Notícia

Gustave Bieler

Gustave Bieler

Gustave Bieler nasceu no Canadá. Durante a Segunda Guerra Mundial, Bieler juntou-se ao Executivo de Operações Especiais (SOE). Um dos envolvidos em seu treinamento escreveu: "muito consciencioso, perspicaz e inteligente, juiz de caráter sólido; de boa índole; temperamento equilibrado; absolutamente confiável; excepcionalmente meticuloso e meticuloso; organizador nato".

Em 18 de novembro de 1942, Bieler e Michael Trotobas foram abandonados no norte da França. Com o codinome de "Guy", Bieler foi nomeado chefe da Musician Network na região de St Quentin, na França ocupada, em março de 1943. Na segunda metade de 1943, seu grupo cortava regularmente a principal linha ferroviária de St. Quentin a Lille.

Em janeiro de 1944, Bieler e sua operadora de rádio, Yolande Beekman, foram presos enquanto estavam juntos no Café Moulin Brulé. Bieler foi baleado logo depois pelo Schutz Staffeinel (SS) em Fossenburg.

Gustave Bieler solicitou uma tarefa difícil, e ele estava certo, apenas pelo seu tamanho, ele teria se destacado, digamos, em Toulouse ou Paris, e as áreas difíceis ficavam no norte e no leste da França. Nós nos estabelecemos em St. Quentin, pois sabíamos de um grupo de patriotas lá que estavam ansiosos por uma ligação com Londres, e St. Quentin parecia propenso a se desenvolver em uma cidade chave para as ferrovias alemãs e as comunicações por canal.

A próxima coisa a decidir foi a composição da equipe. Bieler tinha uma personalidade tão marcante que era difícil encontrar um parceiro adequado para ele. Depois de muito pensar, decidimos por Yolande, uma garota de ascendência suíça enviada a nós pela WAAF. Seu francês era perfeito - o toque do sotaque suíço era uma vantagem positiva, pois desviava a atenção de sua aparência tipicamente inglesa. Ela era muito quieta e caseira - havia ganhado imensa popularidade na escola sem fio ao assumir extraoficialmente as funções de ousada de meias para os homens - e sua alegria serena e bom humor eram uma grande vantagem. Ela rapidamente desenvolveu uma camaradagem fácil com Bieler, o que prometia um bom trabalho para o futuro.

Bieler tinha para com todas as mulheres engajadas em nosso trabalho uma espécie de tolerância divertida da qual alguns poderiam ter se ressentido um pouco. Mas Yolande assumiu a atitude dele sem ofensa, e sua falta de afetividade e simplicidade evocaram sua estima e admiração.

Em um grande campo, pelo menos, Belsen, os prisioneiros estavam tão desesperadamente sem comida que muitos deles comeram fragmentos crus que cortaram os corpos de seus companheiros mortos. A maioria dos agentes que foram fortes o suficiente para sobreviver ao regime insano 'comum' foram massacrados em dois massacres distintos: um na primeira metade de setembro de 1944, o outro muito mais tarde, algumas semanas após o fim da guerra europeia, em 29 de março de 1945. Por diretivas emitidas diretamente de Hitler, a maioria deles foi enforcada, como os conspiradores de 20 de julho foram enforcados, com laços feitos de corda de piano; isso pretendia tornar suas mortes tão lentas e degradantes quanto possível. Mesmo assim, quase todos impressionaram seus companheiros de prisão com seu desafio duradouro ao inimigo. Diz-se que Gustave Bieler causou uma impressão tão forte em seus captores que, quando a ordem para sua execução veio de Berlim, até o S S em Flossenburg montou uma guarda de honra para escoltá-lo enquanto ele mancava até a morte.


Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial, embora casado e com dois filhos, Biéler alistou-se no Exército canadense em Le Regiment de Maisonneuve & # 91 citação necessária & # 93 e foi enviado para uma base na Grã-Bretanha. Sua esposa Marguerite Geymonat trabalhou como locutora para as tropas na Europa na Rádio Canadá Internacional. Por causa de sua familiaridade com a França e sua fluência nos idiomas francês e inglês, ele se juntou ao Executivo de Operações Especiais em 1942. & # 911 & # 93

Conhecido por seu apelido de guerra "Guy", ou seu codinome "Commandant Guy", após seu treinamento especializado no acampamento X, o coronel Maurice Buckmaster, o comandante da SOE, escreveu em seu arquivo que Biéler era o melhor aluno que a SOE tinha. & # 912 & # 93 & # 913 & # 93

Operações na França

Em 18 de novembro de 1942, Biéler, junto com o operador wireless Arthur Staggs e Michael Trotobas, foram lançados de pára-quedas na França. Infelizmente, no escuro da noite, Biéler feriu gravemente as costas depois de pousar em rochas e passou vários meses se recuperando.

Ele tinha fortes habilidades de comunicação e organização e, como chefe da Musician Network [ citação necessária & # 93 ele conseguiu trabalhar com outros agentes da SOE e membros da Resistência Francesa para organizar missões de sabotagem muito produtivas. Operando a partir de uma base em Saint-Quentin, no norte de Aisne departamento, As 25 equipes de Biéler, espalhadas por diferentes áreas do norte da França, tiveram sucesso em danificar ou destruir tanques alemães de armazenamento de gasolina, linhas férreas, pontes, eclusas de canais e tratores elétricos usados ​​para rebocar barcaças nas vias navegáveis. Seus esforços repetidos dificultaram o movimento de armas e tropas inimigas, mas a tarefa mais importante para Biéler acabaria sendo os preparativos para o Dia D. & # 912 e # 93

Sua filha Jacqueline Bieler pesquisou a vida de "Comandante Guy" extensivamente, para seu livro Fora da noite e nevoeiro e forneceu o seguinte resumo de suas escapadas na França para o CBC:

Uma de suas tarefas era organizar uma queda de paraquedas. Ele tinha que encontrar pessoas confiáveis. Em seguida, eles tiveram que encontrar um campo ou um local de pouso. Ele tinha que sinalizar para Londres. Eles saíam à noite e recebiam as gotas e depois escondiam as coisas. O material deveria ser escondido para que, quando os desembarques [Aliados] viessem, houvesse pessoas e organizações para ajudar os soldados Aliados quando eles cruzassem a terra.

