Podcasts

Lutando para vencer: a arte do combate com espadas no início da era moderna

Lutando para vencer: a arte do combate com espadas no início da era moderna

Por Danièle Cybulskie

Normalmente, escrever sobre o início da Idade Moderna não é meu negócio, mas foi definitivamente um momento interessante. Era a época em que os homens andavam de calças bufantes com floretes na cintura, prontos para duelar com quem ridicularizasse o buço de suas calças. E se você vai andar por aí com um florete, é melhor saber como usá-lo.

Entra Joachim Meyer, um especialista alemão em espadas, que literalmente escreveu o livro sobre luta com espadas, e sabiamente intitulou-o A Arte do Combate de Espadas. Publicado em 1568 e dedicado ao conde local de Meyer, Otto von Solms, A Arte do Combate de Espadas instrui o leitor sobre o uso da espada longa, o dusack - uma espada de madeira ou couro usada para o esporte - e o florete. Instruções detalhadas são apresentadas para cada arma em prosa clara, incluindo xilogravuras e exemplos de como e quando usar cada golpe da espada. Este é um livro puramente instrutivo, o que o torna uma ótima leitura para os historiadores porque divide as coisas em suas partes mais simples e explica tudo. Como o próprio Meyer diz,

Não estou escrevendo para grandes lutadores ou artistas, nem pretendo escrever isso como um monumento histórico de combate, apresentando a arte como digna de atenção séria, mas apenas para escrever um livro de instrução ... [para] aqueles que amam esta arte .

Ao contrário de alguns livros, como Ramon Llull's O Livro da Ordem de Cavalaria, O livro de Meyer não se preocupa com o simbolismo ou o lugar das habilidades do espadachim no universo, mas as tachas de latão simples de lutar para vencer. E é isso que torna este livro tão interessante para mim: a ênfase em lutar para vencer, não necessariamente em como vencer com honra. Nos tratados medievais, há uma ênfase cavalheiresca na justiça, e os romances medievais desaprovam o combatente que se inclina para a malandragem para vencer ou chuta seu inimigo quando está caído. (Sem dúvida, os verdadeiros guerreiros medievais teriam usado qualquer tática que os mantivesse vivos.) Neste livro mais prático, Meyer não dá valor à justiça, mas sim enfatiza o uso da fraqueza ou credulidade do oponente contra ele. Crítico para muitas (senão para a maioria) das técnicas de Meyer é a finta; o engano não é apenas aceitável, mas valorizado. Da mesma forma, a provocação é essencial para fazer o adversário escorregar. Meyer diz do combate de florete,

quando seu oponente não vai cortar em você, você também não deve dar o primeiro golpe nele para acertá-lo, mas veja como você pode provocá-lo a golpear; e quando ele atacar, então desvie o golpe ... e você deve cortar rapidamente depois desse golpe.

Ele também diz,

assim que você sentir que [seu oponente] está enfraquecido, então, antes que ele se recupere, corte rapidamente o corpo dele, seja baixo ou alto.

Em outras palavras, chute seu inimigo quando ele estiver caído e ele ficará caído.


Quando você vê as fintas e defesas baléticas da esgrima olímpica, é difícil lembrar que as pessoas por trás das máscaras estão na verdade praticando uma habilidade que antes era para matar ou ferir gravemente. No A Arte do Combate de Espadas, Meyer não se preocupa em ser delicado sobre isso. Existem instruções frequentes para cortar ou empurrar a cabeça, rosto, orelhas ou barriga de seu oponente. Há também a frase surpreendente da seção sobre a espada longa: "quando você cortou os braços de um oponente, você pode desenhar o corte através de sua boca" (82). Para Meyer, não adianta ser delicado porque lutar muito e com habilidade pode salvar sua vida.

Há uma seção perto do final, simplesmente intitulada "Uma boa técnica", que descreve o que fazer "se você precisar se defender em uma emergência, quando alguém corre para você com um partidário e você tem apenas um florete ou alguma outra arma de uma mão ”. A seção imediatamente após esta descreve como usar sua capa (uma peça de roupa comum para os homens na época) para se defender contra um ataque de florete. Para registro, você pode enrolar sua capa em volta do braço para bloquear um golpe ou jogá-la sobre a lâmina do oponente e, em seguida, golpeá-lo com a sua Alguém que está escrevendo um livro sobre combate de espadas hoje provavelmente não vai sugerir que você precisará usar seu casaco contra um ataque repentino na rua, mas na época de Meyer, essas eram certamente boas técnicas para saber, só para garantir.

Se você está interessado em como as pessoas realmente lutaram no início da Idade Moderna, ou apenas deseja visualizar o duelo entre Romeu e Tybalt, A Arte do Combate de Espadas é um livro que contará tudo o que você precisa saber. Você pode verificar Nova tradução de Jeffrey L. Forgeng aqui.

Visite o site de Danièle:danielecybulskie.com
Siga Danièle no Twitter:@ 5MinMedievalist


Assista o vídeo: Tutorial Espada de Madeira - Wooden Sword (Outubro 2021).