Notícia

Operações Panzer: Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a Invasão da Rússia, 1941, Hermann Hoth

Operações Panzer: Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a Invasão da Rússia, 1941, Hermann Hoth

Operações Panzer: Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a Invasão da Rússia, 1941, Hermann Hoth

Operações Panzer: Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a Invasão da Rússia, 1941, Hermann Hoth

Hermann Hoth comandou o 3º Grupo Panzer durante a invasão alemã da União Soviética em 1941. Nessa função, ele desempenhou um papel importante nas vitórias alemãs de 1941. Este livro fornece sua visão do período entre a invasão da União Soviética e outubro 1941, mas termina pouco antes do início do ataque a Moscou.

Hoth produziu uma visão mais equilibrada da luta que alguns de seus contemporâneos. A linha padrão adotada por muitos generais alemães era que as decisões de Hitler eram quase sempre erradas, e se ele apenas tivesse deixado a direção da guerra para eles, o resultado teria sido diferente. Hoth, pelo menos em meados da década de 1950 quando este livro foi escrito, estava mais disposto a admitir que às vezes Hitler tinha um argumento válido e algumas de suas ordens produziram vitórias alemãs significativas.

Também tem havido uma tendência de retratar a luta de 1941 como bastante direta para os alemães, mas Hoth não apóia essa visão. Ele registra lutas duras e uma série de crises para os alemães, intercaladas com vitórias dramáticas. Ele também nos dá uma ideia da falta de um plano geral depois que a campanha começou, algo que é apoiado por outras fontes. No mínimo, Hoth talvez exagere os problemas enfrentados pelos alemães na primeira parte da campanha, dados os avanços impressionantes feitos por eles durante o ano.

Ironicamente, o único capítulo de pouca utilidade agora é o que examina a guerra em meados dos anos 1950 e a influência potencial das armas nucleares táticas, que ao mesmo tempo superestima a disposição dos combatentes de recorrer a armas nucleares e subestima dramaticamente seu impacto ( indo ao ponto de sugerir que a infantaria poderia evitar os efeitos de uma explosão nuclear próxima, abrigando-se em uma toca de raposa!)

Esta é uma fonte primária útil para a primeira parte da campanha de 1941, embora seja necessário estar ciente dos preconceitos de Hoth, e é uma pena que ele pare antes do ataque a Moscou, pois suas opiniões sobre um período de fracasso alemão o fariam. tem sido interessante.

Capítulos
1. Introdução
2. Antecedentes
3 - Destruição do Inimigo nas Áreas de Fronteira, 22 de junho a 1 de julho
4 - Na sede de Hitler, 26-30 de junho de 1941
5 - De Minsk para Dvina Ocidental, 1 a 7 de julho de 1941
6 - A Batalha de Smolensk, 8-16 de julho
7 - Fechando o Smolensk Pocket, 16 de julho a 18 de agosto
8 - Moscou, Kiev ou Leningrado
9 - As Operações da Batalha de Vyazma
Epílogo: a carreira de Hermann Hoth após a batalha de Vyazma

Autor: Hermann Hoth
Tradutor: Linden Lyons
Edição: capa dura
Páginas: 256
Editora: Casemate
Ano: 2015



Operações Panzer: Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a invasão da Rússia, 1941

Hermann Hoth liderou o 3º Grupo Panzer da Alemanha no Grupo de Exércitos Center em conjunto com o 2º Grupo de Guderian - durante a invasão da União Soviética em 1941. Juntos, esses dois ousados ​​comandantes panzer alcançaram uma série de vitórias surpreendentes, cercando exércitos russos inteiros em Minsk, Smolensk e Vyazma, até os próprios portões de Moscou

Por Hermann Hoth & amp Linden Lyons

Hermann Hoth liderou o 3º Grupo Panzer da Alemanha no Centro do Grupo de Exércitos - em conjunto com o 2º Grupo de Guderian - durante a invasão da União Soviética em 1941. Juntos, esses dois ousados ​​comandantes panzer alcançaram uma série de vitórias surpreendentes, cercando exércitos russos inteiros em Minsk, Smolensk , e Vyazma, até os próprios portões de Moscou.

Neste trabalho, publicado originalmente em alemão em 1956, Hoth discute suas decisões exatas de comando durante Barbarossa - ainda a maior ofensiva continental já empreendida - para revelar novos insights sobre como a Alemanha poderia, e em sua opinião deveria, ter tido sucesso na campanha.

