Notícia

7 de março de 1940

7 de março de 1940

7 de março de 1940

Guerra de inverno

Tropas soviéticas fazem vários ataques sobre o gelo na Baía de Viipuri

O governo finlandês anuncia que as negociações de paz estão em andamento

Guerra no ar

Um bombardeiro Heinkel é abatido a leste de Aberdeen

Navios de ataque de aeronaves alemãs ancorados na costa sudeste da Inglaterra

Guerra no mar

Dois navios holandeses perdidos



Alexander Graham Bell patenteia o telefone

Em 7 de março de 1876, Alexander Graham Bell, de 29 anos, recebe uma patente por sua nova invenção revolucionária: o telefone.

O escocês Bell trabalhou em Londres com seu pai, Melville Bell, que desenvolveu o Visible Speech, um sistema escrito usado para ensinar como falar para surdos. Na década de 1870, os Bells se mudaram para Boston, Massachusetts, onde o jovem Bell encontrou trabalho como professor na Escola para Surdos da Pemberton Avenue. Mais tarde, ele se casou com uma de suas alunas, Mabel Hubbard.

Enquanto estava em Boston, Bell ficou muito interessado na possibilidade de transmitir a fala por fios. Samuel F.B. A invenção do telégrafo por Morse em 1843 tornou possível a comunicação quase instantânea entre dois pontos distantes. A desvantagem do telégrafo, entretanto, era que ele ainda exigia a entrega em mãos de mensagens entre as estações telegráficas e os destinatários, e apenas uma mensagem podia ser transmitida por vez. Bell queria melhorar isso criando um & # x201Telégrafo harmônico & # x201D um dispositivo que combinava aspectos do telégrafo e do toca-discos para permitir que os indivíduos falassem uns com os outros à distância.

Com a ajuda de Thomas A. Watson, um funcionário da oficina mecânica de Boston, Bell desenvolveu um protótipo. Neste primeiro telefone, as ondas sonoras faziam com que uma corrente elétrica variasse em intensidade e frequência, fazendo com que uma placa de ferro fina e macia & # x2013 chamada de diafragma & # x2013 vibrasse. Essas vibrações foram transferidas magneticamente para outro fio conectado a um diafragma em outro instrumento distante. Quando aquele diafragma vibrou, o som original seria replicado no ouvido do instrumento receptor. Três dias após o depósito da patente, o telefone transmitiu sua primeira mensagem inteligível & # x2014, o famoso & # x201CMr. Watson, venha aqui, preciso de você & # x201D & # x2014 de Bell para seu assistente.


7 protestos influentes na história americana

Desde o início da América & # 8217, as pessoas têm usado os protestos para fazer suas vozes serem ouvidas e defender a mudança. Aqui estão alguns exemplos históricos.

Por Nicole Dudenhoefer & # 821717 | 2 de julho de 2020

Logo após a morte de George Floyd e os protestos mundiais exigindo justiça para a vida dos negros e reformas no departamento de polícia, o conselho municipal de Minneapolis anunciou em 7 de junho que planejava dispersar sua força local e investir em um programa de segurança pública baseado na comunidade.

Como os protestos continuaram em todo o país, mais de uma dúzia de outras cidades dos EUA, incluindo Los Angeles, Dallas e Washington, D.C., também se comprometeram a reduzir os recursos e fundos da polícia e fazer mudanças em seus sistemas.

Ao longo da história americana, protestos pacíficos - que são protegidos pela Primeira Emenda e são um ato de patriotismo - têm sido utilizados para defender e levar à mudança. Embora os impactos gerais dos protestos nacionais atuais ainda estejam ocorrendo, eles provavelmente serão influentes, assim como estes movimentos:

Festa do Chá de Boston

16 de dezembro de 1773
Boston, Massachusetts

O Boston Tea Party foi o primeiro ato significativo de rebelião do colono americano contra os britânicos. Durante anos, os colonos foram injustamente tributados pelo governo britânico sem representação no Parlamento, e o Tea Act de 1773, que concedeu monopólio e isenção de impostos à British East Indian Company, foi a gota d'água que causou a oposição americana.

Sessenta homens liderados pelos Sons of Liberty se disfarçaram de nativos americanos em 16 de dezembro de 1773 e jogaram 342 baús - 92.000 libras - de chá no porto de Boston. O protesto foi recebido com punição dos britânicos quando o Parlamento aprovou medidas punitivas, como fechar o porto de Boston até que a dívida do Boston Tea Party fosse paga e abrigar tropas britânicas em casas americanas, por meio de Atos Intoleráveis ​​que visavam a Massachusetts e dividir as outras colônias. Em vez disso, deu início ao Primeiro Congresso Continental em 1774 e levou à Revolução Americana, que começou em Massachusetts em 1775 e terminou em 1783, quando os britânicos reconheceram formalmente a independência dos Estados Unidos.

Desfile do sufrágio feminino

3 de março de 1913
Washington DC.

Após 60 anos de mulheres lutando pelo sufrágio, a primeira grande manifestação pela causa aconteceu durante um desfile na véspera da posse do presidente Woodrow Wilson. O desfile, organizado pela National American Woman Suffrage Association e pela ativista Alice Paul, consistiu em mais de 5.000 sufragistas, quatro brigadas montadas, nove bandas e 20 carros alegóricos. Durante a marcha na Avenida Pensilvânia, os espectadores adversários atacaram os manifestantes e a polícia não interveio, causando ferimentos em mais de 100 mulheres.

O momento estratégico do desfile ajudou a reanimar a atenção em torno do movimento, mas seriam necessários mais sete anos de protestos, manifestações e outras táticas antes que a 19ª emenda, que concede às mulheres o direito de voto, fosse ratificada em 18 de agosto de 1920.

Embora as mulheres tenham garantido o direito de voto pela Constituição, elas ainda lutam por proteções sob a Emenda da Igualdade de Direitos, que foi proposta originalmente em 1923 e ainda não foi aprovada, mas fez um ressurgimento recente que pode eventualmente levá-la à aprovação .

A Marcha de Washington por Empregos e Liberdade

28 de agosto de 1963
Washington DC.

Cerca de 250.000 pessoas se reuniram perto do Lincoln Memorial para expressar sua indignação contra as desigualdades raciais e os ataques violentos de manifestantes dos direitos civis em Birmingham, Alabama. Foi nessa marcha que Martin Luther King Jr. fez seu discurso icônico “Eu tenho um sonho”, que 3.000 membros da mídia estiveram presentes para capturar.

A ideia da marcha nasceu na verdade 22 anos antes, em 1941, quando o líder dos direitos civis e sindicalista A. Philip Randolph tentou organizar uma marcha que exigia a exclusão dos negros dos empregos criados pela Segunda Guerra Mundial e pelo presidente Franklin D. Roosevelt Programas do New Deal. Um dia antes da marcha ser marcada, Roosevelt se reuniu com Randolph e emitiu uma ordem proibindo a discriminação contra trabalhadores no governo e empregos de defesa. Ele também estabeleceu o Comitê de Práticas Justas de Emprego para investigar a discriminação racial nas práticas de contratação e empregos. Cinco anos depois, o comitê foi dissolvido e Randolph reviveu a ideia para a marcha.

