Volcanoes

The Hawaiian Islands were formed by undersea volcanic activity from what is known as a hotspot. As the Earth's tectonic plates in the Pacific Ocean moved over millions of years, the hotspot remained stationary creating new islands in the chain. As a result of the hotspot, all of the islands were once volcanic, today, however, only the Big Island is active because it is located the closest to the hotspot. The oldest of the main islands is Kauai and it is located the farthest from the hotspot. A new island, called the Loihi Seamount, is also forming off the south coast of the Big Island.


Fatos rápidos

Capital: Honolulu
State Nickname: Aloha State
Islands: Ni’ihau, Kaua’i, O’ahu, Moloka’i, Lana’i, Mau’i, Kaho’olawe, Hawai’i
População: 1,285,498 residents
Localização: Pacific Ocean, approximately 2,400 miles southwest of California.
Area: 6,470 square miles, extending over 1,576 square miles of ocean.
Tempo: Hawaiian-Aleutian Time Zone does not observe daylight savings
Clima: Suptropical


Assista o vídeo: OFFICIAL Somewhere over the Rainbow - Israel IZ Kamakawiwoʻole (Dezembro 2021).