Hoth analisa a origem, o desenvolvimento e o objetivo do plano e apresenta as situações enfrentadas, as decisões tomadas e os erros cometidos pela liderança do exército, pois a nova forma de guerra móvel assustou não apenas os soviéticos, mas a própria liderança alemã, que falhou em fornecer infraestrutura de suporte para as inovações de seu braço panzer.

Hoth lança luz sobre a luta decisiva e cada vez maior entre Hitler e seus conselheiros militares sobre a questão de se, depois que o Dnieper e o Dvina foram alcançados, aderir à ideia original de capturar Moscou. Ele então finalmente considera em detalhes se os alemães, depois de obliterar os exércitos russos restantes que enfrentam o Grupo de Exércitos Central na Operação Tufão, ainda podem esperar pela ocupação da capital russa. Hoth conclui seu estudo com várias lições para o futuro uso ofensivo de formações blindadas.

Sua análise em primeira mão é uma leitura vital para todos os alunos da Segunda Guerra Mundial.


ISBN 13: 9781612002699

Hoth, Hermann

Esta edição específica do ISBN não está disponível no momento.

Este livro, publicado originalmente em alemão em 1956, agora foi traduzido para o inglês, revelando uma riqueza de experiências e análises sobre a Operação Barbarossa, talvez a campanha militar mais importante do século XX.

Hermann Hoth liderou a Alemanha & # x2019s 3º Grupo Panzer no Exército Group Center & # x2014 em conjunto com Guderian & # x2019s 2º Grupo & # x2014 durante a invasão da União Soviética, e juntos esses dois ousados ​​comandantes Panzer alcançaram uma série de vitórias surpreendentes, cercando exércitos russos inteiros em Minsk, Smolensk e Vyazma, até os próprios portões de Moscou.

Este trabalho começa com Hoth discutindo o uso de armas nucleares em conflitos futuros. Este reflexo frio do pós-guerra, de um dos principais comandantes panzer da Alemanha nazista e # x2019s, é raro o suficiente. Mas então Hoth mergulha em suas decisões de comando exatas durante Barbarossa & # x2014ainda a maior ofensiva continental já empreendida & # x2014 para revelar novos insights sobre como a Alemanha poderia, e em sua opinião deveria, ter tido sucesso na campanha.

Hoth analisa criticamente a origem, o desenvolvimento e o objetivo do plano contra a Rússia e apresenta as situações enfrentadas, as decisões tomadas e os erros cometidos pela liderança do exército & # x2019, à medida que a nova forma de guerra móvel assustou não apenas os soviéticos. a ponta receptora, mas a própria liderança alemã, que falhou em fornecer infraestrutura de suporte para os avanços do braço panzer & # x2019s.

Hoth lança luz sobre a luta decisiva e cada vez maior entre Hitler e seus conselheiros militares sobre a questão de se, depois que o Dnieper e o Dvina foram alcançados, aderir à ideia original de capturar Moscou. A importante decisão de Hitler de desviar forças para Kiev e ao sul só veio no final de agosto de 1941. Ele finalmente considera em detalhes se os alemães, depois de obliterar os exércitos russos restantes que enfrentavam o Grupo de Exércitos Centro na Operação Tufão, ainda podiam esperar pela ocupação da capital russa naquele outono.

Hoth conclui seu estudo com várias lições para o uso ofensivo de formações blindadas no futuro. Sua análise em primeira mão, publicada aqui pela primeira vez em inglês, será uma leitura vital para todos os alunos da Segunda Guerra Mundial.

1. Introdução
2. Antecedentes
3 Destruição do Inimigo nas Áreas de Fronteira, 22 de junho e # x20131 de julho
4 Na sede de Hitler & # x2019s, 26 & # x201330 de junho de 1941
5 De Minsk para Dvina Ocidental, 1 & # x20137 de julho de 1941
6 A Batalha de Smolensk, 8 & # x201316 de julho
7 Fechando o Smolensk Pocket, 16 de julho e # x201318 de agosto
8 Moscou, Kiev ou Leningrado
9 As Operações da Batalha de Vyazma

Conclusão
Epílogo: Hermann Hoth & # x2019s Carreira após a Batalha de Vyazma por Linden Lyons
Apêndices
Notas
Bibliografia

"sinopse" pode pertencer a outra edição deste título.

