Notícia

Turquia II YMS-444 - História

Turquia II YMS-444 - História

Turquia II

(YMS 444: dp. 320; 1. 136 '; b. 24'6 "; dr. 8' (média); s. 14 k .; cpl. 33; a. 13", 2 20 mm., 2. 50-car. Mg., 2 dct., 2 dep.; Cl. YMS-1)

A segunda Turquia foi estabelecida como YMS-444 em 16 de novembro de 1943 em Kingston. N.Y., por C. Hiltebrant Dry Dock Co., Inc .; lançado em 20 de julho de 1944; e comissionado em 26 de dezembro de 1944, o tenente George H. H. Huey, USNR, no comando.

YMS-444 completou o ajuste em Nova York e, em janeiro de 1945, fez uma viagem de shakedown a Little Creek. Em 6 de fevereiro, ela chegou a Norfolk e lá permaneceu enquanto os membros de sua tripulação frequentavam a Escola de Combate a Incêndios. Então, no final de fevereiro, ela voltou para Nova York. Em março, o caça-minas motorizado auxiliar começou a operar em Tompkinsville,

Em 20 de julho, ela partiu de Nova York e, após uma escala em Miami, navegou pelo Canal do Panamá até a costa da Califórnia, chegando a Los Angeles em 8 de setembro. No dia 17, ela traçou seu curso para o oeste em direção a Pearl Harbor e Marshalls. Embora a guerra tivesse acabado quando o YMS-444 chegou ao Pacífico, ainda havia tarefas enormes para os caça-minas. YMS-444 exerceu suas funções operando fora de Saipan e Eniwetok em outubro de 1945. Em novembro, ela mudou-se para Ryukyus e Japão, varrendo minas nas áreas de KyushuKorea e Honshu, e permaneceu em águas japonesas até o ano novo.

Em 24 de fevereiro de 1946, ela partiu de Kure e traçou seu curso, via Marianas e Marshalls, para Pearl Harbor e a Califórnia. Depois de uma pausa em San Pedro em abril, ela partiu para a Zona do Canal no dia 27. Foi em 6 de junho que ela deixou a Zona do Canal e rumou, via Charleston, para Nova York. Ela foi desativada em 30 de agosto de 1946 e permaneceu no 3º Distrito Naval como um navio de treinamento da Reserva Naval.

Nos seis anos seguintes, o YMS-444 operou nos portos de Nova York e nos Grandes Lagos. Em 1 de setembro de 1947, ela foi nomeada Turquia e redesignado um caça-minas motorizado (AMS-56). Foi colocada em comissão, na reserva, em abril de 1950, e voltou à ativa em 21 de novembro.

A Turquia voltou ao Atlântico em março de 1952 e foi designada para servir nas Forças Mineiras, Frota do Atlântico, em agosto. Durante os quatro anos seguintes, ela operou em portos da costa leste com viagens ocasionais para o Caribe. Em 7 de fevereiro de 1955, ela foi reclassificada como um antigo caça-minas costeiro MSC (0) -56. Ela chegou a Charleston em 9 de novembro de 1956 e foi desativada lá em 23 de novembro de 1956. Então, em 1 de maio de 1957, ela partiu de Charleston, navegou via Nova York, Halifax e Montreal, e relatou ao Comandante, 4o Distrito Naval, Toledo, Ohio, em 27 de maio de 1957.

Em 1960, a Turquia foi transferida para o 1º Distrito Naval para continuar como navio de treinamento da Reserva. Como tal, ela operou em Fall River, Massachusetts, até ~ setembro de 1968, quando foi substituída como navio de treinamento por Jacana (MSC 193). Seu nome foi retirado da lista da Marinha em outubro de 1968 e ela foi vendida em agosto de 1969.


HMS BYMS-2203 (J1003)

HMS BYMS-2203 (J 1003) [1] foi um YMS-1caça-minas com motor auxiliar de classe elevada originalmente construído para a Marinha dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Após a conclusão, ela foi transferida para a Marinha Real sob Lend-Lease. Ela foi devolvida à Marinha dos Estados Unidos após o fim da guerra e atacada logo depois. Ela nunca foi comissionada na Marinha dos Estados Unidos.

Ela foi deitada em 15 de janeiro de 1942 como YMS-203 pela Hiltebrant Dry Dock Co. de Kingston, Nova York. Ela foi lançada em 15 de janeiro de 1943 e entregue em 31 de agosto de 1943 e transferida para a Marinha Real como BYMS-2203. [1]

Pouco se sabe de seu histórico de guerra. Ela navegou do Reino Unido para Malta como parte do Convoy KMS 43 em 11 de dezembro de 1943, [3] e, pelo menos por um tempo, ela serviu no Pacífico. [2] Depois de USS Bangust (DE-739) já havia atacado um alvo submarino a 60 milhas (97 km) de Roi em junho de 1944, BYMS-2203 USS assistido Greiner, USS SC-1364, e BYMS-2282 em busca de um submarino japonês RO-11, embora, desconhecido na época, BangustO ataque já havia sido bem sucedido. [4]


Turquia II YMS-444 - História

  • 1600 - O Império Hitita se forma na Turquia, também conhecido como Anatólia.
  • 1274 - Os hititas lutam contra o exército egípcio sob o comando de Ramsés II na Batalha de Cades.
  • 1250 - Data tradicional para a Guerra de Tróia, travada no noroeste da Turquia.
  • 1180 - O Império Hitita entra em colapso e se divide em vários estados menores.
  • 1100 - Os gregos começam a se estabelecer ao longo da costa mediterrânea da Turquia.
  • 657 - Colonos gregos estabelecem a cidade de Bizâncio.
  • 546 - Os persas sob a liderança de Ciro, o Grande, assumem grande parte da Anatólia.
  • 334 - Alexandre, o Grande, conquista a Anatólia em seu caminho para a conquista do Império Persa.
  • 130 - A Anatólia passa a fazer parte do Império Romano.


  • 47 - São Paulo inicia seu ministério na Turquia, estabelecendo igrejas cristãs em toda a região.
  • 330 - Constantino, o Grande, estabelece a nova capital do Império Romano na cidade de Bizâncio. Ele a chama de Constantinopla.
  • 527 - Justiniano I torna-se imperador de Bizâncio. Esta é a época de ouro do Império Bizantino.
  • 537 - A Catedral de Hagia Sophia é concluída.
  • 1071 - Os turcos seljúcidas derrotam o exército de Bizâncio na Batalha de Manzikert. Os turcos ganham controle sobre grande parte da Anatólia.
  • 1299 - O Império Otomano é fundado por Osman I.
  • 1453 - Os otomanos conquistam Constantinopla, pondo fim ao Império Bizantino.


