Notícia

Philadelphia gond. - História

Philadelphia gond. - História

Philadelphia gond.

PhiladelphiaI

(Gond: 1,57 '; b. 17'; dr. 2 '; cpl. 45; a. 1 12-pdr., 2 9-pdrs.)

A primeira Filadélfia, uma gôndola construída pelo general Benedict Arnold no Lago Champlain em Skenesboro, N.Y., foi instalada no início de julho de 1776, lançada em meados de agosto e colocada em serviço logo em seguida sob o capitão Riee

A flotilha de Arnold foi construída para enfrentar a esperada invasão britânica lançada de Montreal pelo governador real do Canadá, Sir Guy Carleton. Uma investida no histórico corredor de invasão do Vale do Lago Champlain-Hudson foi escolhida para separar a Nova Inglaterra das colônias do centro e do sul da América. A quase completa ausência de estradas intercoloniais exigia que o acesso fosse feito por água.

Os americanos gozavam de uma supremacia incontestável no Lago Champlain desde a captura do estaleiro britânico em St. Johns no final do primeiro mês da guerra, mas depois que os patriotas se retiraram do rio Riehelieu um ano depois, os ingleses embarcaram em uma vigorosa programa de construção naval para alcançar a superioridade naval. Os britânicos, muito auxiliados por homens qualificados, equipamento e material da Marinha Real no Rio St. Lawrenee, venceram a corrida de construção.

No entanto, Arnold não se intimidou. No final de agosto, ele reuniu sua pequena frota e navegou de forma provocativa no lago superior. Em 23 de setembro, ele estacionou seus navios na costa de Nova York perto da baía de Valeour para interceptar o avanço do esquadrão britânico no Forte Ticonderoga. As duas forças entraram em confronto em 11 de outubro. Durante uma luta de seis horas, a escuna de 12 canhões Royal Savage encalhou e foi queimada. Perto do anoitecer, os canhões britânicos furaram a gôndola da Filadélfia com um tiro de 24 libras e ela logo afundou. A noite encerrou a batalha permitindo que Arnold escapasse com o restante de sua frota, mas ele perdeu a maioria de seus navios durante uma batalha de dois dias.

O sacrifício não foi em vão. Os navios de Arnold atrasaram o avanço britânico até que o inverno se aproximava, levando-os a suspender as operações até a primavera. Os americanos aproveitaram bem o ano de graça que seus navios no lago Champlain conquistaram. Um exército patriota mueh mais forte esperava Burgoyne em 1777 e finalmente o forçou a se render em Saratoga.

Filadélfia foi criada em 1935 por um grupo de arqueólogos marinhos chefiados pelo coronel Lorenzo F. Hogglund. Ela agora é propriedade da Smithsonian Institution e está em exibição no Museu de História e Teehnology.


Dólar sacagawea

o Dólar sacagawea (também conhecido como "dólar de ouro") é uma moeda de dólar dos Estados Unidos introduzida em 2000, embora não tenha sido cunhada para circulação geral entre 2002 e 2008 e novamente a partir de 2012 devido à sua impopularidade geral junto ao público e à baixa demanda comercial pela moeda. Essas moedas têm um núcleo de cobre revestido por latão manganês, dando-lhes uma cor dourada distinta. A moeda apresenta um anverso de Glenna Goodacre. De 2000 a 2008, o reverso apresentava um desenho de águia de Thomas D. Rogers. Desde 2009, o reverso do dólar Sacagawea é alterado anualmente , com cada desenho da série representando um aspecto diferente das culturas nativas americanas. Essas moedas são comercializadas como "Dólares nativos americanos".

A moeda foi introduzida como um substituto para o dólar Susan B. Anthony, que provou ser útil para operadores de máquinas de venda automática e sistemas de transporte de massa, apesar de ser impopular com o público. A Estátua da Liberdade foi originalmente proposta como tema de design, mas Sacagawea, o guia Shoshone da Expedição Lewis e Clark, acabou sendo escolhido.

A nova moeda de um dólar foi fortemente comercializada pela Casa da Moeda em uma série de anúncios impressos, de rádio e televisão, bem como em parcerias da Casa da Moeda com o Walmart e Cheerios. No entanto, o dólar Sacagawea não se tornou popular com o público e a cunhagem caiu drasticamente no segundo ano de produção. A produção de dólares Sacagawea continuou, de 2007 a 2016, em paralelo com os dólares presidenciais dos EUA. Em 2012, os números de cunhagem foram reduzidos em mais de 90%, em linha com uma redução semelhante para os ainda menos populares dólares presidenciais, devido aos grandes estoques de moedas não utilizadas dessa série.

A Casa da Moeda planejava lançar o desenho Sacagawea em ouro de 22 quilates também, mas essa ideia foi rapidamente abandonada depois que a autoridade da Casa da Moeda para cunhar as moedas foi questionada, e a Casa da Moeda reteve a propriedade das poucas moedas produzidas. Logo após a produção inicial do dólar, percebeu-se que algumas das moedas de dólar foram cunhadas erroneamente com o anverso de um quadrante estadual e o reverso normal.


Tribo gond

A tribo Gond é uma das maiores comunidades tribais da Índia. Essas tribos vivem em Madhya Pradesh, Telangana, Bihar, Maharashtra, Odisha e Andhra Pradesh. A principal ocupação da tribo Gond é a agricultura ou o salário diário.

A palavra Gond vem de & # 8216Kond & # 8217, que significa montanhas verdes e os povos tribais são chamados de Gondis porque vivem principalmente nas montanhas verdes exuberantes de Madhya Pradesh.

A tribo Gond acredita que ver uma boa imagem traz muita sorte para eles. Portanto, as pinturas tribais Gond são feitas em vários festivais, rituais e cerimônias, como Diwali, Karva Chauth, Nag Panchami, nascimento, casamento, etc.


Chegando aqui

Franklin Square está localizado a duas quadras do Independence Visitor Center e Liberty Bell Center na 6th & amp Race Streets, Filadélfia, Pensilvânia 19106.

O Square é acessível e percorrido a pé do Regional Rail da SEPTA (para a Estação Jefferson) e da Market-Frankford Blue Line (para as paradas da 8th Street ou 5th Street), e da PATCO High Speed ​​Line (para a 8th & amp Market Streets).

A Autoridade de Estacionamento da Filadélfia adicionou um número limitado de vagas de estacionamento nas ruas ao redor da Franklin Square.

