Notícia

USS Constitution derrota o HMS Guerriere - História

USS Constitution derrota o HMS Guerriere - História

Em 19 de agosto de 1812, a Constituição USS derrotou o HMS Guerriere na costa da Nova Escócia. A batalha durou uma hora e marcou uma grande vitória da Marinha.

.


O primeiro grande encontro naval da Guerra de 1812 ocorreu entre o USS Constitution, comandado pelo Capitão Isaac Hull, e o HMS British Guerriere, comandado pelo Capitão Dacres. Os dois navios foram classificados como fragatas e carregavam armamentos semelhantes. O capitão britânico tinha certeza da vitória e, antes do confronto, teria dito: "Há uma fragata ianque: em quarenta e cinco minutos ela certamente é nossa, leve-a e prometo-lhe quatro meses de pagamento."
À medida que os dois navios se aproximavam, os britânicos mantinham um fogo constante de canhões de longo alcance. O primeiro projétil ricocheteou no casco da Constituição sem causar nenhum dano. Diz-se que ouviu-se um grito "viva - os lados dela são de ferro!" - Assim, o seu nome rapidamente se tornou "Old Ironside". Quando os dois navios estavam separados por 25 pés, Hull deu ordem para abrir fogo. O canhão atingiu o Geurrier com um efeito devastador. Em pouco tempo, todos os mastros do Guerrière caíram e Dacres não teve escolha a não ser se render. Embora a vitória da Constituição militarmente tenha sido um sucesso modesto, seu efeito político foi substancial. Ele solidificou o apoio da Nova Inglaterra ao esforço de guerra e respondeu às más notícias de guerra vindas do front canadense.


Este dia na história: USS Constitution vence HMS Guerriere durante a guerra de 1812

Neste dia da história, 19 de agosto de 1812, o USS Constitution obteve uma vitória bem-sucedida na ação de um único navio contra o HMS Guerriere.

A vitória não foi necessariamente uma grande vitória do ponto de vista militar, considerando que os Estados Unidos tinham uma frota de navios consideravelmente menor em comparação com os 600 navios da Marinha Real, mas a vitória aumentou muito o moral e o patriotismo americano. Então foi uma vitória moral.

Havia falta de apoio público para a guerra antes da batalha, mas depois dela, o apoio aumentou dramaticamente. A vitória também validou o ponto de que os Estados Unidos estavam se tornando uma nação poderosa.

Ambos os navios se prepararam para entrar em ação após avistarem um ao outro por volta das 14h00 e reduziram a vela para & # 8220 vela de combate. & # 8221 Quando a Constituição se aproximou, o capitão James Richard Dacres do HMS Guerriere disparou uma flecha, que ficou aquém do alvo, e então correu contra o vento por três quartos de hora com a Constituição em seu quarto. Dacres bocejou várias vezes para disparar contra a Constituição, mas as laterais do Guerrière eram em sua maioria imprecisas, enquanto os poucos tiros disparados das armas principais da Constituição tiveram pouco efeito.

Depois que uma bala de canhão ricocheteou “inofensivamente” do lado da Constituição, um membro da tripulação gritou “Huzzah! Os lados dela são feitos de ferro! ” Assim que o alcance se aproximou de algumas centenas de metros, o capitão Hull do USS Constitution ordenou que uma vela extra fosse lançada para diminuir a distância rapidamente.

Os Dacres não cumpriram esta manobra e os dois navios começaram a trocar costados laterais a “meio tiro de pistola”, com a Constituição a estibordo e Guerrière a bombordo. Depois de quinze minutos trocando tiros, durante os quais Guerrière sofreu muito mais danos do que a Constituição devido aos canhões maiores e ao casco mais grosso da Constituição & # 8217, o mastro da mezena de Guerrière caiu ao mar a estibordo, agindo como um leme e arrastando o navio por todo o lugar.

Isso permitiu que Constitution ultrapassasse Guerrière, disparando uma rajada de arrasto que derrubou o pátio principal. Hull então cruzou a proa de Guerrière novamente, disparando outro ataque lateral, mas a manobra foi cortada muito perto e o gurupés do Guerrière ficou emaranhado no cordame do mastro da mezena da Constituição. Em ambos os navios, grupos de abordagem foram convocados e os dois lados trocaram tiros de mosquete. O capitão Dacres foi ferido por tiros de mosquete.

Alguns dos artilheiros a bordo do Guerriere atiraram à queima-roupa contra a cabine de popa de Hull, incendiando o navio americano brevemente. Os dois navios bloqueados eventualmente se libertaram. O mastro principal e o mastro principal do Guerriere quebraram no nível do convés, deixando o navio indefeso. Dacres tentou zarpar, mas ele também foi danificado e quebrou. A Constituição, entretanto, correu a favor do vento por vários minutos, reparando os danos ao cordame, antes de mais uma vez usar e bater contra o vento para retornar à batalha.

Enquanto a Constituição se preparava para voltar à ação, o Guerrière disparou na direção oposta à da Constituição, sinalizando uma rendição. Hull ordenou que um barco levasse um tenente ao navio britânico. Quando o tenente embarcou no Guerrière e perguntou se Guerrière estava preparado para se render, o capitão Dacres disse: "Bem, senhor, eu não sei. Nosso mastro de mezena se foi, nossos mastros dianteiro e principal se foram - acho que, de modo geral, você pode dizer que batemos nossa bandeira. ”


Quando a Marinha dos Estados Unidos atingiu a maturidade, mostrando pela primeira vez o que poderia fazer

O suor escorria pelas sobrancelhas de oito marinheiros americanos, seus punhos de nós dos dedos brancos segurando remos compridos. O contramestre berrou para que eles salvassem suas vidas quando o leve apito de uma bala de canhão foi ouvido sobre a comoção atrás deles.

