Notícia

Linha do tempo de Pergamon

Linha do tempo de Pergamon

  • 282 AEC - 263 AEC

    Filetaero, fundador da Dinastia Attalid, governa Pérgamo.

  • 263 AEC - 241 AEC

    Reinado de Eumenes I em Pérgamo.

  • 262 AC

    Eumenes se rebela e vence o selêucida Antíoco I. Início do Império Pérgamo.

  • 241 AEC - 197 AEC

    Reinado de Attalus I em Pergamon.

  • c. 237 AEC - 241 AEC

    Attalus I de Pergamon derrota os Gálatas nas cabeceiras do rio Caioc.

  • 218 AC

    Os Celtas Aegosages entram na Anatólia sob o comando de Attalos de Pergamon.

  • 197 AEC - 159 AEC

    Reinado de Eumenes II em Pergamon.

  • 188 AC

    Extensão máxima do Império Pergamon após a paz de Apamea.

  • c. 188 AC

    O tratado de Apamea Kibotos. Paz e aliança são estabelecidas entre o Império Selêucida e Roma, unidos por seus aliados, como Pérgamo e Rodes. Os selêucidas têm que evacuar todas as terras e cidades da Ásia Menor e pagar uma enorme indenização de guerra.

  • 187 a.C. - 183 a.C.

    Os Attalids de Pergamon estão em guerra com a Bitínia.

  • 183 a.C. - 179 a.C.

    Os Attalids de Pergamon estão em guerra com Pôncio.

  • 160 a.C. - 138 a.C.

    Reinado de Attalus II em Pergamon.

  • 138 a.C. - 133. a.C.

    Reinado de Attalus III em Pergamon.

  • 133 AC

    Attalus III, o último rei de Pérgamo, legou toda a cidade de Pérgamo a Roma.


Dinastia atálida

o Dinastia atálida (/ ˈ æ t əl ɪ d / Koinē grego: Δυναστεία των Ατταλιδών, romanizado: Dynasteía ton Attalidón) foi uma dinastia helenística que governou a cidade de Pérgamo, na Ásia Menor, após a morte de Lisímaco, general de Alexandre, o Grande.

Dinastia atálida
PaísReino de Pergamon
Região atualÁsia Menor Ocidental
Lugar de origemPaphlagonia
FundadorPhiletaerus
Régua finalAttalus III
Cabeça finalEumenes III
Deposição133 AC (133 AC)

O reino era um estado de rump que havia sido deixado após o colapso do Império Lysimachian. Um dos tenentes de Lisímaco, Filetaero, assumiu o controle da cidade em 282 aC. Os Attalids posteriores descendem de seu pai e expandiram a cidade em um reino.


Conteúdo

o Reino de Pergamon (azeitona colorida), mostrado em sua maior extensão em 188 AC

O reino de Attalid era o último estado remanescente após o colapso do reino da Trácia.

Os Atálidas, descendentes de Átalo, pai de Filetaero, que chegou ao poder em 281 aC após o colapso do Reino da Trácia, estavam entre os partidários mais leais de Roma no mundo helenístico. Sob Atalo I (241-197 aC), eles se aliaram a Roma contra Filipe V da Macedônia, durante a primeira e segunda Guerras da Macedônia, e novamente sob Eumenes II (197-158 aC), contra Perseu da Macedônia, durante a Terceira Guerra da Macedônia . Pelo apoio contra os selêucidas, os atálidas foram recompensados ​​com todos os antigos domínios selêucidas na Ásia Menor.

Os Attalids governaram com inteligência e generosidade. Muitos documentos sobrevivem mostrando como os Attalids apoiariam o crescimento das cidades através do envio de artesãos qualificados e da remessa de impostos. Eles permitiram que as cidades gregas em seus domínios mantivessem a independência nominal. Eles enviaram presentes para locais culturais gregos como Delfos, Delos e Atenas. Eles derrotaram os invasores celtas. Eles remodelaram a Acrópole de Pérgamo depois da Acrópole de Atenas. Quando Attalus III (138-133 AC) morreu sem um herdeiro em 133 AC, ele legou toda a Pergamon a Roma, a fim de prevenir uma guerra civil.

De acordo com o ensino e a tradição cristã, Pérgamo é onde mora Satanás, onde está seu trono, e o primeiro bispo de Pérgamo, Antipas, foi martirizado lá em ca. 92 DC. (Apocalipse 2:13)

O sultão otomano Murad III teve duas grandes urnas de alabastro transportadas das ruínas de Pérgamo e colocadas em dois lados da nave na Hagia Sophia em Istambul. & # 911 e # 93


Estudos anatômicos e médicos

Galeno considerava a anatomia a base do conhecimento médico e freqüentemente dissecava e fazia experiências em animais inferiores como o macaco Barbary (ou macaco africano), porcos, ovelhas e cabras. A defesa de Galeno da dissecção, tanto para melhorar as habilidades cirúrgicas quanto para fins de pesquisa, fazia parte de sua autopromoção, mas não há dúvida de que ele foi um observador preciso. Ele distinguiu sete pares de nervos cranianos, descreveu as válvulas do coração e observou as diferenças estruturais entre artérias e veias. Uma de suas demonstrações mais importantes foi que as artérias transportam sangue, não ar, como havia sido ensinado por 400 anos. Notáveis ​​também foram seus experimentos de vivissecção, como amarrar o nervo laríngeo recorrente para mostrar que o cérebro controla a voz, realizar uma série de transecções da medula espinhal para estabelecer as funções dos nervos espinhais e amarrar os ureteres para demonstrar o rim e funções da bexiga. Galeno foi seriamente prejudicado pelo tabu social prevalecente contra dissecar cadáveres humanos, no entanto, e as inferências que ele fez sobre a anatomia humana com base em suas dissecações de animais freqüentemente o levaram a erros. Sua anatomia do útero, por exemplo, é em grande parte a do cão.

A fisiologia de Galeno foi uma mistura de ideias tiradas dos filósofos Platão e Aristóteles, bem como do médico Hipócrates, a quem Galeno reverenciava como a fonte de todo o aprendizado médico. Galeno via o corpo como consistindo de três sistemas conectados: o cérebro e os nervos, que são responsáveis ​​pela sensação e pensamento, o coração e as artérias, responsáveis ​​pela energia vital e o fígado e as veias, responsáveis ​​pela nutrição e crescimento. Segundo Galeno, o sangue se forma no fígado e depois é transportado pelas veias para todas as partes do corpo, onde é consumido como alimento ou se transforma em carne e outras substâncias. Uma pequena quantidade de sangue penetra pelos pulmões entre a artéria pulmonar e as veias pulmonares, misturando-se ao ar e, em seguida, flui do ventrículo direito para o esquerdo do coração através de minúsculos poros na parede que separa as duas câmaras. Uma pequena proporção desse sangue é posteriormente refinada em uma rede de nervos na base do crânio (na realidade encontrada apenas em ungulados) e no cérebro para formar o pneuma psíquico, um material sutil que é o veículo da sensação. A teoria fisiológica de Galeno provou ser extremamente sedutora, e poucos possuíam as habilidades necessárias para desafiá-la nos séculos seguintes.