O estacionamento de 3 horas, das 8h às 22h, de segunda a domingo, está disponível ao longo de:

  • 6th Street (deficientes, motocicletas e estacionamento regular)
  • 7th Street (deficientes e estacionamento regular)
  • Franklin Street (estacionamento regular)
  • Race Street (entre Franklin Street e amp 7th Street) (estacionamento regular).

Pague no quiosque de estacionamento adjacente. Por favor, preste atenção aos limites do estacionamento, pois os pontos de ônibus rebocam zonas adjacentes a essas áreas de estacionamento. O estacionamento NÃO É PERMITIDO ao longo da Race Street entre as ruas 6th e 7th.

OBSERVE: Ao estacionar na 6th Street entre as ruas Race e Vine, estacione ou carregue à esquerda do buffer pintado entre as linhas - NÃO ao longo do meio-fio dentro da ciclovia.


Philadelphia gond. - História

A história das bacias hidrográficas e esgotos da Filadélfia

Compilado por
Adam Levine

Consultor Histórico
Departamento de Água da Filadélfia

Tem sido meu prazeroso desafio, como consultor do Departamento de Água da Filadélfia (PWD) desde 1998, tentar juntar a história fascinante dos muitos riachos perdidos da cidade. PWD preservou sua própria coleção de material histórico, que é uma rica fonte de informações, e eu complementei essa base com pesquisas em bibliotecas locais, sociedades históricas, arquivos e departamentos relevantes do governo municipal.

Além de muitos registros escritos úteis, Eu descobri uma ampla variedade de material gráfico, incluindo pinturas e desenhos, mapas e planos, fotografias e pesquisas. Este material se estende por toda a longa história da cidade, uma vez que mudanças foram feitas na paisagem quase assim que William Penn começou a construir sua nova cidade ao longo do rio Delaware em 1682. O resultado final é que, ao longo de vários séculos, a maioria dos córregos superficiais da cidade foram canalizados para o subsolo e incorporados ao sistema de esgoto da cidade de 3.000 milhas.

Insira palavras-chave na caixa abaixo para pesquisar Philly H20
NOTA: A pesquisa funciona apenas quando você está online e os resultados podem não incluir as atualizações mais recentes. POR FAVOR, AJUDE-NOS!

Estamos em processo de atualização do PhillyH2O, com um novo visual e, mais importante, com conteúdo adicional que reflete melhor o que você procura ao chegar aqui. Reserve um minuto para preencher uma pesquisa para nós, que nos ajudará a criar um site aprimorado que atenda melhor às suas necessidades e interesses. A pesquisa é totalmente anônima. Você pode encontrá-lo neste link.
OBRIGADA!
Adam Levine

O tema principal do Philly H2O pode ser encontrado em

onde eu exploro as muitas maneiras pelas quais a topografia da cidade foi transformada ao longo dos anos para facilitar a drenagem,
melhorar a saúde pública e promover o desenvolvimento imobiliário.

Muitos relatórios, artigos e imagens interessantes podem ser encontrados em

incluindo alguns dos primeiros relatórios do Departamento de Água da Filadélfia, datados de 1799, e uma coleção de documentos do século 19 sobre a poluição do Rio Schuylkill, então como agora uma importante fonte de água. Uma coleção crescente de documentos gráficos pode ser encontrada em

incluindo mapas do sistema de água e esgoto do passado e do presente, mapas e planos da Filadélfia e outros materiais que revelarão alguns dos aspectos da cidade que foram transformados nos últimos 300 anos. Informações sobre mim, Webmaster e Sewermeister, podem ser encontradas em

onde também descrevo em um currículo informal algumas de minhas atividades relacionadas, incluindo uma variedade de palestras, gerenciamento de arquivos, consultoria e pesquisa histórica e visitas guiadas a instalações de PCD. A história que me fez descer pelo ralo, por assim dizer, é contada em

Espero que você reserve um tempo para ler esta história e explorar todo o site, para mergulhar fundo em sua superfície como uma vez eu mergulhei sob a superfície da cidade quando me vesti e dei uma caminhada de uma hora em um esgoto da Filadélfia.

PESQUISANDO O SITE : A caixa de pesquisa do Google acima é a melhor maneira de encontrar coisas específicas no PhillyH2O.
O link & quotArquivos & quot fornece descrições detalhadas de todo o material do site.
No link & quotMaps & quot, miniaturas e breves descrições dos mapas podem ser encontradas.
E como em qualquer site, todas as páginas podem ser pesquisadas com a ferramenta & quotFind & quot na barra de ferramentas & quotEdit & quot do seu navegador.

DEIXE-ME SABER O QUE VOCÊ PENSA DE PhillyH2O

Parte do que faz com que este meu trabalho neste site valha a pena é saber que
as pessoas estão usando. Por favor, contate-me com quaisquer idéias sobre maneiras
para melhorar o site, material que posso querer adicionar, sugestões de links
para outros sites, ou quaisquer links mortos.

LEGENDAS DE FOTOS E CRÉDITOS
Clique nos links para versões maiores
DEIXOU: Construção do Esgoto Rock Run, 1922. Este tubo destruiu Rock Run,
outrora um afluente do Tacony Creek. (Arquivos da cidade) [101 kb]
CENTRO: Mill Creek Sewer, West Philadelphia, ca. 1883. Este grande esgoto, construído ao longo de um período de 25 anos, funcionou por cinco
milhas e obliterou o riacho Oeste da Filadélfia que lhe deu o nome. (PWD) [244 kb]
DIREITO: Sandy Run Sewer, 1942. Depois de concluído, este cano obliterou a maior parte de Sandy Run,
um afluente do Pennypack Creek. (Arquivos da cidade) [127 kb]

Site de Panacea Design e Adam Levine
Página atualizada em 16 de maio de 2018


Philadelphia gond. - História

Nascido em 1819, George Washington Simons começou seu negócio em 1839. O City Directory da Filadélfia em 1842 o tinha listado como um fabricante de dedais de ouro e prata e estojos. Seu irmão, P. Boneil Simons mais tarde conhecido como Peter B. também foi listado no diretório e mais tarde juntou-se a seu irmão no negócio. A empresa cresceu rapidamente nos 20 anos seguintes, expandindo-se para a fabricação de muitos outros itens de ouro e prata.