Anos mais tarde, King e sua Conferência de Liderança Cristã do Sul planejavam uma marcha pela liberdade, e Randolph e os líderes da NAACP planejavam uma marcha por empregos. Os dois grupos uniram forças para a marcha de 1963, após a qual King e outros líderes dos direitos civis discutiram a necessidade de um projeto de lei forte dos direitos civis com o presidente John F. Kennedy e o vice-presidente Lyndon B. Johnson. Isso levou à promulgação da Lei dos Direitos Civis de 1964 e, junto com as marchas de Selma-to-Montgomery, no Alabama, também levou à Lei do Direito ao Voto de 1965.

Stonewall Riots

28 de junho a 3 de julho de 1969
Nova york

Nos anos 60, as batidas em bares gays locais e o assédio aos clientes pelo Departamento de Polícia de Nova York eram comuns. Mas quando os policiais invadiram o Stonewall Inn em Greenwich Village na manhã de 28 de junho de 1969, os membros da comunidade LGBTQ se cansaram e resistiram. Os protestos começaram naquela mesma manhã e continuaram por seis dias, marcando um momento monumental que inspirou décadas de ativismo dentro da comunidade LGBTQ +.

Antes de Stonewall, não havia proteção legal para a comunidade LGBTQ e, desde 1952, ser gay era listado como uma doença mental no Manual de Diagnóstico e Estatística da Associação Psiquiátrica Americana.

Líderes dos motins de Stonewall, incluindo ativistas da libertação gay e drag queens Marsha P. Johnson e Sylvia Rivera, formaram organizações, como a Frente de Libertação Gay, após o evento que pressionou por mudanças políticas e inclusão social para a comunidade LGBTQ. Um ano após os distúrbios históricos, a primeira marcha do Dia da Libertação da Christopher Street, que leva o nome da localização do Stonewall Inn, foi organizada em Nova York e outras cidades dos EUA. Essa marcha levaria a um aumento nos eventos anuais do Orgulho em todo o mundo. Em 1973, a associação psiquiátrica removeu a homossexualidade de seu manual de diagnóstico.

Desde os anos 90, a Suprema Corte estabeleceu várias decisões históricas que colocaram proteções e removeram leis discriminatórias contra a comunidade LGBTQ. Isso inclui descriminalizar o comportamento homossexual, legalizar o casamento gay e, até 15 de junho, tornar ilegal demitir funcionários por sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Ocupação de Alcatraz

20 de novembro de 1969 a 11 de junho de 1971
Baía de São Francisco, Califórnia

Em 1934, o governo dos Estados Unidos começou a usar a Ilha de Alcatraz para abrigar prisioneiros antes de fechar a prisão da ilha em 1963. No ano seguinte, ela foi declarada propriedade excedente federal e logo depois disso ativistas nativos americanos começaram a ocupar a ilha, citando o Tratado de Fort Laramie de 1868 , um acordo que declara que os nativos americanos podem reivindicar terras federais não utilizadas.

Em novembro de 1969, 89 membros de índios de todas as tribos começaram a morar na ilha e continuaram seu protesto por 19 meses. Suas demandas iniciais eram para construir instituições indígenas na ilha, em parte devido a um incêndio um mês antes que destruiu o Centro Indígena de São Francisco, que ajudou a fornecer empregos, assistência médica, assistência jurídica e outras oportunidades. Em Alcatraz, os manifestantes, que incluíam 400 pessoas em seu auge, viveram sem água encanada, telefone e, por algum tempo, eletricidade. Alguns nativos americanos se manifestaram e disseram isso, e pior, as condições já existiam nas reservas.

As autoridades dos EUA encerraram à força a ocupação em junho de 1971, quando a polícia e agentes federais removeram os 15 manifestantes restantes. E enquanto as demandas iniciais não foram atendidas, o protesto chamou a atenção para a Política de Rescisão da Índia, iniciada em meados da década de 1940. Essa foi uma série de leis e políticas que visavam abolir as tribos e a cultura nativa americana a fim de assimilá-los à força na sociedade americana, tornando-os cidadãos contribuintes e removendo as isenções federais e estaduais que lhes foram concedidas. Durante a ocupação de Alcatraz, o presidente Richard Nixon encerrou a política em 1970 e a publicidade em torno do evento levou a uma nova política de autodeterminação para os nativos americanos.

A Marcha por Nossas Vidas

24 de março de 2018
Washington, D.C., com outros protestos liderados em todo o mundo.

Em 14 de fevereiro de 2018, 17 pessoas na Escola Marjory Stoneman Douglas High School em Parkland, Flórida, foram mortas por um ex-aluno que abriu fogo com um rifle semiautomático. A tragédia marcou uma virada em anos de pedidos por legislação de controle de armas e levou à Marcha por Nossas Vidas no mês seguinte.

A marcha em Washington, D.C., foi organizada por estudantes que sobreviveram ao tiroteio e reuniu 800.000 pessoas. Protestos afiliados nos Estados Unidos elevaram o comparecimento nacional total para cerca de 1,2 milhão a 2 milhões. Houve também outros protestos em todo o mundo.

Antes do tiroteio em Stoneman Douglas, as leis sobre armas de fogo da Flórida eram das mais fracas da América. Mas em março de 2018, a Lei de Segurança Pública da Escola Secundária Marjory Stoneman Douglas foi aprovada pelo legislativo estadual e implementou mudanças como aumentar a idade mínima para compra de armas de 18 para 21, aumentando os períodos de espera até que as verificações de antecedentes sejam compensadas ou três dias, o que for mais, entre outras medidas. A Flórida, juntamente com outros 16 estados e Washington, D.C., promulgaram leis de bandeira vermelha, que permitem a remoção temporária de armas de fogo se alguém representar perigo para si mesmo ou para terceiros. Os estoques de colisão, que aumentam o poder de disparo de armas semiautomáticas, também foram proibidos nacionalmente.

Protestos Telegramgate

14 de julho a 24 de julho de 2019
Porto Rico

Depois de anos de progresso lento para se recuperar do furacão Maria e muitos mais anos de suposta corrupção dentro do governo de Porto Rico, um escândalo envolvendo o governador da ilha e sua equipe gerou indignação nacional e pedidos de renúncia.

Em 13 de julho de 2019, centenas de páginas de mensagens entre o governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló e sua equipe contendo linguagem racista, homofóbica e vulgar para ridicularizar políticos, jornalistas e celebridades, vazaram publicamente. As mensagens, enviadas por meio do aplicativo de mensagens Telegram, também afirmavam que usariam a mídia para atingir oponentes políticos. Dias antes do vazamento, o secretário de educação da ilha e o chefe da saúde foram presos pelo FBI sob acusações de corrupção.

Rosselló se desculpou publicamente logo depois e disse que não renunciaria, embora membros de seu gabinete o fizessem. Em 14 de julho de 2019, os protestos começaram fora de sua casa e continuaram por semanas enquanto a polícia guardava a casa e frequentemente usava gás lacrimogêneo. Os protestos se espalharam e se intensificaram, resultando no fechamento de uma grande rodovia e em uma greve em toda a ilha.

Em 24 de julho de 2019, Rosselló anunciou sua renúncia a partir de 2 de agosto daquele ano. Em 7 de agosto de 2019, Wanda Vázquez Garced tornou-se governador de Porto Rico.