Hermann Hoth (1885-1971) iniciou a Segunda Guerra Mundial no comando de um corpo motorizado. Durante a Operação Barbarossa, o comandante Panzer Grupo 3 do Grupo de Exércitos Center, e no final de 1941 foi promovido a Comando do 17º Exército. Em junho de 1942, ele recebeu o comando do 4º Exército Panzer. Em 1943, após a batalha de Kursk, ele foi destituído do comando. Depois de cumprir seis anos de prisão após os Julgamentos de Nuremberg, Hoth começou a escrever e morreu aos 85 anos em Goslar, Alemanha.

Linden Lyons tem mestrado em história pela Monash University em Melbourne, Austrália. Ele também estudou alemão na University of Freiburg e biblioteconomia na University of Canberra. Ele é apaixonado por línguas, xadrez e esgrima e mora em Melbourne com sua família. Ele também traduziu Panzer Operations de Hermann Hoth na série Wehrmacht im Kampf e está atualmente trabalhando em outra tradução para a série.

O estilo de escrita do & quotHoth & # x2019 é direto e direto ao ponto, mas permanece muito legível e instigante. Ele é um comandante que se preocupa profundamente com seus soldados e seu bem-estar, mas também com a orientação e o desenvolvimento de seus líderes. Eu recomendaria fortemente este livro para qualquer líder que deseje entender claramente o que o comando (destacado por ação corajosa e decisiva) implica em um contexto operacional. & Quot (Revisão militar)

& # x201cOs apêndices incluem ordens operacionais reais, mas (ao contrário do livro Panzer Leader de Guderian & # x2019s) este não é um livro de memórias - é uma classe mestre sobre o que aconteceu e como comandar a armadura. Por essa razão, ele deve ser comprado e lido por qualquer pessoa que pense que conhece sobre tanques, comando ou trabalho de estado-maior, bem como por aqueles que se interessam por história militar. 5 estrelas. & # X201d (Serviço de boatos do exército)

& # x201c É interessante ver como um comandante sênior via as maquinações do comando superior e o impacto no desempenho da campanha. & # x201d (Jogos de guerra em miniatura)

& # x201c Um estudo útil sobre como a liderança alemã falhou em fornecer suporte logístico adequado para capitalizar as descobertas feitas pelas divisões Panzer. & # x201d (Veículos militares clássicos)


Operações Panzer

DESCRIÇÃO
Este livro, publicado originalmente em alemão em 1956, foi agora traduzido para o inglês, revelando uma riqueza de experiências e análises sobre a Operação Barbarossa, talvez a campanha militar mais importante do século XX.

Hermann Hoth liderou o 3º Grupo Panzer da Alemanha no Centro do Grupo de Exércitos - em conjunto com o 2º Grupo de Guderian - durante a invasão da União Soviética, e juntos esses dois ousados ​​comandantes panzer alcançaram uma série de vitórias surpreendentes, cercando exércitos russos inteiros em Minsk, Smolensk, e Vyazma, até os próprios portões de Moscou.

Este trabalho começa com Hoth discutindo o uso de armas nucleares em conflitos futuros. Este reflexo frio do pós-guerra, de um dos principais comandantes panzer da Alemanha nazista, é raro o suficiente. Mas então Hoth mergulha em suas decisões exatas de comando durante Barbarossa - ainda a maior ofensiva continental já empreendida - para revelar novos insights sobre como a Alemanha poderia, e em sua opinião, deveria ter tido sucesso na campanha.

Hoth analisa criticamente a origem, o desenvolvimento e o objetivo do plano contra a Rússia e apresenta as situações enfrentadas, as decisões tomadas e os erros cometidos pela liderança do exército, pois a nova forma de guerra móvel assustou não apenas os soviéticos ao recebê-la fim, mas a própria liderança alemã, que falhou em fornecer infraestrutura de apoio para as descobertas de seu braço panzer.

Hoth lança luz sobre a luta decisiva e cada vez maior entre Hitler e seus conselheiros militares sobre a questão de se, depois que o Dnieper e o Dvina foram alcançados, aderir à ideia original de capturar Moscou. A importante decisão de Hitler de desviar as forças para Kiev e ao sul só veio no final de agosto de 1941. Ele finalmente considera em detalhes se os alemães, depois de obliterar os exércitos russos restantes que enfrentavam o Grupo de Exércitos Centro na Operação Tufão, ainda podiam esperar pela ocupação do Capital russa naquele outono.