Ele organizou os ferroviários e os caras que trabalhavam na manutenção das ferrovias. Eles fariam algo nos trilhos para tirar o trem dos trilhos, ou ele forneceria graxa para eixos contendo abrasivos - isso faria com que as rodas caíssem. "& # 913 & # 93

Suas operações foram tão bem-sucedidas que os alemães instituíram uma caça ao homem especial para pegá-lo e sua equipe e, em 13 de janeiro de 1944, a Gestapo prendeu ele e a agente Yolande Beekman no Café Moulin Brulé em Saint-Quentin. & # 91 citação necessária & # 93 No quartel-general da Gestapo, os dois foram torturados repetidamente, mas nunca se separaram e, alguns meses depois, Biéler foi transferido para o campo de concentração de Flossenbürg na região de Oberpfalz, na Baviera, onde a tortura brutal continuou. De acordo com a pesquisa de sua filha Jacqueline Bieler, os prisioneiros em Flossenburg foram chamados Nacht und Nebel, (Noite e nevoeiro). "Quando você foi designado prisioneiro NN, você deveria desaparecer. Se a Cruz Vermelha fizesse perguntas sobre você, eles não deveriam descobrir nada." & # 913 & # 93

Incapazes de obter dele informações úteis, os alemães executaram o Major Guy Biéler por um pelotão de fuzilamento - em vez da câmara de gás ou corda de piano freqüentemente usada em outros agentes - com uma guarda de honra, em 5 de setembro de 1944. "Isso prova até os alemães não pude deixar de reconhecer suas grandes qualidades ", segundo o então coronel Maurice Buckmaster, comandante da SOE, que acrescentou que Biéler foi o melhor aluno que a SOE já teve. & # 914 & # 93 & # 915 & # 93


Gustave Bieler - História

Büler era um homem caloroso e afável, muito considerado por seus colegas de trabalho franceses. Em janeiro de 1944, os alemães cercaram Bi ler e sua operadora de rádio, Yolande Beekman, e os prenderam em um pequeno café no norte da França. Durante meses, Büler foi torturado, mas a Gestapo não aprendeu nada - exceto respeito por sua coragem e dignidade. Quando ele caminhou para a morte em setembro, ele estava acompanhado por uma Guarda de honra SS. Em vez de ser morto com gás ou enforcado, ele foi baleado - o único caso conhecido de um oficial nessas circunstâncias por um pelotão de fuzilamento.

    do YouTube, que inclui a menção de Guy Bi ler por volta da marca de 8min40seg. do YouTube, que inclui a menção de Guy Bi ler por volta da marca de 0min0seg.

Um artigo muito significativo e interessante é aquele escrito por Jack Galbraith na edição da primavera de 2013 do Boletim da Associação de Veteranos e Parentes de Tempsford intitulado "Contribuição de Tempsford na Segunda Guerra Mundial". O Sr. Galbraith fazia parte das tripulações da RAF que voavam em missões especiais, como lançar agentes da SOE em várias partes da Europa. Infelizmente, o Sr. Galbraith faleceu em 31 de agosto de 2013.

Ele serviu na S.O.E. e foi largado em 7 de agosto de 1944 perto da cidade de Mirepoix entre Carcassone e a fronteira espanhola. Providenciados para que o abastecimento caia em tal quantidade que a resistência local foi capaz de tomar a ofensiva contra as guarnições alemãs, matando ou capturando dois mil. Ele voltou da França no final de 1944.

Enquanto na Inglaterra na 2ª Guerra Mundial em 11 de julho de 1942, ele se casou com Sally Freda Still (de Cobham, Surrey) e mais tarde teve um filho John e uma filha Sally. Ele faleceu em 1991 em Ottawa.

Quando Lucien Durocher voltou do Reino Unido em 1945, sua nova noiva, Jean, acabou se juntando a ele. Lucien mais tarde teve um filho Denis. Se alguém tiver informações de contato sobre Denis, envie-me um e-mail!

Em 9 de maio de 2019, um evento especial intitulado "Spies in the Cemetery" foi realizado no Cemitério Beechwood em Ottawa. Embora muitos espiões canadenses da Guerra Fria tenham sido enterrados lá, nenhum foi para a Segunda Guerra Mundial. Após algumas pesquisas, fui capaz de determinar que Lucien Durocher era de fato um da Segunda Guerra Mundial e fiz uma breve apresentação sobre suas contribuições.

Existem muitos sites dedicados a detalhes históricos sobre Igor Gouzenko, incluindo este excelente na Wikipedia. Minha página é dedicada à memória de Igor Gouzenko e especialmente ao seu significado para o mundo ocidental, incluindo o Canadá, no que diz respeito à ameaça soviética e, assim, começou o Guerra Fria.

Quando Winston Churchill se tornou o primeiro-ministro da Inglaterra em 1940, ele precisava de um homem para coordenar a contra-espionagem, a anti-sabotagem e a inteligência secreta que se estendia às Américas do Sul e do Norte. Ele havia escolhido William Stephenson.

Pouco antes da queda da França, Stephenson chegou a Nova York e estabeleceu Coordenação de Segurança Britânica (BSC) no Rockefeller Center. O BSC desempenhou inúmeras atribuições na América do Norte para vários ramos do Serviço Secreto Britânico. Antes do fim da guerra, o pessoal do quartel-general em Nova York ultrapassava 1.000, muitos dos quais eram canadenses, incluindo militares e civis.

Sir William Stephenson também teve um papel importante quando o escrivão da criptografia Igor Gouzenko fugiu da embaixada soviética em setembro de 1945. Stephenson pediu veementemente que esta fonte de informação fosse explorada e que medidas fossem tomadas para proteger Gouzenko e sua família - a família Gouzenko foi realocada em Acampamento X em Whitby Ontario.

Stephenson morreu em 31 de janeiro de 1989, aos 92 anos, em Paget, Bermuda.

    sobre Sir William Stephenson. entrada para Sir William Stephenson. avec br ve biographie de Sir William Stephenson.

Michael Trotobas foi recrutado pelo Special Operations Executive (SOE) no Reino Unido. Em 18 de novembro de 1942, Trotobas e Gustave Bieler foram abandonados no norte da França. Nos meses seguintes, Trotobas estabeleceu a FARMER Network. Em 28 de novembro, a Gestapo conseguiu prender um dos líderes do grupo FARMER. Depois de ser torturado, deu o endereço onde morava Trotobas. Naquela noite, o apartamento foi invadido e, durante o tiroteio que se seguiu, Michael Trotobas foi morto.

Tive o grande prazer de conhecer o Dr. Tutte em 1999, quando ele veio visitar Ottawa para fazer uma apresentação sobre "Fish and I", para a qual uma cópia em PDF ainda está disponível online na Universidade de Waterloo.