Os otomanos conquistam Constantinopla



Breve Visão Geral da História da Turquia

A Turquia está localizada na encruzilhada entre a Europa e a Ásia. Isso a tornou uma terra importante ao longo da história mundial. A cidade de Tróia, que ficou famosa na literatura grega, estava localizada na costa turca há milhares de anos. O primeiro grande império a se formar na terra foi o império hitita. Os hititas foram seguidos pelos assírios e depois pelos gregos, que começaram a se estabelecer na área por volta de 1100 aC. Os gregos fundaram muitas cidades na área, incluindo Bizâncio, que mais tarde seria Constantinopla e hoje é Istambul. Mais impérios vieram, incluindo o Império Persa, Alexandre o Grande e o Império Romano.

Em 330, Bizâncio tornou-se a nova capital do Império Romano sob o imperador romano Constantino I. A cidade foi rebatizada de Constantinopla. Ela se tornou a capital de Bizâncio por centenas de anos.

No século 11, os turcos começaram a migrar para a terra. Os árabes e o sultanato seljúcida conquistaram grande parte da terra. No século 13, o Império Otomano surgiu. Ele se tornaria o império mais poderoso da área e governaria por 700 anos.


Após a Primeira Guerra Mundial, o Império Otomano entrou em colapso. No entanto, o herói de guerra turco Mustafa Kemal fundou a República da Turquia em 1923. Ele ficou conhecido como Ataturk, que significa pai dos turcos.

Após a Segunda Guerra Mundial, quando a União Soviética começou a exigir bases militares na Turquia, os Estados Unidos declararam a Doutrina Truman. O objetivo principal era garantir a segurança e a independência da Turquia e da Grécia.


Cristianismo na Turquia

Visto que até 98 por cento da população são muçulmanos, os cristãos são uma religião minoritária na Turquia. Por ser um país laico, único país muçulmano no mundo que não tem religião de Estado, a Constituição garante a liberdade religiosa e a tolerância é a regra. A população inclui membros das igrejas Apostólica Armênia e Ortodoxa Grega, Católicos Romanos e Orientais e Judeus. Hoje, cerca de 120.000 cristãos e 26.000 judeus vivem na Turquia, de quase 80 milhões da população total.

Após a crucificação de Jesus Cristo, muitos dos primeiros Cristãos, escapando das perseguições em Jerusalém, veio para a Ásia Menor e se estabeleceu em diferentes cidades como Éfeso, Hierápolis e Capadócia. São Paulo pregou em Perge, Konya, Derbe, Listra, Psidian Antioquia e Éfeso, onde escreveu sua Carta aos Efésios). São João ficou um tempo em Éfeso junto com a Virgem Maria e, depois que voltou de Patmos, onde estava exilado, morreu em Éfeso. São Pedro se estabeleceu em Antioquia e construiu a primeira igreja cristã esculpida em uma caverna. São Filipe se estabeleceu em Hierápolis, mas foi assassinado junto com sua família pelos romanos.

O Cristianismo foi declarado como religião oficial em 380 DC, durante o reinado de Teodósio I, e a destruição dos templos pagãos foi legalizada. Mesmo assim, durante a era bizantina, o cristianismo teve grandes altos e baixos em popularidade. Muitos acharam o caminho para a piedade confuso e os cismas variados entre a Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa Bizantina certamente não simplificavam as coisas. Durante o período otomano, o imposto "Dhimmi" foi implementado, cobrando 50% dos ganhos dos não-muçulmanos, em vez de uma pequena quantia dos crentes muçulmanos. O resultado foi que um grande número de camponeses converteram sua fé ao Islã. O Islã também foi um caminho relativamente simples de seguir - professar fé em Um Deus e na missão do Profeta Muhammed e seguir os Cinco Pilares da Fé.

Gradualmente, o cristianismo na Anatólia se desintegrou, de modo que, quando os otomanos islâmicos finalmente conquistaram o Império Bizantino, era inevitável que o que havia sido uma região predominantemente cristã não existisse mais.

Outro fato importante para os cristãos é que os primeiros concílios ecumênicos foram feitos em Nicea (hoje Iznik), na região de Mármara, na Turquia, entre Bursa e Istambul.


Turquia II YMS-444 - História

Cronograma de Eventos
1941-1945

1941

7 de dezembro de 1941 - os japoneses bombardearam Pearl Harbor, no Havaí, e também atacaram as Filipinas, a Ilha Wake, Guam, Malásia, Tailândia, Xangai e Midway.
8 de dezembro de 1941 - EUA e Grã-Bretanha declaram guerra ao Japão. Os japoneses pousam perto de Cingapura e entram na Tailândia.
9 de dezembro de 1941 - a China declara guerra ao Japão.
10 de dezembro de 1941 - os japoneses invadem as Filipinas e também apreendem Guam.
11 de dezembro de 1941 - os japoneses invadem a Birmânia.
15 de dezembro de 1941 - Primeiro navio mercante japonês naufragado por um submarino dos EUA.
16 de dezembro de 1941 - os japoneses invadem o Bornéu britânico.
18 de dezembro de 1941 - os japoneses invadem Hong Kong.
22 de dezembro de 1941 - os japoneses invadem Luzon nas Filipinas.
23 de dezembro de 1941 - o general Douglas MacArthur inicia uma retirada de Manila para os japoneses de Bataan tomarem a Ilha Wake.
25 de dezembro de 1941 - rendição britânica em Hong Kong.
26 de dezembro de 1941 - Manila declarou uma cidade aberta.
27 de dezembro de 1941 - os japoneses bombardeiam Manila.

1942

Mapa do Império Japonês em seu pico em 1942.