Hoth conclui seu estudo com várias lições para o uso ofensivo de formações blindadas no futuro. Sua análise em primeira mão, publicada aqui pela primeira vez em inglês, será uma leitura vital para todos os alunos da Segunda Guerra Mundial.

ÍNDICE

1. Introdução
2. Antecedentes
3 Destruição do Inimigo nas Áreas Fronteiriças, de 22 de junho a 1º de julho
4 No quartel-general de Hitler, 26-30 de junho de 1941
5 De Minsk para Dvina Ocidental, 1-7 de julho de 1941
6 A Batalha de Smolensk, 8-16 de julho
7 Fechando o Smolensk Pocket, 16 de julho a 18 de agosto
8 Moscou, Kiev ou Leningrado
9 As Operações da Batalha de Vyazma
Conclusão
Epílogo: a carreira de Hermann Hoth após a batalha de Vyazma por Linden Lyons
Apêndices
Notas
Bibliografia

DETALHES
Data de publicação: abril de 2015
Editora: Casemate
Paqges: 224
Formato: E-book, capa dura, pacote de papel
Série: Die Wehrmacht im Kampf
Ilustração: fotos de 16pp


Operações Panzer: Alemanha & # 39s Panzer Grupo 3 durante a invasão da Rússia, 1941

Este livro revela uma riqueza de experiências e análises sobre a Operação Barbarossa, talvez a campanha militar mais importante do século XX, de uma perspectiva raramente encontrada.

Hermann Hoth liderou o 3º Grupo Panzer da Alemanha no Grupo de Exércitos Centro - em conjunto com o 2º Grupo de Guderian - durante a invasão da União Soviética e, juntos, esses dois ousados ​​comandantes panzer alcançaram uma série de vitórias surpreendentes, cercando exércitos russos inteiros em Minsk, Smolensk , e Vyazma, até os próprios portões de Moscou.

Este trabalho começa com Hoth discutindo o uso de armas nucleares em conflitos futuros. Este reflexo frio do pós-guerra, de um dos principais comandantes panzer da Alemanha nazista, é raro o suficiente. Mas então Hoth mergulha em suas decisões exatas de comando durante Barbarossa - ainda a maior ofensiva continental já empreendida - para revelar novos insights sobre como a Alemanha poderia, e em sua opinião deveria, ter tido sucesso na campanha.

Hoth analisa criticamente a origem, o desenvolvimento e o objetivo do plano contra a Rússia e apresenta as situações enfrentadas, as decisões tomadas e os erros cometidos pela liderança do exército, pois a nova forma de guerra móvel assustou não apenas os soviéticos ao recebê-la fim, mas a própria liderança alemã, que falhou em fornecer infraestrutura de apoio para as descobertas de seu braço panzer.

Hoth lança luz sobre a luta decisiva e cada vez maior entre Hitler e seus conselheiros militares sobre a questão de se, depois que o Dnieper e o Dvina foram alcançados, aderir à ideia original de capturar Moscou. A importante decisão de Hitler de desviar as forças para Kiev e ao sul só veio no final de agosto de 1941. Ele finalmente considera em detalhes se os alemães, depois de obliterar os exércitos russos restantes que enfrentavam o Grupo de Exércitos Centro na Operação Tufão, ainda podiam esperar pela ocupação do Capital russa naquele outono.

Hoth conclui seu estudo com várias lições para o uso ofensivo de formações blindadas no futuro. Sua análise em primeira mão, publicada aqui pela primeira vez em inglês, será uma leitura vital para todos os alunos da Segunda Guerra Mundial.


Operações Panzer - Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a Invasão da Rússia, 1941