Ele ficou aquém, enviando um pilar de água em direção ao céu, e foi imediatamente respondido por um canhão americano cuspindo fumaça e ferro em troca.

Os marinheiros eram alguns dos muitos homens, selecionados da tripulação do USS Constituição (44 armas e 450 almas), encarregados de puxar a âncora para a frente e soltá-la. Permitindo assim que o grande navio se mova ao longo de uma linha ligada a ele.

Atrás do Constituição rastejar HMS África (64 armas), HMS Éolo (32 armas), HMS Shannon (38 armas), HMS Belvidera (36 armas) e HMS Guerriere (38 armas).

Kedging, molhando as velas e atirando em todas as oportunidades possíveis, os cinco navios do esquadrão inglês avançaram em direção à fragata americana solitária, cuja tripulação lutou desesperadamente para escapar do que eles sabiam ser uma derrota certa.

Após 57 horas de árdua luta, Constituição escorregou abaixo do horizonte, finalmente livre de seus perseguidores. Ela fez o máximo que pôde em direção a Boston, segurança e casa.

A vista do deck durante a perseguição. Esta é provavelmente uma representação de kedging, a tripulação a bordo está preparando a âncora para ser transportada por um dos barcos.

Foi assim que começou a Guerra de 1812 para a tripulação do USS Constituição , uma fragata construída em 1797. Ela era uma das apenas seis fragatas da pequena Marinha dos Estados Unidos, superada em número pela Marinha Real. Constituição e suas irmãs não foram superadas.

Eles foram alguns dos navios mais avançados na água na época, graças ao seu designer Joshua Humphreys.

Ele havia criado um design que era mais fino, mais longo e mais rígido do que qualquer outra coisa no mundo. Isso permitiu que seus navios atingissem velocidades maiores, sem sacrificar o número de canhões carregados ou a força do casco.

Quando a guerra estourou em junho de 1812, esse novo projeto não havia sido testado contra um adversário de igual poder. Em 12 de julho, ela partiu de Annapolis, em uma viagem que garantiria a ela um lugar na memória americana para sempre.

Ela estava procurando por um esquadrão americano liderado pelo Comodoro John Rodgers quando descobriu que os navios dos quais estava se aproximando eram ingleses, iniciando sua fuga violenta. Ela finalmente chegou a Boston em 27 de julho, mas sabia muito bem que aqueles cinco navios ingleses estariam próximos a seu rastro.

Seu capitão, Isaac Hull, conseguiu suprimentos suficientes para uma viagem de seis meses, reabasteceu a água (que eles jogaram ao mar durante a perseguição) e se preparou para zarpar o mais rápido possível.

O grande navio e sua tripulação de 450 homens partiram novamente, em 2 de agosto, com destino às ricas rotas de navegação ao largo de Halifax, na Nova Escócia.

o Constituição em 1803. Suas linhas retas e casco mais grosso e rígido, tornavam-no um excelente veleiro.

Ela vagou pelas águas geladas do Grand Banks, capturando três navios mercantes britânicos. O capitão Hull não tinha certeza se Boston ainda era um porto livre e aberto ou se os britânicos o haviam bloqueado.

Ele não podia arriscar enviar uma tripulação com um navio mercante inglês premiado, apenas para tê-lo recapturado. Cada navio que ele levou teve que ser queimado, uma vez que a tripulação estava segura a bordo Constituição .

Durante o cruzeiro, Constituição quase não encontrou resistência, até que em 18 de agosto, velas foram avistadas ao sul. Ela deixou voar toda a sua tela, bateu em quatro pedaços e perseguiu o que parecia ser um saveiro de guerra inglês e um comboio. Depois de uma perseguição de duas horas,

Depois de uma perseguição de duas horas, Constituição finalmente fechado no navio menor. Ao embarcar nela, ambos os navios descobriram que haviam identificado erroneamente o outro, o Constituição descobriu que sua presa era um corsário americano, com o nome de Decatur.

Decatur viu que era uma fragata americana que a perseguira, não a inglesa de que ela fugira no dia anterior.

De repente, a atmosfera a bordo Constituição mudada, seus dias despreocupados de comboios de ataque terminaram. Havia uma fragata inglesa por perto e os americanos não puderam resistir à oportunidade de provar o que seu navio era capaz. Eles bateram em quartos novamente e partiram em direção ao sul.

As tripulações de armas a bordo Constituição ficaram entusiasmados ao se aproximarem de seu oponente. Eles confiavam em seu navio e sabiam que seu capitão não os deixaria.

No dia seguinte, depois de muitas horas de navegação difícil, uma vela finalmente apareceu. Às 4 sinos (14h), o contorno tênue de um navio foi avistado no horizonte, diretamente ao sul.

Por volta dos 6 sinos (15h), ela foi identificada como uma fragata (provavelmente a mesma que havia perseguido Decatur ) Ambos os navios içaram velas de batalha (velas superiores e bujões) e liberaram seus conveses para a ação. A tensão deve ter enchido o ar.

As duas enormes máquinas de guerra correram uma em direção à outra, mas foi mais uma hora antes que estivessem perto. Cada homem estava com sua arma, olhando para o capitão da tripulação do canhão, esperando a ordem precisa para atirar.

Quando os dois navios fecharam, a fragata inglesa içou três bandeiras inglesas às 8 sinos (16h).

Cinco minutos depois, um estrondo de 16 canhões quebrou o relativo silêncio. A fragata inglesa, agora reconhecida como HMS Guerriere , um dos cinco navios que perseguiram Constituição há apenas um mês, desencadeou seu ataque a estibordo.