Em 1858, George W. Simons & amp Brother é descrito como empregando 60 pessoas e fabricando estojos de caneta e lápis de ouro e prata. dedais com cobertura de ouro, prata e aço, protetores de dedo, palhetas de dente e orelha, chaves de relógio, canetas de ouro, cabeças de bengala, pulseiras, alfinetes de peito, brincos, anéis de dedo, botões de manga, tachas, corrediças, amuletos, selos, emblemas, etc. . (1)

George Simons também se tornou um líder empresarial, estabelecendo uma reputação de inovação técnica & quotprimeiro a usar o vapor com vantagem & quot e tendo maquinário & quot da primeira classe e incorpora todas as melhorias mais recentes & quot. (1)

Na década de 1860, quando o Japão estava se abrindo para o Ocidente, encontramos uma reportagem de jornal sobre embaixadores japoneses visitando os Estados Unidos. Essa comitiva foi saudada em Harve De Grace por um contingente da Filadélfia e dirigida por George Simons dando-lhes as boas-vindas à & quotthe primeira manufatura e uma das maiores cidades comerciais de nosso país & quot. (2)

Durante a Guerra Civil, Simons adicionou oficiais e espadas de apresentação à sua linha. Muitas das melhores Espadas de Apresentação foram feitas por esta empresa. Espadas com punhos de ouro cravejadas de pedras preciosas e lâminas gravadas e gravadas são itens valiosos na Sociedade Histórica da Pensilvânia na Filadélfia e na Academia Naval dos Estados Unidos em Annapolis.

Na Exposição Internacional de 1876, a Comissão do Centenário emitiu um metal e um Certificado de Prêmio para Simons, Opdyke & amp Co. pelo trabalho de ouro e prata. (3)

Por volta da época do Centenário, Peter B. mudou-se para San Francisco e estabeleceu uma filial de manufatura naquela cidade. Lá, ele pode ser encontrado nos diretórios da cidade listados como Simons 'Brothers & amp Co. e Peter B. Simons.

Também nessa época, os quatro filhos do fundador foram admitidos na empresa, John Farr Simons, George W. Jr., Frederick M. e Edwin S. Simons. Frederick M. sempre trabalhou no negócio e Edwin S., o filho mais novo, ainda era estudante em Princeton.

Em 1893, Simons Bros. and Co. recebeu uma medalha e um prêmio na Exposição Colombiana. O prêmio tinha a inscrição & quotDais de ouro e prata para uma variedade de designs, belos padrões cravejados de pedras preciosas, encaixe fino, qualidade de joias e acabamento e acabamento finos. & Quot

George W. Simons morreu em 1888, assim como seu filho George W. Jr.

A esposa do fundador morreu nos primeiros anos do século XX.

Em 13 de setembro de 1905, a Simons Brother and Company foi constituída no Estado da Pensilvânia. Frederick M., Edward S. (sic) e John F. Simons foram listados como diretores. (4) Em 1 de dezembro de 1905, o nome da empresa foi oficialmente alterado para Simons, Bro. & amp Co., um nome usado anteriormente, (5)

(1) Filadélfia e suas manufaturas: um manual exibindo o desenvolvimento, a variedade e as estatísticas da indústria manufatureira da Filadélfia em 1857 por Edwin T. Freedley, pub Edward Young, Filadélfia, 1858, página 345.

(2) Publie Ledger, Filadélfia, segunda-feira, 11 de junho de 1860.

(3) Ibid. p344, A Stacy B. Obdyke (sic) também foi listado como um fabricante de correntes

(4) Pedido de Patente de Cartas de Incorporação e Incorporação, emitido em 13/09/1905. Documentos nos arquivos da Simons Bros. Co.


Registros da Casa da Moeda dos EUA

Estabelecido: No Departamento da Fazenda por despacho de secretariado, 9 de janeiro de 1984.

Agências predecessoras:

No Departamento do Tesouro:

Funções: Adquire metais para a produção de moedas e medalhas. Supervisiona a fabricação de moedas correntes dos EUA e o cumprimento de contratos para a fabricação de moedas correntes estrangeiras. Supervisiona a produção e venda de medalhas e moedas numismáticas. É responsável pelo Depósito de Ouro dos EUA em Fort Knox, KY.

Encontrar ajudas: Forrest R. Holdcamper, comp., "Inventário Preliminar dos Registros do Bureau da Casa da Moeda", suplemento NC 152 (janeiro de 1968) na edição de microfichas dos Arquivos Nacionais de inventários preliminares.

104.2 Registros da Casa da Moeda dos Estados Unidos
1792-1886 (bulk 1792-1873)

História: Estabelecido como uma agência do Poder Executivo, na Filadélfia, PA, a então sede do governo, por um ato de 2 de abril de 1792 (1 Estatuto 246), com o Diretor da Casa da Moeda nomeado pelo Presidente. A supervisão geral das atividades da Casa da Moeda foi atribuída ao Departamento de Estado, 1792-99, mas passou para o Departamento do Tesouro em 1835. Transferido para Washington, DC, redesignado Bureau da Casa da Moeda e recebeu o status de bureau no Departamento do Tesouro. Veja 104.3.

Registros relacionados: Alguns registros descritos neste subgrupo são arquivados com registros da Casa da Moeda dos EUA, Filadélfia, PA (1873-). Veja 104.4.

104.2.1 Correspondência geral

Registros textuais (na Filadélfia): Compilação de cartas enviadas e recebidas, 1792-1873. Compilação de cartas enviadas e recebidas de agências de auditoria e casas da moeda, 1835-73. Cartas enviadas, 1795-1835, com lacunas, incluindo cartas enviadas pelo Diretor da Casa da Moeda, 1795-1824. Cartas enviadas pelo Diretor da Casa da Moeda, 1866-73. Cartas enviadas, 1816-48, 1850-74, e recebidas, 1850-53, pelo Tesoureiro da Casa da Moeda, com um índice, 1841-50. Registros de cartas enviadas e recebidas, 1844-73. Compilação de cartas enviadas e recebidas de funcionários da Casa da Moeda de Boulton, perto de Birmingham, Inglaterra ("Correspondência de Boulton"), 1796-1838. Compilação de cartas ("Correspondência de Peale"), 1829-86, consistindo em cartas recebidas do medalhista Benjamin Franklin Peale, empregado na Casa da Moeda dos Estados Unidos (1833-54) como ensaiador, fundidor e refinador e, finalmente, cartas de cunhador-chefe recebidas da viúva de Peale após sua morte em 1870 e cartas enviadas.

Publicações de microfilme: M64, T646.

Registros Relacionados: Cartas recebidas do Diretor da Casa da Moeda, 1832-73, em RG 56, Arquivo Geral do Departamento da Fazenda.