Com base nas concepções hipocráticas anteriores, Galeno acreditava que a saúde humana requer um equilíbrio entre os quatro principais fluidos corporais, ou humores - sangue, bile amarela, bile negra e catarro. Cada um dos humores é construído a partir dos quatro elementos e exibe duas das quatro qualidades principais: quente, frio, úmido e seco. Ao contrário de Hipócrates, Galeno argumentou que os desequilíbrios humorais podem estar localizados em órgãos específicos, bem como no corpo como um todo. Esta modificação da teoria permitiu aos médicos fazer diagnósticos mais precisos e prescrever remédios específicos para restaurar o equilíbrio do corpo. Como uma continuação das concepções hipocráticas anteriores, a fisiologia galênica se tornou uma influência poderosa na medicina pelos próximos 1.400 anos.

Galeno foi um gênio universal e um escritor prolífico: cerca de 300 títulos de obras dele são conhecidos, dos quais cerca de 150 sobreviveram total ou parcialmente. Ele era perpetuamente inquisitivo, mesmo em áreas distantes da medicina, como a lingüística, e foi um importante lógico que escreveu estudos importantes sobre o método científico. Galeno também foi um polemista habilidoso e um publicitário incorrigível de seu próprio gênio, e essas características, combinadas com a enorme variedade de seus escritos, ajudam a explicar sua subsequente fama e influência.


História Pergamum

Foi Alexandre, o Grande, quem removeu Pérgamo do controle persa, mudando completamente a paisagem da cidade em uma série de terraços. Quando Alexandre morreu, seu general Lisímaco assumiu o controle da região como Rei da Trácia.

Quando Lisímaco morreu em 281 aC, Pérgamo e a área circundante caíram nas mãos do homem que ele, por sua vez, tinha a responsabilidade de protegê-la: Filetaro. Filetarus governou Pérgamo como um governante independente.

Por meio de uma série de sucessões, Pérgamo caiu sob o governo de Attalus I e, em seguida, de seu filho Eumenes II. Ambos os reis faziam parte da dinastia helenística Attalid e foi nessa época que a maioria dos edifícios e monumentos mais famosos de Pérgamo foram construídos, especialmente sob Eumenes II (197-159 aC).

Pérgamo prosperou, tornando-se o centro do reino de Pérgamo, que apoiou muito Roma e se aliou a eles contra os macedônios nos séculos III e II DC. Em 129 aC, Pérgamo tornou-se parte do Império Romano, legado a Roma por Átalo III, que não tinha herdeiro. Isso explica a presença de obras de arte e templos romanos.

O próprio Júlio César uma vez visitou a cidade. Foi aqui que César prendeu e executou os próprios piratas que o sequestraram em 75 aC depois que ele os perseguiu após sua libertação. Mais tarde, Pérgamo tornou-se parte do Império Bizantino e permaneceu como uma cidade e metrópole importante durante esses períodos.


O assento de Satanás: Alemanha nazista

No primeiro século, era uma cidade próspera, mas depois de inúmeras guerras e desastres naturais, os templos de Pérgamo ficaram em ruínas. Em meados do século 19, a outrora grande cidade de Pérgamo mal era uma lembrança.

Os moradores locais usaram este local como pedreira, saqueando o mármore para novas construções, até 1864, quando um engenheiro alemão fez uma visita a Pérgamo. Carl Humann ficou chocado com a destruição dos artefatos de valor inestimável, então ele mesmo obteve permissão para escavar a cidade antiga. O que ele encontrou foi um dos maiores monumentos da história antiga: o Altar de Zeus.

Pedra por pedra, o altar foi escavado e levado para Berlim, onde foi remontado e colocado em seu próprio museu. O Museu Pergamon foi inaugurado em 1930, tendo o altar como peça central.

Por fim, o altar chamou a atenção de um jovem chamado Albert Speer, o novo arquiteto-chefe do Partido Nazista. O novo chanceler da Alemanha, Adolf Hitler, o havia contratado para projetar o terreno do desfile para os comícios do partido em Nuremberg.

Para se inspirar, Speer recorreu ao Altar Pergamon.

“Se você lê o alemão escrito por Speer, ele atribui todo o crédito a Hitler”, diz o Dr. Anthony R. Santoro, distinto professor de história e presidente emérito da Christopher Newport University. “Acho que ele é um bom decorador de interiores que alguém contrata, e aquele cliente já tem as ideias do que quer fazer, e o decorador concorda com ele. Então foi isso que Speer fez ”.

Usando o altar como modelo, Speer criou uma arquibancada colossal no local do comício em Nuremberg. Ficou conhecido como Zeppelintribüne. Depois da guerra, apenas uma pequena parte dela foi deixada de pé.

“Se você olhar os tipos de cerimônias que estavam em exibição no campo do Zeppelin com o templo reconstruído lá modelado no Altar de Pérgamo, você verá fotos de Hitler descendo as escadas, como uma tribuna do povo dos tempos romanos , ”Diz Santoro.

No meio da arquibancada, onde o altar de bronze de Zeus ficava na antiga Pérgamo, Albert Speer construiu o pódio de Hitler. Hitler queria criar o que chamou de "experiência de massa" e Speer teve a ideia perfeita.

A maioria dos comícios de Nuremberg foi realizada à noite, então Speer cercou a arquibancada com 150 holofotes. As colunas de luz se estendiam por quilômetros no céu, criando o efeito místico que Hitler queria:

"A reunião final em Nuremberg deve ser realizada de maneira tão solene e cerimonial quanto um serviço à Igreja Católica."

Esse efeito era conhecido como "Catedral da Luz" e se tornou uma marca registrada dos eventos de Hitler. Foi até usado nas cerimônias de encerramento dos Jogos Olímpicos de Verão de 1936 em Berlim.

“Bem, é uma forma muito barata de criar interesse”, diz Santoro. “Hitler conhece bem a mitologia alemã, seu entretenimento favorito é a ópera alemã, certamente Wagner e todas as histórias mitológicas que acompanham Wagner. E certamente sempre que você está olhando para a mitologia e os deuses, você está olhando para o céu. Portanto, não acho que seja por acaso que ele diz a Speer: ‘Vamos criar um ambiente de olhar para o céu, e é isso que acontece’ ”.

Dentro do recinto do comício, milhares de membros do Partido Nazista desfilaram em desfiles de tochas.

“Esses eventos acontecem à noite, o que dá um efeito contrastante de medo, de força, de desconhecido, de mistério, e isso é tudo pretendido por Hitler”, diz Santoro. “Ele é muito teatral. Tochas e fogo sempre fizeram parte da mitologia alemã. Acho que há um contexto quase místico e semirreligioso nesses desfiles de tochas, muitos deles na Alemanha nazista. ”

De seu pódio, Hitler hipnotizou a multidão:

"Nem cada um de vocês me vê e eu não vejo cada um de vocês. Mas eu te sinto. E você me sente!"