16 plumas de água dispararam na frente do navio americano, todas aquém do esperado. Guerriere virou-se, trazendo seu outro lado para aguentar, e soltou outro lado ondulante.

Mais uma vez, eles ficaram aquém. Já eram quase 2 sinos (17h).

Enquanto Constituição abordado, Guerriere girou para frente e para trás, tentando encontrar uma boa posição para um tiro eficaz. Por quase uma hora, o navio dançou até Constituição estava perto o suficiente para um tiro de pistola.

Os britânicos atiraram primeiro. Uma lateral enorme, com mais de 500 libras de ferro, se chocou contra Constituição lado, mas as tábuas grossas e a madeira densa resistiram à barragem.

Ouviu-se um marinheiro gritar “Huzzah! Os lados dela são feitos de ferro! ” enquanto uma bola rolava inofensivamente pelas paredes semelhantes a fortalezas. O navio americano abriu fogo, seus canhões lançando chamas e metal. Os dois hulks flutuantes trocaram lado após lado. Enquanto

O navio americano abriu fogo, seus canhões lançando chamas e metal. Os dois hulks flutuantes trocaram lado após lado. Enquanto Constituição permaneceu alto, inteiro e quase sem danos, o De Guerriere Mizzenmast caiu, desmoronando em uma pilha de linha, tela e madeira.

O navio inglês se virou, envolvendo sua proa em Constituição aparelhamento, enredando os dois.

& # 8220Nós & # 8217temos feito um brigue dela! & # 8221 ouviu-se um aspirante a chorar quando o mastro da mezena caiu sobre Guerrière.

Os grupos de embarque se prepararam de ambos os navios, mas ninguém poderia cruzar a viga estreita. A tripulação inglesa disparou um tiro diretamente na cabine do Capitão Hull, incendiando-a.

Logo o mar separou os dois navios, o cordame esticando e estalando à medida que se separavam. De Guerriere os dois mastros restantes se separaram, puxados para baixo pelo emaranhado de cordas. Constituição se afastou, fazendo reparos rápidos.

O Guerriere é finalmente cortado, todos os seus mastros destruídos.

Logo ela navegou de volta para seu inimigo aleijado, preparando-se para acertar o golpe final. Guerriere disparou um único canhão, reconhecendo a derrota e pedindo misericórdia. O capitão Hull obedeceu, enviando um tenente para aceitar. O tenente perguntou se Guerriere atingiu suas cores.

O capitão Dacre, no comando do navio inglês, teria dito & # 8220Bem, senhor, não sei. Nosso mastro de mezena se foi, nossos mastros dianteiro e principal se foram & # 8211 Acho que, de modo geral, você pode dizer que batemos nossa bandeira. & # 8221

O tenente voltou para Constituição com Dacre, que ofereceu a Hull seu sabre, o sinal tradicional da derrota. Hull recusou, dizendo que o inglês lutou tão bem quanto se poderia esperar e que só tinha respeito por ele.

James Richard Dacres, como vice-almirante mais tarde em sua carreira. Enquanto ele sofreu uma terrível derrota nas mãos do Constituição ficou claro, em parte graças a uma carta de recomendação escrita por seu oponente, o capitão Isaac Hull, que ele cumpriu seu dever até o fim e foi simplesmente espancado.

Agora Hull estava enfrentando um problema. Ele tinha uma fragata britânica, que poderia ser capturada e reparada, mas isso poderia causar uma recaptura, pois sua viagem seria lenta. Em vez disso, ele optou por levar todos os homens cativos a bordo e queimar o Guerriere .

Ele navegou até Boston, para levar a notícia de uma das primeiras grandes vitórias da guerra, a um público que já estava cansado dos bloqueios ingleses e do medo constante.

Capitão Isaac Hull, o herói da batalha. Sua habilidade, combinada com a construção superior do navio & # 8217s, trouxe uma das primeiras vitórias navais americanas na Guerra de 1812.

o Constituição tornou-se um dos símbolos mais icônicos da Marinha dos Estados Unidos. Após seu retorno a Boston, ela continuou a lutar até o final da guerra em 1815.

Hoje, depois de inúmeras restaurações, ela se posiciona como o mais antigo navio de guerra comissionado ainda à tona e, em 2015, o único navio de guerra comissionado dos EUA a ter afundado um navio inimigo.


Resultado [editar | editar fonte]

Capitão Dacres foi escoltado a bordo do Constituição. Hull recusou-se a aceitar a espada da rendição de Dacres, dizendo que não podia aceitar a espada de um homem que lutou tão galantemente. & # 912 & # 93 Ele também ordenou que a Bíblia da mãe de Dacres fosse devolvida a ele. & # 912 & # 93 O Guerriere estava claramente afundando, e os feridos foram transferidos para o Constituição. Hull descobriu que dez americanos impressionados estavam servindo a bordo Guerriere mas Dacres havia permitido que eles ficassem abaixo do convés em vez de lutar contra seus compatriotas. & # 9115 & # 93

Hull queria o Guerriere rebocado como um navio-prêmio. o Constituição deitar pelo Guerriere durante a noite, mas ao amanhecer, era óbvio que o Guerriere não pôde ser recuperado. Os prisioneiros e as equipes de resgate americanas foram trazidos a bordo Constituição e às três horas da tarde, o Guerriere foi incendiado e logo explodiu. & # 9116 & # 93