Sommaire

Né le 26 mars 1904 à Beurlay, Charente-Maritime, où son père, pasteur protestant d'origine suisse, ocupe sa première charge de paroisse, il retourne en Suisse em 1907 lorsque son père ocupe une nouvelle charge, à Lutry. Il fait sa scolarité au collège classique cantonal de Lausanne puis ao l'Institut Jean-Jacques-Rousseau ou il suit une training en Educação moral, didática, orientação profissional. Il y a vraisemblablement été élève de Jean Piaget.

Son père meurt de la grippe espagnole em 1918. La famille est prise en charge par le grand-père Daniel. Vers. 1920, il perd l'usage d'un œil, atteint par une fusée d'un feu d'artifice.

Le 5 de julho de 1924, il obtient son certificat. Pour échapper à la tutelle de son grand-père Daniel, qui souhaitait qu'il se prépare au sacerdoce, il émigre au Canada, ou é convidado pelo filho oncle et parrain Charles. Il débarque à Québec le 18 setembre, et s’établit dans la ville de Montréal, travaillant d'abord comme enseignant à Pointe-aux-Trembles, près de Montréal.

Em 18 de julho de 1928, começa a trabalhar comme traducteur à la Sun Life Assurance Company. Ele foi publicado na candidatura de 15 de dezembro de 1927 e foi aprovado em um exame médico satisfatório em 20 de fevereiro. Além do tard, il y deviendra chef du bureau de traduction (pour toutes les langues).

Il épouse Marguerite Geymonat, une ancienne élève le 4 janvier 1929. Le couple s'installe à Cartierville, au nord de Montréal.

Em 1934, il obtient la citoyenneté canadienne. Son fils Jean-Louis nait em 1935 et sa fille, Jacqueline, em 1936.

Il rejoint le contingent universitaire de Montréal du corps de formation des officiers canadiens en juin 1940. Il est nommé au régiment de Maisonneuve. Em setembro, il quitte sa femme et à ses deux enfants et est enviado dans une base en Grande-Bretagne, comme officier du service de renseignements du régiment de Maisonneuve. Sa femme travaille à Radio-Canada International qui diffuse des émissions aux troupes en Europe.

Recruté par le coronel Maurice Buckmaster le 4 de junho de 1942, chef de la section F du SOE, Biéler quitte son régiment et rejoint la section F, où on le connaîtra sous le surnom de «Guy», il aura comme période d'entraînement: Warnborough Manor (Surrey) quatre semaines d'instruction de base et d'examens psychologiques et technics Écosse, un mois d'entraînement à la mise à mortieuse, au maniement du couteau, de la corde, du pistolet et du pistolet mitrailleur, à la manœuvre d'un bateau, à la lecture de carte, au morse stage de parachutisme près de Manchester stage final, près de Beaulieu, pour apprendre à repérer des filatures, à changer d'adresse au bon moment, à dissimuler sa personnalité, à apoiante des interrogatoires brutaux. Maurice Buckmaster escreve no filho dossiê que «Biéler était le meilleur stagiaire que le SOE ait jamais eu». Biéler choisit son surnom «Guy» comme nom de guerre.

Dans la nuit du 17 au 18 novembre, en compagnie de Michael Trotobas «Sylvestre» (qui vient ex-le réseau FARMER dans la région de Lille) et d'Arthur Staggs, (opérateur radio de Trotobas), Gustave Biéler est parachuté d'un bombardier près de Beaune-la-Rolande (entre Pithiviers et Montargis, dans le Loiret). A missão que lui a confiée la seção F consiste à agir en tant que filho representante auprès du réseau CARTE na região de Lille, à communiquer ses instruções et à rester en contact avec le réseau FARMER de Trotobas. Malheureusement, du fait de l’obscurité, Biéler atterrit sur des rochers et se blesse grièvement à la colonne vertébrale. Ses compagnons, Trotobas et Staggs, lui conseillent de demander un retour en Angleterre. Comme il refuse, ils l’amènent à Paris. Le matin du 18, ils prennent le train pour Paris à la gare d'Auxy-Juranville. Chegando a Paris, seu confidente Gustave Biéler à Marie-Louise Monnet et sa fille, 38 avenue de Suffren, à l'étage en dessous de celui des sœurs Germaine et Madeleine Tambour du réseau Prosper-MÉDICO. A partir deste plano, você vai pegar os primeiros contatos com a resistência para o filho constituinte do Tell-MUSICIAN.

Em février 1943, a ruptura est patenteada entre CARTE et le SOE, e se concretiza par le retour d'André Girard à Londres. De ce fait les consignes initiales que Biéler a reçues du SOE ne sont plus relevantes. Il prend alors progressivement en charge la direction d'une organization de résistance qui émerge dans la zone de Saint-Quentin, qui est alors un sous-réseau du réseau Prosper-PHYSICIAN, et qui va devenir le réseau MÚSICO. Le 7 avril, Biéler se enviou assez rétabli pour se rendre dans la zone de Saint-Quentin. Il s’installe dans la maison d'Eugène Cordelette, géomètre dans le village de Fonsomme. Connu sous le nom de «Commandant Guy», il développe son réseau, qu'il appelle aussi réseau Tell. Très doué pour la communication et l’organisation, en tant que chef du réseau Tell-MUSICIAN, il travaille avec des agents du SOE amis et des membres de la résistance, pour organizador des missions de sabotage très productives. Il reçoit apreender parachutages d'armes et d'explosifs. Vingt-cinq équipes de Biéler, réparties dans différentes zones du nord de la France, réussissent à endommager ou détruire des équipements allemands, tels que des réservoirs de stockage de pétrole, des moyens ferroviaires (destruição de um convoi de troupes, déraillement de 20 trens, endommagement de 20 locomotives avec de la graisse abrasive, sabotage d'usines de réparation et de locomotives, treize coupures de la ligne Paris-Cologne), des ponts, des écluses et des tracteurs électriques utilisés pour remorquer les barges sur les chemins fluviaux . Seus esforços repetem entravent les mouvements ennemis d'armes et de troupes, mais finalement l’action la plus importante de Biéler porte sur la preparation du débarquement. Ses opérations sont si réussies que les Allemands mettent en place une chasse à l’homme pour le capturer, lui et son équipe.

Em setembro, a agência SOE Yolande Beekman comme opérateur radio attitré de MUSICIAN. Jusque-là, Biéler utilisait les moyens radio du réseau Prosper-PHYSICIAN. Sur le point d'être arrêté, Michael Trotobas «Sylvestre», qui avait constitué le réseau de sabotage FARMER na região de Lille, est tué, em décembre, par les Allemands lors d'une fusillade. Biéler contribui para a manutenção FARMER en activité.