Então, sob a Catedral da Luz, milhares de alemães fizeram o que chamaram de “juramento sagrado”.

"Chamas ardentes nos mantêm juntos na eternidade.

Ninguém deve aceitar essa fé daqueles que se dedicam à Alemanha. "

De 1933 a 1938, centenas de milhares de pessoas se reuniram no campo Zeppelin em Nuremberg todo mês de setembro para o Reichstparteitag, ou Congresso do Partido Nazista. Mas foi o comício de 1934 que chamou a atenção do mundo, graças ao que pode ser o maior filme de propaganda de todos os tempos.

“O filme da festa de 1934, Triunfo da Vontade, que foi lançado em 1935, é a imagem consumada de Hitler ”, diz Santoro.” Nenhum outro filme jamais foi feito sobre Hitler, e ele não queria nenhum outro filme feito dele. Tudo o que ele queria que as pessoas soubessem sobre os nazistas está naquele filme. Foi mostrado continuamente por 12 anos na Alemanha. ”

Triunfo da vontade foi dirigido por uma jovem atriz alemã chamada Leni Riefenstahl.

“Ela era uma estrela de cinema famosa. Eu a caracterizaria como a Indiana Jones feminina ”, diz Santoro. “Ela era bonita, bem formada, popular e romântica. Hitler é um pouco romântico, então ele gostou dela. ”

O filme retratou Hitler como uma figura divina, o salvador do povo alemão.

“A entrada de Hitler no filme é do céu, como um messias que desce pelos céus, pelas nuvens, aos fiéis que o esperam lá embaixo”, diz Santoro. “Sempre que ele aparece, todas as pessoas que estão perto dele têm esses olhares estrelados - quase esses olhares vidrados como se estivessem na presença de um ser sobrenatural. Isso é intencional. ”

Em seus discursos, Hitler freqüentemente tomava emprestadas frases cristãs, como em uma cena com a Juventude Hitlerista.

“Depois de cantarem a música para ele, Salve Hitler a ti, que é quase como um canto religioso, ele entra em seu discurso e diz coisas como: 'Você é a carne da nossa carne e o sangue do nosso sangue'. Bem, ele pega isso emprestado do ritual católico romano, com o qual ele é muito familiar. É uma declaração muito física e ressoa com a multidão ”.

A popularidade de Hitler disparou após o lançamento de Triunfo da Vontade. No ano seguinte, mais de um milhão de alemães foram a Nuremberg para ouvir seu discurso.

Na noite de 15 de setembro de 1935, Hitler anunciou as Leis de Nuremberg.
“A lei para a proteção do sangue alemão e da honra alemã visa iniciar o processo de marginalização do povo judeu”, diz Santoro. “Hitler teve muito apoio popular durante grande parte de seu tempo no cargo. Não se obtém o apoio popular dizendo ao público que vamos colocar o povo judeu em câmaras de gás e incinerá-lo. O que ele fez foi marginalizá-los gradualmente. ”

Foi também em Nuremberg que Hitler usou a frase “Solução Final” pela primeira vez em público.

“Queixas amargas vieram de incontáveis ​​lugares, citando o comportamento provocativo dos judeus. Esta lei é uma tentativa de encontrar uma solução legislativa. Se essa tentativa falhar, será necessário transferir [o problema judeu]. ao partido Nacional Socialista para uma solução final. "

As Leis de Nuremberg privaram os judeus de seus direitos como cidadãos.

“Eles não podiam dar aulas nas universidades públicas, não podiam exercer a medicina nos hospitais públicos”, diz Santoro. “Eles não podiam hastear a bandeira nacional, mas podiam hastear a bandeira judaica. Em seguida, isso foi combinado com a lei de cidadania do Reich, que dizia que os judeus na Alemanha eram súditos do Reich, mas não cidadãos. ”

A "Solução Final" de Hitler agora é conhecida como Holocausto, uma palavra que vem de uma palavra grega que significa "um sacrifício de animal totalmente queimado".

Em 92 DC, o fiel mártir Antipas morreu, um "sacrifício totalmente queimado" no altar de Zeus em Pérgamo, o lugar que o livro do Apocalipse chama de "o trono de Satanás".

Séculos depois, em Nuremberg, no centro de um Altar de Pérgamo redesenhado, o touro de bronze foi substituído por um pódio. A partir daí, Adolf Hitler anunciou sua "Solução Final" para o mundo. e desta vez, o sacrifício queimado foi de seis milhões de judeus.


Fatos e informações importantes

História de Pergamon

  • De acordo com achados arqueológicos, o povoamento de Pérgamo pode ser rastreado até o século 8 aC.
  • Embora ferramentas da idade do bronze tenham sido encontradas em áreas ao redor de Pérgamo, não existe nenhuma evidência concreta de que pessoas habitavam a área durante a idade do bronze.
  • Registros literários indicam que a primeira menção de Pérgamo foi feita por um soldado e escritor grego chamado Xenofonte, quando ele descreveu o comando militar & # 8211 a marcha dos Dez Mil & # 8211 chegando ao fim em Pérgamo em 400 aC.
  • Quando Alexandre o Grande morreu em 323 aC, seus generais dividiram seu território conquistado, o que resultou em lutas pelo poder e divergências sobre quem ficaria com qual território.
  • Em 281 aC, Pérgamo era governado por Filetaero (retratado na moeda à direita), que fundou a dinastia Atálida e sua família governou Pérgamo por várias décadas.
  • Pelos próximos cem anos ou mais, Pergamon foi governado por pessoas diferentes: Eumenes, Attalus I, Eumenes II e assim por diante.
  • Durante o governo de Attalus III, Peramon foi entregue à república romana para que pudesse ser transformada na província romana da Ásia e permanecer como capital.
  • Muitas pessoas em Pérgamo não gostaram disso, então eles se revoltaram porque essa indisciplina custou a Pérgamo seu status de capital, e foi para uma cidade próxima com o nome de Éfeso.
  • Enquanto estava sob o governo de Adriano, Pérgamo recebeu o título de metrópole e, portanto, recebeu concessões de construção para construir templos, um estádio, um teatro, anfiteatro e spas luxuosos.