Este livro, publicado originalmente em alemão em 1956, foi agora traduzido para o inglês, revelando uma riqueza de experiências e análises sobre a Operação Barbarossa, talvez a campanha militar mais importante do século XX. Hermann Hoth liderou o 3º Grupo Panzer da Alemanha no Grupo de Exércitos Centro - em conjunto com o 2º Grupo de Guderian - durante a invasão da União Soviética, e juntos esses dois ousados ​​comandantes panzer alcançaram uma série de vitórias surpreendentes, cercando exércitos russos inteiros em Minsk, Smolensk, e Vyazma, até os próprios portões de Moscou. Este trabalho começa com Hoth discutindo o uso de armas nucleares em conflitos futuros. Este reflexo frio do pós-guerra, de um dos principais comandantes panzer da Alemanha nazista, é raro o suficiente. Mas então Hoth mergulha em suas decisões exatas de comando durante Barbarossa - ainda a maior ofensiva continental já empreendida - para revelar novos insights sobre como a Alemanha poderia e, em sua opinião, deveria ter tido sucesso na campanha. Hoth analisa criticamente a origem, o desenvolvimento e o objetivo do plano contra a Rússia e apresenta as situações enfrentadas, as decisões tomadas e os erros cometidos pela liderança do exército, pois a nova forma de guerra móvel assustou não apenas os soviéticos ao recebê-la fim, mas a própria liderança alemã, que falhou em fornecer infraestrutura de apoio para as descobertas de seu braço panzer. Hoth lança luz sobre a luta decisiva e cada vez maior entre Hitler e seus conselheiros militares sobre a questão de se, depois que o Dnieper e o Dvina foram alcançados, aderir à ideia original de capturar Moscou. A importante decisão de Hitler de desviar as forças para Kiev e ao sul só veio no final de agosto de 1941. Ele finalmente considera em detalhes se os alemães, depois de obliterar os exércitos russos restantes que enfrentavam o Grupo de Exércitos Centro na Operação Tufão, ainda podiam esperar pela ocupação do Capital russa naquele outono. Hoth conclui seu estudo com várias lições para o uso ofensivo de formações blindadas no futuro. Sua análise em primeira mão, publicada aqui pela primeira vez em inglês, será uma leitura vital para todos os alunos da Segunda Guerra Mundial.


Operações Panzer: Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a invasão da Rússia, 1941 por Hermann Hoth (capa dura, 2015)

O item novo em folha de menor preço, não usado, fechado e não danificado em sua embalagem original (quando a embalagem for aplicável). A embalagem deve ser igual à encontrada em uma loja de varejo, a menos que o item seja feito à mão ou tenha sido embalado pelo fabricante em uma embalagem que não seja de varejo, como uma caixa não impressa ou saco plástico. Veja os detalhes para uma descrição adicional.

O que significa este preço?

Este é o preço (excluindo taxas de postagem e manuseio) que um vendedor forneceu, no qual o mesmo item, ou um que seja quase idêntico a ele, está sendo colocado à venda ou foi oferecido para venda no passado recente. O preço pode ser o preço do próprio vendedor em outro lugar ou o preço de outro vendedor. O valor "off" e a porcentagem significam simplesmente a diferença calculada entre o preço fornecido pelo vendedor para o item em outro lugar e o preço do vendedor no eBay. Se você tiver dúvidas relacionadas aos preços e / ou descontos oferecidos em uma determinada lista, entre em contato com o vendedor dessa lista.


PANZER OPERATIONS ALEMANHA PANZER GROUP 3 DURANTE A INVASÇÃO DA RÚSSIA, 1941

por Hermann Hoth, 224 páginas, fotos de 16 pp

Este livro, publicado originalmente em alemão em 1956, foi agora traduzido para o inglês, revelando uma riqueza de experiências e análises sobre a Operação Barbarossa, talvez a campanha militar mais importante do século XX.

Hermann Hoth liderou o 3º Grupo Panzer da Alemanha e rsquos no Grupo de Exércitos Center & mdashin em conjunto com Guderian & rsquos 2º Grupo & mdash durante a invasão da União Soviética e, juntos, esses dois ousados ​​comandantes panzer alcançaram uma série de vitórias surpreendentes, cercando exércitos russos inteiros em Minsk, Smolensk e Vyazmak, todos o caminho até os próprios portões de Moscou.

