Podcasts

Violência sexual no oeste medieval

Violência sexual no oeste medieval

Violência sexual no oeste medieval

Por Przemysław Tyszka

Acta Poloniae Historica, No.104 (2011)

Introdução: O conceito de ‘violência sexual’ presente na literatura pertinente, discurso acadêmico, linguagem institucionalizada e discurso coloquial é uma construção contemporânea realizada sob a influência de fenômenos sociais e culturais atuais. Aqui, é de importância fundamental a ideia dos direitos humanos, em particular os das mulheres e crianças. A compreensão contemporânea dos atos e eventos ocultos por trás de tal conceito não deve, conseqüentemente, ser tratada como universal, trans-histórica ou mesmo como a-histórica. O fenômeno da violência sexual é um fenômeno histórico e, como tal, está em transformação. Atos de violência sexual, percebidos como transgressões às normas sexuais vigentes em uma determinada sociedade - atos criminosos, más ações, pecados - existiam obviamente igualmente no início da Idade Média. No entanto, as pessoas da época não tratavam esses atos como dirigidos contra uma "sexualidade" conceitualmente isolada, mas contra a inviolabilidade do corpo e a virtude do indivíduo. Devemos, portanto, caracterizar a violência sexual em sua forma medieval inicial, levando em consideração as especificidades dessa época e, em particular, os princípios e conceitos de ordem social então vigentes, bem como os padrões de comportamento de homens e mulheres. Este postulado se aplica à pesquisa em qualquer época e sociedade histórica.

A questão quanto ao alcance do fenômeno em discussão não é apenas de caráter teórico e metodológico; também tem uma dimensão prática exata. Encontramos muitos atos e modos de comportamento variados nas primeiras fontes medievais que envolviam (em maior ou menor grau) o uso da violência e que estavam ligados à esfera sexual. Um pesquisador deve, portanto, decidir todas as vezes se o evento ou forma de comportamento foi ou não uma manifestação de violência sexual.

A questão mais geral relativa à definição e ao mesmo tempo ao alcance desse fenômeno no passado, pode ser formulada assim: qual a relação entre violência e sexualidade? E também mais precisamente: como entender o conceito de sexualidade (esfera sexual) no contexto da violência? Conseqüentemente, aparecem várias questões importantes de caráter geral e específico. Em primeiro lugar: que tipo de atos consideramos violência sexual em relação ao início da Idade Média? E, em particular: o fenômeno se resume a um ato sexual forçado (no sentido mais amplo da palavra, ou seja, em uma situação em que alguém contra a vontade de outra pessoa atinge a satisfação sexual)? Envolve igualmente ações realizadas contra a vontade de outra pessoa e que requerem o uso de violência em maior ou menor grau, mas que não resultam em ato sexual, como espancamento ou assassinato de uma vítima de estupro com esse objetivo de intimidá-lo ou encobrir a identidade do agressor? A violência sexual é equivocada ao uso de violência física ou apenas contato corporal? O conceito implica, a princípio, o surgimento de dano corporal ou pode também representar, antes de mais nada, dano moral?


Assista o vídeo: VIOLENCIA SEXUAL (Outubro 2021).