Arqueologia, estruturas e habitação em Pergamon

  • A descrição mais antiga e completa de Pergamon vem de Thomas Smith em 1668, que escreveu uma descrição detalhada da área.
  • No início do século 19, Charles Robert Cockerell (foto à direita) fez um relato detalhado da área, enquanto Otto Magnus von Stackelberg esboçou seus arredores.
  • Um volume adequado de planos, descrições e vistas da cidade e suas ruínas foi elaborado por Charles Texier, um arqueólogo, historiador e arquiteto francês.
  • Ao longo do final do século 19, o engenheiro alemão Carl Humann visitou Pergamon, planejou estudos topológicos, organizou expedições arqueológicas e transportou fragmentos de artefatos para a Alemanha (conhecida na época como Império Otomano) para análise.
  • O trabalho de Humann levou à abertura do Museu Pergamon no Império Otomano em 1907.
  • As escavações do local foram interrompidas pela Primeira Guerra Mundial, mas retomadas em 1927 sob Theodor Wiegand até 1939. Retomando após a Segunda Guerra Mundial, as escavações continuaram.
  • Após a Primeira Guerra Mundial, todas as escavações foram levadas para o Museu Bergama, na Turquia, em vez de para o Museu Pergamon na Alemanha.
  • Uma pequena parte dos artefatos também foi levada para o Museu Arqueológico de Istambul após sua inauguração em 1891.

Curiosidades sobre Pergamon

  • Pergamon realmente só se tornou importante durante a Era Helenística (323-30 aC).
  • A fortaleza e o palácio da dinastia attalid ficavam no pico da colina, e a cidade ocupava as encostas mais baixas.
  • Pergamon é um dos melhores exemplos de planejamento urbano meticuloso durante a era helenística.
  • O sitio de Pergamon serviu de inspiração para muitas belas obras de arte helenística e romana, incluindo o Grande Altar, que agora está no Museu de Pergamon em Berlim (foto abaixo).
  • Alguns locais importantes em Pergamon são o Grande Altar, Teatro, Templo de Dionísio, Templo de Atena, a Biblioteca, Trajaneum, Ginásio, o Santuário de Hera, Santuário de Deméter, Santuário de Asclépio e o Templo de Serapis.

Locais do Patrimônio Mundial: planilhas de Pergamon

Este é um pacote fantástico que inclui tudo o que você precisa saber sobre o Pergamon em 22 páginas detalhadas. Estes são Patrimônio Mundial pronto para usar: planilhas de Pergamon perfeitas para ensinar os alunos sobre Pergamon, que era uma opulenta cidade grega antiga localizada perto do Mar Egeu, na região do Egeu da Turquia. Foi a capital do Reino de Pérgamo e um dos principais centros culturais da Grécia. Tornou-se um Patrimônio Mundial da UNESCO em 2014.

Lista completa das planilhas incluídas

  • Fatos do Pergamon.
  • Map Puzzle.
  • Links mitológicos.
  • Biografia de Charles Cockerell.
  • A era helenística.
  • Parágrafo de opinião.
  • Pergamon Wordsearch.
  • Resposta ao Altar.
  • Nossos cinco sentidos.
  • Pergamon Acrostic.
  • Palavras cruzadas de Pergamon.

Link / cite esta página

Se você fizer referência a qualquer conteúdo desta página em seu próprio site, use o código a seguir para citar esta página como a fonte original.

Use com qualquer currículo

Essas planilhas foram projetadas especificamente para uso com qualquer currículo internacional. Você pode usar essas planilhas no estado em que se encontram ou editá-las usando o Apresentações Google para torná-las mais específicas para seus próprios níveis de habilidade dos alunos e padrões de currículo.


Geólogos Produzem Nova Linha do Tempo das Mudanças Climáticas Paleozóicas da Terra

Um dedo aponta para um pequeno fóssil de trilobita dos estratos Ordovicianos em Svalbard, Noruega. Crédito da imagem: Adam Jost

A temperatura de um planeta está ligada à diversidade de vida que ele pode suportar. Os geólogos do MIT agora reconstruíram uma linha do tempo da temperatura da Terra durante o início da era Paleozóica, entre 510 e 440 milhões de anos atrás - um período crucial quando os animais se tornaram abundantes em um mundo anteriormente dominado por micróbios.

Em um estudo publicado hoje no Proceedings of the National Academy of Sciences, os pesquisadores mapearam quedas e picos na temperatura global durante o início do Paleozóico. Eles relatam que essas variações de temperatura coincidem com as mudanças na diversidade da vida no planeta: climas mais quentes favorecem a vida microbiana, enquanto temperaturas mais frias permitem que animais mais diversos floresçam.

O novo registro, mais detalhado do que os cronogramas anteriores deste período, é baseado na análise da equipe de lamas carbonáticas - um tipo comum de calcário que se forma a partir de sedimentos ricos em carbonatos depositados no fundo do mar e compactados ao longo de centenas de milhões de anos.

“Agora que mostramos que você pode usar essas lamas carbonáticas como registros climáticos, isso abre a porta para olhar para trás em toda esta outra parte da história da Terra onde não há fósseis, quando as pessoas realmente não sabem muito sobre como era o clima ”, Diz o autor principal Sam Goldberg, um estudante de pós-graduação no Departamento de Ciências da Terra, Atmosféricas e Planetárias do MIT (EAPS).

Os co-autores de Goldberg são Kristin Bergmann, D. Reid Weedon, Jr. Professor de Desenvolvimento de Carreira na EAPS, junto com Theodore Present da Caltech e Seth Finnegan da University of California em Berkeley.

Para estimar a temperatura da Terra há muitos milhões de anos, os cientistas analisam fósseis, em particular, restos de organismos antigos com conchas que precipitaram da água do mar e cresceram ou afundaram no fundo do mar. Quando ocorre a precipitação, a temperatura da água circundante pode alterar a composição das conchas, alterando a abundância relativa de dois isótopos de oxigênio: oxigênio-16 e oxigênio-18.

“Por exemplo, se o carbonato precipita a 4 graus Celsius, mais oxigênio-18 acaba no mineral, da mesma composição inicial da água, [em comparação com] o carbonato precipitando a 30 graus Celsius”, explica Bergmann. “Portanto, a proporção de oxigênio-18 para -16 aumenta à medida que a temperatura esfria.”

Desta forma, os cientistas usaram conchas de carbonato antigas para rastrear a temperatura da água do mar circundante - um indicador do clima geral da Terra - no momento em que as conchas precipitaram pela primeira vez. Mas essa abordagem levou os cientistas apenas até certo ponto, até os fósseis mais antigos.

“Há cerca de 4 bilhões de anos na história da Terra em que não havia conchas e, portanto, as conchas nos fornecem apenas o último capítulo”, diz Goldberg.

Um sinal de isótopo aglomerado

A mesma reação de precipitação em conchas também ocorre na lama carbonática. Mas os geólogos presumiram que o equilíbrio do isótopo nas lamas carbonáticas seria mais vulnerável às mudanças químicas.

“As pessoas muitas vezes negligenciam a lama. Eles pensaram que se você tentar usá-lo como um indicador de temperatura, você pode estar olhando não para a temperatura original do oceano em que ele se formou, mas a temperatura de um processo que ocorreu mais tarde, quando a lama foi enterrada uma milha abaixo da superfície , ”Goldberg diz.

Para ver se as lamas carbonáticas podem preservar assinaturas de sua temperatura ambiente original, a equipe usou "geoquímica de isótopos aglomerados", uma técnica usada no laboratório de Bergmann, que analisa sedimentos para aglutinação, ou emparelhamento, de dois isótopos pesados: oxigênio-18 e carbono- 13 A probabilidade desses isótopos formarem pares em lamas carbonáticas depende da temperatura, mas não é afetada pela química do oceano em que as lamas se formam.