7 de março de 1940 - História

MICROFILM - UMA BREVE HISTÓRIA

Embora tratadas como uma novidade até a década de 1920, as microformas surgiram muito antes. John Benjamin Dancer, um cientista inglês, conhecido como o "Pai da Microfotografia", começou a experimentar e a fabricar textos inovadores microproduzidos já em 1839. Em 1853, ele vendeu com sucesso microfotografias como slides para serem vistos em um microscópio. Utilizando as técnicas de Dancer, um oftalmologista francês, Rene Dagron, obteve a primeira patente para microfilme em 1859. Ele também iniciou a primeira empresa comercial de microfilmagem, fabricando e vendendo bugigangas microfotográficas. Dagron, no outono e inverno de 1870-71, durante a Guerra Franco-Prussiana, demonstrou um uso prático para microformas quando pombos-correio foram usados ​​para transportar mensagens microfilmadas através das linhas alemãs para a cidade sitiada de Paris.

O primeiro uso prático do microfilme comercial foi desenvolvido por um banqueiro da cidade de Nova York, George McCarthy, na década de 1920. Ele obteve uma patente em 1925 para sua máquina de cheques, projetada para fazer cópias permanentes em filme de todos os registros bancários. Em 1928, Eastman Kodak comprou a invenção de McCarthy e começou a comercializá-la na Divisão Recordak da Kodak.

Com uma câmera de microfilme de 35 mm aperfeiçoada, a Recordak em 1935 se expandiu e começou a filmar e publicar o New York Times em microfilme. Dois eventos significativos em 1938 aceleraram o uso de microformas para preservação de arquivos em bibliotecas e instituições americanas. Devido à rápida deterioração do original e às inúmeras dificuldades de armazenamento e uso de jornais, a Biblioteca da Universidade de Harvard iniciou seu Projeto de Jornal Estrangeiro. Hoje, este projeto continua e os mestres de microformas estão armazenados no Center for Research Studies em Chicago. Nesse mesmo ano, também foi fundada a University Microfilms, Inc. ('UMI') por Eugene Power. Ele já havia microfilmado livros estrangeiros e raros, mas em 1938 seu trabalho tornou-se um empreendimento comercial à medida que ele se expandia para a microfilmagem de teses de doutorado.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a microfotografia foi amplamente usada para espionagem e correio militar regular. As cartas enviadas para o exterior eram enviadas em microfilme, com um V-mail ou "cópia impressa" sendo produzido e encaminhado no lado receptor. A guerra também trouxe uma ameaça de destruição aos registros da civilização. Essa ameaça acrescentou a urgência para a microfilmagem de registros, documentos, arquivos e coleções. Durante os últimos anos da guerra e os anos imediatos do pós-guerra, houve uma enxurrada de microfilmagem pelas nações ocupantes.

1950 e 1960

Após a guerra, surgiu a ideia de usar microformas para sistemas de informação ativos e apenas para preservação de material. Previa-se que as bibliotecas utilizassem microformas como fontes ativas de informação, bem como uso para meios de armazenamento. O aumento do financiamento e a melhoria da tecnologia no final dos anos 50 e 60 incentivaram as bibliotecas acadêmicas e de pesquisa a continuar a expandir suas atividades na área de microformas.

Na década de 1970, a explosão da informação forçou bibliotecas e instituições e seus usuários a microformar como uma alternativa para materiais impressos volumosos e caros. Filmes, leitores, visualizadores, impressoras e leitores aprimorados e o advento dos leitores de colo portáteis tornaram essa escolha econômica mais aceitável.

Anos 80 e 90

A tecnologia aprimorada da década de 1970 também aumentou os aplicativos de microforma de saída de computador. Microformas produzidas diretamente de um computador estão sendo usadas para produzir catálogos de peças, registros de hospitais e seguros, listas de telefones, catálogos de faculdades, registros de patentes, catálogos de editoras e catálogos de bibliotecas. Embora essa técnica seja amplamente utilizada, a permanência de mestres de microfilme em filme é o padrão para a maioria das bibliotecas e aquelas aplicações onde a preservação é um problema. As microformas terão um futuro não apenas no curto prazo, mas provavelmente também em um futuro mais distante.


7 de março de 1940 - História

Aniversários famosos por mês:

1 de março de 1904 - Glenn Miller, grande líder de banda

1º de março de 1926 - Pete Rozelle, comissário de beisebol

1 ° de março de 1935 - Robert Conrad, ator

1 de março de 1954 - Ron Howard, ator, diretor, "Opie" na série de TV "Andy Griffith"

1 de março de 1974 - Mark-Paul Gosselaar, ator, "Zack" na série de TV "Saved by the Bell"

1 ° de março de 1994 - Justin Bieber, cantor e compositor canadense, dançarino

2 de março de 1779 - Joel Roberts Poinsett, embaixador americano no México trouxe Poinsettias para a América.

2 de março de 1904 - Theodore Seuss Geisel, "Dr. Seuss"

2 de março de 1917 - Desi Arnaz- "Ricky Ricardo" em "I Love Lucy"

2 de março de 1931 - Mikhail Gorbachev, líder da URSS

2 de março de 1950 - Karen Carpenter, cantora "We Only Just Begun"

2 de março de 1962 - Jon Bon Jovi, cantor, ator

2 de março de 1968 - Daniel Craig, ator britânico, James Bond em & quotSkyfall & quot.

3 de março de 1847 - Alexander Graham Bell, inventou o telefone

3 de março de 1920 - James Doohan, ator, "Scotty" na série de TV e no filme "Star Trek"

3 de março de 1962 - Jackie Joiner-Kersee, medalhista de ouro olímpica

4 de março de 1888 - Knute Rockne, técnico de futebol "Fighting Irish" de Notre Dame

5 de março de 1908 - Rex Harrison, ator

5 de março de 1936 - Dean Stockwell, ator

5 de março de 1958 - Andy Gibb, membro da banda "Beegees"

5 de março de 1989 - Jake Lloyd, ator "Anakin Skywalker" em "Star Wars: Phantom Menace"

6 de março de 1475 - Michelangelo, pintor renascentista

6 de março de 1906 - Lou Costello, comediante, de Abbott and Costello

6 de março de 1923 - Ed McMahon, "Johnny Carson Tonight Show"

6 de março de 1926 - Alan Greenspan, presidente do Federal Reserve

6 de março de 1947 - Rob Reiner, ator, diretor

6 de março de 1959 - Tom Arnold, ator

6 de março de 1972 - Shaquille O'Neal, estrela da NBA

7 de março de 1934 - Willard Scott, meteorologista da NBC

7 de março de 1960 - Ivan Lendl, jogador de tênis do Hall da Fama

8 de março de 1945 - Mickey Dolenz, cantor, ator, "Mickey" dos "Monkees"

8 de março de 1959 - âncora do jornal Lester Holt, NBC Nightly News

9 de março de 1934 - Yuri Gagarin, astronauta russo, primeiro homem no espaço

9 de março de 1943 - Bobby Fischer, campeão mundial de xadrez

9 de março de 1971 - Emmanuel Lewis, "" Webster "da série de TV

10 de março de 1928 - James Earl Ray, assassinado Martin Luther King Jr.