Este trabalho começa com Hoth discutindo o uso de armas nucleares em conflitos futuros. Este reflexo frio do pós-guerra, de um dos principais comandantes panzer da Alemanha nazista, é raro o suficiente. Mas então Hoth mergulha em suas decisões de comando exatas durante Barbarossa & mdashstill a maior ofensiva continental já empreendida & mdashto revelar novos insights sobre como a Alemanha poderia, e em sua opinião deveria, ter tido sucesso na campanha. Hoth analisa criticamente a origem, o desenvolvimento e o objetivo do plano contra a Rússia e apresenta as situações enfrentadas, as decisões tomadas e os erros cometidos pela liderança do exército e rsquos, pois a nova forma de guerra móvel assustou não apenas os soviéticos ao recebê-la fim, mas a própria liderança alemã, que falhou em fornecer infra-estrutura de apoio para as descobertas da panzer arm & rsquos. Hoth lança luz sobre a luta decisiva e cada vez maior entre Hitler e seus conselheiros militares sobre a questão de se, depois que o Dnieper e o Dvina foram alcançados, aderir à ideia original de capturar Moscou. A decisiva decisão de Hitler de desviar as forças para Kiev e ao sul só veio no final de agosto de 1941. Ele finalmente considera em detalhes se os alemães, depois de obliterar os exércitos russos restantes que enfrentavam o Grupo de Exércitos Centro na Operação Tufão, ainda poderiam esperar a ocupação do Capital russa naquele outono.

Hoth conclui seu estudo com várias lições para o uso ofensivo de formações blindadas no futuro. Sua análise em primeira mão, publicada aqui pela primeira vez em inglês, será uma leitura vital para todos os alunos da Segunda Guerra Mundial.


Operações Panzer

Leitores astutos devem ter notado que, até agora, evitei revisar qualquer um dos livros escritos por oficiais alemães que lutaram na Segunda Guerra Mundial. Então, por que este livro? Vou abordar isso, minhas ideias sobre o autor e uma palavra de cautela para os leitores, mas primeiro vamos discutir o livro em si.

Escrita originalmente em 1956, esta é a edição em inglês, e uma boa edição. A tradução de Linden Lyons é excelente. Seu trabalho se mantém totalmente bem em comparação com outros notáveis ​​tradutores de história militar que trabalham para o mercado de língua inglesa (como Stuart Britton - um dos meus favoritos em disponibilizar publicações russas aqui nos EUA).

O autor, Hermann Hoth, é mais notável por ser o comandante do Panzer Grupo 3 da Alemanha durante a invasão alemã da União Soviética em 1941 (Operação Barbarossa). Não há dúvida de que Hoth tinha uma mente sã para conduzir uma guerra blindada no nível operacional. Por esse motivo, acolhei a escolha de Hoth de começar esta publicação oferecendo suas opiniões sobre o que eram então algumas das questões atuais mais urgentes nas operações militares. Isso inclui uma discussão proeminente sobre o uso de armadura durante a guerra nuclear tática, da qual gostei. Seu comentário sobre essas questões refletiu bem o debate sobre o uso de tais armas na guerra durante os anos 1950. Ao mesmo tempo, lembra o leitor do vasto potencial para imensa destruição contido em tais armas.

A partir daí, Hoth salta para Barbarossa, incluindo uma discussão detalhada sobre o planejamento e o papel de seu grupo panzer na campanha. Esta é a maior parte do livro. A análise de Hoth é bem-vinda em termos de fornecer aos leitores uma melhor compreensão das questões enfrentadas pelo Estado-Maior alemão na construção de um plano de invasão viável, bem como o papel da história militar prussiana / alemã em influenciar o pensamento desses oficiais. Hoth não tem medo de apontar erros, embora Hoth faça o que realmente todos os seus pares fariam depois da guerra - que ser regularmente desviar críticas potenciais de seus erros em conduzir a guerra e seu resultado desastroso para a Alemanha apenas para Hitler. Este foi o livro de jogo padrão para oficiais militares alemães escrevendo após a guerra e como parte de um plano coordenado para apresentar a liderança militar alemã da melhor maneira possível. Embora Hoth termine o livro oferecendo lições para o uso de armaduras em operações modernas, é sua análise de Barbarossa que é a força do livro, mas também sua fraqueza.

Do lado positivo, Hoth analisa criticamente o plano para Barbarossa, que tipo de considerações deveriam ser levadas em consideração e as questões fundamentais que nunca foram realmente resolvidas em termos de aprofundar os objetivos díspares de Barbarossa em um plano de operações funcional e direcionado . Isso e a narrativa que ele fornece sobre as operações do Grupo Panzer 3 durante Barbarossa são o motivo pelo qual eu acho que este livro deve ser lido (vale a pena examinar os insights de Hoth sobre as porcas e parafusos do gerenciamento de grandes forças blindadas no campo de batalha). Dito isso, o problema é que não acho que este livro deva ser lido por alguém sem uma compreensão já completa da guerra travada entre a Alemanha nazista e a União Soviética. Um leitor mal informado pode ser facilmente induzido a acreditar que Hoth e seus colegas oficiais, se tivessem sido ouvidos, teriam vencido a guerra pela Alemanha. Isso simplesmente não é verdade.

