Podcasts

Manuscritos medievais: a Bíblia de ouro

Manuscritos medievais: a Bíblia de ouro

Oficialmente é chamado Biblia Pauperum, significando a “Bíblia dos Pobres”. No entanto, este códice iluminado, com quase 100 miniaturas decoradas em prata e ouro, definitivamente não se destinava ao povo comum do final da Idade Média.

O propósito de um Biblia Pauperum era para sublinhar as conexões entre o Antigo e o Novo Testamento e, assim, contradizer movimentos heréticos como o dos cátaros. Cada uma das setenta páginas da Bíblia de Ouro contém uma cena do Novo Testamento no centro, com duas cenas do Antigo Testamento em ambos os lados.

Os fólios foram originalmente dobrados duas vezes; os leitores teriam que desdobrar cada página individualmente para poder ver os quadros em todo o seu esplendor e intensidade, provavelmente pintados pelo mesmo artista que elaborou as Horas de Margarida de Cleves.

A Bíblia de Ouro teve origem nos primeiros anos do século 15 em Haia, que então havia se desenvolvido como um centro independente de artes. Não está claro como o códice chegou à Inglaterra, onde foi doado ao rei inglês George III e legado à Biblioteca Britânica por seus sucessores.

Nossos agradecimentos ao Facsimile Finder por nos ajudar a criar este post. Você pode aprender mais sobre este manuscrito e ver mais imagens porvisitando o site deles.

Verifique também as redes sociais -TwitterInstagram e delesCanal do Youtube, que apresenta dezenas de vídeos sobre manuscritos medievais.


Assista o vídeo: Manuscritos do Mar Morto (Janeiro 2022).