10 de março de 1940 - Chuck Norris, artes marciais, "Walker" na série de TV "Walker, Texas Ranger"

10 de março de 1957 - Osama Bin Laden, líder terrorista da Al Queda

10 de março de 1958 - Sharon Stone, atriz, "Instinto Básico"

10 de março de 1983 - Carrie Underwood, vencedora do American Idol

11 de março de 1903 - Lawrence Welk, líder da banda

11 de março de 1934 - Sam Donaldson, jornalista de TV

12 de março de 1881 - Kemmel Ataturk, líder turco

12 de março de 1923 - Wally Schirra, astronauta

12 de março de 1941 - Barbara Feldon, atriz

12 de março de 1946 - Liza Minnelli, cantora e atriz vencedora do Oscar Cabaré

12 de março de 1948 - James Taylor, cantor e compositor americano

12 de março de 1962 - Darryl Strawberry, jogador de beisebol

13 de março de 1855 - Percival Lowell, astrônomo

13 de março de 1911 - L. Ron Hubbard, escritor de ficção científica

13 de março de 1939 - Neil Sedaka, cantor e compositor

14 de março de 1864 - Casey Jones, engenheiro ferroviário

14 de março de 1879 - Albert Einstein, físico

14 de março de 1912 - Les Brown e sua "Band of Renown"

14 de março de 1920 - Hank Ketcham, cartunista, cria "Dennis, a Ameaça"

14 de março de 1928 - Frank Borman, astronauta, executivo de companhia aérea

14 de março de 1933 - Michael Caine, ator

14 de março de 1947 - Billy Crystal, ator, comediante

15 de março de 1767 - Andrew Jackson, 7º presidente dos Estados Unidos (1829-1837), herói da guerra de 1812

15 de março de 1933 - Ruth Bader Ginsburg, juíza da Suprema Corte

15 de março de 1935 - Judd Hirsch, ator, série de TV "Taxi"

15 de março de 1941 - Mike Love, cantor, músico, Beach Boys

15 de março de 1961 - Fabio, ator italiano, modelo

15 de março de 1975 - Eva Longoria, atriz, série de TV "Desperate Housewives"

16 de março de 1751 - James Madison, 4º presidente dos Estados Unidos (1809-1817)

16 de março de 1822 - Rosa Bonheur, pintora francesa

16 de março de 1906 - Hinny Youngman, comediante

16 de março de 1912 - Pat Nixon, esposa de Richard M. Nixon, primeira-dama

16 de março de 1926 - Jerry Lewis, ator, comediante

16 de março de 1927 - Daniel Patrick Moynihan, senador, diplomata

16 de março de 1949 - Erik Estrada, ator

17 de março de 1902 - Bobby Jones, jogador de golfe

17 de março de 1919 - Nat "King" Cole, cantor

17 de março de 1938 - Rudolf Nureyev, dançarino de balé russo

17 de março de 1945 - Tony Dow, ator, irmão "Wallie" na série de TV "Leave it to Beaver"

17 de março de 1949 - Patrick Duffy, ator "Bobby Ewing" na série de TV "Dallas"

17 de março de 1951 - Kurt Russell, ator

17 de março de 1964 - Rob Lowe, ator

18 de março de 1782 - John C. Calhoun, estadista, vice-presidente

18 de março de 1837 - Growver Cleveland, 22 e 24º presidente dos EUA (1885-1889, 1893-1897)

18 de março de 1869 - Neville Chamberlain, primeiro-ministro britânico

18 de março de 1926 - Peter Graves, ator

18 de março de 1939 - Charley Pride, cantora

18 de março de 1941 - Wilson Pickett, cantor e compositor

18 de março de 1963 - Vanessa Williams, cantora, atriz

18 de março de 1964 - Bonnie Blair, campeã olímpica de patinação de velocidade

18 de março de 1970 - Queen Latifah, cantora de rap, atriz

19 de março de 1589 - William Bradford, Pilgrim / Governador da Colônia de Plymouth

19 de março de 1813 - David Livingstone, médico, explorador

19 de março de 1848 - Wyatt Earp, homem da lei do Velho Oeste

19 de março de 1891 - Earl Warren, presidente da Suprema Corte

19 de março de 1906 - Adolf Eichmann, líder nazista

19 de março de 1936 - Ursula Andress, atriz

19 de março de 1947 - Glenn Close, atriz

19 de março de 1955 - Bruce Willis, ator

20 de março de 1811 - Napoleão Bonaparte II, imperador da França e rei de Roma

20 de março de 1906 - Ozzie Nelson, ator, "The Nelsons"

20 de março de 1922 - Carl Reiner, ator, comediante

20 de março de 1928 - Fred Rogers, ator do programa infantil "Mr. Rogers"

20 de março de 1931 - Hal Linden, ator, cantor

20 de março de 1939 - Brian Mulroney, primeiro-ministro canadense

20 de março de 1948 - Bobby Orr, jogador de hóquei

20 de março de 1957 - Spike Lee, diretor, cineasta

21 de março de 1685 - Johann Sebastian Bach, compositor musical alemão

21 de março de 1910 - Julio Gallo, vinicultor da Califórnia

21 de março de 1944 - Timothy Dalton, ator

21 de março de 1962 - Matthew Broderick, ator

21 de março de 1962 - Rosie O'Donnell, personalidade da TV, atriz

22 de março de 1887 - Chico Marx dos Irmãos Marx

22 de março de 1913 - Karl Malden, ator

22 de março de 1919 - Werner Klemperner, ator

22 de março de 1923 - Marcel Marceau, mímico francês

22 de março de 1930 - Pat Robertson, evangelista, candidato presidencial

22 de março de 1931 - William Shatner, ator James T. Kirk, em Star Trek

22 de março de 1934 - Orrin Hatch, senador

22 de março de 1943 - George Benson, cantor, músico

22 de março de 1948 - Andrew Lloyd Webber, compositor inglês

22 de março de 1952 - Bob Costas, locutor esportivo

22 de março de 1976 - Reese Witherspoon, atriz vencedora do Oscar.

22 de março de 1959 - Matthew Modine, ator

23 de março de 1904 - Joan Crawford, atriz vencedora do Oscar

23 de março de 1900 - Erich Fromm, psicanalista

23 de março de 1912 - Werner von Braun, pioneiro do foguete, cientista

23 de março de 1929 - Roger Bannister, corredor, primeira pessoa a quebrar a milha em 4 minutos

23 de março de 1953 - Louie Anderson, comediante, ator

23 de março de 1953 - Chaka Khan, cantora

24 de março de 1855 - Andrew Mellon, financista, industrial

24 de março de 1874 - Harry Houdini, mágico

24 de março de 1893 - George Sisler, jogador de beisebol

24 de março de 1930 - Steve McQueen, ator

24 de março de 1970 - Lara Flynn Boyle, atriz

24 de março de 1973 - Jim P2rsons, ator americano, & quotSheldon & quot no programa de TV & quotBig Bang Theory & quot

24 de março de 1976 - Peyton Manning, quarterback do All Star do Indianapolis Colts

25 de março de 1871 - Gutzon Borglum, esculpiu o Monte Rushmore

25 de março de 1918 - Howard Cosell, locutor esportivo americano

25 de março de 1934 - Gloria Steinem, autora

25 de março de 1942 - Aretha Franklin, cantora

25 de março de 1922 - Paul Michael Glaser, ator, diretor

25 de março de 1947 - Elton John, cantor, compositor, músico inglês

25 de março de 1965 - Sarah Jessica Parker, atriz

25 de março de 1982 - Danica Patrick, piloto de corrida americana da NASCAR

26 de março de 1874 - Robert Frost, poeta

26 de março de 1911 - Tennessee Williams, dramaturgo

26 de março de 1930 - Sandra Day O'Connor, juíza da Suprema Corte

26 de março de 1931 - Leonard Nimoy, ator, diretor, "Spock" em "Star Trek"

26 de março de 1934 - Alan Arkin, ator

26 de março de 1939 - James Caan, ator, O padrinho

26 de março de 1940 - Nancy Pelosi, congressista do Partido Democrata Americano, duas vezes presidente da Câmara.