Na verdade, muitos dos maiores problemas de Barbarossa como plano vieram de dentro do exército alemão. O Chefe do Estado-Maior do Exército Alemão, Franz Halder, cometeu vários erros (entre outros) acima e além do que seria considerado aceitável. Ainda assim, Hoth essencialmente dá a ele um passe livre. Novamente, isso não é incomum, seja lendo as memórias de Guderian, Manstein, Mellinthin ou qualquer uma das outras dezenas de livros do pós-guerra escritos por importantes generais alemães da Segunda Guerra Mundial a mensagem é consistente - não foi nossa culpa e não somos criminosos de guerra. Isso me leva a outro ponto forte desta tradução para o inglês.

A maioria das traduções para o inglês das variadas obras do pós-guerra do General alemão são tipicamente apenas isso - traduções diretas. Esta série particular de livros da qual a nova edição de Hoth faz parte (Die Wermacht Im Kampf) fornece um contexto extremamente necessário. No Epílogo de encerramento, Linden Lyons explica de forma breve e clara ao leitor que Hoth era um nazista dedicado e anti-semita. Isso torna muito mais difícil para o leitor abandonar este livro sem concluir que Hoth foi um líder competente em tempos de guerra, mas também um criminoso de guerra com visões verdadeiramente repugnantes. Isso é importante. Quando Manstein, Guderian e muitas das memórias de seus pares foram traduzidas para o inglês décadas atrás, suas alegações de inocência egoístas, mesmo quando o projeto nazista maior de extermínio se desenrolou ao redor deles, puderam permanecer. Essas decisões editoriais desempenharam um papel fundamental ao permitir que os leitores americanos distanciassem perigosamente esses homens da verdadeira natureza do regime a que serviam com boa vontade e entusiasmo.

A única falha verdadeira dessa tradução é não fornecer o mesmo tratamento contextual às repetidas insinuações de Hoth no texto de que as falhas militares da Wehrmacht foram em grande parte culpa apenas de Hitler. Assim, quando Hoth discute a luta entre julho e agosto de 1941 entre Hitler e seus generais quanto à direção de Barbarossa (os generais preferiam atacar Moscou imediatamente, Hitler queria limpar os flancos primeiro), não há nenhum corretivo real para as opiniões claramente tendenciosas de Hoth. Isto é uma vergonha. Uma das razões pelas quais escolhi dar a este livro uma recomendação qualificada é que Hoth não é apenas alguém que pode escrever claramente sobre questões militares operacionais (com a experiência adequada), mas também que quando ele escolhe fazê-lo, ele pode ser intelectualmente honesto. Por exemplo, ele não tem problemas para considerar um erro a decisão do exército alemão de manter a Operação Typhoon (o último avanço do Grupo de Exércitos em direção a Moscou) após o final de outubro.

No geral, se você for um entusiasta histórico de nível avançado da Guerra Germano-Soviética de 1941-1945, acho que terá muito o que desfrutar e até mesmo aprender com este livro. Além disso, seu conhecimento pré-existente lhe dará a habilidade de reconhecer quando você está pisando em algo que Hoth está estabelecendo. Se você não é um estudante avançado desses tópicos, agradeço a decisão do editor de fazer com que Lyons escrevesse seu excelente e muito necessário corretivo para esclarecer o histórico de Hoth quanto aos crimes de guerra. Mesmo assim, gostaria que houvesse um pouco mais sobre o papel que Hoth desempenhou em seu trabalho no pós-guerra, junto com seus ex-camaradas, ao lançar a culpa por seus fracassos nos alvos fáceis de Hitler e seus igualmente vis políticos. Mesmo alguns parágrafos do Epílogo, dedicados aos erros maiores de tomada de decisão da liderança do exército alemão, que desempenharam um papel tão importante na derrota final do Terceiro Reich, teriam sido muito bem-vindos. Se isso tivesse sido incluído, eu não teria nenhum problema em recomendar este livro para leitores mais casuais desses eventos importantes, e não apenas para aqueles de vocês com uma compreensão mais completa da guerra.


Assista o vídeo: Guderian: Father of Blitzkrieg? - Myth u0026 Reality (Dezembro 2021).