Combinar esta análise com medições de isótopos de oxigênio tradicionais fornece restrições adicionais nas condições experimentadas por uma amostra entre sua formação original e o presente. A equipe concluiu que esta análise poderia ser uma boa indicação de se as lamas carbonáticas permaneceram inalteradas em sua composição desde sua formação. Por extensão, isso pode significar que a proporção de oxigênio-18 para -16 em algumas lamas representa com precisão a temperatura original na qual as rochas se formaram, permitindo seu uso como um registro climático.

Os pesquisadores testaram sua ideia em amostras de lamas carbonáticas que extraíram de dois locais, um em Svalbard, um arquipélago no Oceano Ártico, e outro no oeste de Newfoundland. Ambos os locais são conhecidos por suas rochas expostas que datam do início da era Paleozóica.

Em 2016 e 2017, as equipes viajaram primeiro para Svalbard, depois Terra Nova, para coletar amostras de lamas carbonáticas de camadas de sedimentos depositados abrangendo um período de 70 milhões de anos, desde o Cambriano médio, quando os animais começaram a florescer na Terra, através do Ordoviciano períodos da era paleozóica.

Quando eles analisaram as amostras para isótopos aglomerados, eles descobriram que muitas das rochas haviam experimentado pouca mudança química desde sua formação. Eles usaram este resultado para compilar as razões de isótopos de oxigênio das rochas de 10 diferentes sítios paleozóicos iniciais para calcular as temperaturas nas quais as rochas se formaram. As temperaturas calculadas da maioria desses locais foram semelhantes aos registros de temperatura fóssil de baixa resolução publicados anteriormente. No final, eles mapearam uma linha do tempo da temperatura durante o início do Paleozóico e compararam com o registro fóssil daquele período, para mostrar que a temperatura teve um grande efeito na diversidade da vida no planeta.

“Descobrimos que quando estava mais quente no final do Cambriano e no início do Ordoviciano, também havia um pico na abundância microbiana”, diz Goldberg. “A partir daí esfriou indo do Ordoviciano médio ao final, quando vemos abundantes fósseis de animais, antes que uma idade do gelo substancial termine o Ordoviciano. Anteriormente, as pessoas só podiam observar tendências gerais usando fósseis. Como usamos um material muito abundante, pudemos criar um registro de alta resolução e ver os altos e baixos definidos com mais clareza. ”

A equipe agora está procurando analisar lamas mais antigas, que datam de antes do aparecimento dos animais, para avaliar as mudanças de temperatura da Terra antes de 540 milhões de anos atrás.

“Para voltar para além de 540 milhões de anos atrás, temos que lutar com lamas carbonáticas, porque elas são realmente um dos poucos registros que temos para restringir o clima no passado distante”, diz Bergmann.

Imagem do cabeçalho - Um dedo aponta para um pequeno fóssil de trilobita dos estratos Ordovicianos em Svalbard, Noruega. Crédito da imagem: Adam Jost


Linha do tempo de Pergamon - História

Prof. Scott Campbell (Programa de Planejamento Urbano e Regional, Universidade de Michigan)

Você tem alguma sugestão para uma nova entrada (especialmente entradas para ampliar, enriquecer, diversificar a forma como concebemos o planejamento)? Use este formulário simples do Google para inserir sua sugestão.
PS: para enviar uma correção ou modificação a uma entrada existente, você pode simplesmente me enviar um e-mail.

última atualização: 18 de outubro de 2020

NOTA: as datas de início / término das eras são frequentemente aproximadas (por exemplo, & quotProgressive Era & quot) e devem ser interpretadas como contornos aproximados de eras históricas sobrepostas.

  • livros / publicações importantes listados em vermelho escuro
  • datas-chave no planejamento da educação verde
  • novas cidades e projetos notáveis ​​(incluindo reutilização adaptativa) em tons de cinza
  • Planejamento ambiental e temas relacionados (sustentabilidade, ecologia, mudança climática, conservação da terra, gestão de recursos, etc.) anotados na coluna mais à direita (& quoteco & quot). Esta é uma categoria potencialmente ampla e provavelmente omiti entradas importantes importantes. Envie-me adições por e-mail (veja acima).

Hans Carl von Carlowitz. (1713). Sylvicultura Oeconomica, Oder Hau & szligwirthliche Nachricht und Naturm & auml & szligige Anweisung Zur Wilden Baum-Zucht. Leipzig: Braun. Em seu livro sobre silvicultura, o contador e administrador alemão desenvolveu a ideia de silvicultura de rendimento sustentado - muitas vezes vista como um antecedente para as concepções de desenvolvimento sustentável. [link para texto em alemão]

Pierre L.Enfant planeja a capital dos Estados Unidos

Robert Owen publica Relatório ao Comitê da Associação para o Alívio dos Pobres Industriais e Trabalhadores. (uma proposta para pequenas comunidades de aldeia de 1.200 para o alívio de cidades superlotadas)

Johann Heinrich von Th & uumlnen. 1826. Der isolierte Staat em Beziehung auf Landwirtschaft und National & oumlkonomie. Hamburgo. [& quotO Estado Isolado em Relação à Agricultura e Economia Nacional & quot - um esforço inicial para conceituar tipos de uso da terra ideais em relação à distância de um ponto de mercado central. um texto fundamental em geografia econômica]

James Silk Buckingham publica Males nacionais e remédios práticos, uma proposta de cidade modelo para absorver desempregados (nunca construída).

O desenvolvimento de Llewellyn Park, um complexo de vilas com paisagismo elaborado no sopé das Orange Mountains, em Nova Jersey. (um dos primeiros subúrbios americanos planejados)

O período de intensa reconstrução do Barão Haussmann de Paris (começando por volta de 1855)

Viena começou sua Ringstrasse desenvolvimento

Calvert Vaux e Frederick Law Olmsted começaram a planejar o subúrbio de Riverside, Illinois. (incorporada como uma vila em 1875). um dos primeiros exemplos de uma comunidade planejada americana.

O barão Haussmann foi forçado a renunciar ao cargo de prefeito de Paris

Benjamin Ward propõe sua cidade modelo de saúde chamada "Hygeia" para promover a longevidade e reduzir a mortalidade.

Edifício de Pullman, Illinois, cidade industrial modelo, iniciada por George Pullman (concluída em 1884)

Primeira residência: Toynbee House na Inglaterra

Estabelecimento do Guilda da vizinhança no Lower East Side de Nova York (considerada a primeira casa de assentamento dos EUA) [link]

Sitte, Camillo. 1889. Der St & aumldte-Bau nach seinen k & uumlnstlerischen Grunds & aumltzen: ein Beitrag zur L & oumlsung modernster Fragen der Architektur und monumentalen Plastik unter besonderer Beziehung auf Wien. Wien: C. Graeser & amp Co. [posteriormente traduzido como: Planejamento urbano de acordo com princípios artísticos]

Jacob Riis publica seu Como a outra metade vive, uma vista das favelas de Nova York, que estimulou a reforma habitacional.