Embora Constituição foi capaz de continuar seu cruzeiro (ela estava substancialmente ilesa e ainda tinha dois terços de sua munição), Hull queria que o público americano tivesse notícias da vitória. Ele chegou a Boston dez dias depois, e sua notícia (com a prova óbvia de mais de duzentos prisioneiros de guerra) causou alegria. o Guerriere tinha sido um dos navios mais ativos da Marinha Real em parar e revistar os navios mercantes americanos, e a notícia de sua derrota foi particularmente satisfatória para a comunidade marítima americana. & # 9117 & # 93 Ironicamente, Hull nunca mais teria outro comando de combate. & # 9115 & # 93 Apenas três dias antes de derrotar Guerriere, seu tio, o general William Hull, havia rendido Fort Shelby a uma força britânica muito inferior. Outro infortúnio para Isaac Hull foi a morte de seu irmão, que deixou uma viúva e filhos que Hull agora tinha o dever de sustentar. Buscando uma comissão que acomodasse melhor suas novas responsabilidades domésticas, Hull perguntou ao secretário da Marinha, Hamilton, se ele poderia trocar comandos com o capitão William Bainbridge, sob o qual ele havia servido durante as Guerras da Bárbara e que era então comandante do Boston Navy Yard. Hamilton concordou, e em 15 de setembro de 1812, Hull assumiu o Navy Yard e Bainbridge o Constituição.

Uma vez libertado por troca de prisioneiros e devolvido a Halifax, Dacres foi julgado por corte marcial, como era costume no caso de um navio da Marinha Real perdido por qualquer motivo. Ele apresentou como sua defesa os fatos de que o Guerriere foi originalmente construído na França, capturado pela Marinha Real em 1806 e, portanto, não tão robusto quanto os navios de construção britânica e, mais importante, que o Guerriere estava gravemente deteriorado e, de fato, a caminho de se reabilitar em Halifax na época, e a queda do mastro da mezena que aleijou o Guerriere no início da luta foram devidos tanto ao apodrecimento quanto aos danos da batalha. & # 9118 & # 93 Não houve nenhuma sugestão de que Dacres e seus homens não tivessem feito o máximo, ou que Dacres não tivessem sido sábios em envolver os Constituição. (No início da guerra de 1812, foi aceito pela Marinha Real que uma fragata britânica de 38 canhões poderia enfrentar com sucesso uma fragata de 44 canhões de qualquer outra nação.) Dacres foi, portanto, absolvido. & # 9119 & # 93


USS Constitution derrota o HMS Guerriere - História

Batalha Naval: a Constituição contra o Guerriere 1812
por R. Taylor



A Constituição e o Guerriere 1812

O m 2 de agosto de 1812, a & quotConstituição & quot zarpou, partindo de Boston e navegou para o leste na esperança de encontrar alguns navios britânicos. Depois de não encontrar nenhum navio britânico, a & quotConstitution & quot navegou ao longo da costa da Nova Escócia e, em seguida, da Terra Nova, finalmente estacionando ao largo de Cape Race, no Golfo de St. Lawrence. Foi aqui que os americanos capturaram e queimaram dois brigs de pouco valor. Em 15 de agosto, a & quotConstituição & quot recapturou um brigue americano do navio-saveiro britânico & quotAvenger & quot, porém o navio britânico conseguiu escapar. O capitão Isaac Hull colocou uma tripulação no brigue e eles navegaram de volta para um porto americano.

Às 14h00 em 19 de agosto, a tripulação do & quotConstitution & quot fez uma grande vela que provou ser a fragata britânica & quotGuerriere & quot capitaneada por James Dacres. Às 16h30 os dois navios começaram a se posicionar e hastear suas bandeiras (cores). Às 17h00 a & quotGuerrière & quot abriu fogo com seus canhões meteorológicos, os tiros atingiram a água do navio americano. Os britânicos então dispararam seus costados de bombordo, dois desses tiros atingiram o navio americano, o resto passou por cima de seu cordame. Enquanto os britânicos se preparavam para atirar novamente, a & quotConstituição & quot disparou suas armas de bombordo. Os dois navios estavam a uma distância razoável um do outro, e pelos próximos 60 minutos ou mais eles continuaram assim, com muito poucos danos sendo causados ​​a qualquer uma das partes.

Às 18h00 eles se aproximaram, às 18h05. os dois navios estavam à distância de um tiro de pistola um do outro. Um furioso canhão começou, às 18h20. a & quotConstituição & quot disparou contra o mastro da mezena & quotGuerrière & quot, o navio britânico foi danificado. O & quotConstitution & quot contornou a proa do & quotGuerrière & quot e lançou um fogo de raking pesado que disparou contra o pátio principal da fragata britânica. Os americanos voltaram mais uma vez e vasculharam o & quotGuerrière & quot. O mastro de mezena do navio britânico estava agora se arrastando na água e os dois navios chegaram perto um do outro. Os canhões de arco britânicos causaram alguns danos à cabine do capitão da & quotConstituição & quot, um incêndio até começou lá. Um oficial americano chamado Tenente Hoffmann apagou o fogo.

Foi por aqui que ambas as tripulações tentaram embarcar no outro navio, ou pelo menos pensaram nisso. E também foi aqui que a maioria das vítimas da & quotConstituição & quot foi levada. Na verdade, os dois lados sofreram muito com a mosquete neste momento. No & quotGuerriere & quot a perda foi muito maior. O capitão James Dacres levou um tiro nas costas enquanto torcia para que sua tripulação lutasse. Os navios finalmente se livraram uns dos outros, e então o mastro de proa e o mastro principal do & quotGuerriere & quot desabaram, deixando o navio britânico indefeso.

Às 18h30 a & quotConstituição & quot correu um pouco e fez reparos que levaram apenas alguns minutos para serem concluídos. O capitão Isaac Hull parou e assistiu às 19h00. enquanto o navio britânico surrado se rendia, incapaz de continuar a luta.