2 de janeiro de 1942 - Manila e a base naval dos EUA em Cavite são capturadas pelos japoneses.
7 de janeiro de 1942 - os japoneses atacam Bataan nas Filipinas.
11 de janeiro de 1942 - os japoneses invadem as Índias Orientais Holandesas e o Bornéu holandês.
16 de janeiro de 1942 - os japoneses iniciam um avanço na Birmânia.
18 de janeiro de 1942 - Acordo militar alemão-japonês-italiano assinado em Berlim.
19 de janeiro de 1942 - os japoneses tomam Bornéu do Norte.
23 de janeiro de 1942 - os japoneses tomam Rabaul na Nova Bretanha nas Ilhas Salomão e também invadem Bougainville, a maior ilha.
27 de janeiro de 1942 - Primeiro navio de guerra japonês afundado por um submarino dos EUA.
30/31 de janeiro - Os britânicos se retiram para Cingapura. O cerco de Cingapura então começa.
1 de fevereiro de 1942 - Primeira ofensiva de porta-aviões dos EUA na guerra, quando YORKTOWN e ENTERPRISE conduzem ataques aéreos em bases japonesas nas Ilhas Gilbert e Marshall.
2 de fevereiro de 1942 - os japoneses invadem Java nas Índias Orientais Holandesas.
8/9 de fevereiro - os japoneses invadem Cingapura.
14 de fevereiro de 1942 - os japoneses invadem Sumatra nas Índias Orientais Holandesas.
15 de fevereiro de 1942 - rendição britânica em Cingapura.
19 de fevereiro de 1942 - O maior ataque aéreo japonês desde Pearl Harbor ocorre contra Darwin, Austrália. Os japoneses invadem Bali.
20 de fevereiro de 1942 - Primeiro lutador da guerra dos EUA, o tenente Edward O'Hare do LEXINGTON em ação ao largo de Rabaul.
22 de fevereiro de 1942 - o presidente Franklin D. Roosevelt ordena que o general MacArthur saia das Filipinas.
23 de fevereiro de 1942 - Primeiro ataque japonês ao continente dos EUA quando um submarino invade uma refinaria de petróleo perto de Santa Bárbara, Califórnia.
24 de fevereiro de 1942 - ENTERPRISE ataca japoneses na Ilha Wake.
26 de fevereiro de 1942 - O primeiro porta-aviões dos EUA, o LANGLEY, é afundado por bombardeiros japoneses.
27 de fevereiro a 1º de março - a vitória naval japonesa na Batalha do Mar de Java como o maior navio de guerra dos EUA no Extremo Oriente, o HOUSTON, é afundada.
4 de março de 1942 - Dois barcos voadores japoneses bombardeiam o Pearl Harbor ENTERPRISE e ataca a Ilha Marcus, a apenas 1.600 quilômetros do Japão.
7 de março de 1942 - os britânicos evacuam Rangoon na Birmânia. Os japoneses invadem Salamaua e Lae na Nova Guiné.
8 de março de 1942 - Os holandeses em Java se rendem aos japoneses.
11 de março de 1942 - o general MacArthur deixa o Corregidor e é levado de avião para a Austrália. O general Jonathan Wainwright se torna o novo comandante dos EUA.
18 de março de 1942 - o general MacArthur nomeado comandante do Southwest Pacific Theatre pelo presidente Roosevelt.
18 de março de 1942 - War Relocation Authority estabelecida nos EUA, que eventualmente irá reunir 120.000 nipo-americanos e transportá-los para centros de realocação com arame farpado. Apesar do internamento, mais de 17.000 nipo-americanos se inscreveram e lutaram pelos EUA na Segunda Guerra Mundial na Europa, incluindo a 442ª Equipe de Combate Regimental, a unidade mais condecorada da história dos EUA.
23 de março de 1942 - os japoneses invadem as ilhas Andaman na Baía de Bengala.
24 de março de 1942 - o almirante Chester Nimitz é nomeado comandante-chefe do teatro do Pacífico dos EUA.
3 de abril de 1942 - os japoneses atacam as tropas americanas e filipinas em Bataan.
6 de abril de 1942 - As primeiras tropas dos EUA chegam à Austrália.
9 de abril de 1942 - As forças dos EUA em Bataan se rendem incondicionalmente aos japoneses.
10 de abril de 1942 - A Marcha da Morte de Bataan começa quando 76.000 prisioneiros de guerra aliados, incluindo 12.000 americanos, são forçados a caminhar 60 milhas sob um sol escaldante sem comida ou água em direção a um novo campo de prisioneiros de guerra, resultando em mais de 5.000 mortes de americanos.
18 de abril de 1942 - Surpresa "Doolittle" B-25 dos Estados Unidos, um ataque aéreo do HORNET contra Tóquio aumenta o moral dos Aliados.
29 de abril de 1942 - os japoneses tomam o centro da Birmânia.
1º de maio de 1942 - os japoneses ocupam Mandalay na Birmânia.
3 de maio de 1942 - os japoneses tomam Tulagi nas Ilhas Salomão.
5 de maio de 1942 - os japoneses se preparam para invadir Midway e as ilhas Aleutas.
6 de maio de 1942 - os japoneses tomam o Corregidor enquanto o general Wainwright entrega incondicionalmente todas as forças dos EUA e das Filipinas nas Filipinas.
7 a 8 de maio de 1942 - o Japão sofre sua primeira derrota na guerra durante a Batalha do Mar de Coral, na costa da Nova Guiné - a primeira vez na história que duas forças de porta-aviões opostas lutaram apenas usando aeronaves sem que os navios adversários se avistassem.
12 de maio de 1942 - As últimas tropas americanas resistindo nas Filipinas rendem-se em Mindanao.
20 de maio de 1942 - os japoneses concluem a captura da Birmânia e chegam à Índia.
4 a 5 de junho de 1942 - ponto de virada na guerra ocorre com uma vitória decisiva dos EUA contra o Japão na Batalha de Midway, enquanto esquadrões de aviões torpedeiros e bombardeiros de mergulho da ENTERPRISE, HORNET e YORKTOWN atacam e destroem quatro porta-aviões japoneses, um cruzador e danificará outro cruzador e dois contratorpedeiros. EUA perde YORKTOWN.
7 de junho de 1942 - os japoneses invadem as ilhas Aleutas.
9 de junho de 1942 - os japoneses adiam novos planos de conquistar a Midway.
21 de julho de 1942 - tropas terrestres japonesas perto de Gona, na Nova Guiné.
7 de agosto de 1942 - O primeiro desembarque anfíbio dos EUA da Guerra do Pacífico ocorre quando a 1ª Divisão da Marinha invade Tulagi e Guadalcanal nas Ilhas Salomão.
8 de agosto de 1942 - os fuzileiros navais dos EUA tomam o campo de aviação inacabado em Guadalcanal e o batizam de Campo de Henderson em homenagem ao Maj. Lofton Henderson, um herói de Midway.
8/9 de agosto - Um grande desastre naval dos EUA na Ilha Savo, ao norte de Guadalcanal, quando oito navios de guerra japoneses empreendem um ataque noturno e afundam três cruzadores pesados ​​dos EUA, um cruzador australiano e um destruidor dos EUA, tudo em menos de uma hora. Outro cruzador norte-americano e dois contratorpedeiros são danificados. Mais de 1.500 tripulantes aliados estão perdidos.
17 de agosto de 1942 - 122 invasores da Marinha dos EUA, transportados por submarino, atacam o Atol de Makin nas Ilhas Gilbert.
21 de agosto de 1942 - Fuzileiros navais dos EUA repelem o primeiro grande ataque terrestre japonês a Guadalcanal.
24 de agosto de 1942 - Porta-aviões norte-americanos e japoneses se encontram na Batalha das Ilhas Salomão Orientais, resultando em uma derrota japonesa.
29 de agosto de 1942 - A Cruz Vermelha anuncia que o Japão se recusa a permitir a passagem segura de navios contendo suprimentos para prisioneiros de guerra dos EUA.
30 de agosto de 1942 - Tropas dos EUA invadem a Ilha Adak nas Ilhas Aleutas.
9/10 de setembro - Um hidroavião japonês voa em duas missões, lançando bombas incendiárias nas florestas dos EUA no estado de Oregon - o único bombardeio do território continental dos EUA durante a guerra. Os jornais dos EUA retêm voluntariamente essas informações.
12 a 14 de setembro - Batalha de Bloody Ridge em Guadalcanal.
15 de setembro de 1942 - Um ataque de torpedo de submarino japonês perto das Ilhas Salomão resulta no naufrágio do Carrier WASP, Destroyer O'BRIEN e danos ao Encouraçado NORTH CAROLINA.
27 de setembro de 1942 - Ofensiva britânica na Birmânia.
11/12 de outubro - Cruzadores e contratorpedeiros norte-americanos derrotam uma força-tarefa japonesa na Batalha de Cabo Esperance ao largo de Guadalcanal.
13 de outubro de 1942 - As primeiras tropas do Exército dos EUA, o 164º Regimento de Infantaria, pousam em Guadalcanal.
14/15 de outubro - Os japoneses bombardeiam o Campo de Henderson à noite de navios de guerra, em seguida, enviam tropas em terra em Guadalcanal pela manhã quando os aviões dos EUA atacam.
15/17 de outubro - Os japoneses bombardeiam o Campo de Henderson à noite novamente de navios de guerra.
18 de outubro de 1942 - o vice-almirante William F. Halsey é nomeado o novo comandante da Área do Pacífico Sul, encarregado da campanha das Salomão-Nova Guiné.
26 de outubro de 1942 - Batalha de Santa Cruz ao largo de Guadalcanal entre navios de guerra americanos e japoneses resulta na perda do portador HORNET.
14/15 de novembro - Navios de guerra norte-americanos e japoneses se chocam novamente ao largo de Guadalcanal, resultando no naufrágio do cruzador norte-americano JUNEAU e na morte de cinco irmãos Sullivan.
23/24 de novembro - ataque aéreo japonês a Darwin, Austrália.
30 de novembro - Batalha de Tasafaronga ao largo de Guadalcanal.
2 de dezembro de 1942 - Enrico Fermi conduz o primeiro teste de reação em cadeia nuclear do mundo na Universidade de Chicago.
20 a 24 de dezembro - ataques aéreos japoneses em Calcutá, Índia.
31 de dezembro de 1942 - O imperador Hirohito do Japão dá permissão às suas tropas para se retirarem de Guadalcanal após cinco meses de combates sangrentos contra as Forças dos EUA

