Podcasts

Até 5 milhões de sítios arqueológicos no Norte da África e no Oriente Médio em perigo de serem destruídos

Até 5 milhões de sítios arqueológicos no Norte da África e no Oriente Médio em perigo de serem destruídos

O patrimônio arqueológico do Oriente Médio e do Norte da África, que é de importância internacional para todos os períodos, está sob ameaça crescente de explosão populacional maciça e contínua, desenvolvimento agrícola, expansão urbana, guerra e pilhagem.

Para resolver esta situação, um novo projeto foi lançado nas Universidades de Oxford e Leicester, financiado pelo Fundo Arcadia. O projeto usa imagens de satélite e fotos aéreas para identificar, registrar e monitorar os sítios arqueológicos mais ameaçados, e muitas vezes não documentados, em todo o Oriente Médio e Norte da África. Quase todos os vestígios arqueológicos são feitos de pedra ou terra e são visíveis do ar. Isso inclui tumbas, assentamentos, fortes, vilas, cidades e sistemas de irrigação e de campo de todos os períodos da pré-história ao século XX. Muitos dos países estão atualmente inacessíveis no terreno devido a conflitos em curso. Um trabalho recente realizado na Jordânia pelo professor David Kennedy e pelo Dr. Robert Bewley mostrou a escala e a intensidade do desenvolvimento e que a metodologia funciona.

O líder do projeto, Dr. Robert Bewley, disse: "Este projeto emocionante é muito oportuno, pois as ameaças aos sítios arqueológicos mais importantes da região estão aumentando a um ritmo sem precedentes e a situação só vai se tornar mais crítica se não agirmos agora."

A equipe de pesquisa estima que em todo o Oriente Médio e Norte da África pode haver até 3-5 milhões de sítios arqueológicos, muitos dos quais estão sob ameaça imediata e ainda mais susceptíveis de estarem em perigo no futuro. As informações sobre o contexto histórico e a condição de cada um dos locais sensíveis serão disponibilizadas em um banco de dados de acesso aberto. A informação pode então ser usada por todos, mas especialmente por arqueólogos locais e voluntários em cada um dos países.

Sempre que possível, o projeto cooperará com as autoridades locais responsáveis ​​pela proteção de sítios, Departamentos de Antiguidades ou agências semelhantes. Espera-se que, por meio do projeto, uma rede de "guardas" locais seja criada para gerenciar e preservar a paisagem e locais sensíveis.

O professor Andrew Wilson, o principal investigador do projeto, acrescentou: “O projeto fornecerá ferramentas e estratégias para a futura conservação e gestão do patrimônio ameaçado, tanto de sítios individuais quanto de paisagens arqueológicas inteiras. Esta região contém a concentração mais rica do mundo de vestígios arqueológicos significativos que abrangem a pré-história, os impérios persa, grego, romano e islâmico. ”

O site do projeto http://ea.arch.ox.ac.uk estará disponível no próximo mês e o banco de dados com imagens e informações contextuais seguirá no final do ano.


Assista o vídeo: Las Marias un sitio arqueológico olvidado parte 2. Youtubero Salvadoreño (Janeiro 2022).