A & quotConstituição & quot tinha uma tripulação de 456 e transportava 44 armas. O Guerriere tinha uma tripulação de 272 homens e carregava 38 armas. As baixas americanas foram 14, incluindo o tenente William S. Bush, dos fuzileiros navais, e seis marinheiros mortos. E seu primeiro tenente, Charles Morris, mestre, John C. Alwyn, quatro marinheiros e um fuzileiro naval ferido. Total de sete mortos e sete feridos. Quase todas as baixas americanas vieram dos mosquetes inimigos quando os dois navios se juntaram. Os britânicos perderam 23 mortos e mortalmente feridos, incluindo seu segundo-tenente, Henry Ready, e 56 feridos graves e leves, incluindo o capitão Dacres para um total de 79. O resto da tripulação britânica tornou-se prisioneiro.


Copyright: Salvo indicação em contrário, todas as informações, imagens, dados contidos neste site são protegidos por direitos autorais sob a lei internacional. Qualquer uso não autorizado do material contido aqui é estritamente proibido. Todos os direitos reservados.


Constituição USS na Guerra de 1812:

O USS Constitution lutou em inúmeras batalhas na Guerra de 1812. O navio ganhou o apelido de “Old Ironsides” após ter lutado contra o navio britânico, HMS Guerriere, em 19 de agosto de 1812 durante a fase inicial da guerra.

Durante a batalha, várias balas de canhão atingiram o USS Constitution e simplesmente ricochetearam nas laterais do navio. A tripulação percebeu isso e declarou que as laterais eram feitas de ferro. Os oficiais do navio e várias publicações da imprensa começaram a usar o apelido “Old Ironsides” e o nome pegou.

A USS Constitution derrotou cinco navios de guerra britânicos durante a Guerra de 1812, o HMS Guerriere, Java, Pictou, Cyane e Levant, e capturou muitos navios mercantes.

Após a Guerra de 1812, ela serviu no Mediterrâneo e ajudou a interceptar e capturar navios negreiros, como o H.N. Gambrill, na costa da África.

Após o apoio do capitão "Madjack" Percival e uma forte reação do público a um poema recém-publicado de Oliver Wendell Holmes intitulado "Old Ironsides", salvou-o de ser sucateado na década de 1840, a Marinha renovou o navio e o enviou em uma turnê mundial entre 1845-1846 sob o comando de Madjack & # 8217s.

O objetivo da excursão era mapear áreas não cobertas pela expedição Wilkes. O navio parou no Brasil, Madagascar, Cingapura, Malásia, Vietnã, Hong Kong e Havaí antes de receber ordens para navegar para o México para fornecer provisões para a guerra iminente dos EUA com o país.


USS Constitution derrota HMS Guerriere

Hoje na História Militar: Em 19 de agosto de 1812, dois meses após o início da Guerra de 1812, a Constituição USS comandada pelo capitão Issac Hull derrotou o HMS Guerriere comandado pelo capitão James Richard Dacres cerca de 600 a sudoeste de Terra Nova.

Depois de uma ação violenta que durou quase uma hora, o navio britânico de 38 canhões foi seriamente danificado e incendiado por uma fragata americana de 44 canhões e tiros mais pesados ​​e precisos # 8217s. Tendo perdido todos os três mastros e com a Constituição em grande parte incólume indo para o reengajamento, o Guerrière dispara uma arma sotavento para se render.

O navio britânico sofreu graves danos e baixas, afundando no dia seguinte. A Constituição resgatou cerca de 200 marinheiros, levando o prisioneiro de guerra.

A batalha é historicamente significativa para moldar a reputação da América como uma potência marítima.

A vitória sobre Guerrière representou o primeiro triunfo da jovem Marinha americana sobre um navio da Marinha Real durante a Guerra de 1812, dando um impulso moral bem-vindo após contratempos em terra. A Constituição iria derrotar quatro outros navios de guerra britânicos durante a guerra.

Em sua era, a Constitution era uma maravilha tecnológica: maior e mais pesada do que outras fragatas da época, ela também era mais rápida & # 8212 velocidade máxima de 13 nós (15 mph) & # 8212 do que os navios que podiam ser mais rápidos que ela. Construída em carvalho vivo e reforçada, suas laterais tinham 21 polegadas de espessura, mas também eram mais resistentes ao fogo inimigo. Foi durante o noivado com Guerriere que Constitution ganhou seu apelido de & # 8220Old Ironsides & # 8221 depois que um marinheiro americano, vendo uma bala inimiga quicando em seu navio, exclamou que as laterais dela eram feitas de ferro.

A Constitution foi uma das seis fragatas propostas pelo Presidente George Washington e autorizadas pelo Ato Naval de 1794. Ela foi projetada por Joshua Humphreys e construída no estaleiro Edmund Hart & # 8217s em Boston & # 8217s North End. A constituição foi ordenada em 1º de março de 1794 e comissionada em 21 de outubro de 1797. Cerca de 60 acres de árvores foram usados ​​para construí-la, enquanto Paul Revere forneceu parafusos e lonas de cobre para seu casco.

Ela permaneceu em serviço na Marinha dos Estados Unidos desde então, cumprindo várias funções, incluindo navio de treinamento para a Academia Naval dos Estados Unidos, e é o navio comissionado mais antigo do mundo a flutuar.

Hoje, a Constituição conta com uma tripulação de 60 oficiais e marinheiros, com o Comandante. Robert S. Gerosa Jr. servindo como o 74º oficial comandante do navio.