Columbian Exposition in Chicago (roots of City Beautiful). Main architect: Burnham.

the National Municipal League founded

Ebenezer Howard publishes To-Morrow: A Peaceful Path to Real Reform (reprinted in 1902 as Garden Cities of To-Morrow)

"Greater New York" created out of the merger of the five boroughs.

Peter Kropotkin, Fields, Factories and Workshops [link]

the American Society of Landscape Architects founded

Charles M. Robinson publishes The Improvement of Towns and Cities or the Practical Basis of Civic Aesthetics. (New York), which emerged as a key statement of the City Beautiful Movement.

the McMillan Plan for Washington, D.C., redesigning the National Mall, in City Beautiful style

Letchworth constructed (as England's first Garden City, about 30 miles north of London)

Georg Simmel, "Die Großstadt und das Geistesleben" ["The Metropolis and Mental Life"]

The Garden Cities Association of America established (first Vice Pres.: the president of Long Island Railroad)

Stübben, Hermann Josef (1907). Der Städtebau. Stuttgart: A. Kröner. [part of the series Handbuch der Architectur (Handbook of Architecture) later translated as City Building available online both in German and English].

the first city planning commission (in Hartford, CT) established

First National Conference on City Planning in Wash. D.C.

Burnham's Plan of Chicago published (seen as the first regional-oriented plan in the U.S.)

Harvard offers the first course in city planning (in its School of Landscape Architecture)

Forest Hills Garden built as a middle- and upper-income garden city-like development in Queens, NY. (designed by Frederick Olmsted, Jr., and built by the Russell Sage Foundation)

Frederick Winslow Taylor publishes The Principles of Scientific Management, one of the fountainheads of the efficiency movements in the U.S. (including the City Efficient movement).

Perry, Clarence Arthur. 1914. The school as a factor in neighborhood development, by Clarence Arthur Perry, [Russell Sage Foundation, New York Pamphlet]. New York City,: Dept. of Recreation. [an early version of Perry's idea of the neighborhood unit as the foundation of planning]

Geddes, Patrick. 1915. Cities in evolution: an introduction to the town planning movement and to the study of civics. London: Williams & Norgate. [link]

first comprehensive zoning in the US (by New York City Board of Estimates)

American City Planning Institute (ACPI) established, with Frederick Law Olmsted, Jr. as 1st president

Bauhaus formed in Germany (Walter Gropius, director 1919 - 1928 later Hannes Meyer and then Ludwig Mies van der Rohe). Closed in 1933 after the Nazi regime comes to power.

Port Authority of New York created. To insure "faithful cooperation in the future planning and development of the port of New York." Empowered to operate "any terminal of transportation facility" within the port district. (later renamed the Port Authority of New York and New Jersey)

Max Weber, Die Stadt. [The City]

Creation of the Regional Planning Association of America ("RPAA") -- a small but influential group including Clarence Stein, Henry Wright, Benton MacKaye, Lewis Mumford, Alexander Bing, Catherine Bauer, and others.

U.S. Dept. of Commerce (under Secretary Herbert Hoover) issues a Standard State Zoning Enabling Act.

Sunnyside Gardens constructed (in New York, designed by Clarence Stein and Henry Wright)

first comprehensive plan officially endorsed by a major US city (Cincinnati)

Ernest Burgess publishes his "concentric zone" model of urban structure and land use.

Le Corbusier exhibits his "Plan Voisin" for Paris (a massively-scaled replacement of central Paris neighborhoods with highrises.) [link]

Survey Graphic Regional Planning Number (1925), edited by Lewis Mumford. [contained the writings of the Regional Planning Association of America]

Le Corbusier. 1925. Urbanisme, Collection de "L'esprit nouveau". Paris: G. Crès & cie. [later translated as The city of to-morrow and its planning]

Village of Euclid vs. Ambler Reality (constitutionality of zoning upheld by Supreme Court)

construction of Radburn, NJ, begun (a Garden City designed by Stein and Wright), located in what is now Fair Lawn, between Paterson and Paramus.

MacKaye, Benton. 1928. The new exploration a philosophy of regional planning. New York,: Harcourt.

26 mayors met in Detroit to appeal for federal support of Depression-hit cities (this group formally became the U.S. Conference of Mayors in 1933)

Wright, Frank Lloyd. 1932. The Disappearing City. New York, W. F. Payson. [Wright presents his idea for the decentralized "Broadacre City"]

Congress creates the Federal Emergency Relief Administration (FERA) in May

The Public Works Administration (PWA) created (in May), as part of the National Industrial Recovery Act (NIRA)

The Civil Works Administration (CWA) created (in November), later folded into the FERA in April, 1934

The National Planning Board established in the Interior Department to assist in the preparation of a comprehensive plan for public works. Its last successor agency, the National Resources Planning Board (NRPB), was abolished in 1943.&dagger

o Tennessee Valley Authority created to provide for unified and multi-purpose rehabilitation and redevelopment of the Tennessee Valley. (the most famous experiment in integrated river basin planning in the U.S.)

Housing Act of 1934 (establishes the FHA)

American Society of Planning Officials (ASPO) established.

The U.S. Resettlement Administration established to carry out experiments in land reform and population resettlement. (led by Rexford Tugwell). It built three Greenbelt towns (as early forms of new towns): Greenbelt, Maryland Greendale, Wisconsin and Greenhills, Ohio.

Congress created the Works Progress Administration (WPA)

The Social Security Act passed in August

Cornell offers regional planning classes through a Carnegie Corporation grant (a joint architecture and engineering program) [link]

The U.S. Housing Act (Wagner-Steagall). Set the stage for future government aid by appropriating $500 million in loans for low-cost housing. Tied slum clearance to public housing.

Farm Security Administration established, successor to the Resettlement Administration and administrator of many programs to alleviate the condition of the rural poor

Wirth, Louis. "Urbanism as a Way of Life." American Journal of Sociology 44 (1):1-24.

Homer Hoyt publishes his monograph, The Structure and Growth of Residential Neighborhoods in American Cities, outlining his theory of radial-sector.

ACPI renamed the American Institute of Planners (AIP)

New York World's Fair, which included the "Futurama" exhibit, designed by Norman Bell Geddes, at the General Motors Pavilion. The exhibit presented a vision of the rationally-planned city of the future, with superhighways and multi-leveled streets.

Serviceman’s Readjustment Act ("G.I. Bill"). Guaranteed loans for homes to veterans under urban favorable terms (which, in turn, accelerated suburbanization after the war).

Hayek, Friedrich. 1944. The Road to Serfdom. Londres: Routledge. [an argument for the benefits of decentralized markets and against centralized planning]

the Full Employment Act of 1946

the Housing and Home Finance Agency (predecessor of HUD) created to coordinate federal government’s various housing programs.