1943

2 de janeiro de 1943 - Aliados tomam Buna na Nova Guiné.
22 de janeiro de 1943 - os aliados derrotam os japoneses em Sanananda, na Nova Guiné.
1 ° de fevereiro de 1943 - os japoneses começam a evacuar Guadalcanal.
8 de fevereiro de 1943 - Forças anglo-indianas iniciam operações de guerrilha contra japoneses na Birmânia.
9 de fevereiro de 1943 - termina a resistência japonesa em Guadalcanal.
2 a 4 de março - vitória dos EUA sobre os japoneses na batalha do mar de Bismarck.
18 de abril de 1943 - decifradores do código dos EUA identificam a localização do almirante japonês Yamamoto voando em um bombardeiro japonês perto de Bougainville, nas Ilhas Salomão. Dezoito caças P-38 localizam e abatem Yamamoto.
21 de abril de 1943 - o presidente Roosevelt anuncia que os japoneses executaram vários aviadores do ataque a Doolittle.
22 de abril de 1943 - o Japão anuncia que os pilotos aliados capturados receberão & quot com passagens de ida para o inferno & quot;
10 de maio de 1943 - Tropas dos EUA invadem Attu nas Ilhas Aleutas.
14 de maio de 1943 - Um submarino japonês afunda o navio-hospital australiano CENTAUR, resultando em 299 mortos.
31 de maio de 1943 - os japoneses encerram sua ocupação das Ilhas Aleutas quando os EUA concluem a captura de Attu.
1 ° de junho de 1943 - os EUA começam a guerra submarina contra a navegação japonesa.
21 de junho de 1943 - Aliados avançam para a Nova Geórgia, Ilhas Salomão.
8 de julho de 1943 - Libertadores B-24 voando de Midway bombardeando japoneses na Ilha Wake.
1/2 de agosto - Um grupo de 15 barcos do PT dos EUA tenta bloquear comboios japoneses ao sul da Ilha de Kolombangra, nas Ilhas Salomão. O PT-109, comandado pelo tenente John F. Kennedy, é atingido e afundado pelo cruzador japonês AMAGIRI, matando dois e ferindo gravemente outros. A tripulação sobrevive enquanto Kennedy ajuda um homem gravemente ferido ao rebocá-lo para um atol próximo.
6/7 de agosto de 1943 - Batalha do Golfo de Vella nas Ilhas Salomão.
25 de agosto de 1943 - os aliados completam a ocupação da Nova Geórgia.
4 de setembro de 1943 - os aliados recapturam Lae-Salamaua, na Nova Guiné.
7 de outubro de 1943 - os japoneses executam aproximadamente 100 prisioneiros de guerra americanos na Ilha Wake.
26 de outubro de 1943 - O imperador Hirohito afirma que a situação de seu país agora é "verdadeiramente grave".
1 de novembro de 1943 - Fuzileiros navais dos EUA invadem Bougainville nas Ilhas Salomão.
2 de novembro de 1943 - Batalha da Baía da Imperatriz Augusta.
20 de novembro de 1943 - Tropas americanas invadem Makin e Tarawa nas Ilhas Gilbert.
23 de novembro de 1943 - os japoneses acabam com a resistência em Makin e Tarawa.
15 de dezembro de 1943 - Tropas dos EUA pousam na Península Arawe da Nova Grã-Bretanha nas Ilhas Salomão.
26 de dezembro de 1943 - Assalto total dos Aliados à Nova Grã-Bretanha quando os fuzileiros navais da 1ª Divisão invadem o Cabo Gloucester.