La Gestapo chegou Biéler et Yolande Beekman au Café Moulin Brûlé à Omissy le 13 janvier 1944. Au quartier général de la Gestapo, ils sont torturés à de nombreuses reprises, mais ne cèdent pas. Quelques mois plus tard, Biéler est transféré au camp de concentração Flossenbürg, dans la région de l’Oberpfalz en Bavière, où les tortures brutales se poursuivent. Les Allemands n’obtiennent rien de lui.

Les Allemands, qui avaient aquis un sure respect pour lui, font fusiller le major «Guy» Biéler mutilé et décharné par une escouade d'exécution avec une garde d'honneur, le 5 setembre 1944.


Despachos

Hoje marca o 75º aniversário da abertura do Camp X & rsquos e, em homenagem à ocasião, observamos a história da camp & rsquos, desde o início até o fechamento, e alguns dos principais pontos intermediários.


6 de dezembro de 1941: STS 103

Com a Segunda Guerra Mundial bem encaminhada, a necessidade de operativos de inteligência qualificados aumenta. STS 103, & lsquoSpecial Training School # 103 & rsquo ou Camp X, como viria a ser conhecido, foi inaugurado por Mac MacDonald, o primeiro guarda estacionado no campo para manter os estranhos fora antes da chegada do C.O. e seus ajudantes.

Filmado em 1943, uma vista aérea do acampamento X em Whitby, Ontário.

O campo é administrado em conjunto pelos militares canadenses, com a ajuda dos Negócios Estrangeiros, da RCMP e da Coordenação de Segurança Britânica (BSC). O BSC nomeia William Stephenson como o chefe do acampamento, e seu primeiro oficial comandante é o tenente-coronel Arthur Terence Roper-Caldbeck, e seus objetivos principais são atuar como um link de comunicação para a Grã-Bretanha e os EUA, e para treinar agentes que poderiam ser implantado atrás das linhas inimigas.

7 de dezembro de 1941: Pearl Harbor

Apenas um dia após as portas do acampamento X & rsquos serem abertas, o Japão lança um ataque devastador a Pearl Harbor, atraindo os Estados Unidos para a guerra. Logo depois, a agência de inteligência dos EUA, OSS, (Office of Strategic Services) começa a enviar agentes para treinar no Camp X & mdash, alguns dos quais mais tarde se tornariam os primeiros diretores do C.I.A.

Em pouco tempo, o acampamento começa a receber solicitações de Londres e Nova York não apenas de agentes, mas também de instrutores de agentes. O acampamento X, em certo sentido, torna-se um canal de agentes secretos para o esforço de guerra aliado e, em poucos meses, os primeiros estagiários começam a se deslocar para a França.

5 de abril de 1942: The Silent Killer & rsquos Brush With Death

Considerado um dos assassinos mais perigosos do mundo, William Fairbairn chega ao acampamento X para ensinar o combate corpo a corpo. Um policial veterano em Xangai, Fairbairn era um especialista em artes marciais que treinou recentemente a equipe que assassinaria com sucesso o oficial nazista Reinhard Heydrich, o açougueiro de Praga, considerado um dos principais arquitetos do Holocausto.

William Fairbairn demonstra como desarmar e contra-atacar um inimigo.

A primeira noite de Fairbairn & rsquos no acampamento X estava quase condenada, no entanto, quando um incêndio começou no refeitório. Feito quase inteiramente de madeira, o fogo se espalhou rapidamente para os dormitórios. Quando a notícia do incêndio se espalhou, o guarda Mac MacDonald encontrou Fairbairn em seu quarto tentando reunir seus objetos de valor. Fairbairn ignorou seus apelos para desocupar e continuou tentando recolher suas coisas. MacDonald foi forçado a chamar o instrutor de combate (e lutador vencedor de medalhas olímpicas) George de Relwyskow, que entrou pela janela e ajudou MacDonald a puxar Fairbairn para um lugar seguro, sem qualquer um de seus pertences pessoais.

O incêndio e a única vítima? Tenente-coronel Roper-Caldbeck e cachorro rsquos, Bessie.

Verão de 1942: Hydra

Peças para o sistema de telecomunicações de última geração do Camp X & rsquos, que acabou recebendo o codinome Hydra pelos homens que o operariam, começa a chegar em caixas em abril. Bill Hardcastle e Pat Bayly recebem a tarefa de montá-lo e, no verão, Hydra estará totalmente operacional e com linhas diretas para Ottawa, Nova York e Washington, D.C.

Hydra chega ao acampamento X em caixas, aguardando montagem.

A topografia ao redor do Lago Ontário o torna um local ideal para captar sinais de rádio, e Hydra é colocado para trabalhar codificando e decodificando centenas de milhares de mensagens. It & rsquos acreditava que Hydra estava enviando e recebendo mais de 12.000 mensagens para a Inglaterra & rsquos Bletchley Park diariamente.

19 de agosto de 1942: tragédia em Dieppe

6.000 soldados aliados, a maioria canadenses, invadem as praias de Dieppe com a intenção de tomar o porto e coletar informações. Quando o ataque termina, as forças aliadas sofreram aproximadamente 60% de baixas. A falha reforça a necessidade de agentes secretos operando atrás das linhas inimigas em apoio a ataques anfíbios de apoio.

Enquanto isso, no acampamento X, o tenente-coronel Bill Brooker, indiscutivelmente o oficial comandante mais popular da escola, sucede Roper-Caldbeck como comandante do acampamento.

18 de novembro de 1942: Gustave Bi & eacuteler

O SOE envia Gustave Bi & eacuteler, um ex-montrealense, à França. Apesar de se ferir durante a aterrissagem de paraquedas, ele organiza inúmeras missões para sabotar suprimentos e logística alemães e é considerado um dos melhores agentes da SOE & rsquos. Bi & eacuteler causa tantos estragos que a Gestapo é forçada a criar uma equipe especial para rastreá-lo e capturá-lo.

Eventualmente, Bi & eacuteler será encarregado da tarefa monumental de ajudar a pavimentar o caminho para a invasão do Dia D.


Março de 1943: Brooker Out, Skilbeck In

O OSS pressiona o BSC pelos serviços sempre populares de Bill Brooker e rsquos, e ele abandona sua posição como oficial comandante do acampamento. O tenente-coronel Cuthbert Skilbeck se torna a escolha óbvia para substituí-lo, e ele se torna o terceiro e último chefe do Camp X & rsquos.


13 de janeiro de 1944: Agentes apreendidos

A Gestapo se aproxima de Gustave Bi & eacuteler, prendendo-o e sua colega agente Yolande Beekman em um café & eacute em Saint-Quentin, França. Os dois são transferidos para a sede da Gestapo, separados e torturados. Nenhum dos dois quebra.