Construção de Levittown, NY, begun (a private-sector development to sell affordable houses to the new white middle-class with their FHA loans).

Coursework began at University of Chicago's Program for Education and Research in Planning [a pathbreaking, interdisciplinary planning program, treating planning as an applied social science rather than as an extension of architecture]. program terminated in 1956. &dagger

Housing Act of 1949 (Wagner-Ellender-Taft Bill). Aimed to provide about 800,000 units to be constructed over a period of six years. First U.S. comprehensive housing legislation. Title I: federal funding for slum clearance Title II: Federal Housing Administration (FHA) mortgage insurance Title III: federal funding for public housing. "The law was the product of seven years of bitter legislative stalemate and a shotgun wedding between enemy lobbying groups. It set lofty goals&mdashto eliminate slums and blighted areas and provide a decent home for every American family&mdashbut provided only the limited mechanisms of public housing and urban renewal to meet them" (von Hoffman, Alexander. 2000. "A study in contradictions: The origins and legacy of the housing act of 1949." Housing Policy Debate 11 (2):299).

Gruen, Victor and Smith, Lawrence P. "Shopping Center: The New Building Type. Progressive Architecture, June 1952, pp. 67&ndash109. [one of many of Gruen's early postwar writings on the shopping mall]

the Housing Act of 1954 (created the Urban Planning Assistance Program to aid states and localities). Also gave federal grants for councils of governments and other metropolitan planning agencies (early federal support for regional coordination). &dagger

No Berman vs. Parker, the U.S. Supreme Court upholds the right of Washington, D.C. Redevelopment Land Agency to condemn properties which are unsightly though nondeteriorated if required to achieve objectives of duly established area redevelopment plan.

Meyerson, Martin, and Edward C. Banfield. 1955. Politics, planning, and the public interest the case of public housing in Chicago, Glencoe, Ill. Free Press. [emphasizes the political nature of planning and the link between planning, urban politics and public support]

Passage of the U.S. Federal-Aid Highway Act (popularly known as the National Interstate and Defense Highways Act)

Development of Brasília, the new capital of of Brazil (planner: Lucio Costa architect: Oscar Niemeyer). Inaugurated in 1960.

Isard, Walter. 1956. Location and Space-Economy. New York: The Technology Press of Massachusetts Institute of Technology and John Wiley & Sons. [the foundational text by the "father" of regional science]

Tiebout, Charles M. 1956. "A pure theory of local public expenditures." Journal of Political Economy não. 64 (3):416&ndash424. [the classic statement of the "Tiebout Model"]

Perloff, H. 1957. Education for Planning: City, State, and Region. Baltimore: Johns Hopkins Press.

Chapin, F. Stuart. 1957. Urban land use planning. New York: Harper. [the first of many versions/editions of this standard text]

Regional Science Department established by the University of Pennsylvania (chair: Walter Isard) department closed in 1993. &dagger

Lindblom, C.E 1959. "The Science of 'Muddling Through," Public Administration Review 19 79-88. [seminal article on incremental planning]

Kevin Lynch, The Image of the City, MIT Press, Cambridge MA.

Lewis Mumford, The City in History: Its Origins, Its Transformations, and Its Prospects, Harcourt, Brace & World (New York).

Jane Jacobs, A morte e a vida das grandes cidades americanas [strongly criticized contemporary city planning and large-scale urban renewal, and argued that vibrant city life needed diversity, density, small-blocks, mixed-uses and vibrant streets and sidewalks for people, not just cars.]

Rachel Carson, Primavera Silenciosa (Houghton Mifflin). [a foundational text in the modern environmental movement]

Destruction of the above-ground portion of historic Pennsylvania Station -- the main train station in New York City, designed by McKim, Mead and White and completed in 1910. The failed protests against the demolition helped trigger the historic preservation movement.

the Economic Opportunity Act of 1964

The 1964 Urban Mass Transportation Act

Kent, T.J. 1964. The Urban General Plan. San Francisco: Chandler Publishing. [a foundational text by the founder of the UC Berkeley city planning program]

Anderson, Martin. 1964. The Federal bulldozer a critical analysis of urban renewal, 1949-1962, Cambridge,: M.I.T. Press.

Gruen, Victor. 1964. The heart of our cities the urban crisis: diagnosis and cure. New York: Simon and Schuster.

Alonso, William. 1964. Location and Land Use. Cambridge, Mass.: Harvard University Press. [an early, influential text on regional science. Alonso was a student of Walter Isard at Penn's regional science program.]

the Public Works and Economic Development Act of 1965 creates the Economic Development Administration (EDA)

the Department of Housing and Urban Development Act (HUD) to replace the old Housing and Home Finance Agency &dagger

Davidoff, Paul. "Advocacy and Pluralism in Planning." Journal of the American Institute of Planners no. 31 (4):544-555. [seminal article on advocacy planning] [link to the Davidoff Tapes Project at UMass Boston]

Altshuler, A.A. 1965. The City Planning Process: A Political Analysis Ithaca, New York Cornell University Press.

the 1966 Demonstration Cities and Metropolitan Development Act (including the Model Cities program)

Babcock, Richard F. 1966. The zoning game municipal practices and policies. Madison: University of Wisconsin Press. [helped assert the centrality of land use controls in community planning]

Urban Riots/Rebellions in Detroit, Newark and other cities (July)

Bacon, Edmund N. 1967. Design of cities. New York: Viking Press. [influential book based on Bacon's years as director of planning in Philadelphia]

Metropolitan Council (Minneapolis/St. Paul and surrounding region) created [a model of comprehensive regional planning]

the Housing and Urban Development Act of 1968

The New Communities Act of 1968 (which guaranteed private financial for private entrepreneurs to plan and develop new communities)

Garrett Hardin, 1968. The Tragedy of the Commons. Science, Vol. 162 no. 3859, pp. 1243-1248

NEPA: The National Environmental Policy Act (requiring an EIS for every federal or federally-aided state or local major action that would affect the environment)

McHarg, Ian L. Design with nature. Garden City, N.Y.: Natural History Press.

National Environmental Protection Agency (EPA) established. Administers the main provisions of the Clean Air Act (1970).

California passes the Coastal Zone Management Act (leading to the California Coastal Commission)

Beginning of destruction of Pruitt-Igoe public housing projects (St. Louis)

Castells, Manuel. 1972. La question urbaine. Paris,: F. Maspero. [later translated as The Urban Question]

The 1973 Oregon Statewide Land Use Law (leading to urban growth boundaries)

David Harvey, Social Justice and the City

Rittel, Horst W.J., and Melvin M. Webber. 1973. "Dilemmas in a General Theory of Planning." Policy Sciences Vol. 4:155-169. [introduces the idea of urban social problems as "wicked problems"]

Lee, Douglas. 1973. "Requiem for Large Scale Models." Journal of the American Institute of Planners (May).