1944

9 de janeiro de 1944 - as tropas britânicas e indianas recapturam Maungdaw na Birmânia.
31 de janeiro de 1944 - As tropas dos EUA invadem Kwajalein nas Ilhas Marshall.
1 a 7 de fevereiro de 1944 - As tropas dos EUA capturam os Atóis Kwajalein e Majura nas Ilhas Marshall.
17/18 de fevereiro - aviões baseados na U.S. Carrier destroem a base naval japonesa em Truk, nas Ilhas Carolinas.
20 de fevereiro de 1944 - Aviões baseados na U.S. Carrier e em terra destroem a base japonesa em Rabaul.
23 de fevereiro de 1944 - Aviões com base na U.S. Carrier atacam as Ilhas Marianas.
24 de fevereiro de 1944 - os Marotos do Merrill começam uma campanha terrestre no norte da Birmânia.
5 de março de 1944 - os grupos do general Wingate começam a operar atrás das linhas japonesas na Birmânia.
15 de março de 1944 - os japoneses começam a ofensiva contra Imphal e Kohima.
17 de abril de 1944 - os japoneses começam sua última ofensiva na China, atacando bases aéreas dos EUA no leste da China.
22 de abril de 1944 - Aliados invadem Aitape e Hollandia na Nova Guiné.
27 de maio de 1944 - Aliados invadem a Ilha de Biak, Nova Guiné.
5 de junho de 1944 - A primeira missão dos bombardeiros B-29 Superfortress ocorre quando 77 aviões bombardeiam as instalações ferroviárias japonesas em Bangkok, Tailândia.
15 de junho de 1944 - Fuzileiros navais dos EUA invadem Saipan nas Ilhas Marianas.
15/16 de junho - O primeiro bombardeio contra o Japão desde o ataque Doolittle de abril de 1942, quando 47 B-29s baseados em Bengel, Índia, visam a siderurgia em Yawata.
19 de junho de 1944 - O & quotMarianas Turkey Shoot & quot ocorre quando caças da U.S. Carrier abatem 220 aviões japoneses, enquanto apenas 20 aviões americanos são perdidos.
8 de julho de 1944 - os japoneses se retiram de Imphal.
19 de julho de 1944 - Fuzileiros navais dos EUA invadem Guam nas Marianas.
24 de julho de 1944 - Fuzileiros navais dos EUA invadem Tinian.
27 de julho de 1944 - As tropas americanas concluem a libertação de Guam.
3 de agosto de 1944 - as tropas americanas e chinesas tomam Myitkyina após um cerco de dois meses.
8 de agosto de 1944 - Tropas americanas concluem a captura das Ilhas Marianas.
15 de setembro de 1944 - Tropas americanas invadem Morotai e os Paulaus.
11 de outubro de 1944 - Ataques aéreos dos EUA contra Okinawa.
18 de outubro de 1944 - Quatorze B-29s baseados no ataque das Marianas à base japonesa de Truk.
20 de outubro de 1944 - o Sexto Exército dos EUA invade Leyte nas Filipinas.
23 a 26 de outubro - Batalha do Golfo de Leyte resulta em uma vitória naval dos EUA decisiva.
25 de outubro de 1944 - Os primeiros ataques suicidas aéreos (Kamikaze) ocorrem contra navios de guerra dos EUA no Golfo de Leyte. Ao final da guerra, o Japão terá enviado cerca de 2.257 aeronaves. “A única arma que eu temia na guerra”, dirá o almirante Halsey mais tarde.
11 de novembro de 1944 - Iwo Jima é bombardeado pela Marinha dos Estados Unidos.
24 de novembro de 1944 - Vinte e quatro B-29 bombardeiam a fábrica de aeronaves Nakajima, perto de Tóquio.
15 de dezembro de 1944 - Tropas americanas invadem Mindoro, nas Filipinas.
17 de dezembro de 1944 - A Força Aérea do Exército dos EUA começa os preparativos para lançar a bomba atômica, estabelecendo o 509º Grupo Composto para operar os B-29s que lançarão a bomba.