Eventualmente, Bi & eacuteler é enviado para o campo de concentração de Flossenb & uumlrg e executado com uma guarda de honra em 5 de setembro de 1944. Beekman é morto junto com três outros agentes, incluindo Noor Inayat Khan, em Dachau em 13 de setembro de 1944.

Morto em 1944, Gustave Bi & eacuteler foi considerado um dos melhores agentes da SOE & # 39s.

As equipes Bi & eacuteler & rsquos, uma mistura de agentes SOE e Resistência Francesa estão espalhadas por partes do norte da França e ainda terão um papel central na invasão do Dia D, destruindo ferrovias, pontes, transportes de tropas e depósitos de gasolina e dificultando o movimento e suprimentos do inimigo.


12 de junho de 1944: Taschereau Behind Enemy Lines

Apenas seis dias após a invasão, o canadense Leonard Jacques Taschereau é lançado na França, onde, como Bieler, ele se destaca em desmantelar a máquina de guerra alemã. Ele assume o comando de uma equipe de lutadores da resistência e começa a liderar ataques contra as forças alemãs.

Ele é creditado por ter plantado bombas em 22 locomotivas em uma única noite.


Outubro de 1944: Andy Durovecz é capturado na Hungria

As operações da SOE na Europa continuam e o recruta do Campo X, Andy Durovecz, é despachado para a Hungria. Ele é separado de sua equipe ao pousar, mas segue para um abrigo designado, fazendo amizade com a mulher que mora lá antes de tentar continuar sua missão.

Algum tempo depois, a caminho de Budapeste, Durovecz é capturado e espancado pela Gestapo, que acredita que ele seja um agente russo ou britânico. He & rsquos mudou-se para a prisão de Zugliget, perto de Budapeste, mas conseguiu uma fuga ousada e voltou ao Canadá em junho de 1945.

Não muito depois, outro agente do Campo X, Joe Gelleny, também escaparia da prisão de Zugliget e viveria para contar a história.


Final de 1944: o acampamento X fecha as portas

À medida que os países europeus são libertados das mãos dos alemães, a necessidade de agentes da SOE & rsquos começa a diminuir e o Campo X é fechado na segunda metade de 1944.

Alguns dos instrutores do acampamento mudam-se para Commando Bay, na Colúmbia Britânica, onde eles usam o treinamento de agentes asiático-canadenses para a guerra no Pacífico.

8 de maio de 1945: Vitória na Europa

A Europa comemora quando a Alemanha oferece sua rendição incondicional aos Aliados e o Dia do VE é declarado. Em uma transmissão histórica, Bletchley Park envia uma mensagem em código morse ao acampamento X, anunciando à América do Norte pela primeira vez que a guerra acabou.

Bill Hardcastle do acampamento X & # 39 no dia VE, ele tirou esta foto de si mesmo usando um flash de obturador retardado.

Depois de ouvir as boas novas, Bill Hardcastle, que havia enviado a primeira mensagem de Hydra para a Inglaterra, captura a alegria do momento tirando uma foto ele mesmo no acampamento X.

5 de setembro de 1945: Gouzenko e a Guerra Fria

Quando a Segunda Guerra Mundial termina, o escrivão russo Igor Gouzenko, com base em Ottawa, deixa a União Soviética. Ele entrega uma grande quantidade de informações sobre os planos de Stalin & rsquos para roubar segredos nucleares e expõe os canadenses que estavam espionando para a União Soviética. Sua deserção é considerada por muitos como o catalisador da Guerra Fria e do nascimento do macarthismo.

Para proteger seu anonimato, Gouzenko usava um capuz branco, sua marca registrada, sempre que aparecia em público.

Temendo represálias soviéticas, a RCMP leva Gouzenko ao Campo X para sua proteção. Os documentos fornecidos por Gouzenko levaram à prisão de 39 suspeitos, 18 dos quais foram condenados. Ele finalmente muda seu nome para George Brown e vive o resto de sua vida em Toronto, Ontário.


1964: Corpo de Bombeiros de Whitby

O Corpo de Bombeiros de Whitby usa a casa da fazenda Sinclair para treinamento, queimando o prédio no processo. A casa da fazenda Sinclair atuou como comandante do acampamento X & rsquos e QG do rsquos durante a guerra e também foi usada como um centro de treinamento para todos os agentes depois que a residência do C.O.s estava pronta para ocupação. Como resultado, muitos danos foram causados ​​à casa.


1947-1969: Estação sem fio Oshawa

O Royal Canadian Corps of Signals reaproveita o campo e seu nome passa a ser a Estação Sem Fio de Oshawa. Essencialmente, ele se transforma em posto de escuta do espião e é usado para espionar os soviéticos. As operações nessa capacidade cessaram em 1969, quando tudo o que restou do campo foi jogado no Lago Ontário. Os registros pertencentes ao Campo X são destruídos após a guerra ou trancados sob a Lei de Segredos Oficiais.


O acampamento hoje

Hoje, o local do Camp X é chamado de Intrepid Park, em homenagem a William Stephenson e rsquos nom-de-guerre, Intrepid. Além dos buracos na cratera deixados por exercícios com explosivos e o estranho projétil de morteiro enferrujado, não restam muitas evidências do que já foi a primeira escola de espionagem da América do Norte.


Com base na pesquisa fornecida pelo historiador do Camp X, Lynn Philip Hodgson.


Gustave Biéler

Gustave Daniel Alfred Biéler DSO MBE (26 de março de 1904 - 5 de setembro de 1944) foi um agente executivo de operações especiais durante a Segunda Guerra Mundial.

Gustave Bieler nasceu em Beurlay, na França. Aos vinte anos, ele emigrou para o Canadá, onde se estabeleceu na cidade de Montreal, trabalhando como professor escolar e depois como tradutor oficial da Sun Life Assurance, tornando-se cidadão canadense. No início da Segunda Guerra Mundial, embora casado e com dois filhos, Biéler alistou-se no exército canadense em Le Regiment de Maisonneuve e foi enviado para uma base na Grã-Bretanha. Sua esposa Marguerite Geymonat trabalhou como locutora para as tropas na Europa na Radio Canada International. Por causa de sua familiaridade com a França e sua fluência nas línguas francesa e inglesa, ele se juntou ao "Executivo de Operações Especiais" em Londres.

Conhecido pelo apelido de "Guy" durante a guerra, após seu treinamento especializado, o coronel Maurice Buckmaster, o comandante da SOE, escreveu em seu arquivo que Biéler era o melhor aluno que a SOE tinha. Em 18 de novembro de 1942, Biéler, junto com a operadora sem fio Arthur Staggs e Michael Trotobas foram lançados de pára-quedas na França. Infelizmente, no escuro da noite, Biéler feriu gravemente as costas depois de pousar em rochas e passou vários meses se recuperando.