A jovem República tornou-se vítima dos piratas berberes, quando os mercadores americanos foram atacados no Mediterrâneo. George Washington pagou com relutância o resgate pelas tripulações, mas isso não foi o fim da história. Em março de 1794 o Congresso autorizou a construção de seis fragatas, o verdadeiro início da Marinha dos Estados Unidos. Não apenas os americanos resolveriam o problema dos piratas, esses navios permaneceriam em serviço por muitos anos e combateriam a França na "quase guerra" e os britânicos na guerra de 1812. Um desses navios, o USS Constituição, ainda é um navio de guerra da Marinha comissionado ativo - o mais antigo do mundo. Em 1812, ela ganhou um apelido - "Old Ironsides".


Batalha entre USS Constituição e HMS Guerriere

Lançada em 1797, a fragata de 44 canhões foi construída para vencer qualquer outra fragata da França ou da Grã-Bretanha e ultrapassar os navios da linha. Ela frequentemente excedia sua classificação com até cinquenta armas. Ela ostentava um casco de 21 polegadas de espessura de carvalho sul da Geórgia, uma escolha brilhante de madeira em combinação com seus mastros de pinho branco do Maine e revestimento de cobre feito por Paul Revere! Constituição prestou serviço sólido ao redor do Mar Mediterrâneo em uma patrulha que durou quatro anos e quase causou um motim na tripulação. Reabastecido e reformado em Boston, seu porto natal, o Constituição sob o capitão Isaac Hull zarpou de Annapolis com uma nova tripulação, contra a Marinha britânica três meses após a declaração de guerra em junho de 1812. Por providência, o USS Constituição HMS manchado Guerriere na costa do Canadá, perto da foz do St. Lawrence, em agosto, e decolou em uma perseguição.


USS Constituição dispara uma saudação durante uma manifestação do Dia da Independência em Boston

A fragata britânica, no comando do capitão James Richard Dacres, havia se separado da frota para uma reforma muito necessária em Halifax. Guerriere disparou a primeira lateral, que ficou aquém, e então saiu correndo. Capitão Hull dirigiu o Constituição “Dentro do alcance do tiro de pistola” e os dois navios trocaram de lateral por quinze minutos. Algumas das balas de canhão inglesas ricochetearam no casco de carvalho do navio americano, fazendo um marinheiro gritar que suas costelas eram de ferro! Depois de um incêndio que derrubou o pátio principal do navio de Dacres, eles se viraram de tal maneira que os britânicos só puderam usar suas armas de arco enquanto o Constituição broadsides disparados. O mastro principal e o mastro da vante “caíram pela mesa”. O resultado de tal competição fez com que um terço dos marinheiros britânicos caíssem mortos ou feridos e todo o navio se transformou em um naufrágio flutuante. O capitão Dacres atingiu suas cores. Seu navio estava afundando, então a tripulação foi retirada pelos americanos e o navio pegou fogo até explodir.


Sailplan Sketch do USS Constituição

A perda de HMS Guerriere causou apenas uma pequena queda na marinha britânica de seiscentos navios, mas a vitória dos americanos causou um enorme impacto no moral e no fervor patriótico de uma população já desconcertada pelas derrotas militares e sentimentos anti-guerra. Alguns historiadores acreditam na vitória do USS Constituição foi um ponto crucial na história americana. O efeito psicológico de uma pequena vitória no momento certo pode elevar o moral de uma nação muito além de suas realizações militares reais. George Washington descobriu isso em Trenton e Princeton. O engajamento foi a única batalha do capitão Hull, ele posteriormente assumiu o controle do estaleiro naval em Bainbridge e Constituição recebeu um novo capitão.


Constituição vs Guerri e egravere, 19 de agosto de 1812

O confronto entre USS Constituição e HMS Guerri e egravere foi a primeira vitória americana significativa na Guerra de 1812. Era uma indicação inicial de que essa não seria a guerra que nenhum dos lados esperava. No início da guerra, os Estados Unidos esperavam obter vitórias fáceis em terra, mas seriam derrotados no mar. Os planos pré-guerra previam a permanência da Marinha dos Estados Unidos no porto, agindo como uma & ldquofleet em ser & rdquo e apenas saindo em emergências. Esses planos só foram alterados depois que os capitães dos cinco principais navios então em Nova York tiveram uma audiência pessoal com o presidente Madison para apresentar seu caso.

A guerra começou com uma série de confrontos indecisos entre as frotas americana e britânica. Embora a Marinha Real fosse quase sessenta vezes maior do que a Marinha dos Estados Unidos, a grande maioria dos navios britânicos era necessária em outros lugares. Apenas oito navios maiores estavam imediatamente disponíveis & ndash HMS África, um pequeno navio de 64 canhões de linha e sete fragatas. É certo que esta ainda era uma força superior ao esquadrão americano de cinco navios que começou a guerra em Nova York (três fragatas e dois saveiros), mas não seria dominada por ações do tamanho de um esquadrão.

Em vez disso, a Guerra de 1812 ficaria famosa por uma série de confrontos entre fragatas isoladas. Aqui, a Marinha dos EUA teve uma grande vantagem. A fragata europeia padrão foi projetada para transportar 38 canhões de 18 pdr, dando-lhes um lado largo de 342 libras. EUA Constituição era um navio bastante mais poderoso. Ela não apenas era significativamente mais forte do que seus oponentes britânicos, mas também carregava 44 armas 24-pdr, dando-lhe uma lateral de 528 libras. As fragatas americanas também eram normalmente muito melhor tripuladas do que seus oponentes britânicos. A Marinha Real confiou no recrutamento para fornecer muitos de seus homens, teve problemas para reunir homens suficientes e ainda mais problemas para mantê-los. Em 19 de agosto o Guerri e egravere estaria carregando 280 homens, 10 dos quais ficaram impressionados com americanos que foram enviados para baixo quando se recusaram a lutar contra seus compatriotas. Em contraste, a pequena Marinha dos EUA não teve problemas em encontrar voluntários (incluindo vários desertores britânicos). Os EUA Constituição entraria na batalha com pouco mais de 550 homens.