1945

3 de janeiro de 1945 - o general MacArthur é colocado no comando de todas as forças terrestres dos EUA e o almirante Nimitz no comando de todas as forças navais em preparação para os ataques planejados contra Iwo Jima, Okinawa e o próprio Japão.
4 de janeiro de 1945 - os britânicos ocupam Akyab na Birmânia.
9 de janeiro de 1945 - o Sexto Exército dos EUA invade o Golfo de Lingayen em Luzon, nas Filipinas.
11 de janeiro de 1945 - Ataque aéreo contra bases japonesas na Indochina por aviões da companhia aérea norte-americana.
28 de janeiro de 1945 - A estrada da Birmânia é reaberta.
3 de fevereiro de 1945 - o Sexto Exército dos EUA ataca japoneses em Manila.
16 de fevereiro de 1945 - Tropas dos EUA recapturam Bataan nas Filipinas.
19 de fevereiro de 1945 - Fuzileiros navais dos EUA invadem Iwo Jima.
1 de março de 1945 - Um submarino dos EUA afunda um navio mercante japonês carregado com suprimentos para prisioneiros de guerra aliados, resultando em uma corte marcial para o capitão do submarino, uma vez que o navio havia recebido passagem segura pelo governo dos EUA.
2 de março de 1945 - Tropas aerotransportadas dos EUA recapturam Corregidor nas Filipinas.
3 de março de 1945 - Tropas americanas e filipinas tomam Manila.
9/10 de março - Quinze milhas quadradas de Tóquio entram em erupção em chamas após ser bombardeada por 279 B-29s.
10 de março de 1945 - Oitavo Exército dos EUA invade a Península de Zamboanga em Mindanao, nas Filipinas.
20 de março de 1945 - as tropas britânicas libertam Mandalay, Birmânia.
27 de março de 1945 - B-29s colocam minas no estreito de Shimonoseki, no Japão, para interromper o transporte.
1º de abril de 1945 - O desembarque anfíbio final da guerra ocorre quando o Décimo Exército dos EUA invade Okinawa.
7 de abril de 1945 - B-29s voam sua primeira missão com escolta de caças contra o Japão com P-51 Mustangs baseados em Iwo Jima.
12 de abril de 1945 - morre o presidente Roosevelt, sucedido por Harry S. Truman.
8 de maio de 1945 - Dia da Vitória na Europa.
20 de maio de 1945 - os japoneses iniciam a retirada da China.
25 de maio de 1945 - O Estado-Maior Conjunto dos EUA aprova a Operação Olímpica, a invasão do Japão, marcada para 1º de novembro.
9 de junho de 1945 - o primeiro-ministro japonês Suzuki anuncia que o Japão lutará até o fim, em vez de aceitar a rendição incondicional.
18 de junho de 1945 - A resistência japonesa termina em Mindanao, nas Filipinas.
22 de junho de 1945 - A resistência japonesa termina em Okinawa quando o Décimo Exército dos EUA conclui sua captura.
28 de junho de 1945 - o quartel-general de MacArthur anuncia o fim de toda a resistência japonesa nas Filipinas.
5 de julho de 1945 - é declarada a libertação das Filipinas.
10 de julho de 1945 - início de 1.000 ataques de bombardeiros contra o Japão.
14 de julho de 1945 - O primeiro bombardeio naval dos EUA às ilhas japonesas.
16 de julho de 1945 - a primeira bomba atômica é testada com sucesso nos EUA.
26 de julho de 1945 - Componentes da bomba atômica & quotLittle Boy & quot são descarregados na Ilha Tinian no Pacífico sul.
29 de julho de 1945 - Um submarino japonês afunda o Cruzador INDIANAPOLIS resultando na perda de 881 tripulantes. O navio afunda antes que uma mensagem de rádio possa ser enviada, deixando os sobreviventes à deriva por dois dias.
6 de agosto de 1945 - Primeira bomba atômica lançada em Hiroshima de um B-29 pilotado pelo coronel Paul Tibbets.
8 de agosto de 1945 - U.S.S.R. declara guerra ao Japão e, em seguida, invade a Manchúria.
9 de agosto de 1945 - A segunda bomba atômica é lançada em Nagasaki de um B-29 pilotado pelo Maj. Charles Sweeney - Imperador Hirohito e o Primeiro Ministro japonês Suzuki então decidem buscar uma paz imediata com os Aliados.
14 de agosto de 1945 - os japoneses aceitam a rendição incondicional O general MacArthur é nomeado para chefiar as forças de ocupação no Japão.
16 de agosto de 1945 - o general Wainwright, um prisioneiro de guerra desde 6 de maio de 1942, é libertado de um campo de prisioneiros de guerra na Manchúria.
27 de agosto de 1945 - B-29s enviam suprimentos para prisioneiros de guerra aliados na China.
29 de agosto de 1945 - Os soviéticos derrubam um B-29, lançando suprimentos para prisioneiros de guerra na Coreia. As tropas dos EUA pousam perto de Tóquio para iniciar a ocupação do Japão.
30 de agosto de 1945 - Os britânicos reocupam Hong Kong.
2 de setembro de 1945 - Cerimônia formal de rendição japonesa a bordo do MISSOURI na Baía de Tóquio, enquanto 1.000 aviões transportadores sobrevoam o local. O presidente Truman declara o dia VJ.
3 de setembro de 1945 - O comandante japonês nas Filipinas, general Yamashita, rende-se ao general Wainwright em Baguio.
4 de setembro de 1945 - as tropas japonesas se rendem na Ilha Wake.
5 de setembro de 1945 - os britânicos aterrissam em Cingapura.
8 de setembro de 1945 - MacArthur entra em Tóquio.
9 de setembro de 1945 - rendição de japoneses na Coréia.
13 de setembro de 1945 - rendição japonesa na Birmânia.
24 de outubro de 1945 - nasce as Nações Unidas.

The History Place - Segunda Guerra Mundial no Pacífico - Fotos selecionadas da batalha

Copyright & copy 1999 The History Place & # 153 Todos os direitos reservados

Termos de uso: Casa / escola particular não comercial, não reutilização da Internet é permitida apenas de qualquer texto, gráfico, fotos, clipes de áudio, outros arquivos eletrônicos ou materiais do The History Place.


Genocídio Armênio começa

Em 24 de abril de 1915, o genocídio armênio começou. Naquele dia, o governo turco prendeu e executou várias centenas de intelectuais armênios.

Depois disso, os armênios comuns foram expulsos de suas casas e enviados em marchas da morte pelo deserto da Mesopotâmia sem comida ou água.

Freqüentemente, os manifestantes eram despidos e obrigados a andar sob o sol escaldante até cair mortos. Pessoas que pararam para descansar foram baleadas.

Ao mesmo tempo, os Jovens Turcos criaram uma & # x201C Organização Especial, & # x201D que, por sua vez, organizou & # x201Equadrões de matar & # x201D ou & # x201C batalhões de carniceiros & # x201D para realizar, como disse um oficial, & # x201Ca liquidação de os elementos cristãos. & # x201D

Esses esquadrões de extermínio eram freqüentemente formados por assassinos e outros ex-presidiários. Eles afogaram pessoas em rios, jogaram-nas de penhascos, crucificaram-nas e queimaram-nas vivas. Em pouco tempo, o interior da Turquia estava repleto de cadáveres armênios.

Os registros mostram que durante esta campanha & # x201CTurkification & # x201D, esquadrões do governo também sequestraram crianças, convertendo-as ao Islã e as entregando a famílias turcas. Em alguns lugares, eles estupraram mulheres e as forçaram a ingressar no & # x201Charems & # x201D turcos ou a servir como escravas. Famílias muçulmanas se mudaram para as casas de armênios deportados e confiscaram suas propriedades.

Embora os relatos variem, a maioria das fontes concorda que havia cerca de 2 milhões de armênios no Império Otomano na época do massacre. Em 1922, quando o genocídio acabou, havia apenas 388.000 armênios remanescentes no Império Otomano.

Você sabia? Os meios de comunicação americanos também relutam em usar a palavra & # x201Cgenocídio & # x201D para descrever os crimes da Turquia & # x2019. A frase & # x201Cgenocídio da Romênia & # x201D não apareceu no New York Times até 2004.