26 de março de 1944 - Diana Ross, cantora e atriz

26 de março de 1950 - Martin Short, ator, comediante

26 de março de 1960 - Marcus Allen, running back da NFL, locutor esportivo

26 de março de 1962 - John Stockton, jogador de basquete

27 de março de 1845 - Wilhelm Roentgen, cientista, descobriu os raios X

27 de março de 1899 - Gloria Swanson, atriz

27 de março de 1931 - David Janssen, ator, "The Fugitive"

27 de março de 1940 - Cale Yarborough, piloto de corridas de automóveis

27 de março de 1963 - Randall Cunningham, quarterback da NFL

27 de março de 1963 - Quentin Tarantino, ator, diretor

27 de março de 1970 - Mariah Carey, cantora e atriz americana

28 de março de 1899 - agosto Anheuser Busch Jr., barão da cerveja

28 de março de 1921 - Dirk Bogarde, ator

28 de março de 1944 - Ken Howard, ator

28 de março de 1955 - Reba McEntire, cantora country western

28 de março de 1981 - Julia Stiles, atriz

28 de março de 1986 - Lady Gaga, cantora, compositora e atriz americana

29 de março de 1790 - John Tyler, 10º presidente dos Estados Unidos (1841-1845)

29 de março de 1867 - Cy Young, arremessador de beisebol

29 de março de 1916 - Eugene McCarthy, senador, candidato à presidência

29 de março de 1918 - Pearl Bailey, cantora, apresentadora

29 de março de 1918 - Sam Walton, fundou o Wal-Mart

29 de março de 1945 - Walt Frazier, jogador de basquete

29 de março de 1955 - Earl Campbell, jogador de futebol

29 de março de 1963 - M. C. Hammer, cantor de rap

29 de março de 1964 - Elle MacPherson, atriz australiana, supermodelo

29 de março de 1968 - Lucy Lawless, atriz

29 de março de 1976 - Jennifer Capriati, tenista

30 de março de 1853 - Vincent van Gogh, pintor holandês

30 de março de 1929 - Richard Dysart, ator

30 de março de 1930 - John Astin, ator

30 de março de 1937 - Warren Beatty, ator, diretor

30 de março de 1945 - Eric Clapton, músico, cantor, compositor

30 de março de 1957 - Paul Reiser, ator

30 de março de 1962 - M.C. Martelo rapper

30 de março de 1968 - Celine Dion, cantora

31 de março de 1596 - Ren & eacute Descartes, filósofo, matemático

31 de março de 1732 - Franz Joseph Haydn, compositor

31 de março de 1811 - o químico alemão Robert Wilhelm Eberhard von Bunsen, inventou o Bico de Bunsen

31 de março de 1878 - Jack Johnson é um boxeador afro-americano que conquistará a coroa dos pesos pesados

31 de março de 1927 - Cesar Chavez, líder sindical

31 de março de 1928 - Gordie Howe, jogador de hóquei

31 de março de 1929 - Liz Claiborne, estilista

31 de março de 1932 - John Jakes, autor

31 de março de 1934 - Shirley Jones, atriz, cantora

31 de março de 1935 - Herb Albert, músico

31 de março de 1935 - Richard Chamberlain, ator

31 de março de 1943 - Christopher Walken, ator

31 de março de 1948 - Al Gore Jr., vice-presidente, candidato à presidência

31 de março de 1948 - Rhea Perlman, atriz

Cartões eletrônicos Oferecemos a você cartões eletrônicos gratuitos para aniversários e praticamente qualquer outro feriado, ocasião, evento ou mesmo nenhum evento!

Holiday Insights, onde cada dia é um feriado, um dia bizarro ou maluco, uma observância ou um evento especial. Junte-se a nós na diversão do calendário diário, todos os dias do ano.

Você sabia? Existem literalmente milhares de feriados diários, eventos especiais e comemorações, mais de um para cada dia do ano. Muitos desses feriados são novos. Mais feriados estão sendo criados regularmente. No Holiday Insights, nós nos esforçamos para pesquisar e documentar minuciosamente os detalhes de cada um, da maneira mais completa e precisa possível.


Fato nº 915: Preço médio histórico anual da bomba de gasolina em 7 de março de 2016, 1929-2015

Quando ajustado pela inflação, o preço médio anual da gasolina flutuou muito e recentemente sofreu fortes aumentos e diminuições. O efeito do embargo dos EUA ao petróleo do Irã pode ser visto no início dos anos 1980, com o preço da gasolina atingindo o pico em 1982. De 2002 a 2008, o preço da gasolina aumentou substancialmente, mas depois caiu drasticamente em 2009 durante a recessão econômica. Em 2012, os preços atingiram o nível mais alto da série de oitenta anos, tanto em dólares correntes quanto constantes, mas começaram uma queda acentuada a partir de então. Em dólares constantes, o preço da gasolina em 2015 era apenas sete centavos mais alto do que em 1929.

Preço médio histórico anual da bomba de gasolina, 1929-2015

  • O preço de varejo inclui impostos federais e estaduais.
  • O preço é para a gasolina normal com chumbo até 1990 e para a gasolina normal sem chumbo daí em diante.
  • Dólares correntes não são ajustados pela inflação constante. Os dólares de 2015 são ajustados pela inflação para que seja feita uma comparação do poder de compra entre os anos. Dólares constantes calculados com base no Índice de Inflação do Produto Interno Bruto (PIB).

Informações de Apoio

Fontes:
Administração de informações sobre energia, revisão mensal de energia, Tabela 9.4.


7 de março de 1940 - História

Conhecido inicialmente não oficialmente como Campo Aéreo do Condado de Marin, Campo Aéreo Marin, Campo Aéreo Marin Meadows e Base Aérea do Exército em Marin Meadows, foi oficialmente denominado de 1929 até 1932 o & quotAir Corps Station, San Rafael. & Quot. com o início do desenvolvimento formal, foi nomeado Campo de Hamilton em 12 de julho de 1932, em homenagem a um ás do ar do condado de Marin morto na Primeira Guerra Mundial. Ele foi o primeiro-tenente Lloyd Andrew Hamilton do 17º Esquadrão Aéreo, premiado com a Cruz de Serviço Distinto por heroísmo em Varssonaore, Bélgica, ao liderar um ataque de bombardeio de baixo nível a um aeródromo alemão a 30 milhas atrás das linhas inimigas em 13 de agosto de 1918. Treze dias depois, Hamilton morreu em ação perto de Lagnecourt, França.

A construção em Hamilton Field começou por volta de 1o de julho de 1932, com o campo de aviação sendo originalmente projetado para acomodar quatro esquadrões de bombas e seu pessoal. Captain Don Hutchins of the Army Air Corps reported on duty as the first commanding officer of the new field on June 25, 1933, and Captain John M. Davies' 70th Service Squadron arrived that December as the first squadron assigned to the base. On December 4, 1934, the 7th Bombardment Group arrived to take station, having been transferred up from March Field. The new base was designated that year as General Headquarters of the 1st Pursuit Wing. The Hamilton Field Station Complement replaced the 70th Service Squadron on March 1, 1935. The original construction program was completed on May 12, 1935, at which time the field was ceremonially handed over to Brigadier General Henry 'Hap' Arnold, commanding the First Wing, by Governor Merriam of California.