Ele tinha fortes habilidades de comunicação e organização e, como chefe da Musician Network ele conseguiu trabalhar com outros agentes da SOE e membros do Saint-Quentin no norte de Aisne departamento, As 25 equipes de Biéler, espalhadas por diferentes áreas do norte da França, tiveram sucesso em danificar ou destruir tanques alemães de armazenamento de gasolina, linhas ferroviárias, pontes, eclusas de canais e os tratores elétricos usados ​​para rebocar barcaças nas vias navegáveis. Seus esforços repetidos dificultaram o movimento de armas e tropas inimigas, mas a tarefa mais importante para Biéler acabaria sendo os preparativos para o Dia D.

Suas operações foram tão bem-sucedidas que os alemães instituíram uma caça ao homem especial para pegá-lo e sua equipe e, em 13 de janeiro de 1944, a Gestapo prendeu ele e a agente Yolande Beekman no Café Moulin Brulé em Saint-Quentin. No quartel-general da Gestapo, os dois foram torturados repetidamente, mas nunca se separaram e, alguns meses depois, Biéler foi transferido para o campo de concentração de Flossenbürg na região de Oberpfalz, na Baviera, onde a tortura brutal continuou. Não obtendo nada dele, os alemães dos quais ele conquistou muito respeito, executaram um aleijado e emaciado Major Guy Biéler por um pelotão de fuzilamento com uma guarda de honra, em 5 de setembro de 1944.

Biéler's contribution to freedom was recognized with the Distinguished Service Order (DSO) and he was made a Member of the Order of the British Empire (MBE). In Saint-Quentin, France, he was adopted by the citizens as a folk hero not only for his exploits and bravery but also because he was someone who did everything possible to avoid civilian casualties. O "rue du Commandant Guy Biéler" in Saint-Quentin was named for him and as one of the SOE agents who died for the liberation of France, he is listed on the "Roll of Honor" on the Valençay SOE Memorial in the town of Valençay, in the Indre département. As well, Major Biéler is recorded on the Groesbeek Memorial in Groesbeek Canadian War Cemetery in the Netherlands. On 22 July 2007 an exhibit on Bieler was unveiled at the opening of the museum in commemoration of all those who suffered and died at the Flossenbürg Camp at Flossenbürg, KZ, Germany. There are memorials honoring Bieler at Morcourt, and Fonsommes (France), on the memorial in a park in Wesmount, (Québec).The Centre Juno Beach at Courseulles-sur-mer has a plaque honoring:"Canadians behind enemy lines. Canadian Agents with the British Special Services". There is a Bieler lake in Canada. The veterans' residence in Montreal (Québec) is named after him.


Recunoaştere

Premii

  • Regatul Unit: contribuția lui Biéler la libertate a fost recunoscută prin Ordinul Serviciului Distins (DSO) și a fost numit membru al Ordinului Imperiului Britanic (MBE).
  • Franța: Croix de Guerre În Saint-Quentin, Franța, el a fost adoptat de cetățeni ca erou popular nu numai pentru faptele și curajul său, ci și pentru că a fost cineva care a făcut tot posibilul pentru a evita victimele civile.

Monumente

  • Rue du Commandant Guy Biéler ” din Saint-Quentin a fost numit după el.
  • Fiind unul dintre agenții SOE care au murit pentru eliberarea Franței, el este listat pe „Rolul de Onoare” de la Memorialul SOV Valençay din orașul Valençay , în departamentulIndre .
  • Există memorialuri care onorează Bieler la Morcourt și Fonsommes (Franța)
  • Centrul Juno Beach de la Courseulles-sur-Mer are o placă care onorează: „canadienii din spatele liniilor inamice. Agenți canadieni cu serviciile speciale britanice”.
  • Maiorul Biéler este înregistrat la Memorialul Groesbeek din cimitirul de război canadian Groesbeek din Olanda .
  • Există un lac Bieler în Canada.
  • Reședința veteranilor din Montreal (Québec) îi poartă numele.
  • Memorialul Bieler într-un parc din Westmount , (Québec)

Expoziţie

La 22 iulie 2007 a fost prezentată o expoziție despre Bieler la deschiderea muzeului în comemorarea tuturor celor care au suferit și au murit în tabăra Flossenbürg din Flossenbürg, KZ, Germania.


Gustave Bieler - History

A number Gustave Eiffel's works are in danger today. Some have already been destroyed, as in Vietnam. A proposal to demolish the railway bridge of Bordeaux (also known as the "passerelle St Jean"), Eiffel's first major work, resulted in a large response from the public. Actions to protect the bridge were taken as early as 2002 by the Association of the Descendants of Gustave Eiffel, joined from 2005 onwards by the Association Sauvons la Passerelle Eiffel ("Association to Save the Eiffel Bridge"). They led, in 2010, to the decision to list Eiffel's Bordeaux bridge as a French Historical Monument.

In 2018 Gustave established the Gustave Blache Art Scholarship with The School of Visual Arts and the Louisiana Endowment for the Humanities. The scholarship covers half the tuition for two students from Louisiana chosen to attend the School of Visual Arts in New York City. The scholarship is an extension of a Blache’s commitment to community and education.

In 2013 Gergő Dorozsmai and Csaba Szabó formed Gustave Tiger. They hrecruited Péter Mezősi as the drummer for the band, while Dorozsmai sings and Szabó plays the bass. Their first album, Mitanni Mares, was released on 24 September 2013 including seven songs which were recorded at the Tom-tom studios in Budapest, Hungary. The lyrics were written by Dorozsmai and Szabó. For the song Countess Bathory the band hired Erika Szurcsik as a singer. The band made the album available for free download on their bandcamp site.

It has long been reputed that Gustave Eiffel, the French engineer behind the Eiffel Tower and the steel structure within the Statue of Liberty, was involved in the design and construction of San Sebastián, but this was never confirmed. However, it was confirmed later on that Eiffel was involved in designing and supplying the metal framework for San Ignacio Church in Intramuros, thus confirming the contribution of Eiffel in Philippine church architecture, if not in San Sebastian Church.

According to a book and newspaper story from the 1930s, Gustave Whitehead made a very early motorized flight of about half a mile in Pittsburgh in April or May 1899. Aviation experts debated the topic, and a few decided for Whitehead, while the great majority, such as Charles Harvard Gibbs-Smith, said the flights could not have occurred.