104.2.2 Registros relacionados à produção de moedas circulantes dos EUA

Registros textuais (na Filadélfia): Estatísticas anuais sobre ouro, prata e moedas menores, 1794-1873. Cartas enviadas relacionadas com moedas, 1866-73. Livros que registram as quantias de ouro, prata e cobre recebidas do Tesoureiro da Casa da Moeda para a fabricação de moedas, 1794-1861. Livros contábeis do coiner-chefe sobre a extração de ouro, 1847-72. Livros de encomenda e entrega de moedas, 1852-57, 1859-64, 1867-73. Registros de moedas depositadas por indivíduos e empresas, 1859-64, 1867-71. Tesoureiro dos livros contábeis da Casa da Moeda, mostrando os valores e pesos das moedas recebidas do fundidor principal, 1866-70, e barras de ouro e prata recebidas do fundidor e refinador chefe, 1866-74. Contas diárias de transações de moedas ("Cashier's Blotters"), 1866-73. Registros relacionados ao desperdício de ouro e prata durante a fabricação de moedas, 1823-42, 1850-72.

104.2.3 Registros relacionados a ensaios

Registros textuais (na Filadélfia): Registros de ensaios de vários metais monetários ("Assay Workbooks"), 1795-1873. Registros de análise de depósitos de ouro e prata e barras de ouro, 1838-73. Registro de comprovantes de análise de ouro, 1854-73. Registers of assays, 1898-1965.

104.2.4 Registros relacionados a outras operações

Registros textuais (na Filadélfia): Livros contábeis, relatórios e outros registros relativos aos procedimentos de pesagem, fusão e refino, 1815-73. Registros e outros registros lidando com compras e depósitos de ouro e prata, 1794-1873. Livros contábeis, diários e outros registros relacionados à manutenção do fundo de ouro, 1794-1873. Livros contábeis de medalhas, 1855-73. Registro de falecimentos na Casa da Moeda dos Estados Unidos e em casas da moeda, 1839-54.

Publicações de microfilme: T587.

104.2.5 Registros administrativos

Registros textuais (na Filadélfia): Compilações de leis (1791-1835) e regulamentações (1796-1831) relacionadas à Casa da Moeda dos Estados Unidos, n.d. Instruções para ramificar casas da moeda, 1871-73. Registros fiscais, incluindo cópia em microfilme de vários relatórios sobre receitas e despesas, 1794-1826 (1 rolo) um registro de liquidações semanais, livros contábeis de 1854-70 das casas da moeda, 1855-72 e registros diversos, 1794-1873. Registros de pessoal, incluindo um registro de trabalho executado diariamente por funcionários, 1.793 registros de funcionários, 1849-73 cartas de aplicação e recomendação, 1850-53 e registros de compensação de funcionários, 1796-1800, 1851-53, 1857-60. Registros diversos de bens e suprimentos, 1853-73.

Registros Relacionados: Registros de pessoal relativos aos oficiais da casa da moeda, 1836-73, em RG 56, Registros Gerais do Departamento do Tesouro.

104.3 Registros do Bureau da Casa da Moeda
1873-1993

História: Para uma história administrativa da antecessora Casa da Moeda dos Estados Unidos, consulte 104.2. Bureau of the Mint estabelecido no Department of the Treasury, em vigor a 1 de abril de 1873, pelo Coinage Act of 1873 (17 Stat. 424), 12 de fevereiro de 1873. Redesignated U.S. Mint, 1984. Ver 104.1.

104.3.1 Correspondência geral

Registros textuais: Cartas enviadas, 1873-1917, com registros, 1873-97, e índices, 1882-87, 1908-11. Cartas enviadas sobre informações estatísticas sobre produção, cunhagem e assuntos relacionados, 1884-88. Cartas recebidas, 1873-1932, com resumos de conteúdo ("Resumos"), 1873-1922 um índice de nome, 1907 e um índice de assunto, 1908-11. Registro das cartas recebidas e encaminhadas, 1885-1903.

Registros Relacionados: Cartas recebidas do Diretor da Casa da Moeda, 1873-1910, no RG 56, Arquivo Geral do Departamento da Fazenda.

104.3.2 Registros legais

Registros textuais: Arquivos de correspondência e processos relacionados à propriedade de ouro, 1933-40.

104.3.3 Registros relativos à produção de moedas circulantes

Registros textuais: Registros relativos à produção doméstica de moedas, incluindo arquivos de casos, arquivos de casos de moedas fracionadas de 1874-1978, arquivos de assuntos de 1903-79 sobre reclamações, correspondência de 1952-78 e relatórios sobre moedas produzidos em várias casas da moeda, registros de 1875-1932 relativos à aquisição de ouro para fins de cunhagem e sua alocação às várias casas da moeda, relatórios de 1874-1917 e declarações estatísticas sobre operações de recompra, 1893-1929 e registros diversos, 1921-78. Correspondência sobre a produção de moedas para as Ilhas Filipinas e Porto Rico, 1899-1923. Arquivos de casos e relatórios sobre moedas estrangeiras produzidas sob contrato, 1874-1980.

104.3.4 Registros relativos à produção e venda de medalhas e
moedas numismáticas

Registros textuais: Correspondência, 1895-1928. Arquivos de assuntos, 1918-1978. Arquivos de casos sobre medalhas comemorativas, 1913-81. Arquivos do assunto, 1893-1980, e arquivos do caso, 1920-78, sobre moedas e medalhas comemorativas. Correspondência, 1929-50, e arquivos do caso, 1932-75, sobre medalhas do governo dos EUA. Arquivos de assuntos sobre moedas de prova, 1955-76.

104.3.5 Registros relativos à gestão de metais

Registros textuais: Cartas enviadas sobre estatísticas de mineração, 1880-97, com registro, 1883-85. Registros e programações de ofertas, compras e entregas de prata, 1875-93. Registro de depósitos, compras e produção doméstica de ouro e prata, 1877-99. Registro de contas em ouro, 1883-1916. Registro de depósitos por refinarias, 1883-1910. Registro de certificados de depósitos em ouro, 1891-1915. Relatórios e estatísticas sobre a produção de ouro e prata, 1889-1931. Relatórios trimestrais sobre depósitos e compras de ouro e prata em agências de casas da moeda e escritórios de auditoria, 1917-27. Relatórios sobre depósitos de ouro estrangeiro, 1920-27. Arquivos gerais sobre ouro, prata e depósitos mistos, 1924-80 e sobre prata e metais preciosos, 1942-67. Arquivos de assuntos sobre metais do grupo da platina, 1938-78. Arquivo geral sobre a venda de barras de ouro e prata, ca. 1940-70.