P-40's at Hamilton Field in 1941

Described in 1940 as "looking more like a modern residential suburb of Spanish California homes than the Army's Pursuit Base for northern California," Hamilton Field had by that time received five million dollars for development. At that time the Field housed the 45th Air Base Group, the 20th Pursuit Group (Fighter), the 35th Pursuit Group (Interceptor), the 82nd Observation Squadron, and Weather, Signal, Ordnance, Quartermaster, Medical and Finance organizations totaling over 4,000 officers and men.

A description of Hamilton Field written in 1940 or early 1941 characterized the base:

An average of 250 clear days each year makes the mile-square, table-flat landing field ideal for huge Army bombers and fast pursuit planes. Field exercises and long-distance mass flights are the rule, rather than the exception, at Hamilton Field. One mass flight, of two months' duration, covered practically the whole of the United States.

From the Bay shore, where a canal and wharf provided harbor facilities, the reservation rises gently to a velvet-green plateau on which the low Spanish-style structures of the post gleam white against semitropical plants and shrubs. Streets and boulevards wind about the hills. The administration buildings, hangars, hospital, theater, post office, shops and quarters, and radio, electric, and fire-fighting units form a compact self-sustaining military town.

From the portals of the field a wide palm-lined avenue leads to Base Headquarters housed in a structure designed to resemble a California mission. The Officers' Club, a rambling hacienda on the crest of the promontory, looks eastward over the chameleon waters of San Pablo Bay to distant Mount Diablo.

On March 31, 1941, the base was reassigned to the Fourth Air Force, and it was later that year that a flight of twelve B-17s left Hamilton Field for Hickam Field in Hawaii, which lay next to the naval base known as Pearl Harbor. Flying all through the night, the bombers arrived over Oahu on the morning of December 7, 1941, and faced an unusual welcome.

The B-17s had arrived over Oahu during the Japanese air attack which triggered American entry into World War II. Back in California, Hamilton Field was rapidly expanded to a wartime status, with construction of additional barracks, mess halls, administration buildings, warehouses, Link trainer buildings, schools, hospital and other structures, an expansion that really didn't come to an end until July 11, 1945, by which time the war was clearly nearing its end.

"Sabre Knights" aerial demonstration team from Hamilton AFB, CA, 325th Fighter-Interceptor Squadron

The Army Air Force was now expanded into the United States Air Force, a separate military service, and soon Hamilton Air Force Base was being modified to accommodate jet aircraft. In mid-1959 the runways were upgraded to accommodate F-101 and F-104 operations. The base went through a series of command redesignations during this period--to the Continental Air Forces on April 16, 1945, to the Air Defense Command on January 1, 1951, to the Aerospace Defense Command on January 15, 1968, 'and as its usefulness waned, to the Air Force Reserve on October 1, 1973.

" Thunderbird" T-38As photographed with a wide angle lens from the cockpit of another T-38 over Hamilton AFB, California (1974).

The base had been declared excess to Air Force needs as early as December 10, 1944, but it was not closed at that time, and in 1952 it had been declared a "permanent" U.S. Air Force installation. Nevertheless, by 1973 its importance had diminished, and it was finally placed in a caretaker status on January 11, 1976. Brigadier General William G. Hathaway ended, on June 10, 1976, his tour of duty as the last of Hamilton's thirty-five base commanders (not counting Captain Howard B. Nurse who had been the project officer from 1931 to 1933). Today (1981) housing and office space on the base are still used by the Air Force, the Coast Guard, the Navy, and the 91st Division (Training), Army Reserves, and management of the base is under the Navy. Occasional Air Force maneuvers still take place there. A controversy over future civilian use has developed between those supporting its adaptation into a major civilian airport, those bitterly opposed to its continued use as an airfield at-all, and those holding varying intermediate degrees of opinion. The final resolution has not yet been determined as of early 1981.

The above history was written in 1981 for the annual meeting of the Council on Abandoned Military Posts. Since it was written several events have impacted Hamilton:

Hamilton Air Force Base was decommissioned in 1974. The airfield was transferred to the Army as Hamilton Army Airfield, the housing to the Navy and a 411-acre parcel to the General Services Administration (GSA) for public sale. The GSA public sale occurred in 1985 and the 1988 Base Realignment and Closure (BRAC) closed the Army airfield. As a consequence of BRAC 1993's closure of the Navy's San Francisco bases, the Navy vacated its Hamilton housing in 1996.

A Historic District was created at Hamilton in the summer 1998. The first area includes the hangars and the senior housing. The second includes the theater and the hospital. The third includes Spanish housing, the BOQ and the pool.

Wikipedia Abandoned and Little Known Airfields Historic American Building Survey Army Units Assigned to Fort Funston

Unit(s)

US Army Order of Battle 1919-1940 1929-1941 Annual Training Units: 316th and 367th Observation Squadrons (Organized Reserves)
US Army Order of Battle 1919-1940 1933-1936 70th Service Squadron
US Army Order of Battle 1919-1940 1934-1935 Headquarters, 7th Bombardment Group
US Army Order of Battle 1919-1940 1934-1938 31st Bombardment Squadron
US Army Order of Battle 1919-1940 1934-1940 9th and 11th Bombardment Squadrons
US Army Order of Battle 1919-1940 1935-1936 69th Service Squadron
US Army Order of Battle 1919-1940 1935-1940 88th Observation Squadron
US Army Order of Battle 1919-1940 1936-1940 Base Headquarters and 5th Air Base Squadron
US Army Order of Battle 1919-1940 1937-1940 Headquarters, 7th Bombardment Group
US Army Order of Battle 1919-1940 1939-1941 77th Pursuit Squadron
US Army Order of Battle 1919-1940 1940 22nd Bombardment Squadron
US Army Order of Battle 1919-1940 1940-1941 Headquarters, 10th and 11th Pursuit Wings Headquarters, 20th and 35th Pursuit Groups 18th, 20th, 21st, 34th and 55th Pursuit Squadrons 82nd Observation Squadron 88th Reconnaissance Squadron
7 December 1941 Hq and Hq Sq, 4th Air Support Command:
Hq and Hq Sq, 20th Pursuit Group (Interceptor): 55th Pursuit Squadron (Interceptor)
77th Pursuit Squadron (Interceptor)
79th Pursuit Squadron (Interceptor)
20th Interceptor Control Squadron 17th Transport Squadron (64th Transport Group)
60th Material Squadron
46th Air Base Squadron
Air Force Band
Det, 1st Communications Squadron
Det, 1st Weather Squadron Det, 3rd Chemical Company (Service) (Aviation)
692nd Ordnance Company (Aviation) (Pursuit)
711th Ordnance Company (Aviation) (Air Base)
Company K, 30th Quartermaster Regiment (Truck)
Company D (less Dets), 89th Quartermaster Battalion (Lt Maint)
Det, 4th Quartermaster Company (Supply) (Aviation)
419th Signal Company (Aviation)
Det, 854th Signal Service Company (Aviation)
8th Signal Platoon (Air Base)
Site Map Click for a larger image. Images

The former Hamilton Air Force Base today. The three H-shaped buildings in the foreground are the former enlisted barracks


Enisted Barracks, circe 1940 Softies Ice Cream Stand run by Homer Oleson (Charlie Oleson)

Postcards of Hamilton AFB

Extract, War Department Inventory of Owned, Sponsored and Leased Facilities , December 1945


March 23rd, 1940 - Lahore Resolution

The Lahore Resolution (later known as the Pakistan Resolution) moved by Bengal Chief Minister Fazlul Haq on March 23, 1940, the 27th annual session of Muslim League under the chairmanship of Quaid-e-Azam Muhammad Ali Jinnah, was held at Lahore in Minto Park (Iqbal Park). It stated:

"No Constitution plan would be workable in this country or acceptable to Muslims unless it is designed on the following basic principles,viz,that geographically contigous units are democrated into regions which should be so constituted,with such territorial adjustment as may necessary,that the areas in which Muslims are numerically in majority as in the North-Western and Eastern zones of India,should be grouped to constitute independent states in which the constituent units shall be autonomous and sovereign adequate, effective and mandatory safeguards should be specifically provided in the constitution for minorities for the protection of their religion ,cultural,economic,political,administrative and other rights."