A less obvious, but still significant, influence on analytical Cubism is the leader of the 19th-century Realist movement, Gustave Courbet (1819–1877). Courbet painted figural compositions, landscapes, and still lifes. He gained notoriety for commenting on social issues in his works and painting subject matter that was considered to be too vulgar to be painted, like the life of the peasants, the working conditions of the poor, and prostitution.

In 1961, Floriot "braved President de Gaulle's wrath in winning a suspended sentence for General Gustave Mentre, an accused conspirator in the Algiers coup."

Born in Katarina Parish (Katarina församling) in Stockholm, Sweden, Anjou was the natural son of Carl Gustaf Jungberg and his housekeeper Maria Lovisa Hagberg. After serving a prison term in 1886 for forgery, Anjou changed his name to "Gustaf Ludvig Ljungberg" and then began using the alias "Gustave Anjou" (based on the maiden name of his fiancé, Anna Maria Anjou). Usually he used the alias "Gustave Anjou," but occasionally he also used the aliases "H. Anjou" and "M. Anjou." Gustave and Anna Maria married in 1889. After emigrating to the U.S. in 1890, Anjou took up residence on Staten Island (Richmond County, New York) and became a naturalized citizen in 1918. Anjou died on March 2, 1942 at Tottenville, Staten Island, and was buried in Fairview Cemetery (at West New Brighton, Castleton Corners, New York City). He was predeceased by both his Swedish-born wife Anna Maria Anjou (Oct. 21, 1860 – July 6, 1922) and by his only child.

Gustave Kahnt (1848–1923) was a Luxembourg composer and conductor of German origin.

Gustave Bertrand (1896&ndash1976) was a French military intelligence officer who made a vital contribution to the decryption, by Poland's Cipher Bureau, of German Enigma ciphers, beginning in December 1932. This achievement would in turn lead to Britain's celebrated World War II Ultra operation.

Gustave Biéler DSO MBE CdeG (1904–1944) was a Canadian Special Operations Executive agent during World War II.

* Famous Canadian Physicians: Dr. Gustave Gingras at Library and Archives Canada

Gustave Rudler (11 January 1872 – 17 October 1957) was a French scholar and academic, who served as the first Marshal Foch Professor of French Literature at the University of Oxford from 1920 until 1949.

Gustave Anicet Bebbe Mbangue (born 22 June 1982) is a Cameroonian professional footballer who plays for Turkish club Gebzespor. He is a winger, but also plays at forward.

Gustave Honoré Hamilton (27 March 1871, Brussels – 5 January 1951, Villefranche-sur-Mer ) was a 20th-century Belgian film actor.

Enock Gustave (born March 27, 1998), better known as his mononymous stage name enock, is an American hip hop recording artist, producer, and songwriter from Crown Heights, Brooklyn, New York City, New York.

Gustave Victorin Daladier was born on 23 March 1888 in Villedieu, France.

Gustave Lanson (5 August 1857 &ndash 15 December 1934) was a French historian and literary critic. He taught at the Sorbonne and the École Normale Supérieure in Paris. A dominant figure in French literary criticism, he influenced several generations of writers and critics through his teachings, which were anti-systematic and promoted a scrupulous and erudite approach to texts via extensive firsthand research, inventorying, and in-depth historical investigation.

Gustave Tassell (February 4, 1926 – June 9, 2014) was an American fashion designer and Coty Award winner who became a fashion star in the early 1960s with starkly refined clothes that appealed to women like Jacqueline Kennedy Onassis, Greer Garson and Princess Grace of Monaco. Tassell (pronounced Tass-SELL) designed clothes that Jackie Kennedy wore as first lady on a highly publicized goodwill tour of India in 1962. That year the fashion press hailed him as one of America's hottest new designers.

Cyprien Gustave Garrigou (24 September 1884 &ndash 23 January 1963) was one of the best professional racing cyclists of his era. He rode the Tour de France eight times and won once. Of 117 stages, he won eight, came in the top ten 96 times and finished 65 times in the first five.


Conteúdo

After his youth in Biel in the early baroque Palais Rockhall (today the director of the Biel Engineering School), he spent his school days in Biel and Geneva. In 1844 he went to Paris, where he was accepted into the famous engineering school École Centrale Paris and graduated as a mechanical engineer at the age of 20 with the title “Type de la régularité, de l'ordre, de l'intelligence et du travail. Nature remarquable sous tous les rapports pendant son séjour à l'Ecole “.

Gustave Bridel died of a stomach ailment in Bern on December 3, 1884, leaving behind three children (including Gustav Bridel, who later became head of the artillery weapons division) and his wife Marie-Louise Bridel-Carrel. In his memory, the Gustave-Bridel-Weg was marked in Biel and there is the Bridel-Strasse in Bern.


Bie - Bin

Bielecki, Ed. "MASINT: The Oldest 'INT.'" INSCOM Journal , Oct.-Dec. 1997, 12-14.

Includes an outline of the INSCOM MASINT organization.

[MI/MASINT GenPostwar/Issues/S&T][c]

Bienk, Dieter, and Christoph Nehrkorn. "Wideband Sensor Systems Revolutionise HF COMINT." Military Technology , May 1998, 19-23.

"The HF frequency band is employed by both military and civil organisations for strategic, operational and tactical radio communication. Because of the significance of the transmitted information, this frequency range is of great importance for communications surveillance (COMINT) activities."

[NSA/Sigint]

Bieler, Jacqueline. Out of Night and Fog: The Story of Major Guy Bieler. Ontario: CEF Books, 2008.

Clibbon, CBC News, 4 May 2010, notes that Gustave "Guy" Bieler was one of 25 Canadians recruited into SOE only 10 survived. Bieler was captured and killed by the Nazis while working with the French Resistance. The author is Bieler's daughter.

[Canada/WWII UK/WWII/Services/SOE]

Bierenbaum, William. Something for Everyone Is Not Enough. New York: Random House, 1971.

The author was one of the founders of the National Student Association.

[CIA/60s/Subsidies]

Bigelow, Michael E. "The Apache Campaigns Under General Crook: A Historical Perspective on Low-Intensity Conflict." Military Intelligence 16, no. 3 (1990): 38-40.

Bigelow, Michael E. "Big Business: Intelligence in Patton's Third Army." Military Intelligence 18, no. 2 (Apr.-Jun. 1992): 31-36.

Bigelow, Michael E. "Disaster along the Ch'ongch'on: Intelligence Breakdown in Korea." Military Intelligence 18, no. 3 (Jul.-Sep. 1992): 11-16.

Bigelow, Michael E. "Eisenhower and Intelligence." Military Intelligence 17, no. 1 (Jan.-Mar. 1991): 19-25.

Bigelow, Michael E. "The First Steps: Battalion S2s in World War I." Military Intelligence 18. no. 1 (Jan.-Mar. 1992): 26-31.