104.3.6 Outros registros operacionais

Registros textuais: Registros relativos a sistemas monetários estrangeiros, 1878-1932, incluindo um arquivo de cartas e relatórios de cônsules e ministros dos EUA sobre a produção de ouro e prata, estoque de ouro e fornecimento de papel-moeda e espécie de vários países estrangeiros ("Arquivo de Interrogatório"), 1897 -1903, 1906-32. Relatórios estatísticos e outros registros relativos ao uso de ouro e prata nas artes industriais, 1899-1931. Correspondência, declarações, boletins estatísticos e recortes de notícias, 1917-29, relacionados à implementação do Pittman Silver Act de 1918 (40 Stat. 535), 23 de abril de 1918. Arquivos de caso sobre o Programa de Lend-Lease, 1942-80. Correspondência e outros registros relativos ao envio de pesos de ouro mexicanos de comerciantes e bancos em Laredo, TX, para a Casa da Moeda dos EUA, Filadélfia, em troca de reembolso por meio do Federal Reserve System, 1929-31 (em Fort Worth). Registros estatísticos diversos, 1870-1922.

104.3.7 Registros contábeis

Registros textuais: Liquidação de contas anuais de agências de casas da moeda e escritórios de ensaio, 1925-57. Extratos diários do caixa para todas as agências da moeda e escritórios de ensaio, 1913-41. Livros de apropriações e despesas, 1873-75, 1899-1901, 1909-12.

104.3.8 Registros relativos ao pessoal

Registros textuais: Cartas enviadas sobre nomeações e remoções, 1873-92. Cartas de requerimento recebidas, 1879-84. Correspondência relativa a ações de pessoal, 1913-30. Registros de funcionários, 1873-77, 1882-1906, 1912-18, com índice, ca. 1880-1906. Registros relativos a casos de suposto peculato por funcionários, 1901-7.

Registros Relacionados: Registos de pessoal relativos aos oficiais da casa da moeda, 1873-1910, em RG 56, Registos Gerais do Departamento da Fazenda.

104.3.9 Outros registros

Registros textuais: Relatórios anuais, 1876-1993. Correspondência sobre relatórios anuais, 1915-24. Arquivos de antecedentes sobre reuniões e conferências, 1911-78. Arquivos gerais sobre regulamentos, 1930-78. Registros relacionados a reparos de edifícios e imóveis, 1913-25. Material de referência diverso, 1875-1932.

Impressões fotográficas: U.S. e algumas moedas estrangeiras, ca. 1880-1900 (28 imagens). Vistas exteriores e interiores de várias casas da moeda e escritórios de ensaio, ca. 1880-1900 (12 imagens). Equipamento de cunhagem, ca. 1880-1900 (3 imagens). Vistas externas do túnel Sutro (construído para drenar a mina de ouro e prata de Comstock), perto de Virginia City, NV, ca. 1880 (9 imagens). Exibir em procedimentos de cunhagem em uma exposição não identificada, n.d. (3 visualizações). Casa não identificada, n.d. (1 imagem). Veja também 104.9.

104.4 Registros da Casa da Moeda dos EUA, Filadélfia, PA
1873-1967 (em massa 1873-1939)

História: Estabelecido, a partir de 1º de abril de 1873, como uma agência da Casa da Moeda (ver 104.3) pelo Coinage Act de 1873, tendo funcionado como o escritório central da Casa da Moeda dos Estados Unidos, 1792-1873 (ver 104.2) .

Registros Relacionados: Alguns registros descritos neste subgrupo são arquivados com registros da Casa da Moeda dos Estados Unidos. Veja 104.2.

104.4.1 Correspondência geral

Registros textuais (na Filadélfia): Compilação de cartas enviadas e recebidas, 1873-99. Compilação de cartas enviadas e recebidas de agências de fiscalização e outras casas da moeda, 1873-98. Cartas enviadas pelo Superintendente da Casa da Moeda, 1873-1900, com registros, 1879-99. Cartas diversas enviadas, 1879-1904, com registros, 1879-81. Cartas recebidas, 1898-1901. Registros de cartas enviadas e recebidas, 1873-1900. Telegramas enviados, 1881-1900, e recebidos, 1883-93.

Registros Relacionados: Cartas recebidas do Superintendente da Casa da Moeda na Casa da Moeda dos Estados Unidos, Filadélfia, PA, 1873-1910 e cartas recebidas de casas da moeda e escritórios de avaliação, 1863-1910, em RG 56, Registros Gerais do Departamento do Tesouro.

104.4.2 Registros relativos à produção de circulação nos Estados Unidos
moedas

Registros textuais (na Filadélfia): Estatísticas anuais sobre ouro, prata e moedas menores, 1873-88. Cartas enviadas, 1873-92, 1895-1900. Cartas enviadas pelo inventor-chefe ao Superintendente da Casa da Moeda, 1877-1900. Contas de caixa para moedas e barras de ouro e prata, 1883-1900. Registro de bares armazenados em cofres, 1890-1903. Pedidos de moedas e livros de entrega, 1873-99. Contas diárias de transações de moedas ("Cashier's Blotters"), 1873-1902. Livros de registro diversos relativos a recebimentos de moedas, remessas, transferências e despesas, 1873-1914.

104.4.3 Registros relativos aos ensaios

Registros textuais (na Filadélfia): Cartas enviadas pelo avaliador, 1884-95, 1904. Registros de ensaios de vários metais monetários ("Assay Workbooks"), 1873-1905. Registros de ensaiadores de barras de ouro e prata, 1873-1967. Memorandos dos avaliadores de transferências de prata, 1876-81.

104.4.4 Registros relacionados a outras operações

Registros textuais (na Filadélfia): Registros relativos aos procedimentos de fusão e refino, 1873-1923, incluindo cartas enviadas e recebidas por James C. Booth, fundidor e refinador, 1877-79. Registros relativos aos procedimentos de pesagem, 1887-1900. Registros e outros registros lidando com compras e depósitos de ouro e prata, 1873-1939. Livros contábeis e livros de manutenção do fundo de ouro, 1873-1916. Livros de registros relativos à produção e vendas de medalhas, 1873-1920. Livro razão mostrando o custo das matrizes fabricadas na Casa da Moeda dos EUA, Filadélfia, e enviadas para as outras casas da moeda, 1885-90.

104.4.5 Registros administrativos

Registros textuais (na Filadélfia): Instruções para ramificar casas da moeda, 1873-78. Registros fiscais, 1873-1934, incluindo livros que detalham as compras de ouro, depósitos e transações de moeda ("Livros da Casa da Moeda dos EUA"), 1883-1934. Registros de pessoal, incluindo registros de funcionários, registros de 1873-1920 de nomeações para vários cargos, 1876-79, 1884-1910 e cartas de requerimento e recomendação, 1894-96. Registros relacionados à construção de um novo prédio da casa da moeda da Filadélfia nas ruas 16th e Spring, consistindo em cartas enviadas e recebidas pelo superintendente de construção, 1897-1901, um relatório de andamento da construção, 1898 e planos de atribuição de espaço, 1898-1900. Registros diversos de bens e suprimentos, 1873-1901.

