Artigos

‘O excesso excessivo de vestuário’: Legislação suntuária em Tudor, Inglaterra

‘O excesso excessivo de vestuário’: Legislação suntuária em Tudor, Inglaterra

‘O excesso excessivo de vestuário’: Legislação suntuária em Tudor, Inglaterra

Kirtio, Leah

Constelações: History and Classic Faculty of Arts, University of Alberta, Vol.3, No.1 (2011)

Abstrato

O objetivo deste artigo é explorar a natureza da legislação suntuária na Inglaterra do século XVI. Argumenta que os objetivos da legislação suntuária eram três: que os legisladores procurassem manter a estabilidade do bem-estar comum por meio da regulamentação social, a regulamentação moral por meio da moralização de bens de luxo e regular a economia da Inglaterra, proibindo o comércio exterior de bens de luxo, em a fim de estimular a economia doméstica e o florescente comércio de lã e meias.

A legislação suntuária pode ser vista na legislação estatutária inglesa de meados do século XIV em diante. Sob os Tudors, especialmente durante o reinado de Elizabeth I, houve um aumento da atividade parlamentar em relação ao que os contemporâneos viam como "o excesso exagerado de roupas". Embora a legislação suntuária cubra um amplo espectro de bens materiais, duráveis ​​e semiduráveis, os parâmetros deste artigo estarão preocupados com o controle de roupas e têxteis da moda, e o que veio a ser conhecido como Atos de Vestuário ao longo do século XVI. Eu argumento que o objetivo da legislação suntuária era triplo; que os legisladores procuraram manter a estabilidade do bem-estar comum por meio da regulamentação social, regulamentação moral por meio da moralização de bens de luxo e para regular a economia da Inglaterra, proibindo o comércio exterior de bens de luxo, a fim de estimular a economia doméstica da Inglaterra e a lã florescente e comércio de estoque.

A legislação suntuária pode ser definida como um conjunto de regulamentações, aprovadas pelos legisladores por meio de leis estatutárias e proclamações parlamentares, que buscam regular a sociedade ditando o que os contemporâneos podem possuir ou vestir com base em sua posição na sociedade. Francis Baldwin argumenta, "esses regulamentos podem ser classificados como suntuários no sentido de que governavam o valor e a direção das despesas individuais." 2 A legislação suntuária pode ser vista em livros jurídicos já na Grécia clássica, e Alan Hunt sugere que essas leis fornecem evidências-chave para a regulamentação do funeral e o controle das mulheres.


Assista o vídeo: COMO ERA A VIDA NA TORRE DE LONDRES E EM HAMPTON COURT, AS MORADAS DE HENRIQUE VIII (Janeiro 2022).