Conteúdo

O sultão também era conhecido como o Padixá (Turco otomano: پادشاه, romanizado: pâdişâh, Francês: Padichah) No uso otomano, a palavra "Padisha" era geralmente usada, exceto "sultão" quando ele era nomeado diretamente. [4] Em várias línguas europeias, ele foi referido como o Grand Turk, como o governante dos turcos, [5] ou simplesmente o "Grande Senhor" (il Gran Signore, le grand seigneur) especialmente no século XVI.

    : Em alguns documentos, "Padishah" foi substituído por "malik" ("rei") [4]: ​​Em períodos anteriores, o povo búlgaro o chamava de "czar". A tradução da Constituição otomana de 1876, em vez disso, usou traduções diretas de "sultão" (Sultão) e "padishah" (Padišax) [4]: ​​Em períodos anteriores, os gregos usavam o nome de estilo Império Bizantino "basileus". A tradução da Constituição Otomana de 1876, em vez disso, usou uma transliteração direta de "sultão" (Σουλτάνος Soultanos) e "padishah" (ΠΑΔΙΣΑΧ Padisach) [4]: Especialmente em documentos mais antigos, El Rey ("o rei") foi usado. Além disso, alguns documentos Ladino usados sultão (em caracteres hebraicos: שולטן e סולטן). [4]

O Império Otomano foi uma monarquia absoluta durante grande parte de sua existência. By the second half of the fifteenth century, the sultan sat at the apex of a hierarchical system and acted in political, military, judicial, social, and religious capacities under a variety of titles. [a] He was theoretically responsible only to God and God's law (the Islamic شریعت ‎ şeriat, known in Arabic as شريعة sharia), of which he was the chief executor. His heavenly mandate was reflected in Islamic titles such as "shadow of God on Earth" ( ظل الله في العالم ‎ ẓıll Allāh fī'l-ʿalem) and "caliph of the face of the earth" ( خلیفه روی زمین ‎ Ḫalife-i rū-yi zemīn) [6] All offices were filled by his authority, and every law was issued by him in the form of a decree called firman ( فرمان ‎). He was the supreme military commander and had the official title to all land. [7] Osman (died 1323/4) son of Ertuğrul was the first ruler of the Ottoman state, which during his reign constituted a small principality (Beylik) in the region of Bithynia on the frontier of the Byzantine Empire.

After the conquest of Constantinople in 1453 by Mehmed II, Ottoman sultans came to regard themselves as the successors of the Roman Empire, hence their occasional use of the titles caesar ( قیصر ‎ qayser) of Rûm, and emperor, [6] [8] [9] as well as the caliph of Islam. [b] Newly enthroned Ottoman rulers were girded with the Sword of Osman, an important ceremony that served as the equivalent of European monarchs' coronation. [10] A non-girded sultan was not eligible to have his children included in the line of succession. [11]

Although absolute in theory and in principle, the sultan's powers were limited in practice. Political decisions had to take into account the opinions and attitudes of important members of the dynasty, the bureaucratic and military establishments, as well as religious leaders. [7] Beginning in the last decades of the sixteenth century, the role of the Ottoman sultans in the government of the empire began to decrease, in a period known as the Transformation of the Ottoman Empire. Despite being barred from inheriting the throne, [12] women of the imperial harem—especially the reigning sultan's mother, known as the valide sultan—also played an important behind-the-scenes political role, effectively ruling the empire during the period known as the Sultanate of Women. [13]

Constitutionalism was established during the reign Abdul Hamid II, who thus became the empire's last absolute ruler and its reluctant first constitutional monarch. [14] Although Abdul Hamid II abolished the parliament and the constitution to return to personal rule in 1878, he was again forced in 1908 to reinstall constitutionalism and was deposed. Since 2021, the head of the House of Osman has been Harun Osman, a great-grandson of Abdul Hamid II. [15]

The table below lists Ottoman sultans, as well as the last Ottoman caliph, in chronological order. Continuingly, the tughras were the calligraphic seals or signatures used by Ottoman sultans. They were displayed on all official documents as well as on coins, and were far more important in identifying a sultan than his portrait. The "Notes" column contains information on each sultan's parentage and fate. For earlier rulers, there is usually a time gap between the moment a sultan's reign ended and the moment his successor was enthroned. This is because the Ottomans in that era practiced what historian Quataert has described as "survival of the fittest, not eldest, son": when a sultan died, his sons had to fight each other for the throne until a victor emerged. Because of the infighting and numerous fratricides that occurred, a sultan's death date therefore did not always coincide with the accession date of his successor. [16] In 1617, the law of succession changed from survival of the fittest to a system based on agnatic seniority ( اکبریت ‎ ekberiyet), whereby the throne went to the oldest male of the family. This in turn explains why from the 17th century onwards a deceased sultan was rarely succeeded by his own son, but usually by an uncle or brother. [17] Agnatic seniority was retained until the abolition of the sultanate, despite unsuccessful attempts in the 19th century to replace it with primogeniture. [18] Note that pretenders and co-claimants during the Ottoman Interregnum are also listed here, but they are not included in the formal numbering of sultans.

  • Son of Ertuğrul Bey [20] and an unknown woman. [21]
  • Reigned until his death.
  • Son of Osman I and Malhun Hatun. [21]
  • Reigned until his death. [23]
  • Son of Orhan and Nilüfer Hatun. [21]
  • Reigned until his death.
  • Killed on the battlefield at the Battle of Kosovo on June 15, 1389. [25]
  • Son of Murad I and Gülçiçek Hatun. [21]
  • Captured on the battlefield at the Battle of Ankara against Timur(de fato end of reign)
  • Died in captivity in Akşehir on 8 March 1403. [26]
  • After the Battle of Ankara on July 20, 1402, İsa Çelebi defeated Musa Çelebi and began controlling the western part of Anatolian territory of the empire for approximately two years.
  • Defeated by Mehmed Çelebi in the battle of Ulubat in 1405.
  • Murdered in 1406.
  • Acquired the title of The Sultan of Rumelia for the European portion of the empire, a short period after the Ottoman defeat of The Battle of Ankara on 20 July 1402
  • Murdered on 17 February 1411. [28]
  • Acquired the title of The Sultan of Rumelia for the European portion of the empire [30] on 18 February 1411, just after the death of Süleyman Çelebi.
  • Killed on 5 July 1413 by Mehmed Çelebi’s forces in the battle of Çamurlu Derbent near Samokov in Bulgaria. [31]
  • Acquired the control of the eastern part of the Anatolian territory as the Co-Sultan just after the defeat of the Battle of Ankara on 20 July 1402.
  • Defeated İsa Çelebi in the battle of Ulubat in 1405.
  • Became the sole ruler of the Anatolian territory of the Ottoman Empire upon İsa’s death in 1406.
  • Acquired the title of Ottoman Sultan Mehmed I Khan upon Musa’s death on 5 July 1413.
  • Son of Bayezid I and Devlet Hatun. [21]
  • Reigned until his death. [32]
  • Son of Bayezid I
  • Executed by Murad II
  • Son of Mehmed I and Emine Hatun [21]
  • Abdicated of his own free will in favour of his son Mehmed II. [33]
  • Son of Murad II and Hüma Hatun. [21]
  • Surrendered the throne to his father after having asked him to return to power, along with rising threats from Janissaries. [33]
  • Second reign
  • Forced to return to the throne following a Janissary insurgence [34]
  • Reigned until his death.
  • Second reign in 1453
  • Reigned until his death. [35]
  • Son of Mehmed II and Gülbahar Sultan. [21]
  • Abdicated.
  • Died near Didymoteicho on 26 May 1512. [36]
  • Son of Mehmed II
  • Acquired the title Cem bin Mehmed Han. [37]
  • Died in exile
    in 1516–1517.
  • First Ottoman Caliph
  • Son of Bayezid II and Gülbahar Hatun.
  • Reigned until his death. [38]
  • Son of Selim I and Hafsa Sultan
  • Died of natural causes in his tent during the Siege of Szigetvár in 1566. [39]