Fotografias: Construção do novo prédio da casa da moeda na Filadélfia, 1897-1900 (13 imagens, na Filadélfia) Veja também 104.9.

Registros Relacionados: Relatório sobre as condições físicas do edifício da casa da moeda da Filadélfia, pelo escritório de arquitetura de York e Sawyer, 1910, em RG 56, Registros Gerais do Departamento do Tesouro.

104.5 Registros de outras casas da moeda e de escritórios de análise
1835-1994

Registros Relacionados: Cartas recebidas das casas da moeda e agências de auditoria, 1863-1910, em RG 56, Arquivo Geral do Departamento do Tesouro.

104.5.1 Registros do U.S. Assay Office, Boise, ID

Registros textuais (em Seattle): Registros de ensaio, 1918-33. Contas e relatórios do escritório, 1923-33. Registros de ouro, livros contábeis e livros de estoque, 1923-33.

104.5.2 Registros do U.S. Mint and Assay Office, Carson City,
NV

Registros textuais (em São Francisco): Registros de ensaio, 1877-1903. Registros de depósitos e garantias pagas, 1877. Registros de moedas, 1889-93. Receitas de barras de prata e lingotes de ouro, 1892-94. Certificados de pagamento, 1898-1919.

104.5.3 Registros do U.S. Mint and Assay Office, Charlotte, NC

Registros textuais (em Atlanta): Correspondência, 1835-1913. Registros relacionados a depósitos de fusão e refino, 1837-1913. Registers, 1837-61, 1906-13. Journals, 1837-62, 1868-97. Ledgers, 1837-62, 1868-1913. Registros contábeis, 1837-62, 1869-1913. Registros administrativos, 1837-42, 1873-1913.

104.5.4 Registros do U.S. Assay Office, Deadwood, SD

Registros textuais (em Denver): Registros de cartas recebidas, 1898-1915. Cartas enviadas do avaliador ao Diretor da Casa da Moeda, 1897-1924. Cartas recebidas, 1906-27. Registro de ensaios de botão, 1898-1916. Registro de depósitos, 1901-23. Registro de depósitos de prata, 1906-55, com lacunas. Correspondência relativa a ensaios, 1906-47. Correspondência relativa às remessas de ouro e redepositadas, 1915-27. Registro de ganhos e perdas operacionais de ouro, 1923-24. Registros relacionados a análises, depósitos e estoques de ouro, 1898-1927.

104.5.5 Registros da Casa da Moeda dos EUA, Denver, CO

Registros textuais (em Denver): Cartas enviadas pelo superintendente, 1862-74, 1913-17, 1915-18. Correspondência diversa, memorandos e outros registros, 1897-1994. Telegramas recebidos do Diretor da Casa da Moeda e do Tesoureiro da Casa da Moeda, 1904-13. Vários telegramas recebidos, 1909-13. Circulares do Departamento do Tesouro, 1872-1906. Registros relacionados à construção do novo prédio da casa da moeda de Denver, incluindo cartas recebidas, cartas enviadas de 1897-1913, folhas de contabilidade de custos de construção de 1897-1905, 1898-1902 e diário de trabalho realizado, 1898-1904. Registros relacionados a uma adição ao edifício da casa da moeda de Denver, 1934-37. Registros dos analisadores de barras de ouro, 1863-1916. Registros de depósitos de ouro e prata, 1863-1912. Registros de depósitos de barras de ouro, 1863-1939, e barras de prata, 1906-17. Registos de warrants emitidos em pagamento de depósitos, 1863-1907. Organogramas, ca. 1920-40.

Fotografias: Construção e operações de edifícios da casa da moeda de Denver, 1930-56 (296 imagens, em Denver) Veja também 104.9.

104.5.6 Registros do U.S. Assay Office, Helena, MT

Registros textuais (em Denver): Registros diversos, ca. 1851-1933. Correspondência, 1877-1933. Contas em ouro, 1878-1933. Registros administrativos, 1879-1929. Records of deposits and purchases, 1879-1931. Assay records, 1909-33.

104.5.7 Records of the U.S. Mint and Assay Office, New Orleans,
LA

Textual Records (in Fort Worth): Fair and press copies of letters sent, 1878-97, 1912-19. Record of letters received, 1897-1911. Letters received, 1912-19. Letters received concerning repair of the New Orleans mint building, 1840-58. General correspondence, 1928-34. Register of gold bullion received and coins delivered, 1850-60. Statements of bullion accounts, 1890-92. Record of bullion fund, 1890-93. Calculation books, ca. 1932-42. Registers of bullion abstracts and deposits, 1923-42. Record of bullion stock, 1935-42. Record of mass melts, 1933-35, and bullion shipments, ca. 1941. Miscellaneous registers, 1879-1942.

104.5.8 Records of the U.S. Assay Office, New York, NY

Textual Records (in New York): Registers of assays of gold and silver deposits, 1916-55. Records of gold and silver assays, 1943-59.

104.5.9 Records of the U.S. Assay Office, St. Louis, MO

Textual Records (in Kansas City): Register of warrants for ordinary expenses, 1881-1910. Register of accounts, 1906-9.

104.5.10 Records of the U.S. Assay Office, Salt Lake City, UT

Textual Records (in Denver): Assay records, 1918-33. Bullion accounts and general office records, 1909-33. Melting records, 1909-23.

104.5.11 Records of the U.S. Mint and Assay Office, San
Francisco, CA

Textual Records (in San Francisco): Letters sent to the Director of the Mint, other U.S. mints and assay offices, Treasury Department officials, and others, 1872-1938. Letters sent by Superintendent Frank A. Leach to the Director of the Mint concerning personnel matters and mint operations, 1912-13. Letters sent relating to recoinage of Philippine Islands coins, 1912-21. Telegrams sent, 1878-83, 1907-33, and received, 1907-35. Correspondence with depositors and others, 1926-31. Assayers' records dealing with the shipment and receipt of bullion, refining processes, and related matters, 1854-1963. Weighing records, 1854-82. Fiscal and accounting records, 1854-1935. Records relating to the locality of producing mines, 1878-1940. Registers of visitors, 1854-92.

Photographic Prints : Various processes and facilities in the San Francisco mint building, 5th and Mission Streets, ca. 1930-40 (154 images, in San Francisco) See also 104.9.