A Marinha dos Estados Unidos tinha uma vantagem final que talvez preocupasse os britânicos mais do que qualquer outra coisa. Os marinheiros americanos eram pelo menos tão bons e tão bem liderados quanto seus oponentes britânicos. Durante vinte anos, a Marinha Real foi capaz de presumir, com alguma justificativa, que a maioria de seus oponentes eram marinheiros inferiores. Durante a longa guerra com a França, a marinha se acostumou a ganhar vitórias sobre oponentes maiores e mais bem armados.

Essa tradição de sucesso estava clara na mente do Capitão James Dacres do Guerri e egravere, que no início da guerra havia lançado um desafio a qualquer fragata americana que quisesse se engajar em uma luta justa. Seu navio pode ter sido insuficiente, mas em agosto de 1812 estava sobrecarregado, carregando 49 armas, o que lhe deu uma lateral semelhante à do Constituição como construído. Infelizmente para Dacres, o USS Constituição também tinha sido baleado e agora carregava 55 24-pdrs e várias carronadas de 32-pdr.

o Constituição deixou Boston em 2 de agosto para um cruzeiro ao largo do St. Lawrence, sob o comando do Capitão Isaac Hull. Ele era sobrinho do general William Hull, então comandando o exército americano em Detroit. Contrary to some accounts, Captain Hull did not set sail on learning of the fall of Detroit &ndash on 2 August his uncle was still on Canadian soil, while Detroit was not surrendered until 16 August. News of the disaster could hardly have reached Boston by 19 August, yet along reached Captain Hull out at sea.

While cruising off the St. Lawrence, the Constituição sighted the Guerrière at long distance at around 2.00pm on 19 August. When Dacres identified the distant ship as an American frigate he began to prepare for battle. The British frigate opened fire at long range at just after 5.00pm, zigzagging so that she could fire both broadsides, but without any success. The two ships finally came together in a battle of broadsides just after 6.00pm. The British maintained a higher rate of fire than the Americans, firing three broadside for every two fired by the Constituição, but the American fire was both more accurate and more damaging.

o Guerrière soon lost her mizzenmast, and suffered heavy damage to her rigging and sails. Captain Hull was able to get the Constituição into a position where she could rake the Guerrière without taking heavy fire herself. The British ship soon lost her remaining sails, and was helpless. Captain Dacres struck his colours. The British had suffered 15 dead and 63 wounded by this time, representing one third of her crew, while the Constituição was virtually undamaged and had only suffered 7 dead and 7 wounded.

The defeat of the Guerrière caused deep shock in Britain and an outpouring of enthusiasm for the navy in the United States. Worse was to come. In October USS Estados Unidos defeated HMS Macedonia and in December the Constituição scored another victory, this time over HMS Java (although by then Captain Hull had resigned his command). A massive public debate would follow in Britain, where the Navy&rsquos control of the seas had been taken for granted, especially since the battle of Trafalgar. In the United States these naval victories helped to make up for embarrassing failure of the land campaign against Canada.

The Line upon a Wind, Noel Mostert. This is an excellent account of the greatest naval war of the age of sail. Mostert covers a wider range of topics than most books on this subject, while always remaining readable. There is a good section on the rise of American naval power and the War of 1812 [see more]

The USS Constitution – Leading The Power Of The US Navy For The First Time

Sweat poured down the brows of eight American sailors, their white-knuckled fists gripping long oars. The bosun bellowed at them to pull for their lives as the faint whistle of a cannon ball was heard over the commotion behind them.

It fell short, sending a pillar of water towards the sky, and was immediately answered by an American cannon spewing smoke and iron in return.

The sailors were some of the many men, selected from the crew of USS Constituição (44 guns, and 450 souls), tasked with kedging pulling their anchor out forward and dropping it. Thus allowing the large ship to pull itself along a line attached to it.

Atrás do Constituição crept HMS África (64 guns), HMS Éolo (32 guns), HMS Shannon (38 guns), HMS Belvidera (36 guns) and HMS Guerriere (38 guns).

Kedging, wetting sails, and firing at every possible opportunity, the five ships of the English squadron strained towards the loan American frigate, whose crew fought desperately to escape what they knew was certain defeat.

After 57 hours of arduous struggle, Constituição slipped below the horizon, finally free from her pursuers. She made as much speed as she could muster towards Boston, safety, and home.

The view from the deck during the chase. This is likely a depiction of kedging, the crew onboard are preparing the anchor to be carried forward by one of the boats.

That was how the War of 1812 began for the crew of USS Constituição , a frigate built in 1797. She was one of only six frigates in the tiny United States Navy, far outnumbered by the Royal Navy. Constituição and her sisters were not outdone.

They were some of the most advanced ships on the water at the time, thanks to their designer Joshua Humphreys.

He had created a design which was thinner, longer, and stiffer than anything else in the world. This allowed his ships to achieve greater speeds, without sacrificing the number of cannons carried or hull strength.

When war broke out in June 1812, this new design had not been tested against an adversary of equal power. On July 12th she set sail from Annapolis, on a voyage which would secure her a place in American memory forever.

She was searching for an American squadron led by Commodore John Rodgers when she discovered the ships she was approaching were English, initiating her nail-biting escape. She finally made Boston on July 27th but knew full well that those five English ships would be close on her wake.