"that geographically contagious units are demarcated into regions which should be so constituted, with such territorial adjustments as may be necessary, that the areas in which the Muslims are in a majority, as in the north-west and eastern zones of India, should be grouped to constitute independent states in which the constituent units shall be autonomous and sovereign."

The Quaid-e-Azam delivered a historic address at this moment highlighting the distinct national character of the Muslims of India.He said:

"Musalmans are not a minority at is commonly known and understood.One has only got to look around even today,According to the British map of India,out of 11 provinces,4 provinces where the Muslims dominate more or less are functioning not with standing the decision of the Congress High Command to non cooperate and prepare fore civi disobedience .Musalmans are nation according to any definition of a nation and they must have their homelands,their territory and their state.We wish to live in peace and harmony with our neighbours as a free and independent people.We wish our people to develope to the fullest our spritual,cultural,economic,social and political life in a way that we think best and in consonance with our own ideals and according to the genius of our people."

The Resolution was unanimously accepted by the Muslims who had assembled the meeting plan in a large number.


Armies Can’t March in Clogs: The Dutch Defence of 1940

So much has been written about the Nazi blitzkrieg in 1940, but the lion’s share focuses on the trail the Wehrmacht blazed through the Ardennes and into heart of France and Belgium. Very little concentrates on the plight of the Netherlands at the hands of the Nazis.

A possible reason for this is due to the fact that it wasn’t a surprise at the time that the Dutch were so soundly beaten. The nation was neutral during World War I and had mostly neglected the opportunity to rearm and upgrade fully during the inter-war years. As the Wehrmacht war machine rumbled west, the Netherlands surrendered in just six days. A much inferior military and a border with Nazi Germany was a recipe for disaster.

The Blitzkrieg blew a panzer-shaped hole into the eastern part of the country as cities such as Eindhoven, Amsterdam and Rotterdam all fell. Rotterdam in particular suffered intense bombing from the Luftwaffe, who gave no quarter in their aerial assault with 30,000 civilian casualties. In total, 198,000 civilians would perish in the country by the end of the war.

So, why was the Dutch army so poorly equipped despite the threat of Hitler’s stormtroopers?

The seeds of poor preparation

Despite remaining neutral, the country wasn’t entirely sheltered from the effects of the Great War. Dutch soldiers regularly patrolled their borders and the nation was a safe haven for Belgian refugees fleeing their homeland. The Germans were so concerned about the movement they set up an electric fence across the border between the two countries coined ‘the Wire of Death’. The influx of refugees eventually put a strain on the Dutch economy and even after the war ended, food shortages were common in the country.

Neutrality worked so well in the war that it was considered the way forward once again in 1939. Like the majority of nations, the Treaty of Versailles was taken too literally. Military cutbacks were introduced in the country during the inter-war period, but here it was even worse due to a severe depression. This doesn’t mean there wasn’t any sort of rearmament though. The military budget was increased when Germany introduced its rearmament policy and escalated once again when Dutch territory in the Pacific came under threat from the rise of Imperial Japan.

Lines of pillboxes and trenches were set up in what became known as the Grebbe Line but funding for this operation was much less than it should have been. In the end the line was 40 kilometres (24.8 miles) long and was manned by approximately 65,000 troops. There were also fears of an invasion by sea so defences were set up along the coastline. Some of the largest plans were put in place to prevent plane landings. Cars and trucks were stacked up to block the main roads between cities and the largest airfields where enemy aircraft might try and land. Every bridge that could be used for strategic gain was occupied by military police units armed with heavy machine guns.

However, all these efforts for ‘Fortress Holland’ would be in vain when the Nazi juggernaut rolled into town on 10 May 1940.

Some Dutch women began relationships with German soldiers, which wasn’t looked on upon too fondly at the end of the war.

Arms available to the Netherlands on 10 May 1940:

– 380 modern anti-tank guns
– 360 mortars
– 3,000 heavy machineguns (Vickers, Spandau, Schwarzlose)
– 9,500 light machine guns (Lewis M.20)
– 36 anti-tank rifles
– 210 light field guns (1894)
– 304 light field guns (1904)
– 108 obsolete light field guns (1878)
– 52 modern medium field guns
– 150 obsolete medium field guns
– 60 howitzers 12 cm
– 72 obsolete heavy field guns Krupp 15 cm (1878, slightly modernised in 1920s)
– 140 coastal and harbour guns
– 12 armoured cars (3,7 cm Bofors gun, 3 MG) Landsverk L.181
– 14 armoured cars (3,7 cm Bofors gun, 3 MG) Landsverk L.180, M.38
– 12 armoured cars (3,7 cm Bofors gun, 3 MG) DAF M.39 Pantrado
– 5 armoured universal carriers Cardon-Lloyd (1 MG Vickers)

The importance of the Netherlands to Hitler

With a total disregard for Dutch neutrality, the soldiers of the Third Reich crossed the border and overwhelmed the 19 Dutch battalions. Hitler desired the Netherlands as a base of operations for future assaults on France and Britain. The Dutch airfields were ideal to launch Messerschmitts and Fokkers at Britain while the shoreline could be used as coastal defences.

The importance of the Netherlands to the Allies

In the lead up to war, the British and French governments endeavoured to coerce the Dutch into joining the Allied side. However, both the Dutch and the Belgians favoured staunch neutrality and declined the proposal. This came to haunt the Allies as the Germans successfully outflanked the Maginot Line.

The US 101st Division with members of the Dutch Resistance

The make up of the Dutch Army

Due to the Dutch inability to re-arm appropriately, the German attack caught the military by surprise. From the first paratrooper attack in Waalhaven, they were doomed.

On the eve of the war, the Dutch Army was made up of 280,000 men, far too few to defend the country and its borders. Therefore the plan was made to retreat to Fortress Holland as quickly as possible when under attack. The airforce was similarly undercooked with only 135 operational planes to its name, and only 70 of these weren’t even remotely up to modern standards. Anti-aircraft weaponry was in a similar state. AA Guns were purchased from the companies Vickers and Skoda until the imports were blocked by Germany. The army then tried to trade with the Germans themselves but this was not a wise move and only one battery of guns (without any ammunition) arrived from their future aggressor.