Registros Relacionados: Plans of the San Francisco mint building, 1867-1950 (11 items, in San Francisco), in RG 121, Records of the Public Buildings Service.

104.5.12 Records of the U.S. Assay Office, Seattle, WA

Textual Records (in Seattle): Correspondence, 1898-1955. Assay records, 1898-1955. Deposits of gold and silver, 1898-1939. Miscellaneous fiscal records, 1898-1955. Records relating to melting, 1898-1955.

Encontrar ajudas: Title inventory available at National Archives-- Pacific Northwest Region, Seattle, WA.

104.6 Records of and relating to the Annual Assay Commission
(AAC)
1817-1980

História: Established as a Presidential commission by the act of April 2, 1792, establishing the Mint of the United States, with responsibility to meet annually in Philadelphia, PA, in order to evaluate the quality and weight of newly minted coins selected at random from all coinage production and reserved for that purpose. Reconfirmed by the Coinage Act of 1873, establishing the Bureau of the Mint. Abolished by an act of March 14, 1980 (94 Stat. 96), with functions transferred to Secretary of the Treasury.

Registros textuais: AAC proceedings, 1841-73 (in Philadelphia), 1874-1911, 1923, 1932-72. Record of coins reserved for the annual assay, 1817-38 (in Philadelphia), 1890, 1902-5, 1915-16, 1920-25. Records relating to coins received from, and returned to, branch mints for the annual assay, 1840-72 (in Philadelphia), 1885-89, 1917-25. Letters received by the Bureau of the Mint concerning Presidential appointments to the AAC, 1879, 1887, 1899-1906, 1914-18. General file, 1914-80, including correspondence with and concerning AAC members, background information sent to members, and some interfiled proceedings. Precedent file, 1936-80. Miscellaneous records, 1929-75.

104.7 Records of the Office of the Secretary of the Treasury in
the Custody of the Bureau of the Mint
1792-1886

Registros textuais: Register of letters sent to and received from the Mint of the United States, 1792-1835. Letters sent to the Director of the Mint, branch mint superintendents, members of Congress, and others, 1836-78 and branch mints, 1836-71. Letters received from the Director of the Mint, 1858-73 branch mints, 1834-71 and U.S. ministers and consuls, 1859-61. Reports concerning bullion received monthly by the Treasury Department from the Mint of the United States, 1838-42. Monthly reports of the California Assayer on gold deposits and assays, 1851-53. Reports relating to the U.S. Mint, San Francisco, 1857-86, with gaps. Copies of oaths of allegiance and of office taken by employees of the U.S. Mint, Philadelphia, 1861, 1870. Annual report of the U.S. Mint, Philadelphia, 1872.

104.8 Motion Pictures (General)
1940

Coin minting and medal casting at the U.S. Mint, Philadelphia, PA (1940, 1 reel).

104.9 Still Pictures (General) See Photographs under 104.4.5 and 104.5.5.

Nota bibliográfica: Versão web baseada no Guia de Registros Federais dos Arquivos Nacionais dos Estados Unidos. Compilado por Robert B. Matchette et al. Washington, DC: National Archives and Records Administration, 1995.
3 volumes, 2.428 páginas.

Esta versão da Web é atualizada de tempos em tempos para incluir registros processados ​​desde 1995.


Gond Art and Painting: Past, Present and Future

Gond painting is one of many varied handicraft forms that will be a part of Hands of Grace, a handicraft exposition at the Isha Yoga Center, from February 19 – 27, 2014. In this article, we look at the past, present and future of this traditional form of tribal art. Adventurous readers may like to attend the workshop on Gond art at the exposition!

Artesanato: Gond Painting
Artisan: Suresh Kumar Dhurve
Lugar: Madhya Pradesh

The Gonds are among the largest tribes in Central India, numbering about 4 million. Though predominantly centered in Madhya Pradesh, they are present in significant numbers in the states of Madhya Pradesh, Andhra Pradesh, Maharashtra, Chhattisgarh and Odisha. The word “Gond” comes from the Dravidian expression kond, meaning “the green mountain.” The recorded history of the Gond people goes back 1400 years, but considering that they inhabit areas where rock paintings dating to the Mesolithic have been found, their antecedents probably date back even further. Many of the Gonds customs echo that of their Mesolithic forbearers. An obvious example of this is the custom of decorating the walls of their houses, an activity that may originate in cave-dwelling traditions of their ancestors.

The Gonds paint their walls with vibrant depictions of local flora, fauna and gods such as Marahi Devi and Phulvari Devi (Goddess Kali). Traditionally made on festive occasions such as Karwa Chauth, Diwali, Ashtami and Nag Panchmi, Gond painting depicts various celebrations, rituals and man’s relationship with nature. The artists use natural colors derived from charcoal, colored soil, plant sap, leaves, and cow dung. This mystical art form is created by putting together dots and lines. The imaginative use of the line imparts a sense of movement to the still images. The paintings are an offering in worship of nature, and are also a mode of seeking protection and warding off evil.

Today, many talented Gond artists' works including Suresh Kumar Dhurve's can be seen on canvases in art galleries internationally. One of the distinctive elements is the use of signature patterns that are used to infill the larger forms on the canvas. A certain sense of balance and symmetry can be observed in the pattern used, such as spiral forms along with trees, leaves, animals and human figures. Painted in several bright colors, the placement of motifs showcasing village life and the blending of human figures with rituals and nature depict the Gonds inherited skills and creativity. In the eyes of a Gond artist, everything is sacred and intimately connected to nature. Thus, the unique oral narrative tradition of the Gonds is reflected in their paintings as well. The work of Gond artists is rooted in their folk tales and culture, and thus story-telling is a strong element of every painting. However every artist today has a personal style and has developed a specific language within these narratives creating a richness of aesthetic forms and styles.

Suresh Kumar Dhurve’s favorite subject is the tree of life, and he often presents trees almost like a totem pole, erect and still, surrounded by human figures. He features different kinds of birds too, while his signature pattern is fish scales and drops of water. Each painting takes him anywhere from ten hours to three days.

Gond art comes with the belief that a good image brings good luck. This inherent belief led the Gonds to decorate their houses and floors with traditional tattoos and motifs. Today, Gond art products such as Gond painting on wood, painted wooden trays and boxes have become extremely popular globally.

Hearteningly, Gond art hasn’t escaped the eye of the art connoisseurs in the country. The Indian government is making efforts to preserve Gond painting. Other well-wishers have gone a step further, and created the Must Art Gallery– the world's first art gallery dedicated to Gond art. Unlike so many treasures of Indian culture that have slipped through the cracks of time and were lost forever, the future of Gond art looks as vibrant and colorful as the paintings.

