Podcasts

Beowulf de Gareth Hinds

Beowulf de Gareth Hinds


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Escura e visceral, a versão em quadrinhos de Beowulf criada por Gareth Hinds é considerada uma das adaptações de maior sucesso do conto inglês antigo.

Publicado pela primeira vez no ano de 2000 e, em seguida, relançado como versão de um volume pela Candlewick Press em 2007, Beowulf de Gareth Hinds foi a segunda história em quadrinhos criada pelo escritor americano de 44 anos. Ele queria aproveitar algumas das grandes histórias da história, acreditando que elas poderiam ser adaptadas para o mundo dos quadrinhos. O sucesso de Beowulf o levou a criar mais histórias em quadrinhos com base nas peças de Shakespeare, como Rei Lear e Romeu e Julietae de Homero A odisseia. Seu trabalho mais recente é Macbeth, que foi lançado em fevereiro.

Esta versão de Beowulf é fortemente visual, com muitas das páginas não contendo nenhum texto. Embora parte da história seja contada usando a tradução em prosa feita por AJ Church, grande parte da ação, incluindo as famosas cenas de luta com Grendel e a Mãe de Grendel, é contada apenas com as imagens.

Quando a história foi lançada pela primeira vez em 2000, foi entregue em três partes, cada uma com um meio diferente - a primeira parte foi desenhada com tinta usando uma caneta e pincel, depois colorida digitalmente, enquanto a segunda foi feita em painéis de madeira e incluiu aquarela, acrílico e lápis de cor.

Hinds explicou em uma entrevista com o Boston Globe que “A história de Beowulf é um conto de batalha machista bombado. Eu estava brincando com isso. Mas há todo esse tema de como isso pode levar a muito orgulho e arrogância. Estava estimulando minhas memórias e emoções de coisas das quais não me orgulhava em minha formação, e senti que era o momento apropriado para apresentar esse pedido de desculpas. ”

Comentários para esta versão de Beowulf têm sido muito positivos. Escrevendo para o New York Times, Charles McGrath descobriu que, “Hinds encena grandes cenas de luta, coreografando-as como um mestre de kung-fu e depois desenhando-as de uma variedade de pontos de vista, com close-ups, ângulos amplos e vistas aéreas. À sua maneira, o resultado é tão visceral quanto o inglês antigo, que era conscientemente onomatopaico, e ao mudar sua paleta para cada uma das três seções do poema, ele evoca seu ritmo de escurecimento ”.

Enquanto isso, Robert M. Tilendis em Avaliação do Homem Verde explica, “as ilustrações são mágicas. Eles ocupam um território que se move entre o sonho e a realidade sem problemas. A ilustração de abertura reflete lindamente a breve história do Rei Scyld e sua morte e sepultamento no mar como algo que aconteceu há muito tempo: uma sensação de neblina, uma sensação de irrealidade, uma sensação de um passado distante, tudo encapsulado em um desenho etéreo. O livro então passa para o estilo que relaciona a maior parte da história: claro, detalhado, estilizado, mas também mantendo um alto grau de realismo, altamente trabalhado, dando a sensação de uma xilogravura antiga e um tratamento cinematográfico. ”

A história em quadrinhos também encontrou seu caminho nas salas de aula, onde é usada como uma nova maneira de ver o conto do inglês antigo. Em seu artigo, “Sobre o ensino de quadrinhos e romances gráficos na sala de aula medieval e renascentista”, Christina Angel escreve que:

Recentemente, adicionei a história em quadrinhos Beowulf de Gareth Hinds à leitura atribuída da tradução de Seamus Heaney e, como eu esperava, neste momento, coisas maravilhosas começaram a acontecer. Eu os fiz ler o texto primeiro e depois a história em quadrinhos; a ênfase que eu queria dar era dupla: 1) comparar a descrição do texto de Grendel e compará-la com a interpretação de Hinds; e 2) comparar o texto da batalha com as 22 páginas sem palavras da história em quadrinhos que retrata esses eventos. Isso abriu a discussão, ironicamente, no texto em si, e não na história em quadrinhos, enquanto os alunos cuidadosamente tentavam desempacotar a tradução de Heaney do poema. … Assim, podemos usar a história em quadrinhos como um meio de envolver a linguagem às vezes difícil do texto.

Você pode aprender mais sobre Gareth Hinds e suas obras em o site dele ou siga-o no Twitter@garethhinds

Você pode comprar Beowulf por Gareth Hinds na Amazon.com

Veja também“Kid Beowulf” - Um Novo Romance Gráfico para Crianças!


Assista o vídeo: Beowulf - Mini Review (Junho 2022).


Comentários:

  1. Moreley

    Na minha opinião, ele está errado. Tenho certeza. Escreva para mim no PM, ele fala com você.

  2. Griswold

    Não vejo nesse sentido.

  3. Kilkree

    Concordo, a sala notável



Escreve uma mensagem