Bigelow, Michael E. "Intelligence in the Philippines." Military Intelligence 21, no. 2 (Apr.-Jun. 1995): 36-40.

Maj. Gen. Charles Willoughby, as Southwest Pacific Area G2, "was always either impressively correct or hopelessly incorrect. Unfortunately, Willoughby was hopelessly incorrect during the Luzon campaign . [when] the Sixth Army G2 [Col. Horton White] presented his commander a much more accurate enemy situation than Willoughby gave MacArthur."

[WWII/FEPac/Phil][c]

Bigelow, Michael E. [http://www.inscom.army.mil/journal/archive/archives.htm]

1. "A Solid Foundation." INSCOM Journal 30, no. 1 (Winter 2007): 4-7.

This is Part One of a multi-part history of INSCOM. It takes the organization from its formation in 1977 to the move to Fort Belvoir in 1989.

2. "The Next Chapter." INSCOM Journal 30, no. 2 (Spring 2007): 4-8.

This is Part Two of Bigelow's history of INSCOM. It focuses on the past 15 years -- from Just Cause to Desert Storm to the 9/11 terrorist attacks to the present.

Bigelow, Michael E. "Van Deman." Military Intelligence 16, no. 4 (Oct.-Dec. 1990): 38-40.

Bilefsky, Dan, and Maia de la Baume. "French Police Storm Hostage Sites, Killing Gunmen," New York Times, 9 Jan. 2015. [http://www.nytimes.com]

On 9 January 2015 the French police "killed the two brothers suspected of massacring 12 people at a Paris newspaper on [7 January 2015] and freed a hostage they had been holding unharmed. The police also killed another hostage-taker," Amedy Coulibaly, "an associate of the brothers, in a separate assault on a kosher supermarket in Paris." According to a senior police official, "[t]hree hostages were killed and five injured at the market, although it was not immediately clear how many of those may have been shot in the final assault. Five hostages were reported to have been freed unharmed."

[France/10s Terrorism/10s/15]

Bill, Alfred H. Rehersal for Conflict: The Story of Our War with Mexico . New York: Knopf, 1947.

Bill, James A. The Eagle and the Lion: The Tragedy of American-Iranian Relations . New Haven, CT: Yale University Press, 1988.

Billauer, Barbara Pfeffer. "The Backstory to the Battle of Jericho: A Study of Espionage, Strategy, and Fear." Intelligencer 20, no. 1 (Spring-Summer 2013): 39-49.

An interesting, scholarly take on an old story. Was Rahab Joshua's mole?

[Historical/Ancient]

Billigmeier, Scott D., and Edmund M. Glabus. "From World War II to Desert Storm: Perspectives on Military Intelligence." Officer Review, Jun. 1998, 2-5.

Bimfort, Martin T. "A Definition of Intelligence." Studies in Intelligence 2, no. 4 (Fall 1958): 75-78.

The author proposes the following: "Intelligence is the collecting and processing of that information about foreign countries and their agents which is needed by a government for its foreign policy and national security, the conduct of non-attributable activities abroad to facilitate the implementation of foreign policy, and the protection of both process and product, as well as persons and organizations concerned with these, against unauthorized disclosure."

[WhatIs?]

Bimmerle, George. "'Truth' Drugs in Interrogation." Studies in Intelligence 5, no. 2 (Spring 1961): A1-A19. [ Westerfield ]

Binder, David. "New CIA Estimate Finds Soviets Seek Superiority in Arms." New York Times , 26 Dec. 1976, 14.

This article is the begin point of the political-side of the controversy that engulfed the CIA's Team A/Team B competitive analysis exercise. It was followed by a New York Times editorial ("Handicapping the Arms Race," 19 Jan. 1977, 34) accusing the Team B members of political motivation in making "worst case" assumptions about Soviet intentions.

[Analysis/Soviet/Teams]

Binder, David. "The Tormented Life and Death of a CIA Man." Look , 11 Jun. 1979, 6-12, 18, 20.

This article concerns the "mysterious" death of former CIA employee John Paisley.

[CIA/70s]

Bines, Jeffrey. "The Establishment of the Polish Section of the SOE." In The Poles in Britain, 1940-2000: From Betrayal to Assimilation, ed. Peter D. Stachura, 21-32. London: Frank Cass, 2004.

Bingham, Price T. [LTCOL/USAF (Ret.)] "Theater Warfare, Movement, and Airpower." Airpower Journal 12 (Summer 1998): 15-26.

"[D]evelopments in surveillance and battle management technologies have dramatically increased airpower's capabilities against armies. Thanks to these developments, airpower has the potential in many situations to be the nation's main instrument for defeating an enemy army."

[MI/AF/90s]

Bingham, Woodbridge. "Historical Training and Military Intelligence." Pacific Historical Review 15 (Jun. 1946): 201-206. [ Petersen ]

Binnendijk, Hans, et al. "The Virtual Border: Countering Seaborne Container Terrorism." Defense Horizons [Center for Technology and National Security Policy, National Defense University] 16 (Aug. 2002): 1-9.

The "magnitude and diversity" of the global trade and transportation "system coupled with the permeability of U.S. borders afford numerous avenues to attack American targets. Maritime commerce, and container shipping in particular, provides a highly attractive means not only of delivering weapons but also of smuggling terrorists themselves into the American homeland."

[Terrorism/00s/Gen]

Binney, Marcus. Secret War Heroes: Men of the Special Operations Executive. London: Hodder & Stoughton, 2005.

A partir de publisher: "The author has undertaken ground-breaking research in previously classified Foreign Office files in order to write this book."

[UK/WWII/Service/SOE]

Binney, Marcus. The Women Who Lived for Danger: The Women Agents of SOE in the Second World War. London: Hodder & Stoughton, 2002. The Women Who Lived for Danger: The Agents of the Special Operations Executive. New York: Morrow, 2003. New York: Harper, 2004. [pb]

De acordo com Peake, Estudos 47.1 (2003), the author "tells the story of ten SOE women who served behind enemy lines. Some have had their stories told before, but recently released material from the British archives . has added new details. Binney includes chapters on training and agent life that provide essential background. The stories are well told and worth reading." For Banho de banheira, NIPQ 20.1, the author gives "a factual and compelling picture" and "helps put in perspective some of the more romanticized accounts of agent activities" published earlier. Rei, NIPQ 22.4, adds that the book "provides valuable details to well-established histories of the SOE."

[UK/WWII/Services/SOE Women/WWII/UK]


Assista o vídeo: Marco Rampini, architecte u0026 Yves Bach, ingénieur-civil, Genève (Janeiro 2022).