Ultimately, 81 heavy AA guns were operational by May 1940 and the vast majority of these were placed around Amsterdam. For each soldier of the Dutch Army, arms were hard to come by. Heavy machine guns were available at a ratio of 1:100 and only 50 per cent of the required light machine guns were available. The machine guns of choice, the Schwarzlose and the Vickers, were World War I relics and paled in comparison to the MG 34. Every Dutch arm seemed to be dated or not plentiful enough. Worse still, the Dutch Army was the only major army that didn’t have a tank to its name.

War in the Low Country

As the Netherlands is dominated by navigable waterways (more than 6,000km/3,728mi worth), naval craft played a role in the response to the Blitzkrieg. The most prominent of these craft was the destroyer ‘Van Galen’, which put up a good fight but was eventually incapacitated by a series of near misses by German shells. The Royal Netherlands Air Force also got in on the act with four sorties against the Waalhaven air base, which had fallen into German hands. 62 planes were lost as the valiant defence (which resulted in the awarding of a Militaire Willemforce, the Dutch equivalent of the Victoria Cross) came to nothing. The Royal Netherlands Army made a decent fist of putting up a fight, with running battles at the Ypenburg and Ockenburg air bases, shooting down 11 German transport planes over the former.

All Dutch forces were ordered to lay down their arms on 14 May. Small skirmishes lasted for two more days but by 16 May it was all over and the Netherlands was in the hands of the Nazis.

What remains of the Grebbeline today

“The Dutch command and leadership often left much to be desired. Another important factor in the failure to finish off the (German) airborne troops was lack of insight into the real strength of the German troops.”
Lt-Commander F C van Oosten

Fierce Resistance, official and unofficial

Upon the Nazi invasion, Queen Wilhelmina and the Dutch Royal Family fled to the safety of Britain. Resistance continued in the country as the population made occupation difficult for the Germans. Attacks were infrequent with most efforts concerned with forging ration cards, counterfeit money, hiding Jews and aiding Allied soldiers. The four largest resistance organisations were:

• LO (‘Landelijke Organisatie voor hulp aan onderduikers’ or National Organization for Help to People in Hiding)
• KP (‘Knokploeg’ or Assault Group)
• RVV (‘Raad van Verzet’ or Council of Resistance)
• OD (‘Orde Dienst’ or Order of Service)

Perhaps their greatest scalp was the assassination of turncoat Dutch general Hendrik Seyffardt. The Nazis didn’t take kindly to this, killing 50 residents in return. Conversely, many of the Dutch joined the German military and supported the Nazi regime. There are also various stories of Dutch women starting relationships with German soldiers.

By 1944, the constant meddling of the Dutch resistance had become too much for the Germans who cut off all food supplies to Dutch civilians after a particularly damaging rail strike. 30,000 were to die of starvation, cold and disease and the ordeal would be known as the Hongerwinterfamine.

All the Dutch efforts against the Blitzkrieg were in vain as Amsterdam lay in ruins.

Challenging the Nazis in exile

In Britain, Queen Wilhelmina never stopped supporting her country. While in exile she was in frequent contact with her country, encouraging her subjects in a series of late night radio broadcasts. The Dutch people also helped in a military capacity as well. The RAF’s No 320, No 321 and No 322 Squadrons formed in 1943 were made up of Dutch airmen ready to take the fight back to the Third Reich. Out at sea, Dutch vessels did all they could to supplement the Allied navies and the Princess Irene Brigade was established ready for D-Day.

The Dutch soldier

The regular Dutch soldier was equipped the following:
– Mannlicher-Steyr rifle 6.5 mm
– Mannlicher-Steyr carbine 6.5 mm

– FN pistol 9 mm or 7.65 mm
– 1873 revolver 11 mm,

Dutch vehicles

With no tanks to call upon, the Dutch Army had to rely upon armoured cars such as the Landsverk L-180

The reasons for the Dutch military failure in World War II

• Re-armament started too late
• Affect of Depression on the country
• Overwhelming Wehrmacht numbers
• Insistence on neutrality
• Minimal defence industry
• Lack of imported arms

References:
http://www2.webster.edu/

woolflm/netherlands.html
http://spartacus-educational.com/2WWholland.htm
http://ww2db.com/country/Netherlands
http://www.historylearningsite.co.uk/german_invasion_of_holland.htm
http://www.waroverholland.nl/index.php?page=dutch-army-strategy-organisation-and-armament-in-wwii

For more on the Second World War, pick up the latest issue of History of War from our website or subscribe now and save 30%!

All About History is part of Future plc, an international media group and leading digital publisher. Visit our corporate site.

© Future Publishing Limited Quay House, The Ambury , Bath BA1 1UA . Todos os direitos reservados. England and Wales company registration number 2008885.


Stanford Lee Warren (1863-1940)

Dr. Stanford Lee Warren, a co-founder of North Carolina Mutual Life Insurance Company and the Mechanics and Farmers Bank in Durham, North Carolina, was born in Caswell County, North Carolina in 1863. His mother was Anne Warren, and his father was reputed to be tobacco tycoon Washington Duke. From these uncertain begins Warren would rise to become a prominent and respected leader in Black Durham.

Warren spent his young adult life working as a tobacco factory laborer in Durham to raise money for college. Having saved enough money, he enrolled in Kittrell College in Vance County, North Carolina. After graduation Warren received the Doctor of Medicine degree from Shaw University’s Leonard Medical School in Raleigh, North Carolina.

Dr. Warren was a participant in the establishment of three of Black Durham’s most prominent enterprises. In 1898, he worked alongside prominent black physician, Dr. Aaron McDuffie Moore, businessman John Merrick, and others to establish the North Carolina Mutual Life and Provident Association. North Carolina Mutual eventually became and remained the largest black-owned business in the United States during much of the 20th Century.

In 1901, Warren, Moore and Merrick, persuaded Washington Duke to fund the construction of Lincoln Hospital for African Americans in Durham. After Dr. Moore’s death in 1919, Warren served as the Chairman of the Lincoln Hospital Board of Trustees. Under Warren’s leadership, Lincoln Hospital moved to a modern building, established physician training programs, built a strong relationship with the Duke University School of Medicine, and began receiving an annual donation from the Duke Endowment.

Recognizing that the black citizens of Durham needed their own bank, in 1908 Warren again worked with Merrick, Moore, and other black leaders to establish Mechanics and Farmers Bank. In addition to serving as a savings bank, Mechanics and Farmers Bank provided loans to members of the black community for homes and businesses that they had difficulty getting at white-owned banks. Mechanics and Farmers Bank remains in operation today.

Warren was also instrumental in promoting literacy in the African American community through his work with the Durham Colored Library Incorporated. The library was the brainchild of Dr. Aaron M. Moore and had its beginning in the White Rock Baptist Church basement in 1913. The meager library grew and by the 1930s it was outgrowing the confines of its second location on Pettigrew Street. Warren donated the equivalent of $70,000 in 2019 dollars to purchase the land for a modern library. The new library opened on January 17, 1940, only fourteen days before Warren’s death on January 31, 1940 in Durham. Renamed in his honor, the Stanford L. Warren Library serves as a continuous reminder of the efforts of Warren to uplift the Durham community.

Dr. Warren married Julia McCauley on December 28, 1904. McCauley attended Howard University and worked as a teacher in Durham. McCauley was Durham’s first beautician and hair stylist, opening Warenetta Beauty Parlor for white and black patrons in 1919. They had one daughter, Selena Warren Wheeler, who would later become the director of Stanford L. Warren Library in 1932.


Assista o vídeo: Destaque do dia - 6 de Março de 1940 (Dezembro 2021).