Fatih Cyprus (The Conqueror of Cyprus) Sarhoş (The Drunk)


Regulations

Conformity assessment

In accordance with published UK guidance, certain goods bearing the CE mark can continue to be placed on the market in Great Britain until 31 December 2021. This will apply to goods assessed by EU recognised notified bodies, including those based in Turkey.

If mandatory third-party conformity assessment is required for a product and this conformity assessment is performed by a UK based conformity assessment body, the UKCA marking must be affixed. This is because UK based conformity assessment bodies are not recognised by the EU, and are therefore unable to assess conformity for the CE marking.

Conformity assessment and marking requirements will not be changing in Turkey. Any mandatory third-party conformity assessment needs to be conducted by a Turkish recognised notified body.

Regulatory requirements

The UK government has published guidance on:

The regulatory requirements of Turkey have not changed. You need to meet the relevant requirements.


An Ice Cream Truck Jingle's Racist History Has Caught Up To It

With the U.S. Capitol as a backdrop, tourists wait in line to get ice cream from a food truck on the National Mall in Washington.

Back in June, Good Humor ice cream's Instagram account made an unusual departure from the normal items about new frozen treats. Instead, viewers saw a post about the racist history of popular ice cream truck jingles. Notably, "Turkey in the Straw," a melody that — despite a long, racist past — has piped through the speakers of ice cream trucks and into American neighborhoods for decades.

And, Good Humor said, it wanted to do something about it.

That "something" has taken the form of a collaboration between Good Humor and Wu-Tang Clan's singer, musician and producer RZA to create a new jingle. The brand, owned by Unilever, made the announcement on Thursday that it's helping drivers learn about the racist roots of "Turkey in the Straw" and how to replace the music box in the truck that plays it.

Troca de código

Recall That Ice Cream Truck Song? We Have Unpleasant News For You

Good Humor hasn't actually operated any trucks since 1976, explains Russell Lilly, a senior director at the company, but wanted to be "part of the solution."

Code Switch dove into the song's racist history in a blog post by Theodore R. Johnson III back in 2014. As he explained, "Turkey in the Straw" is a 19th century folk song that riffs on an Irish fiddle song, "The (Old) Rose Tree." Depending on the version you listen to, the lyrics change a little bit every time, but are generally nonsensical.

But it wasn't until the advent of traveling minstrel shows that the melody really lodged itself into American pop culture — and the tune acquired racist lyrics. In the 1830s, the minstrel performer George Washington Dixon popularized a song called "Zip C**n," set to the familiar tune and referencing a blackface character who, as Johnson wrote, was "the city-slicker counterpart to the dimwitted, rural blackface character whose name became infamous in 20th century America: Jim Crow."

And as those lyrics make clear, it's a cruel caricature of a free Black man trying to join white society by "dressing in fine clothes and using big words," Johnson wrote. (We won't write out the exact lyrics you can find them for yourself here.)

In 1916, Columbia Records released an even mais racist version, called "N*gger Love A Watermelon Ha! Ha! Ha!," written by vaudeville actor Harry C. Browne. You can listen to it here, if you must, but be warned — it uses the n-word a lot.)

America Reckons With Racial Injustice

Breaking Down The Legacy Of Race In Traditional Music In America

The "Zip C**n" version, as Johnson detailed in a follow-up piece, became a popular song in ice cream parlors in the 1890s. And as ice cream trucks became ubiquitous following World War II, the jingle followed along.

RZA's new jingle is a marked departure from the 19th-century fiddle song. There are no lyrics — instead, bells chime over trap-esque drum beats. Good Humor says it's available to drivers starting this month, so stay tuned: Your next ice cream sandwich might be accompanied by some unexpected RZA beats.


Later Life

Though wooed by filmmakers and advertisers, York was eager to return home to Tennessee. Doing so, he married Gracie Williams that June. Over the next several years, the couple had 10 children, eight of whom survived infancy. A celebrity, York took part in several speaking tours and eagerly sought to improve educational opportunities for area children. This culminated with the opening of the Alvin C. York Agricultural Institute in 1926, which was taken over by the State of Tennessee in 1937.

Though York possessed some political ambitions, these largely proved fruitless. In 1941, York relented and allowed a film to be made of his life. As the conflict in Europe increased in intensity, what had first been planned as a movie about his work to educate children in Tennessee became an overt statement for intervention in World War II. Starring Gary Cooper, who would win his only Academy Award for his portrayal, Sergeant York proved a box office hit. Though he opposed the U.S. entry into World War II prior to Pearl Harbor, York worked to found the Tennessee State Guard in 1941, serving as colonel of the 7th Regiment and became a spokesperson for the Fight for Freedom Committee, counter to Charles Lindbergh's isolationist American First committee.

With the beginning of the war, he attempted to re-enlist but was turned away due to his age and weight. Unable to serve in combat, he instead played a role in war bond and inspection tours. In the years after the war, York was plagued by financial problems and was left incapacitated by a stroke in 1954. He died on September 2, 1964, after suffering a cerebral hemorrhage.


Assista o vídeo: Turquia: história, curiosidades e + (Dezembro 2021).