Housing and Community Development Act of 1974. It establishes the block grant (CDBG), as opposed to the categorical grant, as the main form of federal aid for local development.

Henri Lefebvre, La production de l'espace, Paris: Anthropos. [later translated as The Production of Space]

Caro, Robert. 1974. The Power Broker: Robert Moses and the Fall of New York. New York: Alfred Knopf.

Peter Hall presents "Green Fields and Gray Areas" at the Royal Town Planning Institute Annual Conference (1977) promoting the &ldquofree port&rdquo idea for decaying neighborhoods, which would later emerge as the "enterprise zone" concept. see also: Hall, P. (1982). Enterprise zones: a justification. International Journal of Urban and Regional Research, 6(3), 416-421.

Hawaii becomes the first state to institute statewide zoning.

ASPO and AIP combined into the American Planning Association (APA)

William H. Whyte, The Social Life of Small Urban Spaces, Washington, D.C.: The Conservation Foundation.

Bluestone, Barry, and Bennett Harrison. 1982. The Deindustrialization of America. New York: Basic Books.

United Nations World Commission on Environment and Development (WCED), "Our Common Future" (commonly known as "the Brundtland Report"). [an important landmark in the development of the sustainability movement]

Harvey, David. 1989. The Condition of Post-Modernity. Oxford: Blackwell.

Soja, Edward. 1989. Postmodern Geographies: The Reassertion of Space in Critical Social Theory. London: Verso Press.

The Intermodal Surface Transportation Efficiency Act of 1991 (ISTEA). Federal law encouraging intermodal transportation policies, and granting new powers to Metropolitan Planning Organizations (MPOs).

New Jersey's State Development and Redevelopment plan adopted.

The Congress of New Urbanism (CNU) founded by Duany, Moule, Plater-Zyberk, and others.

The Regional Plan Association publishes A Region at Risk: the Third Regional Plan

Completion of the Guggenheim Museum Bilbao in the Basque region of Spain (construction began in 1993), designed by Frank Gehry. Hence the term: "Bilbao Effect" (the idea that building a high-profile cultural institution, designed by a prominent architect, will trigger increased media attention, tourism, cultural activity and investment)

the Georgia legislature creates the Georgia Regional Transportation Agency (GRTA) to address sprawl in Atlanta

The US Supreme Court rules in favor of eminent domain authority in the case Kelo v. City of New London

Sources include: many readings from my planning theory/history course (URP500) and elsewhere plus Albert Guttenberg's "Some Important Facts in the History of American Planning," Journal of Planning Education and Research, Vol. 7 (1). see also the APA's "100 Essential Books of Planning."&dagger" indicates a link to a source on this accompanying page. Special thanks to Robert Fishman for numerous suggestions. Additional thanks to Bri Gauger,

Online google form to suggest new entries here. Por favor email me corrections/modifications to exisiting entries.


Galenus of Pergamon – The most Accomplished Physician of Antiquity

In 129 AD , Greek physician , surgeon and philosopher in the Roman Empire Aelius Galenus also referred to as Claudius Galenus nasceu. Arguably the most accomplished of all medical researchers of antiquity , Galen influenced the development of various scientific disciplines , including anatomy, physiology , pathology , pharmacology , and neurology , as well as philosophy and logic .

“Employment is Nature’s physician, and is essential to human happiness.”
— attributed to Galenus, In: Day’s Collacon: an Encyclopaedia of Prose Quotations, (1884), p. 223.

Aelius Galenus – Early Years

Aelius Galenus was born in Pergamon (modern-day Bergama, Turkey) which was a major cultural and intellectual centre. It was famous for its library and attracted both Stoic and Platonic philosophers, to whom Galen was exposed at early age. Even though it was intended that Galen should study philosophy, his father changed his mind and at age 16, he began his four year studies at the Asclepieum dedicated to Asclepius, god of medicine. After the death of his father, Galen was financially independent and started traveling to Corinth, Crete, Cicilia, and Cyprus. This was followed by the medical school of Alexandria where Galen exposed himself to various schools of thought and medicine.

Physician to the Gladiators

Around the age of 28, Galen returned to Pergamon as a physician to the gladiators of the High Priest of Asia. There he learned the importance of diet, fitness and hygiene. He studied anatomy and the treatment of fractures and traumas. It is believed that only five death occurred among the gladiators during his time there, which is low compared to the sixty deaths which occurred in his predecessor’s time.

Court Physician in Rome

Around 162, Galen traveled to Rome in order to become a practicing physician there. However, he had severe conflicts with other physicians there and feared to be poisoned or exiled so he left the city. In 169 when the great plague broke out, the emperor summoned him back to Rome. He was ordered to accompany Marcus Aurelius and Lucius Versus to Germany as the court physician.[6] During the following spring however, Galen was left behind to act as physician to the imperial heir Commodus . There, Galen was able to write extensively on his medical studies. Galen was the physician to Commodus for much of the emperor’s life and treated his common illnesses. He later became physician to Septimius Severus during his reign in Rome.

Galenus of Pergamon probably passed away around the year 199. However, the sources on his death date differ.

The Unit of Body and Soul

Galen’s main medical work is the Methodus medendi, it consists of 14 books. The guiding principle here is that all phenomena in nature and in man fulfill a certain purpose. Galen understood man as a unit of body and soul, influenced on two sides, by the spiritual and by matter. He adopted the four-element doctrine developed in philosophy, according to which fire, earth, air and water in different compositions represent the basic elements of all being. He also continued the four-juice theory already developed in Hippocratic medicine, which assigned the four qualities (primary qualities) warm and moist, cold and moist, warm and dry and cold and dry to the four body juices blood, mucus, yellow bile and black bile. The four qualities of taste postulated by Galen (secondary qualities) are: Blood – sweet, mucus – salty, yellow bile – bitter, black bile – sour and hot. He also linked the four juices to the four phases of human life. Disease was for him a dyscrasia, a faulty mixture of juices. Galen attached particular importance to the examination of pulse and urine in the diagnosis of diseases.

Pharmacological Knowledge

Pathological changes in the well-balanced mixture of juices, which can be seen by heating, moistening, catching a cold or drying out the affected body parts, must be counteracted with counteracting drugs. In this context, the attraction of a part of the body to certain drugs, which could be caused by their similar nature on an elementary level, had to be taken into account. The pharmacology of the Islamic and Occidental cultural regions was oriented towards the complicated recipes of Galen until the late Middle Ages. Only under the influence of Paracelsus ‘s medical teachings did the theory of the manufacture and preparation of medicines, known as galenics, lose its importance in the course of the early modern period.[7]

Sections and Vivisections

Galenus carried out extensive sections and vivisections on animals and wrote nearly 400 writings, which were combined in 70 books after his death by Oribasius (326-403). Almost a quarter of these have been preserved in the Greek original or in Latin, Arabic or Syrian translations. Until the 17th century and beyond, they served as the basis for medical teaching at universities.


Assista o vídeo: Akropolis von Pergamon (Novembro 2021).