For more of Suresh’s paintings visit: Fine art America and Artweb Gallerie
Referências: http://www.gondtribalart.com/, Handmade in India – An Encyclopedia on Crafts of India.

Nota do editor: Suresh Kumar Dhurve will be conducting a Gond painting workshop during Hands of Grace. Besides Gond art, workshops on Sanjhi Paper Art, Madhubani Painting, hand-block printing, clay modeling/pottery and traditional flower garland-making will also be conducted.


Army News

Sgt. Maj. Towns believes the jump was the last of his Army career, making it that much more significant.

Col. Scott Green, 49, had been in his current position since July of 2019.

Gen. Stephen J. Townsend painted a dark picture of threats besetting parts of Africa.


The Liberty Bell

Recognizable for its crack, the Liberty Bell remains significant today for its message of liberty.

The Liberty Bell bears a timeless message: "Proclaim Liberty Throughout All the Land Unto All the Inhabitants thereof"

Go beyond the iconic crack to learn how this State House bell was transformed into an extraordinary symbol. Abolitionists, women's suffrage advocates and Civil Rights leaders took inspiration from the inscription on this bell. Plan your visit to the Liberty Bell Center to allow time to view the exhibits, see the film, and gaze upon the famous cracked bell. No tickets are required and hours vary seasonally.

From Signal to Symbol
The State House bell, now known as the Liberty Bell, rang in the tower of the Pennsylvania State House. Today, we call that building Independence Hall . Speaker of the Pennsylvania Assembly Isaac Norris first ordered a bell for the bell tower in 1751 from the Whitechapel Foundry in London. That bell cracked on the first test ring. Local metalworkers John Pass and John Stow melted down that bell and cast a new one right here in Philadelphia. It's this bell that would ring to call lawmakers to their meetings and the townspeople together to hear the reading of the news. Benjamin Franklin wrote to Catherine Ray in 1755, "Adieu, the Bell rings, and I must go among the Grave ones and talk Politicks." It's not until the 1830's that the old State House bell would begin to take on significance as a symbol of liberty. Listen to the story of the Liberty Bell in this audio podcast.

The Crack
No one recorded when or why the Liberty Bell first cracked, but the most likely explanation is that a narrow split developed in the early 1840's after nearly 90 years of hard use. In 1846, when the city decided to repair the bell prior to George Washington's birthday holiday (February 23), metal workers widened the thin crack to prevent its farther spread and restore the tone of the bell using a technique called "stop drilling". The wide "crack" in the Liberty Bell is actually the repair job! Look carefully and you'll see over 40 drill bit marks in that wide "crack". But, the repair was not successful. The Public Ledger newspaper reported that the repair failed when another fissure developed. This second crack, running from the abbreviation for "Philadelphia" up through the word "Liberty", silenced the bell forever. No one living today has heard the bell ring freely with its clapper, but computer modeling provides some clues into the sound of the Liberty Bell .

The Inscription
The Liberty Bell's inscription is from the Bible (King James version): "Proclaim Liberty Throughout All the Land Unto All the Inhabitants thereof." This verse refers to the "Jubilee", or the instructions to the Israelites to return property and free slaves every 50 years. Speaker of the Pennsylvania Assembly Isaac Norris chose this inscription for the State House bell in 1751, possibly to commemorate the 50th anniversary of William Penn's 1701 Charter of Privileges which granted religious liberties and political self-government to the people of Pennsylvania. The inscription of liberty on the State House bell (now known as the Liberty Bell) went unnoticed during the Revolutionary War. After the war, abolitionists seeking to end slavery in America were inspired by the bell's message.

The Meaning
The State House bell became a herald of liberty in the 19th century. "Proclaim Liberty Throughout All the Land Unto All the Inhabitants thereof," the bell's inscription, provided a rallying cry for abolitionists wishing to end slavery. The Anti-Slavery Record, an abolitionist publication, first referred to the bell as the Liberty Bell in 1835, but that name was not widely adopted until years later. Millions of Americans became familiar with the bell in popular culture through George Lippard's 1847 fictional story "Ring, Grandfather, Ring", when the bell came to symbolize pride in a new nation. Beginning in the late 1800s, the Liberty Bell traveled across the country for display at expositions and fairs, stopping in towns small and large along the way. For a nation recovering from wounds of the Civil War, the bell served to remind Americans of a time when they fought together for independence. Movements from Women's Suffrage to Civil Rights embraced the Liberty Bell for both protest and celebration. Pennsylvania suffragists commissioned a replica of the Liberty Bell. Their "Justice Bell" traveled across Pennsylvania in 1915 to encourage support for women's voting rights legislation. It then sat chained in silence until the passage of the 19th Amendment in 1920. Now a worldwide symbol, the bell's message of liberty remains just as relevant and powerful today: "Proclaim Liberty Throughout All the Land Unto All the Inhabitants thereof"

Bell Facts
The two lines of text around the top of the bell include the inscription of liberty, and information about who ordered the bell (Pennsylvania Assembly) and why (to go in their State House):

Proclaim LIBERTY throughout all the Land unto all the Inhabitants thereof Lev. XXV X
By Order of the ASSEMBLY of the Province of PENSYLVANIA [sic] for the State House in Philada

The information on the face of the bell tells us who cast the bell (John Pass and John Stow), where (Philadelphia) and when (1753):
Pass and Stow
Philada
MDCCLIII

The bell weighed 2,080 lbs. at order. It is made of bronze. It's 70% copper, 25% tin and contains small amounts of lead, gold, arsenic, silver, and zinc. The bell's wooden yoke is American elm, but there is no proof that it is the original yoke for this bell. While there is evidence that the bell rang to mark the Stamp Act tax and its repeal, there is no evidence that the bell rang on July 4 or 8, 1776.

Lesson plans about the Liberty Bell are available on the park's "For Teachers" page. "The Liberty Bell: From Obscurity to Icon", a Teaching with Historic Places lesson plan, is also available on the web.

There are two other bells in the park today, in addition to the Liberty Bell. The Centennial Bell, made for the nation's 100th birthday in 1876, still rings every hour in the tower of Independence Hall. It weighs 13,000 lbs. - a thousand pounds for each original state. The Bicentennial Bell was a gift to the people of the United States from the people of Great Britain in 1976. That bell is currently in storage.


Assista o vídeo: Streets of Philadelphia, Kensington Ave, Short Clip #77 Friday, Sept 17, 2021. (Novembro 2021).