Her Captain, Isaac Hull, took on enough supplies for a six-month voyage, replenished their water (which they had thrown overboard during the chase), and prepared to set sail as soon as possible.

The great ship and her 450 man crew set out again, on August 2nd, bound for the prize-rich shipping lanes off Halifax, in Nova Scotia.

o Constituição in 1803. Her straight lines and thicker, stiffer hull, made her an excellent sailing ship.

She prowled the frigid waters of the Grand Banks, capturing three British merchant ships. Captain Hull was not certain if Boston was still a free and open port, or if the British had blockaded it.

He could not risk sending a crew with a prize English merchant ship, only to have it recaptured. Every ship he took had to be burnt, once the crew was safe aboard Constituição .

While cruising, Constituição met almost no resistance, until on August 18th, sails were sighted to her south. She let fly all of her canvas, beat to quarters and chased after what appeared to be an English sloop of war and a convoy. After a two hour chase,

After a two hour chase, Constituição finally closed on the smaller vessel. Upon boarding her, both ships discovered they had misidentified the other the Constituição found her prey was an American privateer, by the name of Decatur.

Decatur saw that it was an American frigate which had chased her, not the English one which she had evaded the day before.

Suddenly the atmosphere onboard Constituição changed, her carefree days of raiding convoys was over. There was an English frigate about, and the Americans could not resist the opportunity to prove what their ship could do. They beat to quarters again and set sail on a southerly course.

The gun crews on board Constituição grew excited as they approached their opponent. They trusted in their ship and knew their captain would not fail them.

The next day, after many hours of hard sailing, a sail finally appeared. At 4 bells (2pm), the faint outline of a ship was sighted on the horizon, directly south.

By 6 bells (3pm) she was identified as a frigate (likely the same which had chased Decatur ) Both ships hoisted battle sails (topsails and jibs) and cleared their decks for action. Tension must have filled the air.

The two massive war machines raced towards each other, but it was another hour before they were close. Each man stood by his gun, looking to the captain of the gun crew, waiting for the precise order to fire.

As the two ships closed, the English frigate raised three English flags at 8 bells (4pm).

Five minutes later a rippling report of 16 cannons broke the relative silence. The English frigate, now recognized as HMS Guerriere , one of the five ships which had chased Constituição barely a month ago, unleashed her starboard broadside.

16 plumes of water shot up in front of the American ship all had fallen short. Guerriere turned, bringing her other side to bear, and unleashed another rippling broadside.

Again they fell short. It was now close to 2 bells (5pm).

Enquanto Constituição approached, Guerriere turned back and forth, trying to find a good position for an effective shot. For nearly an hour the ship danced about until Constituição was close enough for a pistol shot.

The British fired first. A massive broadside, over 500 pounds of iron, smashed into Constitution’s side but the thick planking and dense wood withstood the barrage.

One sailor was heard to cry “Huzzah! Her sides are made of iron!” as one ball rolled harmlessly down the fortress-like walls. The American ship opened fire, its cannons belching flame, and metal. The two floating hulks exchanged broadside after broadside. Enquanto

The American ship opened fire, its cannons belching flame and metal. The two floating hulks exchanged broadside after broadside. Enquanto Constituição stood high, whole and nearly undamaged, the Guerriere’s mizzenmast fell, collapsing in a heap of line, canvas, and wood.

The English ship turned, wrapping her bow into Constitution’s rigging, entangling the two.

“We’ve made a brig of her!” one midshipman was heard to cry as the mizzen mast fell on Guerriere.

Boarding parties readied themselves from both ships, but no one could cross the narrow beam. The English gun crew fired shot directly into Captain Hull’s cabin, setting it ablaze.

Soon the sea forced both ships apart, their rigging straining and snapping as they broke away. Guerriere’s remaining two masts broke apart, pulled down by the tangle of ropes. Constituição pulled away, making quick repairs.

The Guerriere is finally cut down, all of her masts destroyed.

Soon she sailed back up to her crippled foe, preparing to land the final blow. Guerriere fired a single cannon, acknowledging defeat, and asking for mercy. Captain Hull obliged, sending a Lieutenant over to accept. The Lieutenant asked if Guerriere had struck her colors.

Captain Dacre, in command of the English ship, reportedly said “Well, Sir, I don’t know. Our mizzen mast is gone, our fore and main masts are gone – I think on the whole you might say we have struck our flag.”

The Lieutenant returned to Constituição with Dacre, who offered Hull his saber, the traditional sign of defeat. Hull refused, saying that the Englishman had fought as well as could be expected and he had nothing but respect for him.

James Richard Dacres, as a Vice Admiral later in his career. While he suffered a terrible defeat at the hands of the Constituição it was understood, thanks in part to a letter of recommendation written by his opponent, Captain Isaac Hull, that he did his duty to the last, and was simply soundly beaten.

Now Hull was faced with a problem. He had a British frigate, which could be captured and repaired but this might risk a recapture as their travel would be slow. He opted instead, to take every man on board captive, and burn the Guerriere .

He sailed to Boston, to bring news of one of the first great victories of the war, to a public that was already weary of English blockades, and constant fear.

Captain Isaac Hull, the hero of the battle. His skill, combined with the ship’s superior construction, brought about one of the first American naval victories in the War of 1812.

o Constituição has become one of the most iconic symbols of the Unites States Navy. Following her return to Boston, she continued to fight until the end of the war in 1815.

Today, after numerous restorations, she sits as the oldest commissioned warship still afloat and, as of 2015, the only commissioned US warship to have sunk an enemy vessel.


Assista o vídeo: Famous Naval Battle War of 1812 USS Constitution vs HMS Guerriere (Dezembro 2021).